sábado, 31 de dezembro de 2011

Corrida Internacional de São Silvestre

O Etíope Tariku Bekele, de 24 anos, venceu a 87ª Corrida Internacional de São Silvestre, realizada em São Paulo. A Etiópia não vencia desde 2001, mas agora volta a comemorar o primeiro lugar na São Silvestre. O vencedor da São Silvestre é irmao do campeão olímpico, Kenenisa Bekele, ganhador de três medalhas de ouro nos Jogos de Atenas (Grécia) e Pequim (China).

O melhor brasileiro na prova foi Damião Ancelmo de Souza, em sétimo, e Marílson Gomes dos Santos, que buscava o tetracampeonato, terminou em oitavo lugar.

No feminino a vencedora foi a queniana Priscah Jeptoo, e Cruz Nonata foi a melhor brasileira na prova, chegando na sexta colocação.

Classificação
01º) Tariku Bekele (ETI) - 43m35s
02º) Mark Korir (QUE) - 43m58s
03º) Matthew Kisorio (QUE) - 44m12s
04º) Martin Lel (QUE) - 44m28s
05º) Najin El Qady (MAR) - 44m32s
06º) Barnabas Kosgei (QUE) - 44m45s
07º) Damião de Souza (BRA) - 44m53s
08º) Marílson Gomes dos Santos (BRA) - 45m06s.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Seguro desemprego

O valor do seguro desemprego será reajustado em 14% a partir de 01º de janeiro. A resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) foi publicada na edição desta sexta-feira no Diário Oficial da União. O reajuste do seguro foi o mesmo anunciado para o salário mínimo, que também passará a valer no próximo ano.

Segundo o anúncio publicado, quando a média dos últimos três salários do trabalhador - anteriores à dispensa - for de até R$ 1.026,77, o valor da parcela será o resultado da média salarial multiplicado por 0,8. Porém, quando a mesma média ficar entre R$ 1.026,78 e R$ 1.711,45, deve-se multiplicar o valor por 0,8 até o limite da faixa anterior e, acima disso, pelo fator 0,5. Desse modo, a parcela do seguro desemprego será o resultado da soma dos dois valores.

Além disso, se a média dos últimos três salários do trabalhador ficar acima de R$ 1.711,45, o valor da parcela do seguro desemprego será invariavelmente de R$ 1.163,76.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Literatura

"Manual de Redação e Estilo Para Mídias Convergentes"
Esta obra procura ser um manual de redação multimídia, englobando características próprias dos considerados principais veículos de comunicação - jornal, revistas, rádio, televisão, internet. A autora, Dad Squari, busca ensinar como escrever para cada um deles, quais são as idiossincrasias de cada meio, o que pode o que não pode, entre outros. Além de tratar da confluência de mídias, o manual traz um S.O.S. sobre as principais dúvidas de gramática, erros mais comuns, grafia, padronização, estilo, informações sobre países, estados, siglas, estrangeirismos, termos técnicos relativos a armas, ao direito, à medicina, tudo apresentado em ordem alfabética.

A autora
Dad Abi Chahine Squarisi nasceu em Beirute, no Libano, em 1946.

Como exilada, viveu na França, Espanha, Argentina, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, quando passou a residir em Brasília a partir 1968.

Cursou Letras na UnB (Universidade de Brasília), e fez especialização em Linguística e mestrado em Teoria da Literatura.

É editora de Opinião do Correio Braziliense, comentarista da TV Brasília e professora de edição de textos do Centro Universitário de Brasília. Assina a coluna Dicas de Português, publicada em 15 jornais do país.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Presidente Bernardes

Presidente Bernardes é um municícipio de Minas Gerais, localizado no vale do Rio Piranga, o mesmo que banha as cidades de Guaraciaba e Ponte Nova e é um dos afluentes do Rio Doce.

História
Fundação: 12 de dezembro de 1953.

A cidade de Presidente Bernardes foi descoberta antes de 1710 e se chamava Calambau, termo de origem indígena, formado por duas palavras: kala e ambaua que significa lugar onde o mato é ralo e o rio faz a curva. População: 5.537 habitantes (IBGE/2010).

Presidente Bernardes é um municícipio de São Paulo, localizado no noroeste paulista, região de Presidente Prudente.

História
Fundação: 01º de novembro de 1919

A cidade de Presidente Bernardes foi desbravada por José Soares Marcondes, Manoel Goulart e pelos irmãos Luiz Ramos e Silva e Arthur Ramos e Silva Júnior. População: 13.570 habitantes (Censo/2010).

Artur da Silva Bernardes nasceu na cidade de Viçosa, na Zona da Mata Mineira, no dia 08 de agosto de 1875 e morreu np Rio de Janeiro no dia 23 de março de 1955.

Formado em direito, foi presidente de Minas Gerais (cargo equivalente a Governador), de 1918 a 1922 e presidente do Brasil, de 15 de novembro de 1922 a 15 de novembro de 1926.

Estudou no Colégio do Caraça. Após formar-se na Faculdade Livre de Direito, iniciou sua carreira política como vereador e presidente da Câmara Municipal de Viçosa em 1906. Foi deputado federal (de 1909 a 1910) e Secretário de Finanças de Minas Gerais em 1910. Foi eleito para um novo mandato de deputado federal (1915 a 1917).

Artur Bernardes venceu as eleições presidenciais de 1 de março de 1922, obtendo 466.877 votos contra 317.714 votos dados a Nilo Peçanha, em uma eleição que dividiu o país: Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro apoiaram Nilo Peçanha e os demais estados deram apoio à candidatura Bernardes.
Seu vice-presidente foi Estácio Coimbra que substituiu Urbano Santos, vice-presidente eleito, também em 01º de março de 1922, e que morreu no dia 07 de Maio de 1922, antes de tomar posse.

Quando presidente da república, fundou a Escola Superior de Agricultura e Veterinaria em sua cidade natal, Viçosa, que viria depois a se tornar a Universidade Federal de Viçosa.

Após a presidência, foi eleito senador da república, mandato que exerceu até 1930.

Presidente Bernardes-MG

Moradores de Presidente Bernardes querem antigo nome da cidade
Grupo de moradores tenta recuperar designação primitiva de Calambau, dada por indígenas no século 18. Denominação foi trocada três vezes

Presidente Bernardes – De Calambau a Presidente Bernardes, há um caminho pavimentado por polêmica e histórias que atravessa quase seis décadas e, pelo andar da carruagem, promete render ainda muita discussão. Quem viver verá – e muita gente, principalmente aqueles com mais de 50 anos, sabe que o assunto divide, comove e não deixa ninguém indiferente, nem mesmo os jovens. O município de 5,8 mil habitantes, na Zona da Mata, nasceu no século 18 como Calambau – na língua dos índios puris, “lugar onde o mato é ralo e o rio faz a curva”, em referência ao Rio Piranga, afluente do Rio Doce. O tempo passou até que, em 1953, por lei, o antigo distrito se emancipou de Piranga e ganhou o nome do presidente da República Artur Bernardes (1875-1955), mineiro de Viçosa, que ocupou o cargo entre 1922 e 1926. Na década de 1980, voltou a ser Calambau e depois Presidente Bernardes. Pensa que acabou? Nada disso. Agora está em curso na cidade um movimento para que seja feito um plebiscito a fim de restaurar Calambau como nome oficial.

O aposentado Murilo Vidigal Carneiro, de 70 anos, é um dos entusiastas da mudança de nome, certo de que Calambau, localizada no circuito da Estrada Real, traduz bem a história do município. Guardião da memória local, ele pesquisa documentos, recortes de jornais e os livros Calambau – A recuperação do antigo topônimo e Os antepassados – A sua terra, de autoria de Pedro Maciel Vidigal (1909-2005), que foi padre, integrante do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais e depois deputado federal. “Eu nasci em Calambau (1941), me casei em Presidente Bernardes (1954) e fui gerente da Minascaixa (1986) em Calambau”, conta Murilo, mostrando a placa do jipe que tinha quando a cidade voltou ao nome primitivo.

“O melhor jeito de saber se a população quer a mudança é fazendo o plebiscito”, diz Murilo, ao lado do amigo, o artista plástico José Maria Carneiro Neto, de 55, outro defensor ferrenho da volta para Calambau. Os dois se animam ao ver o andamento da enquete feita pelo site www.calambaupb.webnode.com.br, criado pelo adolescente Jean Paulo Oliveira, de 16. No último placar, Calambau estava com 162 votos e Presidente Bernardes, 45. “Há um apoio grande especialmente dos jovens”, orgulha-se Murilo. José Maria criou para o endereço eletrônico um lema que traduz bem o clima de “campanha”: ”Ser calambauense é ter berço diferente, recordar o passado, acreditar no futuro e viver o presente.” Os partidários da mudança vão procurar a Câmara Municipal, no ano que vem, e apresentarão o resultado da enquete. O presidente eleito do Legislativo municipal, José Maria Guimarães (PT), aprova de antemão a ideia de um plebiscito.

HISTÓRIA
Na sala de sua casa, ao lado da Matriz de Santo Antônio, na Praça Cônego Lopes, Murilo conta a história das mudanças de nome. Os primeiros registros datam do início do século 18, antes de 1710, quando bandeirantes paulistas, tendo à frente João de Siqueira Afonso, de Taubaté, chegaram à localidade chamada pelos índios de Calambau – ou Calambao (na grafia antiga). A Lei nº 1.039, de 12 de dezembro de 1953, criou o município de Presidente Bernardes, emancipado, então, de Piranga. A mudança em 1954 foi por motivos políticos e recebeu até críticas do poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Ele escreveu: “Estava a cidade de Calambau posta em sossego, quando um deputado perrista (do antigo Partido Republicano/PR) reparou em seu saboroso nome e achou-o feio; o senso estético revoltou-se e, unido ao senso cívico, (esta mistura é rara), redigiu logo um projeto-de-lei nos seguintes termos: Artigo único – Calambau passa a chamar-se Presidente Bernardes”.

Em 14 de janeiro de 1954, Drummond voltou a atacar: “O passado vale mil vezes o presente, o qual só valerá alguma cousa (sic) daqui a mil anos, e olhe lá. Os nomes das cidades, feios ou bonitos, deviam ser tombados para sempre pelo Patrimônio Histórico, e punido com pena de morte quem ousasse trocá-los. Não troquem os nomes. Não adianta nada à glória dos sujeitos e gera na alma de cada munícipe um profundo, irreparável desgosto”.

Segundo a professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Maria Cândida Trindade Costa de Seabra, coordenadora do Grupo Mineiro de Estudos do Léxico, os topônimos (nomes das cidades) confirmam a tese de que a história das palavras caminha muito próxima da vida do grupo que dela faz uso. Essa é a razão pela qual a atribuição de um nome a um lugar envolve fatores linguísticos, étnicos, socioculturais, históricos e ideológicos. “O topônimo é um patrimônio e deve ser preservado. Muitas vezes, fazem a troca numa situação meramente política”, afirma.

Discussão está nas ruas
Basta caminhar pelas ruas da cidade para ver que a disputa entre calambauenses e bernardenses deixa muita gente irritada, com os nervos à flor da pele mesmo. Na Praça Cônego Lopes, em frente à matriz, um comerciante, nervoso, não quer muita conversa. “Sou Presidente Bernardes, uai. É só isso! Calambau…”, esbraveja. Outros lojistas preferem não se pronunciar, alegando que a polêmica resvala para disputa política. Diante do retrato em homenagem ao ex-presidente, o motorista José Arlindo Braz, de 26, afirma, com simpatia, que “Calambau é um nome do tempo dos antigos. Presidente Bernardes combina mais com a cidade”.

Sentadas na tarde calma, no banco da praça, as amigas e estudantes Solange de Lana Bernardo, de 17, e Letícia Aparecida Badaró, de 17, votariam em Calambau, caso fosse feito o plebiscito. “O povo já trata a cidade de Calambau, então fica muito mais fácil chamá-la assim”, comenta Solange, enquanto Letícia lembra que há outra cidade com o nome atual, em São Paulo. A questão se tornou tão curiosa que muitos moradores resolveram juntar as partes e criar “Presidente Calambau”. É dessa forma, bem-humorada e carinhosa, que a professora aposentada Rita do Rosário Pompéia Soares Quintão, de 58, chama a sua cidade, tendo em vista os laços familiares, cada lado com uma ideia. “Mas acho Calambau bem mais bonito”, confessa.
 
Entenda o caso
Século 18 - Antes de 1710, bandeirantes paulistas, tendo à frente João de Siqueira Afonso, de Taubaté, chegam à localidade chamada pelos índios puris de Calambau – ou Calambao (na grafia antiga)

1953 - Lei nº 1.039, de 12 de dezembro, cria o município de Presidente Bernardes, em substituição a Calambau, que pertencia a Piranga

1954 - Em 31 de janeiro, é instalado oficialmente o município de Presidente Bernardes

1986 - Em 1º de janeiro, pela lei municipal nº 354/85, Presidente Bernardes volta a se chamar Calambau. Vereadores se baseiam no decreto-lei federal 5.001/1943, que impede duas cidades brasileiras de terem o mesmo nome – a outra fica em São Paulo, criada em 1925

1988 - O Executivo municipal aprova lei alterando novamente o nome para Presidente Bernardes. Mudança do topônimo é aprovada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

2011 - Moradores iniciam movimento, no boca a boca e pela internet, para que Calambau volte a ser o nome do município. Objetivo é fazer plebiscito para população decidir.
Fonte: http://www.uai.com.br/

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Vale do Paraíba

Glórias de um passado
Nem só de Guará, Taubaté e São José viveu o futebol da região. Hoje, muitos times que fizeram história no Paulistão estão licenciados ou não existem mais

por Bruno Castilho (especial para o Vale)

Hoje, quem acompanha o futebol do Vale com sete equipes, sendo três, Taubaté, São José e Guaratinguetá, com maior destaque, talvez não se lembre, ou não saiba, que a região teve vários outros times que disputaram o Paulistão.

Dezoito equipes, que não estão mais entre nós, já jogaram pelo menos uma vez o campeonato estadual.

Um exemplo é o Cruzeiro Futebol Clube, que teve seus anos de glória e decadência nos anos 1980, quando subiu para a série A-2 em 1981 e quando encerrou suas atividades profissionais em 1988.

Para o ex-presidente do clube Luís Henrique Turner, ficaram apenas as memórias de uma vitória sobre o São José, por 1 a 0 no Martins Pereira e do zagueiro Adílson, revelado pelo clube e campeão mundial pelo São Paulo em 1992.

“O futebol acabou porque começou a tomar muito dinheiro da sede social, prejudicando os associados”, afirmou.

Lobo. Muito antes da Garça, a cidade vibrava com a Associação Esportiva Guaratinguetá, que tinha como mascote o Lobo Guará.

Fundado em 1915, o time foi campeão paulista da segunda divisão em 1960 e disputou a elite da competição até 1964.

Ao todo, foram 37 participações da Esportiva em Campeonatos Paulistas, a última delas na B1-B, antiga quinta divisão, em 1998. “A derrocada começou em 1988, quando caiu algumas vezes e no último ano o time ficou quatro meses sem pagar salários”, disse João Carlos Fonseca, o Cacalo, goleiro do clube entre 1978 e 1992.

Caraguá
A falta de dinheiro também afetou o XV de Caraguatatuba. Fundado em 1934, o Leão do Litoral conseguiu alguns acessos na década de 1990, sendo uma delas para a série A-3, em 1997.

Mas a vaga não veio porque o estádio não tinha a capacidade mínima exigida, para 10 mil torcedores. O último ano foi em 2005, quando se licenciou após disputar a B1-A.

“O clube não está extinto, só licenciado. Para voltar, precisamos primeiro quitar as dívidas e arrumar o setor social”, explicou Pedro dos Santos, presidente do XV.

Conheça as outras equipes
Além de Cruzeiro Futebol Clube, Esportiva de Guará e XV de Caraguá, a região teve vários times conhecidos e outros nem tanto.

Em Aparecida, existiram o Aparecida Esporte Clube, licenciado em 1997, e o Esporte Clube Aparecida, que disputou campeonatos entre 1956 e 1959.

Em Caçapava, a Caçapavense jogou entre 1964 e 1966, disputando espaço com o Providro, em 1966. O Corinthians Vale, mandou jogos na cidade no final dos anos 1990.

A cidade de Cruzeiro também teve outros três times: o Expulancex, o Frigorífico e o União Cruzeirense. Guaratinguetá abrigou o Teci-Guará, que jogou em 1957, também não existe mais.

O Estrela de Piquete disputou 20 campeonatos paulista entre 1957 e 1977.

Em São José, existiram o Corintians, o Rhodosá e o Grêmio Santanense, que teve sete participações na terceira divisão, entre 1986 e 1992.

Em Jacareí, existiu o Elvira; em Lorena, o Hepacaré; em Pinda, a Ferroviária; em Tremembé, o Creix; e em Taubaté, o Ceteiense, em alusão à CTI (Companhia Taubaté Industrial).

Aparecida E.C. e seu rival
Muitos não sabem, mas a rivalidade no futebol do Vale não se resumia apenas a Taubaté e São José. Nos anos 1980, outras duas agremiações da região rivalizavam em divisões menores do Campeonato Paulista.

Trata-se do confronto entre Aparecida E.C. e Cruzeiro F.C. que, em 1981, subiram juntos da terceira para a segunda divisão onde batalharam jogo a jogo, ponto a ponto até 1987, quando os cruzeirenses disputaram seu último campeonato.

De acordo com o ex-presidente do Aparecida, Joaquim Rodrigues, o encontro entre os dois times no campo era quente.

“Sempre quando tinha jogo entre Cruzeiro e Aparecida sempre acontecia alguma coisa”, afirmou Rodrigues, ou Quim Joia, como é conhecido.

Ainda segundo o ex-presidente, o ápice da rivalidade foi em 1983. Mas hoje ele lamenta o fato dos dois times não disputarem competições oficiais.

“É uma pena. Vamos batalhar para que alguém consiga pagar a taxa para filiar novamente o Aparecida na federação e começarmos a nova caminhada”, disse.
Fonte: http://www.ovale.com.br/

2012 - feriados

O governo federal divulgou nesta segunda-feira, 26/12, no "Diário Oficial da União" a relação de feriados nacionais e pontos facultativos para 2012.

São 16 datas, sendo oito feriados nacionais e oito pontos facultativos para órgãos públicos federais.
Não entram na lista as datas municipais ou estaduais lembradas com feriado ou ponto facultativo.

Feriado
01º de janeiro - Confraternização Universal
21 de abril - Tiradentes
01º de maio de 2012 - Dia do Trabalho e do Trabalhador
07 de setembro de 2012 Independência do Brasil
12 de outubro - Nossa Senhora Aparecida
02 de novembro- Finados
15 de novembro de 2012 - Proclamação da República
25 de dezembro - Natal.

Ponto facultativo
20 de fevereiro - Carnaval
21 de fevereiro - Carnaval
22 de fevereiro - Quarta-feira de Cinzas
06 de abril - Paixão de Cristo, sexta-feira santa
07 de junho - Corpus Christi
28 de outubro - Dia do servidor público
24 de dezembro - Véspera de Natal
31 de dezembro -Véspera de Ano-Novo.

sábado, 24 de dezembro de 2011

O Jornalista e o diploma

Diploma. Por que não?
por Marcus Tavares*
A discussão sobre a exigência do diploma para o exercício do jornalismo voltou à tona. O Senado aprovou, em primeiro turno, a proposta de emenda constitucional que estabelece a necessidade do curso superior para a prática da profissão. Desde 2009, por determinação do Supremo Tribunal Federal, o diploma não é exigido.

Sou a favor, sim, do diploma. Não é uma questão de reserva de mercado. Mas de especialização necessária e indispensável para lidar, cada vez mais, com uma sociedade envolvida com a comunicação de forma onipresente e instantânea, onde todos são produtores e receptores de informação. Um direito importante que foi conquistado e viabilizado pelas novas tecnologias.

O que defendo é uma qualificação para aqueles que querem fazer do jornalismo, do ato de comunicar, seu meio de trabalho. Isso quer dizer que a obrigatoriedade do diploma não impede a colaboração de não-jornalistas. Nunca impediu e nem vai. Sejam como articulistas, comentaristas ou na figura do jornalismo cidadão.

A ética precisa ser discutida, sim, e cada vez mais, no espaço acadêmico. Assim como novas formas de produção, a estética e o conteúdo. Isso sem contar o estudo de áreas do conhecimento que vão dar estofo para a reflexão, para a conexão e para a formação cultural e intelectual do indivíduo, capaz de repensar o jornalismo, sua função, produto e comunicação com o público.

Com raras exceções, essa reflexão não acontece nas redações. Quando o jornalista entra para o mercado, ele entra numa roda-viva já formatada, sem oportunidade para debater o próprio trabalho (e aqui tomo a liberdade de parabenizar O DIA por abrir, há seis anos, esse espaço de opinião, no qual sempre debato e questiono temas ligados à educação e à mídia. Isso é um diferencial e prova de amadurecimento).

Creio que a universidade seja o caminho necessário — e por que não obrigatório? Não quero afirmar que os cursos de jornalismo não precisam repensar sua dinâmica. Mas percebe-se um esforço grande dos professores. Neste sentido, ganham a sociedade e os jornalistas.
*Marcus Tavares é Professor e jornalista especializado em Educação e Mídia
Fonte: http://www.odia.ig.com.br/

Mega-Sena

Mega-Sena acumulada sai para apostador de Juiz de Fora
Vencedor vai receber sozinho R$ 7 milhões

Um apostador de Juiz de Fora-MG, acertou sozinho os seis números do concurso 1.349 da Mega-Sena, neste sábado, 24/12, e levou sozinho o prêmio de R$ 7.099.412,95.
 
As dezenas sorteadas foram : 09 - 19 - 20 - 50 - 51 - 60.

Outros 168 apostadores acertaram a quina e vão levar, cada um, R$ 9.132,18. Mais 7.012 jogadores fizeram a quadra e irão receber R$ 312,56.

Agora, o próximo sorteio será o da Mega da Virada, no dia 31. As apostas podem ser feitas nesta semana em qualquer casa lotérica e custam a partir de R$ 2. A estimativa é que o prêmio da última Mega do ano seja de R$ 170 milhões.

Libertadores 2012

A Conmebol divulgou a lista atualizada com as datas dos jogos da pré-Libertadores e da fase de grupos da competição continental. Por serem obrigados a disputar a preliminar, Flamengo e Inter serão os primeiros clubes brasileiros a estrear, atuando em 25 de janeiro.

O Internacional enfrenta o Once Caldas. Já o Flamengo tem como adversário o Real Postosí (BOL). Os jogos de ida acontecem em 25 de janeiro. Os duelos de volta estão agendados para 1º de fevereiro.

Fluminense, Vasco, Santos e Corinthians  farão suas primeiras partidas apenas em fevereiro. O Fluminense inicia a Libertadores jogando em casa contra o vencedor de Arsenal (ARG) x Sport Huncayo (PER), em 7 de fevereiro. No dia seguinte será a vez do Vasco, que recebe o Nacional (URU).

No dia 15 de fevereiro ocorrerão os seguintes confrontos com brasileiros: The Strongest (BOL) x Santos; e Deportivo Táchira (VEN) x Corinthians.

Pré-Libertadores:
25/01 - Real Potosí (BOL) x Flamengo
25/01 - Inter x Once Caldas (COL)

Grupo 1 -
15/02 - The Strongest (BOL) x Santos

Grupo 4
07/02 - Fluminense x Arsenal (ARG) ou Sport Huncayo (PER)

Grupo 5
08/02 - Vasco x Nacional (URU)

Grupo 6
15/02 - Deportivo Táchira (VEN) x Corinthians.

Radiodifusão

As rádios Guarujá AM 1420 e Antena 1 FM 92.1, pertencentes à Sociedade Rádio Guarujá de Florianópolis (Grupo Hoepeck), foram arrendadas para a Família Petrelli, controladora do Grupo RIC no Paraná e em Santa Catarina. E a freqüência AM 1470 que hoje transmite a Rádio Record AM Santa Catarina foi arrendada para a Igreja Mundial do Poder de Deus, que deverá retransmitir o sinal da Se tu uma Benção (já presente em outros centros brasileiros).

Foi concretizada a aquisição das rádios por parte da RIC (Rede Independência de Comunicação), marcando a estréia do grupo sulista no mercado de rádio de Santa Catarina. A RIC Paraná já trabalha com emissoras de rádios, sendo elas: Jovem Pan 2 FM 103.9 de Curitiba, Jovem Pan 2 FM 101.5 de Cascavel, Jovem Pan 2 FM 103.5 de Ponta Grossa, Rede Aleluia FM 104.3 de Maringá e uma futura rádio em 105.1 FM na cidade de Foz do Iguaçu.

A rede paulista Antena 1 será mantida na capital catarinense, em 92.1 FM. Hoje a emissora é dona da liderança no segmento adulto contemporâneo de Florianópolis, além de ser a principal representante da marca em território catarinense (rede que conta com quatro afiliadas em Santa Ctarina, contando com a capital do estado). A rede paulista opera na cidade desde 1996 e é considerada uma das principais FMs do estado.

Já a Guarujá AM, que passará a chamar-se Record Guarujá ou Guarujá Record, a partir de janeiro, sendo uma mescla da programação das duas emissoras que darão nome à nova rádio, levando ao público-alvo da nova rádio esporte, notícias e variedades. E a freqüência AM 1470 transmitirá programação produzida pela Igreja Mundial, ou seja, a rede nacional Se tu uma Benção (que na região sul já opera em Curitiba através dos 92.9 FM).
Fonte: http://www.tudoradio.com/

CONSIDERAÇÕES:
Não sei se comemoro ou lamento!
Enquanto a Guarujá vai, por enquanto, permanecer VIVA, os mercadores da fé, como sempre fazem, vão MATAR outro canal, o 1470.
E o ministério das comunicações?
Áh! Esse continua praticando a sua omissão de sempre!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A hora e a vez dos trens turísticos

por Adonai Aires de Arruda Filho*
O turismo brasileiro registra resultados positivos nos últimos anos. Um estudo do Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Publica e Estatística) mostra que 40% dos brasileiros viajam três ou mais vezes por ano e, especificamente, a classe média viaja duas vezes. Um dos principais motivos para esta alta são o crescimento social e a curiosidade pelos destinos. A soma desses fatores fez com que especialistas do turismo projetassem um crescimento maior para o setor nos próximos anos.

Frente a este crescimento a passos largos, podemos destacar os trens turísticos que são produtos de apelo e muito interessantes de serem trabalhados. Além de ajudar a preservar as estações e trens que fazem parte da história do país, a natureza ao entorno das malhas pode ser mantida intacta, favorecendo as belas vistas a bordo dos vagões e preservando ecologicamente os trajetos. Podemos perceber que essas são questões que tornam cada vez mais populares entre as pessoas na hora de escolher um destino para sua viagem.

Esses fatores fizeram com que o ano de 2011 rendesse um desenvolvimento para esse mercado, onde se pode notar que brasileiro está retomando a paixão por passeios ferroviários. A cada ano, a comercialização de trens turísticos cresce uma média de 9% por si só, número este, bastante relevante.

A Serra Verde Express opera há 14 anos e sente esse crescimento de forma palpável. Dentre as opções que disponibiliza, possui o trajeto da Serra do Mar no Paraná (PR), Trem do Pantanal (MS), das Montanhas Capixabas (ES) e pretende ampliar a oferta de produtos pelos trilhos brasileiros, além da incursão em novos trechos ferroviários.

Por meio da BWT Operadora, empresa que possui mais de uma década no mercado, desenvolve novos roteiros e começa a explorar trens já consagrados, porém pouco disponíveis na prateleira das operadoras, como por exemplo, os trens das cidades históricas de Minas Gerais. O Trem do Pantanal ganhou novos adeptos nestes últimos três meses, o que demonstra o grande interesse do viajante. Já o trem das Montanhas duplicou o numero de passageiros com relação ao ano passado. No Paraná, um dos produtos consolidados e de maior sucesso é o trem de Luxo, eleito pela empresa Lufthansa City Center, como o principal no Brasil sendo exposta na prateleira em 600 lojas pelo mundo.

A Serra Verde Express está com projetos de expansão para o Rio de Janeiro (RJ), com o trem da Mata Atlântica em Angra dos Reis, Santa Catarina (SC) e Paraná (PR), com o trem do Contestado nas cidades de Porto União e União da Vitória, São Paulo (SP) na cidade de São Roque e o trem para a Lapa no Paraná (PR).

Provavelmente, estes novos trechos entrarão em operação até o segundo semestre de 2012, o que reflete o tamanho da demanda do mercado em que está inserido. A empresa fecha este ciclo de 2011 com balanço positivo e perspectivas altas de desenvolvimento. Aproximadamente 200 mil passageiros foram movimentados em nossas quatro operações, o que representa um crescimento aproximado de 18% em relação ao ano passado. Com todos os investimentos que estão sendo realizados e a expansão da malha, a expectativa é alcançar a marca de 240 mil passageiros no próximo ano.
*Adonai Aires de Arruda Filho é Diretor Comercial da Serra Verde Express
Colaboração: Luiz Carlos Martins Pinheiro
Fonte: http://www.amantesdaferrovia.com.br/

Fórmula Indy 2012

Fórmula Indy

A organização da Fórmula Indy divulgou o calendário para 2012, que ainda pode ser ampliado, com a inclusisão de outras corridas.

A corrida da do Brasil será no dia 29 de abril em São Paulo, em um circuito a ser montado no Anhembi e na marginal Tietê.

Até o momento, apenas Helio Castro Neves, da Penske, está com emprego garantido. Tony Kanaan, Vitor Meira e Bia Figueiredo ainda negociam com as equipes.

A principal novidade foi a saída do Japão e a inclusão da China, que terá a sua primeira prova da Indy nas ruas de Qingdaio, em 19 de agosto.

No total, serão 15 corridas, mas ainda há a possibilidade de haver até 17 --a de São Paulo será a quarta e a chinesa, a 12ª. A última prova está prevista para o dia 15 de setembro, no oval de Fontana.

A tradicional 500 milhas de Indianápolis será dia 27 de maio.

Las Vegas ficou fora do calendário depois da morte do piloto inglês Dan Wheldon que se envolveu em um mega acidente com mais 14 carros na última prova deste ano.

Em 2012, duas provas serão noturnas: Texas (9 de junho) e Iowa (23 de junho). A novidade também é a entrada do novo chassi da Dallara e do retorno da competição entre as fabricantes de motor (Chevrolet e Lotus se juntaram à Honda).

Veja o calendário da Indy para 2012:
25 de março: St. Petersburg (rua)
01º de abril: Barber Motorsports Park (misto)
15 de abril: Long Beach (rua)
29 de abril: São Paulo (rua/sambódromo)
27 de maio: Indianapolis Motor Speedway (oval)
03 de junho: Detroit (rua)
09 de junho: Texas (oval)
23 de junho: Iowa (oval)
08 de julho: Toronto (rua)
22 de julho: Edmonton (aeroporto)
05 de agosto: Mid-Ohio (misto)
19 de agosto: Qingdao, China (rua)
26 de agosto: Infineon Raceway (misto)
02 de setembro: Baltimore (rua)
15 de setembro: Fontana (oval).

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Cristo Redentor

História
A história do Cristo Redentor começou em 1859, quando o padre Pedro Maria Boss teve a idéia de erguer um monumento religioso no Morro do Corcovado, que anos antes era chamado de Pináculo da Tentação. Ele pediu recursos para a Princesa Isabel, mas ela negou. Somente em 1921 é que o projeto foi retomado.
A intenção era construir uma estátua de bronze, representando Jesus Cristo abençoando o Brasil, no alto do Pão de Açúcar, para comemorar o Centenário da Independência, que aconteceria no ano seguinte. Para isso, algumas assembléias foram organizadas para discutir o projeto e local da edificação. A dúvida era entre o Pão de Açúcar, o Corcovado e o Morro de Santo Antônio. Optou-se pelo Corcovado por ser o mais alto e estruturado.
A pedra fundamental da construção foi lançada no dia 4 de abril de 1922. Quatro anos depois, as obras foram iniciadas.
O engenheiro Heitor da Silva Costa tornou-se responsável pelo projeto através de concurso. Ele foi para a Europa e escolheu o arquiteto Paul Landowsky para desenvolver a maquete definitiva da estátua e estudar os problemas de construção e base. Enquanto isso, a Igreja Católica iniciou no Rio de Janeiro a Semana do Monumento, que foi uma campanha para arrecadar contribuições para a construção.

Até 1928, várias maquetes foram elaboradas para aperfeiçoar o Cristo Redentor. Neste ano, a armação metálica foi substituída por uma estrutura de cimento armada e a imagem assumiu a forma de uma cruz. Vários materiais foram cogitados para seu revestimento, mas, por fim, foi escolhida a pedra-sabão, pois é extremamente resistente ao tempo, além de não deformar e nem rachar com as variações de temperatura.
Em 1931 não se falava outra coisa na cidade. A chegada e a montagem da estátua e os preparativos para a inauguração eram os assuntos preferidos dos cariocas. Inaugurado em 1884 por D. Pedro II, o Trem do Corcovado foi o responsável pelo transporte das peças e dos funcionários que trabalharam na obra.

O esperado monumento do Cristo Redentor foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1931, no alto do Morro do Corcovado. A consagração foi feita pelo cardeal Dom Sebastião Leme. Segundo sua pregação, os objetivos da estátua eram evangelização e retomada do poder da Igreja no Estado Republicano. O chefe do Governo Provisório, Getúlio Vargas, e todo o seu ministério também participaram da cerimônia.
Em 1934, o Cristo recebeu a visita do então secretário de Estado do Vaticano, Eugênio Pacelli. Cinco anos depois, Pacelli se tornaria o Papa Pio XII. Em 1980, foi a vez do Papa João Paulo II. Ele emocionou o mundo ao abençoar o Rio lá de cima.

Os anos se passaram, o local recebeu nova iluminação e seus acessos se modernizaram. Em 2003, foram inaugurados os elevadores panorâmicos e as escadas rolantes. Antes, era preciso enfrentar 220 degraus que levam até a imagem.
O monumento do Cristo Redentor completou 75 anos em 2006. Como homenagem, a Capela Nossa Senhora Aparecida, aos pés da estátua, se tornou um santuário pela Arquidiocese do Rio. Ela já está sendo reformada e em breve poderá celebrar casamentos, batizados e missas, além de receber fiéis.

Em 2007, Cristo Redentor é o candidato brasileiro na lista das sete novas maravilhas do mundo. O monumento concorre com outros 20 cartões-postais e o resultado da maior votação do planeta será divulgado no dia 7 de julho.
A estátua do Cristo do Redentor foi eleita uma das novas sete novas maravilhas do mundo.
Polêmicas
- A estátua já foi motivo de muitas divergências entre a Arquidiocese do Rio, artistas e empresas que, inspiradas no cartão-postal, acabaram comprando briga com a cúpula religiosa. - Em julho de 2001, durante os desfiles da 8ª Semana BarraShopping de Estilo, a marca Salinas teve que se desculpar com o então arcebispo do Rio, Dom Eugenio Sales, depois de estampar a imagem do Cristo Redentor em maiôs e biquínis.

- Em 2000, a Peugeot também tentou usar a imagem em outdoors, anunciando a escolha do Rio como sede da fábrica. No entanto, a montadora teve que recuar diante dos pedidos da Arquidiocese.

- O episódio que mais causou polêmica foi quando a estátua apareceu em plena Marquês de Sapucaí, em um desfile da Beija-Flor. O carnavalesco Joãozinho Trinta usou a imagem do Cristo Redentor de braços abertos para toda a impunidade e desigualdade carioca, representada em um carro alegórico da escola. A Arquidiocese proibiu o uso da imagem sagrada em um ritual pagão e Joãozinho não se contentou. Ele levou para a Avenida um Cristo coberto por um plástico preto e com uma faixa com os dizeres "Mesmo proibido, olhai por nós".
Medidas
Localização - Cume do Morro do Corcovado, 710 metros acima do nível do mar
Visibilidade - 360 graus
Altura total do monumento - 38 metros
Altura da estátua - 30 metros
Altura do pedestal - 8 metros
Altura da cabeça - 3,75 metros
Comprimento da mão - 3,20 metros
Distância entre os extremos dos dedos - 28 metros
Peso da estátua - 1,145
tonelada Peso da cabeça
- 30 toneladas
Peso de cada mão - 8 toneladas
Peso de cada braço
- 57 toneladas

Barbosa Filho

Comentarista esportivo de rádio e de TV, Barbosa Filho morreu na madrugada do dia 12 de julho de 2007, vítima de câncer, e seu corpo foi cremado no bairro da Vila Alpina, zona leste da capital paulista. Ele estava aposentado e morava em Vinhedo, no interior de São Paulo (região de Campinas) com sua esposa D- Luci e sua filha Christianne.


por Edemar Annuseck Júnior*

PRINCÍPIO
Jaime Lopes Barbosa, nacionalmente conhecido como Barbosa Filho, nasceu na ilha de São Luís do Maranhão, às margens da baía de S. Marcos.

A Segunda Guerra Mundial ainda estava em pleno curso, no dia em que o futuro comentarista de renomada popularidade deu seu primeiro passo na crônica esportiva da capital maranhense.

CARREIRA
Foi como narrador esportivo da Rádio Ribamar que Barbosa Filho estreou profissionalmente, aos 18 anos de idade.

No ano seguinte, a Rádio Iracema lhe adquiriu o passe, forçando-o a trocar São Luís por Fortaleza. Em 1948, o interesse dos Diários Associados por seu nome lhe rendeu um novo contrato, dessa vez com a Ceará Rádio Clube, emissora vinculada ao grupo de Assis Chateaubriand.

Em 1950, Barbosa Filho foi contratado pela Rádio Tamoio do Rio de Janeiro, para narrar os jogos da V Copa do Mundo. Uma sucessão de acontecimentos alterou, contudo, a proposta original da emissora carioca. Poucos meses antes do Mundial, o famoso Ari Barroso, diretor dos Diários Associados no Rio de Janeiro, promoveu um concurso, a fim de escolher um narrador esportivo para cada uma das emissoras componentes da rede.

Rui Viotti, o segundo mais votado, tornou-se um dos locutores oficiais da Rádio Tamoio, secundando o narrador titular Mário Provenzano, na cobertura do evento patrocinado pela FIFA. Dessa maneira, Barbosa Filho, originalmente contratado pela emissora carioca para narrar os jogos da Copa do Mundo de 1950, trocou definitivamente a profissão de narrador pela de comentarista esportivo.

Depois de comentar o Mundial disputado em solo brasileiro, Barbosa Filho retornou brevemente à Ceará Rádio Clube, trocando-a logo a seguir pela Rádio Sociedade da Bahia, na qual permaneceu até o fim do ano.

No princípio de 1952, o ex-narrador foi contratado pela histórica Rádio Jornal do Commercio do Recife. Por causa de seu poderoso transmissor de ondas curtas, que lhe permitia ser claramente sintonizada por quem estivesse na Europa, a emissora pernambucana gozava então do slogan Radio Jornal do Commercio: Pernambuco falando para o Mundo.

Em 1954, essa grande capacidade de propagação dos transmissores da Rádio Jornal do Commercio atraiu a Rádio Bandeirantes de S. Paulo, a ponto de torná-las parceiras, na cobertura da Copa do Mundo da Suíça. Justamente esse primeiro contato com a emissora da família Saad ajudaria Barbosa Filho a ingressar no disputado cenário radiofônico paulista, na década seguinte.

Durante onze anos, Barbosa Filho empunhou o microfone da importante emissora pernambucana. A parceria só terminou em 1963, quando Édson Leite e Murilo Leite o contrataram para dirigir a Rádio Excelsior de São Paulo, cuja equipe esportiva ostensivamente alinhava os nomes de Geraldo José de Almeida, Flávio Araújo e Mário Moraes.

Mas um atrito de Édson Leite com a direção da Rádio Excelsior mudou todo o quadro, abreviando a passagem de Barbosa Filho pela nova emissora, de modo a colocá-lo novamente em contato com a família Saad.

Pouco tempo depois, Barbosa Filho estaria assumindo a coordenação da Cadeia Verde-Amarela da Rádio Bandeirantes de S. Paulo. Em 1965, quando uma grande fuga de profissionais, como Pedro Luiz e Mário Moraes, desfalcou consideravelmente o Escrete do Rádio, Barbosa Filho reassumiu sua carreira de comentarista, a pedido de Murilo Leite.

Foi durante essa nova fase que a fama de Barbosa Filho se consolidou nacionalmente, sob o slogan de “o comentarista que veio do Norte para agradar o Brasil inteiro”. Foi nesse período, também, que Mauro Pinheiro deixou de ser plantão esportivo para se transformar no comentarista titular do Scretch do Rádio.
Barbosa Filho permaneceu na Rádio Bandeirantes até o fim de 1973, quando Milton Peruzzi o contratou, durante uma viagem a Istambul, na Turquia.

Além de autografar os comentários esportivos da Rádio Gazeta de S. Paulo, Barbosa Filho passou a ter assento na primeira mesa redonda da tevê paulistana, o MESA REDONDA É COM O ONZE.

Semanalmente levado ao ar pela TV Gazeta, Canal 11 de S. Paulo, o programa era ancorado por Milton Peruzzi e contava com as participações de Barbosa Filho, Peirão de Castro, Geraldo Blota, Dalmo Pessoa e José Italiano.

Em 1975, uma grave crise assolou os meios de comunicação pernambucanos. Como maior nome da história do rádio das regiões norte e nordeste do país, Barbosa Filho foi chamado para assumir o comando da Rádio Clube de Pernambuco.

Empunhando o microfone desse novo prefixo, Barbosa Filho viajou para as Copas do Mundo da Argentina, em 1978, da Espanha, em 1982, e do México, em 1986.

Dois anos mais tarde, depois de cobrir os Jogos Olímpicos de Seul, o experiente comentarista retornou a S. Paulo. Engajando-se no meio empresarial, Barbosa Filho firmou uma parceria com Paulo Abreu – diretor presidente da CBS – e criou a Rede Brasileira dos Esportes, que, dois anos mais tarde, em 1990, ineditamente conectaria 202 emissoras espalhadas pelo Brasil inteiro, durante a cobertura da Copa do Mundo da Itália.

Sob o comando da Super Rádio Tupi de São Paulo, então dirigida pelo famoso narrador esportivo Edemar Annuseck, que Barbosa Filho tirara da Rádio Jovem Pan, em 1989, a Rede Brasileira dos Esportes era também integrada por outras duas protagonistas: a Rádio Clube de Pernambuco, que o próprio Barbosa Filho comandava ao lado de Ralph de Carvalho, e a Rádio Tamoio do Rio de Janeiro.

Esse esquema perdurou até 1992, quando Barbosa Filho assumiu o comando de esportes da Rádio Record de S. Paulo, função que exerceria até 1998, durante a Copa do Mundo da França.

Em 2002, Barbosa Filho acertou a volta de Edemar Annuseck ao rádio paulistano, com quem conjuntamente assumiu o comando de esportes da Rádio News – AM 1150 – atual Rádio Tupi. Muito embora o novo projeto tenha registrado um superlativo índice de audiência num curto espaço de tempo, a retração do mercado publicitário, aliada a doença que então acometera Barbosa Filho, precocemente anteciparam a finalização dos trabalhos.

FAMÍLIA
aime Lopes Barbosa – Barbosa Filho – o comentarista que veio do Norte para agradar o Brasil inteiro, ou simplesmente o comentarista do povão, era casado com dona Luci Buarque Barbosa, irmã do ex-Ministro da Educação e Senador pernambucano, Cristovam Buarque de Holanda.

Barbosa deixou quatro filhos: Luciano Buarque Barbosa (tenente-coronel), Ricardo Frederico Buarque Barbosa (gerente da Construtora Camargo Correa), Jaime Lopes Barbosa Filho (comerciante em Belo Horizonte) e Christianne Buarque Barbosa (casada com o empresário alemão Stefan Stegmann).
*Edemar Annuseck Júnior é Jornalista

Loterias

Histórico
Inspirada na paixão brasileira pelo futebol, foi a primeira loteria de prognósticos esportivos. Com a participação do Brasil na Copa do Mundo de 70 e a perspectiva de se conquistar um tri-campeonato o momento era propicio ao lançamento de um jogo que envolvesse este esporte que mexe com o coração de tantos brasileiros.

Instituída pelo Governo Federal em 27 de maio de 1969, seu primeiro teste ocorreu em 19 de abril de 1970, antecedendo ao evento da Copa do Mundo.

Por ocasião do lançamento, as apostas eram feitas em 49 casas lotéricas de Niterói (RJ) e Rio de Janeiro (antigo Estado da Guanabara). O sucesso desta modalidade foi tamanho que inúmeras pessoas traziam seus volantes para ali apostarem.

A implantação em todos os Estados foi concluída no teste 109, no mês de outubro/72.

A primeira modalidade da Loteria Esportiva era composta por 13 partidas de futebol, onde o apostador indicava os times vencedores ou os empates.

Ao longo de sua trajetória, sofreu algumas alterações:
A primeira, em 12 de dezembro/87, com a mudança de 13 para 16 jogos, premiando os apostadores de 15 e 16 jogos;

Em 10 de setembro/89, muda novamente para 13 prognósticos, porém com 4 faixas de prêmios: para o acerto dos 13 jogos, para o acerto dos 10 primeiros jogos, dos 10 primeiros jogos mais 1 e mais 2 jogos;

Em 24 de junho/91, foi implantada a Loteca - Loteria do Certo e do Errado, composta de 14 jogos e 2 faixas de premiação: pelo acerto dos resultados de todos os jogos programados - faixa do Certo, e pelo acerto dos empates e dos perdedores dos jogos - faixa do Errado;

Em 03 de janeiro/94, quando teve início a comercialização da nova versão da Loteria Esportiva Federal: a modalidade volta a ser igual à versão original;

Em agosto de 1999 foi implantado o Volante Permanente com o objetivo de permitir a programação dos concursos em datas mais próximas ao início das vendas, possibilitando a utilização de jogos de finais de competição, tornando a programação mais atrativa aos apostadores e reduzindo a incidência de jogos levados a sorteio;

Em fevereiro de 2002 foram implementadas mudanças com o objetivo de tornar o produto mais atraente ao público apostador, a começar pelo nome que foi alterado para LOTECA; passa a ter 14 jogos, com três faixas de premiação e probabilidade de acertos de 14, 13 e 12 pontos.

Primeiro volante da Loteria Esportiva
Nenhum apostador fez os 13 pontos no teste 001 da Loteria Esportiva, de 19 de abril de 1970.
Detalhe: os jogos de número 3 e 4 foram pelo Campeonato Carioca de Juvenis.

Repasse da Administração das Loterias à CAIXA
Em 14 de Julho de 1961, sob a presidência de Jânio da Silva Quadros, por meio do decreto 50.954, que previa que apenas idosos e deficientes poderiam receber bilhetes para revender ao público, a administração das Loterias foi repassada à CAIXA, apesar da campanha articulada pelos concessionários particulares ( entre eles a Família Peixoto de Castro, no Rio de Janeiro ), que alegavam falta de experiência da instituição para coordenar o negócio.

Além dos protestos dos concessionários privados, uma crise política se instalara no país, com a saída de Jânio Quadros da Presidência da República no mês de Agosto daquele ano e somente em 15 de Setembro de 1962, sob o governo de João Goulart ( o Jango ), ocorreu a primeira extração da Loteria Federal que pagou o prêmio de 15 milhões de cruzeiros.

Assim nascia a Loteria Federal do Brasil, sob a administração do "Conselho Superior das Caixas Econômicas Federais ", cujo objetivo era aplicar recursos em benefícios dos brasileiros". Os revendedores ligados a concessionários privados tiveram de se cadastrar na CAIXA para continuar sua atividade.

Em São Paulo/SP, os primeiros a serem cadastrados - como Revendedor Fixo Capital - RFC foram:
• RFC-01 - Antunes de Abreu (Antônio Pedromonico)
• RFC-02 - Casa Luongo ( José Luongo e Filhos)
• RFC-03 - A Preferida - Francisco Zani
• RFC-04 - A Fonte da Sorte (Luiz Fontana)
• RFC-05 - Vicente Pelegrini
• RFC-06 - Nicola Daccioppi
• RFC-07 - Metrópole Lotérica (Osvaldo Martucci)

Com a Revolução de 1964 os contratos foram cancelados unilateralmente e iniciada uma devassa na ASLF ( Administração do Serviço Loteria Federal) para apurar responsabilidades. Nessa operação, lotéricos tradicionais, como Sylvio Luongo foram ouvidos.

Nada foi provado, mas os lotéricos ficaram sem bilhetes .
Pessoas que não eram do ramo, possuíam bilhetes da LFB e os repassavam para as lotéricas mediante o pagamento de ágio ( câmbio negro ).

Para reverter a situação eles fundaram a Associação dos Lotéricos do Estado de São Paulo - ALESP - em 22.12.1966.

Ela foi a 1ª entidade da classe no país. Os lotéricos passaram a reivindicar a volta das quotas de bilhetes da LFB. Isto só foi conseguido no 2° semestre de 1967, graças a insistência da ALESP, liderada pelo presidente Antônio Pedromonico, diretor da Casa Lotérica Antunes de Abreu.

Assim, do primeiro semestre de 1964, até o segundo semestre de 1967, os lotéricos ficaram nas mãos de "atravessadores".

No dia 19 de Abril de 1970 foi realizado o primeiro teste público da Loteria Esportiva no Rio de Janeiro. As vendas inicialmente aconteceram somente naquele Estado, em 48 Revendedores Fixos credenciados para fazer estas de apostas. A partir do teste número 10 iniciaram as vendas em São Paulo. Em 1972 estava implantada em todo Brasil.

A CAIXA foi a 1ª empresa no mundo a usar a informática nas loterias. Outro fato a destacar é que também era a 2ª maior consumidora de cartões da IBM, só superada pela NASA, nos Estados Unidos.

Os jogadores Campeões da Copa de 1970, no México foram os primeiros credenciados para fazer apostas da nova loteria. Foi a maneira que a CAIXA os homenageou pela conquista.
A rotina para se efetuar a aposta era assim: o cliente ia num revendedor credenciado, preenchia o volante, onde além das escolhas dos jogos tinha que contar o nome e o endereço do apostador. O volante ficava de posse da CAIXA e o cliente ficava com um recibo. No caso de ter sido premiado, tinha um prazo de 90 dias para ser localizado. Caso contrário o bilhete prescrevia

O primeiro Revendedor Fixo de Bilhetes a ser credenciado para fazer apostas da Loteria Esportiva foi A Simpatia Lotérica, do Rio de Janeiro.

A primeira reunião nacional de lotéricos de todo o Brasil foi realizada no Hilton Hotel em São Paulo (SP), em 1976. O evento teve início no dia 26 e foi até 29 de Maio. Coube, então ao revendedor lotérico Ayr Togeiro de Moraes levantar-se durante uma reunião e propor que daquele dia, o 26 de Maio fosse declarado Dia Nacional do Revendedor Lotérico. Sua sugestão foi plenamente aceita e aclamada pela assembléia. Em 1986 a data foi incluída no Calendário Nacional de Eventos.


Em 18 de setembro de 1980, no Rio de Janeiro, aconteceu o primeiro sorteio da Loto, em caráter experimental. A partir do concurso número 2 passou a ser feita em São Paulo. Nos primeiros 36 concursos nenhum apostador conseguiu acertar os cinco números, a quina. Diante disso, a CAIXA baixou o preço máximo das apostas, forçando os clientes a preencherem mais volantes , aumentando assim a possibilidade de combinações. O resultado foi imediato. Neste mesmo ano a CAIXA passou a realizar sorteios no Caminhão da Sorte,

A Sena foi lançada em 1988, com sistema informatizado.
Em 22 de Agosto de 1991 foi lançada a Loteria Instantânea cujos prêmios eram em dinheiro. Somente em 1996 ela iniciou a premiação em bens, com a modalidade Carro Campeão.

No mês de Março de 1994 a Loto, que se chamava internamente de Loto I, foi substituída pela Loto III - a Quina.

A Super-Sena chegaram ao mercado em Abril de 1995. A partir de Março de 1998 passou a chamar-se Super-Sena Dupla Chance.

A Mega-Sena iniciou em Março de 1996, já oferecendo prêmios milionários e caiu imediatamente no gosto dos clientes.

Em Novembro de 1997 a CAIXA colocou no mercado a Trinca, que não obteve o êxito pretendido e 03 anos depois deixou de existir.

O Trevo da Sorte não fez jus ao nome. A tentativa foi realizar um "game show" lotérico. O primeiro sorteio realizado no programa Domingão do Faustão, da Rede Globo, em Novembro de 1998. Permaneceu na TV até o 17, passando a ser feito no auditório da Caixa em Brasília. Também não obteve sucesso e encerrou suas atividades sendo substituído pela Lotomania que, por ser mais simples, obteve imediata aceitação do público. Seu primeiro sorteio ocorreu em 02 de Outubro de 1999.

A Dupla Sena substituiu a Super - Sena Dupla Chance em Novembro de 2001 e em Fevereiro de 2002 o Lotogol substituiu o Bolão Federal.

O primeiro sorteio do Lotofácil foi realizado em 29 de setembro de 2003. No concurso de estréia, cinco apostadores acertaram os números da faixa principal e levaram, cada um, R$ 49,7 mil.

Estádio Raimundo Sampaio (Independência)

As obras do Estádio Independência estão perto do fim. O secretário de estado da Copa do Mundo, Sérgio Barroso, afirmou que o local será reinaugurado na segunda quinzena de fevereiro, provavelmente entre os dias 22 e 29, com um amistoso da Seleção Brasileira, com adversário ainda a ser definido.

Apesar de não administrar mais o estádio, pelos próximos dez anos, o América manterá a identidade visual do Independência. Além disso, em parceria com o governo, o clube terá um percentual do lucro, enquanto o consórcio Arena Independência estiver em vigor. O consórcio é formado pelas empresas Ingresso Fácil e BWA Administração.

O consórcio terá direito a explorar o estádio por dez anos. O prazo estimado para assinatura do contrato é início de janeiro. Depois disso, a empresa vai operacionalizar a arena para que, até o final de fevereiro, o Independência seja reinaugurado.

Com o início das obras autorizado em janeiro de 2010 e custo total de R$ 120 milhões e o ‘Novo Independência’ terá a capacidade para 25 mil espectadores.

Os primeiros jogos do Campeonato Mineiro 2012, que começa no dia 29 de janeiro, serão na Arena do Jacaré. Mas após o jogo do Brasil, o secretário confirmou a utilização da nova casa do futebol mineiro até o Mineirão ficar pronto

Serviços do Independência:
-25 mil assentos cobertos
-422 vagas de estacionamento
-Duas torres de serviço para abrigar Polícia Militar e Corpo de Bombeiros
-Instalação de câmeras do Olho Vivo
-32 Bares e lanchonetes e duas lojas
-18 cabines de imprensa (rádio e TV)
-72 postos de trabalho para a imprensa escrita
-Auditório para entrevistas coletivas
-Camarotes com capacidade para 2.225 pessoas.
Fonte: http://www.uai.com.br/

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

João Justino de Medeiros Silva

O sacerdote juiz-forano, João Justino de Medeiros Silva, foi nomeado bispo pelo papa Bento XVI nesta quarta-feira, dia 21 de dezembro.

O padre que ocupa o cargo de reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio será o novo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte. O sacerdote vai trabalhar juntamente com o arcebispo da capital mineira, dom Walmor Oliveira de Azevedo, que também já atuou no Seminário, onde foi professor e reitor.

O novo bispo nasceu em 22 de dezembro de 1966. Foi ordenado sacerdote em 13 de dezembro de 1992. É graduado em Pedagogia (1988), Filosofia (1988), Teologia (1992). Possui licenciatura e bacharelado em Ciências Sociais (1992-1993), mestrado e doutorado em Teologia (1997 - 2003).

Ocupou diversos cargos na Arquidiocese, como: pároco solidário de N. Sra. da Conceição de Benfica (1993-1995), pároco solidário do Bom Pastor (1997-2004), coordenador da Região Pastoral Santo Antônio (1998-2001), vice-reitor do Seminário Santo Antônio (1998-2003), coordenador do Conselho Presbiteral da Arquidiocese (2002-2003), reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio (2004...), coordenador e professor do Curso de Teologia do ITASA/CES, vigário paroquial da Paróquia de São Pedro – JF e vigário episcopal para a Cultura (2010...).
Fonte: http://www.catedraljf.org.br/

Afiliadas

TV Clube deixa Band para ser afiliada da Record em Pernambuco
Sediada no Recife-PE, a TV Clube deixará de retransmitir, após 11 anos, o sinal da Band e adotará, a partir de 09 de janeiro de 2012, o sinal da Rede Record.

A TV Clube é integrante do Grupo Diários Associados e trocou de bandeira com a TV Tribuna (do Grupo João Santos), também sediada na capital pernambucana, e que desde 1991 era afiliada da Record no estado. A TV Tribuna passará a transmitir atrações da Band em 2012.

Com a mudança, está previsto que a TV Clube ganhe em 2012 uma retransmissora na cidade de Petrolina, no sertão pernambucano, além da digitalização do sinal da emissora em todo o estado

Cidadão benemérito

Áureo Carneiro Fortuna, presidente do Tupi Futebol Clube, é o novo Cidadão Benemérito de Juiz de Fora. Ele recebeu o título na noite da última segunda-feira, 19/12, no Palácio Barbosa Lima.

A iniciativa da homenagem foi do vereador Noraldino Júnior (PSC), que, sem seu discurso, destacou “o profissionalismo e o comprometimento” da administração do dirigente à frente do Galo, que “resultaram em alegria para o coração dos juiz-foranos, com as vitórias e as conquistas dos Carijós”.

Formado em Direito em 1985 e advogado bastante atuante e conceituado na cidade, Áureo Fortuna dirige o Tupi desde 2008, e no último dia 15 de outubro foi reeleito para o biênio 2012-2013. Durante esse período, o Galo conquistou suas maiores glórias: a Taça Minas 2008 e o Campeonato Brasileiro da Série D, este ano.

Pai do advogado Felipe Fortuna, o presidente Áureo Fortuna é de tradicional família do bairro Grama, e seu avô Áureo Gomes Carneiro, foi presidente do Tupi por dois períodos: 43/44 e 49/50.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Não perca a esportiva

Affonso Gonçalves Soares nasceu no bairro do Catumbi-Rio de Janeiro em 11 de setembro de 1923. Filho de Abel Gonçalves Soares e Olìvia Mazzuca Soares.

Casado com Elizabeth Conrado Soares e pai de três filhos, Lana Beth Gonçalves Soares (advogada), Celso Roberto Gonçalves Soares (falecido em 13 de março de 2007), e Márcia Cristina dos Conrado Soares, sendo essa filha de criação.

Torcedor do Fluminense e da Portela, Affonso Soares trabalhou nas Rádios: Globo durante 23 anos, Tupi durante 19 anos e outras de menor expressão na cidade do Rio de Janeiro. Destacou-se em suas transmissões de copas do mundo a partir de 1950 no Brasil, criador de programas como "Patrulha da cidade" e "Do outro lado da vida" (Rádio Tupi), "Não perca a esportiva" e "Alerta Geral" (Rádio Globo), e tambem teve passagem pela Televisão gravando diversos comercias e apresentando o programa policial "Rio Cidade Alerta" (antiga TV Rio, hoje Rede Record).

Além dos programas policiais, transmissões esportivas e carnavalescas, fez muito sucesso no rádio matutino apresentando o seu "não perca a esportiva", em dois tempos, às 07:30 e 08:30, primeiro na Rádio Globo, dentro do programa do Paulo Giovanni, e posteriormente, na Rádio Tupi, dentro do programa do Francisco Barbosa.

Affonso Soares morreu na madrugada de 27 de maio de 2007, em Sepetiba-RJ, vítima de um infarto fulminante.
Colaboração: Carlos Eduardo Gonçalves Soares Neves

Tupi

Michel Cury
A diretoria do Tupi está acertando do retorno ao Galo do meio-campista Michel Cury, titular da equipe durante a disputa do Campeonato Mineiro deste ano (competição na qual marcou cinco gols). No segundo semestre de 2011, ele atuou no Araxá-MG, equipe campeã da terceira divisão mineira, e é aguardado nas próximas horas em Juiz de Fora, para assinatura do contrato.

Michel Cury Neto tem 30 anos, nasceu em Divinópolis (MG) – em 24 de julho de 1981 – e já atuou, entre outros, por Uberaba (MG), Fast Clube (AM), América (RN), Gama (DF) e Spartak Trnava (República Tcheca).

A contratação de Michel Cury será o quarto reforço do Tupi para as disputas do Mineiro e da Série C do Brasileiro em 2012, Ano do Centenário dos Carijós – os anteriores são Flávio (lateral-direito da Anapolina), Léo Salino (meio-campista) e Fabrício Soares (zagueiro), ambos vindos do Villa Nova (MG). Sem contar, a renovação de contrato com grande parte do elenco campeão brasileiro da Série D.
Fonte: http://www.tupijf.com.br/

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Literatura

"O Coronel-O Poder Falível de um Semideus"
O romance-histórico "O Coronel - O Poder Falível de um Semideus" de Rita Amélia Serrão Piccinini em segunda edição saiu em 2001 pela Litteris Editora do Rio de Janeiro. A primeira em 1998 com o título de "O Coronel e o Grupo de Justiceiros" onde a autora mesmo observa no prefácio, os nomes de todos foram praticamente trocados.

O personagem principal Ciro de Carvalho é Firmo de Araújo Pereira e tudo gira em torno dele. A autora pesquisou, entrevistou muitas pessoas, durante vários anos e guardou os manuscritos só transformando em livro em 1998.

A edição de 2001 foi revisada e alguns tem o nome real. O livro tem 520 páginas, mas de fácil leitura.

Rita Amélia Serrão Piccinini é membro da Academia Paduana de Letras, Artes e Ciências e lecionou em várias cidades por muitos anos.

Vale a pena a leitura para conhecer um pouco mais este riquíssimo personagem que foi o Coronel Firmo de Araújo.
Fonte: http://www.joaquimrmachado.blogspot.com/

Atlético-MG

Campeões de 71: 40 anos depois, eles continuam absolutos na história do Atlético-MG
Mais importante título dos 103 anos do clube completa nesta segunda-feira quatro décadas

Quarenta anos se passaram desde o gol de Dario no confronto final do triangular decisivo do Campeonato Brasileiro de 1971, contra o Botafogo, no Macaranã. Essas quatro décadas não foram suficientes para desbancar os comandados de Telê Santana. Até hoje eles estão imponentes e absolutos na história do Galo. São os únicos campeões brasileiros com a camisa alvinegra. O peso da conquista de 71 é ainda maior levando-se em conta que trata-se do único e mais expressivo título nos 103 anos do clube.

Não faltaram chances para o Atlético eliminar essa incômoda escrita. Da mesma maneira que encheu os torcedores de esperanças, o Atlético afundou seus seguidores em frustrações. Desde 1971, foram 14 oportunidades de chegada na briga pela taça, com o time entre os quatro primeiros colocados.

Nesses quarenta anos, nem mesmo a geração de Reinaldo e Toninho Cerezo alcançou a glória. Para ela, o destino reservou dois vice-campeonatos nacionais, em finais históricas do Brasileirão.

Se em 1977, o Galo contava com uma equipe bem superior à do São Paulo, campeão na disputa por pênaltis diante de um Mineirão lotado, em 1980 o Brasil viu em campo dois times fantásticos disputarem a taça. Melhor para o Flamengo de Zico, que derrotou o Atlético de Reinaldo por 3 a 2 no Maracanã.

“A equipe que tínhamos era preparada para ser campeã. Se você fizer um levantamento, vai ver que nosso aproveitamento foi superior a 70% nos dois campeonatos”, lamenta Cerezo, hoje treinador do Vitória.

Em 1999, a conquista voltou a escapar do Galo. Com um elenco menos brilhante, mas com jogadores marcantes como Marques e Guilherme, o Atlético chegou à decisão e foi superado pelo Corinthians.

A última participação na briga pelo troféu foi em 2001, na lamentada eliminação para o São Caetano na semifinal. Depois disso, o Alvinegro passou a maltratar seus fanáticos torcedores, brigando frequentemente contra o rebaixamento, vexame não evitado em 2005.

Neste especial, você vai relembrar a histórica campanha do Atlético em 1971, os jogos, os protagonistas e os bastidores da caminhada que terminou com o gol de Dario, aos 18 minutos do segundo tempo do confronto com o Botafogo. Personagens dos vice-campeonatos também vão relatar o que faltou ao Galo para ter evitado o maior jejum de título do Campeonato Brasileiro entre os grandes clubes do país.
Fonte: http://www.uai.com.br/

MG-454

Estrada aguarda licitação para ser asfaltada

Rodovia está no programa "Caminhos de Minas", que visa melhorar as condições das estradas do estado. A MG tem apenas 14 km asfaltados entre a BR 116 e a cidade de Recreio, obra que foi realizada no governo Francelino Pereira.A MG-454, que liga Recreio a Volta Grande, está no programa "Caminhos de Minas", que visa melhorar as condições das rodovias do estado e beneficiará os distritos de Abaíba, Providência e São Matinho.

A estrada é de terra e nesta época de chuva, fica intransitável, devido ao barro. Falta acostamento em áreas de mata fechada nos dois lados.

A estrada proporciona uma diminuição de 40 quilômetros entre as cidades de Recreio e Volta Grande e facilitará o acesso até a BR 116, em Além Paraíba. Faz parte do projeto uma ligação asfáltica do distrito de Providência com a cidade de Leopoldina.

Segundo o Departamento de Estrada de Rodagem (DER) de Minas Gerais, ainda não há data para a licitação da rodovia.

Outro anseio da população da região é o asfaltamento da estrada que liga Recreio a Pirapertinga, com cerca de 30 km, passando pelo distrito de Conceição da Boa Vista.

A mobilização dos prefeitos e políticos das cidades envolvidas é muito tímida, inexpressiva, o que contribue para a demora nas execuções das obras.

domingo, 18 de dezembro de 2011

História futebolística

Barcelona x Times Brasileiros

Barcelona, ao longo da história, realizou 52 partidas contra equipes brasileiras, sendo 50 contra clubes e duas contra a Seleção. São 20 vitórias de equipes brasileiras, 18 vitórias do Barcelona e 14 empates.
Os confrontos:
28/06/1931 - Barcelona 3 x 2 Vasco - Les Corts (Barcelona, Espanha)
29/06/1931 - Barcelona 1 x 2 Vasco - Les Corts (Barcelona, Espanha)
01/07/1934 - Barcelona 4 x 4 Seleção Brasileira - Les Corts (Barcelona, Espanha)
27/11/1949 - Barcelona 2 x 2 Palmeiras - Les Corts (Barcelona, Espanha)
18/07/1953 - Barcelona 2 x 3 Corinthians - Olímpico (Caracas, Venezuela)
26/07/1953 - Barcelona 0 x 1 Corinthians - Olímpico (Caracas, Venezuela)
12/06/1955 - Barcelona 1 x 0 Vasco - Les Corts (Barcelona, Espanha)
23/06/1956 - Barcelona 0 x 2 Botafogo - Les Corts (Barcelona, Espanha)
23/06/1957 - Barcelona 2 x 7 Vasco - Les Corts (Barcelona, Espanha)
04/07/1957 - Barcelona 3 x 0 Botafogo - Olímpico (Caracas, Venezuela)
18/07/1957 - Barcelona 2 x 2 Botafogo - Olímpico (Caracas, Venezuela)
24/06/1959 - Barcelona 3 x 5 Corinthians - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
28/06/1959 - Barcelona 1 x 5 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
03/07/1960 - Barcelona 4 x 3 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
22/03/1961 - Barcelona 4 x 3 Bangu - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
27/06/1961 - Barcelona 3 x 2 Botafogo - Mestalla (Valencia, Espanha)
30/04/1962 - Barcelona 0 x 2 Flamengo - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
12/06/1963 - Barcelona 2 x 0 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
16/07/1964 - Barcelona 0 x 2 Botafogo - Monumental de Núñez (Buenos Aires, Argentina)
08/06/1966 - Barcelona 1 x 1 Vasco - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
31/01/1967 - Barcelona 2 x 3 Botafogo - Universitário (Caracas, Venezuela)
26/06/1967 - Barcelona 0 x 1 Flamengo - El Vivero (Badajoz, Espanha)
22/08/1968 - Barcelona 5 x 4 Flamengo - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
17/08/1969 - Barcelona 1 x 2 Corinthians - La Rosera (Málaga, Espanha)
30/08/1969 - Barcelona 2 x 0 São Paulo - Mohammed V (Casablanca, Marrocos)
06/09/1969 - Barcelona 1 x 2 Palmeiras - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
23/08/1972 - Barcelona 0 x 0 Vasco - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
31/08/1974 - Barcelona 0 x 2 Palmeiras - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
01/09/1974 - Barcelona 4 x 1 Santos - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
23/08/1978 - Barcelona 3 x 2 Botafogo - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
18/08/1979 - Barcelona 0 x 0 Vasco - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
25/08/1979 - Barcelona 1 x 2 Flamengo - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
20/08/1980 - Barcelona 2 x 1 Vasco - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
23/08/1980 - Barcelona 1 x 1 Atlético Mineiro - Ballaidos (Vigo, Espanha)
01/09/1980 - Barcelona 2 x 2 Internacional - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
18/08/1981 - Barcelona 1 x 0 Vasco - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
13/08/1982 - Barcelona 1 x 0 Internacional - Riazor (La Coruña, Espanha)
24/08/1982 - Barcelona 0 x 0 Internacional [PK 1x4] - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
03/06/1984 - Barcelona 2 x 2 Fluminense [PK 5x4] - Giant Stadium (New Jersey, EUA)
15/08/1985 - Barcelona 3 x 1 Atlético Mineiro - Municipal (La Linea, Espanha)
13/08/1988 - Barcelona 0 x 1 Botafogo - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
23/08/1989 - Barcelona 1 x 0 Internacional - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
15/08/1992 - Barcelona 1 x 4 São Paulo - Riazor (La Coruña, Espanha)
19/08/1992 - Barcelona 1 x 3 Vasco - Benito Villamarín (Sevilla, Espanha)
13/12/1992 - Barcelona 1 x 2 São Paulo - Estádio Nacional (Tóquio, Japão)
14/08/1993 - Barcelona 1 x 0 São Paulo - Riazor (La Coruña, Espanha)
10/08/1995 - Barcelona 0 x 0 Vasco [PK 2x4] - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
25/08/1998 - Barcelona 2 x 2 Santos [PK 5x4] - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
28/04/1999 - Barcelona 2 x 2 Seleção Brasileira - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
17/12/2006 - Barcelona 0 x 1 Internacional - Estádio Internacional (Yokohama, Japão)
26/07/2011 - Barcelona 2 x 2 Internacional [PK 4x2] - Allianz Arena (München, Alemanha)
18/12/2011 - Barcelona 4 x 0 Santos - Estádio Internacional (Yokohama, Japão).
Fonte: http://www.jornalheiros.blogspot.com/

Literatura

"O ESPETÁCULO MAIS TRISTE DA TERRA - O incêndio do Gran Circo Norte-Americano"
No dia 17 de dezembro de 1961 acontecia, em Niterói, a maior tragédia circense da história e o pior incêndio com vítimas do Brasil. Mais de 3 mil espectadores, a maioria crianças, lotavam a matinê do Gran Circo Norte-Americano, anunciado como o mais famoso da América Latina, quando a trapezista Antonietta Stevanovich deu o alerta de “fogo!”. Em menos de dez minutos, as chamas devoraram a lona, justamente no momento em que o principal hospital da região se encontrava fechado por falta de condições. O prefeito da cidade estabeleceu em 503 o número oficial de mortos, mas a contabilidade real nunca será conhecida. Cinquenta anos depois, o jornalista Mauro Ventura reconstitui o episódio em "O espetáculo mais triste da terra".

Curto-circuito ou crime? Era a pergunta que todos se faziam. A polícia logo descobriu um suspeito, mas até que ponto ele era o verdadeiro culpado ou o bode expiatório ideal para dar satisfações rápidas à sociedade e encobrir possíveis falhas das autoridades e do dono do circo? Quatro meses depois da renúncia do presidente Jânio Quadros, o país chegava novamente às manchetes internacionais. O papa mandou celebrar uma missa pelas vítimas e enviou um cheque para ajudar no tratamento dos sobreviventes. O impacto da tragédia em Niterói, então capital do estado do Rio de Janeiro, foi tamanho que o assunto permanece encoberto até hoje.

O livro revela uma trama que mistura drama e heroísmo, oportunismo e solidariedade, dor e superação. O autor mostra como a catástrofe fez surgir a figura do profeta Gentileza e ajudou a projetar o nome do cirurgião plástico Ivo Pitanguy. “Essa tragédia evidenciou a importância da nossa especialidade”, diz o médico. Para o historiador Paulo Knauss, a cirurgia plástica brasileira é tão desenvolvida porque teve na ocasião o maior campo de pesquisa e experimentação de sua história.

Entre os mais de 150 entrevistados, destacam-se Santiago Grotto, um dos três trapezistas que tinham acabado de se exibir quando o fogo começou, e o único ainda vivo, e o médico argentino Fortunato Benaim, que veio de seu país para socorrer as vítimas.
Fonte: http://www.companhiadasletras.com.br/
BloggerDeliciousDiggFacebookGoogleMyspaceNetvibesStumbleUponTechnoratiTwitterWordpress

Barcelona 4 x 0 Santos


Barcelona 4 x 0 Santos
SANTOS: Rafael; Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval; Danilo (Elano), Henrique, Arouca, Paulo Henrique Ganso (Ibson) e Léo; Neymar e Borges (Alan Kardec). Técnico: Muricy Ramalho
BARCELONA: Valdés; Daniel Alves, Puyol (Fontas), Piqué (Mascherano) e Abidal; Busquets, Thiago Alcântara (Pedro), Xavi, Iniesta e Fábregas; Messi.
Técnico: Josep Guardiola.
Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)
Cartões amarelos: Piqué e Mascherano (Barcelona); Edu Dracena e Paulo Henrique Ganso (Santos).
Público: 68.166 torcedores 

Placar de 4 x 0
Neste domingo, 18/12. ao vencer o Santos por 4 a 0, o Barcelona obteve a maior diferença da história desde que a final do Mundial de Clubes passou a ser disputada em partida única.

Até 1979, o título intercontinental entre sul-americanos e europeus era definido em partidas de ida e volta. A partir de 1980, foi disputado em confronto único. No período de 31 anos, a maior diferença na final era de três gols.

O placar de 3 a 0 ocorreu quatro vezes desde 1981: o Flamengo (Brasil) bateu o Liverpool (Inglaterra) em 1981, o Milan (Itália) superou o Olímpia (Paraguai) em 1990, o Estrela Vermelha (na época da Iugoslávia) venceu o Colo Colo (Chile) e, por fim, a Internazionale (Itália) impôs o marcador sobre o Mazembe (República Democrática do Congo) em 2010.

O Barcelona ficou próximo de igualar a maior goleada de todos os tempos em uma final de Mundial. Em 1961, o Peñorol (Uruguai) chegou a aplicar 5 a 0 no Benfica (Portugal), mas só ganhou o título no terceiro jogo.

O próprio Santos já havia conseguido uma goleada histórica na decisão do Mundial de Clubes. Em 1962, o Peixe foi comandado por Pelé ao aplicar 5 a 2 no Benfica, no estádio da Luz, em Lisboa.Gols: Messi, aos 16, Xavi, aos 23, Fábregas, aos 45 minutos do primeiro tempo; Messi, aos 37 minutos do segundo tempo.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Barcelona e Santos

Barcelona e Santos já se enfrentaram 05 vezes até hoje, com 03 vitórias do clube espanhol, 01 empate e 01 triunfo da equipe brasileira. Ao todo, o Barça assinalou 13 gols, contra 11 tentos do Santos:

28/06/1959 - Barcelona 1 x 5 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
03/07/1960 - Barcelona 4 x 3 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
12/06/1963 - Barcelona 2 x 0 Santos - Camp Nou (Barcelona, Espanha)
01/09/1974 - Barcelona 4 x 1 Santos - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
25/08/1998 - Barcelona 2 x 2 Santos [PK 5x4] - Camp Nou (Barcelona, Espanha)

Confiram as fichas técnicas dos cinco jogos já disputados entre Barcelona e Santos:
29/06/1959 - Barcelona 1 x 5 Santos
Motivo: Amistoso.
Local: Camp Nou (Barcelona, Espanha).
Barcelona: Larraz; Rife e Bartoli; Pinto (Martínez), Verges e Recaman; Villaverde (Hermes), Kocsis, Evaristo, Ribelles e Czibor.
Santos: Lalá; Pavão (Formiga) e Mourão; Getúlio, Ramiro e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro), Coutinho, Pelé (Afonsinho) e Pepe.
Gols: Pelé 56' e 71', Dorval 4' e 74' e Coutinho 10'; Evaristo de Macedo 15'.

03/07/1960 - Barcelona 4 x 3 Santos
Motivo: Amistoso.
Local: Camp Nou (Barcelona, Espanha).
Barcelona: Ramallets; Segarra e Olivella; Gracia, Verges e Ribelles; Tejada, Suárez, Martínez, Kubala e Villaverde.
Santos: Laércio; Carlos Alberto e Mauro Ramos; Calvet, Formiga e Zito; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.
Gols: Pepe (2), Pelé; Kubala (2), Villaverde e Suárez.

12/06/1963 - Barcelona 2 x 0 Santos
Motivo: Amistoso.
Local: Camp Nou (Barcelona, Espanha).
Público: 75 mil pessoas.
Barcelona: Sadurni; Rodri, Garay e Gracia; Verges e Enderiz*; Cubilla (Zaballa), Goyvaerts, Morollon*, Re (Pereda) e Fuste (Szalay).
Santos: Laércio; Dalmo Gaspar, Mauro Ramos, Calvet e Geraldino; Lima e Mengálvio; Dorval, Coutinho (Nenê), Pelé e Pepe.
Gols: Pereda (29'/2T) e Zaballa (43'/2T).
* Enderiz e Morollon foram emprestados pelo Valladolid ao Barcelona, como reforço exclusivo para esta partida.

01/09/1974 - Barcelona 4 x 1 Santos
Motivo: Troféu Ramón de Carranza.
Local: Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha).
Barcelona: Mora; Torres, De La Cruz e Costa (Albadelejo); Clares (Tomé) e Neeskens; Galego, Asensi, Cruijff e Marcial.
Santos: Wilson; Vicente, Marinho, Carlos Alberto e Wilson Campos; Léo e Miffin (Nelsi); Mazinho, Clayton (Cláudio Adão), Pelé e Edu.
Gols: Neeskens 21', Asensi 34', Neeskens 62', Asensi 72', Pelé 86'.

25/08/1998 - Barcelona 2 x 2 Santos
Motivo: Troféu Joan Gamper 1998.
Local: Camp Nou (Barcelona, Espanha).
Barcelona: Hesp; Nadal, Abelardo, Sergi e Celades (Roger); Okunowo, Cocu, Giovanni (Oscar) e Figo; Luis Enrique e Rivaldo (Zenden).
Santos: Zetti; Athirson (Gustavo Nery), Anderson, Claudiomiro e Jean (Sandro); Argel, Narciso, Jorginho (Adiel) e Lúcio (Fernandes); Viola (Elder) e Aristizábal (Alessandro).
Gols: Anderson 32', Rivaldo 39', Luis Figo 41' e Adiel 47'. Nos pênaltis, Barcelona 5 x 4 Santos.
Fonte: http://www.jornalheiros.blogspot.com/
Colaboração: Alexandre Magno Barreto Berwanger

Baixada Santista

Circuito de ônibus turístico liga oito cidades da Baixada Santista por R$ 10,00
Conhecer oito cidades da Baixada Santista pagando uma única tarifa de R$ 10. É o que oferece o Roda SP, que entrou em circulação na quinta-feira, 15/12. No projeto, ônibus turísticos operam em sete rotas, interligando as cidades de Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, podendo o turista que estiver em visita a uma cidade do litoral sul, subir e descer dos ônibus do projeto quantas vezes quiser durante dois dias, utilizando somente uma pulseirinha como passagem.

O objetivo do projeto é facilitar a circulação de pessoas entre as cidades do roteiro, e possibilitar a descoberta dos pontos turísticos das cidades, já que conta com guias turísticos e monitores no interior dos veículos. Dessa forma, o turista pode sair pela manhã de Peruíbe, almoçar na Ilha Porchat em São Vicente e terminar o dia aproveitando o sol de praias como a do Gonzaga, em Santos, ou na Riviera de São Lourenço, em Bertioga.

Rotas
Rota Amarela - Funcionará todos os dias, com saídas programadas de 45 em 45 minutos, das 9h às 16h45. O itinerário começa em São Vicente, na Biquinha, passando pelo teleférico da cidade, onde haverá a opção do viajante conhecer o Monumento de Niemeyer, na Ilha Porchat. Chegando a Santos, os passageiros poderão descer na praia do Gonzaga, próxima à praça das Bandeiras. O ônibus ainda passará pelo Áquario da cidade e finalizará o trajeto na Balsa que leva ao Guarujá, na Ponta da Praia.
Rota Azul - Também parte da Biquinha, em São Vicente, rumo à Praia Grande. Lá, os turistas poderão conhecer as praias do Canto do Forte, do Boqueirão e de Ocian, passando pela Praça Duque de Caxias, pela Praça da Paz e pela Estátua de Netuno, respectivamente. Essa linha funcionará às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 17h.
Rota Laranja – Mais uma rota que sai da Biquinha, em São Vicente, e ruma à Estátua de Netuno, na Praia Grande. Chegando a Mongaguá, os ônibus passarão pela Praia Central, que dá acesso ao Poço das Antas, pela Feira das Artes e pela Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “Tribuna”. Este percurso estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas a cada 1h20, das 9h às 17h10.
Rota Rosa - Parte da Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “A Tribuna”, indo em direção a Itanhaém. Neste município os viajantes do ônibus poderão conhecer a Igreja Matriz Sant’anna, onde está o Monumento Anchieta, e também poderão descer na Cama de Anchieta e na Praia de Cibratel. Esta opção de linha funcionará às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 16h.
Rota Roxa - Estará disponível às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas a cada 1h15, das 9h15 até às 16h45. Ela derá aos participantes a chance de conhecer pontos turísticos do Guarujá, saindo da balsa. Os viajantes poderão descer nas praias do Tombo, das Astúrias, das Pitangueiras, da Enseada (parando no Acqua Mundo e depois no Tortugas). Nesse momento, uma troca de ônibus acontecerá, continuando o trajeto pelas praias do Pernambuco, do Perequê e Branca, na divisa com Bertioga, finalizando o trajeto.
Rota Vermelha - Essa linha terá Bertioga como seu roteiro. Os ônibus sairão do Forte São João, na balsa que liga a cidade com Guarujá, passando pelo Sesc do município e terminando a viagem em Riviera de São Lourenço. Seu funcionamento acontecerá às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, de 1h em 1h, das 9h às 17h.
Rota Verde - Ela parte da Praia do Cibratel, rumo a Peruíbe. O itinerário prevê passagens pelas Ruínas de Abarebebê, pela Praia Central e pelo Lamário. Esta linha estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, a cada 1h15, das 9h às 16h30.
Fonte: http://www.turismo.sp.gov.br/

Santos e Barcelona


Santos e Barcelona, adversários na final do Mundial de Clubes, são marcados pelo futebol ofensivo. E todas as vezes que se enfrentaram gols não faltaram. Em cinco confrontos até o momento são 24 gols marcados. No histórico do duelo, o time espanhol leva vantagem de quatro triunfos, sendo um nos pênaltis e apenas uma derrota.
Quatro deles foram disputados com o Rei em campo, sendo que no primeiro deles, em 59, o único triunfo da história do Santos sobre o Barcelona foi por goleada: 5 a 1, com dois gols do Rei do futebol, dois de Dorval e um de Coutinho.

No segundo encontro, em 1960, o Barcelona fez quatro gols só no primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Santos reagiu e anotou três gols, sendo um de Pelé, mas perdeu por 4 a 3.

Em 1963, pela terceira vez no Camp Nou, o Barcelona venceu o amistoso contra o Santos com o placar de 2 a 0

Já em 1974, o duelo entre os times aconteceu em Cadiz, o Barça venceu a partida válida pelo Torneio Ramón de Carranza por 4 a 1, com o único gol santista marcado por Pelé.

O último duelo entre Barcelona e Santos aconteceu pelo Troféu Joan Gamper, no Camp Nou. No tempo regulamentar, a partida terminou empatada em 2 a 2, mas nos pênaltis o Santos foi derrotado por 5 a 4.

Benfica de Minas

OBRA DA U.P.A. REVELA PASSADO BENFIQUENSE
por Wanderlei Tomaz*

A obra de terraplenagem da futura Unidade de Pronto Atendimento (UPA Benfica) vem revelando às pessoas que passam pela Av. JK – próximo à Igreja Metodista - uma grata paisagem. Trata-se do casarão da família Barbosa e a casa do antigo moinho.

Construído por volta de 1890, a casa serviu de moradia para diversas gerações do coronel Francisco Martins Barbosa. Francisco foi vereador em 1857. Importante pecuarista, era o proprietário da Fazenda Bemfica, adquirida em 1853. A fazenda ocupava toda a região compreendida hoje por Benfica, Imbel, Araújo, Nova Benfica, Ponte Preta, Vila Esperança I e II, Distrito Industrial, parte de Santa Cruz e Nova Era.

No casarão da Av. JK, residiu Pedro Martins Barbosa, filho de Francisco, e depois Antônio Martins Barbosa - o Tonico Barbosa - que foi um dos fundadores da Cooperativa dos Produtores de Leite de Benfica. Tonico era casado com Maria Pereira Barbosa, e no casarão criaram os seus onze filhos.
Seria um grande presente para a nossa comunidade - e respeito à sua memória – fazer com que qualquer intervenção arquitetônica naquele terreno pudesse conciliar com a permanência da casa e do moinho.

As construções de Benfica remanescentes do Século XIX são: a casa da família Barbosa, a estação ferroviária (de 1877) e a casa construída para ser a residência do chefe da estação (situada na Rua Maria Eugênia, atrás da estação de Benfica – construída em 1880).
*Vanderlei Tomaz é HistoriadorFonte: Benfica Net

Tupi

Fabrício Rodrigues Soares

Em seu retorno ao Tupi, depois seis meses atuando no Villa Nova (MG), o zagueiro Fabrício Soares já treina com o elenco visando a temporada de 2012.

Fabrício Rodrigues Soares, mineiro de Salto da Divisa-MG, 33 anos (25/07/78), começou sua carreira no Villa Nova (de Nova Lima-MG) e passou por Democrata-Governador Valadares (MG) e América-Belo Horizonte (MG).

Treinos
– Na manhã desta sexta-feira foi realizado mais um treino físico. Estiveram presentes 21 jogadores:
Rodrigo e Victor Hugo (goleiros), Flávio (lateral, que assinou o contrato, até outubro, ontem), Michel (lateral/meio-campista), Silvio, Wesley Ladeira e Fabrício Soares (zagueiros); Assis e Lucas Silva (volante), Léo Salino (meio-campista), Ademilson, Cassiano  e Jefferson (atacantes) e os atletas da equipe de Juniores Weverton (lateral-direito), Luan e Douglas Costa (zagueiros), Michel Filho (volante), Ruan, Renan e Bruno (meio-campistas) e Guilherme (atacante). Neste sábado (17/dezembro) acontece o último treino da semana, às 10h, em Santa Terezinha. 

Saídas
– Estão definitivamente descartadas as permanências no elenco do Galo do atacante Chrys e do zagueiro Adalberto, ambos campeões brasileiros da Série D. Adalberto vai disputar o campeonato carioca pelo Americano de Campos, que é treinado por Moacir Júnior.