sábado, 31 de janeiro de 2009

Campeonato Mineiro 2009

TUPI 2 x 2 ATLÉTICO Tupi: Alan Faria; Jaiminho (Douglas Rafael), Reginaldo, Rodrigão e Beto (Michel); Bruno Ramos, Daniel, Marcel (Robson), Márcio Carioca e Hugo; Ademilson.
Técnico: José Carlos Amaral.
Atlético: Juninho; Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e Júnior; Renan, Carlos Alberto, Márcio Araújo (Júnior Carioca) e Lopes (Tchô); Éder Luís (Raphael Aguiar) e Diego Tardelli.
Técnico: Emerson Leão Gols: Daniel, 45min, 1ºT-Ademílson, 24min, 2ºT e Diego Tardelli, 9min e 15min 1ºT. Local: Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora Público: 5.356 pagantes (6.807 presentes) Renda: R$ 38.487 Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro/FIFA
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago/FIFA e Jair Albano Félix/CBF

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Tupi e Atlético

Portal Uai
Tupi: O adversário do Atlético também entra em campo após uma estréia sem gols e com igualdade diante do Social. José Carlos Amaral, técnico da equipe, leva uma dúvida para o vestiário: os meias Márcio Carioca e Felipe brigam pela última vaga na equipe, que não terá Léo Salino, expulso na estréia.
Átlético:
Após um empate sem gols contra o América, na estréia do Campeonato Mineiro, o Atlético embarcou para Juiz de Fora definido, em busca do primeiro triunfo na competição. O time de Emerson Leão enfrenta o Tupi, às 16 horas, neste sábado, no estádio Radialista Mário Helênio.
Tupi: Alan Faria; Jaiminho, Reginaldo, Rodrigão e Michel; Bruno Ramos, Daniel, Marcel, Márcio Carioca (Felipe) e Hugo; Ademilson.
Atlético: Juninho; Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e Júnior; Renan, Carlos Alberto, Márcio Araújo e Lopes; Éder Luís e Diego Tardelli.
Local: Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora-MG
Data e Horário: sábado, às 16 horas
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro/FIFA
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago/FIFA e Jair Albano Félix/CBF
04º Árbitro; João Batista Neves Guelber Júnior (LFJF).
Confrontos:
Tupi e Atlético se enfrentam neste sábado, em Juiz de Fora, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro. Na cidade da Zona da Mata mineira, a vantagem é do Galo Carijó, que, em 27 jogos, venceu dez contra nove do Galo da capital. No retrospecto geral, o melhor aproveitamento muda de lado. Em 55 partidas, o Atlético saiu vencedor 33 vezes, contra 12 do Tupi. A vantagem atleticana prossegue nos confrontos válidos pelo Campeonato Mineiro.
Foram 37 jogos, com 23 vitórias do time de Belo Horizonte.
O clube de Juiz de For a ganhou sete vezes. Curiosidades: Primeira partida 15/11/1914
- Atlético 3 x 1 Tupi - Juiz de Fora - Amistoso (sem registro de estádio) Última partida 19/4/2008
- Atlético 1 x 0 Tupi - Estadual - Estádio Radialista Mário Helênio - Juiz de Fora Primeira partida em Juiz de Fora
15/11/1914 - Atlético 3 x 1 Tupi - Amistoso (sem registro de estádio) Última partida em Juiz de Fora
19/4/2008 - Atlético 1 x 0 Tupi - Estadual - Estádio Radialista Mário Helênio Primeira partida pelo Campeonato Mineiro
23/07/1933 - Atlético 2 x 5 Tupi - Juiz de Fora Última partida pelo Campeonato Mineiro
19/4/2008 - Atlético 1 x 0 Tupi - Estádio Radialista Mário Helênio - Juiz de Fora Dez últimos jogos entre Atlético e Tupi 18/03/1990 - Atlético 2 x 0 Tupi - Estadual - Belo Horizonte 15/04/1990 - Tupi 1 x 0 Atlético - Estadual - Juiz de Fora 16/08/1992 - Atlético 2 x 0 Tupi - Estadual - Belo Horizonte 22/10/1992 - Tupi 0 x 1 Atlético - Estadual - Juiz de Fora 09/02/2003 - Tupi 1 x 1 Atlético - Estadual - Juiz de Fora 07/03/2004 - Atlético 2 x 1 Tupi - Estadual - Belo Horizonte 28/01/2007 - Tupi 2 x 0 Atlético - Estadual - Juiz de Fora 23/03/2008 - Atlético 3 x 0 Tupi - Estadual - Belo Horizonte 13/04/2008 - Atlético 3 x 2 Tupi - Estadual - Belo Horizonte 19/04/2008 - Tupi 0 x 1 Atlético - Estadual - Juiz de For a Fonte: site do Atlético
OBS: A A RÁDIO MINEIRA WEB transmite Tupi e Atlético, em parceria com a Rádio Energia FM 96,7 mhz: Narração: Carlos Roberto Sodré, Comentários: Kilder Oliveira, Entrevistas: Carlos Ferreira (Tupi), Thiago Werneck (Atlético), Jacqueline Pioli e Sílvia Germano (torcidas e autoridades), Marcelo Lima (ãncora), Gabriel Nascimento (Plantão), Dalvan Luiz (técnica), Thiago Stephan, Ricardo Bedendo e Jorge Troiano (convidados), Tãmara Lis (coordenação).
A equipe da Rádio Mineira é dirigida por João Begatti e Sérgio Rodrigues.

Barack Obama

Óh, Barack Obama, livrai-nos do mal, amém.
Ninguém é completamente feliz o tempo todo, ninguém. Assim como ninguém experimenta, no plano da realidade, uma ínfima parte do prazer emanado das poderosas energias que se acumulam desde o momento em que surge o desejo de uma conquista, até a linha que o separa da prática, da realidade. É o dead line, a linha da morte das reflexões utópicas, dos sentimentos profundos, das crenças que pareciam inquebrantáveis, ainda que não se perca as convicções. Neste exato momento tem início uma desgastante e ferrenha luta em que é preciso conviver com os vivos. Suponho que é mais ou menos assim no plano profissional, muitas vezes no pessoal e o tempo todo no plano político.
Barack Hussein Obama, em ambiente adverso (que Deus o proteja), vai ter que lidar com contradições extremadas e as mais encarniçadas forças antagônicas da face da terra. Não é pouca coisa. Sua posse foi o maior espetáculo da democracia, do ponto de vista de um momento mágico da humanidade. Ali, saiu de cena o Barack Obama candidato, ungido de fé e esperança - portador e mensageiro de uma nova era -, e entrou em cena o ícone máximo das expectativas de todos os povos, elevado à condição de um messias político nesta sombria circunstância planetária. É mole ou quer mais? E o que ele traz na algibeira quando incorpora os valores e os ideais de Abraão Lincoln e Franklin Roosevelt? Como é sensato, por enquanto vai pedir a todos sangue, suor e lágrimas. De outra forma os Estados Unidos não sairão do atoleiro engenhosamente cavado por George W. Bush, o moleque irresponsável, o delinquente que entra para a História como o mais impopular dos presidentes americanos, o Mr. Falência do Mundo.
As lágrimas de comoção dos afro-descendentes e de boa parte do povo, frente a um dos maiores desempregos da história americana, da enorme demanda reprimida e da pressa natural dos jovens, em pouco tempo irão se transformar em protestos. Obama está preparado para isto. Quanto aos conglomerados financeiros (e as montadoras automobilísticas) ele já tem a resposta na ponta da língua quando perguntarem “com que roupa eu vou?”
Contudo, não creio que o presidente negro tenha vocação intrínseca para despachar tropas, para autorizar o envio de mísseis, para derramar sangue. Nenhuma guerra mata somente soldados, ele sabe disto e lhe falta o traço psicopata, o caráter predador, pródigo no antecessor e seus falcões. Barack Obama não é por natureza um “chapa branca”, até onde se sabe, é do bem. Talvez por isso (e por outras razões) tenha designado Hillary para atuar na política das relações internacionais. Na contramão de Condoleezza, seguramente ela vai colocar em prática algumas das lições de seu marido, o único presidente americano que fez árabes e judeus apertarem as mãos, ainda que por alguns segundos.
Minha percepção é a de que fazer e vencer uma campanha política é infinitamente mais mobilizador e mais prazeroso do que governar.Os ingredientes contidos nas ações e intenções são a endorfina da alma. Quase sempre a conquista política combina estratégias, alianças, inteligência, logística e dinheiro, mas, sobretudo, potencializa o caráter, a capacidade de amar os semelhantes, de sonhar e de “vender” estes sonhos (aqui no Brasil deixa só a parte das alianças e de “vender” os sonhos). Neste caso, fazer a campanha foi namorar; governar agora é casamento. A anos luzes de um casamento na roça, este matrimônio trouxe para o noivo responsabilidades cuja magnitude ainda é desconhecida. Já começou endividado até a raiz dos cabelos raspadinhos, com bilhões de “filhos da esperança”, agravado pelo fato de ter aquela parentada toda que vive abaixo da linha da pobreza na África. E parente pobre não perdoa, vem para cima. Ele não pode dizer o que nós dizemos quando o bicho pega aqui: “nóis trupica mais nóis não cai”. Ele não pode falhar. Se isso acontecer, vai mudar a anatomia política, econômica e armamentista do planeta nas suas correlações de força, mas, antes da mudança, pode haver o período das trevas, desta vez com o dedo no gatilho nuclear.
Caso este prognóstico sombrio venha a se confirmar (tók tók, bata na madeira), fico cismando se todas as lideranças mundiais não deveriam fazer um estágio no Brasil, com ênfase em Brasília e no Rio de Janeiro. “É o seguinte, gente, o cenário tá complicado, mas se der praia deixa tudo para segunda-feira que vem, tchããã, nojento. Não pode é faltar caipirinha, desfile de bundão e papinho de bar. Além do mais, para tudo que o carnaval está na porta, todos com os dedos para cima: mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãe eu quero mamaaaaaar...”. Pronto, todos voltariam para os seus países, atônitos e perplexos, mas pelo menos mais hesitantes quanto a uma guerra. Quem duvidar disto é ruim da cabeça ou doente do pé.

Luciano Alves

por Paulo Francisco*
Até parece combinado. Na última sexta feira dia 23 de janeiro, recebi uma ligação do radialista de Aracaju TONY MATHEUS. O Tony me disse que LUCIANO ALVES queria conceder a entrevista para o site "SHOW DO RÁDIO" antes da sua intervenção cirúrgica para colocar pontes de safena. Já a algum tempo vinha procurando por LUCIANO ALVES, fiz vários contatos e por fim conseguimos marcar a entrevista antes da cirurgia. Preparei-me como sempre faço para produzir as melhores perguntas e assim aconteceu no sábado dia 24 de janeiro. Eu sempre ouvia LUCIANO ALVES na Rádio Globo das 04 às 07 da manhã e às vezes até pensava que o comunicador era mal humorado e nervoso. São impressões que temos quando ouvimos todos os dias os mesmos programas e nos tornamos tão vinculados ao profissional que fazemos juízo de valores e nem sempre acertamos. Mas engraçado! Apesar de achá-lo às vezes mal humorado, não conseguia deixar de ouvi-lo todos os dias. Enquanto os outros comunicadores da Rádio Globo eram pura delicadeza e educação com os ouvintes, Luciano era contundente e sempre procurava cobrar das autoridades às providencias e soluções para o Rio de Janeiro. Nada melhor que um dia após outro. Entrevistei LUCIANO ALVES neste sábado dia 24 de janeiro (sua última entrevista ) e percebi que LUCIANO não era nada daquilo que eu pensava quando adolescente no final dos anos 70 e durante toda a década de 80. LUCIANO se mostrou educadíssimo e com uma sensibilidade impressionante. Perguntei a ele qual seu grande momento na Rádio Globo e ele chorou, é isso mesmo, ele chorou ao responder, que ainda no Rio de Janeiro, depois de muitos anos na Globo, resolveu investir nos estudos e se formou bacharel em direito e se lembrou de convidar o DR ROBERTO MARINHO para sua formatura e agradecê-lo pelo fato da Rádio Globo ter contribuído e muito por aquela conquista em sua vida. Dr Roberto Marinho de forma muito gentil enviou-lhe a resposta dizendo que não seria possível comparecer, mas que se sentia orgulhoso e feliz por sua emissora ter participado daquele momento importante na vida de LUCIANO e lhe presenteou com um lindo anel de formatura. Citou nome por nome dos companheiros da época e destacou como fonte de inspiração maior, pelo conhecimento que tinha , Haroldo de Andrade, fazendo grandes elogios a alguns noticiaristas de "O GLOBO NO AR", como Guilherme de Sousa e Wolney Silva. Parecia um outro LUCIANO, mas as vezes voltava a antiga contundência e reclamou da ausência de ADELZON ALVES que nunca mais lhe fez uma ligação telefônica. Disse que o Rádio atual precisa de comunicadores preparados e que tenham conhecimento geral e que não tenham medo de cobrar das autoridades, aquilo que o povo precisa. Foi inesquecível a entrevista. LUCIANO ALVES brincou, sorriu, chorou, protestou e até me fez rir, quando falou que era um especialista em colocar apelidos nas pessoas, não para diminuí-las e sim para identificá-las melhor. Contou que certo dia ao encontrar com um novo colega da limpeza na Rádio Globo, logo observou e disse:
- ESSE CAMARADA PARECE COMO UMA PILHA FRACA!!!..
E não é que o apelido pegou mesmo, o Pilha Fraca está lá Rio na Rádio Antena 1. Hoje me preparando para colocar a entrevista no site "SHOW DO RÁDIO" recebo uma ligação do meu amigo WILSON SILVA (Ex produtor de Haroldo de Andrade) me contando a fatalidade. LUCIANO ALVES MORREU..
Não suportou uma hemodiálise depois da operação para colocar pontes de safena no coração. A intervenção foi bem sucedida, mas logo após um problema renal o obrigou a fazer uma hemodiálise, talvez por causa do diabetes. Faleceu agora a pouco pela manhã, neste dia 29 de janeiro, exatamente 05 dias depois de me conceder esta entrevista histórica. Luciano procurou seu amigo Tony Matheus em Aracaju e demonstrou uma incrível vontade de ser entrevistado antes da operação que seria na terça-feira. FICO aqui pensando comigo e ainda chocado com a perda de um grande amigo que fiz pelas ondas do rádio, da nossa Rádio Globo. Amigo, que não conheci pessoalmente, pois enviei as perguntas via internet e recebi as resposta no meu e-mail. Talvez pelo meu amor, pelo carinho e paixão que nutri por aquela Rádio Globo dos anos 70 e 80, o MEU DEUS quis me presentear me fazendo o autor da última entrevista de sua vida. Luciano Alves se foi, como também se foram WALDIR VIEIRA, GILBERTO LIMA, EDMO ZARIF, WALDIR AMARAL e tantos outros gigantes da comunicação, que se tornaram meus grandes mestres nesta profissão que escolhi a quase trinta anos atrás. Mais um GIGANTE ADORMECE para deixar o exemplo de que: Comunicação se faz com conhecimento, contundência quando for preciso , e acima de tudo respeito pelos ouvintes... Que saudade meu Deus! Daquelas inesquecíveis madrugadas em sua companhia LUCIANO ALVES. É por tudo isso que essa saudade de hoje me machucou profundamente... ADEUS LUCIANO ALVES!
 *Paulo Francisco é Radialista em Goiãnia-GO.

Carteira de Trabalho

A carteira assassinada Mataram a Carteira do Trabalho. Foi encontrada dias atrás, esfrangalhada, na sarjeta de um beco chamado Mercado. Pela natureza dos golpes, suspeita-se da Crise. Mas o Neoliberalismo não está descartado como o mandante do crime. Segundo testemunhas, apresentava sinais de sevícia e maus tratos, afora algumas cicatrizes do INSS (sem ligação com a causa mortis). Na ocasião, vestida com o tradicional uniforme azul, estava sem as poucas posses que a caro custo acumulara. Além de saqueada em seus FGTS e PIS, tinha anotações rasuradas e manchas roxas da pancadaria dos carimbos. Disso, porém, a vítima jamais se queixara. A Carteira do Trabalho começou a se sentir ameaçada a partir da Globalização. Uma não gostava da outra, apesar de a Carteira tudo fazer para se integrar ao desumano regime global. Em quaisquer eventos, das mesas de negociações aos fóruns sociais, a incompatibilidade entre ambas era notória: a Carteira fazia questão de exigir seus direitos e defender melhores condições funcionais; em contrapartida, a intransigente Globalização impunha sua visão mercantilista, a favor apenas da política de resultados. Escorraçada pelo pragmatismo internacional, a Carteira do Trabalho (cujo nome de casada era Carteira do Trabalho e Previdência Social) ainda tentava aparentar dignidade em sua trajetória trabalhista. Nos últimos tempos, sobrevivia de biscates, bicos e frilas; também se submetia às humilhações da Terceirização, que a explorava em várias áreas profissionais. Antes do horror final, talvez ciente dos riscos que corria, a Carteira do Trabalho já rabiscara a sua autobiografia. Orgulhava-se do pioneirismo na América Latina, dos benefícios da Era Vargas que aperfeiçoaram seu perfil, de passar incólume pela Ditadura (“Eu amava o Milagre Econômico”, teria ela certa vez declarado ingenuamente) e da sua importância para o conceito de cidadania na atualidade. Como documento de identificação popular, se achava até bonita, sem aceitar plástica para eliminar rugas oficiais. Respeitada por muitos empregadores e desvalorizada por outros tantos patrões, a Carteira do Trabalho era uma benquista unanimidade junto a todas as categorias trabalhadoras. Seu envolvimento com a classe operária a transformou em bandeira de partidos, e nem mesmo a perda do vínculo empregatício abalou sua vitalidade. Até que, em meio a pressões e recessões, veio a adoecer de flexibilidade crônica. Fragilizada, não resistiu à última agressão do capitalismo selvagem. O corpo da Carteira do Trabalho se encontra no IML, à espera da conclusão das investigações. Os boatos de que ainda estaria viva e respira por aparelhos são infundados. Fonte: Coletiva.Net

Morre o radialista Luciano Alves

Luciano foi vítima de problemas cardíacos 
Morreu na tarde desta quinta-feira, 29/01, o radialista, Luciano Alves, de 67 anos. Ele foi fundador da Rádio Cultura e trabalhou nas rádios Atalaia e Tupy. Também esteve durante mais de vinte anos presente na radiofonia do sudeste do país, pelo sistema Globo de rádio. Conhecido pela voz grave e seu bom humor, a radiofonia sergipana perde um dos maiores profissionais que já usaram os microfones no estado. O corpo do radialista foi velado durante toda a tarde desta quinta-feira, 29, no Cemitério Colina da Saudade, e o sepultamento aconteceu às 17h30. O radialista estava internado no Hospital do Coração, se recuperando de uma cirurgia no coração quando veio a óbito. Flamenguista dos mais assumidos, o comunicador foi homenageado ontem com um minuto de silêncio na partida entre Flamengo e Bangu, em Volta Redonda, vencida pelo Flamengo por 2 x 1.

Rádio Tupi

Rio de Janeiro RJ - Uma mudança radical deve agitar a programação da Super Rádio Tupi ( AM 1.280 kHz), do Rio de Janeiro. O comunicador Pedro Augusto vai assumir nos próximos dias o horário das 8h ás 10h. A Super Rádio Tupi pretende "disputar" a audiência com a Rádio Globo Brasil no mesmo horário do Padre Marcelo Rossi. A nova grade faz com que Clovis Monteiro e Francisco Barbosa percam uma hora em seus respectivos programas cada.A nova grade fica definida apartir do dia 26/02:
- Clovis Monteiro das 6h ás 8h
- Pedro Augusto (estréia) das 8h ás 10h.
- Francisco Barbosa das 10h ás 12h - Coelho Lima e equipe na Patrula da Cidade das 12h ás 13h - Pedro Augusto das 13h ás 15h - Heleno Rotay das 15h ás 17h.
O comunicador Pedro Augusto, conhecido também como o "Romeiro de Aparecida" recebeu uma sondagem de uma emissora paulista, mas como deputado (PMDB-RJ), não pode deixar o estado, e vai continuar comandando o seu tradicional programa de 13h ás 15h.
Sobre o Pedro Augusto
Pedro Augusto, é natural de Ribeirão Preto - SP, tem 46 anos de idade, é Católico Apostólico Romano praticante, 30 anos de trabalho e dedicação ao rádio, devoto fervoroso de N. Sra. Aparecida. O comunicador é conhecido pelo seu público como “Romeiro de Aparecida” por ser um exemplo de Fé, carinho e amor a igreja. Já levou mais de 50 mil pessoas á Basílica de Aparecida nestes 20 anos que atua no rádio carioca. Pedro Augusto é um missionário de Maria, realiza um trabalho de evangelização onde milhares de pessoas o acompanham em suas peregrinações. Onde quer que ele vá, carrega consigo a imagem de N. Sra. Aparecida.

Villa Nova e Democrata-GV

Wagner Augusto*
O técnico Wagner Oliveira comandou na tarde desta sexta-feira um treinamento coletivo em que começou a definir o time do Villa Nova que enfrenta o Democrata-GV no domingo, às 19h10, no Estádio Municipal Castor Cifuentes, no encerramento da segunda do Campeonato Mineiro.
Para essa partida, que pode representar a reabilitação do Leão do Bonfim no certame, o treinador poderá contar com o zagueiro Carlos Eduardo. Contratado junto ao Sport Boys, do Peru, o jogador teve seu nome incluído no BID da CBF na quarta-feira e está apto a entrar em campo. Em contrapartida, o atacante Joabe sofreu uma contusão no joelho direito no lance em que marcou o gol villa-novense em Andradas e pode ficar de fora.
Os ingressos começaram a ser vendidos na tarde desta sexta-feira nos postos tradicionais em Nova Lima. A diretoria leonina decidiu fixar para essa partida com o Democrata-GV o menor preço permitido pelo regulamento da competição: R$10,00 para homens e mulheres e R$5,00 para crianças de sete a 12 anos, estudantes e pessoas com mais de 60 anos.
Números do clássico felino: Leão x Pantera 23/03/1969 – Democrata 0x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
05/06/1969 – Villa Nova 3x0 Democrata – Campeonato Mineiro
23/03/1975 – Villa Nova 6x2 Democrata – Taça Minas Gerais
13/04/1975 – Democrata 0x0 Villa Nova – Amistoso
21/09/1975 – Democrata 1x2 Villa Nova – Torneio Incentivo
26/10/1975 – Villa Nova 3x1 Democrata – Torneio Incentivo
28/03/1976 – Democrata 0x1 Villa Nova – Taça Minas Gerais
08/07/1978 – Democrata 0x1 Villa Nova – Amistoso
08/04/1979 – Democrata 2x3 Villa Nova – Campeonato Mineiro
23/06/1979 – Villa Nova 1x1 Democrata – Campeonato Mineiro
31/07/1980 – Democrata 0x0 Villa Nova – Taça Minas Gerais
17/08/1980 – Villa Nova 1x0 Democrata – Taça Minas Gerais
19/07/1981 – Democrata 1x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
11/10/1981 – Villa Nova 1x1 Democrata – Campeonato Mineiro
18/07/1982 – Democrata 1x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
17/10/1982 – Villa Nova 0x0 Democrata – Campeonato Mineiro
31/10/1982 – Democrata 1x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
21/11/1982 – Villa Nova 1x0 Democrata – Campeonato Mineiro
12/03/1983 – Villa Nova 1x1 Democrata – Amistoso
09/04/1983 – Democrata 1x1 Villa Nova – Amistoso
26/06/1983 – Democrata 0x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
25/08/1983 – Villa Nova 0x0 Democrata – Campeonato Mineiro
03/06/1984 – Villa Nova 0x0 Democrata – Campeonato Mineiro
04/11/1984 – Democrata 2x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
29/06/1985 – Villa Nova 0x1 Democrata – Campeonato Mineiro
06/11/1985 – Democrata 2x2 Villa Nova – Campeonato Mineiro
26/01/1986 – Democrata 2x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
20/04/1986 – Villa Nova 0x0 Democrata – Campeonato Mineiro
11/04/1987 – Villa Nova 1x1 Democrata – Campeonato Mineiro
08/07/1987 – Democrata 1x2 Villa Nova – Campeonato Mineiro
15/03/1989 – Democrata 0x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
08/04/1992 – Democrata 1x1 Villa Nova – Supercopa Minas Gerais
01º/05/1992 – Villa Nova 1x0 Democrata – Supercopa Minas Gerais
26/08/1992 – Democrata 1x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
08/10/1992 – Villa Nova 0x1 Democrata – Campeonato Mineiro
27/02/1994 – Democrata 2x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
24/04/1994 – Villa Nova 1x1 Democrata – Campeonato Mineiro
20/03/1996 – Villa Nova 0x0 Democrata – Campeonato Mineiro
08/05/1996 – Democrata 1x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
16/03/1997 – Villa Nova 1x0 Democrata – Campeonato Mineiro
11/05/1997 – Democrata 4x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
29/03/1998 – Democrata 2x0 Villa Nova – Campeonato Mineiro
15/04/1998 – Villa Nova 2x0 Democrata – Campeonato Mineiro
25/04/1999 – Villa Nova 3x2 Democrata – Campeonato Mineiro
06/06/1999 – Democrata 5x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
22/04/2000 – Democrata 5x2 Villa Nova – Campeonato Mineiro
27/05/2000 – Villa Nova 3x1 Democrata – Campeonato Mineiro
25/03/2001 – Democrata 4x3 Villa Nova – Campeonato Mineiro
01/02/2006 – Villa Nova 3x1 Democrata – Campeonato Mineiro
11/03/2007 – Democrata 2x1 Villa Nova – Campeonato Mineiro
14/07/2007 – Democrata 3x2 Villa Nova – C. Brasileiro da Série C
29/07/2007 – Villa Nova 7x1 Democrata – C. Brasileiro da Série C
09/03/2008 – Villa Nova 1x0 Democrata – Campeonato Mineiro
ESTATÍSTICA
53 Jogos
19 Vitórias do Villa Nova
14 Vitórias do Democrata-GV
20 Empates 67 Gols Pró-Villa Nova
59 Gols Pró-Democrata-GV Leão x Raposa Já de olho no clássico do dia 8 de fevereiro contra o Cruzeiro, no Alçapão do Bonfim, acontece na quarta-feira 4, às 14h, uma reunião no Batalhão da Polícia Militar em Nova Lima para se traçar o planejamento para o jogo. A reunião será aberta à participação da imprensa, das torcidas organizadas e dos cidadãos que se interessarem pelo tema.
*Wagner Augusto é Jornalista

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Radiodifusão

O veterano narrador esportivo Edemar Annuseck (foto) fez a sua estréia na Rádio Record nesta quarta-feira, dia 28 de janeiro de 2009, às 21h30. Direto do Estádio do Pacaembu, em São Paulo, Edemar Annuseck narrou a partida Corinthians x Botafogo, de Ribeirão Preto, válida pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Os comentários do jogo foram de Paulo Roberto Martins e as reportagens ficaram por conta de Eduardo de Meneses. Vale lembrar que Edemar Annuseck participou das Copas do Mundo de 1974, 1978, 1982, 1986 e 1990, sempre atuando como locutor esportivo.
O comunicador Fábio Teruel (foto), deixou recentemente a Rádio Terra AM (1.330 kHz - São Paulo/SP), onde apresentava seu programa todas as manhãs. Segundo informações, após um desentendimento com a direção da casa, o comunicador achou melhor se desligar da emissora.Vale lembrar que, Fábio Teruel voltou à Terra AM após ter ficado afastado durante as eleições de 2008, atendendo determinação da Justiça Eleitoral, já que saiu candidato à vereador pela cidade de Osasco.
Após deixar no começo deste mês a equipe esportiva da Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP), o comentarista esportivo Fábio Sormani (foto), estreou nesta semana na Rádio Jovem Pan AM (620 kHz - São Paulo/SP).
Fábio Sormani já trabalhou na rádio e na tv Bandeirantes, além de outras importantes emissoras de São Paulo.

Futebol Mineiro

Alteração de jogos: O Chefe do Departamento Técnico da Federação Mineira de Futebol, no uso de suas atribuições legais, Resolve: I- Alterar os jogos abaixo relacionados, válidos pelo Campeonato Mineiro da Primeira Divisão de Profissionais - Módulo I - tempórada 2009: 07.02 - 16h - Social X Atlético - Ipatingão 07.02 - 15h30m - Guarani X Tupi - Farião 11.02 - 11h - Ituiutaba X Villa Nova - Fazendinha 14.02 - 15h30m - Ituiutaba X Tupi - Fazendinha
Liberação de estádios: Em reunião realizada em Belo Horizonte, com a presença de representantes das entidades de segurança, Ministério Publico de Minas Gerais e Federação Mineira de Futebol ficou estabelecido: Todos os estádios que tiveram pendências, que não foram aprovados na sua totalidade, possuem até o dia 28 de fevereiro para sanarem as irregularidades apontadas pelas entidades de segurança(Polícia Militar e Bombeiros).Uma vez não realizada essas mudanças a FMF fica proibida de designar jogos nessas praças. Os estádios Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora e, Waldemar Teixeira de Faria (Farião), em Divinópolis, só conseguiram liberação para os jogos desta rodada (2ªrodada) sendo necessária nova vistoria da Polícia Militar. Ainda, pelo Corpo de Bombeiros os estádios liberados que possuem pendências só poderão realizar jogos no período diurno. Estádios: Fazendinha – 1.800 presentes – 1.700 pagantes Mário Helênio – 13.500 presentes – 13.200 pagantes Independência – 5.000 presentes – 4.700 pagantes Farião – 4.000 presentes – 3.800 pagantes

Literatura

Livro: ÉTICA e capacidade contributiva - princípio constitucional Autor: Ruben de Azevedo Quaresma Sobre o Livro: É um livro de reflexões sobre valores, atitudes e condutas humanas, perante o jeitinho e gosto de levar vantagem em tudo – ainda que as ambições agridam os contornos éticos... Está aqui a displicência humana com a própria saúde; o lava mãos de Pilatos – covardia e indecisão; o lava pés de Jesus Cristo – lição de humildade; a resistência pacífica de Gandhi e a libertação da Índia – como ora se vê no Tibet, do Dalai Lama; as duas moedinhas da viúva pobre – doação total; a César o que é de César; os autores de leis injustas para opressão; a igualdade, fraternidade e legalidade da Revolução Francesa e seus excessos; o holocausto de Hitler e a escravidão – crimes hediondos indeléveis; as bombas americanas de Hiroshima e Nagazaqui e o onze de setembro de Bin Laden – acenos de segurança e paz mundial e de afirmação da liderança e libertação muçulmana; a coragem do Ministro Joaquim Benedito Barbosa Gomes e seus 40 suspeitos; a exacerbada violência – no sertão de Carajás, na sociedade, no subúrbio (o menino João Hélio, a doce Isabela...) –, em todo canto e contra todos...; a salada de mensalão, sanguessuga, bolsa-família, cheque-cidadão, cartões de crédito corporativo, dólar baixo, lobbies no Parlamento. E mais: motorista que avança sinal e suas relações com guardas de trânsito; ética (versus moral), direito e cidadania – visão histórica e atual; nova proposta de Reforma Tributária; fim da CPMF; carga tributária (brasileira e internacional); combate à sonegação – privatividade do fiscal de rendas ou da polícia; crimes contra a ordem tributária; respeito ao fiscal de rendas e ao policial; confisco tributário, apreensão fiscal de mercadorias e Súmulas do STF; incentivos fiscais e lobbies legislativos; planejamento e programação do Fisco; Código de Defesa do Contribuinte – excelência da relação fisco-contribuinte; Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (OSCIP ETCO); ética histórico-filosófica-social-religiosa e política; tributos non olet; Revolução Francesa no contexto ético da História – frente a conceitos religiosos e seculares; narrativa de verídicas historinhas fiscais; atuação de legisladores, juízes, governantes, parlamentares, fiscais de rendas, auditores, executivos, empresários, advogados, contadores, promotores de justiça e cidadão comum – pagador de despesas e investimentos públicos; ética da Polícia Federal – suas algemas e ações retumbantes; tutela oficial; padrões de vida; arrogância fiscal; microempresas; escravidão – tráfico, desrespeito à dignidade pessoal, responsabilidades internacionais, validade de cotas universitárias de afro-descendentes e resgate social...; guarda de sentinela; censor de fiscal; julgador de juiz. Sobre o autor: Ruben de Azevedo Quaresma é Fiscal de Rendas (RJ). Mestre em Direito Tributário (Estácio de Sá). Professor. Bacharel em Direito (Faculdade de Direito de Campos). Ciências Contábeis (Cândido Mendes). Funcionário do Banco do Brasil. Cabo do Exército Brasileiro, 1ª Bateria, 10º GACOSM. Curso de formação na ADESG. 1º Suplente de Vereador (Rio de Janeiro). Na Secretaria de Fazenda-RJ: Presidente da Junta de Revisão Fiscal; Diretor de Operações Especiais-DOE; Inspetor; Assessor do Secretário de Estado, da Assessoria Jurídica e da Subsecretaria de Fiscalização; destaque Fazendário/1985-SEF, conferido por César Maia, Secretário de Fazenda do Governo Brizola. Secretário Executivo da Agência de Serviços Públicos (ASEP-RJ). Diretor de Administração e Finanças (Secretaria da Criança e do Adolescente). Coordenador e Diretor de Tributos do Município do Rio de Janeiro. Assessor Tributário da Prefeitura de Campos-RJ. Coordenador Fiscal do Plano Cruzado-RJ e Presidente da Auto-Viação Redentor Ltda. (Intervenção-RJ).

Futebol Mineiro

Tupi x Atlético
Sábado - 31/01
Mário Helênio - 16h
A:Ricardo Marques Ribeiro/FIFA
A1:Márcio Eustáquio Santiago/FIFA
A2:Jair Albano Félix/CBF
4ºA:João Batista Neves Guelber Júnior* (LFJF)
Ituiutaba x Rio Branco Domingo - 01/02 Fazendinha - 11hs A:Cleisson Veloso Pereira A1:Ângela Paula Cruz Régis Ribeiro A2:Ricardo Júnior de Souza 4ºA:Elmivam Alves Andrade/FMF
Guarani x Uberaba Domingo - 01/02 Farião - 16hs A:Émerson Almeida Ferreira A1:Helbert Costa Andrade A2:Marcus Vinícius Gomes 4ºA:Célio Taylon de Freitas (Liga Local)
Cruzeiro x Social Domingo - 01/02 Mineirão - 17h A:Alício Pena Júnior A1:Guilherme Dias Camilo A2:Janette Mara Arcanjo 4ºA:Caio César de Oliveira Filho(FMF)
Villa Nova x Democrata
Domingo - 01/02
Castor Cifuentes - 19h10
A:Juliano Lopes LobatoA1:Celso Luiz da Silva
A2:Marconi Helbert Vieira
4ºA:Josiene Dinelle Pereira(Liga Local)
*João Batista Neves Guelber Junior é natural de Belo Horizonte, nascido em 16/03/1983. Formado em Educação Física pela Universidade Salgado de Oliveira - UNIVERSO (Juiz de Fora) e Pós-graduado no curso de Especialização em Futebol pela UFV (Viçosa). Faz parte do quadro de Árbitros da Liga Juizforana de Futsal. Pertence ao quadro de Árbitros da Liga de Futebol de Juiz de Fora (LFJF). Concluiu o Curso de Árbitro de Futebol pela Federação Mineira de Futebol.
Reside em Juiz de Fora e vai fazer, nesse confronto Tupi e Atlético, sua estréia no quadro de Árbitros da Federação Mineira de Futebol.
Obs: A RÁDIO MINEIRA WEB transmite Tupi e Atlético, em parceria com a Rádio Energia FM 96,7 mhz:
Narração: Carlos Roberto Sodré,
Comentários: Kilder Oliveira,
Entrevistas: Carlos Ferreira (Tupi), Thiago Werneck (Atlético), Jacqueline Pioli e Sílvia Germano (torcidas e autoridades), Marcelo Lima (ãncora), Gabriel Nascimento (Plantão), Dalvan Luiz (técnica), Thiago Stephan, Ricardo Bedendo e Jorge Troiano (convidados), Tãmara Lis (coordenação).

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Ciclismo

Os ciclistas, André Alvim e Jorge, de Miracema-RJ, que iniciaram o PEDAL LIVRE EM 2006, percorrendo vários trechos de MG e RJ, no último Pedal Livre 2008, percorreram em 21 dias as margens do Rio Paraíba do Sul com suas inseparáveis bikes, desde a nascente em SP até a foz em Atafona, RJ, e agora se preparam para seguirem rumo ao Rio São Francisco, o "Velho Chico" como carinhosamente é conhecido um dos mais importantes rios brasileiros, que é ameaçado constantemente.
"O rio São Francisco, também chamado de Opará, como era conhecido pelos indígenas antes da colonização, ou popularmente de Velho Chico, é um rio brasileiro que nasce na Serra da Canastra (foto) no estado de Minas Gerais, a aproximadamente 1200 metros de altitude, atravessa o estado da Bahia, fazendo a divisa ao norte com Pernambuco, bem como constituindo a divisa natural dos estados de Sergipe e Alagoas. Por fim, desagua no Oceano Atlântico, na região nordeste do Brasil."
Com 2.830 km de extensão, e drenando uma área de aproximadamente 641.000 km², o rio São Francisco nasce no estado de Minas Gerais, na Serra da Canastra, desemboca no Oceano Atlântico, entre Sergipe e Alagoas. Apresenta dois estirões navegáveis: o médio, com cerca de 1.371 km de extensão, entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) / Petrolina (PE) e o baixo, com 208 km, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.
O rio São Francisco atravessa regiões com condições naturais das mais diversas. As partes extremas superior e inferior da bacia apresentam bons índices pluviométricos, enquanto os seus cursos médio e sub-médio atravessam áreas de clima bastante seco. Assim, cerca de 75% do deflúvio do São Francisco é gerado em Minas Gerais, cuja área da bacia ali inserida é de apenas 37% da área total.
A área compreendida entre a fronteira Minas Gerais-Bahia e a cidade de Juazeiro(BA), representa 45% do vale e contribui com apenas 20% do deflúvio anual. Os aluviões recentes, os arenitos e calcários, que dominam boa parte da bacia de drenagem, funcionam como verdadeiras esponjas para reterem e liberarem as águas nos meses de estiagem, a tal ponto que, em Pirapora (MG), Januária (MG) e até mesmo em Carinhanha (BA), o mínimo se dá em setembro, dois meses após o mínimo pluvial de julho.
À medida em que o São Francisco penetra na zona sertaneja semi-árida, apesar da intensa evaporação, da baixa pluviosidade e dos afluentes temporários da margem direita, tem seu volume d'água diminuído, mas mantém-se perene, graças ao mecanismo de retroalimentação proveniente do seu alto curso e dos afluentes no centro de Minas Gerais e oeste da Bahia. Nesse trecho o período das cheias ocorre de outubro a abril, com altura máxima em março, no fim da estação chuvosa. As vazantes são observadas de maio a setembro, condicionadas à estação seca.

Juiz de Fora-MG

O Papa Bento XVI nomeou na manhã desta quarta-feira, 28/01, novo arcebispo para a Arquidiocese de Juiz de Fora: Dom Gil Antônio Moreira, que atualmente é bispo da Diocese de Jundiaí, Estado de São Paulo. O início do serviço pastoral está previsto para o dia 28 de março de 2009, às 14h30, na Catedral Metropolitana de Juiz de Fora. Seguindo o que manda o Código de Direito Canônico, Dom Eurico enviou, no dia 13 de abril de 2008, um comunicado ao Santo Padre pedindo sua aposentadoria. Depois de quase sete anos à frente da arquidiocese de Juiz de Fora, ele recebeu nesta quarta, dia 28, a carta comunicando que a Santa Sé aceita sua aposentadoria. Até a posse de Dom Gil Moreira, Dom Eurico fica como Administrador Apostólico da Arquidiocese JF. As funções mantidas na arquidiocese são: Chanceler, Ecônomo e Vigário Judicial.Já como administrador apostólico Dom Eurico nomeou, nesta quarta-feira, os vigários gerais para o período de Administração Apostólica: Pe. Antônio Cornélio Viana e Monsenhor Miguel Falabella de Castro. A Arquidiocese de Juiz de Fora é formada por Juiz de Fora e mais 36 municípios, sendo composta por 84 paróquias. O que vai: Dom Eurico dos Santos Veloso nasceu em 13 de abril de 1933 em Sarandira, distrito de Juiz de Fora, filho de João Custódio Veloso e de Ana Maria Bettarelo Veloso. Cursou o primeiro grau em Sarandira e Juiz de Fora.Em 1950, iniciou seus estudos no Seminário Santo Antônio. Em 1956 fez Filosofia, seguida da Teologia, no Seminário Maior São José de Mariana. Fez sua convalidação do curso de Filosofia em 1971 na Faculdade de Filosofia de São João Del Rey e, em 1983, o curso de Especialização em Direito Canônico pelo Instituto Pio XI em São Paulo.Foi ordenado presbítero por Dom Geraldo Maria de Morais Penido em 22 de setembro de 1962 na Igreja São Mateus (Bairro São Mateus). Como padre exerceu seu ministério em diversas funções como vice-reitor e professor do Seminário Santo Antônio, vigário geral da Arquidiocese de Juiz de ForaFoi ordenado bispo na Catedral (Paróquia Santo Antônio) de Juiz de Fora no dia 05 de julho de 1987, tendo como ordenante principal o então arcebispo, Dom Juvenal Roriz.De fevereiro de 1990 a agosto de 1991 foi administrador diocesano de Juiz de Fora, quando da renúncia de Dom Juvenal Roriz. Em 22 de maio de 1991 foi nomeado bispo coadjutor de Luz(MG), tendo assumido como bispo titular em 18 de maio de 1994.No dia 28 de novembro de 2001 recebeu a nomeação de Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, e tomou posse como 4° Arcebispo da arquidiocese em 03 de fevereiro de 2002. Atualmente é bispo responsável no Regional Leste II da CNBB pela Dimensão Ecumênica e de Diálogo Inter-religioso e desde 81 é Diretor Geral do Instituto Mater Christi. É integrante da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura, Educação e Comunicação Social da CNBB. Dom Eurico publicou três livros: * VELOSO, Dom Eurico dos Santos. Apostila de Fé e Política (cartilha para as eleições) - publicação particular, em nível de diocese. * VELOSO, Dom Eurico dos Santos. Fundamentos filosóficos dos valores no ensino religioso: Subsídios pedagógicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. * VELOSO, Dom Eurico dos Santos. Orientações para os conselhos paroquiais e diocesanos. São Paulo: Paulus, 2002. O que vem: O arcebispo eleito, Dom Gil Antônio Moreira nasceu no dia 09 de outubro de 1950 em Itapecerica – MG. Atualmente atuava como bispo em Jundiaí desde fevereiro de 2004.Cursou letras na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Divinópolis – MG e Filosofia no curso particular sob orientação de Pe.Carlos Rada Mecoleta. Na Pontifícia Universidade Católica (PUC/MG) cursou teologia. E pela Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma Fez cursou o mestrado em História Eclesiástica. Ordenou-se no dia 18 de novembro na sua cidade natal e foi nomeado bispo no dia 14 de julho de 1999. Seu lema é "Scis Amo Te" (Senhor, sabes que eu te amo).Entre os anos de 1994 a 2004 exerceu diversas atividades como bispo auxiliar na arquidiocese de São Paulo. Algumas delas são as coordenações da Equipe de formação dos diáconos permanentes de São Paulo e de Pastoral Vocacional arquidiocesana. Dom Gil foi responsável pelos Seminários Arquidiocesanos de São Paulo, pela Pastoral e Evangelização da Juventude e pela Comissão de Bens Culturais da Igreja no Regional Sul 1 da CNBB. Assistiu a RCC na arquidiocese e ocupou o cargo de presidência da Comissão de Bens Culturais da Arquidiocese. Como bispo da arquidiocese de Jundiaí desde 07 de janeiro de 2004, foi membro da Congregação para Educação Católica (Roma). Foi responsável também pelo Setor de Cultura do Regional Sul 1 da CNBB. Publicou alguns livros, dentre eles: História Eclesiástica da Paróquia de Itapecerica (1984), Semana Santa em Itapecerica (1994), À Sombra do Campanário (2003), Matriz de São Bento - Cem anos de Bênçãos (2005), Evangelizando – 2007. O livro A Reforma do Clero no Século XIX ainda em trabalhos gráficos. Paróquia São Geraldo ganha novo administrador paroquial A Paróquia São Geraldo, Bairro Teixeiras, termina o mês de janeiro com novo administrador paroquial. A cerimônia de posse de Pe. Márcio Vieira Martins acontece na celebração do dia 29 de janeiro, às 19h, na matriz (Rua Nair Furtado de Souza, 10, Bairro Teixeiras).A missa será presidida pelo vigário geral da arquidiocese, Monsenhor Miguel Falabella. Durante a celebração é lido o documento de nomeação e logo após o sacerdote é empossado. A partir desse momento, Pe. Márcio assume a missa e faz a homilia. Por fim, ele lê a ata de posse e Monsenhor Falabella a de vigário paroquial.Pe. Márcio, nasceu no dia 15 fevereiro de 1971 e se ordenou no dia 30 de junho de 2001. Cursou teologia e filosofia no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio e atuou na Paróquia de São Pedro de 2001 a 2002. Ultimamente exercia a função de pároco em Benfica.O sacerdote assume a paróquia após o pedido de renúncia de Monsenhor Miguel Falabella ao cargo de pároco. Igreja da Glória ganha novo pároco A Paróquia N. Sra. da Glória (Morro da Glória) ganha no próximo dia 01 de fevereiro um novo pároco. Pe. Flávio Leonardo S. Campos será empossado pelo arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Juiz de Fora, Dom Eurico dos Santos Veloso, em missa no domingo, às 19h30, na matriz (Av. dos Andradas, 855). O sacerdote é natural de Congonhas (MG) e ultimamente atuava como pároco em Cariacica (ES). Pe. Flávio tem 32 anos e é sacerdote há quatro. De acordo com o ex-pároco, Pe. Carlos Viol, ele trará “muitas experiências boas para partilhar e vontade de trabalhar”. Fonte: Arquidiocese

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Estação Mariano Procópio

HISTÓRIA Inaugurado como Estação Rio Novo, em 1876, o espaço foi rebatizado em homenagem ao Comendador Mariano Procópio Ferreira Lage, diretor da E. F. Dom Pedro II e construtor da estrada União e Indústria. Assim como o empreendedor que lhe dá nome, teve papel fundamental para o desenvolvimento da cidade, por tratar-se da primeira parada de trens construída em Juiz de Fora. Apesar do prestígio entre os visitantes cariocas que chegavam à cidade, a Mariano Procópio acabou tendo sua importância preterida pela Estação Central — no local hoje conhecido como Praça da Estação (Praça Dr João Penido) — aberta um ano depois. Funcionou até o 1996, quando o famoso trem de passageiros Xangai, que percorria a Linha do Centro, encerrou suas atividades. Em 1999, na administração de Tarcísio Delgado, a Estação Ferroviária Mariano Procópio foi tombada, pelo Decreto Municipal 6601, devido ao seu valor histórico e cultural, “íntima ligação com a façanha desenvolvimentista de Mariano Prócópio” e construção eclética com predominância de traços neoclássicos.
Fonte: JF Hoje

Radiodifusão

Projeto exige autorização para aluguel de espaço em TV
A Câmara analisa o Projeto de Lei 4549/08, do deputado Edson Duarte (PV-BA), que proíbe a cessão de espaço em rádio e TV a terceiros sem anuência do Ministério das Comunicações e exige que 60% do valor total do contrato sejam repassados à União.
"Considero anômala e incompatível com as disposições constitucionais e legais que regem o setor de radiodifusão a transferência, em todo ou em parte, de espaços nas grades horárias das emissoras de radiodifusão, por meio de contratos de arrendamento, para que terceiros explorem tais serviços", afirma o deputado.
O arrendamento de espaço na programação diária de rádio e TV a terceiros, em especial a grupos religiosos, é hoje prática comum.
"As mudanças propostas permitirão maior controle sobre a exploração do serviço de comunicação social", ressalta Edson Duarte.
Tramitação
O projeto aguarda distribuição para as comissões técnicas da Câmara.
Íntegra da proposta:
Notícias anteriores:
Reportagem - Edvaldo Fernandes
Edição - João Pitella Junior
Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856

Social e Tupi

Empate amargo no Louis Ensch Debaixo de muita chuva, faltou tranquilidade ao Social para vencer o Tupi pelo Campeonato Mineiro CORONEL FABRICIANO-MG – Na estréia no Campeonato Mineiro, o Social ficou apenas no 0 a 0 com o Tupi, ontem à noite, em Coronel Fabriciano e acabou frustrando o público que encarou a chuva para ir ao estádio Louis Ensch. Mesmo com um homem a mais durante praticamente todo o segundo tempo, o Saci pecou no sistema de ataque. O árbitro, André Luis Martins Dias Lopes, anulou corretamente dois gols do time fabricianense, que teve dificuldade em mostrar entrosamento. Social 0 x 0 Tupi Louis Ench - 26/01/2009 Social - Nivaldo, Filhão, Eleílsson, Tiago Emílio e Dyckson (Emílio); Marcinho, Rolete, Rodrigo Paulista (Andrezinho) e Willian; Nei Bala (Cléberson) e Isac Tec.: Wantuil Rodrigues Tupi - Alan, Jaiminho (Róbson), Reginaldo, Rodrigão e Michel; Bruno Ramos, Léo Salino, Daniel e Hugo (Marcel); Márcio Carioca (Rodrigo Mucarbel) e AdemilsonTec.: José Carlos Amaral Cartões amarelos - Willian (Social), Michel, Léo Salino, Daniel e Hugo (Tupi)
Cartão vermelho - Léo Salino (Tupi). A: André Luiz Martins Dias Lopes Público Pagante: 1032 torcedores
Renda: R$ 8.580,00
Obs:
- O Social joga no domingo, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte.
- O Tupi joga no sábado, contra o Atlético, Em Juiz de Fora.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Futebol - Resultados

Campeonato Mineiro - 1ª rodada
Uberaba 0 x 1 Ituiutaba
Rio Branco-MG 3 x 1 Villa Nova-MG
Atlético-MG 0 x 0 América-MG
Uberlândia 1 x 2 Cruzeiro
Taça Guanabara
Grupo A
Cabofriense 3 x 1 Fluminense
Grupo B
Flamengo 1 x 0 Friburguense
Sábado
Grupo A
Vasco 0 x 2 Americano-RJ
Madureira 1 x 1 Resende
Duque de Caxias 1 x 1 Tigres do Brasil
Grupo B
Macaé 2 x 0 Volta Redonda
Mesquita 3 x 1 Bangu
Boavista-RJ 1 x 2 Botafogo
Campeonato Paulista - 2ª rodada
Portuguesa 0 x 2 São Paulo
Noroeste 1 x 2 Santos
Guaratinguetá 2 x 2 Botafogo-SP
Grêmio Barueri 2 x 2 Oeste
Bragantino 0 x 1 Corinthians
Sábado
São Caetano 1 x 0 Santo André
Ituano 0 x 1 Guarani
Mirassol 3 x 3 Marília
Ponte Preta 2 x 0 Paulista
Palmeiras 3 x 0 Mogi Mirim

Utilidade Pública

RESTITUIÇÃO DO IPVA - Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor: Você sabia que quem teve seuveículo furtado ou roubado pode solicitar a restituição do IPVA proporcional ao período em que não fez uso do veículo? Pois é... É o tipo de informação que ogoverno não divulga. Por que será? Só fiquei sabendo por que tenho um amigo quetrabalha na Secretaria da Fazenda e, ao ficar sabendo que uma amiga nossa teveum veículo roubado, orientou que ela procurasse os seus direitos. Veja 'Artigo4., Lei N. 8.115 de 30 de dezembro de1985 ' Par 6. - A dispensa do pagamento do imposto, na hipótese dos parágrafos 4 e 5. (veículo roubado ou furtado), no exercício em que se verificar a ocorrência, desonera o interessado do pagamentodo tributo proporção do número de meses em que o titular do veículo não exerceudireito de propriedade e posse e, os casos de furto ou roubo, enquanto essesdireitos não forem restaurados. Par 7. -Nos casos de veículos furtados ouroubados, sempre que forem restaurados os direitos de propriedade e posseviolados, o contribuinte deve comunicar o fato, imediatamente e por escrito, à Fiscalização de Tributos Estaduais (art.12 par 2.). A solicitação de restituiçãodo Imposto deve ser feita na Secretaria da Fazenda, Guichê do IPVA. JUSTIÇA VOLANTE: O novo número da JUSTIÇA VOLANTE: é 08006442020.Sabe aqueles acidentes de trânsito chatos, discussões sobre de quem é a culpa,etc & etc.. Há um serviço público chamado Justiça volante. Se você seenvolverem acidente de trânsito, ligue 0800-644-2020.São cinco viaturas equipadas com Juizado de pequenas causas, e, oficialmente,todo mundo sai de dentro da Van como se tivesse saído de um tribunal.Parece que o serviço está prestes a acabar simplesmente porque ninguém liga.Ninguém conhece. Transmita para quem puder, e guarde o número em seu celular.

São Paulo-SP

São Paulo feliz aniversario. Ataíde Lemos* São Paulo dos arranha-céus Hoje paro pra te homenagear Pela importância que mereces E que o Brasil te dá São Paulo da esperança e dos sonhos Palco de acontecimentos relevantes Cidade dos retirantes Terra de migrantes Do nordestino, do mineiro Enfim, de todo o povo brasileiro Mesmo com tanta aglomeração Ainda que haja agitação Não perdes a beleza, nem a magia Não tira o brilho, nem a alegria De ser escolhida pra viver Cidade amada por tantos Pelas maravilhas de seus encantos. Se tens seus problemas Não é de sua exclusividade Há em toda cidades Sejam elas grandes ou pequenas São Paulo das noites paulistana Dos grandes clubes de futebol Do parque do Ibirapuera Inúmeras áreas de lazer Para diversão e prazer. *Ataíde Lemos é Poeta e Escritor

sábado, 24 de janeiro de 2009

José Carlos Amaral

Todos os jogos do técnico José Carlos Amaral no comando do Tupi em 1998:
00/01/98 - Maripá de Minas-MG - Estádio Municipal Giacomino Trezza Amistoso Tupi 07 - 02 gols de Nenê aos 05 e aos 27`do 01º t, 02 de Wesley aos 15 e aos 20`do 01º t , 01 de Helton aos 08`do 02º t, 01 de Giva, de penalti, aos 18`do 02º t e 01 de Túlio aos 28` do 02ºt. Seleção de Maripá 00
Tupi 01ºt: Zé Luiz, Alex, Ari, Sérgio Bigode e Rubens; Dário, Clayton, Nenê e Charlam; Mauricinho e Wesley; Tupi 02ºt: Beto, Serginho, Valério Capelinha, Maurão e Cacau; Alex, Balinha, Giva e Reinaldo Maciel; Túlio e Helton; Tec: José Carlos Amaral.
Maripá: Ademar, Djair, Henrique, Buchecha e Marcinho; Niquinha, Helder, Valmir e Joaquim; Josiel (Wilson)e Everaldo (Robson). Tec: Toninho Garrincha Pinheiro. A: Paulo Sérgio da Silva (LDL) , A1: Oswaldo Gualberto (LDL) e Joaquim Machado(LDL). PP: 265 torcedores, R: 795,00
Obs: Na preliminar Comercial de Argirita 02 x02 Biquense.
00/01/98 - Maripá de Minas-MG - Estádio Municipal Giacomino Trezza Amistoso Tupi 03 gols de Clayton aos 34`do 1ºt, Reinaldo Maciel aos 22`e Adriano aos 42` do 2º t, Seleção de Leopoldina 00
Tupi: Zé Luiz (Beto), Alex (Valério Capelinha), Ari (Maurão), Sérgio Bigode e Rubens (Cacau); Dário (Helton), Clayton (Chem), Giva e Charlam (Sandrinho); Mauricinho (Reinaldo Maciel) e Wesley (Adriano). Tec: José Carlos Amaral.
Leopoldina: Árlei, Claudinho, (Batata), Ernande (Denilson), Luiz Carlos e Dendê; Nando, Elaine, Pejô e Rodriguinho (Rodrigo Silva); Marcos Santos e Geléia (Oliveira). Tec: A: Robert da Silva Machado (LDL), A1: Paulo Sérgio de Oliveira (LDL) e A2: Oswaldo Gualberto (LDL). Ca: Ari, Dário e Maurão (Tupi) e Pejô (Seleção de Leopoldina), Cv: Giva (Tupi) e Pejô (Seleção de Leopoldina). PP: 130 torcedores, R: 390,00
Obs: Na preliminar Seleção de Maripá 02 gols de Marcinho e Robinho, S. C. Biquense 01 gol de Pil. Campeonato Mineiro do Módulo 2/98 01/02/98 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio Campeonato Mineiro do Módulo 2 Tupi 03 gols de Rubens aos 48`do 1º t, Mauricinho, de penalti, aos 11`e Charlam aos 38`do 2º t, Fabril 01 go de Edcarlo aos 41`do 1ºt. Tupi: Zé Luiz, Alex (Giva), Sérgio Bigode, Ari e Rubens; Dário, Clayton (Léo Devanir), Charlam e Nenê (Reinaldo Maciel); Mauricinho e Wesley. Tec: José Carlos Amaral. Fabril: Evandro, Juininho, Carlão, Ocimar e Eduardo; Pratinha, Edcarlo (Júlio), Denilson (Richelme) e Ted (Sandro); Devair e Betinho; Tec: A: Sérgio Coelho da Silva, A1: Dener Lima Azevedo, A2: Ronaldo de Almeida. Ca: Alex, Rubens e Charlam (Tupi) e Eduardo, Denilson e Devair (Fabril). Cv: Wesley (Tupi) e Eduardo (Fabril). PP: 681 Torcedores, PN: 302, PT: 983, R: 3.078,00 Obs: Wesley havia se casado com Janaína. Outros resultados: Rio Branco 01 x 00 Pouso Alegre, Uberlãndia 05 x 00 Araguari, Paraisense 00 x 01 URT e Mamoré 00 x 00 Uberaba. 08/02/98 - Pouso Alegre-MG - Estádio Municipal Irmão Gino Maria Rossi - O Gigante do Mandu Campeonato Mineiro do Módulo 2 Pouso Alegre 01 gol de Alessandro aos 27`do 1º t Tupi 01 gol de Emílio aos 30`do 2º t Pouso Alegre: Bira, Pavão, Renato, Gomes e Walmir; Nildo, Cristiano, Fabrício e Alessandro; Andrade e Dinei (Gelo). Tec: Francisco Paes. Tupi: Zé Luiz, Alex, Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Clayton (Giva), Ari (Emílio) e Charlam (Balinha); Mauricinho e Reinaldo Maciel. Tec: José Carlos Amaral. A: Marcelo Rufino dos Santos, A1: Juliano Lopes Lobato e A2: Edgar Sales Abreu. Ca: Gomes, Bira e Pavão (Pouso Alegre) e Rubens e Clayton (Tupi) e Cv: Pavão (Pouso Alegre). PP: 1.496 torcedores, R: 7.480,00 15/02/98 - Andradas-MG - Estádio JK Campeonato Mineiro do Módulo 2 Rio Branco 00 Tupi 00 Rio Branco: Celso, Rincão, Russo, Freitas e Servílio (João Márcio); Agnaldo, Souza, Fabrício (Fábio) e Vital; Gustavo e Fogueirinha (Adriano Alves). Tec: Tupi: Zé Luiz, Alex, Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Ari, Reinaldo Maciel (Cacau) e Charlam; Mauricinho (Wesley) e Emílio (Clayton). Tec:Tec: José Carlos Amaral. A: Carlos Henrique Tosta, A1: Walter Justino dos Reis e A2: Romualdo Marriel. Ca: Agnaldo e Souza (Rio Branco) e Léo Devanir e Charlam (Tupi) e Cv: Sérgio Bigode. Obs: Mauricinho cobrou um penalti sofrido por Charlam aos 28`do 02º t e o goleiro Celso defendeu. 19/02/98 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio Campeonato Mineiro do Módulo 2 Tupi 03 - gols de Ari aos 07`do 01º t e Emílio aos 23` do 01º t e aos 40`do 02º t. Sete de Setembro 02 - gols de Cristiano aos 31`do 01º t e Clemilson, de penalti, aos 41`do 02ºt Tupi: Zé Luiz, Alex, Wellington, Léo Devanir e Rubens; Dário, Ari, Reinaldo Maciel (Clayton) e Charlam; Mauricinho (Wesley) e Emílio (Cacau). Tec: Augusto Clemente. Sete de Setembro: Laércio, Lói, Elaino, Roberto (Leandro) e Carlão; William, Fábio, Jonas e Jorge (Alexandre); Cristiano e Clemilson; Te: Jurandy Gama Filho. A: Cléver Assunção Gonçalves, A1: Sebastião de Abreu e Ailton Rodrigues da Costa. Ca: Léo Devanir (Tupi) e Roberto, Jonas e Clemilson (Sete de Setembro). PP: 873 torcedores, R: 4.132,50 01/03/98 - Belo Horizonte-MG - Estádio Leopoldo Pacheco Bessone - Venda Nova Campeonato Mineiro do Módulo 2 Venda Nova 00 Tupi 01 gol de Wesley aos 25`do 02º t Venda Nova: Alan, Marcelo, Claudinei, Sandro e Leonardo Elias; Euzales, (Sócrates), Patrick, Leonardo Julião (Márcio Teixeira) e Álisson; Luiz Fernanmdo (Fábio) e Wando. Tec: Tupi: Zé Luiz, Alex, Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Reinaldo Maciel (Wesley), Chem (Clayton) e Charlam; Mauricinho e Emílio (Wellington). Tec: José Carlos Amaral. A: Evaristo Francisco de Souza, A1: Nilton Lacerda e Flamarion Sócrates da Silva. Ca: Sandro (Venda Nova) e Dário e Chem (Tupi) e Cv: Wando (Venda Nova) e Charlam (Tupi). 08/03/98 - Lavras-MG - Estádio Olímpico da Ufla Campeonato Mineiro do Módulo 2 Fabril 01 - gol de Alessandro aos 44`do 01ºt Tupi 01 gol de Wellington aos 12`do 01ºt Fabril: Júlio César, Juninho, Carlão, Ocimar e Pedro (Eduardo); Tobias, Pratinha, Denilson (Emerson) e Sandro (Roberto); Alessandro e Devair; Tupi: Zé Luiz, Alex, Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Wellington, Chem (Amando) e Reinaldo Maciel (Clayton); Mauricinho e Emílio (Wesley); Tec: José Carlos Amaral. A: Cléver Assunção Gonçalves, A1: Wenderson Mozzer e A2: Edson Teixeira de Souza. Ca: Sérgio Bigode e Amando (Tupi). PP: 171 torcedores, R: 855,00. 15/03/98 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio Campeonato Mineiro do Módulo 2 Tupi 03 - 02 gols de Emílio aos 19 e aos 31`e Babinha aos 41`do 02º t Pouso Alegre 00 Tupi: Zé Luiz, Alex (Chem), Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Wellington, Clayton e Giva (Amando); Mauricinho e Emílio (Balinha). Tec: José Carlos Amaral. Pouso Alegre: Bira, Pavão, Renato, Clodoaldo e Nildo; Cássio (Dinei), Valmir, Gelo e Alessandro; Andrade e Washington (Cristiano); A: João Bosco de Carvalho, A1: Juliano Lopes Lobato e A2: Manuel Teixeira de Souza. Ca: Léo Devanir, Dário e Wellington (Tupi) e Nildo, Clodoaldo e Washington (Pouso Alegre) e Cv: Léo Devanir (Tupi) e Pavão (Pouso Alegre). PP: 1.519 torcedores, PN: 1.052, PT: 2.571, R: 7.537,50 22/03/98 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio Campeonato Mineiro do Módulo 2 Tupi 01 - gol de Mauricinho no 01º t Rio Branco 01 - gol de Rubens, contra, no 02º t Tupi: Zé Luiz, Alex, Sérgio Bigode, Wellington e Rubens; Dário, Clayton (Chem), Giva (Amando) e Charlam; Mauricinho e Emílio (Wesley); Rio Branco: Celso, Rincão, Adriano, Freitas e João Márcio; Flavinho (Fábio), Souza, Walmir (Léo) e Wendel; Osmarzinho e Givanildo (Fabrício); A: Evaristo Francisco de Souza, A1: Wenderson Mozzer e José Inácio da Silva. Ca: Sérgio Bigode e Charlam (Tupi) e Freitas, João Márcio e Souza (Rio Branco) e Cv: Mauricinho (Tupi) e Souza (Rio Branco). PP: 1.593 torcedores, PN: 1.074, PT: 2.667, R: 7.840,00 01/04/98 - Belo Horizonte-MG - Estádio Raimundo Sampaio - Independência Campeonato Mineiro do Módulo 2 Sete de Setembro 01 - gol de Clemilson aos 46`do 01º t Tupi 01 - gol de Giva, de penalti, aos 17`do 02º t Sete de Setembro: Laércio, Renato, Roberto, Ralf e Carlão; William, Jordan, Clemilson (Elaino) e Leandro (Jorge); Fábio (Robert) e Lói. Tec: Jurandy Gama Filho. Tupi: Beto, Alex, Wellington, Léo Devanir e Rubens; Dário, Chem, Clayton (Balinha) e Amando (Nenê); Giva e Emílio (Reinaldo Maciel). Tec: José Carlos Amaral. A: Raimundo Menezes de Carvalho Filho, A1: Edgar Sales Abreu e A2: Jorge Mauro de Souza. Ca: Laércio, Renato, Roberto e William (Sete de Setembro) e Dário e Rubens (Tupi) e Cv: Rubens (Tupi). 05/04/98 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio Campeonato Mineiro do Módulo 2 Tupi 05 - 03 gols de Emílio, 24 do 01º t, e aos 19 e 46 do 02ºt, Balinha aos 28`do 01º t e Giva, de penalti, aos 40`do 01º t Venda Nova 00 Tupi: Zé Luiz (Erivelton), Alex, Wellington, Léo Devanir e Cacau; Chem, Clayton, Giva (Reinaldo Maciel) e Amando; Balinha (Charlam) e Emílio. Tec: José Carlos Amaral. Venda Nova: Alan, Luiz Fernando, Joel, Léo Elias e Cristiano; Euzales, Patrick (Sócrates), Léo Julião, e Vando (Eudes); Álisson (Fabinho) e Rodrigo; A: Geferson Geraldo Alexandrino, A1: Dener Lima Azevedo e Osmar Dias Camilo. Ca: Cacau (Tupi) e Luiz Fernando e Eudes (Venda Nova) e Cv: Cacau (Tupi) e Eudes (Venda Nova). PP: 751 torcedores, PN: 731, PT: 1.482, R: 3.725,00 Obs: Término da 01ª fase 12/04/98 - Andradas-MG - Estádio JK Campeonato Mineiro do Módulo 2 Rio Branco 01 Tupi 00 Obs: Outros resultados: Uberlãndia 02 x 02 Mamoré e URT 02 X 00 Sete de Setembro. Goleiro Zé Luiz que viajou em litígio com a diretoria por falta de pagamento, foi expulso.Com salários atrasados e uma proposta melhor, técnico José Carlos Amaral retornou ao futebol Peruano, levando com ele o Preparador Físico Luiz Claudio Aguiar. Jarbas Duque, que era auxiliar, assumiu a parte física e Augusto Clemente, que era Supervisor, assumiu o time.

Campeonato Mineiro 2009

Diferentemente dos últimos anos, oito equipes avançam às quartas-de-final, fase criada a pedido dos times interior. A mudança no regulamento desagradou Atlético e Cruzeiro, que disputarão Copa do Brasil e Libertadores, respectivamente, no mesmo período. Os dois times de pior campanha caem para o Módulo II de 2010. Na última edição, Ipatinga e Democrata-SL foram rebaixados. América e Uberlândia, campeão e vice da Segunda Divisão, ocuparão as vagas. Com maior tempo para se preparar, as equipes do interior tentam quebrar a hegemonia dos times da capital. Desde 1958, quando a competição assumiu o nome de Campeonato Mineiro - antes chamava Campeonato da Cidade -, apenas o Siderúrgica, de Sabará (1964), Caldense (2002) e Ipatinga (2005) conseguiram tirar o troféu de Belo Horizonte. Pelo antigo campeonato, o Villa Nova venceu cinco vezes (tetracampeão entre 1932 e 1935 e em 1951) O Atlético é o maior vencedor, com 39 títulos, seguido por Cruzeiro, com 35, e América, que levantou a taça 15 vezes. A maior hegemonia pertence ao Coelho, decacampeão entre 1916 e 1925.
01 - Cruzeiro
Primeiro colocado da competição uruguaia - venceu o rival, Atlético, por 4 a 2, na estréia -, o time comandado pelo técnico Adílson Batista manteve a base e trouxe sete reforços para a temporada. A principal contratação foi o atacante Wellington Paulista, vindo do Botafogo. O clube comprou 50% dos direitos do jogador por R$ 3 milhões. Além dele, outros três jogadores chegaram para o setor: Soares, Alessandro e o ex-atleticano Jael. Para a defesa, vieram Leonardo Silva e Anderson, último reforço anunciado, e para a lateral direita, Jancarlos. Além das contratações, a torcida anseia pelo retorno do lateral-esquerdo Sorín, em tratamento no departamento médico desde agosto do ano passado. Cogitado para disputar o torneio no país vizinho, o jogador ainda espera o sinal verde dos médicos para vestir a camisa celeste novamente. Outro grande trunfo para 2009 é a permanência dos principais jogadores do grupo: o goleiro Fábio, o volante Ramires, o armador Wagner e o atacante Guilherme. O clube não recebeu propostas oficiais pelos atletas. Além disso, comprou parte dos direitos de Fabrício e garantiu a permanência do volante Henrique. Sem perder para o Atlético há nove partidas - a última derrota foi no primeiro jogo da final do Mineiro de 2007 -, o time estréia contra o Uberlândia, domingo, às 19h10, no Parque do Sabiá. O clássico contra o Galo está marcado para 15 de fevereiro, na quinta rodada. Relação de atletas Goleiros: Fábio, Andrey e RafaelZagueiros: Anderson, Léo Fortunato, Thiago Heleno, Leonardo Silva,
Laterais: Sorín, Fernandinho, Jonathan e Jancarlos,
Volantes: Elicarlos, Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires,
Armadores: Camilo, Gérson Magrão e Wagner,
Atacantes: Guilherme, Thiago Ribeiro, Wellington Paulista, Alessandro, Jael, Soares e Rômulo.
02 - Atlético
Maior campeão do torneio, com 39 troféus levantados, o Atlético inicia o Campeonato Mineiro de 2009 com o objetivo de reiniciar um período de conquistas. O Galo ficou com o título em 2007, quando derrotou o Cruzeiro na final, mas, desde então, não ganhou nenhuma outra taça. Para recolocar a equipe no caminho dos títulos, o presidente da equipe, Alexandre Kalil, investiu na contratação do técncio Emerson Leão, respaldado pelo bom trabalho que já havia prestado ao clube em suas duas passagens anteriores. Na primeira delas, em 1997, Leão conquistou a Copa Conmenbol. Quando voltou à dirigir o Galo, em 2007, evitou que a equipe fosse rebaixada e classificou o time para a disputa da Copa Sul-Americana do ano seguinte. Além de Emerson Leão, seis jogadores chegaram à Cidade do Galo: os volantes Carlos Alberto, Renan e Júnior Carioca; o armador Lopes; o atacante Diego Tardelli e o lateral- esquerdo Júnior. O atacante Éder Luís e o lateral Thiago Feltri, que estavam emprestados, foram reintegrados ao elenco e também foram colocados à disposição do treinador.
Relação de atletas: Goleiros: Juninho, Edson, Bruno e Nicolas,
Laterais: Sheslon, Marcos Rocha, Júnior e Thiago Feltri,
Zagueiros: Leandro Almeida, Marcos, Welton Felipe, Samuel e Werley,
Volantes: Carlos Alberto, Júnior Silva, Renan, Rafael Miranda, Marcio Araújo, Serginho,
Armadores: Lopes, Renan Oliveira, Yuri e Tchô,
Atacantes: Raphael Aguiar, Éder Luís, Diego Tardelli, Pedro Paulo e Marques. 03 - Tupi Comandado pelo técnico José Carlos Amaral, o time perdeu seus principais jogadores: o goleiro Marcelo Cruz foi para o Mogi Mirim, o atacante Allan se transferiu para o Democrata-GV, e os volantes Caetano e Lucas foram para o Ipatinga. A equipe se prepara desde meados de dezembro, com os atletas remanescentes e os recém-promovidos dos juniores. Os novatos chegaram logo após o natal. Durante a preparação fez um jogo-treino contra o Flamengo: derrota por 4 a 1, na Granja Comary, em Teresópolis. O time de Juiz de Fora estréia no Mineiro contra o Social, domingo, no Estádio Radialista Mário Helênio. No próximo mês, a equipe faz seu primeiro jogo na Copa do Brasil contra o Criciúma. Relação de atletas Goleiros: Alan Faria, Gonçalves, Henrique,
Laterais: Jaiminho, Serginho, Rafael, Guilherme e Douglas,
Zagueiros: Reginaldo, Wesley Ladeira, Rodrigão, Itamar,
Volantes: Robson, Daniel, Noel, Darlan, Wesley, Marcel,
Armadores: Hugo, Leo Salino, Márcio Carioca, Gil Max, Felipe, Michel,
Atacantes: Ademilson, Rodrigo Mucardel, Matheus, Carlão, Leandrão.
04 - Ituiutaba
A torcida do Cruzeiro dificilmente vai esquecer do susto na primeira partida da semifinal do Mineiro de 2008, quando o Ituiutaba, perdendo por 4 a 1, conseguiu o empate com o time celeste em pleno Mineirão. Se não conseguiu se classificar para a final da competição, o time do Pontal do Triângulo provou que é uma das grandes forças do futebol no estado. Comandado por Amauri Knevitz, o Boa aposta na permanência da base que disputou a Série C do Brasileiro. Treze jogadores são remanescentes da boa campanha na Terceira Divisão nacional, entre eles o goleiro Thiago, o lateral-direito Matheus, o lateral-esquerdo Radar, os volantes Machado, Olívio, Kiko e Carlinhos, e o armador Didi. Na fase de preparação, a equipe do Pontal fez três amistosos contra times goianos: empatou sem gols com o Jataíense, venceu o Itumbiara, por 2 a 1, e perdeu para o CRAC, por 2 a 0, em Catalão. A equipe estréia contra o Uberaba, domingo, às 15h30, no Uberabão. A provável escalação: Tiago; Mateus, Neilor, Leonardo, Radar [Maciel]; Machado, Kiko, Marquinho [Carlinhos], Didi; Alex Bahia e Paulinho. Relação de Atletas: Goleiros: Tiago, Jonatas, Laterais: Mateus, Carlinhos, Radar, Índio,
Zagueiros: Bruno Lopes, Marcelo Brachini, Geilson, Neylor,
Volantes: Jackson, Kiko, Machado, Rafael, Leo Papel,
Armadores: Marquinho e Romel,
Atacantes: Alex Bahia, Didi, Lúcio Flávio, Rodrigo Hote, Paulinho.
05 - Guarani
O Guarani de Divinópolis terminou 2008 levando um susto. Com as fortes chuvas que caíram na região, o Rio Itapecerica transbordou, deixando o gramado do Estádio Valdemar Teixeira de Faria, onde o clube manda seus jogos, e o alojamento dos jogadores, completamente submersos. Para o Mineiro, o Bugre apostou na continuidade do trabalho do técnico Brandãozinho, que também dirigiu o clube na campanha de 2008. Na oportunidade, o Guarani não se classificou à fase final da disputa por uma diferença de apenas dois pontos, terminando a fase de classificação em 5º lugar. Do elenco do ano passado, permaneceram o goleiro Eládio, o zagueiro Ronis, o lateral Hernani, os volantes Cafu e Gustavo e os armadores William César e Hagamenon. Para reforçar o grupo, a diretoria investiu na contratação do vice-artilheiro da Série C de 2008. O atacante Marcelo Brás estava no Rio Branco-AC, onde marcou 28 gols na temporada passada. Relação de atletas: Goleiro: Eládio, Fábio e Eduardo,
Laterais: Hernani, Lima, Ceará,
Zagueiros: Fábio Recife, Ronis, Lúcio, Peterson e Roger,
Volantes: Paulinho Guerreiro, Conrado, Cafu, Diego Paulista e Gustavo,
Armadores: Neguinho, William César, Pedrinho, Hagamenon e Fernandinho,
Atacantes: Marcelo Brás, Danilo Lins, Diego Campos e Paulo.
06 - Villa Nova O Villa Nova entra no Mineiro de 2009 sonhando em voltar a ter uma participação de destaque na competição. Nas últimas cinco edições do torneio, o Leão do Bonfim não conseguiu se classificar para a fase final da disputa, sendo eliminado ainda na fase de classificação. Em 2008, o Villa terminou na sexta colocação, com 17 pontos ganhos. Em 11 jogos, foram cinco vitórias, quatro derrotas e dois empates. Para reforçar o grupo no começo da temporada, a diretoria anunciou a contratação dos volantes Everton, que estava no futebol sueco, Aguinaldo, que defendia o Águia Negra-MS, e Marcelinho, ex- ABC-RN; o meia Rigoberto, que estava no Serra-ES e os zagueiros Rodrigão, que defendia o Ituiutaba, e Carlos Eduardo, ex-Sport Boys, do Peru. A equipe será comanda pelo técnico Wagner Oliveira, que dirigiu o Uberlândia no ano passado. Esta será a terceira passagem do treinador por Nova Lima, que anteriormente já havia disputado a Série C de 2002 e 2005, além do Campeonato Mineiro de 2006 pelo time alvirubro. Na presidência da equipe está o ex- zagueiro Luizinho, que já atuou pelo do clube e ganhou projeção vestindo a camisa do Atlético e Seleção Brasileira. O Villa continuará mandando seus jogos no estádio Castor Cifuentes, apelidado de Alçapão do Bonfim. Foi nele que o clube conquistou seus principais títulos, como o tetra campeonato mineiro (1932/33/34/35), o Super Campeonato Mineiro de 1951 e o Campeonato Nacional da Segunda Divisão, em 1971.
Relação de atletas: Goleiros: Macaé, Thiago Vampirinho e William Jeferson,
Laterais: Édson, Luís Cláudio, Magal ,
Zagueiros: Cleberson Heitor, Reinaldo, Rodrigão, e Carlos Eduardo,
Volantes: João Paulo, Leandro Paraná, Luís Ricardo, Nílson, Everton, Aguinaldo, Marcelinho e Rafael Júnior,
Armadores: Sammuel, Marlon, Wander, Rigoberto e Agnaldo,
Atacantes: Adriano, Rafael Gomes, Rômulo e Joabe.
07 - Rio Branco
Desde o rebaixamento da Caldense ao Módulo II do Mineiro, em 2007, o Rio Branco é o único clube do Sul do estado. Mesmo sem poder medir forças com a ‘Veterana’, sua tradicional rival, o time de Andradas quer entrar forte no Mineiro de 2009 e representar bem a cidade no torneio estadual. A equipe se reforçou com a chegada dos armadores Márcio Diogo e Márcio Guerreiro e do goleiro Elisson, emprestados pelo Cruzeiro. Além deles, o Rio Branco trouxe o goleiro Gleisson, os zagueiros Cláudio Brito e Hebert, o lateral-esquerdo Márcio Loiola e o atacante Marcelo Peabirú. O escolhido para dirigir a equipe foi Paulo César Catanoce, formado em Educação Física. O treinador estava no Mirassol-SP onde disputou a série C do Campeonato Brasileiro de 2008. Catanoce já passou por mais de 15 equipes do interior paulista, entre elas o Botafogo de Ribeirão Preto e o Noroeste. O Parque do Azulão, estádio onde o Rio Branco manda seus jogos, teve sua capacidade reduzida pelo Corpo de Bombeiros de 9000 para 6150 pessoas. Onze portões para saída de emergência foram instalados, além de também terem sido feitas alterações no sistema de iluminação e sinalização. Relação de atletas: Goleiros: Glaysson, Elisson e Alison,
Laterais: Chimba, Márcio Loiola, Diego e Rithison,
Zagueiros: André Alves, Hebert, Anderson, Thiago, Luís Fernando, Éthore,
Volantes:Valfredo, Cláudio, Rodrigo Costa, Dudu Araxá e Guilherme,
Armadores: Márcio Guerreiro, Márcio diogo, Felipe e CarlinhosAtacantes: Pabiru, Gil, Paulo e Douglinhas.
08 - Democrata-GV
O Demoscrata de Governador Valadares entra no Campeonato Mineiro de 2009 com elenco completamente diferente daquele que disputou o torneio de 2008, quando a Pantera terminou na sexta colocação. O objetivo da diretoria é tentar repetir a campanha do estadual de 2007. Na ocasião, o Democrata terminou a fase de classificação no terceiro lugar, sendo eliminado nas semifinais pelo Atlético, em dois jogos disputados em Belo Horizonte. Do atual grupo, apenas os zagueiros Riso Surubim e Weldes já aturam pela Pantera. Weldes foi revelado pelas categorias de base do clube e disputou o Campeonato Mineiro de Júniores, já Surubim integrou o elenco que participou da Série C de 2007. O comandante da equipe será o técnico Moacir Júnior, que estava no Paulista de Jundiaí. O treinador já foi campeão do Módulo II do Campeonato Mineiro com o Social, em 2007. No mesmo ano, Moacir levou o Tupi, de Juiz de Fora, ao vice-campeonato da Taça Minas.
O Democrata-GV acertou a contratação do zagueiro Fernando, campeão da Taça Minas Gerais com o Tupi, em 2008. O atleta, de 29 anos, tinha propostas de clubes do Rio Grande do Sul e do próprio Tupi, mas optou pela Pantera. Com sua chegada o clube conta agora com cinco zagueiros. Fernando conhece o trabalho do treinador Moacir Junior, com o qual já atuou pelo Tombense, em 2003, Estrela do Norte, em 2004, Social, em 2006, quando a equipe conquistou o acesso ao módulo I do Campeonato Mineiro e no Tupi, nas temporadas vitoriosas do clube em 2007 e 2008. Relação de atletas: Goleiros: Alex e Lucas Laterais: Peterson, Fabiano e Geison,
Zagueiros: Riso Surubim, Pablo, Eliézio, Weldes e Fernando,
Volantes: Saulo, Sandro Manoel, Leandro Leite e Rodrigo,
Armadores: Zé Maria, Hugo e Marquinhos,
Atacantes: Róbson, André Araújo, Tiago Pereira, Márcio Carioca e Allan.
09 -Uberaba
A história do futebol conta que um dos momentos mais felizes do Uberaba Sport Club foi a 'vitória de meio tempo' sobre o Flamengo, de Zico e cia., em 1981, em pleno Maracanã. O time do Triângulo terminou a primeira etapa vencendo por 2 a 0, gols de Paulo Luciano e Serginho, mas acabou sofrendo o revés, por 4 a 2. De lá pra cá, o Zebu não teve muitos momentos de glória. Depois de longos anos no Módulo II, conseguiu acesso à divisão principal do Mineiro em 2007 e nela permaneceu na temporada passada. Ao contrário de 2008, quando escapou do rebaixamento na última rodada, com vitória sobre o Democrata-GV, por 2 a 1, o clube não vai apostar em 'medalhões'. Se no ano passado trouxe os atacantes Camanducaia e Fábio Saci, que pouco renderam, para este Estadual firmou parceria com a empresa paulista WMS Sports, que custeou a chegada de 14 jogadores pouco conhecidos. Além do salário dos atletas a empresa pagará a comissão técnica, chefiada pelo técnico Michel Robin, auxiliado pelo ex-goleiro Milagres. O novo parceiro deve gastar em torno de R$ 60 mil por mês. Chegaram ao Uberaba para o Estadual o goleiro Lailson, os zagueiros Branco, Gustavo e Bruno Porto, o lateral-direito Ivonaldo, os armadores Biro Gomes e Michel, os volantes Maurício e Gabriel e, para o ataque, Fidalgo, Anderson e Augusto Cesar. A diretoria ainda espera o uruguaio Ferreira, que não regularizou sua documentação. O remanescente Balduíno deve ser o capitão da equipe. Na pré-temporada, o Zebu fez quatro amistosos. Venceu Araxá e Sertãozinho, ambos por 2 a 1, e perdeu para Itumbiara (2 a 0) e Sertãozinho (3 a 0). Michel Robin, que trabalha com 26 atletas, deve relacionar 21 para o Mineiro: Relação de atletas: Goleiros: Laílson e RoniLaterais: Ivonaldo, Rogerinho, Rogério, Paulinho,
Zagueiros: Glauco, Gustavo, Bruno Porto,
Volantes: Maurício, Bruno Camargo, Gabriel, Balduíno,
Armadores: Biro Gomes, Michel Cury, Gagau, Buiú,
Atacantes: Andersom, Fidalgo, Thiago Emílio, Éder.
10 - Social
O Campeonato Mineiro de 2008 não deixou saudade aos torcedores do Social. A equipe de Coronel Fabriciano só conseguiu escapar do rebaixamento na última rodada e se safou da degola por apenas dois pontos. Em 11 jogos, foram apenas três vitórias, seis derrotas e dois empates. A equipe havia conquistado o acesso ao módulo I em 2007, ao sagrar-se campeã do módulo II. Para não repetir o fiasco de 2008, o Social apostou na contratação de 12 jogadores. O Saci trouxe o atacante Cléberson, os zagueiros Ronaldo, Eleílson e Tiago, o armador Andrezinho, os laterais Hernanes e Dykson, o goleiro Phillip e o volante Rolete. Juntam-se a eles o armador Rodrigo Paulista, o goleiro Nivaldo e o volante Zanini, todos campeões com o Social do Módulo II. O comandante da equipe será o técnico Wantuil Rodrigues, auxiliado pelo ex-zagueiro cruzeirense Célio Lúcio. Wantuil tem passgens por diversa equipes de Minas Gerias, como Ipatinga e Uberaba. Nos últimos três anos, o treinador dirigiu o Francana, de São Paulo. Para a disputa do Campeonato Mineiro de 2009, o estádio Dr. Louis Ensch, onde a equipe manda seus jogos, também chamado de “Luizão”, passou por reformas. Dois portões de emergência e cinco rampas de acesso foram construídas. A fachada foi completamente reestruturada e o os banheiros ganharam melhorias. O estádio tem capacidade para receber 1900 pessoas. Relação de atletas Goleiros: Nivaldo, Reinaldo e Philips,
Laterais: Filhão, Helinho, Dykson, Hernanes, Emílio,
Zagueiros: Tiago Emílio , Eleílson e Ronaldo,
Volante: Zanini, Rolete, Marcinho,
Armadores: Rodrigo Paulista, Andrézinho, William,
Atacantes: Carlos Henrique, Isaac, Hudson, Nei Bala, Cléberson.
11 - América
De volta è elite do Campeonato Mineiro, depois de amargar uma temporada no Módulo IIl, o América espera recuperar seu espaço perdido no futebol do estado. Sem conquistar títulos importantes há quase uma década - o último título expressivo foi o Mineiro de 2001 -, o terceiro maior time de Minas apostou em velhos conhecidos da torcida para chegar às finais do campeonato. Além do atacante Euller, que deve voltar ao time ainda na primeira fase da competição, o clube conta com o retorno dos veteranos Evanílson e Wellington Paulo. A diretoria também acertou a contratação do atacante Bruno Mineiro, um dos goleados do último estadual, com a camisa do Rio Branco. A base do time campeão do Módulo II e vice-campeão da Taça Minas Gerais foi mantida. Comandado pelo técnico Flávio Lopes, o América se preparou para o campeonato em Capitólio, interior do estado. Venceu os cinco amistosos da pré-temporada, destaque para os placares expressivos contra a Passense (12 a 1), Olímpico (12 a 0) e Seleção de Piumhi (14 a 0). "Estou satisfeito com o grupo. Fizemos ótima pré-temporada e não tenho dúvida do potencial desta equipe.", comentou o treinador. Logo na estréia, o Coelho enfrenta o Atlético, domingo, às 17h, no Mineirão. O último clássico entre as duas equipes foi em março de 2007, triunfo do alvinegro, por 2 a 0. Relação de atletas: Goleiros: Daniel, Flávio, Glaycon,
Laterais: Rafael Estevam, Bruno, Wagner, Evanílson e Bruno Barros,
Zagueiros: Fabrício Soares, Wellington Paulo, Preto, Paulo Roberto, Micão e Fábio,
Volantes: Dudu, Leandro Ferreira, George, China, Moisés, Nando e Geovani,
Armadores: Luciano, Capixaba, Chico Marcelo, Roni e Rodrigo, Tucho,
Atacantes: Euller, Faísca, Edgard, Bruno Mineiro, Robertinho e Taílson.
12 - Uberlãndia
Vice-campeão do Módulo II do Mineiro na temporada passada, o Uberlândia volta à elite estadual com boas chances de permanecer. Comandado pelo experiente técnico José Maria Pena, o alviverde do Triângulo contratou 13 jogadores, além de trazer de volta o goleador Renna, que não se firmou no Ipatinga, em 2008. Entre as contratações estão o ex-atleticano Rancharia, o goleiro Vilar, uma das revelações do último Estadual, e o armador Cairo, que estava no Gás Metan, da Romênia. Esse último, precisou de liberação na Justiça do Trabalho para disputar a competição, uma vez que não conseguiu rescisão amigável com o clube romeno. Na pré-temporada, a equipe venceu a Patrocinense, por 5 a 0, empatou com a Francana, por 1 a 1, e goleou o fraco Ibiá, por 9 a 0.
A formação mais usada pelo treinador foi Paulo César; Ley, Carlão, Rancharia e Marinho; Marcelino, Indinho, Pepo (Caio) e Wanderson (Cairo); Renna e André Nascimento. Em alguns momentos, o time foi formado com três defensores, com Rogério Corrêa entrando em lugar de Marcelino. A equipe estréia contra o Cruzeiro, no domingo, às 19h10, no Estádio João Havelange. Relação de atletas: Goleiros: Daniel, Paulo César e Vilar,
Laterais: Ley, Jeferson, Marinho e Alemão,
Zagueiros: Carlão, Rancharia, Derlan, Rogério Corrêa,
Volante: Vertinho, Joílson, Pepo, Marcelino, Indinho,
Armadores: Caio, Wanderson,
Atacantes: Renna, André Nascimento, Cairo, Berg.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Enchentes

JORGE PICCIANI ANUNCIA AJUDA DE R$ 15 MILHÕES PARA VÍTIMAS DAS CHUVAS
A Assembleia Legislativa do Rio vai doar R$ 15 milhões do seu orçamento anual para obras emergenciais nos municípios das regiões Norte e Noroeste fluminense atingidos pelas chuvas das últimas semanas. Foi o que anunciou o presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani (PMDB), que participou, nesta sexta-feira (23/01), da visita que o governador em exercício e secretário de Estado de Obras, Luiz Fernando Pezão, e o secretário de Estado de Habitação, Leonardo Picciani, fizeram ao município de Itaperuna. "Vou convocar a Mesa Diretora da Alerj e estudar como faremos para o repasse desse recurso. A nossa ideia é entregar cheques no valor de R$ 1 milhão para cada prefeitura, para serem aplicados nos projetos de reconstrução das cidades. Os recursos talvez não resolvam a questão dos desabrigados e desalojados como um todo, mas, no primeiro momento, vão atender as necessidades básicas da população que sofreu com as enchentes", ressaltou Picciani. A reunião da Mesa Diretora vai ocorrer na próxima segunda-feira (26/01), às 15h30, na Sala 311 do Palácio Tiradentes. Além desses recursos, o Governo do estado também pretende liberar R$ 12 milhões para o auxílio à região. Durante a reunião na Câmara Municipal de Itaperuna, os 15 prefeitos das cidades atingidas fizeram um breve balanço da situação de seus municípios, quando receberam do governador em exercício a garantia da liberação de mais R$ 12 milhões, oriundos da sobra do orçamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE) no ano passado. "Estamos cumprindo a determinação do governador Sérgio Cabral, que é o de unir as câmaras municipais e as prefeituras para, juntos aos poderes Executivo e Legislativo, buscarmos soluções e auxiliar os moradores dos municípios vítimas das fortes chuvas que castigaram o estado, principalmente o Norte e o Noroeste", disse o deputado Picciani. O secretário de Estado de Habitação, Leonardo Picianni, lembrou o esforço que o estado tem feito para sanar os trâmites burocráticos e realizar um cadastro preciso sobre os desalojados e desabrigados. "Vamos, inicialmente, fazer convênios com as prefeituras para o aluguel social e iniciar projetos de construção de unidades habitacionais para que estas pessoas tenham onde morar", disse o secretário. De acordo com balanço da Coordenação da Defesa Civil feito no início da manhã desta sexta-feira (23/01), o número de desalojados no Estado do Rio está em torno de três mil e já são seis os óbitos em função das chuvas este ano. Além da situação de Itaperuna, foi feito um levantamento dos estragos causados nos municípios de Bom Jesus de Itabapoana, Laje do Muriaé, São José de Ubá, Italva, Cardoso Moreira e Conceição de Macabu. A reunião que aconteceu na Câmara Municipal de Itaperuna reuniu além do prefeito de Itaperuna, Cláudio Cerqueira Bastos, os chefes do Executivo de Bom Jesus de Itabapoana, Branca Motta; Laje do Muriaé, José Éliezer; São José de Ubá, José Hylen; Italva, Eliel Almeida Ribeiro; Cardoso Moreira, Gilson Nunes; Natividade, Taninho; Porciúncula, Antonio Jogaib; Varre-Sai, Everardo Oliveira; Miracema, Ivany Samel; Santo Antônio de Pádua, Zé Renato Padilha; Aperibé, Doutor Flávio; Itaocara, Alcione Araújo, e Cambuci, Vavado.