segunda-feira, 17 de junho de 2013

João Carlos Pires (19__ /2013)

Morre João Pires 
Morreu no começa da tarde desta segunda-feira, 17/06, de acidente automobilístico na BR 040, próximo a cidade de Petrópolis, João Pires. O acidente aconteceu às 13:15h, na altura do KM 73 da BR-040, e de acordo com a Concer, concessionária que administra a rodovia, o carro no qual viajava, no sentido Juiz de Fora/Rio, se chocou contra a mureta de proteção que divide as pistas. O SAMU foi acionado e João Píres foi levado com vida para o Hospital Santa Teresa, em Petrópolis, onde morreu após dar entrada.

Junto com João Pires viajava Américo Ribeiro, o Caju, de 58 anos, e seu funcionário de confiança, que ficou ferido e também foi levado para o Hospital Santa Teresa.

O corpo vai ser velado no Palácio Barbosa Lima, sede da Câmara Municipal de Juiz de Fora e o sepultamento está marcado para às 14 horas, no cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha. João Pires, de 72 anos, era Empresário e vice-presidente do Tupi, tendo sido presidente do clube no biênio 91/92 e deixa esposa (______), três filhos (___, ___ e ______) e três netos.

 João Carlos Pires, um dos maiores ídolos da história do Tupi, nasceu em Juiz de Fora, em__de____de 19__, filho de_________ e __________, era torcedor do Tupi, Botafogo e Fluminense e atuou, além do Galo Carijó, no Comercial de Ribeirão Preto e na Portuguesa de Desportos.

2 comentários:

Carlos Ferreira disse...

João Pires: o “Garrincha de Juiz de Fora”

Craques do presente e do passado, além de amigos e pessoas ligadas ao esporte da cidade se reuniram no Cemitério Parque da Saudade na tarde desta terça-feira, 18, para prestar a última homenagem ao ex-jogador João Pires, também ex-presidente do Carijó e que, na atual gestão, era vice-presidente do clube. Ex-companheiros não tiveram medo de afirmar: João Pires foi o Garrincha de Juiz de Fora. A expectativa era grande, mas, em razão de dificuldades na liberação em Petrópolis (RJ), o corpo só foi chegar a Juiz de Fora por volta de 18h. Com isso, o sepultamento acabou transferido para as 9h de quarta-feira, 19.

Entre os que compareceram ao cemitério estava o presidente do Conselho Deliberativo do Tupi, Geraldo Magela Tavares, técnico de João Pires na equipe que ficou conhecida como “Fantasma do Mineirão” e seu amigo particular. Ele não conseguiu esconder a emoção. “Foi uma perda irreparável. O João Pires era uma figura cativante, responsável e dedicou a vida inteira ao Tupi, tanto dentro como fora de campo. Tinha o Tupi no coração. Sempre ajudou sem querer nada em troca. Esta é uma data muito difícil para nós carijós”, expôs.

Companheiro de ataque naquela equipe, Toledo disse que está sendo difícil conviver com a perda. “Foi um irmão que eu perdi. Falar dele é fácil. A gente fica pensando: Como que a vida pode acabar assim, de uma hora para a outra? Acho que não tenho condições de chegar perto do corpo. Nós dois sempre jogamos em dupla”, destacou Toledo.

Outro integrante do “Fantasma do Mineirão” que compareceu ao Parque da Saudade nesta terça-feira foi o ex-zagueiro Dário, que se deslocou de Volta Grande para se despedir. “O João Pires era show de bola. O drible dele era igual ao do Garrincha. Era ótimo jogador e um amigo inseparável. Recebi o convite para a homenagem que foi feita na partida entre Tupi e Cruzeiro, mas não pude estar presente. Talvez fosse a oportunidade para ter um último contato com ele”, lamentou Dário.

Opinião semelhante à de Dário é a do presidente da Câmara Municipal, Júlio Gasparette (PMDB), amigo particular de João Pires. “Ele era muito especial para mim. Era como se fôssemos irmãos. Como desportista é até difícil falar dele. Foi o Garrincha de Juiz de Fora”, destacou Gasparette.
FONTE: www.tupijf.com.br

Carlos Ferreira disse...

Descanse em paz, João Pires!
Sentiremos saudade...

Cerca de 200 pessoas acompanharam, silenciosamente, na manhã desta quarta-feira, 19, o sepultamento do ex-jogador e ex-dirigente do Tupi Foot Ball Club, João Pires, ocorrido no Parque da Saudade. Ele faleceu na última segunda-feira, 17, no Hospital Santa Tereza, em Petrópolis (RJ), em razão de um acidente automobilístico no km 73 da BR-040. Entre os presentes, o sentimento de que Juiz de Fora perdeu não só um grande desportista, mas também uma pessoa diferenciada.
Antes do enterro e com a voz consternada, o presidente do Tupi, Áureo Fortuna, deixou uma última mensagem ao amigo. “Lealdade, determinação e vontade de viver. O João era um exemplo de alegria. Vamos sentir saudade e nos lembrar dessa pessoa fantástica, amiga e sempre participativa. Que você esteja perto de Deus, olhando para a sua cidade, seus familiares e seus amigos. Vá com Deus, meu amigo!”, disse o presidente carijó.

João Pires tinha quatro filhos, sendo um deles de criação, Américo Ribeiro, o Caju, que também estava no carro na hora do acidente. Ele segue internado no Hospital Santa Tereza, mas não corre risco de morrer. Além de Caju, João Pires deixa os filhos João Carlos, Jean Pierre e Jefferson, e os netos Ruan, Tomaz e Cássia.

A missa de sétimo dia será na próxima segunda-feira, 24, às 19h, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, no Bairu.

FONTE: www.tupijf.com.br