domingo, 19 de maio de 2019

Literatura

 “O rádio e suas histórias na primeira pessoa” 
O livro, escrito por Luiz Casadei Manechini (nascido em Marília, no interior paulista), registra momentos importantes da trajetória do rádio desde os anos 40, a sua época de ouro, até os dias de hoje, por meio dos depoimentos de personalidades do microfone.  Narram suas histórias: Joseval Peixoto, Milton Parron, Salomão Ésper, Saulo Gomes, Vida Alves (1928/2017) e Wilson Matos. A riqueza da publicação está justamente nos relatos de cada um deles, pois somam as situações mais diversas que um profissional de rádio pode experimentar: programas de estúdio, de auditório, reportagens de grandes acontecimentos, locução esportiva, enfim, uma soma de experiências que poderá ser lida e ouvida pelos apaixonados por rádio.

Gente de Expressão

Literatura

 "Uma Mulher Vestida De Silêncio: A Biografia De Maria Thereza Goulart"
A vida da mais célebre primeira-dama do Brasil com relatos inéditos de acontecimentos da vida íntima dos Goulart que se misturam à vida política do país. Uma mulher vestida de silêncio revela a trajetória extraordinária de Maria Thereza Goulart. Filha de imigrantes italianos, nascida em uma pequena cidade fronteiriça do Rio Grande do Sul, tornou-se a mais jovem primeira-dama do Brasil, capa das maiores revistas nacionais e internacionais. Mas quem, de fato, era aquela moça tão linda, tão fora de padrão, que encantou o país comandado pelo marido? A biografia dessa personalidade forte e ao mesmo tempo frágil, alvo de enorme interesse e admiração, inveja, competição e preconceitos, conta também a história de um dos mais importantes períodos da multifacetada vida política e social do Brasil.  

Gente de Expressão

sábado, 18 de maio de 2019

Literatura

"Elias Andreato - A Máscara do Improvável"
O livro, escrito pelo jornalista Dirceu Alves Jr., resgata a trajetória do ator  Elias Vicente Andreato (nascido em Rolândia-PR, em 08 de março de 1955), e filho de um casal de lavradores. Em 192 páginas, na publicação da editora Humana Letra, o autor conta que Andreato  entrou pela primeira vez em um teatro para ver o espetáculo “Rosa dos Ventos” de Maria Bethânia, despertando sua paixão pela arte. E 25 anos depois, ela o aplaudiu pela primeira vez durante uma apresentação do solo “Oscar Wilde”, dando origem a uma amizade que culminou no convite para elaborar um roteiro e dirigir o espetáculo “Bethânia e as Palavras” (2010). Após enfrentar a pobreza na infância, fez sua estreia profissional em 1977, na peça Pequenos Burgueses e trabalhou com diretores consagrados, tendo o humor como principal característica de seus personagens. Se consagrou em monólogos e ainda traz no currículo o privilégio de ter dirigido o autor Paulo Autran (1922/2007) em três espetáculos. Estreou como ator no filme Shock: Diversão Diabólica, de 1984, e na televisão na novela Helena, de 1987. 

Gente de Expressão


sexta-feira, 17 de maio de 2019

Literatura

"O Mundo religioso"
De autoria do frei Volney José Berkenbrock, a obra é uma riqueza imensa na humanidade. Riqueza cultural, riqueza de ideias, riqueza de artes, riqueza de mitos, riqueza de imaginários, riqueza de comunidades, riqueza de tradições. Esta é uma forma de olhar as religiões: como o maior conjunto existente de ideias a respeito de compreensões sobre o ser humano, sobre a existência, sobre a vida individual e comunitária, sobre a origem e o destino, sobre a vida feliz e a infelicidade, sobre ideais e virtudes, sobre limites e misérias humanas; enfim, em nenhum outro campo do conhecimento humano há tantas compreensões quanto as acumuladas pelas tradições religiosas. O propósito desta obra é proporcionar aos leitores e leitoras conhecimentos amplos sobre o rico universo das religiões. Sem preconceitos, sem a pretensão de defender esta ou aquela tradição, sem qualquer pretensão de destacar alguma religião em detrimento da outra, com a consciência de que nenhum tema será tratado exaustivamente.

Gente de Expressão



Literatura

"Dossiê As Galvão - As Soberanas - 70 Anos de Estrada"
Os anos 30, no Brasil, foram de grandes mudanças: a Revolução de 1930, com Getúlio Vargas, a Revolução Constitucionalista de 1932, a promulgação da nova Constituição Brasileira, em 1934. A política do café com leite - aliança de São Paulo com Minas Gerais no poder - chegava ao fim, abrindo caminho para tempos duros no Estado Novo, em 1937, ainda com Getúlio Vargas. Nesse cenário, em Ourinhos, interior de São Paulo, um jovem casal, Bertholdo Torres Galvão e Maria Gomes, ele, alfaiate e ela, costureira, ambos com sangue de artistas, se unia em 1938. Trabalhavam cantando os sucessos dos maiores cantores do Brasil. O casal teve um primeiro grande momento de encanto em 04 de maio de 1940, quando nasceu uma menina de cabelo loiro e olhos azuis: Mary Zuil Galvão. Risonho e feliz, o bebê trazia o sobrenome da família, Galvão, e o nome de duas rainhas, Mary (da Escócia) e Zuil (da Holanda), o que se mostrou profético: tempos depois, Mary viria a tornar-se, ao lado da irmã Marilene (nascida em Palmital, em 27 de abril de 1942) uma das rainhas da música caipira, numa carreira de sucesso que dura até hoje.  

domingo, 12 de maio de 2019

Gente de Expressão

Oliveira Jr (Edmilson Raymundo de Oliveira) nasceu em Santos Dumont, em 05 de abril de 1960. Filho de Evangelista Raymundo de Oliveira (IN MEMORIAM) e Joana Luzia de Oliveira. Pai de cinco filhos: Paloma, Elber, Bruna, Breno e Natália. Radialista e ex-atleta, no rádio, atuou nas rádios CulturaAM e Top FM, e atualmente, trabalha na rádio São Miguel FM. No futebol, foi meio-campista, tendo atuado no Independente, Mineiro e Social (de Santos Dumont), no Prainha (de Rio Novo) e no Tupynambás (de Juiz de Fora), cujo técnico era o sargento Laguardia (Carlos Laguardia dos Santos), seu instrutor no 17º Batalhão Logístico, de Juiz de Fora. Torcedor do Flamengo, Oliveira é simpatizante das escolas de samba Córrego do Ouro e Império Colorido.

Literatura

Gente de Expressão

Sérgio Noronha (Sérgio Barros de Noronha) nasceu no Rio de Janeiro em 28 de dezembro de 1932 .Filho de um gráfico Eduardo Ferreira de Noronha e de uma costureira Marciana Barros de Noronha. Jornalista (repórter e comentarista) e formado em Letras, trabalhou  revista O Cruzeiro, Correio da Manhã, Última Hora, Jornal do Brasil, TV Globo, TV Bandeirantes, TV Educativa, SportTV, no canal Premiere e nas rádios Globo e Tupi. Cobriu as copas de 1974, na Alemanha, 1978, na Argentina, 1982, na Espanha, 1986, no México, 1990, na Itália, 1994, nos Estados Unidos, 1998, na França, 2002, no Japão e na Coréia e 2006, na Alemanha. Ao longo da vida, sempre morou em Ipanema, na Zona Sul do Rio, e hoje, aos 86 anos, vive no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, que é presidido pelo ator Stepan Nercessian.

sábado, 11 de maio de 2019

Literatura

"Curvelo - Maria Amália, o voo do algodão"
De autoria do professor Osvaldo Pereira de Souza, a obra se dedica a contar como era o cotidiano dentro da companhia têxtil Othon Linch Bezerra de Melo, Fábrica Maria Amália, e sua importância para a história do bairro e de seus moradores.  A obra parte de um olhar autobiográfico e narra diversos episódios vividos por Osvaldo em Curvelo, com o objetivo de contribuir para o resgate da memória do bairro e manter viva a história da cidade.  Osvaldo Pereira de Souza se mudou para Curvelo, com sua família, ainda criança, aos 05 anos de idade, e lá passou sua infância e juventude. O autor, assim como seus irmãos, foi operário na Fábrica Maria Amália. Atualmente, ele é professor de história na rede municipal de Belo Horizonte.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Gente de Expressão

Sandro Leite (Sandro da Silva Leite) nasceu em Santos Dumont, a "Terrado Pai da Aviação', em 01º de março de 1967. Filho de Hélio da Silva Leite e Sônia Maria Correia Leite. Radialista, Sandro Leite inciou carreira na rádio Cultura AM, trabalhando inicialmente na função de operador de áudio, passando a apresentador de programas e locutor esportivo. Posteriormente, trabalhou na rádio Serra Azul FM. Ao longo da carreira, trabalhou com Edson Palma, Gilberto Freire (1944/1994), Jorge de Castro  (1944/2014), Jurandir Borges (in memoriam) e Eimar dos Santos Vilela (in memoriam). Torcedor do Flamengo, Sandro Leite no mundo do samba, foi intérprete nas Escolas Acadêmico do 04º Depósito e Luar, ambas, de Santos Dumont.  Atualmente, Sandro Leite é cantor nas noites Sandumonenses.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Literatura

 “Dentro da área não vale – o futebol de salão em Juiz de Fora nos anos 60 e 70”
 
Obra organizada pelos médicos Carlos Salomão Musse e Márcio Luiz Itaboray, traz depoimentos de pessoas sobre atletas e times que viveram a era de ouro no futebol de salão na cidade. O livro contém depoimentos de 18 entrevistados, traz também imagens e curiosidades da modalidade esportiva. 

Além de explicar as diferenças entre o futebol de salão e o futsal (oriundo do esporte), o livro traz fotos, documentos e relatos de personagens que ajudaram a construir a identidade do futebol juiz-forano nos anos 60 e 70. Dentre os assuntos, o IARA, fundado por Amin Nagle, pai da jornalista Juiz-Forana, Leda Nagle. 

Gente de Expressão

Angeline Coimbra (Angeline Coimbra Tostes de Martino Alves) nasceu em Miracema, no Noroeste Fluminense, em 07 de junho de 1972. Filha de Miguel Ângelo de Martino Alves(nascido em 1937) e Maria Inez Coimbra Tostes de Martino Alves (1941/2003). Irmã de  e Miguel Ângelo de Martino Alves Filho (nascido em 1967), Ana Paula Coimbra Tostes de Martino Alves, nascida em 19690 e Victor Coimbra Tostes de Martino Alves (nascido em 1979). 

Estudos
Fez o pré-escolar no Jardim da Infância Clarinda Damasceno e os ensinos fundamental e médio, no Colégio Estadual Deodato Linhares. 

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal Fluminense (UFF), de Niterói. Economista, militou na iniciativa privada com ênfase para a Companhia Suzano de Papel e Celulose e Ripasa S/A Celulose e Papel.

Atualmente, residindo em Niterói, na região Metropolitana do Rio, é editora do blog "O Vagalume" (www.blogovagalume.blogspot.com)

Literatura

“Jerônimo Monteiro: sua vida e sua obra”

A edição é uma versão ampliada da original, publicada em 1979, pela historiadora Maria Stella de Novaes e que conta a trajetória do político capixaba, nascido em Cachoeiro de Itapemirim, Jerônimo de Sousa Monteiro (1870/1933), que além de deputado estadual, deputado federal e senador, foi governador do estado de 1908 a 1912.. A publicação traz um capítulo extra sobre a autora e a sua atuação na cultura capixaba, além da reprodução de diversas fotografias da época pertencentes ao acervo da instituição. O livro será distribuído gratuitamente no evento.

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Gente de Expressão

Fábio Pirajá (Fábio Lisboa Pirajá) nasceu em Vitória do Espírito Santo, em 29 de agosto de 1965. Filho de Jayme Ferreira Piorajá (1935/2017) e Aneida Maria Lisboa Pirajá, casado com Karla e pai do Eduardo, da Giulia e do Bruno.Fábio Prajá é radialista, formado em Ciência da Computação pela FAESA. Teve seu primeiro contato com o rádio através do seu primo o locutor e jornalista Venceslau Gomes, o Lalau, na Rádio Espírito Santo por volta de 1977. Começou sua carreira como "discotecário" (antigo termo para DJ) montando sua própria equipe de som, "Thunderclaps" em 1978, com 14 anos e seu primeiro home-estúdio “Alfa Produções” no mesmo ano. Em 1982 foi contratado como DJ do rink de patinação Zeppelin e da Boate Luazul, ambos em Guarapari e Boate Black Horse em Vitória em 1983 - em março do mesmo ano foi contratado, como locutor pela Rádio Tropical FM no horário de 11 às 15h. Nas décadas de 1980 e 1990, passou pelas rádios Cariacica FM, Galáxia FM (Cel Fabriciano), Cidade FM, Capital FM, CBN e finalmente, Gazeta AM onde permaneceu por 10 anos, até o começo de 2000. Em 2012 passou pela Rádio Cidade 97,7 na UVV, apresentando os programas Cidade Classic Rock e Tape-Deck. Em 2014 foi contratado pela Rádio América 101,5 onde apresentou o programa América online. Hoje mantém a rádio web Tape-Deck na internet. Com mais de 30 anos de experiência hoje atua como locutor e comunicador de rádio, DJ, locutor e ator publicitário, sonoplasta e engenheiro de som. Com estúdios próprios, faz locuções de publicidade para rádio e TV, dublagem, narração de filmes documentários e atua como mestre-de-cerimônias em eventos variados. Faz trabalhos como fotógrafo e cinegrafista e restaurador de fotografias antigas. Tem projetos na área de história do Espírito Santo e faz trabalhos de resgate da história iconográfica do estado capixaba, através do site Memória Capixaba nas plataformas sociais da internet, além do resgate da história do rádio no Brasil no site História do Rádio e é editor do portal ww.fabiopiraja.com

Literatura

"Lendas do Folclore Capixaba"

A lenda surge a partir de um fato, histórico ou social, ou de uma personagem real. A imaginação popular e a memória coletiva darão um novo colorido ao evento. A lenda, portanto, tem origem na história e corre paralela a esta. O presente livro, de autoria de Marco Haurélio e ilustrações de Eduardo Azevedo, reconta em setilhas de cordel cinco das mais belas lendas do folclore capixaba. Essas narrativas tratam de amores impossíveis, milagres e explicam como surgiram algumas das mais belas paisagens do Espírito Santo.

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Gente de Expressão

Lisandro Serrão (Lisandro Aguiar Serrão) nasceu em Santo Antonio de Pádua, no Noroeste Fluminense, em 18 de dezembro de 1938. Filho de Walter Ney Serrão e Ozires Aguiar Serrão, ambos já falecidos. Foi casado com Maria da Penha Leal e é pai do locutor e diretor da Blof Promoções, Walter Leal Serrão (nascido em 03 de agosto de 1971) e da pedagoga Lisandra Leal Serrão Ferraz (nascida em 17 de julho de 1974). É primo da professora e escritora Rita Amélia Serrão Piccinini ( (1922/2014), autora dos livros  "A CASA DA ÁGUIA - Crônicas Paduanas"  e   "O CORONEL - O Poder Falível de um Semideus"    

Carreira  
Radialista (locutor), Lisandro Serrão levou sua vasta experiência no serviço de som, que animava festas e eventos, para o rádio. Junto com os empresários Frederico de Alvim Padilha (1926/1998) e Renato de Alvim Padilha(1930/1993) fundou a rádio Feliz AM, primeira emissora de Pádua, em 31 de março de 1982. Lisandro Serrão foi o primeiro locutor da rádio. Na rádio Feliz, apresentava, bem ao estilo Repórter Esso, o noticioso Repórter RF, às 10 horas da manhã. Inicialmente, às 10 horas, porque dependia dos jornais que chegavam do Rio por volta de 9:30. Quando o caminhão atrasava, por consequência, o noticioso também atrasava. Com o avanço tecnológico, o Repórter RF veio para o horário das 07 horas, logo após o programa "Noroeste Sertanejo" e o Serrão passou a gravar as entrevistas do Jornal Nacional da noite anterior e exibi-las no dia seguinte. Após as mortes dos irmãos Padilha, saiu da rádio Feliz, trabalhou nas rádios Radical FM e Cultura FM.    

Serviço de som  
Torcedor do Fluminense e do Paduano, na decisão do campeonato Carioca de 1980, Fluminense venceu o Vasco por 1 x 0, gol de Edinho, de falta, no gol à direita, no Maracanã. Lisandro Serrão, gravou o gol, na voz de Jorge Curi, e percorreu as ruas de Pádua,com seu carro de som, repetindo o gol tricolor. Antes da chegada do rádio, ele era contratado para animar festas na zona rural, e certa vez, em Itapiruçu (distrito de Palma-MG), jogavam Itapiruçu e Paraoquena, e ele, com sua Kombi na beirado campo, narrava o jogo. Toda vez que acontecia um gol ele soltava o grito de gol na voz do Cezar Rizzo (1935/2017), "i quiii goooollll". Foi através de sua locução no carro de som que eu aprendi que o nome da rua da Chácara é rua "Dr Nilo Peçanha".     
Hoje, aos 80 anos, Serrão vive sob os cuidados do Asilo Nossa Senhora do Carmo.

Literatura

 'História da Minha Rua - E outras histórias"
O livro, de autoria do escritor José de Castro Azevedo (in memoriam), foi editado por seu filho, Luiz Renato Cardoso Azevedo, é composto por 72 artigos, tem o prefácio e o primeiro artigo inédito, a história da rua Dr. José de Castro Azevedo, assinados pela Família Azevedo. Os outros setenta e um artigos são de autoria de José de Castro Azevedo e foram, inicialmente, publicados na década de 1960, no semanário "Voz de São João", numa coluna intitulada “História de Minha Rua”, resultado de extensas pesquisas realizadas pelo autor. O livro resgata a vida e as obras daqueles cidadãos beneméritos que se imortalizaram com o nome de uma via cidade Garbosa, de saudosas recordações para uns e de grandes descobertas para outros.

Gente de Expressão

Bone Jr (Boanerges Silva Filho) nasceu em Santos, no Litoral Paulista, em 27 de fevereiro de 1937. Filho de  Boanerges Silva (1905/1978) e Adelaide da Silva (1912/1983), e casado com Andreia.

Carreira
Bone Jr é radialista, tendo atuado nas rádios Clube AM, de Itapira, (1971, como convidado do programa de Esportes Radar Esportivo), Clube* (1991/1992), Cacique/Jovem Pan AM (1992/1994), Atlântica AM (1994/1997), todas de Santos, Guarujá Paulista AM (1998/2000), de Guarujá e Cultura AM (2000/2008), de Santos.
*A rádio Clube AM de Santos foi a quarta emissora a entrar no ar no Brasil).

Funções
Apresentou noticiários jornalístico, em diversos horários, produziu e apresentou programas musicais, com as canções e curiosidades da MPB e internacionais, que foram sucesso, além de especiais, sobre compositores, cantores, maestros, etc,  desde os anos 40.  Entrevistou vários astros da nossa MPB, quando se  apresentavam em Shows na Baixada Santista, e queriam divulgar seus lançamentos musicais.

Premiação
Fui agraciado com medalha da Câmara de Vereadores de Santos, no dia do Rádio, pelos serviços prestados a radiofonia santista. Alem dos votos de Congratulações pelos programas musicais de alta qualidade  divulgando a cultura musical brasileira em todos os setores. 

Nomes relevantes
Trabalhou na rádio Clube de Santos com o.Edson Arantes do Nascimento PELÉ), quando  foi seu proprietário, com Cledi Oliveira, narrador esportivo e Vítor Moran, comentarista esportivo.

domingo, 5 de maio de 2019

Literatura

"O Empresário Negro: Trajetórias de Sucesso em Busca da Afirmação Social"

Por que, 100 anos após a abolição da escravidão no Brasil, o país continuou a apresentar baixíssima participação de negros entre sua população de empresários? Em fins dos anos 1980, essa pergunta inquietante levou o sociólogo juizforano Jorge Aparecido Monteiro a não apenas pesquisar as trajetórias desafiantes do empreendedores afrobrasileiros, mas também, a lançar as primeiras organizações de apoio ao afroempreendedorismo no país. Neste livro, encontram-se tanto o resultado das primeiras pesquisas sociológicas no tema, como também o histórico das primeiras instituições de apoio ao empresariado negro. O empreendedorismo negro é um tema presente, fundamental para o futuro do Brasil, e dotado de uma valiosa história.

Gente de Expressão

Ricardo Alexandre (Ricardo Alexandre Simão) nasceu no Rio de Janeiro em 115 de janeiro de 1950. Filho de Elias Simão (1923/1972) e Nelza Alexandre Simão (1927/2007), casado com Sonia Mara e pai do Leonardo Alexandre Nicolau Simão e da Larissa Cristina Nicolau Simão. Ricardo Alexandre é jornalista e trabalhou nas rádios Globo, Tupi e Manchete, TV Rio e TV Educativa. Na carreira, trabalhou com Haroldo de Andrade (1934/2008), Cidinha Campos, Roberto Figueiredo, Francisco Barbosa, Clóvis Monteiro, Francisco Cuoco, Coelho Lima e Jimy Raw. Torcedor do Vasco da Gama, paralelo ao rádio, Ricardo Alexandre é publicitário.

Literatura

"O empresário negro - Histórias de vida e trajetórias de sucesso"

De autoria do juizforano Jorge Aparecido Monteiro, este livro é o resultado de trabalho de pesquisa no qual um grupo formado por nove empresários negros residentes em alguns municípios do estado do Rio de Janeiro foram convidados a contar, para o autor, suas histórias como empreendedores. O autor expõe dados e informações que comparam a posição de empresários brancos e negros, e revela a discriminação racial existente no Brasil.  

Gente de Expressão

João Caparrós (João José Caparrós), nasceu em São Paulo, em 20 de julho de 1965, filho de José Caparrós Garcia (1932/2003) e Ana Simon Caparrós (1932/2010 ), casado com a Tânia e pai do Diego Lopes Caparrós e do Oliver Lopes Caparrós. João Caparrós é jornalista e publicitário, nas rádioa Atlântica, de Santos e Clip, de Indaiatuba, e atualmente, trabalha na rádio ABC, de Santo André, emissoras do Grupo ABC de Comunicação. é free lance em portais e jornais.

Carreira
Antes de chegar ao jornalismo esportivo, foi oficce-boy e auxiliar de escritório na "Ibéria - Líneas Aéreas de España" , pelo fato de ter dupla nacionalidade Brasileira/Espanhola, passou pelas empresas , Zambon e  Protin, até chegar ao  GTT Grupo Técnico de Turismo empresa de seu pai, José Caparrós,  nas funções de  monitor e guia turístico e auxiliando também na parte de documentações  , passaportes e passagens aéreas.

Produções, Eventos e Publicidades
Trabalhou com o Adalberto Simon Prado, Milton Urcioli, presidente do Clube Atlético Juventus, o Moleque Travesso da Mooca, com destaques para as empresas JM Produções Artísticas e Maré Publicidades e Produções Artríticas,

Relevância
Rafael Spinelli, Felipe Camargo, Darci Cruz, Luciano Luiz, Anderson Marques, Airton Marques, Jurandir Martins, Walter Fernandes, Paula Ferreira Cota, Miguel Fagundes, Michel Vergamini, Felipe Camargo, Bárbara Tellini, Lombardi Jr, Roberto Camilo, Ricardo Melo, Jorge Valeriano, Alex Ricardo, Paulo Andrade, Flavio Rebolças, Alexandre Barros, Alcides Correia, Ivanor Batista, Edson Rufino, Alcides Cavalcante, Wellington Cintra, Jota Sampaio, Fernando Pereira Armando Gomes, dentre muitos outros, são nomes relevantes com os quais trabalhou ou ainda trabalha. Na gestão de radiodifusão, destaca ainda os trabalhos de Janete Ogawa, Ivo Rocha e Rodrigo Celso Gonçalves Rocha.

João Caparrós e membro da  ACEESP (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), ACEB (Associação dos Cronistas Esportivos do Brasil) e AIPS (Associação Internacional de Imprensa).

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Literatura

"Jornalismo e Publicidade no Rádio: Como fazer"
Apesar de serem áreas irmãs e correlatas, a publicidade e o jornalismo compartilham de uma rixa histórica que ninguém sabe ao certo como surgiu. Enquanto um busca a tão sonhada imparcialidade jornalística, livre da interferência do departamento comercial, o outro reafirma seu espaço, mostrando que sem o respaldo dos anúncios é difícil que um veículo de comunicação consiga se sustentar. No rádio, o cenário não é diferente. A obra veio  quebrar esse paradigma e mostrar que essas duas áreas podem (e devem) conviver em harmonia. Quais as oportunidades que o rádio oferece a jornalistas e publicitários? Como atuar nesse meio de comunicação? O que é preciso conhecer? São essas as perguntas que a jornalista Roseann Kennedy e o publicitário Amadeu Nogueira de Paula respondem ao longo desta obra. Imperdível para quem quer (ou precisa) conhecer os bastidores do rádio.

Gente de Expressão

Adilson Dutra (Adilson Picanço Dutra) nasceu em Miracema, no Noroeste Fluminense, em 03 de janeiro de 1950. Filho de Eusébio Dutra (1920/2002) e de Maria Picanço Dutra (1925/1992),casado com Marina e pai de três filhos: Ralph, Gisele e Leandro. 

Carreira
Adilson Dutra é radialista/jornalista (repórter esportivo e colunista) e trabalhou nas rádios Princesinha AM (Miracema), Feliz AM (Pádua), Campos Difusora, Cidade, Continental e Cultura, nos jornais Folha da Manhã e O Diário e TV Norte Fluminense, afiliada da Rede Globo, todos em Campos dos Goytacazes/RJ e colunista no jornal Dois Estados, de Miracema. Correspondente do Jornal dos Sports, o tradicional Cor de Rosa do Rio de Janeiro, e da Rádio Nacional do Rio, durante os anos 80/90. Nomes relevantes com os quais trabalhou: Aloísio Parente, Sérgio da Mata Tinoco, Pessanha Filho, Walace Oliveira e outros mitos do radialismo do estado do Rio de Janeiro.  

Premios
Detentor do prêmio Bola de Ouro do jornalismo esportivo, maior premiação existente na crônica esportivo brasileira, conquistado em 1987 como Repórter Show, na primeira edição nacional/internacional, sendo o primeiro repórter do interior a ser agraciado com este prêmio de JJ Promoções.
Em 2005 ganhou um concurso de crônica, promovido pela SKY/ESPN Internacional, sobre a Liga das Estrelas, campeonato Espanhol, premio recebido em Madrid, em viagem patrocinada pelas empresas citadas.   

Na década de 1980, foi um dos fundadores da rádio Princesinha do Norte e atualmente, residindo em Campos dos Goytacazes e mantendo o vínculo permanente com Miracema, Adilson Dutra é blogueiro e editor do Papo de Bola www.adilsondutra.blogspot.com

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Literatura

"Mestres da Reportagem" 
A obra, organizada pela jornalista e professora universitária Patrícia Paixão, com a autoria dos alunos dos 04º e 06º semestres de Jornalismo da FAPSP (Faculdade do Povo), traz 30 entrevistas pingue-pongue com renomados repórteres brasileiros: 
Adriana Carranca, Agostinho Teixeira, Bruno Garcez, Carlos Wagner, César Tralli, Cid Martins, Eliane Brum, Elvira Lobato, Ernesto Paglia, Gérson de Souza, Giovani Grisotti, José Arbex Jr, José Hamilton Ribeiro, Leandro Fortes, Luiz Carlos Azenha, Mauri König, Paula Scarpin, Percival de Souza, Sílvia Bessa, Sônia Bridi, Tatiana Merlino, Valmir Salaro, Geneton Moraes Neto (1956/2016), Goulart de Andrade (1933/2016) e  Marcelo Rezende (1951/2017). É um livro dedicado a debater e valorizar o ofício de repórter, que é apontado pela maioria dos profissionais de Jornalismo como a função mais nobre da área. 

domingo, 21 de abril de 2019

Gente de Expressão

Ronaldo Castro (Ronaldo Luiz Dias de Castro) nasceu em 05 de dezembro de 1947, no bairro da Vila Isabel, no Rio de Janeiro. Iniciou a carreira em 1965, na rádio Continental, onde ficou até 1971. Foi, então, para a rádio Tupi. Em 1990, tornou-se supervisor de futebol profissional do Flamengo, sendo campeão da Copa do Brasil. Em 1991, regressou para a rádio Tupi. Dois anos depois, passou para a Rádio Nacional, onde ficou até 1995, quando foi contratado pela rádio Tamoio. De 1999 a 2001,trabalhou na rádio Jornal do Brasil. Ainda em 2001, foi para a rádio Globo até que, em 2007, passou para a Rádio Manchete e, em 2008, para a rádio Bandeirantes. Em 2011, ficou pouco tempo na rádio Tamoio.  Trabalhou também na rádio Bradesco FM. Toda a sua carreira esteve ligada ao mundo dos esportes. Já cobriu as Copas do Mundo de Futebol de 1978 (Argentina), 1982, (Espanha), 1986 (México) e 1994 (EUA). Acompanhou todas as edições da Taça Libertadores da América e da Copa América no período 1976-1995. Ronaldo Castro está de volta ao rádio, na Band News FM, 90,5, juntamente com Edilson Silva, Evaldo José, Cláudio Perrout, Antonio Carlos Duarte e Renê Simões e Thê Leal. 

Literatura

" Profissão Repórter 10 Anos – Grandes Aventuras, Grandes Coberturas"
Comandado pelo jornalista gaúcho, Caco Barcelos, o programa Profissão Repórter chega a uma década de existência com o chamado  sucesso de público e de crítica . Ao longo de cerca de 250 programas, a produção semanal exibida na TV Globo conquistou inúmeros prêmios, foi objeto de estudo em universidades e virou referência para quem quer ser repórter. O livro Profissão Repórter 10 anos – grandes aventuras, grandes coberturas comemora este aniversário trazendo o relato dos jornalistas que fizeram vinte das melhores reportagens exibidas pela TV Globo. Mais do que apenas um relato dos bastidores, os autores das reportagens revelam um pouco da alma de cada programa onde, como diz Caco Barcelos,  a estrela principal tem que ser e é a reportagem de qualidade . Além de textos exclusivos do próprio Caco e de outros profissionais que participaram do Profissão Repórter, parte da tiragem do livro traz como bônus dois DVDs com o conteúdo completo desses vinte programas. Uma obra imprescindível para todos que gostam de histórias de verdade bem contadas.

sábado, 20 de abril de 2019

Gente de Expressão

Cacau Borges (Carlos Augusto Borges Leal) nasceu em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, em 14 de setembro de 1954. Filho de Walter Leal (1922/1991) e Almerinda Borges Leal (1912/1991), casado com Conceição de Maria Barbosa da Silva Cruz Borges Leal e pai do Luís Cláudio, da Bruna, do Lucas e da Letícia.
Radialista (Locutor esportivo), Cacau Borges trabalhou nas rádios Continental, Difusora, Cultura, Record e Band FM (Campos dos Goytacazes), Inconfidência e Cultura (Belo Horizonte), Educadora (Cel. Fabriciano), Catuaí (Manhuaçu), Cultura (Limeira-SP), e na TV Globo Minas (Belo Horizonte). Atualmente, Cacau Borges é narrador da rádio Absoluta AM 1470 ( ), de Campos dos Goytacazes.

Literatura

"Estação Carandiru"
O médico Drauzio Varella relata dez anos de atendimento voluntário na Casa de Detenção de São Paulo, o maior presídio do Brasil, e mostra como um código penal não-escrito organizava o comportamento da população carcerária. Em 1989, o médico Drauzio Varella iniciou na Casa de Detenção um trabalho voluntário de prevenção à AIDS. Entre os mais de 7200 presos, conheceu pessoas como Mário Cachorro, Roberto Carlos, Sem-Chance, seu Jeremias, Alfinete, Filósofo, Loreta e seu Luís. Não importava a pena a que tinham sido condenados, todos seguiam um rígido código penal não escrito, criado pela própria população carcerária. Contrariá-lo poderia equivaler à morte. O relato do médico neste livro tem as tonalidades da experiência pessoal: não busca denunciar um sistema prisional antiquado e desumano; expressa uma disposição para tratar com as pessoas caso a caso, mesmo em condições nada propícias à manifestação da individualidade.  Lançado em 1999 e transformado em filme em 2003, por Hector Babenco, a obra recebeu o Prêmio Jabuti 2000 de livro do ano e, desde então, já vendeu centenas de milhares de exemplares.

Gente de Expressão

Fábio Soares (Fabio Antonio Soares) nasceu em Itambacuri, no Nordeste de Minas, em 14 de novembro de 1956. Filho de Francisco Antonio Soares (1916/2012) e Maria Alves dos Santos, nascida em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, em 07 de março de 1922. Casado com Marlene e pai de três filhos: Fabione, Francione e Fábio Henrique, todos do 01º matrimônio, com Ione. Fábio Soares é radialista e apresenta na rádio São Francisco FM 106,3, de Itambacuri (ww.saofranciscofm.com.br) o programa "Estação Notícia", que vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 08:15 da manhã, com horário alternativo no período da tarde. Torcedor do Atlético Mineiro, a exemplo de seu irmão, Jota Soares. Paralelo ao rádio, Fabio Soares é proprietário da "Pereira Artesanatos", especializada em selaria.

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Literatura

"Cativeiro sem fim - As histórias dos bebês, crianças e adolescentes sequestrados pela ditadura militar no Brasil"
Este livro contém mais que relatos de sequestros e desaparecimentos forçados de crianças e adolescentes, praticados por agentes da repressão aos movimentos de resistência à ditadura brasileira (1964-1985). Ele demonstra inequivocamente o terrorismo de Estado cometido no período. A ninguém é facultado fazer desaparecer pessoas, mudar suas identidades, deixar cadáveres insepultos. Mas quando isto é feito pelo próprio Estado, resta configurado um crime contra a humanidade, insuscetível de anistia ou prescrição. Entretanto, tais fatos jamais foram admitidos ou investigados. No dizer do próprio autor, o jornalista Eduardo Reina, praticou-se “o desaparecimento e o desaparecimento do desaparecimento”, o que colocou as vítimas em um “cativeiro sem fim”.

Gente de Expressão

Supla Torres (Alexsandro Torres), nasceu em Itabirito-MG, em 30 de outubro. Filho do sr Hesio e da dona Maria Apolinária.
Supla Torres é radialista e trabalhou nas rádios Itabirito FM, Cultura AM (Itabirito), Contato FM ( ), Mineira AM (Belo Horizonte)  Mariana FM (Mariana), Tropical ( ), Cidade ( ), Mania ( ), Radio Cultura de Itabirito,  Rede Mineira de Rádio e Rede Gerais de Rádio (Belo Horizonte).

Impresso
No impresso, trabalhou no Jornal "A Voz do Povo", "Tempo dos Inconfidentes" e "Jornal Atual".

Nomes relevantes com os quais trabalhou: Carlos Alberto de Oliveira, Antônio Carlos,  Raimunda de Lemos Baeta (Dica), DJ Monty, turma da Rede Gerais e Luciano Alves (1970/2018).

domingo, 31 de março de 2019

Literatura

"A razão indignada: Leonel Brizola Em Dois Tempos (1961-1964 E 1979-2004)" 
Leonel Brizola pelo olhar de historiadores renomados A razão indignada reúne 10 textos de historiadores sobre Leonel Brizola e aborda duas fases de sua trajetória política. A primeira, compreendida entre 1961 e 1964, se refere ao momento em que Brizola é elevado à prestigiosa posição de liderança das esquerdas, como governador do Rio Grande do Sul e deputado federal. A outra se delineia a partir do início dos anos 1980, quando Brizola refunda o projeto trabalhista e assume o governo do Rio de Janeiro – tendo que lidar com críticas, tanto das esquerdas revolucionárias como de setores conservadores. Autores que integram este livro: Américo Freire, Angela de Castro Gomes, Bruno Marques Silva, Carla Brandalise, Gabriel da Fonseca Onofre, Jorge Ferreira, Libânia Xavier, Marluza Marques Harres, Michelle Reis de Macedo, Soanne Cristino Almeida dos Santos e Tânia dos Santos Tavares.  

Gente de Expressão

Marco Antonio Campos (Marco Antonio Câmara Campos) nasceu em Juiz de Fora em 19 de abril de 1961. Filho de  Benevenuto de Paula Campos (1898/1971) e Vera Lúcia Mozzato Campos. Casado com Efigênia é pai do Lorhan, do Lennar e do Lendel. Radialista (locutor esportivo), trabalhou nas rádios Solar AM e FM, Nova Cidade AM, JF AM e FM, Panorama FM, Trans FM (Juiz de Fora), Cultura (Santos Dumont) e Rede Mineira de Rádio (Belo Horizonte).

Ápice
O auge da carreira foi no Grupo Panorama, com participações no programa Panorama Esporte, da TV, apresentação do Panorama na Bola e transmissões de jogos na FM, a destacar: 

Final do campeonato Carioca de 2005
17/04/2005 - Fluminense 3 x 1 Volta Redonda

Abertura do campeonato brasileiro em 2005
 24/04/2005 - Fluminense 2 x 1 São Paulo

Acesso do Tupi em 2006
28/05/2006 - Tupi (Juiz de Fora) 3 x1 Juventus (Minas Novas)

Finais da Copa do Brasil de 2006
19/07/2006 - Flamengo 2 x 0 Vasco
26/07/2006 - Vasco 0 x 1 Flamengo

Inauguração do Engenhão em 2007
30/06/2007 - Botafogo 2 x 1 Fluminense

Marco Antonio cita locais improváveis em que transmitiu futebol:
Boa Esperança (Sul de Minas), Itaú de Minas (Sudoeste de Minas), Minas Novas (Vale do Jequitinhonha) e Jaguaré (norte do Espírito Santo).

Nomes relevantes com os quais trabalhou: Márcio Guerra, Carlos Augusto, Rogério Correa, Ivan Elias, Nelson Júnior, Paulo Roberto Simão, Luiz Carlos Massom, José Carlos Massom, Zé Gute, Alice Helena, Fabiana Schneider, Roberta Oliveira, Flávio Anselmo, Márcio Augusto (1945/2012), Silva Junior (1954/2002), Cláudio Temponi (1932/2005), Geraldo Magela Tavares (1927/2015) e Waldir de Castro (1934/2016).

Literatura

"O Filho da Ditadura"
Jovens cujo laço comum, é serem filhos de militares com mães fora do casamento, algumas prisioneiras. Um dos infratores, porém, chega a Ministro da Guerra, e como infrator, decreta que todos devem prover cuidados a estes filhos. para isso é criado um fundo de pensão com contribuição dos pais e doações de empresas e amigos. Crescidos estes "filhos da ditadura", não podendo envergonhar aos pais, perambulam pelo mundo por conta do fundo; uns na miséria outro verdadeiros nababos. Certo dia na divisa de Portugal e Espanha, vêem-se em uma ratoeira. Daí o recrudescer da luta coordenada por Juliana, filha de um torturador e uma mãe camponesa das Ligas Camponesas do Pernambuco. Educada no regime do exercito, crescida, ela investiga a postura do bêbado, paranóico que nababesco vive a gastar fortunas deixada para todos por seus pais milicos. Esta investida silenciosa é dramática, inclui relatos sutis do Rio Centro, comércio de armas, tortura, sexo, estupros e muita bebedeira, pois o verdadeira - o "Filho da Ditadura" é um especialista em beber vinhos finíssímos e caros. A floresta amazônica, Riviera Francesa, 

Gente de Expressão

Ademir Quintino (Ademir Quintino dos Santos Júnior) nasceu em Cubatão-SP, em 26 de fevereiro de 1973. Filho de Ademir Quintino dos Santos e Janete Aparecida dos Santos. Casado com Lucilene e pai do Andrey Quintino, atleta do sub-17, do Santos.
Ademir Quintino é jornalista (formado em Comunicação Social pela UNISANTOS, em 2000) e radialista (comentarista esportivo), depois de iniciar carreira nas rádios comunitárias 99 FM e Sintonia FM (ambas de Cubatão), trabalhou nas rádios, Cacique e Atlântida (Santos), Guarujá (Guarujá), Capital, Terra e Tupi (São Paulo) e foi assessor de imprensa da Câmara de Vereadores de Cubatão, de 2009 a 2011. Atualmente, trabalha nos canais do Esporte Interativo e na rádio Nove de Julho, de São Paulo, é sócio-administrador da AQ Assessoria de Comunicação e editor do blog www.ademirquintino.com.br.
Na carreira no rádio e na TV, Ademir Quintino destaca os trabalhos ao lado de  Mauro Betting, Alex Müller, Ale Oliveira, André Henning, Luíz Ademar e Fiori Gigliotti (1928/2006).
Por três vezes venceu o troféu ACEESP, e foi homenageado pelo Santos Futebol Clube, por mais de mil transmissão de jogos do clube.  

Literatura

"1964 - Visões críticas do golpe"
Esta coletânea de textos oferece um amplo panorama da sociedade brasileira no pré-1964. A conjuntura econômica, a luta pelas reformas sociais nas suas dimensões políticas e ideológicas, a mobilização popular (trabalhadores urbanos e rurais, estudantes, cabos e marinheiros etc.), o papel dos militares e o fracasso das esquerdas, a participação norte-americana, o conflito executivo versus legislativo, os movimentos culturais são alguns dos aspectos analisados neste livro. Os colaboradores desta coletânea são renomados pesquisadores brasileiros; alguns deles, ativos participantes dos eventos políticos e sociais do período que desembocou no golpe político-militar de 1964.  

Gente de Expressão

Ruy Jobim (Ruy Jobim Jr) nasceu no Rio de Janeiro-RJ, em 28 maio de 1964. Filho de Ruy Jobim e Edna Jobim, casado com a Cristiane e pai do Victor Arthur e da Cecília. Ruy Jobim é jornalista, radialista, escritor, professor de expressão oral e palestrante. Ao longo da carreira, Ruy Jobim trabalhou nas rádios Transamérica, RPC  Globo e Paradiso. Eduardo Andrews, Paulo Beto, Carlos Townsand, são nomes de relevância com os quais trabalhou. Atualmente, é diretor "Escola de Rádio" de cursos profissionalizantes, técnico de nível médio (www.escoladeradio.com.bre editor do portal (www.ruyjobim.com.br). Ruy Jobim fez curso de locução ministrado por Hélio Tys* (1925/2002) e Guilherme de Souza (1928/2019).  

Escritor
"O Rádio era tão romântico - As mudanças que o tempo trouxe"

*Hélio Tys nasceu no Rio de janeiro em 25 de dezembro de 1925. Formado em direito, era jornalista, radialista, novelista, roteirista, cineasta, diretor, ator, redator, escritor, autor, produtor e professor de interpretação. Se notabilizou na produção dos programas do Haroldo de Andrade (1934/2008). Pai do jornalista Bruno Tys, Hélio Tys morreu no Rio de Janeiro, aos 76 anos, em 01 de março de 2002.  

Literatura

"1964 - o Golpe Que Derrubou Um Presidente , Pôs Fim ao Regime Democrático e Instituiu A Ditadura" 
Os 50 anos do golpe, abordados por dois dos maiores historiadores brasileiros da atualidade Um panorama de como se instaurou a ditadura civil-militar no Brasil e seus desdobramentos. Pelas mãos de Jorge Ferreira e Ângela de Castro Gomes, é possível entender melhor esse conturbado período da história, que rendeu ao país duas décadas de repressão e tantas injustiças. Numa linguagem objetiva, sem exageros acadêmicos ou notas de rodapé excessivas, que tornem o texto menos atraente para o grande público, os autores destacam personagens e momentos que marcaram o período, relembrando falas de personalidades e trechos de jornais que noticiaram o Golpe.  

Gente de Expressão

Osvaldo Reis, o Pequetito (Francisco Osvaldo Pereira dos Reis), nasceu em 06 de março de 1960 em Monte Santo de Minas, no sudoeste de Minas. Filho Wenceslau dos Reis (1903/1973) e Aparecida Pereira dos Reis (1930/2009). Casado desde maio de 1989 com Rejane e pai da Carolina (nascida em 1989) e do Guilherme (nascido em 2001).

Rádio
Iniciou carreira na rádio Progresso de Monte Santo, depois trabalhou nas rádios Difusora  de São Sebastião do Paraíso, Cultura e Atenas, de Alfenas, Sociedade, Independência e  Minas Liberdade, de Passos, Inconfidência, Globo e CBN, de Belo Horizonte. Atualmente, Pequetito narra os jogos do Cruzeiro na rádio Super Notícia FM 91,7,de Belo Horizonte. 

TV
Trabalhou na TV Paraíso,e TV Ouro Verde (São Sebastião do Paraíso), TV Horizonte e TV BH News (Belo Horizonte), Premiere/Sportv.

Formação
Osvaldo Reis é jornalista, formado pela faculdade Estácio de Sá, de Belo Horizonte.,

Premiação
Em 2007 e 2008 ganhou o PQN de Ouro como melhor narrador de MG ,escolhido por mais de 18 mil votos de todo país.
Em 2013, em uma enquete do Programa Redação Sportv, ganhou como melhor narracão do ano,na defesa do Victor contra o Tijuana pela L A com 75% dos votos ,participaram mais outras 6 narrações do Brasil e exterior  

Grandes nomes
Com grandes profissionais, Pequetito destaca o trabalho com José Carlos Araújo, Luiz Penido, Gilson Ricardo, Oscar Ulisses, Ulisses Costa, Edson Mauro, Paulo Roberto Martins, Eduardo de Menezes, Gustavo Villani, Eraldo Leite, Silva Junior, Oswaldo Paschoal, Gerson, Bob Faria, Mário Marra, Jorge Vinícius, Capitão Hidalgo, Jorge Kajuru, Marcelo Courrege, Natalie Gedra, Ana Thais Matos, Zé Elias, Eduardo Savóia, Marcus Aurélio, Artur Moraes, Lélio Gustavo, Roberto Abras, Marcos Guiotti, Fiori Giglioti (1928/2006), Luís Mendes (1924/2011), Loureiro Neto (1952/2014), Deva Pascowick (1965/2016), Jairo Anatólio Lima (1828/2009) e Barbosa Filho (falecido em 2007)

Pequetito
 Pequetito era o apelido do sr Wencesleu, e ele, Francisco Osvaldo, era o "Chiquinho do Pequetito", com o decorrer do tempo, ficou o "Pequetito".

sábado, 30 de março de 2019

Literatura

"1964. O Golpe"

Livro que esmiúça a participação do governo dos Estados Unidos no golpe que levou à mais longa ditadura da nossa História e reconstrói sua gestação. Aqui estão as tramas secretas, os conluios e as tramoias com que a esquerda e a direita disputavam o controle do poder político e econômico, à sombra das pressões de Washington sobre o Brasil e a América Latina, em plena Guerra Fria.
O autor, Flávio Tavares foi um observador atento a tudo isso. Como jornalista político em Brasília nos anos 1960, acompanhou passo a passo os acertos ou desacertos do governo João Goulart e conviveu com os com os principais personagens civis e militares da época. No dia 1º de abril de 1964, no Palácio do Planalto, testemunhou os derradeiros momentos do presidente Jango já em fuga e, agora, revela segredos guardados durante meio século. Mais ainda: 1964: o golpe reconstrói tudo em minúcias e revela como os Estados Unidos financiaram e apoiaram a conspiração, mobilizando até a frota naval pelo Atlântico, na Operação Brother Sam, em apoio aos golpistas. E como depois exigiram do Brasil uma milionária “indenização” pelo deslocamento da esquadra. Os documentos do governo dos Estados Unidos, aqui mencionados ou transcritos na íntegra, mostram como as fantasias do embaixador norte-americano exacerbaram os medos dos conservadores brasileiros e construíram o golpe ao longo de dois anos e meio. 

Gente de Expressão

Wanderley Luiz de Oliveira nasceu em Juiz de Fora em 16 de dezembro de 1953. Filho
de Pedro Vidal de Oliveira (19__ /1989) e Terezinha Inham de Oliveira. Pai da Érika Cristina, do Rodrigo Luiz e do Guilherme Henrique (este, jornalista do SPOTV). Funcionário aposentado do Banco do Brasil, tendo exercido os cargos de supervisor e gerente, nas agências de Juiz de Fora, Matias Barbosa, Belmiro Braga, Piau, Coronel Pacheco e Boa Esperança, todas em Minas, além de Vassouras e Miguel Pereira, no estado do Rio.  Wanderley é historiador, pesquisador, escritor, colecionador, artista plástico e enxadrista.   

Atividades
Titular fundador da Federação das Academias de Letras e Artes de Minas Gerais, vice-presidência da Academia de Letras da Manchester Mineira, membro titular da Associação dos Diplomados da Academia Brasileira de Letras do Rio de Janeiro, presidência na Associação Cultural Amigos do Museu do Crédito Real, entre inúmeros outros postos.  Atualmente é presidente Associação de Cultura Luso-Brasileira.  

Escritor
- Por mares nunca d'antes navegados (2007), 
- Cleonice Rainho, a Busca e o encontro - Uma biografia (2010), 
- Nelson Valente - Exercitando a Memória (2012),
- Geraldo Santana - Sonho, Música e Realidade (2012),

Literatura

"O Governo Goulart e o Golpe De 64" 


Os anos 61/64 podem ser considerados um dos momentos mais significativos da história política brasileira. A política deixava de ser privilégio do Parlamento e do Executivo e invadia as fábricas, as ruas, o campo e os quartéis. Para os conservadores, foram tempos de “subversão” e o “caos social”. Para outros, foi um tempo mais criativo e mais inteligente para o país. O golpe militar de 1964 visou estancar esse processo político de crescente mobilização popular. Um golpe contra o povo e a democracia brasileira.  

Gente de Expressão

Carlos Roberto Sodré nasceu em Visconde do Rio Branco em 31 de agosto de 1964.
Filho de Expedito Sodré (1934/2013) e Nelci Gomes Sodré (1944/2009), Casado com Rosilene Pereira Sodré, pai de três filhos, Carlos Roberto Sodré Júnior, Larissa e Laísa. Sodré é radialista, jornalista e professor. Formado em Comunicação Social (jornalismo) pela FAGOC (Fundação Governador Ozanan Coelho), turma de 2010, professor de Ciências Sociais (Filosofia e Sociologia ) na rede estadual de ensino de Minas Gerais. Atualmente, além de ser professor, Sodré é editor do portal Ubá News (www.ubanews.com) e produz a apresenta o noticioso "Em dia com a notícia" da Rádio Educadora AM e FM de Ubá. Além da Educadora, já trabalho na Ubaense e na Cidade Carinho. Em Visconde do Rio Branco, trabalhou na rádio Cultura, e em Juiz de Fora, nas rádios Panorama FM e Energia FM. Seu nome consta no livro "A Enciclopédia do Rádio Esportivo Mineiro" das jornalistas e historiadoras Nair Prata Moreira Martins e Maria Cláudia Santos, que tem capa do jornalista e chargista Son Salvador e prefácios do presidente da Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE), Luiz Carlos Gomes e do vice-presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão e diretor-presidente da Rede Itatiaia de Rádio, Emanuel Soares Carneiro. Deste 28 de julho de 2018, Sodré ocupa a cadeira 37 da Academia Ubaense de Letras (AULE), a "Academia Antonio Olinto", cujo patrono é Philip Balbi.