quinta-feira, 21 de junho de 2018

José Francisco Chinelato

Morre em Juiz de Fora, o ex-delegado da Polícia Civil, José Francisco Chinelato
Morreu nesta quinta-feira, 21/06, em Juiz de Fora, aos 65 anos, o delegado aposentado da Polícia Civil de Minas Gerais, José Francisco Chinelato. Ele estava internado na Santa Casa de Misericórdia e o corpo está sendo velado no Cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha, e o sepultamento está previsto para esta sexta-feira, 22/06, às 14h30. Casado, Chinelato deixa deixa esposa e um casal de filhos. Na polícia, serviu, além de Juiz de Fora, em Mar de Espanha e Campo Belo. Descendente de italianos, Chinelato e Piazi, o ex-delegado foi diretor de futebol do Tupi, Tupynambás e Sport. Na política, foi candidato a vereador em dois pleitos. No último, ficou na suplência. Foi diretor da regional Zona da Mata da Adepol (Associação dos Delegados da Polícia Civil de Minas Gerais)

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Literatura

“Ernani Ciuffo, a trajetória de um músico” 

De autoria de Flaviana Polisseni Soares e projeto gráfico de Afonso Rodrigues, a obra é resultado de trabalho acadêmico para o curso de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e resgata a história e a estética da obra musical de um dos mais importantes compositores de Juiz de Fora, Ernani Ciuffo, considerado no meio musical o “filósofo do samba”.

O livro inclui partituras de composições inéditas, transcritas pela autora, cinco poemas inéditos cujas melodias são desconhecidas, fotografias, além da biografia e a trajetória de vida do compositor e os principais aspectos culturais da época. O CD, que acompanha o livro, reúne dez músicas, sendo quatro inéditas, a gravação original de “Orgia” pelo próprio Ciuffo, em disco de 78 rotações e um vídeo, única imagem existente de Ernani Ciuffo, cantando ao lado de Nilton Santos, o Mestre Cocada e que revelou duas composições inéditas: “Presença e ausência” e “Aprenda a dizer adeus”, ambas com letra de Rubens Vasconcellos e melodia de Ernani Ciuffo. As outras músicas inéditas resgatadas por Flaviana Soares e que compõem o CD são “Despedida” e “Reconhecimento”, ambas com letra de Ernani Ciuffo e melodia de Eugênio Malta. A gravação do disco teve a participação dos músicos Wellington Duarte (arranjos e violão), Júnior (violão), Márcio Gomes (ritmista), Fabricio Nogueira (cavaquinho) e Paulo César “Coração” (voz).

O homenageadoErnani Ciuffo (1919-1993) nasceu em Juiz de Fora, morou na avenida Sete de Setembro, estudou no Instituto Granbery, formou-se em contabilidade e montou uma farmácia em sociedade com Antônio Lessa. Casou-se, em 1946, com Guiomar Silveira e teve duas filhas, Vera Lúcia e Karla Beatriz. Desde criança acompanhava seu pai em eventos musicais e participou ativamente das antigas “batalhas de confete”. Ao lado da família Toschi, de Oceano Soares e de Nilton Santos foi um dos fundadores da Escola de Samba Turunas do Riachuelo. Também ajudou a criar o Grupo Escoteiros Aimorés - o primeiro de Minas Gerais.

A autoraFlaviana Polisseni Soares é graduada em Artes e Design pela Universidade Federal de Juiz de Fora e formada em piano e flauta doce pelo Conservatório Estadual de Música Haidée França Americano. É professora de piano e teclado, no Colégio Santa Catarina e de musicalização, no Colégio Santos Anjos.

Futebol

terça-feira, 19 de junho de 2018

Literatura

"Hugo Chávez, o espectro - Como o presidente venezuelano alimentou o narcotráfico, financiou o terrorismo e promoveu a desordem global" 
O que levou um país rico, dono das maiores reservas de petróleo do planeta e com uma localização estratégica ao maior colapso financeiro e institucional do Ocidente? A destruição da Venezuela é apenas a face mais evidente de uma intrincada rede de organizações políticas e criminosas que foram criadas ou alimentadas por Hugo Chávez como parte de seu sonho de reengenharia global.                   
Neste livro, o jornalista Leonardo Coutinho revela – com base em milhares de páginas de documentos, muitos deles secretos, e mais de uma centena de entrevistas em dez países – como as digitais de Hugo Chávez estão espalhadas em todo o mundo, desde a explosão da violência na América Central e no México até o financiamento de organizações terroristas como o grupo Estado Islâmico.                   
Eleito em 1998 com a promessa de tirar a Venezuela da crise e com o compromisso de conduzir os venezuelanos ao desenvolvimento, Hugo Chávez desperdiçou a fortuna arrecadada durante a bonança petroleira para financiar um modelo de mundo que fosse o seu espelho: caótico e subversivo. Apesar de sua morte, em março de 2013, em decorrência de um câncer, Chávez segue presente “assombrando” o mundo com os efeitos destrutivos de sua combinação de tráfico de cocaína, terrorismo e corrupção. UM legado que o presidente Nicolás Maduro soube herdar e manter, conduzindo o país a um colapso econômico e institucional sem precedentes.

Cultura...

              Deuses Gregos
Os Deuses Gregos, cultuados pelos antigos habitantes da Grécia, eram representados sob a forma humana e simbolizavam os anseios e temores humanos.
Eles regiam as forças da natureza, comandavam o céu, a terra, o sol, a lua, os rios, o mar, o vento, etc. Os deuses se comportavam como criaturas humanas, ou seja, tinham ciúme, inveja, ódio e amor. Eles eram imortais e estavam dispostos numa hierarquia.
Embora profundamente arraigado no contexto geral da cultura em que se formou, um deus podia como qualquer elemento cultural, passar de um grupo para outro mudando de significado e função, para ajustar-se aos interesses do novo meio social.
Um exemplo são os deuses cultuados na Roma antiga, denominados de deuses romanos, que provinham na sua maioria da Grécia. Esses apenas mudaram de nome quando foram adotados em Roma.
Principais deuses da mitologia grega:
  • Afrodite - deusa da beleza e do amor
  • Apolo - deus da luz
  • Ares - deus da guerra
  • Ártemis - deusa da lua
  • Atena - deusa da sabedoria
  • Deméter - deus da terra fértil
  • Dionísio ou Baco - deus da festa, do vinho e do prazer
  • Éos - deus do amanhecer
  • Eros - deus do amor
  • Hades - deus do submundo
  • Hélios - deus do sol
  • Hermes - deus do vento
  • Hera - deusa dos céus, maternidade e matrimônio
  • Héstia - deusa do fogo
  • Horas - deusa que representavam as estações do ano
  • Mnemósine - deusa da memória
  • Perséfone - rainha do submundo
  • Poseidon - deus dos mares
  • Selene - deusa da lua
  • Têmis - deusa das leis
  • Zeus - deus dos deuses

Literatura

"Jingle E A Alma Do Negócio - A História E As Histórias Das Músicas De Propaganda E De Seus Criadores"
'Quando você tiver qualquer dúvida sobre o que dizer em sua campanha, cante'.  Essa máxima, do publicitário Sérgio Campanelli, traduzperfeitamente a importância dos jingles em propagandas inesquecíveis. Afinal, quem não se lembra do “Quero ver pipoca pular (pipoca com guaraná)” ou do “Café Seleto tem sabor delicioso...”, sem contar a música das lindas crianças dos “mamíferos Parmalat”?   Para entender como o talento desses profissionais consegue transformar a música em uma poderosa ferramenta de comunicação publicitária, Fábio Barbosa Dias empreendeu uma pesquisa inédita em busca da história dos jingles e dos jinglistas que marcaram diversas gerações.  Conheça o processo de criação das mais importantes músicas da história da publicidade brasileira e descubra porque elas ficaram para sempre na cabeça das pessoas. São mais de 150 jingles para você recordar e curtir ouvindo o CD que acompanha esta edição histórica.

Cultura...

                       Alfabeto Grego
Alfabeto Grego, uma adaptação do alfabeto fenício, é um sistema de escrita fonética composto por 24 letras que podem representar vogais e consoantes.
Ele é usado apenas no idioma grego, mas como foi a base da maior parte dos alfabetos existentes no ocidente é comum o mesmo ser utilizado até aos nossos dias.
É o que se pode constatar em ciências como a Astronomia, em que as letras são utilizadas na nomenclatura das estrelas.
No registro arqueológico, as primeiras ocorrências do alfabeto grego aparece em gravações feitas em cerâmicas, cujas as mais conhecidas foram encontrados em Atenas na metade do século VIII a.C. A partir dele tem origem o alfabeto utilizado na língua portuguesa.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Literatura

"Em Nome de Quem? A bancada evangélica e seu projeto de poder" 

Com prefácio de Marina Amaral e orelha de Fernando Molica, neste livro-reportagem, a jornalista Andrea Dip investiga as intricadas estruturas sociais, políticas e místicas que sustentam a escalada das Igrejas Evangélicas ao poder. Com linguagem ágil, apresenta pontos importantes, como a aliança de evangélicos com outros setores conservadores (como a CNBB e o Projeto Escola Sem Partido), o ataque aos direitos de grupos identitários (com as chamadas “cura gay”, “ideologia de gênero” e projetos antiaborto), a ocupação de um espaço deixado pelo Estado e o uso da mídia. Além disso, busca identificar, sem preconceitos, quem são as pessoas que levam adiante o projeto evangélico de poder, como se articulam e em nome de quem levantam suas bandeiras. 

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Juiz de Fora nas copas

Copa do Mundo

Juiz de Fora tem tradição com representantes nas Copas do Mundo. Maurício Menezes, na condição de narrador esportivo e coordenador de esportes, esteve em quatro edições, 1982 na Espanha, 1986 no México, 1994 nos Estados Unidos e 1998 na França. O Danadinho também esteve em cinco edições da Copa América de Seleções:  1989 no Brasil; 1993 no Equador; 1995 no Uruguai; 1997 na Bolívia e 1999 no Paraguai.
Os repórteres fotográficos Benito Maddalena e Wilson de Carvalho também são veteranos em coberturas internacionais. Benito, jornalista formado pela Faculdade Estácio de Sá, foi credenciado para a Copa dos Estados Unidos de 1994, esteve na Copa da França em 1998, na África do Sul em 2010, cobriu o mundial de clubes do Corinthians do Japão em 2012. Wilson, que em Juiz de Fora, além de repórter fotográfico, é proprietário da imobiliária Globo Imóveis, também tem várias coberturas internacionais e se prepara para cobrir a fase final da Copa da Rússia. As coberturas de eventos do Wilson devem ser transformadas em livro em breve.
Tiago Domingos, nascido em São José dos Campos, no vale do paraíba paulista, é jornalista formado na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e quando aqui estudava, esteve na Copa da Alemanha em 2006.  

Literatura

"Franz Hill – Diário de um Imigrante Alemão"
De autoria do historiador e professor Alexandre Müller Hill Maestrini, a obra conta a história do alemão Franz Hill (1824/1881), seu tetravô, que chegou ao Brasil em 1858. O autor conta a trajetória do tetravô, que deixou a terra natal, na região de Frankfurt, junto com a esposa, três filhos (eles teriam mais dois no Brasil) e o sogro, além de outros amigos alemães e suas respectivas famílias. A partida de Wendelsheim se deu em 01º de abril de 1858, e eles partiram do porto de Hamburgo seis dias depois.  A chegada a Juiz de Fora, então Cidade do Parahybuna, aconteceu pouco mais de dois meses depois, há exatos 160 anos. Se instalaram, inicialmente no bairro Borboleta, e, posteriormente, no bairro Fábrica. Franz Hill morreu aos 57 anos, em  28 de dezembro de 1881.

Copa do Mundo 2026

Copa do Mundo de 2026, com 48 seleções, será disputada nos EUA, México e Canadá
Copa com 48 seleções (16 grupos com 03 seleções) - 80 jogos 

Em janeiro de 2017, em Kuala Lumpur, na Malásia, o Conselho da FIFA votou, por unanimidade, na expansão para 48 seleções. O torneio começará na fase de grupos consistindo em 16 grupos com 03 seleções cada, os dois melhores de cada grupo avançam para a fase final, o mata-mata, iniciando pelos Dezesseis-Avos de Final, com 32 seleções. O número de jogos aumentará de 64 para 80, mas o número de partidas jogadas pelos finalistas continua sendo 7, o mesmo como era com as 32 seleções, mas um jogo da fase de grupos atual será substituído por mais um jogo no mata-mata. O torneio será realizado em 32 dias, a mesma quantidade atual.

As 41 cidades de EUA, Canadá e México candidatas a sedes da Copa 2026 já possuem estádios

Estados Unidos
Atlanta (Mercedes-Benz Stadium, 75.000 lugares)
Baltimore (M&T Bank Stadium, 71.008 lugares)
Birmingham (Legion Field, 71.594 lugares)
Boston (Gillette Stadium, 66.829 lugares)
Charlotte (Bank of America Stadium, 75.525 lugares)
Chicago (Soldier Field, 61.500 lugares)
Cincinnati (Paul Brown Stadium, 65.515 lugares)
Cleveland (FirstEnergy Stadium, 67.895 lugares)
Dallas (Cotton Bowl, 92.100 lugares)
Dallas (AT&T Stadium, 105.000 lugares)
Denver (Sports Authority Field, 76.125 lugares)
Detroit (Ford Field, 65.000)
Houston (NRG Stadium, 72.200 lugares)
Indianapolis (Lucas Oil Stadium, 70.000)
Jacksonville (EverBank Field,  82.000 lugares)
Kansas City (Arrowhead Stadium, 76.416 lugares)
Las Vegas (Raiders Stadium, 72.000 lugares)
Los Angeles (Los Angeles Memorial Coliseum, 93.000 lugares)
Los Angeles (City of Champions Stadium, 100.000 lugares)
Los Angeles (Rose Bowl, 90.888 lugares)
Miami (Hard Rock Stadium, 65.326 lugares)
Minneapolis (U.S. Bank Stadium, 66.200 lugares)
Nashville (Nissan Stadium, 69.143 lugares)
New Orleans (Mercedes-Benz Superdome, 76.468 lugares)
New York/New Jersey (MetLife Stadium, 82.500 lugares)
Orlando (Camping World Stadium, 65.000 lugares)
Philadelphia (Lincoln Financial Field, 69.596 lugares)
Phoenix (University of Phoenix Stadium, 73.000 lugares)
Pittsburgh (Heinz Field, 68.400 lugares)
Salt Lake City (Rice-Eccles Stadium, 45.807 lugares)
San Antonio (Alamodome, 72.000 lugares)
San Francisco/San Jose (Levi’s Stadium, 75.000 lugares)
Seattle (CenturyLink Field, 72.000 lugares)
Tampa (Raymond James Stadium, 75.000 lugares)
Washington (FedEx Field, 82.000 lugares)
Canadá
Edmonton (Commonwealth Stadium, 56.302 lugares)
Montreal (Stade Olympique, 61.004 lugares)
Ottawa (TD Place Stadium, 24.000 lugares)
Regina (Mosaic Stadium, 30.048 lugares)
Toronto (BMO Field, 30.000 lugares)
Vancouver (BC Place, 54.500 lugares)
México
Guadalajara (Estadio Chivas, 45.364 lugares)
Cidade do México (Estadio Azteca, 87.000 lugares)
Monterrey (Estadio Rayados, 52.237 lugares)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Literatura

"O Processo de Cassação da Rádio Cultura"
O livro, de autoria do jornalista feirense, Dimas Oliveira, é uma compilação das peças do processo que resultou no fechamento da Rádio Cultura de Feira de Santana, que teve seu funcionamento cassado em março de 1975. A emissora foi reaberta dez anos depois, em julho de 1985. O que motivou o fechamento da emissora, após suspensão de 15 dias, foi entrevista do então deputado federal Francisco Pinto (1930/2008), feita pelo radialista Lucílio Bastos ( /2014), levada ao ar no dia 13 de julho de 1974, quando o parlamentar reiterou críticas ao presidente do Chile general Augusto Pinochet (1915/2006), presente em Brasília para a posse do presidente Ernesto Geisel (1907/1996). As palavras foram consideradas ofensivas ao chefe-de-estado de nação estrangeira.

A fala de Francisco Pinto virou peça do processo contra ele, movido pelo ministro da Justiça Armando Falcão (1919/2010), baseado na Lei de Segurança Nacional. Francisco Pinto cumpriu seis meses de prisão especial no quartel do 01º Batalhão de Polícia Militar de Brasília. A publicação trata sobre as inúmeras visitas ao preso e a greve de fome que fez.  

A obra é resultado de pesquisa feita a partir de material disponível no Arquivo Nacional, instituição que é responsável pela preservação e difusão de documentos da administração pública federal. Também são reproduzidos registros da imprensa sobre o episódio histórico. Reproduções de fotos e fac-símiles integram galeria de imagens.  

 "Os próprios fatos que compõem o livro falam por si. Não existe tomada de posição do organizador, que tão somente traz à luz documentos que estiveram como confidenciais, secretos e sigilosos", diz na apresentação Thomas Oliveira, que é filho do jornalista.   

No prefácio, o jornalista e memorialista Adilson Simas, diz que "neste trabalho os leitores vão conhecer o retrato fiel do processo que culminou com a dolorosa cassação da Rádio Cultura. Cassação que ocorreu em 18 de março de 1975, quando faltava apenas um ano para a emissora comemorar seu  jubileu de prata, pois inaugurada em 28 de agosto de 1950".   

Cultura...

terça-feira, 5 de junho de 2018

Literatura

"Mulheres Cérebro Coração"
Há pouco mais de 20 anos, jamais se imaginaria que infarto e AVC (acidente vascular cerebral) se tornariam as principais causas de morte de mulheres. Eram os homens que morriam de doenças cardiovasculares (DCV), não as mulheres. Neste livro, de autoria da escritora gaúcha Vera Moreira, você encontra informações médicas e históricas sobre essa nova realidade, desencadeada por uma alteração profunda no estilo de vida das mulheres desde a Revolução Industrial. Estilo de vida é o conceito amplo de como nos movemos no mundo, o que implica todo o complexo de nossa saúde individual com seus aspectos físicos, mentais, sociais e espirituais. Os fatos: A incidência de morte de mulheres por doenças cardiovasculares (DCV) é de 53% comparada a 4% do câncer de mama. As bem sucedidas campanhas de prevenção do câncer de mama levaram as mulheres a consultar regularmente o ginecologista e a se prevenir. Mas elas ainda não foram devidamente alertadas sobre as doenças cardiovasculares. Uma vez que adquiram consciência sobre os altos riscos das DCV, as mulheres também vão começar a consultar regularmente seus médicos buscando a prevenção. O que diz a American Heart Association: As doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais vinham tirando a vida de quase 500 mil mulheres nos Estados Unidos a cada ano, mas elas não estavam prestando atenção. Na verdade, seguiam pensando que era doença de homens mais velhos, sendo que hoje mais mulheres do que homens morrem de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais. No Brasil a situação é igualmente grave, mas nós podemos mudar essa realidade. Entrevistas exclusivas com: Dr. Cézar Roberto Van der Sand, cardiologista Dra. Kenya Moraes Netto, ginecologista e obstetra Dra. Liana Lisboa Fernandez, neurologista e Dra. Miriam Gomes de Freitas, psiquiatra.


Cultura inútil...

Chapéu Panamá

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Literatura

"Nasce a cidade da curva do Rio"
Entrevistando antigos moradores, o escritor, José Adal Pereira de Souza, carioca de nascimento e Volta-Redondense por adoção, resgata os primeiros anos de Volta Redonda, a vida dura dos pioneiros, momentos hilários e o exemplo de vida dos que desbravaram o local.

Volta Redonda - Cidade do Aço
Volta Redonda surgiu como um povoado em 1744, quando os primeiros desbravadores descobriram a curiosa curva do rio Paraíba do Sul, que deu origem ao nome da cidade. A região se desenvolveu na segunda metade do século XIX com a navegação do Rio Paraíba e a chegada da estrada de ferro Dom Pedro II A Barra Mansa e Barra do Piraí. Volta Redonda permaneceu como povoado até 1926 quando se tornou distrito da vizinha Barra Mansa. Somente em 17 de julho de 1954 a cidade conseguiu sua emancipação, tempos depois de ter sido escolhida para a instalação da Companhia Siderúrgica Nacional (09 de abril de 1941), criada pelo então presidente Getúlio Vargas (1882/1954), em 1941. Com o aço produzido em larga escala pela CSN foi possível montar as bases do novo parque industrial do país. E Volta Redonda cresceu à sombra da companhia. Em 09 de fevereiro de 1976 foi fundado o Volta Redonda Futebol Clube, o "Voltaço".

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Juiz de Fora-MG, 168 anos (31/05/1850)

Juiz de Fora e seus distritos
Juiz de Fora e seus vizinhos

Literatura

"Festa Populares de Corpus Christi de Penafiel"
Em Penafiel, cidade ao norte de Portugal, subsistiram até hoje alguns elementos do costume antigo das festividades do corpus: a cavalhada da véspera, com atuação das danças e a serpe; as danças populares no dia da festa, porém fora da procissão: bailes dos ferreiros, dos pedreiros, das floreiras, dos turcos, dos pauzinhos e dos pretos; na procissão, novamente a serpe, o boi bento, o estado de S. Jorge. Possui também novos elementos que ao longo do tempo confluíram para esta manifestação: o cortejo do carneirinho, na véspera da parte da manhã, e a figura da cidade, tanto na cavalhada como na procissão, aqui no topo do carro triunfal, acompanhado de anjinhos. Todos eles são importantes e de todos falaremos, mas com a atenção naturalmente direcionada para as danças, sobre as quais recaiu o nosso trabalho de campo e que são o verdadeiro objecto deste livro. Penafiel pode orgulhar-se de ser a única localidade em todo o país que soube conservar até aos nossos dias as danças tradicionais do corpo de deus, essas tão ricas e belas manifestações de religiosidade popular, as quais, pela sua singularidade atual, assumem um carácter emblemático das festividades do corpus christi penafidelense e até identitário para as gentes da antiga e honrada arrifana do Sousa.

Corpus Christi

É uma expressão latina que significa Corpo de Cristo, ou Corpo de Deus. É, de acordo com a fé católica, um evento baseado em tradições da igreja católica apostólica Romana, realizado na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma "Festa de Guarda" onde a participação da Santa Missa neste dia é, para os católicos, obrigatória, na forma estabelecida pela conferência episcopal do país respectivo.  A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cânone 944) que determina ao bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo." É recomendado que, nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o bispo (cânone 395).

terça-feira, 22 de maio de 2018

Literatura

"Martim Francisco: Uma Revolução No Futebol"
Este livro, escrito por Lígia Maria Leite Pereira, conta a história de vida de Martim Francisco Ribeiro de Andrada Sobrinho, que se notabilizou como técnico de futebol, ganhando fama com a mudança e invenção revolucionária de um novo sistema de jogo, o 4-2-4, que de Minas se espalhou pelos times brasileiros, não demorando a chegar à Europa. O 4-2-4 foi adotado pelo Santos Futebol Clube em todo o seu período áureo com Pelé. A atuação de Martim Francisco como técnico de futebol, se estendeu por aproximadamente três décadas, desde sua estreia no Villa Nova, de Nova Lima-MG, em 1951, ao começo dos anos DE 1980. Foi reverenciado e aplaudido como um dos melhores técnicos da história do futebol brasileiro, passando por diversos clubes, brasileiros e espanhóis, dos grandes aos de pequena expressão. Entre tantos, o América-RJ, Vasco da Gama, América Mineiro, Cruzeiro, Corinthians, Internacional de Porto Alegre, Atlético-MG, Bangu, Atlético de Bilbao e Real de Sevilha. Técnico do Vasco da Gama nos fins da década de 1950 derrotou na final de um Torneio na Europa nada menos que o poderoso e imbatível time do Real Madri, que tinha no elenco os monstros do futebol como Di Stefano, Puskas e Didi. Como técnico do Atlético de Bilbao - e posteriormente de mais outros clubes da Espanha - Martim Francisco juntamente com Oto Glória, foram os primeiros brasileiros a atuarem como treinadores no futebol da Europa, obtendo reconhecimento no exterior. 
Martim Francisco Ribeiro de Andrada Sobrinho nasceu em Barbacena-MG, em 21 de Fevereiro de 1928 e morreu em Belo Horizonte-MG, aos 54 anos, em 22 de junho de 1982.

Rússia 2018

Seleção Brasileira

                                    Os convocados:

Goleiros:
Alisson (Roma)
Cássio (Corinthians)
Ederson (Manchester City)
Laterais:
Danilo (Manchester City)
Filipe Luís (Atlético de Madrid)
Marcelo (Real Madrid)
Fagner (Corinthians)
Zagueiros:
Marquinhos (PSG)
Miranda (Inter de Milão)
Thiago Silva (PSG)
Geromel (Grêmio)
Meio-campistas:
Casemiro (Real Madrid)
Renato Augusto (Beijing Guoan)
Fernandinho (Manchester City)
Paulinho (Barcelona)
Philippe Coutinho (Barcelona)
Willian (Chelsea)
Fred (Shakhtar)


Atacantes:
Neymar (PSG)
Gabriel Jesus (Manchester City)
Roberto Firmino (Liverpool)
Douglas Costa (Juventus)
Taison (Shakhtar).

Literatura

"O Bau de Abravanel"

Quem, no Brasil, não conhece Silvio Santos? Poucos no entanto são os que o associariam ao nome Senor Abravanel, e pouquíssimos aqueles que conhecem a saga de seus antepassados. As primeiras notícias sobre os Abravanel datam do final do século XIII - eruditos, tesoureiros de reis em Castela, íntimos da Corte portuguesa, estadistas, filósofos e poetas na Itália, eles conseguiram se alçar aos cumes do poder, mas também partilharam da dura sorte das comunidades judaicas, sendo expulsos, perseguidos e humilhados. A obra, escrita pelo jornalista Alberto Dines (1932/2018), é a narrativa da atribulada vida desses homens, e lança uma instigante luz sobre o controvertido gesto do descendente brasileiro dos Abravanel.  

domingo, 20 de maio de 2018

Série C 2018

         Tupi x Luverdense
O Tupi enfrenta hoje em Juiz de Fora o Luverdense, de Lucas do Rio Verde, no norte do Mato Grosso, pela quinta vez na história e pela primeira vez na Série C. Nos confrontos anteriores, dois foram pela Copa do Brasil e dois pela Série B.
O time de Juiz de Fora vai estrear o seu terceiro técnico na temporada. Os anteriores foram Alexandre Barroso e Ricardo Leão.

Eugênio Souza
Eugênio Carlos Souza nasceu em Belo Horizonte-MG, em 25 de abril de 1963.

Atleta
Atuou por 15 anos como zagueiro no Cruzeiro, de Belo Horizonte, entre divisões de base e profissional.

TreinadorComeçou no Itaúna-MG, onde conquistou o acesso ao campeonato mineiro do módulo II, em 2007;
Em 2008, foi treinador do Guarani, de Divinópolis e Villa Nova, de Nova Lima;
Em 2009, treinou o Guarani de Divinópolis e o Goytacaz, de Campos-RJ;
Em 2010, foi campeão do campeonato mineiro do módulo II, com o Guarani, de Divinópolis e campeão do campeonato mineiro da segunda divisão (Módulo III), com o Nacional, de Nova Serrana;
Em 2011, treinou o Nacional de Muriaé;
Em 2012, dirigiu o Mamoré, de Patos de Minas, Uberlândia e Ipatinga;
Em 2013, comandou o Ipatinga e o Araxá;
Em 2014, foi campeão da Série D do campeonato brasileiro com o Tombense;
Em 2015, comandou Caldense, de Poços de Caldas, U.R.T, de Patos de Minas e Moto Clube-MA;
Em 2016, dirigiu o Patrocinense, de Patrocínio e Democrata, de Governador Valadares;
Em 2017, foi treinador do Democrata de Governador Valadares e Ipatinga (campeão mineiro da segundona) ;
Em 2018, disputou o campeonato mineiro do módulo II, pelo Ipatinga e em 06 jogos obteve 02 vitórias em 06 jogos e depois treinou o Nacional de Muriaé (seu último clube), em 05 jogos, obteve 01 vitória em 05 jogos.

Literatura

"O Inglês na Marca do Pênalti"
A terminologia esportiva em inglês aplicada no dia-a-dia das pessoas e empresas. Neste livro, o autor, Ulisses Wehby de Carvalho reuniu mais de 200 expressões originárias de esportes populares nos países de língua inglesa e que hoje estão presentes nas mais diversas situações do cotidiano de pessoas e empresas. O reconhecimento e a compreensão desses termos, assim como sua incorporação ao uso, são fundamentais para qualquer brasileiro que lida com o inglês, tanto no ambiente profissional quanto no acadêmico. O livro apresenta a explicação técnica, o significado em português e exemplos traduzidos do emprego de diversas expressões.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Lonir Corrêa Cardoso

Morre em Juiz de Fora a radialista Lonir Cardoso
A radialista Lonir Cardoso morreu ontem em Juiz de Fora, na Santa Casa de Misericórdia, e foi sepultada nesta quinta-feira, 17/05, no cemitério Parque da Saudade. Lonir Corrêa Cardoso nasceu em Juiz de Fora, em 07 de março de 1932, filha de Nair Luzia Timponi Corrêa e Solon Alvares Corrêa. Foi radialista e publicitária. Trabalhou nas extintas emissoras Industrial, Difusora, Capital, Sociedade, PRB-3, Nova Cidade e Solar. Pertenceu à diretoria da Associação dos Aposentados e Pensionistas das Autarquias do Brasil. Foi candidata a deputada federal e a vereadora. Foi fundadora e presidiu a Guarda Mirim Feminina. Foi casada com o também radialista Paulo Emerich, com quem teve dois filhos, Denyse Emerich e Paulo Marcos Emerich.
Carreira
· No início da década de 1950 foi radio atriz, interpretando textos do também radialista Natálio Luz;
· Ainda na década de 1950, atuou juntamente com Paulo Emerich, no Programa de auditório Rancho Alegre, na Rádio Industrial, bastante famoso na época. Eles ficaram noivos durante um desses programas, casando-se em 1956;
· Foi redatora de textos de apresentação de enredos das escolas de samba e narrou desfiles de carnaval de Juiz de Fora, nas décadas de 1970 e 1980;
· Foi assessora de imprensa da prefeitura, durante o mandato do Prefeito Francisco Antônio de Melo Reis;
· Na década de 1980 apresentou o programa de entrevistas Encontro com Lonir
Colaboração:
Denyse Emerich, Ivan Elias, Hugo Soares e Almir Bittencourt.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Loteria

"Dia de Sorte"

Governo Federal criou uma nova modalidade de loteria, chamada "Dia de Sorte", que será operada pela Caixa Econômica Federal. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 14/05. O jogo consiste em sortear 07 números dentre 31 (os dias) e 01 mês dentre 12.  As apostas serão de 07 (simples) a 15 números (bolão) e um "mês da sorte" e os sorteios serão realizados três vezes por semana: às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, às 15 horas. A data do primeiro sorteio ainda não foi divulgada.  O jogo mínimo, de 07 números e 01 mês, custará R$ 1,50. A aposta máxima, com 15 números e 01 mês, custará R$ 12,87 mil. Mas também ganha um prêmio em dinheiro quem acertar 06, 05 ou 04 números e mais o mês da sorte. 

Números
Preço (R$)
Chances de ganhar
07
       1,50
1 em 2.629.575
08
     12,00
1 em 328.697
09
     54,00
1 em 73.044
10
   180,00
1 em 21.913
11
   495,00
1 em 7.968
12
1.188,00
1 em 3.320
13
2.574,00
1 em 1.532
14
5.148,00
1 em 766
15
9.652,00
1 em 409