segunda-feira, 2 de maio de 2011

Por que médicos, advogados e pastores dominam a política?

Observando as diversas profissões que integram o currículo dos parlamentares brasileiros, o cientista social Josênio Parente chama a atenção para médicos, advogados e pastores, muito votados, nota ele, pela atuação que têm na sociedade. Uma visão compartilhada com o "personalismo" de que trata o historiador Sérgio Buarque de Holanda, que avalia que as escolhas, no Brasil, podem se dar, muitas vezes, pelo prestígio pessoal.

“Votar em pessoas (não em partidos): essa é a grande falha no nosso sistema de representação. (...) A pessoa faz um trabalho de graça e começa a sentir que ela é uma pessoa boa e isso faz com que as pessoas votem nela", analisa ele, que entende que o trabalho político deve se construir dentro do partido, não com regalias pessoais.

Para o sociólogo Valmir Lopes, profissionais liberais, que têm atuação no contato direto com a resolução de problemas de todos os segmentos da população - como na Medicina e no Direito - podem se construir como políticos a partir de uma vocação clientelista.

Tal postura contribuiria para “montar algum aparelho de assistência”, gerando dependência. "Ao contrário de um candidato de opinião, eleito por suas posições político ideológicas. (...) E, aí, sua profissão, raramente, lhe garante voto", contrapôs Lopes.
Fonte: www.opovo.com.br

Um comentário:

Chicos disse...

Confira:
Chicos.cataletras
Publicação literária de Cataguases - MG
Número 30

http://chicoscataletras.blogspot.com/