segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Literatura

"O Mundo não é plano: A tragédia silenciosa de um bilhão de famintos"

O mundo não é plano trata das diferenças humanas, mostra que as condições existem, que interesses ainda sobrepujam vidas, apresenta dados que mostram sobras em alguns locais enquanto falta tanto em outros. Dilema humano, este livro trata de gente: dos que ainda não andam sozinhos. Mas é escrito para muitos outros, os que precisam tomar consciência e exigir que a situação fique o mais rápido possível como um registro ruim da história.

Ano bissexto

    Dia 29 de fevereiro
O ano de 2016 é bissexto, ou seja, tem 366 dias, um a mais do que os anos comuns. Isso acontece porque no mês de fevereiro ha 29 dias, o que ocorre de quatro em quatro anos  (exceto anos múltiplos de 100 que não são múltiplos de 400)
O ano bissexto foi criado pelos romanos na época do imperador Júlio César e a origem do nome bissexto advém da implantação do Calendário Juliano em 48 a.C. que se modificou evoluindo para o Calendário Gregoriano que hoje é usado em muitos países a todos os quais ocorrem os anos bissextos.. Era preciso adequar o calendário ao tempo que a Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol.
A volta da Terra ao redor do Sol não é feita em exatos 365 dias, mas sim em 365 dias, cinco horas, 48 minutos e 46 segundos. Essa fração de dias, arredondada para seis horas, é compensada no ano bissexto, já que seis horas, em quatro anos, são 24 horas, ou seja, mais um dia. 
Os antigos romanos também decidiram que esse dia extra seria 29 de fevereiro, o menor mês do ano. Sem o ano bissexto, as estações do ano não teriam datas definidas, como acontece hoje.

Literatura

ROUSSEFF: A história de uma famí Búlgara marcada por um abandono, o comunismo e a presidência do Brasil"
Quando Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil, ninguém sabia os tantos porquês da entusiasmada comemoração que se deu na Bulgária. Por trás do motivo aparentemente simples, Dilma é filha de um búlgaro, esconde-se a as tragédias e abismos enfrentados por uma família dividida entre dois países, e de fato separada por uma mudança de sobrenome, os Russev e os Rousseff. Tendo o Pedro Rousseff fugido do seu país de origem em 1929, Dilma teve um meio-irmão a quem nunca conheceu. A vida dos dois, Dilma e Luben, seguiram rumos diametralmente opostos, mas que, por coincidências históricas e inimagináveis, tiveram muitos pontos em comum, como o comunismo e a opressão de regimes ditatoriais. A fascinante história dessa família dividida desenrola-se em duas das mais conturbadas regiões do mundo, América Latina e Bálcãs, que são muito mais do que pano de fundo para essa saga emocionante.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Copa América 2016

Grupo A
 Estados Unidos, Colômbia, Costa Rica e Paraguai
Grupo B
Brasil, Equador, Haiti e Peru.
Grupo C
 México, Uruguai, Jamaica e Venezuela.
Grupo D
Argentina,Bolívia,  Chile e  Panamá.
Obs: Jogos do Brasil:
04/06 - Equador,
08/06 - Haiti,
10/06 - Peru.

Literatura

"Política, propina e futebol: Como o padrão FIFA ameaça o esporte mais popular do planeta"
Em maio de 2015, a maior organização esportiva do planeta era alvo de uma ação da polícia suíça. Segundo investigações americanas, a Fifa havia montado uma “Copa do Mundo da fraude”, movimentando durante 24 anos pelo menos 150 milhões de dólares em propinas e subornos. As prisões e acusações levaram à renúncia do presidente da entidade, o suíço Joseph Blatter. Com base em quinze anos de cobertura jornalística da Fifa e a partir de documentos exclusivos, o jornalista Jamil Chade desvenda como funcionava o pagamento de propinas, revela de que forma cartolas usavam contratos comerciais e de TV para enriquecer, traça as conexões entre política e futebol e mostra por que a Copa do Brasil foi a mais cara da história.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Luto

Nota de falecimento
Faleceu em Juiz de Fora, aos 81 anos, o radialista Carlos Neto. O corpo está sendo velado na capela cinco do cemitério municipal e o sepultamento está previsto para às 16 horas no cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha..

Carlos Fedóceo Neto, nasceu em Matias Barbosa em 16 de agosto de 1934, era repórter policial, com atuações destacadas nas nas rádios PRB3, Industrial, Capital, TV Tiradentes e nos jornais Diário Mercantil e Diário da Tarde, todas empresas já extintas. Era pai de seis filhos (um já falecido), deixa oito netos e dois bisnetos.

Carlos Neto, que sofria do Mal de Alzheimer, estava internato na Santa Casa de Juiz de Fora desde o dia dois de outubro do ano passado.

Literatura

"A Noite do meu bem - A histórias e as histórias do samba-canção"
Em 1946, o presidente Eurico Gaspar Dutra proíbe os jogos de azar no Brasil. A decisão gerou uma legião de desempregados — e um grande contingente de boêmios carentes. Os cassinos fecharam, mas os profissionais da noite logo encontraram um novo ambiente: as boates de Copacabana.

Em vez das apresentações grandiosas, as boates favoreciam a penumbra, a intimidade, o romance. Assim como a ambience, a música baixou de tom. Os músicos voltaram aos palcos, mas em formações menores, tocando quase como um sussurro ao ouvido. Essa nova música, as boates e o contexto que fez tudo isso possível são o tema do novo livro de Ruy Castro, que mais uma vez nos delicia com sua prosa arrebatadora.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Trem da Terra

O Ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues, se reuniu no último dia dói de fevereiro, com a ANTT, Sr.Cássio Ramos da Inventariança da RFFSA e ONG Amigos do Trem Paulo Henrique do Nascimento e o Movimento Além nos Trilhos, Alexandre Lopes Barbosa, Pablo Costa Borges , José Luiz Vidal e a Deputada Federal Margarida Salomão com a finalidade de viabilizar o projeto do tem de turismo “Trem da Terra” Rio Minas, que ligará as cidades de Cataguases, Leopoldina (distritos), Recreio, Volta Grande (sede e distrito), Além Paraíba, Chiador, Sapucaia e Três Rios.

Na reunião o Ministro dos Transportes destacou a importância da implantação do trem de passageiros turístico na região da Zona da Mata é Sul Fluminense, porque irá contribuir com o zelo dos bens públicos e o desenvolvimento do turismo com geração de empregos e renda.

A Deputada Margarida Salomão, reafirmou seu compromisso com o projeto e sua importância para as comunidades por onde ele vai trafegar, também destacou que são projetos de interesse público e de cunho social como este, que podem contribuir no desenvolvimento das cidades e da população.

O projeto é uma Parceria do Ministério dos Transportes, DNIT, Inventariança da RFFSA, ONG Amigos do Trem, com apoio das prefeituras do trecho e Movimento Além nos Trilhos.
Colaboração: Antonio Pastori


Literatura

"Jornal do Brasil - História e Memória"
A jornalista Belisa Ribeiro reconstrói, camada a camada, a memória de um dos jornais mais importantes do país. Com uma seleção impecável das edições mais marcantes do veículo, traz à tona episódios tão importantes para a trajetória do Jornal do Brasil quanto para nossa formação como país. 

Por trás destas edições, capazes, por exemplo, de evitar a fraude em uma eleição ou denunciar o envolvimento de militares do governo em um atentado que poderia ter matado milhares de jovens em um show onde cantavam Chico Buarque e Gonzaguinha, este livro revela — e exalta — quem eram as pessoas por trás das decisões que fizeram do Jornal do Brasil um veículo inesquecível.


Entre os relatos contemplados na obra estão detalhes da edição que noticiou a morte do presidente chileno Salvador Allende na primeira página inteira do jornal (sem manchete, como mandara a censura). O livro conta com depoimentos do chargista Chico Caruso, do fotógrafo Alberto Jacob e dos jornalistas Paulo Henrique Amorim, Ricardo Boechat, Alberto Dines, Elio Gaspari e Janio de Freitas, entre outros.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Carnaval 2016


Literatura

“Fragmentos da História: O Leopoldinense – 1881″

Organizado pela professora Natania Nogueira, a obra conta com a colaboração das pesquisadoras Nilza Cantoni e Mary Del Priore, com 58 páginas, analisa a História de Leopoldina a partir das páginas do "Leopoldinense", jornal que circulou no município de Leopoldina no final do século XIX.


terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Carnaval 2016

                              Juiz de Fora "comemora" 50 anos de desfile, SEM DESFILE!
Grupo A
Títulos = 45 
13 - Unidos do Ladeira - 1988, 1996, 1998, 2001, 2004, 2005, 2008, 2009, 2010, 2012, 2013, 2014 e 2015.
10 - Turunas do Riachuelo - 1974, 1976, 1978, 1979, 1983, 2002, 2003, 2006, 2007 e 2012.
06 - Real Grandeza - 1981, 1986, 1994, 1995, 2000, 2005.
05 - Feliz Lembrança - 1966, 1967, 1984, 1985 e 1987.
04 - Juventude Imperial - 1970, 1971, 1972 e 2005,
03 - Partido Alto - 1980,1982 e 1997.
02 - Unidos dos Passos - 1968 e 1977.
01 - Castelo de Ouro - 1969.
01 - Mocidade Alegre de São Mateus - 2011.

Obs: Não houve desfiles nos anos de 1973, 1975, 1989, 1991, 1992, 1993, 1999 e 2015.

Grupo B
Títulos = 16
03 - Feliz Lembrança - 2009 e 2011 e 2014.
02 - Rivais da Primavera - 2000 e 2004.
02 - Mocidade Alegre - 2010 e 2015.
01 - Cacique de Lins - 2001.
01 - Manoel Honório - 2002.
01 - Partido Alto - 2003.
01 - Águia de Ouro - 2005.
01 - Vale do Paraibuna - 2006.
01 - Mocidade do Progresso - 2007.
01 - União das Cores - 2008.
01 - Turunas do Riachuelo - 2012.
01 - Juventude Imperial - 2013.

Grupo C
Títulos = 10 
03 - União das Cores - 2005 e 2007 e 2015.
02 - Vale do Paraibuna - 2012 e 2014.
01 - Mocidade Alegre - 2006.
01 - Unidos do Grizzu - 2008.
01 - Águia de Ouro - 2009.
01 - Unidos do Retiro - 2010.
01 - Manoel Honório - 2011.

Em 1966 três escolas desfilaram: Feliz Lembrança, Turunas do Riachuelo e Castelo de Ouro.

Em 2016, 50 anos depois, mesmo Juiz de Fora tendo as escolas 
Grupo A: Feliz Lembrança, Juventude Imperial, Mocidade Alegre, Real Grandeza, Turunas do Riachuelo e Unidos do Ladeira. 
Grupo B: Manoel Honório, Mocidade do Progresso, Partido Alto, Rivais da Primavera, União das Cores e Unidos do Retiro.
Grupo C: Águia de Ouro, Rosas de Ouro, Porto Ceciliano e Vale do Paraibuna.
Inativas ou extintas: Borboleta, Cacique de Lins, Castelo de Ouro, Império do Mundo Novo, União dos Passos e Unidos do Grizzu.

nenhuma delas desfilou. 

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Literatura

"Eu e as emissoras de Rádio"
É uma obra produzida, através da experiência do autor, Hairton Dias da Silva, que durante 38 anos trabalhou nas principais emissoras de rádio de Ituiutaba e foi vereador por quatro mandatos. O autor descreve fatos e personagens que ao longo dos anos mostraram a importância dessas emissoras e dos profissionais que passaram por elas, em épocas diferentes, cada um a seu modo.

O livro contém as pérolas do rádio, os micos que marcaram humoristicamente os profissionais que entram diuturnamente, através do rádio, nos lares daqueles que não vivem sem rádio. O leitor irá saber como agem e como se relacionam esses ouvintes, com os profissionais de rádio, vai conhecer fatos que ocorreram e que se não fosse às emissoras de rádio e os profissionais de rádio, teriam ficado no anonimato e mais tarde certamente trariam inúmeros prejuízos para o desenvolvimento do município.

O autor relata, com riqueza de detalhes, qual foi o primeiro radialista que se elegeu a um cargo público em Ituiutaba, quando tantos outros tentaram, e qual a importância desse fato para a população.
Fonte: www.portalituiutaba.com.br

Carnaval 2016

As Escolas de Samba vencedoras do Carnaval Carioca.
01º Portela – 21 títulos
Fundada em 1923, a Portela é a escola que mais venceu no carnaval carioca, faturando o título 21 vezes, sendo o primeiro em 1935 e o último em 1984.
02º Mangueira – 17 títulos
Fundada em 1928, a Estação Primeira de Mangueira é uma das mais tradicionais escolas de samba e foi a primeira vencedora, em 1932. O último título da verde e rosa foi em 2002.
03º Beija Flor – 13 títulos
A escola de Nilópolis, fundada em 1948, venceu em 13 ocasiões, sendo seu primeiro título em 1976 . É a atual campeã do Carnaval carioca.
04º Acadêmicos do Salgueiro – 09 títulos
Com 09 campeonatos, a Acadêmicos do Salgueiro é uma das mais populares do Rio de Janeiro. A agremiação da Zona Norte, fundada em 1953, venceu pela primeira vez em 1960 e seu último título foi em 2009.
05º Império Serrano – 09 títulos
A escola de Madureira foi fundada em 1947 e é uma das mais tradicionais do carnaval, conquistando 9 campeonatos. Seu primeiro título ocorreu em 1948, um ano após sua fundação, e não ganha um título desde 1982. Atualmente, disputa o grupo de acesso (segunda divisão do carnaval).
06º Imperatriz Leopoldinense – 08 títulos
A Imperatriz Leopoldinense foi fundada em 1959 e possui 8 títulos em sua história. A agremiação de Ramos ganhou pela primeira vez em 1980 e seu último campeonato foi em 2001.
07º Mocidade Independente – 05 títulos
A Mocidade Independente de Padre Miguel aparece na sétima posição com 05 títulos. Seu primeiro campeonato foi ganho em 1979 e ganhou seu último título em 1996, com o enredo “Criador e Criatura”. A escola foi fundada em 1955.
08º Unidos da Tijuca – 04 títulos
Com 04 campeonatos, a Unidos da Tijuca figura entre as mais tradicionais do carnaval. Fundada em 1931, obteve seu primeiro título em 1936, mas foi nos últimos anos que a Escola se consagrou, vencendo os campeonatos de 2010, 2012 e 2014, sob o comando do carnavalesco Paulo Barros.
09º Vila Isabel – 03 títulos
Fundada em 1946, a Unidos de Vila Isabel faturou 03 títulos. O primeiro foi em 1988, com o enredo “Kizomba, a festa da raça” e os outros foram em 2006 e 2013.
10º Unidos da Capela –0 2 títulos
A extinta escola de samba Unidos da Capela, conquistou os títulos de 1950 e 1960. Fundada em 1933, a agremiação estava sediada em Parada de Lucas. O curioso de seus títulos, é que em ambos, teve que dividir com outras escolas.
Com um título
Viradouro (1997), Estácio (1992), Prazer da Serrinha )1950), Vizinha Faladeira (1937) e Recreio de Ramos (1934).

Literatura

“Fazenda dos Três Poços, do Café à Universidade”
A obra mostra fatos, por meio de textos de Heloísa Helena Monteiro de Barros, João Hermes Pereira de Araújo, Flavia Lages de Castro e Roberto Guião de Souza Lima.
Em 206 páginas, o livro relata as diversas fases do local, desde 1780 até os dias atuais.
Segundo a editora responsável e uma das autoras do livro, a historiadora e professora Flávia Lages de Castro, o livro foi preparado para que a história da Fazenda dos Três Poços pudesse ficar registrada.
No livro, a história da fazenda está dividida em quatro capítulos que vão desde a sua criação (um documento do vice-rei Luiz de Vasconcellos e Souza) até os dias atuais.
- No primeiro, o historiador Roberto Guião faz relatos sobre o ciclo do café no Vale Paraibano, permitindo ao leitor conhecer, em detalhes, como era a vida na época.
- No segundo capítulo, Heloísa Helena Monteiro de Barros e o embaixador João Hermes Pereira de Araújo trazem os fatos ocorridos entre 1780 e 1918, quando a fazenda passa para as mãos dos padres trapistas. 
- O terceiro, narrado por Guião, apresenta os fatos acontecidos de 1918 a 1968, quando a fazenda foi desapropriada pela prefeitura, para que fosse construído no local um pólo industrial e de ensino e onde hoje está situado o campus Três Poços do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda). 
- O quarto e último capítulo, escrito pela historiadora Flavia Lages de Castro, conta a história da FOA (Fundação Oswaldo Aranha) e do UniFOA.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

CARNAVAL 2016

                    BLOCO DO BAIRRO FLORESTA
ENREDO: O TATU SUBIU NO PAU É MENTIRA DO CURAU, OS CONTADORES DE CAUSOS DO BAIRRO FLORESTA.
AUTORES DO ENREDO: MARCIO SANTANA E GRACINHA SANTANA
COMPOSITORES: EDYNEL , MARCIO SANTANA E DANILO
INTERPRETES: JAZINHO E MARCIO SANTANA
INTERPRETE DE GRAVAÇÃO: DANILO
PRESIDENTE: MARCIO SANTANA
MESTRE DE BATERIA:ZEZINHO SANTANA
COORDENADORES DO BLOCO: MÁRCIA SANTANA, MARLENE SANTANA, JORGINHO,MARCOS SANTANA, SONIA SANTANA,DERALDO,DORA,MENSO,DRI,GLÁUCIO,SÃO,GLÁUCIA SANTANA,PELEZINHO,SUELY ROSA, GODA,
MUSA DO BLOCO TAINÁ
PATRONO: ANDRÉ MATTOS
SAMBA
FLORESTA VÊ A LUZ DO IMAGINÁRIO
CONTANDO HISTÓRIAS QUE EU GOSTAVA DE ESCUTAR
ENCANTA PELA SUA PRIMAZIA
SE É VERDADE OU MENTIRA
SÃO VOCÊS QUE VÃO JULGAR
GETÚLIO, JOÃO GROSSO, TALIATI
VEM COMPOR NOSSA ALEGRIA
CONTADORES DE CAUSOS
COM MUITO ORGULHO, RELEMBREMOS NESSE DIA.
TEM CERTAS COISAS QUE SÓ ACONTECEM AQUI
SEU TIBÉRIO TIRAVA O PIJAMA
SÓ NA HORA DE DORMIR (BIS)
ZARIA FOI SEQÜESTRADO
SEU TALIATI PEGOU PEIXE CONGELADO
ZÉ CUTINGA ENCANTAVA ASSOMBRAÇÕES
NO TOZA HAVIA LOBISOMEM
PROVOCANDO CONTRADIÇÕES
HOJE MINHA MENTE SE FAZ CRIANÇA
ENTRA NA DANÇA.
VEM PRA “ UNIDOS DO BAIRRO FLORESTA” SAMBAR
TIÃO REZENDE É REMANESCENTE
DESSES NOBRES MENTIROSOS
AVIVANDO NOSSA MENTE.
REFRÃO:
O TATU SUBIU NO PAU (QUE LEGAL)
É MENTIRA DO CURAU
ESSA AÍ, EU JÁ SABIA, ERA TUDO QUE EU QUERIA
ESCUTAR NO CARNAVAL.

Literatura

"Piauiês"

O livro reúne palavras e expressões tipicamente piauienses, com farta exemplificação do emprego de cada verbete, a partir da literatura, da publicidade e do jornalismo piauienses, além de exemplos recolhidos dos principais personagens da cena cultural e artística do estado. Foi escrito em linguagem bem humorada e depois de intensa pesquisa que alcançou os principais dicionários e grandes paremiologistas como Fontes Ibiapina e Leonardo Mota, entre outros, na tentativa de referenciar cada um dos termos

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Fórmula 1

Temporada 2016 tem recorde de filhos de ex-pilotos no grid

A temporada de 2016 da Fórmula 1 terá o maior número de filhos de ex-pilotos na história: Nico Rosberg, Max Verstappen, Kevin Magnussen e Jolyon Palmer, cujos pais, curiosamente, nunca correram todos juntos, dividirão o grid, que conta ainda com Carlos Sainz Jr., filho de uma das maiores lendas do rali, Carlos Sainz. O espanhol, contudo, nunca correu na F1.
Pais de Nico e Jolyon, Keke e Jonathan foram contemporâneos. Keke, campeão de 1982, esteve na categoria entre 1978 e 1986, enquanto o britânico teve uma carreira mais discreta, correndo entre 1983 e 1989 pela Tyrrell. Palmer nunca chegou ao pódio, apesar de ter marcado 14 pontos na carreira em uma época em que apenas os seis primeiros pontuavam.
No entanto, o britânico garante que o filho, que fará sua estreia em 2016, "é bem melhor": "Ele é muito menos intenso, mais relaxado e ultrapassa melhor. As coisas são mais naturais para ele do que eram para mim. Eu era obviamente muito bom, mas acho que cheguei lá mais pela tenacidade e por ser esperto com acertos mas, na habilidade pura, Jolyon está bem acima de mim", disse o pai orgulhoso.
Já Jos Verstappen e Jan Magnussen se encontraram nas pistas nos anos 1990. Ambos eram considerados rápidos e foram promessas que acabaram não vingando. O holandês teve três passagens, de 94 a 98, de 2000 a 2001 e em 2003, conquistando dois pódios como melhores resultados. Já o dinamarquês só fez um ponto em suas 24 largadas, entre 95 e 98.
Rosberg e Verstappen já correram juntos ano passado, e agora ganham a companhia de Palmer e Magnussen, confirmados como a dupla de pilotos da Renault para 2016.
Até hoje, o maior número de filhos de pais famosos correndo ao mesmo tempo no grid acontecera entre 2008 e 2009, quando Rosberg, Kazuki Nakajima e Nelsinho Piquet estavam no grid.
Mas ser filho de ex-piloto não é sinônimo de sucesso na Fórmula 1. São 14 as duplas de pais e filhos que disputaram GPs na história. Porém, apenas os Rosberg, Graham e Damon Hill, e Gilles e Jacques Villeneuve conseguiram vencer provas.
Em termos de títulos, só Hill conseguiu emular o pai, bicampeão nos anos 1960, com o título conquistado em 1996. E Villeneuve, por sua vez, ganhou em 1997 o campeonato que o pai, um dos grandes ídolos da história da Ferrari, nunca conseguiu.
Fonte: www.uol.com.br

Literatura

"1001 dicas de português: manual descomplicado"
O livro, escrito pela escritora e jornalista Dad Squarisi e pelo jornalista e poeta Paulo Jose Cunha é um tira-dúvidas prático e acessível para todos que querem respostas rápidas para aqueles “brancos” ou aquelas “pegadinhas” que a língua nos prega. (E sem a enrolação e a seriedade daqueles grandes e complexos compêndios gramaticais cheios de termos difíceis.)

Qual a diferença entre “ao invés de” e “em vez de”? E tem diferença entre “aonde” e “onde”, com esse sutil acréscimo de uma vogalzinha? “Água-de-colônia” se escreve com hífen mesmo? Aliás, por que “água-de-colônia” tem esse nome?

Para essas e muitas outras questões, o leitor encontrará aqui respostas claras, diretas e divertidas, facilmente encontradas em verbetes organizados em ordem alfabética. E de bônus ganha ainda uma porção de curiosidades sobre a riqueza da nossa língua.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Cronica esportiva

Associação dos Cronistas do Interior (ACEISP)

Foi fundada em Campinas, a Associação dos Cronistas Esportivos do Interior de São Paulo (ACEISP), que a partir de agora vai representar os cronistas esportivos do interior do estado de São Paulo.
O primeiro presidente eleito é Sérgio Carvalho, que além da larga experiência jornalística, já presidiu a ACEESP – Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo – e a ABRACE – Associação Brasileira dos Cronistas Esportivos. 
A ACEISP está capacitada a emitir credenciais para todos os cronistas do Interior do Estado, pertencentes a jornais, rádios, emissoras de televisão e empresas de internet, dede que devidamente regularizada.
O prazo estipulado pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para a entrada em seus eventos esportivos, com a credencial, é dia 15 de fevereiro. Dentro do espírito legalista da FPF é importante que o credenciamento seja obrigatório e no cumprimento da lei.
CREDENCIAMENTO
Com a criação da ACEISP o cronista esportivo do interior terá mais respaldo para exercer o seu trabalho. A oficialização da documentação da entidade permite a partir de agora a emissão do credenciamento daquele que trabalha com o jornalismo esportivo, sendo ele em rádio, jornal, televisão ou internet.
Fonte: FI

Literatura

"Como escrever na internet"
A jornalista Dad Squarisi apresenta em seu novo livro com regras de ouro para redação online. Como escrever na Internet, da Editora Contexto, aborda o "internetês" como   uma das “várias línguas portuguesas” e destaca que mensagens curtas ganharam mais destaque.
Abreviações, emoticons e outras coisas comuns no meio virtual não são proibidas, mas dependem do público para o qual estão direcionadas. 
Na obra, Dad comenta as várias línguas faladas e escritas. Com 128 páginas, o livro abre espaço para 300 dicas de português em até 140 caracteres, que abordam crase, concordâncias, regências e etimologias.
No território da internet, textos longos e formais demais não têm muita vez. O negócio é ser claro e direto. Emoticons são permitidos? E abreviações criadas pelo internetês? Tudo depende para quem você está escrevendo. Isso significa que estamos abandonando o bom português? De jeito nenhum! 

Com muito humor, Dad Squarisi mostra neste livro que, na verdade, falamos e escrevemos “várias línguas portuguesas”, sendo o internetês só uma delas. E sempre dá para escrever melhor.