sábado, 18 de setembro de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Paulo Rodrigues (Vicente Paulo Rodrigues) nasceu em Ibirité, em 14 de setembro de 1947.

Carreira
Radialista (repórter esportivo e apresentador de programas), iniciou carreira na Rádio Jornal de Minas (hoje Rádio América). De lá, foi para a Rádio Capital de São Paulo, onde participou da cobertura da sua primeira Copa do Mundo, em 1978, na Argentina. 

Belo Horizonte
De volta a capital mineira, trabalhou nas rádios Inconfidência, Capital, Mineira e Itatiaia. Pela Itatiaia, participou da cobertura de três Copas do Mundo: 1982 na Espanha, 1986 no México e 1990 na Itália. Cobriu a copa de 1994 nos Estados Unidos pela Rádio Mineira em parceria com a Jovem Pan.

Paulo Rodrigues morreu em Belo Horizonte, aos 73 anos, em 17 de setembro de 2020.

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Foto histórica

 


Literatura

"De Iguassu à Baixada Fluminense: Histórias de um Território"

Os autores e autoras aqui reunidos (as) travam um desafio: desvendar os caminhos e experiências de homens e mulheres das mais diversas cores, condição social, nacionalidades, crenças e ação política, desde as ocupações dos sesmeiros do vasto território da atual Baixada Fluminense, no século XVII, até os processos de emancipação municipais do século XX.

Baixada Fluminense:

Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Paracambí, Queimados, São João de Meriti e Seropédica.


Notável personalidade

Milagres (Marco Antônio Gonçalves Milagres) nasceu em Juiz de Fora em 23 de abril de 1966.

Carreira
Milagres foi revelado no Flamengo e ocupou a reserva de Zé Carlos (1962/2009) entre 1987 e 1989. 

Clubes
Moto Club, América-MG, Santa Cruz, Atlético-MG, Tupi e Uberaba,

Treinador
Juventus (Minas Novas), América-MG e Patrocinense.
 

Foto histórica

Marco Aurélio (e) e Carlos Ferreira (d)

Estádio municipal Dr Pedro Anísio Maia, em Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha.



Literatura

 "A República Das Milícias: Dos Esquadrões Da Morte À Era Bolsonaro"

O que fazia o policial Fabrício Queiroz antes de se tornar conhecido em todo o país como aliado de primeira hora da família Bolsonaro? E o líder miliciano Adriano da Nóbrega (1977/2020), matador profissional condecorado por Flávio Bolsonaro e morto pela polícia em 2019? E o ex-sargento Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco (1979/2018) e morador do mesmo condomínio do presidente da República na Barra da Tijuca? Os três foram protagonistas de uma forma violenta de gestão de território que tomou corpo nos últimos vinte anos e ganha neste livro um retrato por inteiro: as milícias. Eles são apresentados ao lado de policiais, traficantes, bicheiros, matadores, justiceiros, torturadores, deputados, vereadores, ativistas, militares, líderes comunitários, jornalistas e sobretudo vítimas de uma cena criminal tão revoltante quanto complexa. O livro se constrói a partir de depoimentos de protagonistas dessa batalha. São entrevistas que chocam pela franqueza e riqueza de detalhes, em que assassinatos se sucedem e as ligações entre policiais, o tráfico, o jogo do bicho e o poder público se mostram de forma inequívoca. Num cenário em que o Estado é ausente e as carências se multiplicam, a violência se propaga de forma endêmica, mas deixa no ar a questão: qual a alternativa? A resposta está longe de ser simples. Sobretudo num país de urbanização descontrolada e cultura política permeável ao autoritarismo. Dos esquadrões da morte formados nos anos 1960 ao domínio do tráfico nos anos 1980 e 1990, dos porões da ditadura militar às máfias de caça-níquel, da ascensão do modelo de negócios miliciano ao assassinato de Marielle Franco, este livro joga luz sobre uma face sombria da experiência nacional que passou ao centro do palco com a eleição de Jair Bolsonaro à presidência em 2018. Mistura rara de reportagem de altíssima voltagem com olhar analítico e historiográfico, A república das milícias expõe de forma corajosa e pioneira uma ferida profundamente enraizada na sociedade brasileira.

Notável personalidade

Lair Ribeiro (Lair Geraldo Theodoro Ribeiro) nasceu em Juiz de Fora em de julho de 1945.

Família
Casado com Eliana Ribeiro (desde 1991) e pai de seis filhos: Nurya Ribeiro, Frederico Ribeiro, Talita Ribeiro, Cristine Ribeiro, Davy Ribeiro, Cláudia Ribeiro

Formação
Faculdade de Medicina de Juiz de Fora (1972) e PUC-Rio (1973/1974),

Profissões
Médico cardiologista, nutrólogo, escritor e palestrante.

Professor
Professor de pós-graduação da Uningá-Centro Universitário Ingá, de Maringá-PR.

Livros
Sua bibliografia é composta de 38 livros, sendo 15 deles best-sellers e 26 traduzidos para outros idiomas, com destaques para: 
O Sucesso Não Ocorre Por Acaso (1992)
Aumente sua auto estima (1998).

EUA
Morou durante 17 anos nos Estados Unidos, período em que trabalhou em três universidades americanas: Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University. Nesse período, também exerceu os cargos de diretor-médico na Merck Sharp & Dohme e diretor-executivo, alcançando a vice-presidência, na Ciba Corporation, hoje Novartis.

Atualmente, reside em São Paulo.

Foto histórica

Claudio Temponi (1932/2015) e Marilda Ladeira (in memoriam)
 

Literatura

"A Elite Do Atraso: Da Escravidão A Bolsonaro"  


A elite do atraso se tornou um clássico contemporâneo da sociologia brasileira, um livro fundamental de Jessé Souza, o sociólogo que ousou colocar na berlinda as obras que eram consideradas essenciais para se entender o Brasil. Por meio de uma linguagem fluente, irônica e ousada, Jessé apresenta uma nova visão sobre as causas da desigualdade que marca nosso país e reescreve a história da nossa sociedade. Mas não a do patrimonialismo, nossa suposta herança de corrupção trazida pelos portugueses, tese utilizada tanto à esquerda quanto à direita para explicar o Brasil. Muito menos a do brasileiro cordial, ambíguo e sentimental. No âmago da interpretação de Jessé não está a corrupção política. Para ele, a questão a partir da qual se deve explicar a história passada e atual do Brasil – e de suas classes, portanto – não é outra senão a escravidão. Sob uma perspectiva inédita, ele revela fatos cruciais sobre a vida nacional, demonstrando como funcionam as estruturas ocultas que movem as engrenagens do poder e de que maneira a elite do dinheiro exerce sua força invisível e manipula a sociedade – com o respaldo das narrativas da mídia, do judiciário e de seu combate seletivo à corrupção. 

terça-feira, 7 de setembro de 2021

Notável personalidade

Renato Mattosinhos nasceu em Santo Antônio do Limoeiro, distrito de Rio Novo-MG, atual município de Goianá, em 07 de setembro de 1936.


Família
Filho de José Campos Mattosinhos e Maria José Tibério. Pai do advogado e poeta, Marcos Filgueiras Mattosinhos (in memoriam) e do fisioterapeuta Renato Mattosinhos Filho. 

Formação
Bacharel em Direito (advogado) formado pelo Instituto de Ciências Sociais Vianna Júnior e Comunicação Social (jornalismo) pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Carreira
Advogado, jornalista, poeta, trovador e escritor.

Polícia Militar 
Foi praça e oficial da Polícia Militar de Minas Gerais, tendo servido em Juiz de Fora, Belo Horizonte, Palma, Visconde do Rio Branco e São Sebastião do Paraíso.

Escritor
- Crônicas escolhidas e não escolhidas (1978),
- Encontro 55 (1980),
- Trovadores brasileiros (1984),
- Bolso de Moleque - trovas - (1993),
- Bolso de moleque - poemas - (1995), 
- Nós dois - poemas - (1998),
- Erro judiciário - A história do tenente Mattosinhos (1998),
- História de Goianá - O trem das quatro (2000),
- O Velho Marceneiro - Dados biográficos de José Campos Mattosinhos (2001).

Associações/Instituições das quais é membro
- Academia de Letras de Juiz de Fora,
- Academia de Letras da Manchester Mineira,
- Academia Jurídica de Letras de Juiz de Fora,
- Academia de Poetas e Prosadores de Minas Gerais,
- Associação Cultural Luso-Brasileiro,
- Casa do poeta Belmiro Braga,
- Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora,
- União Brasileira dos Trovadores.

Atualmente, residente em Juiz de Fora, permanece ativo exercendo suas atividades jurídicas.

Foto histórica

Aqui dois inimigos declarados, mas que se respeitavam:  Roberto Pisani Marinho (1904/2003) e Leonel de Moura Brizola (1922/2004).



sexta-feira, 27 de agosto de 2021

Notável personalidade

Édson Ribeiro (Édson Silvério Ribeiro) nasceu em Manhumirim em 27 de agosto de 1960.

Família
Filho de Antônio Silvério Ribeiro, nascido em Pequiá, distrito de Iúna, no estado do Espírito Santo em 11 de dezembro de 1927 e falecido aos 84 anos em Lajinha-MG, em 05 de dezembro de 2012) e Arcília de Freitas Ribeiro, nascida em Caratinga em 16 de outubro de 1932 e falecida em Lajinha-MG, aos 65 anos, em 23 de abril de 1998. Quarto filho de uma família de 11 irmãos: Heloíza Helena, Eugênio Fernandes, Maria das Graças, Ernandes, Orlando Sobrinho, Luiz Carlos, Maria Aparecida, Neide Maria, Lúcia Helena e José Antônio.

Carreira
Radialista (locutor) iniciou carreira na Rádio Manhumirim.

Outras emissoras
Trabalhou nas rádios Manhuaçu, Muriaé, Visão (Ponte Nova), Serra Azul (Santos Dumont), Capital e Nova Cidade e JF AM  (Juiz de Fora).

Atualmente, residente em Juiz de Fora, Édson Ribeiro é o gestor da Rádio Namorada FM

Foto histórica

Um amigo que deixou saudades

Miguel Priamo Carbogim nasceu em Juiz de Fora em 15 de agosto de 1942

Família
Filho de Arthur* Carbogim e Maria Luíza Priamo Carbogim,  e segundo filho de uma prole de dez: Clara Francisca (primogênita), os gêmeos Gabriel e Rafael e Arthur Francisco e Geraldo Thomás, Rosa Maria (19??/2021), José Eugênio, Joaquim e Maria Aparecida. Casado com Maria Aparecida Quaquio Carbogim e pai de dois filhos: Adriana e Fabiano.
*O casal Arthur/Maria Luíza criou por adoção mais três filhos: Renato, Conceição e Lucia.

Fábrica da Floresta
Trabalhou na S.A. Fábrica de Tecidos São João Evangelista (indústria fundada em 1911) por 45 anos, de 27 de fevereiro de 1957 a 01 de dezembro de 2003.

Comerciante
Foi proprietário da Mercearia Frycote.

Miguel Carbogim morreu em Juiz de Fora aos 68 anos em 26 de agosto de  2010, sendo seu corpo sepultado no túmulo da família Priamo/Carbogim, no cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida, em 27/08.

Obs:  Carbogim/n é originário do italiano Carbognin.

Foto histórica

domingo, 22 de agosto de 2021

Um amigo que deixou saudades

Sebastião Luiz Gonçalves de Paula, o  Tião,  nasceu em Juiz de Fora em 22 de agosto de 1952.

Família
Filho de José Jacinto de Paula (natural de Lima Duarte) e Neuza Gonçalves de Paula (natural de Itamarati de Minas, região de Cataguases). Pai de três filhos: Luana, residente em Várzea Grande-MT,  Vinícius, residente em Brasnorte-MT e Rafael, residente em Santos Dumont e avô de dois netos: Guilherme e Vítor.

Formação
Formado no CUT da Universidade Federal de Juiz de Fora, na Universidade Regional do Rio Grande do Norte. Trabalhou em São Paulo, na Bahia, em Pernambuco, no Rio Grande do Norte e no Mato Grosso.

Santos Dumont
Ao se aposentar, escolheu Santos Dumont para viver.

Futebol/rádio
Torcedor do Tupi, simpatizante dos clubes da região e ouvintes da rádio.

Tião morreu em Santos Dumont, aos 68 anos, em 17 de julho de 2021, sendo seu corpo cremado no crematório de Matias Barbosa em 18/07.

Cinzas
De acordo com sua vontade, que foi integralmente atendida pelo seu filho Rafael, as cinzas foram divididas em em três partes e espalhas no campo do Tupi (estádio Sales Oliveira, no bairro de Santa Terezinha), na cidade de Itamarati de Minas (terra natal de sua mãe) e no mar de Salvador, a capital baiana que ele tanto gostava.

sábado, 21 de agosto de 2021

Um amigo que nos deixou precocemente

Alírio Júnior (Alírio Mello do Carmo Júnior) nasceu em Guarani, em 21 de agosto de 1980. 

Família
Filho de Alírio Mello do Carmo e Jozânia Moratório do Carmo e pai da Nycole Baesso Mello do Carmo.
 
Carreira
Atleta Iniciou carreira na base do Tupi, no profissional, foi campeão mineiro do módulo dois em 2001, marcando, de falta, um dos gols do Tupi (o segundo gol) na vitória por 3 x 1, sobre o América de Alfenas e foi vice campeão mineiro do módulo dois em 2001.

Alírio Júnior morreu em Juiz de Fora, aos 39 anos, em 01º de julho de 2020.

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Literatura

"Adil, craque na bola, craque na vida: uma história de superação e conquistas"

Escrito por Nei Medina, o livro conta a trajetória de Adil, ex-meia-esquerda, que fez sucesso no futebol. Adil Pimenta de Souza Júnior, nasceu em São João Nepomuceno em 23 de julho de 1965, filho do dentista Adil Pimenta de Souza (falecido em 2009) e de Lídia Maria Pereira de Souza. e que iniciou carreira no Botafogo (São João Nepomuceno), e encerrou em 2000 no Tupi (Juiz de Fora), atuou em 28 clubes e fez 32 contratos. 

Clubes 
América-RJ, Cruzeiro, Tupi (Juiz de Fora), Ferroviária (Araraquara), Portuguesa de Desportos, Bahia, Corinthians, Grêmio, Bragantino, Araçatuba, Guarani (Campinas), Coritiba, Botafogo (Ribeirão Preto), Criciúma, São José (São José dos Campos), Juventus (São Paulo), Desportiva (Espírito Santo), Santo André, Inter de Limeira-SP, Figueirense-SC, Sport Recife e América de Natal.

O autor 
Nei Medina de Oliveira nasceu em São João Nepomuceno em 27 de março de 1964. Contador, formado na Faculdade Machado Sobrinho (Juiz de Fora), jornalista, escritor, ex-vereador, é editor do blog www.neimedina.blogspot.com e está escrevendo o livro "Da Roça Grande...", sobre o ex-lateral Marco Aurélio Ayupe..

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Adelchi Ziller (Adelchi Leonelo Ziller) nasceu em Cataguases em 18 de agosto de 1918. 

Carreira 
Contador diplomado em 1941 e jornalista registrado em 1952, foi de 1937 a 1966, funcionário dos Diários Associados de Belo Horizonte e de 1941 a 1945, chefe de gabinete do prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubsticheck de Oliveirta (1902/1976). No dia 22 de setembro de 1959, Adelchi Ziller assumiu as funções de diretor da Rádio Nacional de Brasília, em substituição a Edmo do Valle. A Rádio Nacional foi inaugurada em 31 de maio de 1958, pelo então presidente Juscelino Kubitschek, se tornando a primeira emissora de rádio da capital federal, fundada antes mesmo da cidade. 

Trabalhou no rádio de Belo Horizonte, Sete Lagoas, Divinópolis e Lavras.  

 Escritor 
Atlético de todos os tempos, 
Deve ou não o moço cristão ir à Guerra, 
A marcha contra o golpe. 

Adelchi Ziller morreu em Belo Horizonte, aos 85 anos, em 26 de janeiro de 2004, vítima de pneumonia e infecção renal. Seu corpo foi cremado com honras de atleticano, vestido com camisa e agasalho oficiais do clube.

terça-feira, 17 de agosto de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Gilberto Lima nasceu em Varginha, no Sul de Minas, em 23 de dezembro de 1942.
Família 
Foi casado com a cantora e atriz Bárbara Martins (Dirce Carneiro Xavier Martins - nascida no Rio de Janeiro em 21 de abril de 1932), pai do radialista e advogado Maurício Thadeu Carneiro Lima, o DJ Saddam. 

Carreira 
Radialista (locutor), iniciou a carreira na Sociedade Rádio Clube de Varginha no programa infantil chamado "Petizada Alegre" que também revelou outro talento bastante conhecido, o cantor Sílvio Brito (nascido em Três Pontas em ). Além da apresentação do programa ele fazia locução de vários comerciais dos patrocinadores: Palácio do Lar, Café Dubom, Pastifício Santa Maria e Macarrão Cristal. 

Cantor 
Gravou um compacto com duas faixas em 1976 pela gravadora Continental mas desistiu da carreira de cantor. As duas músicas são "Dê-me Um Beijo" e "Você é Demaisss". Sílvio Santos Trabalhou com Sílvio Santos na Rádio Nacional. 

Fantástico 
Em 1977, tornou-se narrador do programa de TV "Fantástico", da Rede Globo. São Paulo Trabalhou na Rádio Piratininga. Foi para São Paulo contratado pela Rádio Globo do Rio de Janeiro em 15/11/1978 para cobrir férias dos comunicadores, até que conseguiu o seu próprio programa. 

Gilberto Lima morreu no Rio de Janeiro, aos 40 anos, em 17 de agosto de 1983. 

 Obs: É nome de rua na Vila Paiva, em Varginha.

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Notável personalidade da comunicação

Wander Santos (Dilson Francisco) nasceu em Viçosa-MG, Zona da Mata, em 16 de agosto de 1950. 

Família 
Filho de Francisco Lopes dos Santos e Alcinéia Vieira de Andrade Santos (ambos falecidos), casado com a jornalista, administradora e contabilista Dalizete da Penha Peixoto Santos, pai de três filhos: o engenheiro geólogo Kliver Peixoto Santos, Klinter Peixoto Santos, graduando em engenharia elétrica na UFJF e Klinger Peixoto Santos, também universitário da UFJF e avô de um neto: Luan Virgílio Peixoto. É tio da jornalista Vanessa Peixoto, formada na Universidade Federal de Juiz de Fora.
Formação  
Radialista, jornalista, pós-graduado em comunicação e marketing, graduado em administração de empresas e ciências contábeis. 

Carreira
Iniciou carreira em 1968, na Sociedade Rádio Montanhesa de Viçosa e no Jornal Folha de Viçosa. Atuou na imprensa viçosense e região, tendo participado de várias transmissões esportivas na Sociedade Rádio Ponte Nova, cobrindo Campeonato Regional. Em Viçosa, teve uma atuação brilhante e inesquecível nos anos 70, quando promoveu durante seis anos, o Concurso Garota Piscina, e foi líder de audiência absoluta no programa de rádio que mexia com a cidade e região, a “Comunicação W.S.”.  Em 1977 foi para Belo Horizonte onde trabalhou na Rádio Inconfidência e depois na Jornal de Minas/Itatiaia, com Acyr Antão. No final de 1977 voltou para Viçosa e para a rádio Montanhesa onde ficou até dezembro de 1980. 

Vale do Aço 
No final de 1980, se transferiu para a Rádio Educadora de Coronel Fabriciano, no Vale do Aço. Depois de seis anos se transferiu para Rádio Vanguarda, de Ipatinga, onde permaneceu até julho de 1997, quando voltou para Rádio Educadora. Trabalhou também na Assessoria de Comunicação da PUC Vale do Aço, de 1987 a 1991. Foi Assessor de Marketing do Banco Popular de Ipatinga. Trabalhou na TV Cultura de Ipatinga, Rádio Itatiaia Vale do Aço (Timóteo) e InterTV/afiliada Rede Globo.  

ClassiVale 
Em 1985 fundou ao lado da esposa Dalizete Peixoto, o semanário Jornal ClassiVale, na Região Metropolitana do Vale do Aço, que em março deste ano de 2021 completou 36 anos de circulação ininterrupta. 

sábado, 14 de agosto de 2021

Foto histórica

Av. Rio Branco, uma das maiores do Brasil em linha reta, na região central de Juiz de Fora. A direita o Forum Benjamin Colucci, o Parque Halfeld (marco zero da cidade) e a antiga sede da prefeitura. A direita percebe-se o "mister lanches" na esquina com a rua Mister Moore. Mister Moore (Walter Harvery Moore) nasceu em Foster, Kentucky/EUA, em 18 de outubro de 1886.  Fez os primeiros estudos na cidade de Richmond e bacharelou-se em ciências e letras no Wesleyan College, de Winchester, Kentucky e em zoologia na Universidade de Emory, Atlanta, Geórgia. Mais tarde recebeu o grau de Doutor em Divindade.
Brasil Em 1919 veio para o Brasil lecionar história no Granbery, em Juiz de Fora. Entre 1922 e 1925 Reitor do Granbery. Voltou a assumir a Reitoria entre 1930 a 1943.

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Um nome que fez história na comunicação

Moacyr Bastos (Moacyr Dias Bastos) nasceu em Cardoso Moreira*, no Norte Fluminense, em 17 de fevereiro de 1937.
Família 
Filho de Antonio Dias Bastos e Maura Maria da Conceição, casado com Mariza Bastos e pai de três filhos: Viviane Bastos (filha mais velha), Dilene Bastos (filha do médio) e Glaudson Bastos (filho mais novo), todos moradores de Laranjeiras no Rio de Janeiro. 

Espírito Santo 
Ainda adolescente mudou-se com a família para Colatina, no estado do Espírito Santo. Carreira Radialista, compositor, cantor, músico, publicitário e ator, iniciou carreira na Rádio Difusora de Colatina aos 17 anos.  

Rio de Janeiro
Por incentivo do diretor da emissora, sr. Geraldo Pereira, mudou-se para o Rio de Janeiro aos 19 anos, onde trabalhou na Rádio Rio de Janeiro. Depois foi para a Rádio Roquete Pinto e em seguida para a Rádio Globo, onde ficou de 1969 a 1978.  

Compositor/cantor 
Teve suas músicas gravadas por grandes cantores:  Altemar Dutra* (1940/1983), Claudia Barroso (1932/2015), Teixeirinha (1927/1985), Adilson Ramos, Pereirinha, Manhoso, Trio Esperança, Golden Boys, e cantou com Alípio Miranda, o Pato Preto (mineiro de Juiz de Fora), Trio Esperança, Golden Boys, dentre outros. 

Rádio Globo 
Comandou diversos programas  na emissora, com destaques para: Show Legal do Moacyr Bastos, Show da Cidade e Sertão Carioca (seu programa de maior audiência). Na rádio trabalhou com grandes nomes como: Haroldo de Andrade (1934/2008), Waldir Vieira (1944/1985), Paulo Barboza (1944/2018), dentre outros e gravou e vendeu mais de 100 mil cópias da música “Sina que Deus me deu” em 1963 de autoria de Adilson Ramos. Hino Compôs e gravou o Hino Oficial da Mocidade Presbiteriana do Brasil em 1969, quando era Diácono na Igreja Presbiteriana no Rio de Janeiro. 

Ator
Como ator, fez participações em várias novelas da TV Globo como: 
FOGO SOBRE TERRA, JERÔNIMO, SELVA DE PEDRA, O BEM AMADO, UMA ROSA COM AMOR, O SEMIDEUS, SUPERMANUELA, IRMÃOS CORAGEM, CARINHOSO e HERÓI DO SERTÃO (na TV Tupi). 

Faculdade 
Fez Faculdade de Comunicação na Universidade Estácio de Sá no Rio de Janeiro, mas não se formou (pois faleceu naquele ano) e foi homenageado pela turma. 

Moacyr Bastos morreu aos 41 anos, quando estava numa Colônia de Férias em Miguel Pereira com a família, em março de 1978, sendo seu corpo sepultado no cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio. 

Minuto de silêncio 
Houve um jogo no Maracanã, transmitido pela TV Globo, com a narração do Luciano do Valle (1947/2014) e respeitado 01 minuto de silêncio, quando da época do falecimento precoce do Moacyr Bastos.  

Logradouro público  
Por iniciativa do então vereador Rivadávia Maya, o prefeito Roberto Saturnino Braga, sancionou em 27 de maio de 1986, o projeto de lei que denomina de rua Radialista Moacyr Bastos a um logradouro público no bairro de Inhoaíba, na região de Santa Cruz, na cidade do Rio de Janeiro.

*Cardoso Moreira em 1937 era distrito de Campos dos Goytacazes, da qual se emancipou em 30 de novembro de 1989. 
*Altemar Dutra nasceu em 06 de outubro de 1940 em Aimorés, no Vale do Rio Doce, que na época pertencia ao Espírito Santo (Aimorés passou a pertencer ao estado de Minas Gerais em 1963). Após mudar-se com a família para Colatina, Altemar foi trabalhar como operador de som na Rádio Difusora e, a partir dali, firmou uma sólida relação de amizade com o jovem locutor Moacyr Bastos. 

CONSIDERAÇÕES: 
Paulo Moreno aos 49 anos em 1977, Moacyr Bastos aos 41 em 1978, Gilberto Lima, aos 40 em 1983 e Waldir Vieira, aos 40, em 1985, fazem parte do rol de grandes comunicadores da antiga Rádio Globo que, no ápice da carreira, morreram com menos de 50 anos de idade. 

Um nome que marcou época na comunicação

Ronaldo Mineiro (Ronaldo Gonçalves Ozório), nasceu em Juiz de Fora em 20 de janeiro de 1947. 
Família 
Filho de Moacir Ozório* (in memoriam) e Aby Gonçalves Mendes* (1921/1981), e irmão de Rita de Cássia Alves Ferreira, e do ex-treinador de Futebol, Fenando Luiz Zuchi Ozório (Nando Ozório). Foi casado com Adriana Nascimento e desse casamento nasceu sua única filha, Ana Paula Gonçalves Ozório.

Poliomielite 
Teve paralisia infantil (poliomielite) aos três anos de idade, perdendo os movimentos das pernas.

Estudos 
Na adolescência estudou música e aprendeu a tocar violão e cavaquinho. Estudou no Colégio Vianna Júnior, onde se formou em Técnico de Contabilidade. 

Comunicação e samba 
Radialista e sambista, trabalhou nas rádios Nova Cidade e JF AM e era ligado á escola de samba Real Grandeza, tradicional escola da avenida Sete, da qual era vizinho. Foi puxador de samba da Real Grandeza, e também da Feliz Lembrança, antes do "Felizão" ser transferido para Barbosa Lage, e ceder espaço para construir o viaduto Augusto Franco. Foi enredo da escola de samba Império do Mundo Novo.  

Ronaldo Mineiro morreu em Juiz de Fora, aos 68 anos, em 01º de agosto de 2015. 

 *Moacir Ozório foi zagueiro do Tupi, com o apelido de "Pescoço". 

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Foto histórica

Time do Cruzeiro do bairro Córrego do Ouro, em Santos Dumont-MG.
Em pé: Da esquerda para a direita: Daíse (rainha do time), Tizeca, Bolão, Branca (in memoriam), Tiabela e Tirone, Agachados: Ticolega, Marcinho, Ticoca, Galego, Boró e Elson. Crianças: Jean, Maurinho, Zé do Boró, Dedé do Boró e Jhonatas (filho do Tirone).

quinta-feira, 29 de julho de 2021

Notável personsodade da música

Noite Ilustrada (Mário de Souza Marques Filho) nasceu em Pirapetinga (na época distrito de Além Paraíba), em 10 de abril de 1928.
Família Filho de Mário de Souza Marques e Alexandrina Maria da Conceição. Pirapetinga/Além Paraíba Na infância pobre em Pirapetinga, morou com a avó materna, Quirina Maria da Conceição, no bairro Buraco Quente, posteriormente, se mudou para o morro da Conceição, em Além Paraíba.  Carreira Cantor, compositor e violonista, iniciou sua carreira como violonista em um "show" apresentado por Zé Trindade na cidade de Além Paraíba. Noite Ilustrada Na noite de estréia, na cidade de Leopoldina, o comediante Zé Trindade (Milton da Silva Bittencourt, nascido em Salvador-BA, em 18 de abril de 1915 e falecido no Rio de Janeiro, aos 75 anos, em 01º de maio de 1990)) esqueceu seu nome na hora da apresentação e, pondo a mão no bolso, encontrou um exemplar da revista "Noite Ilustrada". Na mesma hora decidiu apresentá-lo: "E agora com vocês a grande revelação...Noite Ilustrada". Rio/São Paulo/Recife/Atibaia Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde ingressou na GRES Portela. Em 1955 foi com a escola se apresentar em São Paulo e lá se estabeleceu. Em 1958, contratado pela Rádio Nacional e pela TV Paulista, gravou o primeiro disco, com a música Cara de Boboca. Entre os anos de 1984 e 1994, fixou residência na cidade de Recife em Pernambuco.  Noite Ilustrada morreu em Atibaia-SP, aos 75 anos, em 28 de julho de 2003.  E ele era de Pirapetinga, terra de Cláudia Barroso (1932/2015). vizinha a Volta Grande, terra do cineasta Humberto Mauro (1897/1983).Fonte:

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Giovane Gávio - Um juizforano medalhista olímpico

Giovane Gávio (Giovane Farinazzo Gávio), nasceu em Juiz de Fora em 07 de setembro de 1970.  
Família Filho de João Gávio (in memoriam) e Lecy Farinazzo Gávio (falecida aos 73 anos em 18/05/2013), irmão das ex-atletas do volei, Gisele e Josiane Gávioe pai de quatro filhos: Gian, Giulia, Filipe e Tiago.. Carreira Começou no esporte aos doze anos de idade no clube Bom Pastor, em Juiz de Fora. ClubesEsporte Clube Banespa, Charro/Padova (Itália), Messaggero/Ravenna (Itália), Palmeiras, Chapecó (SC), Report/Suzano (SP), Vasco da Gama, Noicom Brebanca Cuneo (Itália), Minas Tênis Clube, Unisul/Cimed e São Paulo. Seleção Participou de mais de 400 partidas pela seleção brasileira em trinta campeonatos. Olimpíadas Medalha de Ouro em Barcelona em 1992. Medalha de Ouro em Atenas em 2004. Disputou 31 partidas em Jogos Olímpicos. Atualmente é treinador do SESC/RJ.

terça-feira, 27 de julho de 2021

Márcia Fu - Uma juizforana medalhista olímpica

Márcia Fu (Márcia Regina Cunha) nasceu em Juiz de Fora em 26 de julho de 1969.
Família Filha do Tenente do Exército, Cunha (in memoriam) e irmã do coronel médico, Jorge Maciel Cunha. Atleta de volei Iniciou a carreira aos 12 anos No Sport Club (Juiz de Fora), e depois integrou a equipe do Minas Tênis Clube (Belo Horizonte), Clubes Além do Sport e do Minas, atuou no Sadia (São Paulo), L’ Acqua di Fiori/Minas, BCN/Guarujá, Rioforte, Tensor/Pinheiros – UNG – BCN/Osasco, Macaé Sports, Ankara Vakıfbank/Turquia, Vasco da Gama. Títulos Principais Campeã Sul-Americana Infantojuvenil – Bicampeã Mundial Juvenil – Vice-Campeã Sul-Americana Juvenil – Bicampeã Carioca – Campeã Sul-Americana – Vice-Campeã Mundial – Tricampeã Paulista – Campeã do Torneio de Bremen – Campeã da BCV Cup – Campeã do Grand Prix/Ásia – Medalha de Bronze em Atlanta – Tricampeã da Liga Nacional Brasileira – Tricampeã Sul-Americana de Clubes – Vice-Campeã dos Jogos Pan-Americanos – Vice-Campeã da Liga Nacional Brasileira – Campeã Mundial de Clubes – Vice-Campeã da Copa do Mundo – Vice-Campeã do Grand Prix/Ásia – Vice-Campeã Pan-Americana – Bi-Vice-Campeã Sul-Americana  – Bicampeã do Montreux Volley Masters – Bi-Vice-Campeã do Montreux Volley Masters – Vice-Campeã da Copa Turca – Vice-Campeã da Liga Turca – Vice-Campeã da Superliga   Seleção BrasileiraInfantojuvenil – Juvenil – Adulta. Jogos Olímpicos de Verão   1988 - 06º lugar na Olimpíada de Seul, na Coreia do Sul. 1992 - 04º lugar na Olimpíada de Barcelona, na Espanha. 1996 - 03° lugar na Olimpíada de Atlanta, nos Estados Unidos. Atualmente, fora das quadras, Márcia Fu vive em Juiz de Fora

domingo, 25 de julho de 2021

Cafuringa

Cafuringa (Moacir Fernandes) nasceu em Juiz de Fora em 10 de novembro de 1948.
Carreira Ponta-direita, iniciou sua carreira em 1965, aos 16 anos, no Botafogo. Clubes Bangu, Fluminense* (1969/1975 e 1978/1979), Atlético-MG* (1976/1977), Grêmio Maringá (1977/1978), Caldense (1979) e Deportivo Táchira (Venezuela). Fluminense Nas duas passagens pelo clube, realizou 336 jogos, com 177 vitórias, 77 empates e 82 derrotas, tendo feito 26 gols. Atuou ao lado de Félix (1937/2012), Toninho Baiano (1948/1999), Mário Sérgio (1950/2016), Marco Antonio, Zé Mário, Gil e Rivelino, Atlético-MG Fez 46 jogos pelo clube e marcou 04 gols. No time mineiro, atuou ao lado de Toninho Cerezo, Paulo Isidoro, Marcelo Ramos e Reinaldo Títulos Carioca de 1969, 1971, 1973 e 1975, Taça Guanabara de 1969, 1971 e 1975, Brasileiro de 1970 e Torneio Internacional de Verão do Rio de Janeiro em 1973. Campeão mineiro de 1976 pelo Atlético. Cafuringa morreu no Rio de Janeiro. aos 42 anos, em 25 de junho de 1991, vítima septicemia (infecção generalizada) Obs: - Seu filho, o mestre de jiu-jitsu Rodrigo Cafu, de 43 anos, foi assassinado com 14 tiros no bairro do Andaraí, zona norte do Rio de Janeiro, em 08 de março de 2019. Esse era segurança do grupo musical "Sorriso Maroto". - O ex-lateral Cafu (Marcos Evangelista de Morais, nascido em 1970) afirma que recebeu esse apelido numa alusão a ele. - Na música Indignação do Grupo Skank ele é citado:"Cafuringa, Natal e Jairzinho lá na ponta indignados" Cafuringa era irmão do zagueiro Chiquinho Pastor (1946/2010), que chegou à Seleção Brasileira (em 1973, foi convocado por Zagallo e atuou em duas partidas contra Bolívia e Argélia). - Francisco Jesus Fernandes, nascido em Juiz de Fora, iniciou na base do Tupynambás, tentou sorte no Cruzeiro, se transferiu para o Botafogo e depois jogou no Flamengo e Grêmio.  

sábado, 24 de julho de 2021

Juarez Soares (Juarez Soares Moreira) nasceu em São José dos Campos, no Vale do Paraíba Paulista em 16 de julho de 1941.
Família Filho de Adolfo Soares Moreira e Josefina Soares Moreira, irmão do publicitário Edgard Soares, foi casado com por mais de 30 anos com a jornalista Helena de Grammont, irmã da cantora Eliane de Grammont (1955/1981). Formação Formou-se em Pedagogia na Faculdade Oswaldo Cruz, de São Paulo,   Carreira Em 1958, com 17 anos, começou a trabalhar na Rádio Cultura de Lorena, interior de São Paulo, transmitindo os jogos do campeonato da Segunda Divisão. Em 1961, transferiu-se para a capital paulista e foi trabalhar na Rádio Tupi, AM 1040, dos Diários Associados. Outras emissoras de rádio Rádios Globo, Record, Gazeta, Capital e Transamérica. Copas do mundo Alemanha em 1974 (Rádio Globo), Argentina em 1978 e Espanha em 1982 (TV Globo), México em 1986, Itália em 1990 e Estados Unidos em 1994 (TV Bandeirantes) e 1998 na França (SBT). Olimpíadas Montreal, no Canadá em 1976 (TV Globo). Militância política Foi segundo-secretário do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo durante a presidência de Gabriel Romeiro, também,  secretário de Esportes da caital durante a gestão de Luíza Erundina e vereador de São Paulo. Em 2004 foi candidato a vice-prefeito de São Paulo na chapa de Paulo Pereira da Silva. Juarez Soares morreu em São Paulo, aos 78 anos, em 23 de julho de 2019, vítima de câncer de bexiga e intestino. O corpo do jornalista foi velado e sepultado no Cemitério da Consolação, região central da capital paulista.

quinta-feira, 22 de julho de 2021

NEQUINHA e o "gol do fantástico"

Campeonato Mineiro
Tupi 2 x 1 AtléticoData: 22/07/1984Local: Estádio Salles Oliveira (Juiz de Fora)Público: 8.473 torcedores.Arbitragem: Maurílio José SantiagoTupi: Gilberto, Evaldo, Ricardo Estrade, Júlio Maravilha e Simão, Isidoro, Manoel e Paulinho, Paulo Lino (Nequinha), Félix e Ronaldo (Paulo Sérgio).  Técnico: Augusto ClementeAtlético: João Leite, Nelinho, Marinho, Luisinho e Miranda, Vitor, Heleno e Reinaldo (Everton), Catatau (Elzo), Roberto Biônico e Éder Aleixo. Técnico: Procópio CardosoGols: Roberto Biônico  aos 05’do 01º t parao Atlético e Nequinha 21’ e 36’ do 02º t para o Tupi. Nequinha (Edson de Assis) nasceu em Lima Duarte em 06 de maio de 1961.
Carreira/atleta Atacante, iniciou na base do Atlético-MG,posteriormente, jogou no Tupi (Juiz de Fora), Atlético (Alagoinhas-BA), Esportivo (Passos-MG), Democrata (Governador Valadares), Araxá, América (Morrinhos-GO), Patrocinense (Patrocínio-MG), Democrata (Sete Lagoas-MG), Valeriodoce (Itabira), Guarani (Divinópolis) URT (Patos de Minas), Social (Coronel Fabriciano) Vitória-ES e em 1997, encerrou a carreira no Tupi. Atletas e treinadores Ao longo da carreira, atuou com Paulo Isidoro (ex-Atlético-MG), João Carlos (ex-Corinthians), Tonhão (ex-Palmeiras), Daniel (ex-Palmeiras), Serginho Capixaba (ex-São Caetano, que morreu no jogo contra o São Paulo). Foi dirigido por Rui Guimarães, Jair Bala, Darcy Menezes, Vantuir Galdino, Henrique Passos, Paulo Leão, Morais. Atualmente Nequinha vive com a família em Lima Duarte.

quarta-feira, 21 de julho de 2021

Foto histórica

Da esquerda para a direita: Dirceu Costa Ferreira (1937/2020) , Dirceu de Carvalho Buzinari (1937/2006), Márcio Augusto de Oliveira (1945/2012) e Maurício Menezes.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Áureo Fortuna (Áureo Carneiro Fortuna) nasceu em Juiz de Fora em 18 de julho de 1955 Família Neto do ex-presidente carijó Áureo Gomes Carneiro*, FILHO DE Nadir Pinto Fortuna e Louise Carneiro Fortuna, irmão do advogado Ricardo Carneiro Fortuna, da nutricionista Myrian Fortuna Freguglia, Dayse, Lylian e Marcelo, e pai do advogado Felipe Fortuna e do Thiago e avô de dois netos: Gabriel e Alice (ambos filhos do Felipe). Carreira Advogado formado na Faculdade Vianna Júnior, turma de 1985. Tupi Aurinho presidiu o Tupi em dois mandatos, de 2008 a 2013, seu avô, Áureo Gomes Carneiro presidiu o Tupi nos biênios 1943/1944 e 1949/1950, e sua irmã a nutricionista, Myrian Fortuna Freguglia sucedeu o ex-dirigente na presidência, nos triênios de 2014/2016 e 2017/2019.  Conquistas Sob sua gestão o Tupi conquistou a Taça Minas em 2008 e o Campeonato Brasileiro da Série D, em 2011. Áureo Fortuna
morreu no hospital Sírio e Libanês, em São Paulo, em 25 de junho de 2021. Seu corpo foi velado no cemitério Parque da Saudade, em Juiz de Fora, e cremado, no crematório de Matias Barbosa em 26/06. Obs: *Áureo Gomes Carneiro é nome de praça, no bairro Grama, região nordeste de Juiz de Fora. CONSIDERAÇÕES: Foi um amigo que o mundo esportivo me deu. Sempre atencioso e solícito e um bom papo, principalmente nos lançamentos de livros, para os quais, combinávamos nos encontrar. Nos jogos do Tupi, acompanhava nas arquibancadas e no meio do povo.

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Randall de Oliveira nasceu em em Juiz de Fora, em 10 de junho de 1931.
Família 
Filho de Sebastião Alves de Oliveira (nascido 27/02/1901 e falecido aos 86 anos, em 14/04/1987) e Odette Baptista de Oliveira (nascida em 15/10/1908 e falecida aos 99 anos, em 25/06/2008, irmão de Ronaldo de Oliveira (cirurgião-dentista), Rolnei de Oliveira (coronel aviador) e Onira de Oliveira Andrade (artesã). Foi casado com a radio-atriz Vilca Moreira de Oliveira (falecida em janeiro de 2020), pai de Randall de Oliveira Júnior (in memoriam) e Ronald de Oliveira (in memoriam) e avô de quatro netos: Rafael e Ana Paula (filhos do Randall Júnior) e Ricardo e Michele (filhos do Ronald). 

Formação  
Formado em odontologia pela antiga Faculdade de Farmácia e Odontologia de Juiz de Fora. Carreira Radialista (locutor e comentarista esportivo), pianista e cirurgião-dentista, trabalhou nas rádios PRB-3 e Capital.

Randall de Oliveira morreu em Juiz de Fora, aos 60 anos, em 14 de julho de 1991. 

 Obs: É nome de rua no Parque Guadalajara, na região do bairro Aeroporto. 

CONSIDERAÇÕES: 
O conheci na condição de comentarista esportivo na Rádio Capital de Juiz de Fora e tive o privilégio de trabalhar com ele. Foi um dos comentaristas no Fla-Flu de despedida do Zico em dezembro de 1989. Era amigo e gentil com os iniciantes na carreira radiofônica.

terça-feira, 13 de julho de 2021

Foto histórica

Formiga (José Maria do Carmo) nasceu em Juiz de Fora em 09 de maio de 1960. Clubes Tupi de Juiz de Fora(1980/1982), Atlético-MG (1983/1984),América de São José do Rio Preto (1984), Santos (1985), Goiás (1986/1987, 1989 e 1991/1996), Guarani de Campinas (1989), Inter de Limeira (1990), Gama (1990), Vila Nova-GO (1990), Remo 1992 e Ceará (1993). Mamão (Luiz Carlos Mota Ferreira) nasceu em Cataguases em 13de fevereiro de 1964. Clubes Com atuações no Vasco da Gama (primeiro clube), Goytacaz e Americano (Campos), Tupi e Sport (Juiz de Fora), Cabofriense, Figueirense-SC, Sul América-AM, Anapolina-GO,  Nacional de Ilha da Madeira (Portugal), Clube Oriental (Portugal), Futebol Equatoriano e no pós-carreira profissional, Portuense (Astolfo Dutra) e Cruzeiro (Guidoval).Luiz Carlos Mamão morreu em Muriaé, aos 57 anos, em 02 de julho de 2021.

segunda-feira, 12 de julho de 2021

Foto histórica

1981 - Cruzeiro 3 x 1 Uberaba Uberaba Sport Club E pé, da esquerda para a direita: Celso Roberto, Diron, Alexandre Pimenta, Rafael, Carmelito e Celso Sá. Agachados: Ilton, Binga, Toinzinho, Donizete Cabeça e Joãozinho Maradona.

Foto histórica

Sílvio Moreira Filho (Bid), Júlio Zancanello (Batiapaia), Beligolli (Zico) e Francisco Carlos Perantoni (Pico).

Foto histórica

Tupi 1966: Em pé da esquerda para a direita: Manoel, Walter, Waldir, Mauro, Murilo e Dário. Agachados: João Pires, Moacyr Toledo, Vicente, França e Eurico. Técnico:Geraldo Magela Tavares (1927/2015).

Foto histórica

Técnico Nei Franco sendo entrevistado pelo repórter Wander Santos, no estádio Ipatingão.

terça-feira, 6 de julho de 2021

A Velha Contrabandista Diz que era uma velhinha que sabia andar de lambreta. Todo dia ela passava pela fronteira montada na lambreta, com um bruto saco atrás da lambreta. O pessoal da Alfândega - tudo malandro velho - começou a desconfiar da velhinha. Um dia, quando ela vinha na lambreta com o saco atrás, o fiscal da Alfândega mandou ela parar. A velhinha parou e então o fiscal perguntou assim pra ela: - Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse saco aí atrás. Que diabo a senhora leva nesse saco? A velhinha sorriu com os poucos dentes que lhe restavam e mais outros, que ela adquirira no odontólogo, e respondeu: - É areia! Aí quem sorriu foi o fiscal. Achou que não era areia nenhuma e mandou a velhinha saltar da lambreta para examinar o saco. A velhinha saltou, o fiscal esvaziou o saco e dentro só tinha areia. Muito encabulado, ordenou à velhinha que fosse em frente. Ela montou na lambreta e foi embora, com o saco de areia atrás. Mas o fiscal desconfiado ainda. Talvez a velhinha passasse um dia com areia e no outro com muamba, dentro daquele maldito saco. No dia seguinte, quando ela passou na lambreta com o saco atrás, o fiscal mandou parar outra vez. Perguntou o que é que ela levava no saco e ela respondeu que era areia, uai! O fiscal examinou e era mesmo. Durante um mês seguido o fiscal interceptou a velhinha e, todas às vezes, o que ela levava no saco era areia. Diz que foi aí que o fiscal se chateou: - Olha, vovozinha, eu sou fiscal de alfândega com 40 anos de serviço. Manjo essa coisa de contrabando pra burro. Ninguém me tira da cabeça que a senhora é contrabandista. - Mas no saco só tem areia! – insistiu a velhinha. E já ia tocar a lambreta, quando o fiscal propôs: - Eu prometo à senhora que deixo a senhora passar. Não dou parte, não apreendo, não conto nada a ninguém, mas a senhora vai me dizer: qual é o contrabando que a senhora está passando por aqui todos os dias? - O senhor promete que não “espáia”? - quis saber a velhinha. - Juro - respondeu o fiscal. - É lambreta. Stanislaw Ponte Preta

O idioma...

HOJE É DOMINGO, PÉ DE CACHIMBO.., e eu ficava imaginando como seria um pé de cachimbo, quando o correto é: HOJE É DOMINGO, PEDE CACHIMBO... (fumar um cachimbo) E tem o PÉ-DE-MOLEQUE... A mulher fazia o doce caramelizado de amendoim e punha pra esfriar na janela. A molecada roubava... então ela gritava: NÃO PRECISA ROUBAR! PEDE, MOLEQUE!... E a gente pensa que repete corretamente os "ditos populares". No popular se diz: Esse menino não para quieto, parece que tem bichocarpinteiro. Minha grande dúvida na infância.... Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???" Correto: Esse menino não para quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro. "Tá aí a resposta para meu dilema de infância!" Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão. Enquanto o correto é: Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão. "Se a batata é um caule subterrâneo, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparramaria pelo chão se ela está embaixo dele?" Cor de burro quando foge. O correto é: Corro de burro quando foge. Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge??? Qual cor ele fica??? Porque ele mudaria de cor???" Outro que no popular todo mundo erra: Quem tem boca vai a Roma. Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar... O correto é: Quem tem boca vaia Roma. (Isso mesmo, do verbo vaiar). Outro que todo mundo diz errado, Cuspido e escarrado - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa. O correto é: Esculpido em Carrara.(Carrara é um tipo de mármore) Mais um famoso: Quem não tem cão, caça com gato Entendia também, errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho tá de bom humor... O correto é: Quem não tem cão, caça como gato, ou seja, sozinho...

segunda-feira, 28 de junho de 2021

Artur Oscar Moreira Xexéo

Artur Xexéo (Artur Oscar Moreira Xexéo) nasceu no Rio de Janeiro, em 05 de novembro de 1951. Formação Formado em Comunicação Social (jornalismo) pela Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA) e estudou engenharia civil na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) Carreira Jornalista, escritor, tradutor e dramaturgo, brasileiro Futebol e samba Era torcedor do Fluminense e da escola de samba Unidos de Vila Isabel. Escritor Janete Clair: a usineira de sonhos, Liberdade de expressão; O torcedor acidental, Hebe: A biografia. Jornal/rádio/TV Era colunista no jornal O Globo, Rádio CBN e TV Globo News Juiz de Fora Quando jovem, Artur Xexéo morou em Juiz de Fora. Seu pai, o coronel Xexéo foi diretor da FEEA, Fábrica de Explosivos e Espoletas, atual IMBEL, Indústria de Material Bélico, localizada na zona norte. Artur Xexéo morreu no Rio de aneiro, aos 69 anos e vítima de câncer, em 27 de junho de 2021.

sábado, 26 de junho de 2021

Um ilustre TRICOLOR!

Antonio Carlos Teixeira Rocha nasceu em Ubá, 26 de junho de 1945.
Família Casado com Ângela Rocha, pai de três filhos. Simone, Denise e Vítor e avô de três netos, Letícia, Gerson Fernando e Clara. Formação Formado em direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF( turma de 1970.  CarreiraAdvogado do Banco do Brasil, trabalhou nas cidades de Muriaé e Itabuna e escritor com cinco livros publicados. Escritor; - Eu sou é Tricolor (2000), - Fluminense - 100 anos de futebol ((2001), - Castilho (20030, - Os goleiros do Fluminense - De Marcos de Mendonça a Fernando Henrique.(2003), - O último homem da defesa (2005). Tricolor, se dizia um goleiro que encerrou a carreira precocemente, daí o entusiasmo para escrever três livros tendo goleiros no tema central. Antonio Carlos Teixeira Rocha morreu em Juiz de Fora, cidade que escolheu para residir após sua aposentadoria no banco, aos 66 anos, em 08 de janeiro de 2012, sendo seu corpo cremado no cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.

Áureo Carneiro Fortuna

Morre em São Paulo, vítima da covid-19, o advogado e ex-presidente do Tupi, ÁUREO FORTUNA
Áureo Carneiro Fortuna estava internado no Hospital Sírio e Libanês, na capital paulista para tratamento de um câncer, contraiu covid e morreu no início danoitedesexta-feira, 25/06. Velório previsto para iniciar às 09h30, deste sábado, 26/06, na capela 02 do Cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha e o corpo será cremado às 5h30, no crematório de Matias Barbosa. Tupi Aurinho presidiu o Tupi em dois mandatos, de 2008 a 2013, seu avô, Áureo Gomes Carneiro presidiu o Tupi nos biênios 1943/1944 e 1949/1950, e sua Irmã a nutricionista, Myrian Fortuna freguglia sucedeu o ex-dirigente na presidência, nos triênios de 2014/2016 e 2017/2019. Sob sua gestão o Tupi conquistou a Taça Minas em 2008 e o Campeonato Brasileiro da Série D, em 2011.

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Notável personalidade

Ivon Curi (Ivo José Curi) nasceu em Caxambu, no Sul de Minas, em 05 de junho de 1928. Família Filho de José Kalil Curi e Maria Curi, irmão de Jorge Curi (1920/1985) e Alberto Curi (1926/1998), e mais cinco irmãos, foi casado com Ivone Curi, com quem teve quatro filhos, Ivana, Ivan, Ivna e Ivo.
Foi batizado na Igreja Matriz de Caxambu, em 29 de março de 1929, pelo monsenhor José João de Deus, tendo como padrinhos Assad Safade e sua irmã mais velha, Jenny Curi, a qual passaria a criá-lo depois da morte de sua mãe, em 1936. Rio de JaneiroMudou-se para a então capital da república no início de 1940. Trabalhou na empresa Pan American Airlines. Carreira Cantor, compositor, ator e humorista, iniciou carreira como cantor em 1947, contratado como cantor principal da orquestra do maestro Zaccarias, do Hotel Copacabana Palace. Notabilizou-se também por suas participações como ator e cantor em inúmeras chanchadas da Atlântida durante a década de 1950.  Em 1960, gravou, ao lado de Elizeth Cardoso (1920/1990), um jingle para a campanha vice-presidencial de João Goulart (1919/1976). Em 1966, participou do programa Adoráveis Trapalhões com Renato Aragão, Wanderley Cardoso e Ted Boy Marino (1939/2012).   Filmografia Participou de 20 filmes, com destaques para As Sete Vampiras e O Escorpião Escarlate. NovelasTrabalhou nas novelas Feijão Maravilha e Barriga de Aluguel. Música Me Leva (com Carmélia Alves), Nego, Meu Amor (com Marlene) e Sob o Céu de Paris, foram alguns de seus sucessos. Seu último personagem em tv foi o gaúcho Gaudêncio da Escolinha do Professor Raimundo, na TV Globo..   Ivon Curi morreu no Rio de Janeiro, aos 67 anos, em 24 de junho de 1995, devido à falência múltipla dos órgãos e insuficiência respiratória. Obs: É nome de rua no bairro São Pedro, em Juiz de Fora.

Foto histórica

Sr João Dias (in memoriam), dona Maria, Carlos José, Marcelo Pacífico e Carlos Ferreira.
Programa "o rádio na rua", pela antiga Rádio Panorama FM, praça Alfredo Lage, no bairro Manoel Honório, região nordeste de Juizde Fora. Sr João Dias e dona Maria são avós e Carlos José é tio do jornalista Leandro Dias.

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Literatura

Timedo Tupi no estádio Sales Oliveira Década de 1980

terça-feira, 8 de junho de 2021

Notável personalidade

Orvile Derby Dutra (Orvile Derby de Araújo Dutra) nasceu em Rio Novo em 08 de abril de 1905.
Família
Filho de Leopoldo Dutra e Maria José de Araújo Dutra, foi casado com Araci Araújo Dutra (Aracy Oliveira Dutra).

Obras
Fundou em Juiz de Fora o Instituto Maria em 19/03/1944 (Casa das Meninas), Instituto Jesus (Casa dos meninos  Fundação João de Freitas (Casa dos idosos).
Colaborou para a fundação da revista "O Medium", Centro Espírita Venâncio Café, Sopa dos Pobres e o Grupo Espírita Amor aos Desencarnados.
Comerciante de artigos para agricultura (Casa ODIC)
Orvile Derby Dutra morreu em Juiz de Fora em 1973.
Obs: É nome de rua no bairro Santa Rita. 
Curiosidade: É possível que o nome Orville Derby seja uma inspiração no geólogo americano, Orville Adelbert Derby, nascido em Nova Iorque, N.I/EUA, em 23 de julho de 1851, e falecido no Rio de Janeiro, aos 64 anos, em 27 de novembro de 1915, quando Orvile Derby de Araújo Dutra já tinha 10 anos de idade.

segunda-feira, 7 de junho de 2021

Gente de Expressão

Leandro Dias (Leandro Dias da Silva) nasceu em Juiz de Fora em 07 de junho de 1983.


Família
Filho de Antonio João da Silva e Miriam Aparecida da Silva, casado com a terapeuta e aromaterapeuta Alessandra Lanzoni de Castro Dias e pai do Davi João Dias Lanzoni Silva (nascido em Juiz de Fora em 05 de junho de 2018).

Formação técnica
Metalurgia no antigo CTU (Colégio Técnico Universitário) no ano de 2002, tendo feito estágio e trabalhado nesta área entre 2003 e 2005 na empresa Arcelor Mittal, unidade Juiz de Fora.  

Formação universitária  
Formado em Comunicação Social (habilitação em Jornalismo), na Universidade Salgado de Oliveira (Universo) no ano de 2011. 

Pós-graduação
Pós-graduado em Comunicação Empresarial na Faculdade de Comunicação, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com formação no ano de 2013. 

Tese
Napós graduação apresentou o projeto de pesquisa “Como a assessoria de comunicação pode proporcionar visibilidade aos esportes não-profissionais e amadores na mídia de Juiz de Fora”, obtendo nota máxima na defesa.  

Carreira
Servidor público concursado do Estado de Minas Gerais.  Escreveu para a Revista Esportiva entre 2006 e 2009, com publicação de matérias do esporte de Minas Gerais no periódico de circulação nacional.Participou da cobertura do “Boccia World Championships” (Mundial de Bocha Paralímpica), realizado no ano de 2006, na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Ainda sobre o evento, gravou documentário sobre o esporte para pessoas com necessidades especiais de locomoção motora e cerebral.Trabalhou na TV Integração (Afiliada TV Globo em Juiz de Fora). Gerenciador de notícias no Portal Gerensite na região da Zona da Mata e Campos das Vertentes. Fez parte da equipe esportiva da Rádio Clube Trans FM nos anos de 2019 e 2020. Em julho de 2019, participou ao vivo de uma edição do programa Bola em Jogo, nos estúdios da Super Rádio Tupi, no Rio de Janeiro.Desde 2020 ocupa a função de repórter e comentarista esportivo na Web Rádio Bola na Rede de Juiz de Fora (www.radiobolanaredejf.com.br). Faz parte do quadro de jornalistas da RCW TV, onde é editor e apresentador do programa semanal "Papo de Trivela".
Desde janeiro de 2021 é colaborador na Revista Casa D’Italia (revista online sobre história, arte, cultura, turismo e assuntos afins, com temas relacionados à influência da Itália na cultura brasileira e à imigração italiana). 

Assessoria
Atua como assessor de comunicação na Associação Esportiva e Cultural Brasil-Itália. No esporte:Iniciou na bocha em 2001 no Tupynambás F.C., onde conquistou o título mineiro de equipes em 2003. Ainda pelo clube, disputou o Campeonato Brasileiro de Clubes 2003 (Juiz de Fora – MG), Campeonato Brasileiro de Clubes 2004 (São Ludgero – SC), a Taça Brasil de Clubes 2005 (Garibaldi-RS) e o campeonato Sul-Americano de Clubes 2006 (Garibaldi-RS). Juntamente com os demais atletas da equipe, foi agraciado com o Prêmio Panathlon Mérito Esportivo 2006. Defendeu o time de bocha do Tupynambás até 2009, ano em que a diretoria do clube encerrou as atividades deste esporte na ocasião. Desde então, esteve ausente deste esporte como atleta até início de 2017, quando passou a integrar a equipe da Casa D’Italia, onde conquistou o Campeonato Mineiro de Duplas Mistas 2019. Fez parte do grupo que resgatou este esporte na instituição que estava ausente em competições oficiais há mais de vinte anos.  Como dirigente, foi chefe da Delegação Mineira no Campeonato Brasileiro Juvenil de Seleções Estaduais nos anos de 2005/2006, em São Paulo-SP e 2008 e Passo Fundo-RS. Entre 2005 e 2008, exerceu a função de Primeiro Secretário da Liga Bochófila de Juiz de Fora (LBJF).Acompanhou a final da bocha nos Jogos Paralímpicos 2016, no Rio de Janeiro. Seu nome foi registrado na seção "Agradecimentos" no livro ‘Bocha, Lazer e Alto Rendimento’, obra do autor Davi Lima de Oliveira, lançado no ano de 2017 na cidade de Porto Alegre-RS. A menção é um reconhecimento ao jornalista pela sua contribuição relevante devido seu trabalho de divulgação para a Revista Bocha.Atualmente, é atleta da equipe de bocha da Casa D’Italia. Desde 2017, exerce o cargo de vice-presidente e assessor de comunicação da Associação Esportiva e Cultural Brasil-Itália.Em 2019, passou a integrar o quadro de membros do Conselho Municipal de Desportos (CMD) de Juiz de Fora. Neste órgão local, ocupa a função de conselheiro titular da modalidade bocha.  


sábado, 5 de junho de 2021

Zuzu Angel, uma ativista que a ditadura interrompeu sua busca por justiça

Zuzu Angel (Zuleika de Souza Netto/ Zuleika Angel Jones) nasceu em Curvelo, na região central de Minas, em 05 de junho de 1921.

Família
Filha de Pedro Netto e Francisca Gomes Netto, foi casada com o canadense naturalizado norte-americano Norman Angel Jones, mãe de três filhos: Stuart Edgart Angel Jones (nascido em Salvador-BA, em 11 de janeiro de 1946 e morto no Rio de Janeiro, aos 25 anos, em 14 de junho de 1971),  Ana Cristina Angel e Hildegard Beatriz Angel Bogossian (jornalista, nascida no Rio de Janeiro em 24 de setembro de 1949).

Ditadura militar
Personagem notória do Brasil da época da ditadura, conhecida nacional e internacionalmente não apenas por seu trabalho inovador como estilista de moda mas também por sua procura pelo filho, militante, assassinado pelos ditadores e transformado em desaparecido político, em que enfrentou os opressores da época e levou sua busca a se tornar conhecida no exterior. Em 2014, a Comissão Nacional da Verdade recebeu de Cláudio Antônio Guerra, ex-agente da repressão que operou como delegado do Departamento de Ordem Política e Social do Espírito Santo , a confirmação da participação dos agentes da repressão na morte de Angel.

Zuzu Angel morreu aos 54 anos, em 14 de abril de 1976, num "acidente"* na Autoestrada Engenheiro Fernando Mac Dowell, no Rio de Janeiro.

*A morte de Stuart ocorreu na base aérea do Galeão, no Rio, e o corpo teria sido jogado no mar.  
*No "acidente" o Karmann Ghia azul que Zuzu dirigia derrapou na saída do túnel Dois Irmãos (depois batizado com o seu nome), bateu na mureta de proteção e caiu numa ribanceira.