sábado, 30 de junho de 2012

65ª Corrida da Fogueira

Percurso: 07 km
Vencedores
Masculino
01º - Eberth da Silva Silvério, de 20 anos, com 22min43s.
02º - Flávio Carvalho Stumpf, de 25 anos, com 22min45s.
03º - Edson do Nascimento, de 40 anos, com 23min31s.
04º - Edevaldo da Silva, de 31 anos, 23min38s.
05º - Whellinton Nascimento, de 23 anos, 24min08s.

Feminino
01º - Érika Maria José Vieira, de 29 anos, com 28min08s.
02º - Viviany Anderson de Oliveira, de 43 anos, com 29min33s.
03º - Ingrid Abrahão, de 21 anos, com 30min13s.
04º - Andriléia do Carmo Souza, de 44 anos, 30min54s.
05º - Tania Cristina Villaça, de 51 anos: 31min02s.

Obs:
- Eberth da Silva Silvério foi bicampeão da prova,
- Andriléia do Carmo Souza já foi vencedora em três ocasiões,
- Viviany Anderson de Oliveira já venceu a competição em seis oportunidades, sendo a maior vencedora da prova.

Série C

Tupi 0 x 2 Duque de Caxias

Tupi: Rodrigo, Alex Travassos (Magalhães), Silvio, Wesley Ladeira e Michel Loures; George, Caetano, Léo Salino (Michel Cury) e Henrique; Ademilson e Fabinho (Allan). Técnico: Moacir Júnior
Duque de Caxias: Fernando, Arilson, Paulão, Arthur Rocha e Antonio Carlos (Edmário); Renan Silva, Neves (Marco Goiano), Juninho e André Gomes (Bruno Veiga); Dudu e Charles Chad. Técnico: Amilton Oliveira.
Cartões amarelos: Caetano (Tupi); Antonio Carlos, André Gomes, Neves e Fernando.

Gols: Marco Goiano 32'/2ºT e Charles Chad 36'/2ºT.
Público pagante: 1.681
Não pagante: 496
Total: 2.177
Renda: 17.400,00

Outros resultados
Madureira 1 x 0 Brasiliense
Santo André 0 x 0 Chapecoense
Vila Nova 4 x 1 Oeste

Série C 2012

Tupi-MG e Duque de Caxias-RJ

Tupi: Rodrigo; Alex Travassos, Wesley Ladeira, Sílvio e Michel; George, Caetano, Léo Salino e Henrique; Ademilson e Allan.Técnico: Moacir Júnior
Duque de Caxias: Fernando; Arilson, Irineu, Paulão e Antônio Carlos; Renan Silva, André Gomes, Carlos Alberto e Zé Leandro; Bruno Veiga e Tiago Resende. _ Técnico: Amilton Oliveira
Arbitragem: Luiz Flávio de Oliveira (SP), João Nobre Chaves (SP), Ricardo Pavanelli Lanutto (SP) e Flávio Henrique Coutinho Teixeira (MG).

Transmissão
A Rádio Cultura (www.radioculturasd.com.br/) transmite o jogo com toda sua equipe MULTIMÍDIA.
Narração: Edson Palma,
Comentários: João Begatti,
Entrevistas: Carlos Ferreira,
Plantão: Evandro Begati,
Mesa de Áudio: Guilherme Galdino e João Batista.


sexta-feira, 29 de junho de 2012

O Tupi e a Série C

Quando a bola rolar neste sábado, 30/06, o Tupi estará dando início à sua 13ª participação na Série C do Campeonato Brasileiro (a terceira divisão nacional) – a primeira vez foi em 1987 e a última em 2008. E nesses 21 anos de disputas, foram 108 jogos, 39 vitórias, 28 empates e 41 derrotas. Abaixo um resumo e os jogos dos Carijós, ano a ano. 
 
1987
O Tupi foi colocado no Módulo Azul da competição. Ficou em primeiro lugar na Chave D, primeira fase, mas caiu no primeiro mata-mata. 
11/10 - Tupi 4x0 Botafogo-SP
18/10 - América-MG 2x1 Tupi
25/10 – Goytacaz-RJ 0x1 Tupi 
01/11 - Botafogo 1x0 Tupi 
08/11 - Tupi 1x0 América 
11/11 - Tupi 2x0 Goytacaz 
18/11 – Americano-RJ 1 x 0 Tupi
21/11 – Tupi 0 x 1 Americano

1988
O Galo foi eliminado na primeira fase, após apenas uma vitória.
23/10 - Tupi 3x3 Porto Alegre 9atual Itaperuna) (pênaltis: 4x5)
26/10 - Tupi 1x4 Desportiva
30/10 - Cabofriense 0x0 Tupi (pênaltis: 2x4)
02/11 - Desportiva 1x1 Tupi (pênaltis: 6x7)
06/11 - Tupi 2x1 Cabofriense
09 /11 - Porto Alegre 0x0 Tupi (pênaltis: 6x5)


1994
Novamente, somente uma vitória em seis jogos, e a eliminação ainda na primeira fase.
18/09 - Campo Grande-RJ 1x0 Tupi
21/09 - Tupi 0x0 Valeriodoce-MG
25/09 - Tupi 2x1 Villa Nova-MG
02/10 - Villa Nova 0x0 Tupi
09/10 - Valeriodoce 2x0 Tupi
16/10 - Tupi 1x1 Campo Grande

1996 
Duas vitórias não foram suficientes para levar o Tupi à segunda fase.
25/08 – Tupi 2 x 1 Juventus-SP
29/08 – Paulista-SP 2 x 0 Tupi
01/09 - Rio Branco-SP 4 x 0 Tupi
11/09 – Tupi 1 x 0 Barra Mansa-RJ
14/09 – Juventus 2 x 0 Tupi
18/09 - Barra Mansa 0 x 0 Tupi
25/09 – Tupi 1 x 1 Rio Branco-SP
29/09 – Tupi 0 x 1 Paulista.

1997
A melhor participação até agora, chegando ao quadrangular final da competição.
Primeira fase
31/08 - Rio Branco-ES 0 x 2 Tupi
03/09 - Tupi 1 x 1 Campo Grande-RJ
07/09 - Tupi 1 x 2 América-RJ
13/09 – América-RJ 0 x 1 Tupi
17/09 - Campo Grande 0 x 0 Tupi
21/09 – Tupi 2 x 1 Rio Branco

Segunda fase
28/09 – Tupi 2 x 1 Brasília-DF
05/10 – Brasília 0 x 2 Tupi

Terceira fase
12/10 – Tupi 8 x 1 Avai-SC
19/10 - Avaí 4 x 0 Tupi

Quarta fase
26/10 - Tupi 1 x 0 CSA-AL
02/11 - CSA 1 x 1 Tupi

Quadrangular final
09/11 – Tupi 2 x 1 Juventus-SP
12/11 -  Sampaio Corrêa-MA 3 x 0 Tupi
16/11 – Francana-SP 1 x 2 Tupi
23/11 – Tupi 0 x 1 Francana
26/11 – Tupi 0 x 1 Sampaio Corrêa
30/11 – Juventus 3 x 1 Tupi

1998
Eliminado, na segunda fase, pelo Santo André-SP
Primeira fase
09/08 – Tupi 1 x 0 América-RJ
16/08 – Rio Branco-ES 0 x 1 Tupi
19/08 – Tupi 2 x 2 Friburguense-RJ
23/08 – Villa Nova-MG 2 x 1 Tupi
30/08 – Tupi 1 x 0  Campo Grande-RJ
06/09 – Campo Grande 1 x 1 Tupi
09/09 – Tupi 1 x 1 Villa Nova
13/09 – Friburguense 1 x 3 Tupi
20/09 – Tupi 3 x 0 Rio Branco
27/09 – América 2 x 0 Tupi
Segunda fase
7/10 – Tupi 0 x 0 Santo André
11/10 – Santo André 1 x 0 Tupi

2001
Em um grupo só de mineiros, Tupi não conseguiu vaga para a segunda fase
09/09 – Tupi 2 x 2 Mamoré
12/09 – Atlético-TC 1 x 0 Tupi
15/09 – Uberlândia 2 x 1 Tupi
23/09 – Tupi 1 x 1 Villa Nova
26/09 – Uberaba 2 x 2 Tupi
30/09 – Tupi 0 x 1 Ipatinga
7/10  - Mamoré 1 x 1 Tupi
10/10 – Tupi 2 x 1 Atlético-TC
14/10 – Tupi 0 x 1 Uberlândia
21/10 – Villa Nova 0 x 0 Tupi
24/10 – Tupi 4 x 1 Uberaba
27/10 – Ipatinga 4 x 0 Tupi

2002
Galo disputa três fases do campeonato
Primeira Fase
01/09 – Tupi 1 x 1 Ipatinga-MG
08/09 – Rio Branco-ES 1 x 0 Tupi
15/09 – Tupi 3 x 0 Rio Branco
22/09 – Ipatinga 0 x 0 Tupi
Segunda fase
04/10 – Tupi 4 x 1 Itabaiana-SE
09/10 – Itabaiana 1 x 0 Tupi
Terceira fase
13/10 – Tupi 2 x 1 Ipatinga
19/10 – Ipatinga 2 x 0 Tupi 

2003
Boa campanha e a 11ª colocação
Primeira fase
17/09 – Serra-ES 0 x 0 Tupi
21/09 – Tupi 2 x 0 Goytacaz-RJ
25/09 – Rio Branco-ES 2 x 0 Tupi
27/09 – Tupi 3 x 0 Rio Branco
01/10 – Goytacaz 2 x 1 Tupi
05/10 – Tupi 2 x 0 Serra
Segunda fase
12/10 – Macaé-RJ 1 x 1 Tupi
15/10 – Tupi 2 x 1 Macaé
Terceira fase
26/10 – Tupi 5 x 2 Americano-RJ
29/10 – Americano 1 x 0 Tupi
Quarta fase
02/11 – Bragantino-SP 3 x 1 Tupi
05/11 – Tupi 1 x 0 Bragantino 

2004
Não passa da primeira fase
01/09 – Tupi 2 x 1 Americano-RJ
09/09 – Ceilândia-DF 1 x 0 Tupi
12/09 – Friburguense-RJ 1 x 1 Tupi
15/09 – Tupi 1 x 0 Friburguense
19/09 – Tupi 1 x 3 Ceilândia
22/09 – Americano 3 x 0 Tupi 

2007
Não passa da primeira fase
07/07 – América-RJ 3 x 0 Tupi
14/07 – Tupi 3 x 2 Jaguaré-ES
18/07 – Tupi 0 x 1 Guarani-SP
22/07 – Guarani 3 x 1 Tupi
28/07 – Jaguaré 3 x 3 Tupi
05/08 – Tupi 1 x 0 América.

2008
Última participação, não passa da primeira fase
06/07 – Noroeste-SP 2 x 0 Tupi
09/07 – Tupi 1 x 1 Ituiutaba-MG
13/07 – Tupi 2 x 1 Mirassol-SP
20/07 – Mirassol 3 x 1 Tupi
23/07 – Ituiutaba 1 x 0 Tupi
27/07 – Tupi 2 x 1 Noroeste.
Fonte:  Jornalista Ailton Alves

Literatura

“Juiz de Fora Vide Urbe”
O  artista plástico Gerson Guedes, ex-aluno da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), do antigo curso de Desenho e Plástica e professor da disciplina de Desenho no Colégio de Aplicação João XXIII, lançou o livro “Juiz de Fora Vide Urbe”, que tem como coordenadora editorial a jornalista Izaura Rocha.
O livro é dividido em várias partes, tendo como tema pontos turísticos de Juiz de Fora. . As imagens são distribuídas em 162 páginas, em homenagem aos 162 anos de Juiz de Fora, completados em 31 de maio.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Série C 2012

Jogos do Tupi na Série C 2012

Turno
30/06 - Sábado - 16h - Tupi e Duque de Caxias - Juiz de Fora-MG,
07/07 - Sábado - 16h - Macaé e Tupi - Macaé-RJ,
14/07 - Sábado - 15h - Madureira e Tupi - Rio de Janeiro-RJ,
21/07 - Sábado - 16h - Tupi e Caxias - Juiz de Fora-GO,
29/07 - Domingo - 16h - Vila Nova e Tupi - Goiãnia-GO,
04/08 - Sábado - 16h - Tupi e Santo André - Juiz de Fora-MG,
11/08 - Sábado - 16h - Tupi e Brasiliense - Juiz de Fora-MG,
17/08 - Sex.feira - 10:30 Oeste e Tupi - Itápolis-SP,
25/08 - Sábado - 16h - Tupi e Chapecoense - Juiz de Fora-MG.

Returno
02/09 - Domingo - 16h - Duque de Caxias e Tupi - Duque de Caxias-RJ,
08/09 - Sábado - 16h - Tupi e Macaé - Juiz de Fora-MG,
15/09 - Sábado - 16h - Tupi e Madureira - Juiz de Fora-MG,
23/09 - Domingo - 15h - Caxias e Tupi - Caxias do Sul-RS,
29/09 - Sábado - 16h - Tupi e Vila Nova - Juiz de Fora-MG,
06/10 - Domingo - 15:30 Santo André e Tupi - Santo André-SP,
14/10 - Domingo - 16h - Brasiliense e Tupi - Taguatinga-DF,
20/10 - Sábado - 16h - Tupi e Oeste - Juiz de Fora-MG,
28/10 - Domingo - 16h - Chapecoense e Tupi - Chapecó-SC.

Literatura

"Estradas de Ferro do Ceará"

Os sete anões


- Português: Mestre, Zangado, Soneca, Dengoso, Feliz, Atchim, Dunga.
- Inglês: Doc, Grumpy, Sleepy, Bashful, Happy, Sneezy, Dopey.
- Francês: Prof, Grincheux, Dormeur, Timide, Joyeux, Atchoum, Simplet.
- Alemão: Chef, Brummbär, Schlafmütz, Pimpel, Happy, Hatschi, Seppl.
- Espanhol: Doc, Gruñón, Dormilón, Tímido, Feliz, Estornudo, Tontín.
- Italiano: Dotto, Brontolo, Pisolo, Mammolo, Gongolo, Eolo, Cucciolo.

Literatura

“Uma Viagem pelos Trilhos da Centro Oeste - 120 anos de história ferroviária”


Escrito por Ricardo Resende Coimbra, o livro é resultado de um trabalho de pesquisa de quase três anos. Tem 320 fotos, formato A4, capa dura com sobrecapa. São 136 páginas com informações sobre a criação de várias ferrovias. Nele o leitor vai conhecer a história da Estradas de Ferro Oeste de Minas (EFOM); Rede Sul Miniera (RSM); Rede Mineira de Viação (RMV); Viação Férrea Centro Oeste (VFCO) e muitas outas que desapareceram.

Acabou a novela

                             A Série C 2012, finalmente, vai começar...
O Tupi de Juiz de Fora estreia no sábado, 30/06, contra o Duque de Caxias, com transmissão da Rádio Cultura (www.radioculturasd.com.br/).

Sábado
15h Madureira-RJ x Brasiliense-DF e Santo André-SP x Chapecoense-SC;
16h Tupi-MG x Duque de Caxias-RJ e Vila Nova-GO x Oeste-SP;
19:30h Rio Branco-AC x Salgueiro-PE.

Domingo
15h Caxias-RS x Macaé-RJ;
16h Santa Cruz-PE x Guarani-CE; Cuiabá-MT x Icasa-CE;
17h Fortaleza-CE x Águia-PA.

Segunda-feira
20:30h Paysandu-PA x Luverdense-MT.

Literatura

"Indicadores de qualidades nas emissoras públicas – uma visão contemporânea"

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em parceria com a Unesco, lança o livro “Indicadores de qualidade nas emissoras públicas – uma visão contemporânea”, do jornalista, professor e ex-presidente da extinta Radiobras, Eugênio Bucci, em coautoria com os jornalistas Marco Chiaretti e Ana Maria Fiorini.

 A iniciativa da Empresa Brasil de Comunicação tem como objetivo promover a discussão de temas pertinentes à comunicação pública do País junto á sociedade, estando voltada para funcionários da empresa, profissionais, pesquisadores, comunicadores e estudantes da área.

terça-feira, 26 de junho de 2012

As sete maravilhas do mundo moderno

Grande Muralha da China
Taj Mahal, na Índia
Cristo Redentor, no Brasil
Migração do Serengueti, na Tanzânia
Ilhas Galápagos, próximas à costa do Equador
Grand Canyon, nos EUA
Machu Picchu, no Peru

Literatura

As sete maravilhas do mundo antigo

Pirâmide de Quéops
Jardins suspensos da Babilônia
Estátua de Zeus em Olímpia
Templo de Ártemis em Éfeso
Mausoléu de Halicarnasso
Colosso de Rodes
Farol de Alexandria

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Literatura

"O Rugido do Leão"

 
Relato de Roberval Davino, em parceria com Vinicius Saldanha, sobre sua participação como técnico na campanha histórica do Clube do Remo, de Belém do Pará, que sagrou-se campeão brasileiro da série C em 2005. Além dos acontecimentos contados de forma simples e com a mesma emoção vivida pelo técnico, a obra trás as fichas de todos os jogos e muitas fotos.

As sete maravilhas da Idade Média

Stonehenge
Coliseu de Roma
Catacumbas de Kom el Shoqafa
Torre de Porcelana de Nanquim
Muralha da China
Torre de Pisa
Basílica de Santa Sofia

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Literatura

"Para sempre um novo EU"
por Paula Quintão
Essa é a história da minha saudade. É a história da minha vida, uma vida que recriei tantas vezes que mais parecem várias vidas dentro de uma mesma vida. É a história da minha transformação, das minhas asas que possibilitaram voos altos rumo ao aprendizado, o principal deles em direção ao topo do Monte Roraima e, lá em cima, um voo às profundezas da minha alma. Uma vida que faz de mim mesma para sempre um novo EU.

A autora
Paula Quintão é mineira de Ouro Preto, Barbacena, Juiz de Fora, Manaus, Amazonas, é apaixonada por viagens, ama conhecer lugares novos e viver experiências enriquecedoras, adora mudanças e se delicia ao ouvir histórias de vida. É autora dos blogs "Manaus pra Mim" e "Um novo EU", onde já publicou fragmentos dos escritos que compõem esse livro inédito, uma história real.
Fonte: www.umnovoeu.wordpress.com/

As notas musicais

Notas musicais são sinais que representam a altura do som musical. Apesar de serem inúmeros os sons empregados na música, para representá-los bastam apenas sete notas:

DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SI

O conjunto das sete notas sucessivas, com a repetição da primeira, chama-se escala, que pode ser ascendente ou descendente. Por exemplo, a escala de Sol envolve as seguintes notas ascendentes: Sol, Lá, Si, Dó, Ré, Mi, Fá, Sol e descendentes: Sol, Fá, Mi, Ré, Dó, Si, Lá, Sol.

Estes monossílabos indicadores da altura do som foram introduzidos por Guido d’Arezzo, usados predominantemente em línguas latinas e correspondem as sete letras (sistema alfabético introduzido pelo Papa Gregório Grande, ± 540 d. C.) usadas em inglês, alemão, grego, etc.

Dó – ré – mi – fá – sol – Lá – si

C – D – E – F – G – A – B (inglês)

C – D – E – F – G – A – H (alemão)

Obs: A letra “B” representa a nota “si” em inglês; no alemão, a letra “B” representa a nota “si bemol”, e o “si” é representado por “H”.



Literatura

"P-47"

"P-47" é um romance histórico que narra as trajetórias do brasileiro Jorge e do austríaco Artur, desde a infância até o envolvimento de ambos nos conflitos da 02ª Guerra Mundial. Publicado com recursos da Lei Murilo Mendes (assim como seu antecessor, o infanto-juvenil "O diário de Karoline"), o livro foi lançado pela escritora e professora juizforana Mariana Schuchter.


Astrologia

Os 12 signos do zodíaco
01 - ÁRIES - (Ariano/a) - de 21 março a 20 de abril,

02 - TOURO - (Taurino/a) - de 21 de abril a 20 de maio,
03 - GÊMEOS - (Geminiano/a) - de 21 de maio a 20 de junho,
04 - CÂNCER - (Canceriano/a) - de 21 de junho a 21 de julho,
05 - LEÃO - (Leonino/a) - de 22 de julho a 22 de agosto,
06 - VIRGEM - (Virgiano/a) - de 23 de agosto a 22 de setembro,
07 - LIBRA - (Libriano/a) - de 23 de setembro a 22 de outubro,
08 - ESCORPIÃO - (Escorpiano/a) - de 23 de outubro a 21 de novembro,
09 - SAGITÁRIO - (Sagitariano/a) - de 22 de novembro a 21 de dezembro,
10 - CAPRICÓRNIO - (Capricorniano/a) - de 21 de dezembro a 20 de janeiro,
11 - AQUÁRIO - (Aquariano/a) - de 21 de janeiro a 19 de fevereiro,
12 - PEIXES - (Piciano/a) - de 20 de fevereiro a 20 de março.

Literatura

"A Torcida Brasileira"
A “torcida” brasileira tem origem no gesto das espectadoras que frequentavam os primeiros estádios de futebol da belle époque carioca: nos momentos decisivos das partidas, elas torciam os lenços, nervosas, e com isso criaram um novo sentido para o verbo “torcer” – que passou a ser associado ao fervor das arquibancadas. Nos quatro ensaios que compõem este livro escrito por Bernardo Borges Buarque de Hollanda, Victor Andrade de Melo, Joao M. C. Malaia e Luiz Henrique de Toledo, os torcedores em ação ao longo de várias décadas servem para evidenciar as transformações históricas da sociedade brasileira, desde que esta foi capturada pelo torvelinho das paixões futebolísticas, no início do século XX.

Futebol

Série D
A CBF anunciou que a Série D do Campeonato Brasileiro terá início neste sábado, 23/06. O primeiro confronto será realizado entre Mixto-MT e Sampaio Correa-MA. Para o dia seguinte, estão marcadas outras 19 partidas.

Módulo três
Convocados para o conselho técnico do Campeonato Mineiro, os representantes dos 16 clubes que participarão da competição estiveram na sede da Federação Mineira de Futebol em Belo Horizonte. Após a reunião, foi divulgada a fórmula da disputa em 2012. As equipes foram divididas em quatro grupos, e o campeão e vice garantem acesso ao Módulo II do Estadual 2013, nas vagas de Formiga e Funorte.

As equipes se enfrentam em jogos de ida e volta. As duas melhores equipes de cada grupo avançam para a fase mata-mata, também no formato ida e volta. A Segunda Divisão terá início no dia 25 de agosto e tem seu término previsto para 25 de novembro.

Clubes
Arsenal (Santa Luzia), Ituiutabana (Ituiutaba), CAP Uberlândia (Uberlândia), Coimbra (Belo Horizonte), Contagem (Contagem), Democrata (Sete Lagoas), Itaúna (Itaúna), Siderúrgica (Sabará), Jacutinga (Jacutinga), Minas (Sete Lagoas), Montes Claros (Montes Claros), Nacional (Uberaba), Santarritense (Santa Rita do Sapucaí), Guaxupé (Guaxupé) e União Luziense (Santa Luzia).

Grupos:
Grupo A: Jacutinga, Santarritense, Guaxupé e União Luziense;
Grupo B: CAP Uberlândia, Ituiutabana, Nacional (Uberaba) e Montes Claros;
Grupo C: Democrata/SL, Minas/SL, Siderúrgica e Contagem
Grupo D: Valériodoce, Arsenal, Coimbra e Itaúna.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Literatura

"Em Busca da Luz - Memórias de Dorinha Duval"
Protagonista de uma carreira artística diversificada e de uma história pessoal repleta de altos e baixos, Dorinha Duval foi julgada, condenada e cumpriu pena pelo polêmico assassinato do marido.

O livro, escrito pelo jornalista Luiz Carlos Maciel e pela publicitária Maria Luíza Ocampo, começou a tomar forma através de uma série de entrevistas. Com o gravador ligado, Luiz Carlos capturava as memórias de Dorinha e as colocava no papel e a atriz passa sua vida a limpo, numa viagem à procura da própria alma.

Mais que uma biografia, o livro "Em Busca da Luz - Memórias de Dorinha Duval" é o roteiro de sua busca pelo caminho da espiritualidade. Dorinha fala do início de sua carreira como atriz, sua passagem pelos teatros de revista até chegar à televisão e ao cinema. Seu sucesso como vedete, atriz, cantora, e a beleza que lhe valeu o título — muito cobiçado na época — de uma das certinhas do Lalau.
 
O livro não trata apenas do lado profissional de Dorinha. Acompanha sua infância e adolescência, e o relacionamento com os pais. Os amores, os casamentos, o nascimento de sua filha. E, como não podia deixar de ser, o assassinato de seu marido — Paulo Alcântara —, a passagem pela prisão e a descoberta da paz, através do desenvolvimento espiritual.
 
"Em Busca da Luz - Memórias de Dorinha Duval" não está em ordem cronológica. A história de Dorinha é conduzida como uma conversa com o leitor. Na medida em que conta um fato, a atriz lembra de outros mais antigos e mergulha ainda mais na memória. E volta ao presente, onde trabalha como artista plástica, pintando e esculpindo desde 1997.

EPTV/Rede Bahia

Negociação de afiliadas da Globo: EPTV compra 33% da Rede Bahia

Com seis emissoras próprias, a Rede Bahia vendeu 33% de suas ações para a EPTV. As negociações foram confirmadas nesta terça-feira, 19, e, agora, o grupo passa a ser controlado por duas famílias: Magalhães e Coutinho Nogueira.

A EPTV dividirá o controle da emissora nordestina com Antonio Carlos Magalhães Júnior e Luís Eduardo Magalhães Filho, respectivamente filho e neto do político ACM. Devido a cláusula contratual de sigilo, o valor da operação não poderá ser divulgado.

A Rede Bahia leva o sinal da Globo a 13 milhões de habitantes em 417 municípios. Além disso, possui duas rádios e portais da internet, alcançando o status de maior grupo de comunicação do Norte e Nordeste do país.

Com a sociedade, a EPTV passa a atuar na Bahia. O grupo é dono de quatro emissoras de televisão, portais de internet, dois jornais e duas emissoras de rádio, cobrindo cerca de 300 municípios no interior de São Paulo e no sul de Minas Gerais.
Fonte: www.comunique-se.com.br/

Literatura

“Blindados no Haiti – Minustah – Um experiência real”
O livro “Blindados no Haiti – Minustah – Um experiência real” de autoria do pesquisador Expedito Carlos Stephani Bastos, marca o lançamento do primeiro livro com selo UFJF/Defesa. Retratando uma parte importante da história militar brasileira, o livro resgata os principais modelos de veículos empregados no Haiti, entre 2004 e 2011, por diversos países que formam a Missão das Nações Unidas para estabilização do Haiti (Minustah), sob o comando do Brasil. A obra contém 108 páginas e mais de 150 imagens coloridas. O lançamento do livro acontecerá na próxima sexta-feira, dia 22, às 19h, na livraria Saraiva.

A história militar do Brasil tem se constituído em objeto relevante de pesquisa para historiadores, cientistas políticos, intelectuais da própria corporação militar e para autodidatas dos mais variados matizes. A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) acolhe uma parcela desses pesquisadores. Entre eles, Expedito Carlos Stephani Bastos, que construiu uma longa trajetória de estudos acerca da Defesa Nacional. Especializou-se no estudo da História Militar Brasileira, focando no desenvolvimento de sua indústria bélica, nos avanços tecnológicos obtidos pelo país em diferentes momentos e na técnica de construção, manutenção e desenvolvimento dos blindados.

Em 2008, o autor foi convidado pelo Ministério da Defesa para operar no corpo de fuzileiros navais da Marinha do Brasil.
Fonte: www.ufjf.br/

terça-feira, 19 de junho de 2012

Módulo três

Departamento de Futebol convoca clubes para conselho técnico.

O Presidente da Federação Mineira de Futebol, no uso de suas atribuições legais e, de conformidade com o disposto no Artigo 77 do Estatuto da Entidade em vigor,

R E S O L V E:
CONVOCAR o Presidente ou seu Representante, devidamente credenciado por procuração, das Agremiações abaixo relacionadas, para reunião do Conselho Técnico, da SEGUNDA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS, edição 2.012, a realizar-se dia 20.06.2012, quarta–feira, às 14h 30, na sede da Federação Mineira de Futebol, nesta cidade de Belo Horizonte/MG, sito à Avenida Barbacena 473, Barro Preto, no Salão de Reuniões do Tribunal de Justiça Desportiva, para deliberar sobre a forma de disputa e demais assuntos pertinentes, na forma do Parágrafo 2º do Artigo 77 do Estatuto:

Clubes:
Arsenal Atividades Desportivas Sport Clube Ltda (Santa Luzia), Associação Esportiva Ituiutabana (Ituiutaba), Clube Atlético Portal de Uberlândia Ltda ME (Uberlândia), Coimbra Esporte Clube (Belo Horizonte), Contagem Esporte Clube (Contagem), Democrata Futebol Clube (Sete Lagoas), Esporte Clube Itaúna (Itaúna), Esporte Clube Siderúrgica (Sabará), Jacutinga Atlético Clube (Jacutinga), Minas Futebol Brasil Ltda (Sete Lagoas), Montes Claros Futebol Clube (Montes Claros), Nacional Futebol Clube (Uberaba), Santarritense Futebol Clube (Santa Rita do Sapucaí), Sociedade Esportiva Guaxupé (Guaxupé) e União Luziense Esporte Clube (Santa Luzia).
Fonte: www.fmfnet.com.br/

Literatura

"Novo Hamburgo: da fundação à emancipação política (1824-1927)"

O jornalista e escritor Felipe Kuhn Braun publica seu quinto livro, agora sobre a história de Novo Hamburgo. Primeiramente o autor escreve sobre o histórico do nome do município, cuja verdadeira origem ainda gerava muitas controvérsias, inicialmente, Hamburgerberg, posteriormente New-Hamburg ou Neu-Hamburg, até chegar ao nome atual de Novo Hamburgo.

Além disso, Felipe, que é mestrando em História pela Unisinos, fala sobre a participação de hamburguenses na Revolução Farroupilha e na Guerra do Paraguai.

O livro retrata histórias dos primeiros colonizadores e dos pioneiros do município. São imagens de uma Novo Hamburgo de outrora, que sempre se destacou na região por sua terra pujante, seu comércio e sua indústria, localidade da cultura, do ensino e das religiões. O autor nos possibilita acesso a fotos, documentos e histórias do século XIX e início do século XX, de duas, três gerações e até mais gerações anteriores à nossa.

É autor também de Memórias de Imigrantes Alemães e seus Descendentes no Sul do Brasil (2011), Cartas e Relatos de Imigrantes Alemães (2011), História da Imigração Alemã no Sul do Brasil (2010) e Memórias do Povo Alemão no Rio Grande do Sul (2010).
Fonte: www.oikoseditora.com.br/

Estádio Salles Oliveira

Literatura

“Histologia Essencial”
Assuntos relacionados à histologia são abordados de maneira prática e objetiva no livro “Histologia Essencial”, da editora Guanabara Koogan. A obra foi escrita pela professora do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Beatriz Julião Vieira Aarestrup  e será lançada na próxima sexta-feira, dia 22, às 20h, no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM).

Segundo a autora, a obra foi elaborada para funcionar como um livro texto e atlas, com o objetivo de ensinar histologia em seu princípio morfológico, fornecendo conteúdo aprofundado em microscopia óptica, além de possibilitar a correlação da disciplina com aplicações clínicas que farão parte da futura rotina profissional dos estudantes.

A obra é ilustrada com fotomicrografias coloridas e desenhos, com texto prático e objetivo, sem deixar de ser acadêmico e foi realizada para alunos de graduação da área da saúde, bem como de pós-graduação em áreas correlatas.

De acordo com a autora, a partir da década de 1990 os diversos livros didáticos de histologia começaram a apresentar conteúdo muito voltado para a microscopia eletrônica.

Segundo pesquisa realizada no Brasil e no exterior, com professores e alunos, foi observado grande índice de insatisfação com os principais livros da área, em relação a pontos como conteúdo repetitivo entre as disciplinas de histologia e biologia celular, frustração por parte dos alunos que compram os livros, pois a maioria dos textos não são utilizados nas aulas teóricas e práticas de histologia e poucas fotomicrografias de microscopia óptica, levando o aluno a necessitar de atlas além do livro-texto.

A escritora ressalta ainda, que a publicação busca sanar os problemas relacionados acima, sendo direcionado para o que realmente é a histologia dada nas universidades, com o conteúdo voltado para a microscopia óptica, com exemplos de aplicações clínicas e texto descritivo, o que, segundo ela, é fundamental para o estudo da imunologia, fisiologia e patologia.

Segundo o professor Carlos Mourão, que auxiliou a professora na organização da obra, todos os livros da série transformam a linguagem da área básica em algo mais simples para os acadêmicos entenderem.

O livro traz um capítulo sobre a parte técnica laboratorial do processamento histológico, manuseio do microscópio e obtenção do material para estudo, além de glossário de sufixos e prefixos utilizados amplamente na área da saúde e um histórico dos cientistas que se tornaram “epônimos” ao longo dos séculos. Há, ainda, em cada capítulo um roteiro para o estudo das lâminas histológicas nas aulas práticas. Além da versão impressa, a obra foi lançada em versão eletrônica, na qual os alunos podem acessar amostras de páginas e fotografias microscópicas. Além de toda a parte ilustrada estar disponível para professores cadastrados como docentes de Histologia na Editora Guanabara-Koogan. A obra tem 476 páginas e custa R$ 160.

A autora
Beatriz Julião Vieira Aarestrup é graduada em Odontologia pela UFJF, doutora em Patologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), professora do Departamento de Morfologia/ Histologia no Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFJF e também de Histologia Aplicada e Patologia na Pós-graduação lato e stricto sensu e pesquisadora associada do Centro de Biologia da Reprodução no Laboratório de Imunopatologia e Patologia Experimental da UFJF.
Fonte: www.ufjf.br/

Perdas

Saint'Clair Luiz do Nascimento
Morreu em Juiz de Fora, aos 82 anos, coronel da Polícia Militar Saint'Clair Luiz do Nascimento. Além de Policial, Cel Saint'Clair era escritor e lançou quatro livros, com destaque maior para "RUA DAS MARGARIDAS, uma Pungente Odisséia Mineira". Natural de Mar de Espanha, deixa esposa e seis filhos.

Ibrahim Jacob (1920/2012)
Morreu aos 91 anos, em 18 de junho, em Ubá-MG, Ibrahim Jacob. Filho de imigrantes libaneses, Ibrahim Jacob nasceu em Ubá-MG, em 25 de outubro de 1920. Torcedos do S.C. Aymorés, do qual foi presidente, era casado com Rosa Soares Jacob e pai de seis filhos

Na política
Em 1950, aos 30 anos foi eleito vereador em Ubá, pelo antigo PSD, tendo sido reeleito em 1954. Em 1957, transferiu-se para o PTB. Em 1958 foi reeleito. De 1959 a 1962 foi Presidente da Câmara Municipal. Em 1964, após o golpe militar, teve a sua cidadania política cassada pelo regime e se afastou da política durante 22 anos

Em 1986 foi candidato a Deputado Estadual, pelo PDT, ficando na terceira suplência. Em 1988 voltou a se candidatar, desta vez à Prefeitura de Ubá, não conseguindo se eleger. Em 1990 foi eleito Deputado Estadual e reeleito em 1994.

Michel José Mansur
Morreu aos 73 anos em 03 de junho em Itaperuna-RJ, Michel Mansur. De origem libanesa, Michel era  advogado, empresário e político na cidade de Santo Antonio de Pádua, no noroeste fluminense.
Casado com Maria Dib Jasbick Mansur, deixa seis filhos e netos.

Literatura

"Copa do Mundo, 62"



O jornalista Mário Rodrigues Filho (1908/1966 ), irmão de Nelson Falcão Rodrigues (1912/1980), retrata neste livro todas as emoções referentes à Copa do Mundo de 1962, no Chile, principalmente a emoção do Brasil bicampeão do mundo.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Ituiutabana

Ituiutabana tem final de semana movimentado
por Maurício Rocha

A Associação Esportiva Ituiutabana teve um final de semana bastante movimentado. Na sexta-feira, esteve na vizinha cidade de Capinópolis onde pode abrilhantar a festa de aniversário do município, e em jogo contra um combinado local, conseguiu a vitória pelo placar de 4 gols a 1.

Antes mesmo dos atletas descansarem já estavam em campo novamente para mais uma apresentação. O adversário da vez foi a forte equipe do Trindade que está na disputa da divisão de acesso do Campeonato Goiano de 2012.

Com era de se esperar a equipe da Ituiutabana estava cansada e como houve algumas baixas por contusões do jogo contra Capinópolis alguns jogadores tiveram que se desdobrar como caso dos destaques Wiliam Santos, Fabiano, Peterson, Tuta, Gilson Baiano, Fernando, Daisson, Joilson, Torres e Marchiori, ou seja, todo o elenco teve que se desdobrar em um jogo complicado.

Durante todo o primeiro tempo a equipe do Trindade tentou surpreender a equipe tijucana, só que o esquema que vem sendo desenvolvido pelo professor Gilson Batata, vem sortindo efeito e com muito toque de bola, e consciência dos jogadores, o resultado vem sendo positivo, e ao final do primeiro tempo Daison fez o gol da vitória da Ituiutabana.

Durante todo o segundo tempo a equipe do Trindade buscou o gol de empate, e com as trocas de jogadores de quase o time inteiro não conseguiu o empate.

A Ituiutabana intera o quinto amistoso sem derrota, saiu vitorioso contra o CRAC, Tupaciguara, Capinópolis, Trindade e empatou com a Jataiense.

Ao quer parece a pré-temporada está sendo positiva, mesmo havendo algumas contusões o time começa a tomar corpo e Gilson Batata prepara a equipe de acordo com os seu objetivos.

Literatura

“Cabo Frio - 1503”
Resultado da ampla pesquisa realizada pelo autor, o escritor Alberto Leal, a obra descreve a epopéia da cidade de Cabo Frio, iniciada com a semente lançada por Dom Manuel I, “O Venturoso” rei de Portugal, com suas expedições exploratórias e colonizadoras enviadas ao Novo Mundo.

A obra narra ainda a fixação dos portugueses na terra e como defenderam a integridade da futura nação contra o assalto às suas riquezas por parte dos franceses e holandeses primitivos. Mostra também os costumes dos índios que aqui viviam e descreve ainda como os portugueses, com o auxílio de tribos silvícolas aliadas e dos primeiros brasileiros natos, deram o merecido fim às aventuras contra a terra brasileira.

No ápice do interesse, entretanto, está a surpreendente revelação do posicionamento do primeiro assentamento colonial da América do Sul, qual seja o legendário forte fundando por Américo Vespúcio em 1503.

Gabriela Cravo e Canela

Nesta segunda-feira, 18/06, estreia a nova versão de Gabriela, com Juliana Paes no papel título. A primeira versão foi exibida em 1975, com Sônia Braga no papel título.

Gabriela foi exibida as 22 horas, de 14 de abril a 24 de outubro de 1975 e teve 132 capítulos. A novela foi escrita por Wálter George Durst, baseada no romance "Gabriela Cravo e Canela" de Jorge Amado. A direção geral foi de Wálter Avancini.

Elenco:
SÔNIA BRAGA - Gabriela
ARMANDO BÓGUS - Nacib
PAULO GRACINDO - Coronel Ramiro Bastos
JOSÉ WILKER - Mundinho Falcão
FÚLVIO STEFANINI - Tonico Bastos
GILBERTO MARTINHO - Coronel Melk Tavares
CASTRO GONZAGA - Coronel Amâncio Leal
FRANCISCO DANTAS - Coronel Jesuíno Guedes Mendonça
RAFAEL DE CARVALHO - Coronel Coriolano Ribeiro
JAYME BARCELLOS - Dr. Ezequiel Prado
ARY FONTOURA - Doutor (Dr. Clóvis Costa Pelópidas)
LUÍS ORIONI - João Fulgêncio
ELIZABETH SAVALA - Malvina
NÍVEA MARIA - Jerusa
MARCO NANINI - Professor Josué
ELOÍSA MAFALDA - Maria Machadão
NATÁLIA DO VALLE - Aurora
MÁRIO GOMES - Berto Leal
DINA SFAT - Zarolha
MARIA FERNANDA - Sinhazinha Guedes Mendonça
JOÃO PAULO ADOUR - Dr. Osmundo Pimentel
MARCOS PAULO - Rômulo Vieira
MILTON GONÇALVES - Filó
HUGO CARVANA - Dr. Argileu Palmeira
PAULO CÉSAR PEREIO - Príncipe Sandra
RÚBENS DE FALCO - João Pimentel
STÊNIO GARCIA - Filismino
PEDRO PAULO RANGEL - Juca Viana
ROBERTO BOMFIM - Chico Chicão
e outros.





sábado, 16 de junho de 2012

Literatura


"Brazópolis - Cem Anos de Emancipação Política"
O livro "Brazópolis - Cem Anos de Emancipação Política" foi lançado pela ABLH (Academia Brazopolense de Letras e História), em dezembro de 2001. Este livro, com 250 páginas, é ilustrado com mais de 40 fotos, e faz um relato histórico da fundação e emancipação de São Caetano da Vargem Grande/ Brazópolis, além dos aspectos geográficos, culturais, religiosos, sociais, turísticos e esportivos de Brazópolis, Minas Gerais.

Brazópolis-MG
Em 1909 o povoado passou a chamar-se "Vila Braz" e finalmente, em 1926, para homenagear o Cel. Francisco Braz Pereira Gomes, pai do Presidente da República Dr. Wenceslau Braz Pereira Gomes, passou a denominar-se Brazópolis.


Patrimônio histórico

Rua dos Caetés - Belo Horizonte-MG

Certa vez, Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) se referiu à Caetés como “a rua mais camarada de todas: sempre disposta a fazer uma diferença, para você virar freguês”. O filho mais ilustre de Itabira quis destacar a importância do corredor projetado pela equipe do engenheiro Aarão Reis, chefe das obras da construção de Belo Horizonte, para desempenhar o papel de uma das principais vias comerciais da capital, inaugurada em 1897. De lá para cá, muita coisa mudou na Rua dos Caetés, como o surgimento de prédios e a ampliação da largura dos passeios, mas o trato carinhoso dos lojistas com os consumidores, este sim continua sendo uma das receitas dos bons lucros dos varejistas de lá.

A Rua dos Caetés reúne, hoje, cerca de 700 estabelecimentos comerciais. Ela contribui para os 18% que o Hipercentro representa no volume total de vendas do varejo da capital, de acordo com informações da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH). Segundo a entidade, cerca de 27 mil pedestres passam diariamente pela Caetés. O trajeto da via é outra característica favorável ao seu desenvolvimento econômico: o corredor liga a Praça Rio Branco, defronte à rodoviária, à Rui Barbosa, na estação ferroviária.

A fama de rua comercial começou com imigrantes sírios, libaneses e árabes. Hoje, os pontos de vendas montados pelos estrangeiros são administrados por seus descendentes, como ocorre na Casa Michel, que pertenceu a um libanês e foi comprada em 1950 pelo comerciante Milton Abras, da mesma ascendência. Atualmente, o empreendimento, que vende roupas masculinas e femininas, é conduzido por Rodrigo Abras, filho do ex-proprietário.

O escritor de Itabira tinha carinho especial pela rua, tanto que destacou em uma de suas crônicas que a Caetés era a via “dos bigodes e gritos joviais, de pequeninos arranhacéus e de grandes laranjas amadurecendo em caixotes”. A palavra bigodes é uma homenagem aos estrangeiros que ajudaram na fama do corredor. Já comerciantes negociando caixotes de laranjas no local está cada vez mais raro de ver. Atualmente, apenas seu Nivaldo Bernardes, de 63, desempenha a atividade.

Tradição
Um dos pontos de comércio mais tradicionais de Minas funciona na esquina da Caetés com a São Paulo. A Casa Salles, especializada em armas e artigos para pescaria, foi inaugurada em 1881, antes da fundação de Belo Horizonte (1897).

Linha do tempo
– 1900: Rua dos Caetés se destaca como a principal via econômica da capital. Um dos motivos foi seu traçado “privilegiado”, que liga a Praça Rio Branco (Praça da Estação) à Rui Barbosa (Praça da Rodoviária)
– Década de 1920: Foi num imóvel na Caetés, de propriedade de Agostinho Ranieri, que representantes da colônia italiana se reuniram para fundar a Sociedade Esportiva Palestra Itália, atual Cruzeiro Esporte Clube
– Década de 1930: O trânsito de bondes é intenso no corredor, cujo pavimento era de pedras
– Fim da década de 1990: A Caetés e adjacências são tombadas como patrimônio histórico. O corredor é considerado um museu a céu aberto
– Agosto de 2004: Rua passa por sua maior reforma, com obras na pavimentação, calçadas, iluminação etc. O investimento foi de R$ 1,9 milhão.
Fonte: www.uai.com.br/



sexta-feira, 15 de junho de 2012

Literatura

“Memórias Possíveis: personagens da televisão em Juiz de Fora”
Cinquenta anos de histórias da televisão juizforana narradas pelas vozes de seus próprios atores é o fio condutor do livro “Memórias Possíveis: personagens da televisão em Juiz de Fora”, da professora doutora e secretária de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Christina Ferraz Musse, e do professor da Faculdade de Comunicação (Facom) da UFJF, Cristiano José Rodrigues. Editado pelo selo Nankin editorial, com financiamento da Lei Murilo Mendes, a obra tem capa do artista gráfico e professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFJF, Jorge Arbach, e o prefácio de Marialva Barbosa.

“Memórias Possíveis” tem como principal ingrediente a memória afetiva dos personagens do jornalismo da cidade. Além de registrar 50 anos da história telejornalística local, também compõe um quadro humano da evolução da profissão operada nos bastidores da notícia.

A obra é produto de um exaustivo esforço de transcrição e revisão de mais de 60 horas de gravações. São depoimentos de jornalistas e empresários de várias gerações atuantes em veículos televisivos no período de 1960 a 2010. Um trabalho minucioso realizado por um grupo de bolsistas de Iniciação Científica, com revisão de Nadime Bara.

Para Cristiano Rodrigues, a edição do conteúdo completo das entrevistas em livro preenche uma lacuna deixada pela falta de arquivos públicos de pesquisa audiovisual, preservando a memória imagética da cidade na forma de texto.

Nomes conhecidos do jornalismo juizforano como Wilson Cid, Sérgio Rodrigues, Mauro Pinta, Luiz Antônio Colucci, Marilda Ladeira, Álvaro Americano, Lucio Paulo Martins, Érica Salazar, Jorge Couri, Natálio Luz, vão surgindo no correr das páginas ao lado da lembrança de emissoras pioneiras na comunicação televisiva: as TVs Mariano Procópio, Industrial, Tiradentes e Visão; até as ainda em atividade Alterosa, TVE e Panorama (hoje, TV Integração).

Marialva Barbosa, pesquisadora de referência no Brasil e estudiosa das relações entre o Jornalismo e a História, autora do premiado “História Cultural da Imprensa – Brasil 1900-2000”, oferece ao leitor, no prefácio, uma reflexão sobre a memória como uma narrativa não-linear, cortada por lapsos e silêncios. Uma narrativa marcada por uma grande inspiração afetiva.

Outro atrativo da edição é o sentido estético proposto pelo artista gráfico Jorge Arbach na composição das imagens que ilustram o livro.

Na capa, uma imagem da interferência produzida no momento de a TV ser ligada ou desligada representa não só o núcleo visual que pode marcar o início e o fim do processo de comunicação, mas também uma analogia com algo que se fixa em um nível palpável e imaterial, como a onda eletromagnética da TV, o que marca, igualmente, o período histórico retratado no livro.
Fonte: www.ufjf.br/




Seleção brasileira

O presidente da CBF, José Maria Marin, confirmou nesta sexta-feira, 15/06, que a seleção brasileira fará um amistoso no feriado do dia 07 de setembro, contra o Chile. A partida, segundo o dirigente, será no Morumbi. O dirigente informou ainda que a seleção deverá treinar para o amistoso no CT de Cotia, do São Paulo, pela proximidade do estádio.


Antes do amistoso contra o Chile, a Seleção participará dos Jogos de Londres, em julho, e enfrentará a Suécia, em amistoso no dia 15 de agosto, em Estocolmo. Após a partida contra os chillenos, a seleção terá o Superclássico das Américas. No dia 19 de setembro, o Brasil enfrenta a Argentina, em Goiânia. A partida de volta acontece em Resistência, na Argentina, no dia 03 de outubro.

Literatura

"Diário do Clima"
Uma viagem por catorze países durante seis meses em busca de explicações e soluções para o problema do aquecimento global. No livro "Diário do Clima", a repórter Sônia Bridi e o repórter cinematográfico Paulo Zero, seu marido, compartilham o que encontraram: na Austrália, o cultivo de frutas de clima seco substitui o trigo e a pecuária por conta das secas, alterando a cultura, o hábito e a rotina de antigos fazendeiros. Na Groenlândia, um terrível estrondo precede o desprendimento de um bloco de gelo do tamanho de uma casa. Na Itália, um projeto de engenharia visa impedir a inundação de Veneza, que já obriga os moradores a desocupar o primeiro andar de alguns prédios.

Pessoalmente envolvidos no tema, para que seus futuros netos “vivam em tempos de paz e prosperidade”, e tendo feito a cobertura de diversas conferências desde a Rio 92, Sônia e Paulo fizeram uma preparação física pesada a fim de realizar a série para o Fantástico — que exigiu escaladas em picos altíssimos e o enfrentamento de atmosferas inóspitas nos cinco continentes.

Os bastidores dessa experiência, mostrando o processo de realização da série, informações detalhadas sobre a situação em vários países — entre os quais Peru, Bolívia, Islândia, Tanzânia e Butão — e entrevistas com autoridades mundiais no assunto estão reunidos em Diário do clima. Com linguagem envolvente — a ponto de o leitor sentir-se participante das aventuras —, o assunto se torna uma leitura prazerosa, em uma abordagem realista que alerta para as consequências do processo de aquecimento global sem deixar de trazer uma ponta de esperança em possíveis mudanças. A publicação inclui caderno de fotos com 48 páginas e está disponível em duas versões: brochura (com orelha assinada pela jornalista Miriam Leitão), e luxo (com capa encadernada e DVD com cenas inéditas da série).

A autora
Sônia Bridi nasceu em Caçador (SC). É formada em jornalismo pela UFSC. Desde 1991, é repórter da Rede Globo. Foi correspondente internacional da emissora em Londres, Nova York, Paris e Pequim, quando, juntamente com Paulo Zero, foi responsável pela implantação da emissora no Oriente. Hoje é repórter especial do Fantástico. É também autora do livro Laowai: histórias de uma repórter brasileira na China.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Ricardo Drubscky

Atlético-PR
Depois de comandar o primeiro treinamento no Atlético-PR, Ricardo Drubscky (foto) foi apresentado oficialmente como novo treinador do Furacão. De volta ao clube no qual trabalhou dois anos nas categorias de base, o técnico prometeu agarrar a grande oportunidade com "unhas e dentes".

Antes de falar com a imprensa, o treinador esteve no campo para bater um papo com o jogadores e começar a preparar o time para encarar o Goiás, no próximo sábado, na Arena da Baixada. Ele ainda afirmou que vai aproveitar os dias de treino para conhecer melhor o elenco.

Apesar de ser considerado uma aposta, Ricardo Drubscky já é bastante conhecido no Atlético-PR, onde trabalhou com coordenador das categorias de base entre os anos de 2008 e 2010. O último trabalho do treinador foi no Volta Redonda, no primeiro semestre deste ano, mas se destacou em 2011 ao conquistar o Campeonato Brasileiro da Série D pelo Tupi de Juiz de Fora.

Literatura

"As sutilezas do amor"

Nesse livro, o autor, Gutenberg Gomes, não relata apenas experiências pessoais. Aqui encontramos as mais diversas situações relacionadas ao amor. Desde a felicidade experimentada nos relacionamentos duradouros até a felicidade dos relacionamentos efêmeros. Passando pelos fracassos eventuais que sempre deixam ensinamentos e pelos fracassos a que muitos agarram-se por medo de um novo sofrimento. Este é um livro que poderá trazer um novo sentido a cada leitura.

Séries C e D

A confusão que acarretou a paralisação das Séries C e D do Campeonato Brasileiro, prejudicando 60 clubes, pode ter um capítulo importante nesta quinta-feira, 14/06. O imbróglio judicial se arrasta desde 23 de maio, quando o Santo André obteve liminar do presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) suspendendo as competições que começariam no último dia 26 (C) e 27 (D). Uma reunião será realizada na CBF com os três clubes (Treze-PB, Brasil-RS e Araguaína-TO) que entraram na Justiça comum e pode decretar o fim da confusão. A entidade, porém, não confirma oficialmente o encontro.

A CBF convocou os três clubes e representantes de suas federações para tentar solucionar o impasse. Busca um consenso que permita iniciar os torneios. Oficialmente, a entidade não fala sobre o caso - que está sendo acompanhado de perto pelo presidente José Maria Marín e pelo diretor jurídico Carlos Eugênio Lopes.

José Maria Marín tenta nesta quinta achar solução para iniciar as Séries C e D
Segundo a assessoria da CBF, não há qualquer reunião sobre o tema na agenda oficial de Marín, postura que parte dos envolvidos acredita ser uma tentativa de manter distantes os holofotes para amenizar o risco de inflamar as discussões. Alguns clubes ainda têm esperança de que as Séries C e D possam começar no próximo fim de semana mas, indagado sobre o assunto, Carlos Eugênio Lopes se mostrou bastante evasivo e preferiu não dar previsão.

STJD descarta reflexo da crise na elite nacional
Autor da liminar que impediu o início das Séries C e D, o presidente do STJD, Rubens Approbato Machado, disse que não há chance de interrupção das Séries A e B, mas dirigentes protagonistas na crise acenam, veladamente, com um movimento para tentar a paralisação das divisões principais do futebol nacional fora da esfera desportiva, através de um novo processo se o impasse persistir. O magistrado considera que, apesar de todas as divisões estarem relacionadas em razão dos critérios de acesso e descenso, a não realização da Série C apenas impede que haja rebaixamento na Série B, sem interferir, portanto, no andamento dos campeonatos.

- Para tirar a liminar que interrompeu os campeonatos, teria de haver uma decisão judicial definitiva ou uma composição. Isso está fora da minha alçada, é entre clubes e CBF. Na Série A e na Série B não vamos mexer, a não ser que haja uma representação nesse sentido. A única coisa que ficaria paralisada é o descenso da B para a C e o acesso da C para a B. Como a Série C não está sendo realizada, não haveria prejuízo para ninguém - explicou.

Quem briga com quem
Cinco clubes são protagonistas da balbúrdia. O Brasil de Pelotas conseguiu liminar na Justiça do Rio Grande do Sul para garantir lugar na Série C, da qual fora desclassificado por perda de pontos em função da suposta escalação irregular de um jogador. Com isso, tiraria a vaga do Santo André - que por sua vez entrou no STJD com pedido de paralisação do campeonato até que o mérito da questão fosse julgado na Justiça comum. Já o Rio Branco teve o seu estádio interditado em 2011 pelo Ministério Público do Acre. A interdição foi derrubada na justiça. A CBF, com isso, considerou que o clube não esgotara a a esfera jurídica desportiva antes de apelar nos tribunais regularese tirou a equipe da competição.

O Rio Branco, contudo, entrou em acordo com a entidade, retirando a ação e reavendo, em contrapartida, o seu lugar na Série C. Porém, isso criou um problema com o Treze de Campina Grande, que ficaria com a vaga no caso de exclusão do Rio Branco por ter sido o quinto colocado na Série D. O clube da Paraíba obteve então uma liminar para assegurar sua vaga na divisão superior. Mas iniciou outra discussão nos tribunais.

A vaga deveria ficar com o Treze, quinto colocado da Série D, ou a exclusão do Rio Branco deveria provocar a permanência do último colocado de seu grupo, o Araguaína? Defendendo a segunda opção, o clube do Tocantins também conseguiu liminar na Justiça local para permanecer na Série C. Nesta segunda-feira, contudo, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que, como a primeira liminar foi expedida pela Justiça da Paraíba, este deve ser o foro para decidir sobre novos movimentos jurídicos dos três casos relacionados, o que teoricamente favoreceria o Treze. A confusão... só aumentou.

Maioria dos envolvidos não crê em acordo
O vice jurídico do Brasil de Pelotas, Adriano Soares, afirmou que não há possibilidade de o clube retirar sua ação na Justiça comum para compor um acordo com os demais clubes e CBF.

- Não há chance já que ficou provado que temos razão jurídica. Não houve erro por parte do clube na inscrição do jogador e, por isso, não havia motivo para punição. Esperamos que a CBF se convença que temos um lugar na competição por direito. Se fizerem isso, terão um problema a menos para se preocupar e poderão focar em outras situações que também atrapalham a disputa da Série C - argumentou.

O Treze adotou postura semelhante. O advogado que cuida do caso, Ariosvaldo Filho, declarou que sequer considera a possibilidade de analisar um acordo que não contemple o clube com uma vaga na Série C.

- Não existe possibilidade de acordo, até porque em nenhum momento o Treze foi procurado pela CBF. E, como já frisei anteriormente, nenhum acordo ou algo do gênero que não garantir a presença do Treze na Série C de 2012, será avaliado.

Já o Santo André, autor do pedido de liminar no STJD que interrompeu as Séries C e D, considera que esta semana é crítica para que seja encontrada uma solução antes que se decida, em definitivo, pela não realização dos campeonatos neste ano.

- O Brasil perdeu em todas as instâncias desportivas, escalou um jogador irregular. Mantiveram o Santo André na C e este ano eles (os advogados do Brasil de Pelotas) tentaram reabrir o caso, apelaram para a Justiça comum. A coisa não tem como prosperar. Do dia pra noite um desembargador do Rio Grande do Sul determinou que o Brasil subisse de divisão. Quem parou o campeonato foi o Santo André. Jamais iríamos admitir perder o nosso lugar. Quem colocou o jogador irregular perdeu, a briga começou daí. A questão está no colo do dr. Marin. Hoje o estopim já está aceso. Ou toca o campeonato independente de Justiça comum... ou para tudo.
Fonte: www.globoesporte.com/

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Literatura

"Momentos Decisivos – JK contra o golpismo no Brasil"
Por que a perseguição constante contra JK? Desde sua posse até sua morte? Pela primeira vez, um dos membros da família JK revela fatos envolvendo a vida e a morte de um dos maiores estadistas do Brasil. Carlos Murilo Felício dos Santos, primo de Juscelino Kubitschek, expõe a trajetória de um político que marcou a biografia do país, com o lançamento do livro "Momentos Decisivos JK – contra o golpismo no Brasil".

Carlos Murilo presenciou e participou, diretamente, de alguns dos episódios mais importantes da história do Brasil no século XX, conviveu, intimamente,com JK como primo, amigo e conselheiro, e acompanhou os desafios enfrentados por Nonô, na intimidade.

O livro, produzido pela JK Cultural, está subdividido em 11 capítulos tem ao total 452 páginas entre textos, documentos e fotos. A obra, segundo o autor tem o objetivo de ajudar a preservar o ideal de defesa da democracia, da soberania nacional, e de melhores condições de vida para todos os brasileiros propostos por JK

Futebol mineiro

Jogando no Estádio Olímpico Arapucão, em Jataí, interior de Goiás, a Associação Esportiva Ituiutabana empatou com um gol aos 40 minutos da segunda etapa, do volante Daysson. Esse foi o terceiro teste da equipe mineira, que visa a estreia no Campeonato Mineiro da Segunda Divisão.

Com o jogo bastante disputado e de muita marcação, os gols saíram apenas na etapa complementar, ambos de pênalti. O primeiro foi dos donos da casa. A Jataiense saiu na frente com Anderson Ataíde, aos 17 minutos. O empate da Véia aconteceu aos 40 minutos, através do volante Daysson, que havia entrado na vaga de Flávio Torres.
Jataiense: Lauro; Serginho, Mirita, Duda e Paulo César; Geovane, Douglas Carioca, Anderson Ataide, Raylson e Robert; Danilo Pereira. Técnico: Betão Alcântara.
Ituiutabana: Cleber; Peterson, Gilson Baiano, Ricardo Braz (Lukinha) e Fabiano; Joilson, Vertinho (Alemão), Dinei e Tiago (Rafinha); Flávio Torres (Daysson) e Marchiori (Lewis). Técnico: Gilson Batata.

Esse foi o terceiro teste da Véia. No primeiro, a Ituiutabana venceu a equipe amadora do Tupaciguara por 6 a 0. No segundo teste, a Véia venceu o Crac, de Catalão/GO, por 3 a 1, em casa.

A Ituiutabana volta a campo no próximo sábado, quando a equipe recebe o Vila Nova, de Goiás, no Estádio Coleto de Paula, em um novo jogo amistoso. Já a Jataiense estreia na Segundona Goiana na próxima quarta-feira, fora de casa, contra o Mineiros.
Fonte: www.segundonamineira.blogspot.com.br/

domingo, 10 de junho de 2012

Literatura

"A surpreendente arte de amar - Toda mudança começa em você"
Viver um amor pleno e enriquecedor é o que todos desejam. O sentimento arrebatador que nos faz celebrar a vida, que nos revela o que é essencial pode estar ao seu alcance. Mas é preciso estar preparado para compartilhar e viver um grande amor. É preciso deixar para trás os egoísmos, as inseguranças, os temores ou os preconceitos. Essas e outras reflexões são feitas pela escritora, educadora e psicoterapeuta Rosângela Xavier Rossi no livro "A surpreendente arte de amar - Toda mudança começa em você". O leitor vai perceber como a filosofia pode ajudar você a repensar a sua vida aprender a escutar o seu coração identificar as armadilhas da “paixão triste” entender como amor e sexo levam à plenitude da alma evitar que a repressão sexual leve a frustrações e até doenças compreender a necessidade do carinho e do toque reencontrar o prazer.

Lançamentos:
Terça-feira, 12/06. às 18h, na Livraria Leitura,
Quinta-feira, 14/06, às 19h30, na Livraria Saraiva.

Os números primos

Definição Matemática para números primos:

Se um número natural maior do que 1 for divisível somente por 1 e por si mesmo, então ele será chamado número primo.

Portanto, 1 NÃO é um número primo, pois, ele é divisível apenas por ele mesmo.

Um método para determinar os números primos menores que 100 é listás-lo em ordem crescente de 2 até 100 (o 1 não é primo!).

Em seguida, retiramos todos os números maiores que 2 e múltiplos de 2,
ou seja: 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 26, 28, 30, 32, 34, 36, 38, 40, 42, 44, 46, 48, 50, 52, 54, 56, 58, 60, 62, 64, 66, 68, 70, 72, 74, 76, 78, 80, 82, 84, 86, 88, 90, 92, 94, 96, 98 e 100, que não são números primos, pois são números pares.

Os próximos a serem retirados são os múltiplos de 3, maiores que 3,
ou seja: 9, 15, 21, 27, 33, 39, 45, 51, 57, 63, 69, 75, 81,87,93,99, que também não são primos, pois são divisíveis por 3.

Após, retiram-se os múltiplos de 5, maiores que 5, ou seja: 5, 35, 55, 65, 85, 95.
e, finalmente, retiramos os múltiplos de 7, maiores que 7,
ou seja: 49, 77, 91.

Enfim, os números restante, portanto, são números primos:
2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19, 23, 29, 31, 37, 41, 43, 47, 53, 59, 61, 67, 71,73, 79, 83, 89 e 97.
Ou seja, entre 1 e 100 existem 25 números primos.

Literatura

"50 anos de comunicação – História, “causos” e Poesias”
São mais de cinco décadas na comunicação e muitas histórias para contar. É isso que o radialista Fernando Sérgio, nascido em Cruzeiro-SP, criado em Juiz de Fora-MG e morador da Tijuca-RJ, conta no livro "50 anos de comunicação – História, “causos” e Poesias”, publicado pela Editora Novo Ser.

Comandado a “Super Madrugada Tupi", da 00h às 03h, Fernando Sérgio diz que no livro, além de publicar sua própria história, ele conta também parte da história de alguns dos maiores nomes do rádio brasileiro e publicando fotos de cada época.

Na obra há depoimentos dos radialistas Francisco Barbosa, Washington Rodrigues, Wagner Menezes, de Octávio Luiz Alves (presidente do Club Municipal) e de outras figuras conhecidas.

Este livro é mais do que uma biografia do autor. É um hino de amor principalmente ao rádio, esse veículo de comunicação que, em pleno terceiro milênio, continua sendo uma companhia para todas as horas, em todos os locais e para quem quer que seja, independente de idade, cor ou classe social. Revela fatos marcantes da vida pessoal da Fernando Sérgio e momentos inesquecíveis de sua vida profissional, muitos dos quais por meio de "causos" vividos, como forma de homenagear aqueles que o ajudaram nessa longa e ainda emocionante trajetória profissional. Afinal, meio século após estrear na profissão, esse grande radialista continua movido a entusiasmo nos momentos que antecedem cada nova jornada de trabalho, que ele vive do mesmo modo que a vida: intensamente.


quinta-feira, 7 de junho de 2012

Fluminense e Santos

O jogo Fluminense x Santos em 1969 atraiu 87 mil pessoas ao Maracanã.

O Fluminense terminou o Campeonato Brasileiro de 1969 na nona colocação entre 17 participantes. A campanha tricolor teve 16 jogos: 5 vitórias, 5 empates e 6 derrotas, 20 gols-pró e 21 gols-contra. Os artilheiros do Fluminense no certame foram Flávio (10 gols), Lula (3), Denílson (2), Samarone (2), Mickey (1) e Marco Antônio (1). No jogo contra o Santa Cruz, Zé Júlio fez um gol-contra a favor do Fluminense.

Durante toda a competição, o treinador do Fluminense foi o ex-jogador e ídolo do clube Telê Santana. No primeiro semestre, o Tricolor havia se sagrado campeão carioca. No intervalo entre o fim dos Estaduais e o começo do Brasileirão, a Seleção, composta inteiramente por jogadores de clubes nacionais, conquistara a vaga na Copa do Mundo do México.

Confiram a lista de partidas do Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1969:
07/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Cruzeiro 3 (Tostão 2 e Dirceu Lopes)
10/09/1969 - Fonte Nova (Salvador) - Bahia 1 (Mura), Fluminense 3 (Flávio 2 e Samarone)
14/09/1969 - Ilha do Retiro (Recife) - Santa Cruz 1 (Ramón), Fluminense 2 (Mickey e Zé Júlio contra)
17/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Flávio), América 2 (Edu 2)
21/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Denílson e Flávio), Vasco 2 (Valfrido 2)
28/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Flamengo 1 (Galhardo contra), Fluminense 4 (Lula 3 e Flávio)
05/10/1969 - Belfort Duarte (Curitiba) - Coritiba 1 (Paulo Vecchio), Fluminense 1 (Flávio)
11/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Flávio e Samarone), Grêmio 1 (Alcindo)
18/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Flávio e Marco Antônio), Palmeiras 0
22/10/1969 - Palestra Itália (São Paulo) - São Paulo 1 (Zé Roberto), Fluminense 0
26/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Santos 0
01/11/1969 - Pacaembu (São Paulo) - Corinthians 2 (Ivair e Dirceu Alves), Fluminense 0
09/11/1969 - Beira-Rio (Porto Alegre) - Internacional 1 (Scalla), Fluminense 1 (Flávio)
12/11/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Denílson e Flávio), Portuguesa 2 (Leivinha e Tatá)
16/11/1969 - Mineirão (Belo Horizonte) - Atlético Mineiro 2 (Oldair e Beto), Fluminense 0
23/11/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Botafogo 1 (Roberto)
Fonte:
Colaboração: Alexandre Magno

Literatura

"Madre Teresa de Jesus"
Existe a MADRE TERESA DO BRASIL. Todos conhecemos a Madre Teresa de Calcutá, celebrada em todo o mundo. A história da Madre Teresa do Brasil acaba de ser contada em livro, por Marisa Marega, jornalista, editora do telejornal Bom Dia Brasil, na TV Globo em São Paulo. Com prefácio de Chico Pinheiro, jornalista mineiro que apresenta o "Bom Dia Brasil" na Rede Globo, que, em sua adolescência, conheceu Madre Teresa no emblemático Carmelo de Juiz de Fora. Tudo começou no Carmelo Sâo José de Petrópolis, que acolheu a garota órfã de mãe, nos primeiros anos do século XX. Nascida em 1898, na cidade de Caetés, no interior de Minas, era sobrinha da priora do Carmelo de Petrópolis. Por sugestão de Irmã Inês, a Mãezinha, mestra das religiosas, Teresa foi educada para ser a típica moça de boa família, com reserva assegurada no Colégio Sion. Mas a garota que detestava as grades, tagarela com os amigos, para assombro de todos, decide ser carmelita. Assume o nome de Irmã Teresa de Jesus, por identificação com a Santa Teresa de Ávila. Destacou-se como priora no Carmelo de Petrópolis onde viveu sempre à frente do seu tempo. Aprimorou a vida espiritual e intelectual na convivência com figuras ímpares que frequentavam o carmelo, como Alceu Amoroso Lima. Mas não lhe faltaram problemas por causa de sua devoção de reformadora. Tal como teresa de Ávila partiu para uma fundação, onde pudesse prevalecer a vivência do Evangelho, a acolhida de todos sem discriminação. Com suas companheiras e o auxílio de benfeitores fundou o histórico Carmelo de Juiz de Fora, que, ao longo dos anos, Madre Teresa abriu para o mundo. Consagrou-se como "A professora de Amor", agindo mais pela caridade do que pela estrita observância. Acolhia toda sorte de pessoas em busca de consolação, exercia a misericórdia, o que inclui mas ultrapassa a nossa simples solidariedade. Nos anos da ditadura abrigou os que precisavam cair na clandestinidade, como Frei Betto. Outros jovens famosos e não famosos tiveram sua vida influenciada pelo carisma do Carmelo.

Corpus Christi

Hoje, a partir das 13h, o Estádio Mário Helênio, no Bairro Aeroporto, deve receber cerca 30 mil pessoas, na celebração campal organizada pela Arquidiocese de Juiz de Fora, para comemorar os 50 anos de elevação da diocese de Juiz de Fora à condição de arquidiocese. A solenidade será presidida pelo arcebispo metropolitano, dom Gil Antônio Moreira.

Católicos das 86 paróquias localizadas nos 37 municípios que pertencem à arquidiocese, inclusive Santos Dumont, estarão presentes ao evento que, além de encerrar os festejos pelo jubileu, irá concentrar as comemorações do dia de Corpus Christi. Com isso, as procissões e a confecção de tapetes não irão ocorrer nas comunidades.

A nova província eclesiástica de Juiz de Fora foi criada no dia 14 de abril de 1962, fazendo com que o bispo dom Geraldo Maria de Morais Penido se tornasse o primeiro arcebispo da arquidiocese. Outros quatro o sucederam na regência da igreja, o goiano dom Juvenal Roriz (1978 e 1990), o gaúcho dom Clóvis Frainer (1991-2001), o mineiro dom Eurico dos Santos Veloso (2002-2009) e o também mineiro dom Gil Antônio Moreira (desde 2009). O primeiro e único bispo de Juiz de Fora, do qual dom Geraldo Maria de Morais Penido era bispo-auxiliar, foi o baiano dom Justino José de Santana.