segunda-feira, 24 de abril de 2017

Literatura

"Av. Paulista, 900: a história da TV Gazeta"
Embora o livro tenha como tema central a TV Gazeta, suas 450 páginas retratam a evolução da própria televisão brasileira, dos recursos tecnológicos às novidades na programação. Na apresentação do livro, Elmo Francfort, também autor de Rede Manchete Aconteceu virou história, destaca a trajetória vanguardista da emissora que a imprensa muitas vezes chamou de nanica. Vida Alves, por exemplo, fez o primeiro programa em cores na televisão brasileira ‘Vida em Movimento’, justamente na TV Gazeta. A descoberta de novos talentos também é um legado da emissora. Muitos profissionais que hoje fazem parte do primeiro time da comunicação brasileira, como Joelmir Beting, Heródoto Barbeiro, Galvão Bueno, Marcelo Tas, Fernando Meirelles, Sandra Annemberg, Cléber Machado e Mariana Godoy, começaram ou tiveram destaque na TV Gazeta, conta Francfort. Além disso, programas criados na Gazeta, como TV Mix, com Serginho Groisman e Astrid Fontenelle, Flash, de Amaury Jr., Perdidos na Noite, com Faustão, Dinheiro Vivo, de Luís Nassif, e Mesa Redonda, comandado por Roberto Avallone, ganharam novos espaços em outras emissoras e fizeram história na televisão brasileira.

Latim

Quantas línguas existem e quais vieram do latim?

São 6.912 idiomas falados atualmente no mundo, segundo o compêndio Ethnologue. Desses, pelo menos oito vieram do latim: italiano, francês, espanhol, catalão, galego, português, provençal e romeno. O dalmático, falado antigamente na costa da Dalmácia, na Croácia, também tinha origem latina, mas já foi extinto. O próprio latim não é mais falado, e, hoje, é usado apenas em documentos oficiais do Vaticano. Além dos idiomas falados, o Ethnologue considera três linguagens artificiais (esperanto, europanto e interlíngua) e 121 línguas de sinais.  

Português  
Na península Ibérica, província romana desde fins do século 3 a.C., o latim começou a modificar-se com as invasões bárbaras (século 5) e árabes (século 8). O dialeto galego-português surgiu no século 12 e, quatro séculos depois, galego e português já formavam duas línguas diferentes. 

Latim vulgar  
O ponto de partida das línguas românicas foi o latim vulgar, falado no dia-a-dia. Era uma língua com finalidades práticas e imediatas, ao contrário do latim clássico, de escritores como Cícero e Virgílio. Nas regiões que o Império Romano conquistou, o latim vulgar ganhou novos sotaques, como o português.  

Latim  
O Lácio, uma das regiões compreendidas pelo ramo itálico, às margens do rio Tibre, é o berço do latim, que surgiu como língua de pastores e agricultores por volta de 600 a.C. Com a expansão de Roma, o latim alargou sua área de atuação e acabou absorvendo os idiomas osco e umbro. 

Itálico  
Com as migrações, as mutações da árvore indo-européia resultaram nos ramos itálico, germânico e mais nove subgrupos. Não há documentos escritos, mas acredita-se que o itálico tenha nascido por volta de 1 000 a.C. na região, claro, da Itália.

Família indo-européia  
Era uma vez um idioma falado há cerca de 5 mil anos em alguma região entre a Índia e a Europa. Não há documentos que atestem o idioma indo-europeu, mas as 449 línguas atuais que derivaram dele têm características comuns, como as raízes de algumas palavras e regras gramaticais.


domingo, 23 de abril de 2017

Literatura

"Silvio Santos – A trajetória do Mito "
Nascido no Rio de Janeiro em 12 de dezembro de 1930, Senor Abravanel começou a trabalhar aos 14 anos de idade como camelô. Pouco tempo depois, ingressou no rádio e, mais tarde, na televisão, onde se tornou sinônimo de domingo.
Formou um grupo empresarial bilionário, com milhares de empregados em todo o Brasil. Tentou ser prefeito, governador e até presidente.
Cercou sua vida pessoal de mistérios, cultivados pela distância que mantém dos repórteres. Mesmo assim, ao longo da carreira, já causou polêmica ao opinar sobre diversos assuntos: de empreendedorismo até homossexualidade, passando por economia, sexo, drogas e política. O autor, o jornalista Fernando Morgado, conta a trajetória do animador e empresário através de um formato inédito, que combina textos ágeis, declarações dadas por Silvio ao longo das últimas seis décadas e uma completa linha do tempo.
Cada capítulo revela uma faceta especial: seu tino para os negócios, sua longa carreira artística, seu estilo próprio de comandar o SBT, sua meteórica trajetória política e sua reservada vida pessoal.Combinadas, compõem a figura de um mito, verdadeira marca da comunicação do Bras

Mogi Mirim

Estádio Vail Chaves
Em dezembro de 2016, a nova diretoria do Sapão da Mogiana, o Mogi Mirim, já havia anunciado a mudança do nome “Romildo Vitor Gomes Ferreira” para “Vail Chaves”. A volta do primeiro nome dado ao estádio, que já teve outras duas denominações, “Wilson Fernandes de Barros” e “Papa João Paulo II”. foi uma reivindicação da torcida mogimiriana. 
O primeiro gramado do então Sport Club Mogy Mirim foi na Rua José Bonifácio, no Centro, onde atualmente está a Praça Francisco Alves – Praça do Jardim Velho. Na década de 1930, o campo mudou de endereço: foi para o terreno onde atualmente funciona a Santa Casa de Misericórdia de Mogi Mirim.

Em 1937, surgiu o impasse com o proprietário do terreno onde se localizava o estádio. O local seria usado para a construção do hospital. Somente então começou o processo de mudança para a Rua Professor Ferreira Lima, onde o estádio é abrigado atualmente.
Na época, foram feitos contatos com o gerente da empresa de água e luz, o Senhor Vail Chaves, por ele ter se disposto a ceder uma área para construção de um novo estádio. O novo campo, portanto, foi batizado como Praça de Esportes "Vail Chaves".O nome permaneceu até 07 de julho de 1991, com a inauguração do estádio "Wilson Fernandes de Barros", com arquibancadas de concreto e aproximadamente 23 mil lugares.
A troca no nome foi em homenagem ao então presidente do clube que investiu na ampliação e modernização do campo do Mogi Mirim Esporte Clube. Anos mais tarde, por motivos pessoais, Sr Wilson mudou o nome do estádio para "Papa João Paulo II", numa homenagem ao papa polonês Karol Józef Wojtyła (1920/2005), que permaneceu até 2008, quando Rivaldo Vitor Borba Ferreira assumiu a presidência do clube e deu ao estádio o nome de seu pai: “Romildo Vitor Gomes Ferreira”.
Com a saída de Rivaldo do comando do clube e com a chegada da nova diretoria, o torcedor voltou a reivindicar a volta do antigo nome do estádio, o que acabou sendo atendido.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Literatura

 “José Luiz Ribeiro – 50 anos de teatro”
A obra é um livro de arte que, através de fotos e texto, registra a trajetória do jornalista e professor universitário José Luiz Ribeiro em 50 anos de dedicação ao teatro. Através de um recorte cronológico, o livro privilegia os fatos que marcaram os 50 anos deste homem que produziu e dirigiu 245 montagens; que escreveu 139 peças teatrais; que apresenta mais de 120 espetáculos por ano; que formou centenas de atores e incontáveis admiradores de teatro, e que é reconhecido nacionalmente, com dezenas de prêmios por seu trabalho.

José Luiz Ribeiro é filho de imigrantes portugueses e nasceu em Juiz de Fora. Cursou Jornalismo na antiga Faculdade de Filosofia e Letras ( Fafile) e durante 42 anos foi professor da Faculdade de Comunicação (Facom). Em 1972, foi idealizador e responsável direto pela transformação do antigo casarão da Faculdade de Direito em Forum da Cultura, no mandato do reitor Gilson Salomão.
Nos palcos, entre direção, atuação e textos, coleciona 245 espetáculos, entre adultos e infantis, e 137 textos teatrais. Ainda assumiu ofícios de cenógrafo, sonoplasta, iluminotécnico, figurinista e compositor musical. Também formou centenas de atrizes e atores e recebeu dezenas de prêmios por seu trabalho.
Em 2000, com o prefácio do ex-presidente Itamar Franco (1930/2011), José Luiz Ribeiro lançou o livro "Palacete Santa Mafalda - Escola Estadual Delfim Moreira".

domingo, 16 de abril de 2017

Hino Nacional

O Hino Nacional Brasileiro é um dos quatro símbolos oficiais da República Federativa do Brasil, conforme estabelece o art. 13, § 1.º, da Constituição do Brasil (os outros símbolos da República são a bandeira nacional, as armas nacionais e o selo nacional). A música é uma composição de Francisco Manuel da Silva (1795/1865) e a letra é de Joaquim Osório Duque Estrada (1870/1927).
O Hino foi adquirido por cinco contos de réis, pelo decreto n.º 4.559 de 21 de agosto de 1922, pelo então presidente Epitácio Pessoa (1865/1942); e foi oficializado pela lei n.º 5.700, de 01º de setembro de 1971. Leis e decretos à parte, fato é que a letra do nosso Hino Nacional ostenta uma linguagem rebuscada, pomposa em demasia, e um português bastante arcaico para os padrões atuais da língua, o que torna-o quase incompreensível ao cidadão brasileiro mediano, isto é, à população em geral.
Expressões mais “enigmáticas”:

- Ipiranga – Nome de um riacho situado na cidade de São Paulo, junto ao qual D. Pedro I supostamente proclamou a independência da República no dia 7 de setembro de 1888.
- Margens plácidas – “Plácida” significa serena, calma, sossegada, tranquila.
- Brado retumbante – Grito forte que provoca eco.
- Raios fúlgidos – “Fúlgido” significa brilhante, cintilante.
- Penhor – Usado de maneira metafórica (figurada), “penhor dessa igualdade” é a garantia, a segurança de que haverá liberdade na nação.
- Raio vívido – “Vívido” significa brilhante, fulgurante, aquilo que tem vivacidade, que ilumina, que esclarece, que tem cores vivas. Essa expressão tem quase o mesmo significado que “raios fúlgidos”.
- Imagem do Cruzeiro – Referência à constelação do Cruzeiro do Sul que resplandece (isto é, brilha) no céu noturno.
- Impávido colosso – “Colosso” é uma estátua muito grande, de dimensões muito elevadas (como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, por exemplo). Estar “impávido” significa não sentir ou aparentar medo diante do perigo.
- Fulguras – Do verbo “fulgurar”, que significa reluzir, brilhar, distinguir-se dos demais, sobressair-se de maneira brilhante.
- Florão da América – “Florão” é um ornato em forma de flor usado nas abóbadas de construções grandiosas. Segundo a letra do Hino, o Brasil seria o ponto mais importante e vistoso de toda a América.
- Novo Mundo – Referência ao continente americano.
- Garrida – Significa enfeitada, que chama a atenção pela beleza.
- Lábaro que ostentas – “Lábaro” significa uma bandeira ou um estandarte. “Ostentar” significa mostrar, exibir com orgulho.
- Verde-louro dessa flâmula – Verde e amarelo dessa bandeira.
- Clava forte – “Clava” é um pedaço de pau grosso e maciço, um grande porrete usado como arma. No verso, em sentido figurado, significa mobilizar um exército, entrar em guerra.

Literatura

"Do Zero Ao Infinito (e Além) - Tudo O Que Você Sempre Quis Saber Sobre Matemática E Tinha Vergonha De Perguntar"

Se alguma vez você já se perguntou “por que estudar matemática?” ou “o que vou fazer com frações no meu dia a dia?”, Do zero ao infinito (e além) foi feito para você. Neste livro surpreendente, que fará de uma vez por todas com que você goste e, principalmente, entenda matemática, o astrofísico Mike Goldsmith mostra como ela afeta tudo ao nosso redor, do comportamento dos animais até a maneira como escutamos música. Prepare-se para desvendar os mistérios dessa ciência e descobrir a maravilha dos números. Descubra por que o zero é tão importante nas operações matemáticas, o que é googol, como funcionam os números binários, como música, matemática e espaço estão conectados e até porque as abelhas fazem suas colmeias em formato de hexágono. Você vai achar incrível – e divertido -aprender matemática!

Bandeira nacional

As 27 estrelas presentes na bandeira do Brasil representam cada um dos 26 Estados mais o Distrito Federal. Abaixo do nome do Estado, estão o nome da estrela que o representa e da constelação a que ela pertence.

sábado, 15 de abril de 2017

Literatura

“As Orações dos Franciscos”
O livro, escrito pelo padre Enio Marcos de Oliveira, administrador paroquial da Paróquia São Sebastião de Rodeiro, Diocese de Leopoldina, traz uma reflexão sobre São Francisco de Assis e o Santo Padre, o Papa Francisco, através de uma experiência do autor vinda de seu estudo de Doutorado realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). 
obra traz momentos marcantes na vida de São Francisco de Assis feita de encontros e desencontros na construção de sua identidade mostrando a sua grande mística de transformar tudo em oração. Ao lado de São Francisco se apresenta o papa Francisco que da mesma forma vem exercendo o seu pontificado com amor, profecia e carisma encantando o coração dos homens e mulheres do mundo inteiro pela capacidade de fazer da alegria e dos desafios da vida uma constante oração. As orações dos Franciscos são mapas para que cada leitor possa trilhar seu próprio caminho de intimidade com Deus fazendo da vida uma constante oração.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Campeonato Brasileiro da Série C 2017

Jogos do Tupi (Juiz de Fora) e Tombense (Tombos)

Turno
15/05 - Sábado - 01ª rodadada
15:30  Tombense MG x Tupi MG Antônio Guimarães Tombos MG

20/05 - Sábado - 02ª rodadada
16:0 - Tupi MG x Ypiranga RS Mário Helênio Juiz de Fora
17:00 - São Bento SP x Tombense MG Walter Ribeiro Sorocaba

26/05 - Sexta-feira - 03ª rodadada
19:00 - Joinville SC x Tupi MG Arena Joinville Joinville
27/05 - Sábado 
15:30 - Tombense MG x Mogi Mirim SP Antônio Guimarães Tombos

03/06 - Sábado - 04ª rodadada
16:00 - Tupi MG x São Bento SP Mário Helênio Juiz de Fora 
04/06 - Domingo
16:00 -  Volta Redonda RJ x Tombense MG Raulino de Oliveira Volta Redonda 

10/06 - Sábado - 05ª rodadada
15:30 - Tombense MG x Joinville SC Antônio Guimarães Tombos
16:00 -  Macaé RJ x Tupi MG Cláudio Moacyr Macaé 

17/06 - Sãbado - 06ª rodadada
15:30 - Tombense MG x Bragantino SP Antônio Guimarães Tombos 
15:30 - Mogi Mirim SP x Tupi MG Vail Chaves Mogi Mirim

25/06 - Domingo - 07ª rodadada
15:00 - Ypiranga RS x Tombense MG Colosso da Lagoa Erechim
26/06 - Segunda-feira
21:00 - Tupi MG x Botafogo SP Mário Helênio Juiz de Fora 

01/07 - Sábado - 08ªrodadada
16:00 - Tupi MG x Volta Redonda RJ Mário Helênio Juiz de Fora
02/07 - Domingo 
16:00 - Botafogo SP x Tombense MG Santa Cruz Ribeirão Preto 

02/07 - Sábado - 09ª rodadada
16:00 - Tombense MG x Macaé RJ Antônio Guimarães Tombos 
16:00 - Bragantino SP x Tupi MG Nabi Abi Chedid Bragança Paulista 


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Literatura

"A Saga de Mário Alonso - O Lampião da Zona da Mata Mineira?"
Natural de Mar de Espanha, Mário Alonso foi com o pai para administrar fazendas, na região de Ubá.  Radicou-se em Campestre e atuou na zona da mata mineira norte  Foi vítima de calúnia e se revoltou, procurando fazer justiça com as próprias mãos.  Procurou ser justiceiro e foi o maior bandoleiro da região  Foi uma espécie de capanga de luxo do poder político da época, portanto detestado e perseguido pela oposição.  Era jovem, inteligente, tinha liderança e coragem e foi muito destemido  Tinha boa pinta e foi muito conquistador.  Foi uma espécie de Robin Hood e considerado como o Lampião da nossa zona da mata  De tanto desafiar e desacatar , foi abatido na região da estação de Tocantins e sepultado no cemitério daquela cidade  Todos que nasceram após o ano de 1950 conhecem um causo sobre ele, razão porque tornou-se um mito ou lenda viva. O autor, professor Joaquim Carlos de Souza conta sobre ele, em 147 páginas, a história que ouviu contar.


Os Sete Anões

Os Sete Anões é um grupo de personagens que aparece no conto de fadas escrito pelos irmãos Grimm chamado Branca de Neve, celebrados na animação da Disney do final da década de 1930 como Branca de Neve e os Sete Anões. São simbolicamente sete e eles chamam-se: Soneca, Dengoso, Feliz, Atchim, Mestre, Zangado e Dunga, o único dos anões que não possuía barba.

Literatura

"Coisas e Crônicas"

As pequenas e simples coisas da vida cotidiana, que tantas vezes passam despercebidas, dão o tema para as crônicas e poemas que a jornalista Cíntia Nascimento apresenta neste livro. Seu olhar sobre as lembranças da infância vivida em sua terra natal, Cambuí, no Sul de Minas, leva a um passeio por paisagens e costumes interioranos, contados pela autora, que se formou em Juiz de Fora e reside no Rio de Janeiro. Em seus textos leves, também estão presentes questionamentos e observações sobre as diversas faces da vida, que nos convidam a refletir sobre sentimentos como amizade, amor e esperança.

Os VEXAMES do Flamengo

A eliminação para o Leon do México, em pleno Maracanã, com gols de Arizala, aos 21'/1ºT (0-1); André Santos, aos 29'/1ºT (1-1); Boselli, aos 30'/1ºT (1-2); Alecsandro, aos 34'/1ºT (2-2); Peña, aos 37'/2ºT (2-3), fortalece o rol de vexames do Flamengo, diante de 53.230 pagantes.

A derrota para o América do México por 3 a 0, em 08/05/2008, em um Maracanã com 50 mil rubro-negros, e a conseqüente eliminação da equipe da Taça Libertadores, entra para a lista dos maiores vexames da centenária história do Clube de Regatas do Flamengo. A tragédia ocorreu em um dia que prometia ser de festa, três dias depois da conquista do 30º título carioca e com homenagens ao treinador Joel Santana, que se despedia (voluntariamente) do clube. 

Um outro vexame do clube também ocorreu em um dia que seria de comemoração: a derrota por 6 a 0 para o Botafogo em 15 de novembro de 1972, pelo Campeonato Brasileiro, dia do aniversário do clube. Com três gols de Jairzinho. Um de letra. Uma derrota que foi lembrada pelos alvinegros nos clássicos contra os rubro-negros durante 19 anos, quando o time comandado por Zico devolveu o placar no Campeonato Carioca de 1981. 

Outro vexame histórico do Flamengo não ocorreu diretamente contra o Botafogo, mas teve o Alvinegro como 'coadjuvante'. Na penúltima rodada da Taça Guanabara de 1968, o Flamengo empatou sem gols com o forte time do Botafogo (Gérson, Jairzinho, Roberto, Paulo César Lima, todos campeões mundiais dois anos depois no México). Com isso, precisava 'apenas' empatar com o Bonsucesso, na rodada final, para ser campeão. Após até ter dado até volta olímpica antecipada, os atletas rubro-negros foram vítima da confiança exagerada (algo que se repetiu 40 anos depois no mesmo Maracanã, contra o América-MEX) e perderam por 2 a 0. Descrente em um tropeço rubro-negro, o Botafogo havia enviado seus jogadores para uma excursão. E eles tiveram que voltar às pressas para decidir o título em um jogo extra. Resultado: Bota 4 a 1.

Outro desastre rubro-negro ocorreu diante de um time também sem tradição. Em 1980, o Flamengo brigava pelo, até hoje inédito, tetracampeonato carioca para o clube. A expectativa da torcida do Flamengo era grande, já que o time havia conquistado o Campeonato Brasileiro daquele ano. Mas após vencer o Estadual em 1978 e 79 (dois torneios foram realizados naquele ano), a equipe foi a Petrópolis (Região Serrana do Rio) e perdeu para o Serrano por 1 a 0, gol de Anapolina. A derrota tirou as possibilidades de o Flamengo ser campeão naquele ano. O título ficou com o Fluminense. 

Quinze anos depois, o Tricolor foi responsável, não por um vexame, mas por uma tristeza marcante para o clube da Gávea. No ano do centenário, o Flamengo contava com Romário no elenco (o melhor jogador do mundo na época) e um dos melhores treinadores do Brasil, Vanderlei Luxemburgo. O Rubro-Negro chegou à última rodada do hexagonal decisivo precisando de um empate com o Fluminense para ficar com o título. Depois de estar perdendo por 2 a 0, conseguiu o empate, mas sofreu um gol histórico: a dois minutos do fim, Renato Gaúcho fez, de barriga, e o Tricolor venceu o jogo final do Carioca de 1995 por 3 a 2, impedindo o grande rival de comemorar o título em seus 100 anos. 
 
Pelo Campeonato Carioca de 1997, o Flamengo teve um time de Joel Santana como carrasco. Na última rodada do primeiro turno da competição, o Rubro-Negro precisava de uma vitória sobre o Botafogo para disputar o título da Taça Guanabara contra o próprio Alvinegro, classificado por antecipação. Joel escalou um time só com reservas e sequer ficou no banco. Mesmo com Romário e Sávio em campo, quem brilhou foi o botafoguense Renato, autor do gol da vitória por 1 a 0.

Neste século, o grande vexame rubro-negro foi a derrota na decisão da Copa do Brasil de 2004, diante do Santo André. Apesar do adversário ter conseguido eliminar rivais de peso, como Atlético-MG e Palmeiras, a confiança rubro-negra no título era enorme. E aumentou após um empate por 2 a 2 no jogo de ida, em São Paulo. Igualdade sem gols ou por 1 a 1 eram suficientes para o Flamengo levantar a taça. Em 30 de junho, o time paulista, com jogadores desconhecidos, calou o Maracanã lotado e venceu por 2 a 0, tirando um título dado como certo pela maioria dos torcedores do Flamengo. Tão certa como a classificação para as quartas-de-final da Libertadores-2008 após a goleada de 4 a 2 no estádio Azteca no jogo de ida.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Literatura

"Os Fuzis e as Flechas – A História de Sangue e Resistência Indígenas na Ditadura"
A obra é uma investigação jornalística realizada por Rubens Valente, que descreve centenas de mortes de indígenas durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985). Durante um ano, o autor entrevistou oitenta pessoas, entre índios, sertanistas, missionários e indigenistas, percorreu 14 mil quilômetros de carro, esteve em dez estados e dez aldeias indígenas do Amazonas, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Além de se valer de milhares de páginas coletadas em arquivos de Brasília, São Paulo e Rio, o livro traz à tona registros inéditos de erros e omissões que levaram a tragédias sanitárias durante a construção de grandes obras, como a rodovia Transamazônica, que cruzou a Amazônia de leste a oeste.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Luto

                                 Morre dom Clóvis Frainer

O Arcebispo emérito de Juiz de Fora, dom Clóvis Frainer morreu nesta terça-feira, 04/04, às 14h45, no Hospital da Unimed, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. De acordo com boletim médico, a morte se deu em em consequência de complicações pulmonares e falência de vários outros órgãos. O corpo está sendo velado na Capela da Casa São Frei Pio, junto ao Convento dos Capuchinhos, em Caxias do Sul-RS e o sepultado está marcado para o Memorial dos Capuchinhos.
Filho de Ignacio Frainer e Angela Mezzalira Frainer, Dyonisio Frainer e nascido em em 23 de março de 1931, em Veranópolis-RS, dom Clóvis foi bispo em Coxim-MS e arcebispo em Manaus-AM e Juiz de Fora-MG. Foi nomeado arcebispo de Juiz de Fora em 1991, tomando posse em 15 de agosto, para suceder dom Juvenal Roriz, ficando no arcebispado local até 28 de novembro de 2001, quando foi sucedido por dom Eurico dos Santos Veloso.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Literatura

"Rádio e Mídias Sociais"
O rádio é hoje um meio de comunicação expandido, que extrapola as transmissões em ondas hertzianas e transborda para as mídias sociais, o celular, a TV por assinatura, sites de jornais, portais de música. A escuta se dá em FM, AM, mas também em telefones celulares, tocadores multimídia, computadores, notebooks, tablets, ao vivo ou sob demanda. Neste cenário de reconfiguração da mídia sonora, também a produção, a edição e a veiculação de áudios ganharam agilidade, amplificando a voz de novos atores sociais. 

Este livro, escrito por Marcelo Kischinhevsky, não trata da história do rádio, mas de seus horizontes. Não sob um viés tecnicista, e sim numa perspectiva que leva em conta o papel do rádio na construção e na negociação de identidades locais, regionais, nacionais e mesmo transnacionais. Interessa, aqui, mapear e compreender esse rádio constantemente desafiado, mas que permanece relevante no novo ecossistema midiático, consolidando sua presença em novas plataformas de distribuição, circulação e consumo. 

Em múltiplos formatos e configurações, o rádio contraria as previsões mais pessimistas e se afirma, cada vez mais, como trilha sonora da vida cotidiana, como espaço de manifestação social, cultural, política, como um lugar em que ouvimos os sons do mundo, do país e da cidade e em que devemos lutar para nos fazer ouvir

quarta-feira, 1 de março de 2017

APAE/JF

Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Juiz de Fora foi fundada em 16 de junho de 1968, por um grupo de pais de crianças portadoras de necessidades especiais. Antes mesmo de a instituição ter uma sede, esses pais trabalhavam com o desenvolvimento dos filhos em casa. Ele se reuniam em grupos de cinco mães e aplicavam os exercícios que tinham aprendido, de casa em casa.

Para aprender a fazer esse trabalho os pais iam a ABAE, Associação Barbacenense de Apoio aos Excepcionais, onde as crianças também eram consultadas com um médico neurologista.

Esse trabalho voluntário realizado pelas próprias mães dos excepcionais e em casa durou cerca de dois meses até que o grupo conseguiu um espaço para desenvolver essa atividade. O local foi o salão São Geraldo, emprestado pela Igreja da Glória. Com a conquista de um espaço próprio, o segundo passo era trazer e adaptar o trabalho já desenvolvido em Barbacena para Juiz de Fora.

Durante dois anos, os trabalhos foram desenvolvidos no salão até que o então prefeito da cidade, Agostinho Pestana da Silva Netto (1928/2008), filho de uma das fundadoras da Apae, Ondina Pestana e irmão de três excepcionais, doou o terreno onde hoje funciona a entidade, no bairro de Santa Terezinha. Agostinho Pestana, que foi prefeito de Juiz de Fora no biênio 1971/1972 é pai do deputado federal Marcus Pestana.

A verba para a construção da sede foi angariada através do também ex-prefeito Adhemar Rezende de Andrade junto ao deputado alemão Herman Gorgen. Várias pessoas da sociedade local já dirigiram a APAE, e uma das mais destacadas é Maria Izabel Marques (Dona Táta), uma das fundadoras.

APAE Juiz de Fora, rua Custódio Tristão, nº 02, bairro de Santa Terezinha.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Notas pertinentes, ou não...

Minas no senado
O senador mineiro, Antonio Anastasia (PSDB) pode ser o novo ministro das Relações Exteriores na vaga de José Serra (PSDB). Embora membros do Itamaraty prefiram um diplomata de carreira, a vaga deve mesmo ficar com um político. Alexandre Silveira, de 46 anos e com base eleitoral em Belo Horizonte e Lael Varella, de 78 anos, com base em Muriaé, são os suplentes de Anastasia no senado.

Unidos do Retiro, a força de um povo
O carnaval 2017 apresentou um novo local para os desfiles, o parque de exposições, no bairro Joquei Club, e a escola de Samba Unidos das Vilas do Retiro, representante, além do próprio Retiro, dos bairros Jardim Esperança, Floresta, Terras Altas, Caeté e Sarandira, além das Vilas São José, Santa Maria, Santo Antonio, Conceição, do Pipoco, Piteira e do Tozza, Granjas Bethel, Paraíso e Vilela, Parque das Palmeiras, Usina Quatro e Campo Ale (Niterói) foi a grande campeão em seu grupo. Uma escola humilde, sem quadra própria para ensaiar, realizar eventos e angariar recursos, mas com muita garra, empenho, esforço e dedicação. Todo esse esse esforço começa em sua presidente, a estudante de direito Cristina Fortunato, passando pela diretoria, Greiciele Fortunato, Antonio Neto, Pedro Abraão, Doxim (Eudóxio de Paula), Paulinho Santos e outros abnegados. Os foliões demonstraram empenho, entusiasmo e samba no pé. Na passarela do samba era visível o a dedicação da Claudete Reginaldo, Conceição Ananias, Esmeralda Gervásio com os filhos Taís e Frederico, Suely Gervásio, Danilo Guimarães, Imaculada Melo. Braz de Paula (veio de Campos dos Goytacazes para desfilar), com a esposa Cristina e a filha Tábata, Luana Zancanella, Marquinho do Jardim Esperança e Zezinho do Floresta na bateria,Celino, Budeia com a esposa, João Cleber interpretando o samba, além do Jesus Alves, mesmo sendo da diretoria da Real Grandeza, não mediu esforços para ajudar o Retiro.

Família Andrada no poder
A tradicional família Andrada, de Barbacena, com representantes na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, Assembléia Legislativa de Minas Gerais e na Câmara Federal, poderá ter um representante no governo Temer. Com a recusa do ex-ministro do STF (Superior Tribunal Federal), Carlos Veloso, em assumir a vaga de Alexandre de Moraes, no Ministério da Justiça, o vice-procurador geral da República, José Bonifácio de Andrada, filho do deputado Federal, Bonifácio Andrada, e com fortes laços com o PSDB, passa a ser cotado para o cargo. 

Pimentel em Juiz de Fora
Na próxima segunda-feira o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), virá à mais importante cidade da Zona da Mata pela segunda vez em seu mandato, que já caminha para o final. Há quem afirme que esse distanciamento se deve ao fato de que o atual prefeito, Bruno Siqueira (PMDB) não ter abraçado a candidatura do Pimentel em 2014, mesmo com o seu partido, o PMDB, ter fornecido o vice, Antonio Andrade, com quem Bruno seria afinado. Os analistas afirmam que Bruno tucanou, de olho na reeleição de 2016. Verdade ou não, o fato é que em 2016 o prefeito do PMDB trouxe os tucanos para o seu palanque. Com isso, o PSDB forneceu o vice, o médico e ex-vereador Antonio Almas, e os caciques do PMDB conseguiram neutralizar uma possível candidatura da maior expressão política dos tucanos na cidade, o ex-prefeito Custódio Mattos.

A volta do "JB"
Fundado em 09 de abril de 1891, por Rodolfo Dantas (1855/1901), o '"Jornal do Brasil" teve sua marca adquirida pelo empresário Leopoldinense, Omar Peres, junto ao empresário baiano, Nelson Tanure. Em 2010 o periódico deixou as bancas e passou a ser veiculado via internet. Omar Peres promete retornou com o jornal às bancas, mas não informou se a circulação será no formato Standard, Berliner, Germânico, Tablóide ou Compacto.

Hospital Unimed
A Unimed Juiz de Fora, que figura entre as maiores empresas de Minas, e que é presidida pelo médico Hugo Borges, completou 44 anos em 08 de janeiro último. O moderno Hospital que está sendo construído no bairro Salvaterra, região sul de Juiz de Fora, tem previsão de inauguração no aniversário de 45 anos da cooperativa médica, o que vai reforçar Juiz de Fora no ranking do que há de mais avançado no tratamento médico/hospitalar.

Uma vela para deus e outra para o diabo
O ex-vereador Chico Evangelista, ainda no exercício do cargo se aliou ao PT e saiu candidato a vice na chapa encabeçada pela deputada Margarida Salomão. Seu filho, Charlles Evangelista, que havia se candidatado a deputado estadual em 2014, num claro teste de urna, saiu candidato a vereador e apoiou o candidato a reeleição, o prefeito Bruno Siqueira, do PMDB. Passada a eleição, Chico saiu reclamando de que foi alijado da disputa por setores do PT. Após a posse do prefeito, o já agora ex-vereador Chico Evangelista foi agraciado com um cargo de polpudo salário na administração pmdebista. Isso lá na roça, dividir o apoio com dois, de onde sairá um vencedor, nós chamamos de "acender uma vela para deus e outra para o diabo".

Festa do povo
Cristina Fortunato, eleita recentemente para presidir a Escola de Samba Unidos do Retiro, não tem medido esforços para colocar a escola na passarela do samba. Juntamente com sua diretoria, Greiciele Fortunato, Pedro Abraão, Paulinho Santos, Felipe Abrahão, João Kleber (Pavão) e com o enredo "Juiz de Fora - Manchester Mineira, 50 anos de alegria no carnaval, sua história, eu me lembro, casos e curiosidades". Cristina tem divido seu tempo entre a Escola, a faculdade em que estuda direito e os afazeres particulares.

Caos no município
O novo prefeito de Recreio, o ex-deputado estadual José Maria André de Barros, está passando um perrengue para tentar colocar a casa em ordem no município. Com desajuste financeiro, Zé Maria teve dificuldades no período de transição e o prefeito anterior renunciou no último dia de mandato numa clara indicação para não participar da solenidade de posse do prefeito eleito. Passada a turbulência, a população de Recreio aguarda ansiosa o empenho do prefeito junto ao governo do estado para asfaltar as estradas Recreio/Volta Grande, Recreio Pirapetinga e Recreio/Palma, além de elevar o povoado de Barreiros a condição de distrito. Zé Maria que já foi deputado estadual, seu pai, Zé Teixeira (José Amaury Teixeira de Barros), foi prefeito de Recreio por dois mandatos.

Ana Karina Veiga
A Sandumonense Ana Karina Veiga continua focada nos estudos. O objetivo no momento é a aprovação na OAB/MG, com provas marcadas para março. Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Professora formada em magistério pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Advogada pelo Fundação Educacional São José de Santos Dumont (FESJ), Ana Karina, que é professora da prefeitura de Ewbank da Câmara e que já residiu na cidade do Cairo, no Egito, de posse da inscrição na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), vai militar no meio jurídico.

Real Grandeza
A tradicional escola da avenida Sete, que tem João Delvaux como um dos fundadores, vem para a passarela do samba com a reedição do samba "O Circo (homenagem aos poetas Gilson Campos e Geraldo de Souza - in memoriam). O presidente Luiz Carlos Masson está otimista para um bom desfile. Os dirigente Fernando Luiz Baldioti e Jesus Alves acreditam em mais um título. Neste ano o desfile será em novo local, o parque de exposições, no bairro Joquei Clube.

Família Andrada
A tradicional família Andrada, de Barbacena, que se encontra no poder desde os tempos do império, e hoje milita nas três esferas, municipal, estadual e federal, poderá, em 2018, chegar ao Senado. Com os dois senadores de Minas que encerram o mandato em 2018, tendo um que não tem voto para ser senador, e o outro, podendo ser atingido pelas garras da lava jato, faltará nomes de peso em Minas para o ocupar a senatória. As conjecturas indicam que Doorgal Andrada na câmara de Belo Horizonte, Lafayette Andrada na assembléia e Bonifácio Andrada na câmara Federal, 2018 poderá levar Bonifácio para o senado, o ex-prefeito de Barbacena, Toninho Andrada para a câmara federal, com Lafayette sendo reeleito na assembléia.

Acomodando os derrotados
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS) nomeou para o primeiro escalão, dois vereadores derrotados no pleito passado. Daniel Nepomuceno (atual presidente do Atlético) e Bruno Miranda são os agraciados. A permanecer nesse ritmo, Kalil vai superar o prefeito reeleito de Juiz de Fora, que na gestão passada, nomeou quatro vereadores derrotados nas urnas. Na atual gestão de Juiz de Fora, com o prefeito mais experiente e conhecendo melhor as nuances do executivo, apenas um vereador derrotado foi nomeado.

Vandalismo
Em Juiz de Fora o DNIT, através de empresa terceirizada, plantou grama na margem da BR 267, mas os vândalos estão destruindo e furtando as placas de grama. É bem verdade que o DNIT, não mantem as margens da estrada conservada, o que não justifica o furto.

Posse do prefeito
Um jornal, de circulação eventual, de Belo Horizonte, trouxe como manchete "autoridades prestigiam posse do prefeito de Juiz de Fora". No decorrer da matéria, o mesmo jornal publicou fotos do prefeito ao lado do vice e de alguns vereadores eleitos ou reeleitos, todos tomando posse na mesma data. Pelo que se apurou, os deputados com base eleitoral em Juiz de Fora, tanto os da Assembléia Legislativa, quanto os da Câmara Federal, nenhum compareceu ao evento. Pelo que se percebe, o conceito autoridade, é de acordo com a conveniência.

Terra do Pai da Aviação
O vice prefeito de Santos Dumont, professor Gerson Guedes, tem se mostrado bastante atuante nesse início de governo. A população aguarda que a nova gestão, encabeçada pelo prefeito Carlos Alberto Azevedo (Betinho) consiga verba junto aos governantes para asfaltar as estradas Santos Dumont/Piau, Santos Dumont/Tabuleiro, o que beneficiará os distritos de São João da Serra e Conceição do Formoso, alem das cidades citadas. Consiga também construir uma rodoviária nas proximidades da BR 040 e um novo cemitério. Obras que os governantes anteriores, sequer, apresentaram projetos.

Tupi 2017
Os ilustres torcedores e associados do Tupi, João Delvaux, Eurico Moura e Jovanni Gama continuam acreditando que o Tupi terá uma melhor performance, tanto no campeonato Mineiro do módulo um, quanto no campeonato Brasileiro da serie C. Diferente do ano passado, em que o time de Juiz de Fora foi nono colocado no Mineiro, perdendo vaga na copa do Brasil e direito de realizar seis rodadas do Mineiro em casa, além de ter sido rebaixado no Brasileiro. A estreia no mineiro acontece neste domingo, 29/01, contra o Tombense, em Juiz de Fora.

Agricultura e pecuária
O prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira (PMDB) parece que acertou a mão ao nomear o ex-prefeito de Santos Dumont, Bebeto Faria (PP) para a secretaria de agricultura e pecuária. Pecuarista e de fácil trato, Bebeto traz para Juiz de Fora a experiência de ter governado Santos Dumont de de 2013 a 2016. Temas que parecem estar em decadência na Zona Mata e necessitando de maior apoio ao produtor, a secretaria já foi ocupada por advogado e até radialista, profissões alheias ao meio rural.

Toma lá, dá cá
O governador de Minas Fernando Pimentel, enrolado nas teias da operação acrônimo e precisando de apoio de deputados na Assembléia Legislativa, preferiu trocar o ex-reitor da UFJF, Renê Matos, farmacêutico por formação e ligado a deputada federal Margarida Salomão (PT), por Daniel Ortiz (de formação desconhecida), mas ligado ao deputado estadual Noraldino Júnior na direção do Hospital Regional João Penido, em Juiz de Fora. Os analistas afirmam que Pimentel preferiu agradar um político de outro partido, mas que tem poder de voto, a ter que manter um filiado, que não vota

Doutora com honra e mérito
A jornalista e professora Tâmara Lis concluiu o curso de Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Natural de Sabará, na região Metropolitana de Belo Horizonte, a agora Doutora Tamara, formada em Comunicação Social na UFJF, é professora das disciplinas de jornalismo, publicidade e propaganda na Universidade Estácio de Sá.

Santos Dumont
Na terra do pai da aviação e do ex-deputado Luiz Dulci, o engenheiro Peter Chaves, filho do falecido prefeito da cidade por três mandatos, José Antonio Pedro, perdeu a eleição para o empresário Carlos Alberto Azevedo. O candidato do PT, partido que na época das vacas gordas governou a cidade por dois mandatos, o ex-vereador Labenert Mendes Ribeiro, ficou em quarto lugar, atrás da delegada da Polícia Civil, Kênia Oliveira, do PMDB.

Igreja e batalhão
Nos governos anteriores do PMDB em Juiz de Fora, comenta-se, que a CESAMA (companhia de fornecimento de água e saneamento do município) mais parecia o terceiro batalhão da PM na cidade, devido ao número de coronéis que eram lotados em cargos de confiança. O tempo passou, o PMDB voltou ao poder na cidade e agora, comenta-se que a prefeitura mais parece um templo religioso, devido ao grande número de "pastores" que ali se encontram. Em relação aos coronéis, pode-se argumentar que são, ou eram, oficiais de boa formação técnica operacional. Já em relação aos pastores o que seria?
- Medo de perder vaga no céu, ou medo de perder os votos dos "fiéis" nas próximas eleições?

De volta ao trono
Em Matias Barbosa, o vereador Carlos Lopes, que já administrou a cidade em outras ocasiões, foi o vencedor, com 5.008 votos. O candidato do prefeito que saiu, Joaquim Nascimento, que mesmo podendo, não se lançou a reeleição, devido a grande rejeição, ficou em terceiro lugar com apenas 1.740 votos.

Museu Mariano Procópio
O prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira (PMDB), de posse da lista tríplice para a superintendência do museu, agiu rápido e escolheu o arquiteto Antonio Carlos Duarte para o cargo. Além de arquiteto, Antonio Carlos Duarte que já ocupou o cargo de 1997 a 2004, é escritor, autor de três livros sobre arquitetura: "Arquitetura Eclética ", "Arquitetura Art Deco" e Arquitetura Moderna", todos sobre a arquitetura de Juiz de Fora, inclusive sobre o museu. Conclui-se que é um conhecedor da causa.

Fim da "era Bejani"
Parece mesmo que chegou ao fim a "era Bejani" em Juiz de Fora. Prefeito da cidade por dois mandatos, Alberto Bejani, condenado pela justiça e que cumpre pena em regime fechado na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, lançou um casal de filhos a vereança da cidade no último pleito. Ele, Bejani Júnior obteve 767 votos, e ela, Carla Bejani, somou 240, num total de 1.007 votos. O vereador eleito com a menor votação obteve 1.954 votos. Ou seja, votação suficiente para "fazer" apenas meio vereador.

Carta marcada
O Conselho de administração do Museu Mariano Procópio elegeu uma lista tríplice, da qual sairá o nome do novo (a) superintendente do Museu. Os eleitos são Antonio Carlos Duarte, que já ocupou o cargo de 1997 a 2004, Maria Lúcia Ludolf de Mello e Maria Clara Cirne. Com as escolhas, o conselho quebra uma sequência de votação de "cartas marcadas", na qual prevalecia a vontade do prefeito da época, que nomeava o Superintendente, de acordo com suas convicções e interesses políticos, em detrimento aos interesses do conselho.

Um Andrada com votação de vereador
Em Juiz de Fora o deputado estadual Lafayette Andrada, candidato a prefeito, ficou em 05º lugar, com 6.259 votos nas eleições de 2016. A vereadora eleita da chapa que o "apoiava", Sheila Oliveira, obteve 9.921 votos. É a típica campanha "vote em mim para vereador, quanto ao prefeito, vote em quem quiser".


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

"Saudade...palavra única...

LETRA G
Eu tenho saudades...
"Do tempo em que não reinava a hipocrisia. Em que um aperto de mão ou um fio de bigode significavam muito mais que assinaturas em contratos. Tempo em que a malícia e ganancia se resumiam a bolas de gude e jogos de botão. Tempo da minha, da sua, da nossa infância!!!"
Guilherme de Andrade Ferreira 

LETRA J
Eu tenho saudades...
Do dia em que conheci a mulher que há mais de dezoito anos invadiu meu coração e dele não saiu mais, pois o amor que fortalece os laços de minha convivência com ela não admite a intromissão do sentimento doentio da paixão e do destruidor ciúme; tendo em vista que ambos causam descontrole emocional e insegurança. As saudades decorrem do fato de que, tanto eu, como Sônia Maria Coutinho, a mulher  negra maravilhosa que passou a fazer parte de minha vida no dia 11 de novembro de 1996, não queríamos mais compromisso com ninguém, porém, depois de abrirmos os livros de nossas relações anteriores, que não nos proporcionaram felicidade, continuamos nos encontrando durante oito meses. Essas saudades, são, enfim, carinhosas lembranças do dia em que Sônia Maria e eu comprometemo-nos a nos amar sem cobranças inúteis ou patrulhamento de nossas ações. 
João Vicente de Castro Rios - Aposentado/poeta/escritor
Vila Velha - ES

LETRA L
Eu tenho Saudade...
E consciência de que precisamos urgentemente dos trens, da nossa malha ferroviária funcionando. Aqueles que vendem pneus e caminhões para nós conservam muito bem as deles.
Levi Ramiro - Violeiro/artesão
Pirajuí-SP

Literatura

domingo, 15 de janeiro de 2017

Juiz de Fora-MG
Terra de Itamar Franco (Itamar Augusto Cautieiro Franco), Lair Ribeiro (Lair GeraldoTeodoro Ribeiro), Fernando Gabeira (Fernando Paulo Nagle Gabeira),Giovane Gávio (Giovane Farinazzo Gávio) Mácia Fu (Márcia Regina da Cunha), Léo Devanir (Leonardo Devanir de Paula), Scheila Carvalho (Scheila Carvalho Ladeira),  Glauco Fassheber (Glauco Horta Fassheber),  Francisco Barbosa (Francisco Barbosa de Souza Filho), Andrade (Jorge Luís Andrade da Silva). Murilo Mendes (Murilo Monteiro Mendes), Pedro Nava (Pedro da Silva Nava), Rubem Fonseca (José Rubem Fonseca), Rubens Furtado, Leda Nagle e Karla de Lucas. 
Terra adotiva de Fernando Sérgio (Fernando Sérgio Grandinetti Pinto), Márcio Garcia (Márcio Garcia Machado),  Belmiro Braga (Belmiro Ferreira Braga). João Lorêdo (João Luiz Rodrigues Lorêdo), Raul Longras, Affonso Romano de Sant'Anna, Eduardo Almeida Reis, Carlos Machado, 

Literatura

domingo, 8 de janeiro de 2017

Carnaval 2017

Juiz de Fora-MG
O empresário e carnavalesco Eduardo Rodrigues dos Santos, de 28 anos, foi eleito o Rei Momo do carnaval 2017/2018. Representando a Escola de Samba Partido Alto, a manicure Gracyele Germano da Rocha, de 28 anos, foi coroada a Rainha para 2017. A professora de Educação Física Bianca Cardoso de Souza, de 23 anos, candidata da Escola de Samba Turunas do Riachuelo, foi eleita a 01ª princesa. A servidora pública Deysilene Alves Silva, de 25 anos, representando a Mocidade Alegre será a 02ª princesa. Eduardo vai receber o trono de Carlos Guedes e Gracyele, de Isabel Lima.

Os desfiles carnavalescos vão ocorrer nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2017, no Parque de Exposições, no bairro Joquei Club e não contará com quatro agremiações, que embora ativas, não irão desfilar: Unidos do Ladeira, Juventude Imperial, Acadêmicos do Manoel Honório e Mocidade Independente do Progresso.

Ordem dos desfiles
Sábado - 18/02
Grupo B - Vale do Paraibuna e Unidos do Retiro;
Grupo A - Mocidade Alegre e Feliz Lembrança.

Domingo - 19/02
Grupo B - União das Cores, Partido Alto e Rivais da Primavera;
Grupo A - Turunas do Riachuelo e Real Grandeza.

Blocos
O Bloco do bairro Floresta vai desfila na rua Coronel Assis, pelo 10º ano seguido, sempre com sambas homenageando personalidades do bairro.




Literatura

"O menino rei"

Livro infantil apresenta a história do jogador Reinaldo, ídolo do Clube Atlético Mineiro, o seu sonho de se tornar um jogador de futebol, suas façanhas em campo e os fatos que contribuíram para o encerramento precoce da sua brilhante carreira.

Reinaldo Lima jogava bola nas ruas de Ponte Nova, no interior de Minas Gerais. Mas seu talento chamou a atenção dos adultos. Ele chega a Belo Horizonte e assina contrato com o Atlético. Ele encanta o país com seu belo futebol e torna-se “o menino Rei”. O livro uma adaptação da obra “Punho cerrado, a história do Rei”, escrita por Philipe Van R. Lima e lançada em setembro.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Radialista

Comissão da Câmara dos Deputados aprova uso de carteira de radialista como prova de identidade
Carteira terá validade em todo o território nacional
A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou proposta que admite a carteira de radialista como prova de identidade em todo o território nacional. Conforme o texto aprovado, a carteira profissional deve ser emitida pelo sindicato da categoria e, onde não houver sindicato, a carteira poderá ser emitida por federação devidamente credenciada e registrada junto ao Ministério do Trabalho.

Para ter validade, o documento deverá seguir modelo padrão e conter dados pessoais, fotografia, número de série, entre outros elementos. O radialista não sindicalizado poderá ter carteira de radialista, desde que seja habilitado e registrado perante o órgão regional do Ministério do Trabalho.

A medida foi aprovada conforme parecer apresentado pelo deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) ao Projeto de Lei 458/15, do deputado Andre Moura (PSC-SE), e outros apensados. A proposta altera a Lei nº 6.615, de 16 de dezembro de 1978, que regulamentar a profissão de radialista.

“A legislação pátria já regulamentou a competência da Federação Nacional dos Jornalistas para emitir carteira de identidade profissional. Não vemos por que razão tal medida não possa ser estendida aos radialistas”, afirma Daniel Almeida.

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta: PL-458/2015

Literatura

“Punho cerrado, a história do Rei”

Reinaldo inspirou uma geração inteira de torcedores. Com seus dribles curtos e gols improváveis, foi estrela de primeira grandeza do futebol mundial - como Maradona, Zico, Romário, Ronaldinho. "Se não fossem seus problemas físicos", disse Pelé, "seria capaz de me superar". Fora de campo, o Rei lia os livros emprestados por um vizinho cujo filho, Frei Betto, fora preso pela Ditadura. Assim tomou consciência do que se passava durante os anos de chumbo. Amigo dos artistas e ativistas políticos, mal quisto pelos militares, celebrava seus gols com o punho cerrado da resistência. Mesmo nas barbas dos generais. A história de Reinaldo, aqui relatada como nunca antes, é feita de glórias, dramas e injustiças. Desfilam por ela craques inesquecíveis, cartolas lendários, múltiplos campeões. Mas também os beques sanguinários e os juízes ladrões. Apesar de filho do Rei, Philipe Van R. Lima não nos poupa de nenhum mínimo detalhe.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

JOSÉ LOPES FILHO

100 anos de idade e muita disposição

por Mtnos Calil*


José Lopes Filho chega ao 100 anos escrevendo com perfeita lucidez seus manifestos em favor da REFORMA POLITICA.
Nunca imaginei que um dia teria um amigo em plena atividade contra  a corrupção com 100 anos de idade.
O privilégio de desfrutar da amizade deste herói devo a José Barboza da Hora, um dos fundadores do Mãos Limpas que também pode chegar nos 100 anos.  A seguir apresentamos uma biografia resumida de José Lopes Filho, um batalhador incansável contra a corrupção. 
 RESUMO DA BIOGRAFIA DE JOSÉ LOPES FILHO QUE COMPLETOU 100 ANOS NO DIA 01º. DE JANEIRO DE 2017
01. Nasceu na cidade de PRADOS, Minas Gerais no 01 de Janeiro de 1917.
02. Teve 04 irmãos, já falecidos.
03. Graças ao esforço dos pais, que tinham uma receita modesta, conseguiu terminar, com seus 04 irmãos, o ginásio no Colégio Santo Antonio, escola particular dirigida por holandeses religiosos.
04. Em 1941, aos 24 anos, casou-se com Maria da Conceição Lopes, falecida há 13 anos. 
05.  Tem 07 filhos, 15 netos e 06 bisnetos.     
06.  Foi aprovado em 04 concursos públicos.
07.  Aos 22 anos foi nomeado escriturário do Ministério da Fazenda tendo sido designado para exercer sua função na cidade de Aracaju, capital do estado de Sergipe, onde permaneceu durante cerca de 03 anos, longe de seus familiares.
08. Aos 24 anos foi transferido para Belo Horizonte onde foi  nomeado “Coletor Federal”, tendo exercido essa função em várias cidades de Minas Gerais, como Nova Rezende, Dores de Campos e Bicas.
09.  Trabalhando na cidade de Dores de Campos, foi eleito vereador pelo PTB. Mas como fez oposição ao Prefeito do PSD, não pode exercer seu mandato, sendo transferido para a Coletorial localizada na cidade de Bicas. Foi vítima de uma vingança do Prefeito e por pouco não foi removido para a cidade de Manaus.
10. Depois de alguns anos de trabalho em Bicas, foi nomeado Auditor da Receita Federal, servindo no estado do Espirito Santo, nas cidades de Vitória e Cachoeiro de Itapemirim. Em seguida foi transferido para a Delegacia do Tesouro Nacional de Juiz de Fora.
11. Completados os 35 anos de serviço, se aposentou aos 55 anos. Tendo sido formado em Ciências Contábeis, ingressou na Universidade Federal de Juiz de Fora para fazer o curso de Ciências Econômicas.
12. Reside na cidade de Juiz de Fora há 50 anos, onde, na condição de aposentado passou a se dedicar a diversas tarefas humanitárias, sociais, culturais e políticas, continuando na ativa até hoje. Dentre as diversas atividades e funções que exerceu, destacamos algumas a seguir.
13. Atuou durante 30 anos como confrade e tesoureiro da Conferência São Luiz Gonzaga da Sociedade São Vicente de Paula (SSVP)
14. Durante alguns anos, foi Presidente do Lar Infantil Santa Luiza de Marilac, que amparava centenas de crianças carentes do bairro.
15. Em1991, fundou com alguns amigos,  o MPMPL -Movimento Popular Pró-Moralização do Poder Legislativo, CNPJ - 02.571202/000/1-19.
Com a participação de 60 associados, este movimento tinha como objetivo primordial LUTAR POR UMA REFORMA POLÍTICA VIA CONSTITUINTE EXCLUSIVA, sem a interferência de parlamentares, visando moralizar e reestruturar o poder legislativo no tempo em que ainda não se falava nem Mensalão nem em Petrolão. Teve inicio  então, uma batalha feroz através do envio e recepção de centenas de informativos, por e-mails, facebook, internet e twitter, e da fiscalização do legislativo local, cujos vereadores receberam pesadas críticas pelos erros cometidos.
16. José Lopes Filho foi surpreendido em abril de 2009 quando foi homenageado pela Câmara Municipal com a medalha do Mérito Legislativo, em comemoração aos 156 anos de fundação da cidade.
17. O MPMPL continua na ativa através das seguintes atividades coordenadas por José Lopes, que continua na ativa, aos 100 anos:
-  Site  www.mpmpl.org 
-  Informativos divulgados continuamente nas redes sociais
-  Campanha permanente pela Reforma Política através de uma Constituinte exclusiva, sem a participação de partidos e parlamentares.
*Mtnos Calil é coordenador do Instituto “Mãos Limpas Brasil”  www.maosllimpasbrasil.com.br