sábado, 29 de junho de 2013

Copa das Confederações

                     Brasil e Espanha
Brasil não perde uma partida por qualquer torneio oficial atuando no País desde 1975. O último adversário  que venceu a seleção em competição foi o Peru, em setembro de 1975. Pela Copa América, ainda disputada sem sede fixa, os peruanos vieram a Belo Horizonte e venceram por 3 a 1.

De lá para cá foram 57 jogos oficiais, com 42 vitórias e 15 empates. O Brasil perdeu apenas um jogo de competição da Fifa (incluindo eliminatórias) como mandante. Em 1950, contra o Uruguai, no jogo final da Copa do Mundo no Maracanã. Jogando pelo empate para ficar com o título, perdeu de virada por 2 a 1.

Para Felipão, a final contra a Espanha também representa a possibilidade de ampliação de um recorde pessoal. Ele venceu 12 partidas oficiais com a seleção desde 2001, quando assumiu o comando pela primeira vez, passando por eliminatórias, a Copa do Mundo de 2002, e agora a Copa das Confederações. Dunga e Vanderlei Luxemburgo venceram em 10 jogos seguidos.

Literatura

"Hilda Furacão"
A história de Hilda Furacão se passa em Belo Horizonte no início dos anos 60, Hilda, a Garota do Maiô Dourado, enfeitiçava os homens na beira da piscina em um dos mais tradicionais clubes, o Minas Tênis. Por algum motivo secreto muda-se para o quarto 304 do Maravilhoso Hotel, na zona boêmia da cidade. Transformada em Hilda Furacão, a musa erótica tira o sono da cidade. Sua vida de fada sexual cruza-se com os sonhos de três rapazes vindos do interior, da pequena cidade de Santana dos Ferros: um é inspirado no notório Frei Betto, Malthus, que queria ser santo, mas se tornaria frade franciscano, líder político e escritor. Outro queria ser ator em Hollywood, o Belo, torna-se dom juan de aluguel. O terceiro, aquele que queria ter sua Sierra Maestra, é o próprio Roberto Drumond, narrador da história. Hilda Furacão é o desafio que o santo tem que enfrentar.

Mas os planos dos três são afetados pelo surgimento de Hilda, por quem Malthus se apaixona, passando a enfrentar um intenso conflito, dividido entre a castidade e o pecado. A história é narrada pelas memórias do próprio Drummond, então repórter iniciante do jornal Folha de Minas, encarregado de traçar o perfil de Hilda, uma mulher que desafiou as regras da moral e bons costumes numa época de repressão em que a sociedade, hipócrita, ditava as normas de conduta. O romance é fragmentado, pois possui constantes mudanças de enfoques. Uma primeira que almeja desvendar o mistério da garota do maiô dourado (*a Hilda que desfilava sua beleza pelo Minas Tênis). Uma outra que mistura ficção e realidade histórica brasileira (*ditadura militar e censura); o mais brilhante é que tudo começa e termina no dia 1° de abril que simboliza o dia da mentira, e eis então a grande proposta ficcional do autor.

O romance foi transformado em minissérie de grande sucesso pela TV Globo, com Ana Paula Arósio no papel de Hilda Furacão

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Alberto Santos Dumont "Pai da Aviação"

Santos Dumont vai ter homenagem em aeroportos
O inventor Alberto Santos Dumont, vai ganhar uma justa homenagem nos aeroportos brasileiros.

A presidente Dilma Rousseff sancionou uma lei que obriga "aeroportos, bases aéreas e similares a prestar homenagem permanente a Santos Dumont".

De autoria do então senador e atual ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB-RJ), a lei determina que a estátua do inventor seja mantida em local visível, acompanhada da inscrição "Pai da Aviação".

O autor da lei justificou que: "Um país que não homenageia seus líderes e personalidades não pode ser considerado uma nação. É apenas um amontoado de pessoas".

Alberto Santos Dumont (20/07/1873-23/07/1932)
Nascido no sítio Cabangu, em Palmyra-MG (hoje, Santos Dumont "TERRA DO PAI DA AVIAÇÃO") em 20 de julho de 1873 e morreu no Guarujá-SP, em 23 de julho de 1932. Filho do Engenheiro Henrique Dumont (filho de franceses) e Francisca (uma portuguesa que morava em Minas Gerais). Alberto era o sexto filho de um total de nove do casal Dumont. São eles: Henrique, Maria, Rosalina, Virgínia, Luiz, Gabriela, Alberto, Sofia e Francisca.

O nascimento de Alberto Santos Dumont foi marcado pelo espírito de aventura, que caracterizou toda sua vida. Seu pai, corajoso engenheiro, empreitou em 1872 a construção do trecho da Estrada de Ferro D. Pedro II entre as localidades de João Gomes (posteriormente Palmyra e hoje Santos Dumont) e João Aires. Foi para melhor realizar seu trabalho que levou a família para uma casa no canteiro de obras, local de nome "Cabangu" onde nasceu o sexto filho que se chamou Alberto (em 1873).

A permanência da família no Cabangu foi relativamente curta; em 1875, terminado o contrato de Henrique Dumont com a ferrovia, a residência foi transferida para Valença-RJ e posteriormente para a fazenda Arindeúva em Ribeirão Preto-SP (hoje, cidade de Dumont), onde se dedicou à plantação de café.
Alberto Santos Dumont mostrou-se desde cedo herdeiro do senso prático e da inteligência brilhante de seu pai. Alberto, o inventor do avião e do relógio de pulso, morou em Petrópolis-RJ e Paris.

Literatura

"A Arte de Entrevistar Bem"
De autoria da jornalista Thaís Oyama , este livro descreve os encantos e conta os segredos para escapar das ciladas daquilo que é a base da reportagem e, na opinião de muitos, seu momento mais prazeroso: a entrevista. Estudantes e até mesmo experientes profissionais do ramo muitas vezes deparam-se com situações complicadas.

Guia abrangente, a obra aponta os erros mais comuns e indica truques infalíveis sobre o que fazer para não transformar a entrevista em um desastre, mesmo em situações imprevisíveis.

Além disso, Thaís Oyama relata a experiência de 11 talentosos jornalistas para mostrar que, mais do que aprendizado teórico, a arte de entrevistar se aperfeiçoa com o exercício permanente da profissão.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Minas/Bahia

Ferrovia para ligar Minas à Bahia é orçada em R$ 10,6 bilhõesTrilho sairá de Belo Horizonte e chegará à Região Metropolitana de Salvador. Obra deve durar 44 meses.
O custo de implantação da ferrovia que ligará Belo Horizonte a Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (BA), é de R$ 10,66 bilhões, segundo projeto de engenharia apresentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O trem deve possibilitar o escoamento de carga pelo Porto de Aratu. Os dois projetos ferroviários que cortam Minas (soma-se a esse a linha ligando Uruaçu, em Goiás, a Campos, no Rio de Janeiro) terão mais de R$ 30 bilhões dos R$ 91 bilhões de investimentos previstos na implantação de 10 mil quilômetros de trilhos. Os interessados na ferrovia podem encaminhar suas contribuições sobre o projeto até 19 de julho pelo site da agência reguladora ou pelo correio. 

Foram estudadas três alternativas de traçado ligando os dois estados. Depois da definição dos percursos foi criada uma matriz na qual foram dadas notas com pesos diferentes para cada trecho. Na lista de elementos avaliados estão custo de implantação, prazo de execução, aspectos ambientais, características técnicas e captação da demanda. Os melhores resultados de cada subtrecho possibilitaram a elaboração de um quarto segmento.

Ou seja, o quarto trecho é o somatório dos melhores segmentos dos três primeiros, o que possibilitou a redução do custo em R$ 1,34 bilhão devido à diminuição do percurso em 41 quilômetros. Em Minas a ferrovia deve cortar 27 municípios (Santa Luzia, Pedro Leopoldo, Prudente de Moraes, Sete Lagoas, Curvelo, Montes Claros, Janaúba, entre outros), e 25 na Bahia. O trecho entre o Bairro Capitão Eduardo, em BH, e Sete Lagoas deve aproveitar o traçado existente, o que, além de reduzir custos, diminui consideravelmente o tempo de implantação. A expectativa é de que essa parte demore 18 meses para implantação, e o restante 44 meses. 

O estudo contém dados para balizar a empreiteira durante a obra, como quantidade e localização e pontes, viadutos e túneis ferroviários e rodoviários, além de curvas e pátios de manutenção. Ao longo da ferrovia serão criados 191 obras de arte especiais (pontes e viadutos) para transpor cursos d’água e a cada 300 quilômetros deverá ser criado um pátio de manutenção. Tais construções devem garantir velocidade máxima de 80 quilômetros por hora para composições de carga. O percurso deve ser concluído em pelo menos 19 horas e 30 minutos, mas o tempo deve ser ainda maior se considerado que é preciso saber a velocidade média.

Em Minas, além desse trecho, está prevista a implantação da ferrovia Uruaçu (GO)–Campos (RJ). O prazo para envio de sugestões se encerra em 10 de julho. O traçado terá 1.706 quilômetros, cortando 55 municípios dos quais 41 estão em Minas, oito em Goiás, cinco no Rio de Janeiro e um no Distrito Federal. Ao todo, o custo de implantação previsto é de R$ 19,8 bilhões, se considerada o traçado mais barato dos quatro avaliados. O mais caro prevê investimento de R$ 28 bilhões.
Fonte: www.uai.com.br

Literatura

“Saravá Jongueiro Velho! Memória e Ancestralidade no Jongo de Tamandaré” 

De autoria da professora Carolina dos Santos Bezerra Pereza obra rela com riqueza de detalhes que o  jongo, patrimônio imaterial brasileiro, é uma prática simbólica vinda das senzalas das fazendas de café. Transmitido e recriado de geração a geração, compõe a herança da rica ancestralidade africana, sendo considerado o “avô do samba”. “Por meio de complexas elaborações poéticas, os jongueiros se comunicam em uma linguagem metafórica, somente compreensível pelos poucos iniciados. Por meio dela, nas fazendas de café coloniais, tramavam fugas, comunicavam acontecimentos, partilhavam alegrias e tristezas, sem que os ‘senhores’ soubessem”, conta a autora.
Fonte: www.ufjf.br

quarta-feira, 26 de junho de 2013

ITABAIANA-SE

A Associação Olímpica de Itabaiana, foi fundada em 10 de julho de 1938 com o nome de Botafogo Sport Club, transformado na década de 1950 em Itabaiana Esporte Clube. O Itabaiana formou-se de uma junção entre duas agremiações amadoras da cidade: o Brasil Football Club e o Balípodo Club Santa Cruz.

A primeira partida do novo time itabaianense aconteceu em 14 de agosto de 1938. Ainda com o nome de Botafogo Sport Club. O time serrano enfrentou o Guttemberg Football Club da cidade de Aracaju.

O Estádio Estadual Presidente Médici com capacidade de onze mil pessoas é onde o Itabaiana manda seus jogos e o nome foi sugestão do então governador de Sergipe, Lourival Baptista, como homenagem ao então Presidente da República, o General Emílio Garrastazu Médici.

O estádio foi inaugurado em 07 de março de 1971 num jogo do Itabaiana contra o Grêmio/RS, que contava com tri-campeão mundial, o lateral-esquerdo Everaldo e Espinosa, que pesteriormente, se tornou o treinador Waldir Espinosa.

ITABAIANA: Marcelo, Augusto, Humberto, Elísio e Messias; Gustinho, Bené e Zequinha; Edmilson, Horácio e Tatica;
GRÊMIO: Jair, Domingos (Espinosa), Di, Beto e Everaldo; Jadir (Júlio Amaral - Ivo), Gaspar e Caio; Flecha, Alcindo (Paraguaio) e Loivo.

O Itabaiana, que participou de cinco edições do Campeonato Brasileiro, 74/79/80/81/82, foi o primeiro clube sergipano a jogar no Maracanã, no dia 13 de março de 1974, contra o Fluminense.

A partida entre os dois times tricolores - a camisa tricolor do Itabaiana é semelhante à do Bahia - teve 5.859 pagantes e foi vencida pelo Fluminense por 2 a 1. Manfrini abriu o placar, Gaúcho empatou e o centroavante Luís Alberto definiu os 2 a 1 para o Fluminense.

No Campeonato Brasileiro, a principal façanha foi a vitória sobre o Internacional, de Falcão, Batista e cia, por 2 a 1, em pleno estádio Beira Rio, em 1980.

Clube da cidade de Itabaiana, a 60 quilômetros da capital Aracaju, o Itabaiana foi campeão sergipano em 1969, 1973, 1978/1979/1980/ 1981/1982 (pentacampeão) 1987, 1997 e 2005 e 2012.

Em 2012, pelo campeonato Brasileiro da Série C, na segunda fase da competição o Tupi de Juiz de Fora eliminou a equipe Sergipana, ao vencer por 4 x 1 em Juiz de Fora e perder por 1 x 0, em Itabaiana.

TUPI X ITABAIANA
04/10/02 - Juiz de Fora-MG - Estádio Municipal Radialista Mário Helênio
Campeonato Brasileiro da Série C 
Tupi 04 gols de Roniê, aos 30`do 01º t, de cabeça, aos 10`do 02 t, de cabeça, e aos 33`do 02º t e marcelino aos 06`do 02º t.
Itabaiana 01 gol de Serginho aos 39`do 01º t
Tupi: Rodrigo Posso, Rincão, Anderson Figueiredo, Alexandre Nunes e Periz (Fabiano Guru); Marcelino, Hélio Bidê, Éverton e Maurício (Alexandre Alvim); Roniê e Carioca (Felipe): Tec: José Angelo.
Itabaiana: Charles, Augusto, Pedrão, Júnior Paulista e Indio; Raulino (Berguer), Kempes, Orlando (Adriano) e Alex; Serginho e Toti (Clebinho); Tec: Jairo Santos.
A: Samir Yarack (RJ), A1: Manoel do Couto Ferreira Pires (RJ), A2: Osmar Dias Camilo (MG0 e 4º A: Rogério Pereira da Costa (MG).
Ca: Periz e Felipe (Tupi) e Augusto, Júnior Paulista, Kempes e Orlando (Itabaiana) e Cv: Augusto, Pedrão, Alex e Berguer (Itabaiana).
R: 7.428,00, PP: 2.738,00

09/10/02 - Itabaiana-SE - Estádio Presidente Médici
Campeonato Brasileiro da Série C 
Itabaiana 01 gol de Tosca, de cabeça, aos 40`do 02º t
Tupi 00
Itabaiana: Charles, Almir, Pedrão, Kempes e Indio; Raulino, Orlando, Serginho e André Manoel (Romarinho/Claudinei); Berguer (Diogo) e Tôsca; Tec: Jairo Santos;
Tupi: Rodrigo Posso, Rincão, Anderson Figueiredo, Alexandre Nunes e Periz; Marcelino, Roni (Hélio Bidê), Claudinho Baiano e  Maurício; Roniê (Rodrigo Teixeira) e Carioca; Tec: José Angelo.
A: Fernando Rogério de Oliveira Assunção (AL), A1: José Jaime Bispo (SE), A2: Rubens dos Santos (SE).
Ca: Pedrão (Itabaiana) e Alexandre nunes, Periz, Maurício, Roniê e Rodrigo Teixeira (Tupi) e Cv: Raulino e Charles (Itabaiana).
OBS; A extinta Rádio JF FM transmitiu o jogo de Itabaiana, com Fernando Luiz Baldioti e Carlos Ferreira.

Literatura

"Associação Olímpica de Itabaiana: Da Gênese ao Penta"

Escrito por Manoel Aelson Gois, o livro conta, com riqueza de detalhes,  a trajetória do "Tremendão da Serra", de 1938 até o pentacampeonato em 1982. Personagens ilustres e fatos da história são relembrados. Vale a pena conferir o belíssimo trabalho de Manoel Aelson.

ITABAIANA-SE
A Associação Olímpica de Itabaiana, foi fundada em 10 de julho de 1938 com o nome de Botafogo Sport Club, transformado na década de 1950 em Itabaiana Esporte Clube. O Itabaiana formou-se de uma junção entre duas agremiações amadoras da cidade: o Brasil Football Club e o Balípodo Club Santa Cruz.

terça-feira, 25 de junho de 2013

BALANÇO FINANCEIRO

Estudo aponta dívida total de clubes brasileiros superior a R$ 4,7 bilhões
A BDO Brazil, empresa de auditoria e consultoria financeira, divulgou um estudo que mostra a dívida total dos principais clubes de futebol do Brasil. O montante de R$ 4,03 bilhões aumentou para R$ 4,723 bilhões entre 2011 e 2012, o que representa uma variação de 11%. A pesquisa incluiu 20 clubes da Série A e três da Série B do Brasileiro.

As cinco maiores dívidas são de Flamengo (R$ 741 milhões), Botafogo (R$ 613,8 milhões), Fluminense (R$ 434,9 milhões), Atlético (R$ 414,5 milhões) e Vasco (R$ 410 milhões). Dos clubes considerados grandes, o Cruzeiro é o dono da menor dívida, com R$ 143 milhões. O Atlético Paranaense, por sua vez, está com a situação financeira tranquila e não aparece na lista de endividados.

A dívida com maior crescimento entre 2011 e 2012 pertence ao Flamengo, que saltou de R$ 355,5 mi para R$ 741,7 mi e cravou uma variação de 109%. O Criciúma também teve o montante aumentado de R$ 6,7 mi para R$ 10,4 mi, o que representa cerca de 55%.

Ranking completo do endividamento dos clubes brasileiros
01º) Flamengo - R$ 741 milhões
02º) Botafogo - R$ 613,8 milhões
03º) Fluminense - R$ 434,9 milhões
04º) Atlético - R$ 414,5 milhões
05º) Vasco - R$ 410 milhões
06º) Palmeiras - R$ 287,2 milhões
07º) Internacional - R$ 214 milhões
08º) São Paulo - R$ 199,7 milhões
09º) Santos - 194,4 milhões
10º) Grêmio - 187,2 milhões
11º) Corinthians - R$ 177,1 milhões
12º) Cruzeiro - 143 milhões
13º) Ponte Preta - R$ 138 milhões
14º) Portuguesa - R$ 135,4 milhões
15º) Coritiba - 112,8 milhões
16º) Goiás - 80,9 milhões
17º) Náutico - 66,2 milhões
18º) Bahia - 61,2 milhões
19º Avaí - 40,2 milhões
20º) Figueirense - 35,6 milhões
21º) Vitória - 15,6 milhões
22º) Criciúma - 10,4 milhões
23º) Atlético-PR - 0,0 milhões.
Total - 4,723 bilhões de reais
Fonte: www.uai.com.br

Literatura

"Uma viagem a 1914: Surge a seleção do Brasil"
Esta obra, escrita por Marcelo Abinader,  leva o leitor a uma viagem no tempo e no espaço para o ano no qual foi formada a primeira seleção brasileira masculina de futebol. Enquanto experiencia as emoções vividas pelas pessoas que presenciaram os fatos em questão, paralelamente acompanham-se os principais fatos e notícias no Brasil e no Mundo no ano de 1914. Um documento histórico inédito sobre esta paixão mundial que é a Seleção Brasileira. Os relatos minuciosos, desde a expectativa pelos jogos, até os detalhes das partidas, passando pelas escalações das equipes, vão envolvendo o leitor, fazendo-o vivenciar um espetáculo de futebol dos primórdios dos tempos.
Fonte: www.clubedeautores.com.br

Futebol

URUGUAIOS
Entre craques e coadjuvantes
São muitos os uruguaios que, como técnicos ou jogadores, contribuíram para a história do futebol mineiro, como o lateral Héctor Carlos Cincunegui, um dos campeões do Campeonato Brasileiro de 1971 pelo Atlético. Entre os três clubes da capital, o América teve apenas o volante Sérgio Ramírez, titular da Celeste Olímpica nos anos 1970. Depois, além do América, atuou pelo Flamengo e outros clubes do país, e posteriormente virou treinador. Ramírez ficou conhecido a partir da corrida para agredir Rivellino após o apito final da derrota do Uruguai para a Seleção Brasileira por 2 a 1, em 28 de abril de 1976, no Maracanã, pela Taça do Atlântico. Ele correu atrás do brasileiro, que escorregou na escadaria que dava para os vestiários e ambos caíram. Ele lembra que apanhou de vários adversários e até de jornalistas.

O Atlético é o que teve a maior legião de uruguaios, a começar pelos técnicos Dario Pereyra, campeão mineiro em 1999; Félix Magno, ainda nos tempos do velho estádio Antônio Carlos; Ondino Viera, Ricardo Diez e Walter Daniel Olivera, este em 1985, depois de conquistar também dois títulos estaduais como zagueiro, em 1983 e 1985. Outra lenda uruguaia que jogou no Galo foi o goleiro Ladislao Mazurkiewicz, de 1972 a 1974, depois de ter sido apontado como um dos melhores do mundo. Depois, vieram Mario Lopez, atacante, em 1989; o lateral Fernando Rosa e o zagueiro Kanapkis, em 1993 e 1994; Leo Percovich, goleiro, também em 1994; o zagueiro Gutiérrez, em 2002 e 2003; e, por fim, o goleiro Fabián Carini nas temporadas de 2009 e 2010, conquistando o título mineiro no último ano.

Os uruguaios são destaques na história celeste, a começar por Revétria, atacante que deu grandes alegrias à torcida em 1977, ao fazer os três gols na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético, resultado que praticamente garantiu o título mineiro daquele ano. Atuou também na temporada seguinte. Até hoje, em todos os encontros de jogadores, especialmente de estrangeiros, participa das festas. Nos jogos do Cruzeiro no Uruguai, ele está presente, não deixando de torcer pelo time, mesmo diante de equipes de seu país. Fez 63 jogos e marcou 22 gols.
Hoje, apenas um uruguaio atua no futebol mineiro: o zagueiro Victorino. Veio em 2011, por indicação do argentino Montillo, que foi seu companheiro na Universidad de Chile. Foi um dos integrantes da Celeste que terminou o Mundial’2010 na África do Sul em quarto lugar. Depois de boa temporada com a camisa celeste, machucou-se, perdeu a vaga no time titular e, este ano, recuperando-se de uma tendinite, ainda não jogou. Sua expectativa é estar à disposição do técnico Marcelo Oliveira a partir do jogo contra a Portuguesa, em 6 de julho, no Canindé, em São Paulo, no retorno do Campeonato Brasileiro depois da parada por causa da Copa das Confederações.

Os outros uruguaios celestes foram o atacante Gutiérrez, em 1928; o lateral Carlos Manoel, em 1970, jogou apenas quatro jogos; Repetto, atacante que disputou 19 jogos em 1972 e marcou um gol; o lateral Pablo Forlán, pai do atual atacante do Internacional (jogou também no São Paulo) e fez quatro gols, em 1976; Adam Machado, lateral, em 1981; e os laterais Fernando Canto e Mário Menchaca, em 1986.

Fred
Jogando no Mineirão, o atacante Fred marcou 41 gols em 45 jogos defendendo América, Cruzeiro e Fluminense. O partida de estreia do atacante no Mineirão foi em 02 de fevereiro de 2003, numa derrota do América por 2 a 1 para o Atlético pelo Campeonato Mineiro. A última, em 30 de maio de 2010, quando fez um na vitória sobre por 3 a 1, de virada, do Fluminense sobre o Atlético, pelo Campeonato Brasileiro.
Nome: Frederico Chaves Guedes
Naturalidade: Teófilo Otoni (MG)
Nascimento: 03/10/1983
Clubes: América (2001-2004); Cruzeiro (2004-2005); Lyon-FRA (2005-2009) e Fluminense (desde 2009)
Títulos: Mineiro (2004), Francês (2006, 2007 e 2008), Brasileiro (2010 e 2012) e Carioca (2012).

América-MG e Vasco-RJ
O amistoso entre América e Vasco, em Uberlândia, marcado para a próxima quinta-feira, às 21h, está suspenso. A Polícia Militar alegou que não terá condições de prestar a segurança necessária no Estádio Parque do Sabiá e recomendou o cancelmento do evento, já que manifestações estão anunciadas para o mesmo dia na cidade do Triângulo Mineiro. Sendo assim, as diretorias dos clubes estudam outro local para a realização da partida, que corre o risco de não acontecer.

Flamengo-RJ e São Paulo-SP
Flamengo e São Paulo farão amistoso no Parque do Sabiá, no sábado, 29/06, às 19h. Ao contrário da decisão tomada para a partida entre América e Vasco, a Polícia Militar de Uberlândia não apresentou qualquer tipo de restrição ao evento marcado para este fim de semana.
Fonte: www.uai.com.br

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Literatura

“A (a)praxia na doença de Alzheimer”
Na Psicologia, praxia é a função que permite a realização de gestos coordenados e eficazes. A apraxia seria a “alteração da capacidade de realizar os gestos e o ato motor após a lesão cerebral”, nas palavras da professora da Faculdade de Fisioterapia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia, Cláudia Helena Cerqueira Mármora, autora do livro.
Resultado do seu trabalho de doutorado pela Universidade de Campinas (Unicamp) em 2005, o livro é uma nova proposta no tratamento do Alzheimer.  Basicamente, o estudo relaciona a apraxia às outras funções cognitivas.”
Esse é o segundo livro de Mármora pela Editora UFJF. O primeiro, intitulado “Linguagem, afasia, (a)praxia: uma perspectiva neurolinguística”, foi lançado em 2005, após a conclusão do mestrado, também pela Unicamp.
Fonte: www.ufjf.br

Saramandaia

A Tv Globo estreia nesta segunda-feira, 24/06, a nova novela das onze, “Saramandaia”, adaptação de Ricardo Linhares da novela clássica de Dias Gomes, exibida em 160 capítulos, de 03 de maio a 31 de dezembro de 1976. Para esta nova versão, o autor fez algumas mudanças, criou personagens novos e novas histórias.

Ambientada na Bahia, a história se passa no fictício município de Bole-Bole, na zona canavieira da baiana, que passa por um plebiscito para a mudança do nome para Saramandaia.
Quem é quem 1976/2013:
JOÃO GIBÃO – Juca de Oliveira / Sérgio Guizé
Possui asas, que esconde de todos por baixo de seu gibão (uma espécie de colete de couro), o que o faz parecer que tem uma corcunda. Vereador de Bole-Bole, lidera uma campanha para a mudança do nome da cidade para Saramandaia, o que põe os tradicionalistas (que não gostam da ideia) contra os “mudancistas”, que o apoiam.
LUA VIANA – Antônio Fagundes / Fernando Belo
Irmão de João Gibão, prefeito da cidade de Bole-Bole. Figura simpática e querida do povo.
DONA LEOCÁDIA – Lídia Costa / Renata Sorrah
Mãe de João Gibão e Lua Viana. A única que sabe que João nasceu com asas e o ajuda a manter este segredo.
MARCINA – Sônia Braga / Chandelly Braz
Namorada de João Gibão, apaixonada por ele. Quando excitada, seu corpo pega fogo, literalmente.
SEU CAZUZA – Rafael de Carvalho / Marcos Palmeira
Pai de Marcina, dono da farmácia de Bole-Bole. Quando exaltado, seu coração ameaça saltar pela boca. Tradicionalista convicto, não quer que a cidade mude seu nome. Não aprova o namoro da filha com João Gibão, já que ele é um “mudancista”.
DONA MARIA APARADEIRA – Eloísa Mafalda / Ana Beatriz Nogueira
Mulher de Cazuza, mãe de Marcina. Beata, é a parteira da cidade, por isso o apelido Aparadeira.
ZÉLIA TAVARES em 1976, ZÉLIA VILAR atualmente – Yoná Magalhães / Leandra Leal
Noiva do prefeito Lua Viana, moça de personalidade forte. “Mudancista” convicta, luta pela mudança do nome da cidade.
Núcleo de Zélia Vilar:
Ricardo Linhares suprimiu a família Tavares de 1976, da qual Zélia fazia parte, e criou um novo núcleo familiar para a personagem, os Vilar, com novos entrechos.
o avô TIBÉRIO – Tarcísio Meira, criou raízes dentro de casa, pois há anos não sai na rua.
a mãe VITÓRIA – Lília Cabral, derrete quando se sente apaixonada.
os irmãos PEDRO (André Bankoff) e THIAGO (Pedro Tergolino), personagens correspondentes, em 1976, a NATO (Jorge Gomes) e DIRCEU (Pedro Paulo Rangel), respectivamente.
ZICO ROSADO – Castro Gonzaga / José Mayer
Político tradicionalista de Bole-Bole, é contra a mudança do nome da cidade. Solta formigas pelo nariz. Linhares criou um novo entrecho para o personagem: foi uma antiga paixão de Vitória Vilar, apesar da rivalidade entre as famílias dos dois. Com o retorno de Vitória à cidade, essa paixão reascende.
DONA CANDINHA – Maria do Carmo Veloso / Fernanda Montenegro
Mãe de Zico. Velha esclerosada, vive a enxotar galinhas imaginárias dentro de casa.
Linhares mudou os nomes das personagens do núcleo familiar de Zico Rosado. SANTINHA, a mulher dele em 1976 (Ana Ariel), agora se chama HELENA (Ângela Figueiredo). A filha DALVA (Ana Maria Magalhães) agora é LAURA (Lívia de Bueno). E a neta DULCE (Tereza Cristina Arnaud) agora é STELA (Laura Neiva).
CARLITO PRATA – Milton Moraes / Marcos Pasquim
Inescrupuloso e mau caráter, braço direito de Zico Rosado, que desconhece suas verdadeiras intenções. No passado, virou a cabeça de Dalva/Laura (filha de Zico), o que a fez ir embora de Bole-Bole. Com o retorno dela à cidade, Carlito vai tentar uma nova aproximação.
DR. ROCHINHA – José Augusto Branco / André Frateschi
Médico, tornou-se alcoólatra após ter sido abandonado no altar pela noiva, Dalva/Laura. Atende na farmácia de Seu Cazuza.
PROFESSOR ARISTÓBULO CAMARGO – Ary Fontoura Gabriel Braga Nunes
O homem mais culto de Bole-Bole. Sofre de insônia crônica, não dorme há anos, o que o faz perambular pela cidade à noite, alimentando assim na população a crença de que ele seja um lobisomem.
DONA PUPU – Elza Gomes / Aracy Balabanian
Mãe de Aristóbulo, guarda em casa a cabeça mumificada do marido morto, BELISÁRIO (Luiz Henrique Nogueira) – o personagem não aparecia em 1976, era apenas citado.
RISOLETA – Dina Sfat / Débora Bloch
Dona de uma pensão – que também é um bar – considerada “pouco familiar” pelas carolas de Bole-Bole. Tem uma paixão mórbida pelo Professor Aristóbulo e sonha em vê-lo se transformando em lobisomem. Em sua pensão trabalham DORA (Natália do Valle / Carolina Bezerra) e ROSALICE (Maria Rita / Camila Lucciola), servindo as mesas e os homens de Bole-Bole.
SEU ENCOLHEU – Wellington Botelho / Matheus Nachtergaele
Secretário de gabinete do prefeito. Consegue fazer a previsão do tempo de acordo com a dor que sente nos ossos.
DONA REDONDA – Wilza Carla / Vera Holtz
Mulher de Seu Encolheu. De apetite descomunal, engorda sem parar.
BIA – Marília Barbosa / Thaís Melchior
Filha de Seu Encolheu e Dona Redonda. Apesar dos pais tradicionalistas, luta pela mudança do nome da cidade. Namora Nato/Pedro e os pais são contra o namoro por conta de suas ideias divergentes.
DELEGADO PETRONÍLIO – Carlos Gregório / Theodoro Cochrane
Honesto e incorruptível, é um homem de princípios morais rígidos e sua religião não permite que beba, fume ou ame. Fez voto de castidade e vive se confessando.
DONA FIFI – Vanda Costa / Georgiana Góes
Beata fofoqueira. Amiga de Maria Aparadeira e Dona Redonda, juntas elas zelam pela moral e bons costumes de Bole-Bole e lutam pela permanência do nome da cidade.
MAESTRO CURSINO – Brandão Filho / André Abujamra
Marido de Fifi. Tradicionalista roxo, rege a filarmônica da cidade e é sócio em uma barbearia.
MAESTRO TOTÓ – Lajar Muzuris / Zéu Britto
Mudancista, é rival do Maestro Cursino na música e nos ideais políticos, apesar de ser sócio dele em uma barbearia.
PADRE ROMEU – Francisco Dantas / PADRE NEVES – Maurício Tizumba
Pároco de Bole-Bole.
DAS DORES – Chica Xavier / Dja Martins
Antiga empregada na casa dos Rosado.
FIRMINO – Alcírio Cunha / Val Perré
Capataz e pau mandado de Zico Rosado.
Fonte: www.uol.com.br

Literatura

“Ecos do Passado: estudos de história e filosofia da psicologia”
A relação mente-cérebro é considerada uma das questões mais complexas que a área da Psicologia vem discutindo desde o século XVIII. As pesquisas do professor Saulo de Freitas Araújo, reunidas em seu quarto livro, “Ecos do Passado: estudos de história e filosofia da psicologia”, abordam o tema.
De acordo com o autor, apesar dos avanços da Psicologia nos últimos séculos, muitos problemas que derivam deste tema precisam de maior atenção. “Ainda não foi apresentada uma solução satisfatória, por isso, essa relação é tão investigada no mundo todo.”
Além das questões relacionadas ao tema mente-cérebro, o professor trabalha assuntos que envolvem Kant e psicologia e atua como professor do Departamento de Psicologia da UFJF. A obra é uma reunião de estudos independentes que se complementam.
Fonte: www.ufjf.br

sábado, 22 de junho de 2013

Radiodifusão

Violação de envelopes cancela 111 licitações de rádio e TV
Vários pacotes com propostas foram violados, misturados ou mesmo perdidos durante transferência para a sede do Ministério das Comunicações em 2002

O cancelamento de 111 licitações para outorgas de rádio e TV que haviam sido abertas entre 1997 e 2002 chamou a atenção dos deputados da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia. Na última terça, 18, o secretário de Comunicação Eletrônica do Minicom, Genildo Lins, explicou aos parlamentares que as licitações foram canceladas devido a três principais motivos: deserção; interessados inabilitados ou desclassificados; e processos sem segurança jurídica.

A maioria se enquadra no último caso, que abrange envelopes rasgados, acomodados em caixas sem lacre e identificação etc. Há inclusive um caso que estava sendo apurado pela Polícia Federal por suspeita de fraude, mas que acabou prescrevendo. Segundo o secretário, outras 195 concorrências serão canceladas.

Lins explicou que vários pacotes com propostas foram violados, misturados ou mesmo perdidos durante a transferência dos processos das delegacias regionais para a sede do Ministério das Comunicações em 2002, quando algumas delegacias regionais foram fechadas.

"Havia caminhões com um monte de processo e simplesmente eles eram entregues na sede sem nenhuma organização e controle documental. Nesse evento, muita coisa se perdeu e o maior prejuízo foi para as licitações", declarou o secretário.

Das 111 licitações, 4 eram para TV, 61 para FM e 46 para AM. Com 51 licitações invalidadas, o Amazonas foi o estado mais prejudicado. "Tão logo realizada essa fase (a de análise dos antigos processos), vamos abrir procedimentos novos, prioritariamente para esses lugares onde houve a anulação", afirmou Genildo Lins.

Literatura

"Salomé Parísio, O Rouxinol Do Norte"
Escrito por Thaís Matarazzo, Diego Nunes e Fábio Siqueira, o livro conta a história de Dulce de Jesus Oliveira, nascida em Bonito-PE, em 03 de junho de 1921, iniciou sua carreira na Rádio Clube de Pernambuco. Foi do maestro e compositor Nelson Ferreira e do locutor Abílio de Castro que ela recebeu o título de "O Rouxinol do Norte". Era a época da Segunda Guerra Mundial e Salomé cantou para os soldados americanos que tinham bases fixadas no Brasil. 

Ao se apresentar em Salvador foi descoberta por Chianca de Garcia, o famoso empresário teatral. Ele a levou para o Rio de Janeiro, onde estreou em 1947 no teatro de revista, com a peça "Um Milhão de Mulheres", ao lado dos atores Colé e Celeste Aída. Já estreou como cantora e vedete. Em seguida, veio "O Rei do Samba" e "Eu Quero me Badalar", entre outras revistas, recebendo o título de "A mulher com as mais belas pernas". 

Seu sucesso ultrapassou os limites do Brasil. Em 1952, em Portugal, foi a estrela da revista Saias Curtas, no Cassino do Estoril. Em 1955, fez sucesso na Argentina. Anos depois, recebeu o convite de Carlos Machado para substituir Carmen Miranda (que havia falecido em 1955) nos Estados Unidos. Ela partiu em 1960 ao lado de Nelson Gonçalves, do Conjunto Farroupilha, entre outros artistas. Foi a estrela do espetáculo Extravaganza Brasileira, na Rádio City Music Hall, em Nova York. Porém, devido a um acidente sofrido por sua mãe, D. Josefa, ela abandonou o projeto e voltou ao Brasil. 

Novamente no Brasil, passou a trabalhar com mais freqüência em São Paulo, onde já havia fixado residência. Atuou nas rádios Cultura, Tupi, Bandeirantes, Record e Nacional. Na televisão trabalhou nas TVs Paulista, Tupi, Cultura e Excelsior. 

Também dedicou-se ao drama, em peças como "O Comprador de Fazenda", ao lado de Dulcina de Moraes, e também atuou nas primeiras adaptações de espetáculos da Broadway feitas no Brasil, como "O Violinista no Telhado" e "Aí vem o Dilúvio". Em 1980, convidada pelo diretor Antunes Filho, integrou o elenco da histórica ontagem de "Macunaíma", excursionando por 12 países.

Seu último trabalho em teatro foi no espetáculo Sonhos de Vedete, de 2003, no Teatro Itália, em São Paulo. Mesmo com a idade avançada, Salomé Parísio continuou a se apresentar em shows realizados em restaurantes e em casas de espetáculos. Era moradora do bairro de Santa Cecília, região central de São Paulo, onde morreu aos 92 anos, em 19 de junho de 2013. 

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Campanha "Assina Brasil" e Movimento Brasil Eficiente

São Paulo, 20 de junho de 2013

SESCON-SP participa de campanha pela simplificação tributária

Tendo em vista a convergência de ideais e bandeiras de luta, o SESCON-SP apoia a Campanha "Assina Brasil", capitaneada pelo Movimento Brasil Eficiente com a participação de diversas entidades e instituições do empreendedorismo.

Sem qualquer vinculação político-partidária, o movimento sugere simplificação fiscal com a redução do número de tributos no Brasil, ponto de partida para a redução da carga tributária, a aplicação e gestão eficiente dos recursos arrecadados pelos governos, crescimento econômico e geração de empregos no País.

A campanha se propõe a angariar 1,5 milhão de assinaturas em todo o Brasil para viabilizar a tramitação de um projeto de lei com estas propostas no Congresso Nacional.

Para o atingimento deste objetivo, o SESCON-SP pede também o seu engajamento, apoio e participação. Para contribuir com a tão desejada simplificação da estrutura tributária em nosso País, basta entrar no site da Campanha www.assinabrasil.org e aderir.

Multiplique também esta ideia entre seus familiares e amigos e demais contatos nas mídias sociais.

Juntos, certamente conquistaremos mais esta vitória. Contamos com todos vocês!

Atenciosamente,

Sérgio Approbato Machado Júnior
Presidente do SESCON-SP e da AESCON-SP



Literatura

 “Linguagem, afasia, (a)praxia: uma perspectiva neurolinguística”
Este livro trata da relação entre linguagem e gestos nas atividades práxicas que exercemos na vida em sociedade, conduzindo a reflexão teórica e a prática clínica no campo da Fisioterapia para a relação desta com outros campos de conhecimento: Linguística, Neurolinguística, Neuropsicologia, Neurologia, Fonoaudiologia, Psicologia e Terapia Ocupacional. Incorpora uma concepção abrangente e pública de linguagem que reorienta a prática clínica em Fisioterapia para a relação da linguagem com gestos, corpo e práxis, tanto em sujeitos normais, quanto em afásicos, isto é, aqueles com dificuldades com gestos, corpo e percepção, mas que produzem processos e soluções alternativas para tais dificuldades. 


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Feriado

Os vereadores da cidade mineira de Santos Dumont (Terra do Pai da Avição), a exemplo de outros municípios de Minas Gerais e de outros estados, aprovaram lei semelhante, beneficiando os servidores públicos municipais.
PROJETO DE LEI Nº DE 2007
(Do Sr. Sabino Castelo Branco)
Concede ao trabalhador brasileiro um dia de folga remunerada no dia de seu aniversário.

O Congresso Nacional decreta:
Art. 1º O trabalhador brasileiro terá direito a um dia de folga remunerada no dia de seu aniversário.
§ 1º Para os ditames da presente lei, ficam ressalvados os dispositivos constantes na Consolidação das Leis do Trabalho.
Art. 2º A folga referida no artigo anterior deverá abranger a todos os trabalhadores que estejam vinculados à CLT.
Art. 3º O direito da folga é facultado ao trabalhador, que não poderá utilizá-la em ocasião posterior.
Art. 4º A folga remunerada objeto da presente lei deverá contar como dia trabalhado.
Art. 5º Caberá ao Poder Público, por intermédio dos órgãos da Justiça do Trabalho, fiscalizar o cumprimento do disposto na presente lei.
Art. 6º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO
São conhecidos os casos em que o trabalhador brasileiro vê-se tolhido da possibilidade de compartilhar o dia de seu aniversário com seus familiares, quando o mesmo coincide com um dia de semana.
Do mesmo modo, a legislação trabalhista brasileira tem um claro viés na proteção não apenas das relações entre patrão e empregado, mas, também, no bem estar e saúde emocional do trabalhador.

Literatura

 “Sociologia das artes visuais no Brasil”
A professora do Instituto de Artes e Design (IAD) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Maria Lucia Bueno, foi a responsável por organizar os trabalhos reunidos na obra “Sociologia das artes visuais no Brasil”.

A obra contém textos de 15 autores diferentes, entre eles a própria organizadora. Todas as publicações baseiam-se em pesquisas consistentes, sendo a maioria delas provenientes de dissertações de mestrado e teses de doutorado. Segundo Maria Lucia, cada contribuição traz um novo ponto de vista, temas e recortes, sempre fazendo uso das teorias e metodologias da área de ciências sociais.
Fonte: www.editorasenacsp.com.br

terça-feira, 18 de junho de 2013

QUEM SOU EU?


Nesta altura da vida já não sei mais quem sou... Vejam só que dilema!!! 
Na ficha da loja sou CLIENTE, no restaurante, FREGUÊS, quando alugo uma casa, INQUILINO, na condução, PASSAGEIRO, nos correios, REMETENTE, no supermercado, CONSUMIDOR. Para a Receita Federal, CONTRIBUINTE, se vendo algo importado, CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou  MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido, INADIMPLENTE, se não pago imposto, SONEGADOR. Para votar, ELEITOR, mas em comícios sou MASSA, em viagens sou TURISTA, na rua, caminhando, PEDESTRE, se sou atropelado, ACIDENTADO, no hospital sou PACIENTE. Nos jornais viro VÍTIMA, se compro um livro, LEITOR, se ouço rádio, OUVINTE. Para o Ibope, ESPECTADOR, se vejo tv, sou TELESPECTADOR, no campo de futebol, TORCEDOR
Se sou rubronegro, sou SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. Se trabalho com carteira assinada, COLABORADOR e, quando morrer ...uns dirão ...FINADO, outros, ...DEFUNTO, para outros, ...EXTINTO, para o povão ...PRESUNTO. Em certos círculos espiritualistas serei ...DESENCARNADO, evangélicos dirão que fui ...ARREBATADO.


E pensar que um dia já fui mais EU!!!

Atribuida a
Luiz Fernando Veríssimo.

Literatura

“Temas especiais em Pediatria para o estudante de Medicina e médicos com interesse em Pediatria” 
A obra foi organizada pela professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Vivianne Weil Afonso.
A publicação é fruto do trabalho de 22 docentes e profissionais de saúde, além de duas alunas colaboradoras, e reúne um extenso arquivo de aulas teóricas, práticas, seminários e congressos. Todo esse material, pioneiro na disciplina Medicina da Criança da Faculdade de Medicina, foi enriquecido com as contribuições de profissionais da área de Saúde que assistem ao estágio de Pediatria (Medicina da Criança).
Em 12 capítulos o livro tem o objetivo de se tornar uma fonte de pesquisa e de apoio à prática clínica na assistência à criança. Entre os temas estão a Pediatria na promoção da saúde, a prática de atividades físicas e a avaliação do sono. Segundo Vivianne, a publicação funcionará como uma ferramenta para a preparação de estudantes e profissionais.
Fonte: www.ufjf.br

segunda-feira, 17 de junho de 2013

João Carlos Pires (19 /2013)

Morre João Pires 
Morreu no começa da tarde desta segunda-feira, 17/06, de acidente automobilístico na BR 040, próximo a cidade de Petrópolis, João Pires. O acidente aconteceu às 13:15h, na altura do KM 73 da BR-040, e de acordo com a Concer, concessionária que administra a rodovia, o carro no qual viajava, no sentido Juiz de Fora/Rio, se chocou contra a mureta de proteção que divide as pistas. O SAMU foi acionado e João Píres foi levado com vida para o Hospital Santa Teresa em Petrópolis, onde morreu após dar entrada.

Junto com João Pires viajava Américo Ribeiro, o Caju, de 58 anos, e seu funcionário de confiança, que ficou ferido e também foi levado para o Hospital Santa Teresa.

O corpo vai ser velado no Palácio Barbosa Lima, sede da Câmara Municipal de Juiz de Fora e o sepultamento está marcado para às 14 horas, no cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha. João Pires, de 72 anos, era Empresário e vice-presidente do Tupi, tendo sido presidente do clube no biênio 91/92 e deixa esposa, três filhos e três netos.

 João Carlos Pires, um dos maiores ídolos da história do Tupi. nasceu em Juiz de Fora, em__de____de19__, João Pires, que era torcedor do Tupi, Botafogo e Fluminense, atuou, além do Galo Carijó, onde foi ídolo, no Comercial de Ribeirão Preto e na Portuguesa de Desportos.

Literatura

 “Holocausto Brasileiro – Vida, genocídio e 60 mil mortes no maior hospício do Brasil”
Neste livro-reportagem, a jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da história brasileira: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante boa parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade.
Pelo menos 60 mil pessoas morreram entre os muros da Colônia. Em sua maioria, haviam sido internadas à força. Cerca de 70% não tinham diagnóstico de doença mental. Eram epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, gente que se rebelava ou que se tornara incômoda para alguém com mais poder. Eram meninas grávidas violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, homens e mulheres que haviam extraviado seus documentos. Alguns eram apenas tímidos. Pelo menos 33 eram crianças.

domingo, 16 de junho de 2013

Centro Cultural Cineasta Humberto Mauro

Centro Cultural Humberto Mauro reabre com a exposição Profundus
por Fernanda Brasileiro *

Depois de um período fechado para reformas, o Centro Cultural Humberto Mauro (Rua Cel.Vieira,10), no centro de Cataguases-MG, reabre, no dia 20 de junho, próxima quinta-feira, inaugurando, na Galeria Zequinha Mauro, a exposição "Profundus" . São 16 fotos do paulista, radicado em Salvador-BA, Paulo Cesar Lima, que emergem cores e formas. "Profundus" pode ser visitada até o dia 21 de julho de 2013, no horário de 08h ás 17h e a entrada é gratuita. A exposição tem o patrocínio da Energisa e a realização é da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho. Fotógrafo de autoria em pesquisa de linguagem de campo, Paulo Cesar Lima atua na profissão há 11 anos e tem fotos nos acervos do Museu Afro Brasil-SP, Itaú Cultural-SP e no Espaço Cultural Cachoeira-SP. Morando em Salvador-BA desde 2009, há seis fotografa dança buscando e utilizando os recursos práticos e pictóricos que essa manifestação artística proporciona. De acordo com o professor de doutor em Comunicação,Wilton Garcia, "Paulo Cesar Lima convida o público a aprofundar o olhar sobre imagens contemporâneas, para além de uma mera aparência reguladora de códigos visuais. Afinal, o que e como você vê? É mais que o acaso. Da perspectiva técnica e conceitual, emergem cores e formas que convidam o/a observador/a para se soltar e flutuar em paisagens inebriantes." Mas para concordar ou discordar é preciso que você veja a exposição.
Expo Profundus
Local: Centro Cultural Humberto Mauro (Rua Cel Vieira, 10-Centro-Cataguases
Telefone: 3429-6424)
Período: de 20 de junho a 21 de julho de 2013
Horário: 08h ás 17h (de segunda a sexta-feira)
Entrada gratuita
Censura Livre
 *Fernanda Brasileiro é Assessoria de Comunicação da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho

Literatura

"Primeiro Tempo - O início da trajetória de Pelé com Imagens e Depoimentos Inéditos" 

Baseada em texto original do livro "Eu Sou Pelé", de 1961, de Benedito Ruy Barbosa, com imagens e depoimentos inéditos, em 320 páginas, sobre a carreira do maior atleta do século passado. O texto reproduz o livro "Eu sou Pelé", com comentários de ex-companheiros e pessoas ligadas ao futebol, como o capitão da seleção alemã campeã em 1974 Franz Beckenbauer, o ex-presidente da Fifa João Havelange, o diplomata americano e Nobel da Paz Henry Kissinger, o artista Jô Soares, o cronista esportivo Orlando Duarte e ex-companheiros de seleçao como Roberto Rivellino, Carlos Alberto Torres, Clodoaldo, Coutinho, Dorval, Edu, Formiga, Gerson, Lima, Mengálvio, Pepe, Tostão, Zagallo e Zito A publicação apresenta cerca de 180 fotos do acervo pessoal de Pelé, algumas inéditas, feitas por José Dias Herrera, morto em 2010, que acompanhou a trajetória de Pelé desde o início no Santos. As imagens mostram, entre outras coisas, Pelé jogando sinuca, no exército e no vestiário da Vila Belmiro.

sábado, 15 de junho de 2013

Copa das Confederações

                     Copa das Confederações 2013
A Copa das Confederações é um torneio de futebol organizado pela FIFA entre seleções nacionais a cada quatro anos (a partir de 2005, anteriormente a cada dois anos). Os participantes são os seis campeões continentais mais o país-sede e o campeão mundial, perfazendo um total de oito países. É escolhida uma única seleção para cada continente, excetuando a América, pois ela classifica duas seleções: a seleção campeã da "Copa Ouro", cujo torneio é disputado entre a América do Norte, América Central e Caribe e a "Copa América", disputada pelos países que compõem a América do Sul.
A primeira edição foi disputada na Arábia Saudita em 1992 sendo chamada de Copa Rei Fahd. A terceira edição, também na Arábia Saudita, teve seu status incrementado, o número de países participantes aumentado para oito e o nome mudado para Copa das Confederações da FIFA. Em 2001 o torneio foi sediado pela Coréia do Sul e Japão como uma prévia para a Copa do Mundo a Copa do Mundo de 2002, e este precedente foi repetido em Junho de 2005, quando o país-sede da Copa do Mundo de 2006, a Alemanha, sediou a Copa das Confederações 2005. O mesmo ocorre no ano de 2009, em que a sede da Copa das Confederações é a África do Sul, anfitriã da Copa do Mundo de 2010. Isto vale também para o Brasil, anfitrião tanto da Copa das Confederações de 2013 quanto da Copa do Mundo de 2014 e assim por diante.

Literatura

"Dicionário de Curitibanês e Curitibanices"

Escrita por Anthony Leahy, a obra relata expressões, gírias, curiosidades, história, memória e o jeito de ser e ver o mundo dos Curitibanos. 
"Dicionário de Curitibanês e Curitibanices" é indispensável para quem é de fora e imperdível para quem é natural de Curitiba.
Fonte: www.institutomemoria.com.br

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Emancipações

Câmara Federal pode emancipar em torno de 800 distritos em todo país; 
Em Minas são 76 candidatos 

Aprovação pela Câmara dos Deputados da urgência para votação do projeto que trata da criação de municípios pode desarquivar 800 pedidos em todo o país Arquivados há mais de uma década nas assembleias legislativas, cerca de 800 pedidos de emancipação feitos por distritos espalhados por todo o país voltaram a ganhar força. Com 319 votos a favor e 19 contra, a Câmara dos Deputados aprovou o pedido de urgência para o Projeto de Lei Complementar 416/2008, que traça regras para a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios. Só em Minas, são aproximadamente 70 distritos brigando pela emancipação. O projeto que será levado a plenário na Câmara no início da semana que vem foi aprovado pelo Senado em 2010 e exige plebiscito com a população envolvida. A proposta de formação de um município deve ser feita por meio de requerimento assinado por pelo menos 10% dos eleitores residentes na cidade. Depois de protocolados os pedidos, os órgãos legislativos estaduais deverão elaborar, em 180 dias, um estudo sobre a viabilidade futura da cidade e da área remanescente do município preexistente. O texto estabelece também a população mínima necessária para que municípios sejam criados: 05 mil habitantes nas regiões Norte e Centro-Oeste, 07 mil no Nordeste e 10 mil no Sul e Sudeste. Outro item determina a existência de um “núcleo urbano dotado de infraestrutura, edificações e equipamentos compatíveis com a condição de um município”, sem que esse espaço esteja situado em reserva indígena, área de preservação ambiental ou área pertencente à União. Até 1996, os critérios para a emancipação de distritos eram determinados exclusivamente pelas assembleias legislativas, sem uma regra federal. Em 2008, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou uma emenda constitucional para frear a criação dos municípios até que fosse aprovada uma regra federal determinando os requisitos mínimos sobre o tema. Belo Horizonte/Sabará As mudanças na legislação sobre desmembramentos e fusões de municípios poderão também facilitar mudanças territoriais nas grandes cidades. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a situação do Bairro Castanheiras, na divisa com Sabará, está sendo discutida desde 2011. A possibilidade de o bairro ser integrado à capital foi defendida por moradores que reclamam do cenário de abandono e chegou até a ser defendida pelas duas prefeituras. No entanto, por falta de uma definição na legislação, o desmembramento não avançou. Santa Luzia/São Benedito Apesar do grande número de projetos pela emancipação de distritos nas assembleias, nem sempre a separação é o caminho escolhido pelos próprios habitantes. No início da década de 1990, os moradores de São Benedito, Distrito de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, preferiram se manter ligados à cidade. Em votação, mais de 90% dos habitantes do bairro descartaram a proposta de separação e a região, de forte comércio, continuou incorporada ao município.

Relação dos distritos que pretendem emancipar em Minas: 
 Cidade - Distrito
Araponga - Estevão de Araújo
Alvinópolis - Fonseca
Barbacena - Correia de Almeida
Belo Horizonte - Venda Nova
Belo Oriente - Cachoeira Escura
Bom Jesus do Galho - Quartel do Sacramento
Brumadinho - Piedade de Paraopeba
Camanducaia - Monte Verde 
Campina Verde - Honorópolis
Caraí - Marambaia e Maranhão
Carangola - Alvorada e Ponte Alta de Minas
Caratinga - Santo Antonio do Manhuacu
Carmo do Paranaíba - Quintinos
Carneirinho - São Sebastião do Pontal
Claro dos Poções - Vista Alegre
Curvelo - Anguereta, Distritos de JK e São José da Lagoa
Diamantina - Inhaí e Senador Mourão
Divinopolis - Santo Antônio dos Campos
Frutal - Aparecida de Minas
Governador Valadares - Xonim de Baixo e Xonim de Cima
Guanhães - Correntinho
Gurinhatã - Flor de Minas
Grão-Mogol - Josenópolis
Ibirité - Durval de Barros
Ipanema - Taparuba
Itambacuri - Frei Serafim e Guarataia
Itapecerica - Marilândia
Iturama - Alexandrita e Limeira dOeste
Janaúba - Barreiro da Raiz e Quem-Quem
Joaíma - Monte Formoso
João Pinheiro - Luislandia do Oeste e Veredas
Lagamar - São Bras de Minas
Manhuaçu - São Pedro do Avai
Mantena - Barra do Ariranha e Limeira de Mantena
Mateus Leme - Serra Azul
Monte Azul - Otinolandia
Monte Belo - Jureia
Montes Claros - Aparecida do Mundo Novo, São Pedro da Garça e Santa Rosa de Lima
Muriaé - Belisário
Nanuque - Vila Pereira
Natalândia - Dom Bosco
Novo Cruzeiro - Queixada
Ouro Preto - Cachoeira do Campo
Ouro Fino - São José do Mato Dentro
Raul Soares - Santana do Tabuleiro, São Vicente da Estrela e Sebastião dos Óculos
Ribeirão das Neves - Justinópolis
Rio Vermelho - Pedra Menina e Santa Cruz da Aparecida
Sabará - Ravena
Salinas - Nova Matrona
Santa Vitória - Chaveslândia
São Francisco - Icarai
São João da Ponte - Condado do Norte e Olimpio Campos
São João Evangelista - Euxenita
São Sebastião da Vargem Alegre
São Tiago - Mercês de Agua Limpa
Tarumirim - Vai-Volta
Teofilo Otoni - Frei Gonzaga e Mucuri
Varzea da Palma - Guaicui
Viçosa - Cachoeira de Santa Cruz e São José do Triunfo
OBS: Distritos dos municípios de Itinga, Araçuaí, Bocaiúva, Guaraciama e Bonfinopolis também registraram pedidos para emancipação, no entanto sem nomes definidos nas propostas apresentadas. FONTE: www.uai.com.br