segunda-feira, 24 de junho de 2019

Gente de Expressão

Antônio Borba nasceu em 15 de novembro de 1939, em Varginha, no Sul de Minas. Filho de Antonio de Assis (Nico) e Laura Borba (Naia), pai de quatro filhos, Fabiana, Marcos, Thaís e Márcio (falecido). 

Carreira
Iniciou carreira artística na década de 1950, na rádio Clube de Varginha. Foi levadio para São Paulo pela dupla Cascatinha e Inhana (Francisco dos Santos-1919/1996 e Ana Eufrosina da Silva -1923/1981). A primeira chance foi no programa César de Alencar (1917/1990), na rádio Record, e acabou contratado por Walter Silva (1933/2009), o "Pica-Pau", para o programa "Toca do Disco". Foi crooner da Orquestra de Enrico Simonetti (1924/1978) e de Sílvio Mazzuca (1919/2003). Estes eram os mais célebres maestros da época. Foi crooner da Orquestra de Georges Henry (1919/2017), da TV Tupi de São Paulo, com quem trabalhou na TV Excelsior com o "Show Antártica no mundo do Som", e cantou no show de apresentação do cantor norte-americano Johnny Mathis (nascido no Texas/EUA, em 30 de setembro de 1935). 

LP
Sua estréia no disco foi em 1966, no ápice da Jovem Guarda, com as músicas "Sozinho" e "Linda Espanhola", pela RCA Víctor, que também o incluiu no álbum "Carnaval Jovem", disco de 1967 que reuniu os principais contratados da gravadora, como Os Incríveis, Vanusa, Waldirene, Nilton César, George Freedman (nascido em Berlim/Alemanha em 1940), e outros.

Troféu
Em 1968, Antônio Borba ganhou o "Troféu Chico Viola", com o disco mais vendido no ano, junto de Roberto Carlos, Erasmo, entre outros. Nesse ano, também participou da Bienal do Samba da TV Record.

Varginha x PenápolisEm 1969, cantou defendendo Varginha no "cidade contra cidade", disputa na TV Tupy, contra a cidade paulista de Penápolis.

FilmografiaParticipou de forma especial no filme "Perigo a Vista" , em 1969, estrelado por Agnaldo Rayol, também participaram Wanderléia, Erasmo Carlos, Jô Soares, Eduardo Araújo, David Cardozo, Ronald Golias (1929/2005) e outros. A trilha musical do maestro Júlio Medaglia.

ExcursõesExcursionou com o cantor Agostinho dos Santos (1932/1973), cantou ao lado de Juca Chaves, tocou com Hermeto Pascoal, e participou do "Encontro Show Samba no Chão", ao lado de Adoniran Barbosa (1910/1982) e Demônios da Garoa. Também excursionou com a orquestra do maestro argentino Carlos Piper.

DiscografiaAntônio Borba começou a carreira artística como cantor romântico. A partir de 1975, passou a dedicar-se à música sertaneja. Em 1978, lançou, pela gravadora Polyfar/Philips, o LP "Antônio Borba", no qual canta músicas como "Você Está Me Perdendo", "Quando Eu Menos Esperar", "Amor Verdadeiro", "Letra do Envelope", "Despertar com Você", entre outras.
Em 1982, gravou, pela Som Livre, o LP "Caboclo Decidido", no qual registrou vários clássicos da música sertaneja, como "Hoje Eu Não Posso Ir", "Do Lado que o Vento Vai", "Caboclo Decidido", "Minas Gerais", "Sonho de Caminhoneiro", "Felicidade de Caboclo", entre outros.
Em 1991, lançou, pela gravadora Master Record, um LP que contou com as participações especiais de Sílvio Brito e, do então jogador do Palmeiras e da Seleção Brasileira, Elzo, seu primo.

ApresentadorTeve Programa de Televisão na TV Cultura, de  Barretos. três músicas para a 25ª Festa do Peão Boiadeiro, de Barretos.
Canto da Terra
Fez parte do projeto "Canto da Terra", ao lado de Téo Azevedo, Deivi Rose, Adalberto Tafuri levado na década de 1980 pela Secretaria de Cultura de São Paulo a várias cidades paulistas..

Programas de tv, 
Apresentou/cantou nos programas apresentados por Fausto, Silva, Gugu Liberato, Rolando Boldrin, Sílvio Brito, Lima Duarte, Flávio Cavalcanti (1923/1986), Chacrinha (1917/1988), Inezita Barroso (1925/2015), Hebe Camargo (1929/2012) e e outros., 

Atualmente, é editor do blog cantorantonioborba.blogspot.comtrabalha no projeto "Brasil Café na TV" e continua fazendo shows. 

Literatura

Gente de Expressão

Paulo Barbosa (Paulo Sérgio Barbosa) nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, em 06 de abril de 1969. Filho de Manoel Gomes da Silva e Maria Barbosa da Conceição (ambos falecidos). Casado com Marcela Magalhães Barbosa (natural de Tombos), pai de três filhos (Edson Junior da Silva Barbosa, Mário Sérgio Paula Barbosa e Gentil Alves de Souza Neto)

Carreira no futebol
Foi centro-avante nas divisões de base do time do Estrela do Norte, de Cachoeiro de Itapemirim, e que segunda sua contagem, chegou a marcar 57 gols numa mesma temporada.
Admirador de Romário quando jogava, Telê Santana (1931/2006) e torcedor do Vasco da Gama, Estrela do Norte e Tombense.

Carreira na comunicação
Iniciou carreira de radialista (repórter) em 1987, na sua terra natal, na rádio Cachoeiro AM 1210 Khz, ao lado do narrador capixaba, Luiz Carlos Santana. Ainda em Cachoeiro, trabalhou na rádio Diocesana. Em Minas, trabalhou na rádio Educativa, de Faria Lemos. Desde 2009 Paulo Barbosa com a equipe "bola cheia" transmite os jogos do Tombense pelas rádios Integração, de Tombos e Mais FM, de Carangola. A equipe "Bola Cheia" conta também com Fábio Rocha (comentarista), Carlos Bianchine (plantonista) e Luiz Amaral e Hércules Freitas (repórteres).

Literatura

sábado, 22 de junho de 2019

Um nome que fez história na comunicação

Erci Ayala (Erci Aparecida Martinelli de Lima Ayala), nasceu em Tambaú-SP, em 10 de março de 1945. Era radialista, pedagoga, apresentadora de televisão (trabalhou nas principais emissorasde São Paulo), orientadora educacional e professora de psicologia social, atuando na recuperação de alcoólatras e toxicômanos. Foi deputada estadual pelo PMDB entre 1987 e 1991. Eleita para a Constituinte com 37.176 votos, concentrados na sua maioria em sua cidade natal, priorizou sua atuação política na luta pela prevenção e recuperação do consumo de álcool e drogas e também contra a caça. Participou como efetiva das comissões do Poder Executivo e de Sistematização e como suplente das comissões de Administração Pública e da Ordem Econômica e Social. Autora do livro "Por Favor Conte uma Historia".Erci Ayala morreu no hospital Duprat, em São Paulo-SP, aos 55 anos, em 15 de junho de 2000. O corpo foi velado no salão nobre da ALESP (Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo) e sepultado em 16/06, no cemitério municipal de Tambaú.

Literatura

"O Meu melhor - 100 crônicas de incentivos"
Uma das mais bem sucedidas escritoras brasileiras, Martha Medeiros completa 25 anos escrevendo crônicas semanalmente – publicadas por jornais em todo o país. Fazer sucesso neste tipo de escrita é algo raro no Brasil. Mas Martha tem o dom de encantar e instigar; de questionar e inspirar. Tem milhares de leitores fieis que a tratam como uma amiga, uma pessoa da família. O poder da crônica é justamente oferecer um papo onde quem lê se sente íntimo de quem escreve. 

Para celebrar este aniversário, ela selecionou as 100 crônicas de maior sucesso em toda a sua carreira. A maioria das colunas é sobre relacionamentos – amorosos e consigo mesmo. Alguns desses textos viralizaram na internet – como “Uma oração para os novos tempos”, escrito em 2013 e que ganhou as redes em 2018. Há textos que foram equivocadamente atribuídos a outros escritores, outros costumam ser citados em palestras e muitos fizeram diferença na vida de pessoas. Entre eles estão: “O mulherão”, “A melhor versão de nós mesmos” e “A morte devagar” – conhecida nos países latinos como “Muere lentamente” e nos países de língua inglesa como “Die slowly.

E há também alguns textos inéditos. No último, “A sério”, que encerra este livro, ela escreve: “Somos um grão de areia, daqui a alguns anos nem seremos mais lembrados, a não ser que tenhamos sido generosos, agradáveis e tivermos repartido nosso conhecimento.” Com certeza, Martha Medeiros será lembrada por muitas e muitas gerações.

Gente de Expressão

Léo Peixoto (Leonardo Ferreira Peixoto) nasceu em Juiz de Fora em 06 de julho de 1973. Filho de Geraldo Braz Peixoto (1932/2007) e Ivonete Xavier Ferreira. Casado com Sheila Pereira de Souza e pai do Peterson Chaiben Portes Peixoto. 

Carreira
Léo Peixoto é radialista (apresentador de rádio e tv), trabalhou na TV Tiradentes/SBT, TV Band Minas, TV Plural, TVE Juiz de Fora, Grupo Solar e RCW TV. Léo destaca Josino Aragão (1943/2007), César Romero, Mônica Mendes, Edgar Ribeiro (são incontáveis, estes os representarão) no elenco dos grandes nomes com os quais trabalhou.  
Atualmente dirige sua empresa própria de publicidade e eventos, a Designer Apresentações, apresenta o programa TV Personalidades na WEB TV e é editor do blog www.leopeixotoinforma.blogspot.com.

Literatura

"Suburbanas memórias"
Mais do que contar pequenas histórias, o livro do médico clínico e filósofo, Ivan Frias, transmite ao leitor os cheiros e as cores do subúrbio: a terra levantada, a poeira das ruas, as calçadas irregulares e a melancolia do tempo que passa. As personagens ganham vida, como no conto “Zé Padeiro”, que comunica sentimentos de injustiça e raiva reprimida no peito do protagonista, fazendo o leitor se colocar na sua pele; e até se confundir na barbárie de seu ato. A mesma identificação se passa no conto “Anormal”, quando nos vemos naquela sala de aula, torcendo pelos alunos, com igual sentimento de espanto pelo autoritarismo do professor, que ensina sem amor, apenas para cumprir o protocolo.

Ferrovia e suas curiosidades

Você sabe como foi criado a logo da RFFSA (Rede Ferroviária Federal S/A)?  
Foi através de um concurso público instituído em 1966, cujos trabalhos foram entregues no período de 31 de março a 15 de setembro de 1966.  
Quanto à premiação foram definidos os seguintes valores (em cruzeiros):  
01° lugar - Cr$ 300.000;   02° lugar - Cr$ 200.000;   
03° lugar - 100.000.  
Dos 334 trabalhos apresentados, quantidade considerada surpreendente, foram selecionadas 10 propostas visando definição do vencedor. A vencedora do concurso a então estudante Leiko Hama, aluna do primeiro ano de arquitetura da Faculdade de Arquitetura Mackenzie/ São Paulo, O segundo lugar foi conquistado por Joaquim Redig, aluno da Escola Superior de Desenho Industrial da Guanabara, e o terceiro coube ao aluno Artur Carlos Messina, também da Faculdade Mackenzie.  
Segundo seu memorial Descritivo, o trabalho partiu de um elemento comum e predominante no tráfego ferroviário, ou seja, a figuração de um A.M.V. (desvio) definindo uma variante, constituindo-se num visual dos mais recorrentes nas vias férreas, além de transmitir noções de desejável dinamismo à primeira vista.

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Literatura

"A Trajetória do Poder : De Cesário Alvim a Aécio Neves"

O leitor encontrará neste livro uma história completa sobre governantes mineiros durante toda a República, desde 1889 até a história recente. Por isto mesmo, a obra de Milton Reis (1929/2016) veio preencher um vazio enorme na bibliografia mineira e serve como referência permanente e utilíssima a alunos, professores e jornalistas, de consulta política e histórica.


terça-feira, 18 de junho de 2019

Gente de Expressão

Tony José (Antonino José Gonçalves Correia), nasceu em Curvelo, na região Central de Minas, em 30 de junho de 1949. Filho de Raimundo Corrêa da Silva e Leonora Gonçalves Corrêa (ambos falecidos). Viúvo, pai de três filhos: Marcelo, Regina e Leandro.        

Carreira     

Tony José, "o gigante da notícia" trabalhou no interior de Minas, nas rádios Clube (Curvelo), Portal (Corinto), Princesa (Lagoa Formosa) e Sucesso (Divinópolis), e em Belo Horizonte, nas rádios Jornal de Minas (atual rádio América), Atalaia, Inconfidência e Itatiaia e na TV Horizonte.         

No auge da carreira, na rádio Inconfidência, cobriu a Copa do Mundo de 1986, no México. E na "gigante do ar", trabalhou ao lado de Jairo Anatólio Lima (1928/2009), Alair Rodrigues (1937/2012), Waldir de Castro (1934/2016), Luiz Otávio de Melo Pena, Luiz Chaves, Mário Savaget, Marcos Russo, Cardoso Neto, Jota Moreira e tantos outros.          


Hoje, aposentado, Tony José vive em Piúma, no litoral do Espírito Santo.

Literatura

"Dona Beja - A Feiticeira do Araxá"
ANNA JACINTHA DE SÃO JOSÉ, a DONA BEJA, nasceu no ano de 1800, sendo filha de MARIA BERNARDO DOS SANTOS e de pai desconhecido, na zona rural, no lugar denominado de "Grotas de Pains", no município de FORMIGA, no centro-oeste de Minas, sendo registrada e batizada na cidade de FORMIGA, conforme atestam os documentos de batistério da época. 

MUDANÇA PARA ARAXÁ            
Quando contava com apenas 05 anos de idade, em 1805, por motivos ignorados pelos historiadores, sua mãe, MARIA BERNARDO, muda-se para uma cidade na região do SERTÃO DA FARINHA PODRE, precisamente para a cidade de ARAXÁ, levando consigo a pequena ANNA JACINTHA. 

A VIDA EM ARAXÁ            
Em ARAXÁ, ambas se instalaram e residiram, durante muitos anos, num casarão que se localizava bem perto da Igreja Matriz. Aqui a menina cresce e se desenvolve, passando toda a sua infância e adolescência.  

EXTREMA BELEZA            
DONA BEJA, em plena puberdade, com apenas 15 anos de idade, adolescente ainda, já era possuidora de uma enorme e extrema beleza, a qual chamava a atenção de todos. Naqueles idos tempos, os fedelhos que a "namoricavam" disputavam-na, a tapa, para ver com quem ela ficaria.  

RAPTADA E VIOLENTADA            
A história registra que, certa tarde, no ano de 1815, encontrava-se em ARAXÁ o Ouvidor Geral da Comarca, de nome DR. JOAQUIM INÁCIO SILVEIRA, quando o mesmo a viu passar, a cavalo, e ficou fascinado e impressionado pelos encantos e pela beleza daquela jovem que ele avistara. Apesar de ela ter apenas 15 anos de idade, DONA BEJA já era uma mulher feita, possuindo um formoso corpo de mulher e um lindo rosto. Fascinado e enlouquecido, contando com a participação de seus empregados, DOM JOAQUIM a raptou, levando-a para sua residência, onde, nesta mesma noite, ela foi violentada.  

PROTESTOS E RECLAMAÇÕES             
Ao tomar conhecimento de tal tragédia, sua mãe, MARIA BERNARDO, foi reclamar com as autoridades locais, mas, como aqueles acontecimentos, naqueles tempos, eram até corriqueiros e normais, principalmente quando fosse cometido por alguém da nobreza e o agredido fosse de origem mais humilde, tudo ficava na mesma. Então, aconselhada pelas autoridades locais, sua mãe ficou sabendo que o GOVERNADOR DE GOIÁS era inimigo número 1 de JOAQUIM INÁCIO, e fez a sua queixa para ele. E para castigá-lo, ele assinou um decreto desmembrando os territórios de DESEMBOQUE e ARAXÁ, que pertenciam a GOIÁS, mas que, a partir daquele decreto, passavam a pertencer a MINAS GERAIS, e assim foi realizada a mudança, para a alegria de todos os moradores desta região. Esta foi a participação, mesmo indireta, que teve DONA BEJA na anexação, em Minas Gerais, dos julgados municípios do DESEMBOQUE E ARAXÁ, que antes pertenciam a GOIÁS. 

MUDANÇA DE ARAXÁ E FALECIMENTO             
Passados alguns anos, DONA BEJA transfere a sua residência para o local denominado de VILA DA BAGAGEM, que depois passou a se chamar ESTRELA DO SUL. Neste município, viveu por muitos anos, lá ficando até seus últimos dias de vida, vindo a falecer no ano de 1874, aos 74 anos de idade.

Um nome que fez história na comunicação

Siloé Araújo (Siloé de Araújo Estrela), nasceu em  Ipameri, estado de Goiás, em 03 de janeiro de 1955. Filho de João Paulo de Araújo (1912/1995) e Galiana Estrela de Araújo (1921//2008). Pai de Rodrigo Ramos Estrela (Representante comercial), Adriano Ramos Estrela (Fotógrafo) e de Daniela Ramos Estrela (Fotógrafa), do casamento com Diana, e de Marcella Lamounier Reis de Araújo (Administradora e contadora) e Raphaella Lamounier Reis de Araújo (Engenheira civil e corretora de transações imobiliárias), do casamento com Maria Aparecida Reis.

Carreira
Radialista, locutor esportivo, iniciou carreira na rádio Xavantes de Ipameri, em 1977. Em 1986, mudou-se para a cidade mineira de Araxá, na região do Alto Paranaíba. Em Minas, passou a trabalhar na rádio Cidade de Araxá, como locutor esportivo, transmitindo jogos do Araxá Esporte Clube. trabalhou também nas rádios Imbiara e Sucesso (Araxá) e Princesa, de Lagoa Formosa, com base em Patos de Minas.

Torcedor do Atlético Mineiro e do Araxá Esporte Clube, galo e ganso, Siloé Araújo conseguia, através de suas locuções, transmitir ao ouvinte, fortes emoções que aconteciam durante uma partida de futebol. Dono de uma voz inconfundível e emocionante, também trabalhou como locutor de rodeio na Expo-Araxá e Expo-Coro.

Em 1998, trabalhou na campanha do então candidato a prefeito de Araxá, Olavo Drumond, que após a eleição, o nomeou secretário de Turismo do município. Além de radialista, era cerimonialista e promotor de eventos.  

Siloé Araújo morreu na Santa Casa de Araxá, aos 61 anos, em 02 de janeiro de 2017. Seu corpo foi sepultado no cemitério São João Batista, em Araxá, em 03 de janeiro.   

Literatura

"O Colecionador de Histórias - Uma viagem pelo mundo dos projetos e empreendedores"
Este livro apresenta uma deliciosa coleção de histórias de pessoas, do Brasil e da Europa. Gente idealista, sonhadora e empreendedora, que cultiva sonhos como se fossem plantas e as rega todos os dias com o suor de seu trabalho, para que possam florescer e ter sua colheita repartida com todos. Uma coleção de histórias selecionadas a dedo pelo jornalista Luis Humberto França, mineiro de Araxá, com o objetivo de fazer o leitor se inspirar e também deixar sua marca solidária no espaço onde vivem e convivem. Que essas histórias possam gerar outras, ainda mais belas e ainda mais transformadoras.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Gente de Expressão

José Cunha (José Rodrigues da Cunha) nasceu em Pedra do Anta*, então distrito de Teixeiras, em 16 de setembro de 1940. Filho de José Rodrigues da Cunha e Ana Guerra Cunha. Radialista (Locutor esportivo), escritor e compositor, iniciou carreira aos 14 anos de idade, na rádio Sociedade de Ponte Nova. Trabalhou nas rádios Itatiaia (Belo Horizonte), Bandeirantes (São Paulo), Nacional, Tupi e Tamoio (Rio de Janeiro), SBT, TV Educativa e TV Tupi (Rio de Janeiro). De volta a Ponte Nova, trabalhou na rádio Montanhesa, TV Educar e revista Guarapiranga News..

Escritor
- A Rádio, a TV e o Futebol no meu tempo (1998),
- Os maiores nomes da Rádio e da TV no Século XX.

História - Pedra do Anta
Em 1829 surgiu o povoado de Anta, que fazia parte do município de Mariana. Posteriormente o povoado passou a pertencer a Ponte Nova. Em 1843 foi elevado a categoria de distrito, com o nome de São Sebastião de Pedra do Anta, pertencendo politicamente ao município de Viçosa.  Permaneceu como distrito de Viçosa até 1938, quando passou a pertencer ao município de Teixeiras, desmembrado de Viçosa.  A Lei nº 2.764 de 30 de dezembro de 1962, elevou o distrito a município, com o nome de Pedra do Anta, com sua emancipação política e administrativa.

Literatura

“Telejornalismo no interior: a arte de fazer mais com menos”

Com o objetivo de levar a realidade do telejornalismo que é praticado no interior do país, o jornalista Luiz Humberto França, nascido em Araxá, apresenta sua obra pelo selo “Artigo A”, da Gulliver Editora. No livro, que é voltado para profissionais, estudantes e interessados pelo assunto, o autor descreve o contraste estrutural existente em TVs da capital e do interior, com a propriedade de seus mais de 20 anos de carreira, que lhe permitiu conhecer a fundo a realidade de uma redação do interior, com suas vantagens e desvantagens.

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Dom Roberto José

O Papa Francisco nomeou nesta quarta-feira, 12/06, bispo da Diocese de Janaúba, no Norte de Minas, o reitor do Seminário Santo Antônio, da arquidiocese de Juiz de Fora, monsenhor Roberto José da Silva, de 54 anos. Com atuações nas paróquias das cidades de Santos Dumont, sua terra natal e Lima Duarte, atualmente, além de reitor do Seminário Santo Antonio, é vigário da paróquia do Santíssimo, no bairro Borboleta. Monsenhor Roberto José será ordenado bispo, por dom Gil Antonio Moreira, arcebispo de Juiz de Fora, na matriz de São Miguel e Almas, em Santos Dumont, em 17 de agosto, e vai assumir a Diocese de Janaúba, em 08 de setembro, em substituição a dom Ricardo Guerrino Brusati, que pediu renúncia. 

Dom Roberto José será o quarto bispo de Janaúba. Os anteriores foram: Mauro Pereira Bastos (natural de Cachoeiro de Itapemirim-ES), José Ronaldo Ribeiro (de Uberaba-MG) e Ricardo Guerrino Bussatti (natural da Itália).    

Dom Mauro, primeiro bispo de Janaúba, morreu em acidente três meses após ter sido transferido para a diocese de Guaxupé, no Sul de Minas. Dom Ronaldo, em 2014 foi transferido para a diocese de Formosa, em Goiás e em 2018 pediu renúncia após ser denunciado e preso, por envolvimento em desvio de recursos da igreja. Dom Ricardo, de 74 anos, se encontra na Diocese de Janaúba há quatros anos e nela permanecerá como bispo emérito.    

O  novo bispo
Roberto José da Silva nasceu em Santos Dumont, em 18 de março de 1965. Estudou Filosofia e Teologia no Instituto Teológico Arquidiocesano Santo Antônio (Itasa), em Juiz de Fora. É formado em Pedagogia, com concentração em Orientação Educacional, pelo CES/JF (Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora), e possui mestrado pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, na Itália.

Literatura


“O homem da planície: Vida, obra e ideias de Juracy Neves”

Livro com ilustrações do conceituado Carlos Bracher, relata a biografia do médico e empresário, Juracy Neves.   

Nascido em Lima Duarte, em 15 de junho de 1932. Filho de José Antunes Neves (falecido em 1943) e Acitália de Azevedo Neves e pai de quatro filhos: Márcia, Suzana, Marcos e André, Juracy de Azevedo Neves pautou toda sua carreira profissional e pessoal em Juiz de Fora.

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Adail de Oliveira

Morre em Juiz de Fora, aos 93 anos, o jornalista Adail de Oliveira  
Morreu na noite do último domingo, 09/06, o jornalista Adail de Oliveira. De acordo com a família, ele foi acometido de insuficiência renal. O corpo foi velado e sepultado no cemitério nossa Senhora Aparecida, no bairro do Poço Rico, na tarde desta segunda-feira, 10/06.

Jornalista, escritor, historiador e aviador, Adail de Oliveira, filho de Jésus Rodrigues de Oliveira, nasceu em Juiz de Fora e foi responsável pela fundação de vários jornais em Juiz de Fora.  Apaixonado pelo jornalismo e pela aviação, Adail era fonte de pesquisa e consulta para órgãos de imprensa e estudantes de jornalismo. Membro da Academia de Imprensa, Adail escreveu vários livros, com destaque para “É vivendo que se aprende”, “Coletânea da saudade”, “Os meus 40 anos de aviação - Fatos, histórias e memórias” e “O avião em Juiz de Fora e acolá”.  

Literatura

“Os meus 40 anos de aviação - Fatos, histórias e memórias”  

De autoria do escritor, jornalista, historiador e aviador Adail de Oliveira (1926/2019), a obra retrata uma das paixões do autor, a aviação civil. Dentre outros livros, Adail escreveu  “O avião em Juiz de Fora e acolá”, “É vivendo que se aprende” e “Coletânea da saudade”. 

Um nome que fez história na comunicação

Apparício de Vitta nasceu em Cataguases, em 01º de janeiro de 1924. Filho de José de Vitta e Conceição de Vitta. Em Juiz de Fora, foi casado com Hilda de Vitta e pai de quatros filhos. Wagner de Vitta, Wânia de Vitta, Walmer de Vitta e Valéria de Vitta. Do casamento com Leny Alves de Souza (Leninha), não teve filhos. Radialista (locutor apresentador) e funcionário da EBCT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), na comunicação, sempre conciliando com o serviço nos Correios, trabalhou em duas emissoras. Na rádio Super B3 apresentou o programa "Qual é a música" e na rádio Capital, o "Peça para ouvir", uma versão moderna do "Qual é a música". No rádio, foi contemporâneo de Cláudio Temponi (1932/2005), José de Barros (1932/2016), Iná Coelho (1927/2006), Helena Bittencourt (in memoriam) e Nilson Barros Pereira, o Peninha (falecido em 2016), de quem era amigo pessoal. Apparício de Vitta morreu em Juiz de Fora, aos 77 anos, em 09 de agosto de 2001.

Literatura

“Rodeiro: Um olhar sobre sua história”
De autoria de Silvia de Azevedo Nicolato, a obra relata a história de Rodeiro iniciou-se com a catequização dos índios coroados e caiapós, que viviam em guerra com expedições que invadiam a região em busca de riquezas.  Depois que esses índios foram apaziguados, ao final do século XVIII, devido à política adotada pelo Governador da Província e executada pelo padre Manoel de Jesus Maria, com a ajuda do coronel Guido Tomás Marlière, as expedições de colonizadores passaram a transitar livremente pelo leste mineiro, hoje Zona da Mata. Andavam à procura de ervas  medicinais, descobrindo lavras de ouro e instalando fazendas de lavouras e pastoreio pelos vales do Rio Pomba e seus afluentes, como o Ubá, o São Geraldo, o Xopotó e o Novo.  Nos últimos anos do século XIX, surgiu o povoado de São Sebastião da Boa Esperança do Rodeiro, município de Ubá. Esse nome não vingou. O povoado passou a denominar-se simplesmente Rodeiro, tendo São Sebastião como seu padroeiro.

Rodeiro
Próximo à Casa dos Angicos, morava Manoel Lino Isidro, cujo pai, Antonio, ali montara  uma carpintaria, onde fabricava, juntamente com seu filho, rodas para  carros de bois e carroças. Todos os que precisavam de seus serviços profissionais diziam: ‘vou ao rodeiro’, isto é, vou à casa do homem que fabrica rodas. O ofício da família firmou-se, assim, como referência para a identificação da localidade, acabando por ser incorporado ao nome de Manoel Lino Isidro, que passou a ser conhecido como Manoel Lino Rodeiro.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Gente de Expressão

Helvécia Oliveira (Helvécia de Oliveira) nasceu em Ubá, em 04 de janeiro de 1983. Filha de Helvécio de Oliveira (1955/1997) e Ondina Aparecida Maciel (1960/2012). Graduada em  comunicação social - habilitação em jornalismo - em 19 de dezembro de 2011, pela  Faculdade Governador Ozanam Coelho (FAGOC), de Ubá.    

Carreira  
Trabalhou no Sistema Multisom de Rádio (rádio Ubaense),ao lado do radialista José Lourenço Brandão, na produção e reportagens para o "Jornal da Ubaense". Na mesma emissora, fez produção de reportagens de política, direito do consumidor e bem estar, para o programa "O Fato do Dia", apresentado pelo jornalista César Sá. Além de produção de conteúdos para o porta de internet da emissora. Foi monitora de rádio escola, na Escola Municipal Dr. Campomizzi Filho (CAIC - Centro de Atenção Integral à Criança), através do programa "Mais Educação". Foi Assessoria de Comunicação da prefeitura de Ubá, através da Secretaria Municipal de Educação.  Atualmente, leciona aulas particulares de português e matemática.

Literatura

"Ozanam Coelho, O Conciliador - Uma Biografia Política"

De autoria de Álisson Mascarenhas Vaz, a obra retrata a vida e obra de Levindo Ozanam Coelho (1914/1984), mineiro de Ubá, e que foi governador de Minas Gerais, de 1978 a 1978.  

Ozanam Coelho
Filho do ex-senador Levindo Eduardo Coelho (1871/1961) e Antonina Gonçalves Coelho, era formado em Direito pela Universidade de Minas Gerais, turma de 1936. Foi promotor público. Casou-se com Cibele Pinto Coelho em 1940 e teve cinco filhos: Isaura Maria, Cibele de Lourdes, Levindo Eduardo, Saulo e Marília.

Gente de Expressão

Chico Maia Francisco Maia Barbosa Duarte), nasceu em Sete Lagoas-MG. Jornalista formado pela Uni-BH (antiga Fafi-BH) e advogado pelo Unifemm-SL. iniciou carreira na rádio Cultura de Sete Lagoas, cidade onde fundou o Jornal Sete Dias.
Trabalhou nas rádios Capital, Alvorada, América e Inconfidência (Belo Horizonte). Na televisão, trabalhou na Band Minas e RedeTV!.  Foi colunista do jornal Hoje em Dia e atualmente escreve para os jornais O Tempo, Super Notícia, é editor do blog www.chicomaia.com.br e participa, às terças-feiras do programa Rádio Vivo, da Rádio Itatiaia, apresentado por José Lino Souza Barros. Cobriu as Copas do Mundo do México (1986), Itália (1990), Estados Unidos (1994), França (1998), Coréia/Japão (2002), Alemanha (2006) e África do Sul (2010). Também cobriu os Jogos Olímpicos de Atlanta (1996), Sydney (2000), Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012), além da Eurocopa 2012 e várias edições da Copa América.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Literatura

“Halloween – um conto fantástico” 
A obra, idealizada pela a Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora – LeiaJF, conta com 15 autores, sendo 12 de Juiz de Fora, além de representantes do Rio de Janeiro, São João Nepomuceno e Belo Horizonte, selecionados por meio de um concurso literário:
Anna Schwartz, Arlindo Tadeu Hagen, Artur Laizo, Bárbara Pippa, Carlos Erreoliveira, Daniel Medina, João Peçanha, J.R.Amorim, Júlia do Passo Ramalho, Marisa Timponi, Michelle Valle, Ramon Brandão, Rosângela Rossi, Valéria Magalhães e Vanda Maria Ferreira são os (as) autores (as) da obra.

Gente de Expressão

Joel Brasília (Joel Oliveira) nasceu em Ponta Grossa em 19 de setembro de 1959. Casado com Ana de Oliveira e pai da Fernanda e do André. Empresário e radialista (narrador esportivo), Joel Brasília trabalhou nas rádios Litoral Sul (Paranaguá), Independência e Globo (Curitiba) e CBN, Central, MZ e Difusora (Ponta Grossa) e TV Vila Velha. Atualmente, trabalha na rádio Difusora FM, de Ponta Grossa.
Na vitoriosa carreira no rádio do Paraná, Joel Brasília trabalhou  com Ulisses Costa, Edgar Felipe ( ), Capitão Hidalgo, Pererinha, Foguetinho, José Domingos, Lourival Barão Marques, Jair Junior, José Elvio Berg, Joice Hasselman, Tito Rodrigues, Gassen Salin Yussef, Amilton Aquim, Nilson de Oliveira, Jocelito Canto, Marcelo Rangel, Valmir Gomes. 
Quando trabalhou em Paranaguá foi o idealizador da Copa Litoral, vigente até os dias atuais sobre a direção do Valdir Braz. Em Curitiba conquistou troféus como o Gralha Azul, Microfone de Ouro. Em Ponta Grossa, desde o retorno em 2005 sempre conquistou a liderança em audiência pelos prefixos por onde passou. Foi o único locutor esportivo a cobrir os 05 títulos consecutivos do Operário Ferroviário em jogos dentro e fora de casa. Trabalho reconhecido em Moção de Aplauso na câmara de vereadores de Ponta Grossa.  

Literatura

“A menina da sapatilha vermelha”

A escritora Emanuelle Ferruggini Ferreira conduz o leitor a fazer uma reflexão sobre bullying e autoestima a partir da história da pequena Luciana, uma menina de nove anos de idade, meiga, carinhosa, tímida, encantadora, e é apaixonada por livros.

Wildemar Aquino (DJ Cebola)

Morre em Juiz de Fora, aos 31 anos, o jornalista, Wildemar Aquino, o DJ Cebola

Morreu no início da tarde da última quinta-feira, 30/05, Wildemar Aquino, vítima de câncer no fígado. DJ Cebola estava internado no Hospital Universitário de Juiz de Fora e não resistiu ao tratamento. O corpo está sendo velado na capela 05do cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida, no bairro de Poço Rico, e o sepultamento previsto para às10 horas, desta sexta-feira, 31/12, na mesma necrópole.

Wildemar Teodoro Aquino nasceu em Juiz de Fora em 01º de fevereiro de 1988, Cebola era jornalista formado pela faculdade Estácio de Sá, turma de 2012, assessor de imprensa da Secretaria de Transporte e Trânsito, na prefeitura de Juiz de Fora e locutor de rádio. Pessoa de fino trato, Cebola foi aluno na faculdade da professora Tâmara Lis, e devido a sua popularidade, era cortejado por partidos políticos para sair candidato a vereador em 2020.

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Literatura

"Violão Canção"
O autor, Chico Saraiva olha para o Brasil, país de musicalidade original, tributária de suas raízes indígenas, africanas e europeias. Elege um instrumento símbolo da nossa música – o violão, em sua relação íntima com a canção – e parte para campo. Vai interrogar mestres sobre melodia, harmonia e ritmo, naturalidade e precisão, gesto musical, processo criativo, tradição escrita e não escrita. Que mestres? Guinga, João Bosco, Elomar, Luiz Tatit, Paulo César Pinheiro, Sérgio Assad, Paulo Bellinati, Marco Pereira. Numa sequência inspirada na montagem cinematográfica, que conduz os personagens pelos temas do enredo, Saraiva oferece ao leitor um percurso de conversas. Uma pergunta do músico cancionista Tatit é habilmente levada pelo autor até o músico instrumentista Pereira. Bosco se achega na conversa estruturada pelo livro e sem saber complementa a resposta de Pereira. Pinheiro conta de sua parceria com Pixinguinha e do convívio com Baden Powell. Assad fala da composição para violão erudito; Bellinati comenta o violão sofisticado, o violão-piano". Guinga diz que "a canção vem pela voz" e Elomar completa: o violão sustenta o canto. Este e-book traz imagens que são melhor visualizadas em tablets.  

Carlos Sampaio

Morre em Juiz de Fora, aos 83 anos, o publicitário Carlos Sampaio

Carlinhos Sampaio morreu no último domingo, 26/05, vítima de infarto e sepultado no cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha, na tarde de 27/05.

Carlos Sampaio nasceu em Juiz de Fora em 1935. Filho de Cecílio Sampaio e Alice Leite Sampaio. Casado com Lucibele Reich Sampaio (Belinha) e pai do Márcio Augusto e do Carlos Eduardo. Bancário aposentado e publicitário, Carlinhos Sampaio foi presença cativa no programa camisa 10 da antiga TV Industrial, debatedor, na extinta TV Educativa e na rádio Nova Cidade, diretor comercial das rádios Alvorada e Itatiaia. Tricolor de frequentar jogos no Rio e a eventos na sede social do clube, além de ser muito querido na sociedade juizforana. 

domingo, 19 de maio de 2019

Literatura

 “O rádio e suas histórias na primeira pessoa” 
O livro, escrito por Luiz Casadei Manechini (nascido em Marília, no interior paulista), registra momentos importantes da trajetória do rádio desde os anos 40, a sua época de ouro, até os dias de hoje, por meio dos depoimentos de personalidades do microfone.  Narram suas histórias: Joseval Peixoto, Milton Parron, Salomão Ésper, Saulo Gomes, Vida Alves (1928/2017) e Wilson Matos. A riqueza da publicação está justamente nos relatos de cada um deles, pois somam as situações mais diversas que um profissional de rádio pode experimentar: programas de estúdio, de auditório, reportagens de grandes acontecimentos, locução esportiva, enfim, uma soma de experiências que poderá ser lida e ouvida pelos apaixonados por rádio.

Gente de Expressão

Gilberto Cordeiro (Gilberto Cordeiro Alves) nasceu em Piacatuba, distrito turístico de Leopoldina, em 10 de abril de 1958.

Família
Filho de Mãe. Maria do Nascimento Badaró  e João  Alves Cordeiro, pai de sete filhos: Gilberto Filho, Edgar, Bruna, Letícia, Sarah, Ester e Matheus e dois netos: Vitor e Maria Sophia.

Carreira
Radialista (repórter esportivo) e caminhoneiro, trabalhou nas rádios Capital (Juiz de Fora) e RMB (Matias Barbosa).

No bons tempos de rádio Capital de Juiz de Fora,, trabalhou com Randall de Oliveira (1931/1991), Tony Martins (1943/2001), Beraldo Rigote (1944/2006), Marcos Silva (1959/2012), Humberto Zaghetto, Aurélio Barreto, Lúcio Andrade, Kilder Oliveira, Laurindo Rodrigues, Jurandi de Oliveira e Francisco Canalli (operador de áudio).

Atualmente, aposentado, Gilberto Cordeiro vive em Matias Barbosa, cidade que o adotou desde 1966.

Literatura

 "Uma Mulher Vestida De Silêncio: A Biografia De Maria Thereza Goulart"
A vida da mais célebre primeira-dama do Brasil com relatos inéditos de acontecimentos da vida íntima dos Goulart que se misturam à vida política do país. Uma mulher vestida de silêncio revela a trajetória extraordinária de Maria Thereza Goulart. Filha de imigrantes italianos, nascida em uma pequena cidade fronteiriça do Rio Grande do Sul, tornou-se a mais jovem primeira-dama do Brasil, capa das maiores revistas nacionais e internacionais. Mas quem, de fato, era aquela moça tão linda, tão fora de padrão, que encantou o país comandado pelo marido? A biografia dessa personalidade forte e ao mesmo tempo frágil, alvo de enorme interesse e admiração, inveja, competição e preconceitos, conta também a história de um dos mais importantes períodos da multifacetada vida política e social do Brasil.  

Gente de Expressão

Kilder de Oliveira nasceu em Juiz de Fora em 27 de julho de 1965. Filho de Maria Aparecida de Oliveira, foi com Margareth Fátima de Oliveira, pai da advogada Tamires Cristina de Oliveira e da bióloga Thailany Laís de Oliveira. Atualmente, é casado com Luciana Anália de Oliveira, mãe do Carlos Daniel Ferreira de Castro.

Policial militar reformado e radialista (repórter e comentarista), Kilder tem longa experiência na comunicação, tendo trabalhado nas rádios Capital AM, Nova Cidade AM, Solar AM, Energia FM, Trans FM e Catedral FM

Trabalhou com Beraldo Rigote (1944/2006), Randall de Oliveira (1931/1991), Marcos Silva (1959/2012), Humberto Zaghetto, Aurélio Barreto, Lúcio Andrade, Carlos Roberto Sodré, Thiago Werneck, Luiz Storino e Marco Antonio Campos. 

sábado, 18 de maio de 2019

Literatura

"Elias Andreato - A Máscara do Improvável"
O livro, escrito pelo jornalista Dirceu Alves Jr., resgata a trajetória do ator  Elias Vicente Andreato (nascido em Rolândia-PR, em 08 de março de 1955), e filho de um casal de lavradores. Em 192 páginas, na publicação da editora Humana Letra, o autor conta que Andreato  entrou pela primeira vez em um teatro para ver o espetáculo “Rosa dos Ventos” de Maria Bethânia, despertando sua paixão pela arte. E 25 anos depois, ela o aplaudiu pela primeira vez durante uma apresentação do solo “Oscar Wilde”, dando origem a uma amizade que culminou no convite para elaborar um roteiro e dirigir o espetáculo “Bethânia e as Palavras” (2010). Após enfrentar a pobreza na infância, fez sua estreia profissional em 1977, na peça Pequenos Burgueses e trabalhou com diretores consagrados, tendo o humor como principal característica de seus personagens. Se consagrou em monólogos e ainda traz no currículo o privilégio de ter dirigido o autor Paulo Autran (1922/2007) em três espetáculos. Estreou como ator no filme Shock: Diversão Diabólica, de 1984, e na televisão na novela Helena, de 1987. 

Gente de Expressão

Laurindo Rodrigues (Laurindo Alves Rodrigues) nasceu em São Miguel do Anta, região de Viçosa, em 28 de outubro de 1968. Filho de Antonio Leodoro Rodrigues e Cor Maria Rodrigues Rezende. Casado com Maria Aparecida  e pai da Vanessa e do Bruno. Radialista, Conselheiro Tutelar e formado em Gestão Ambiental pela UNIPAC (Universidade Presidente Antonio Carlos).

No rádio, trabalhou nas rádios Capital AM e Carinho FM. No auge da rádio Capital, trabalhou com Randall de Oliveira (1931/1991), Tony Martins (1943/2001), Beraldo Rigote (1944/2006), Marcos Silva (1959/2012), Humberto Zaghetto, Aurélio Barreto, Lúcio Andrade, Jurandi de Oliveira, Kilder Oliveira e Gilberto Cordeiro. Atualmente, Laurindo Rodrigues é Conselheiro Tutelar.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Literatura

"O Mundo religioso"
De autoria do frei Volney José Berkenbrock, a obra é uma riqueza imensa na humanidade. Riqueza cultural, riqueza de ideias, riqueza de artes, riqueza de mitos, riqueza de imaginários, riqueza de comunidades, riqueza de tradições. Esta é uma forma de olhar as religiões: como o maior conjunto existente de ideias a respeito de compreensões sobre o ser humano, sobre a existência, sobre a vida individual e comunitária, sobre a origem e o destino, sobre a vida feliz e a infelicidade, sobre ideais e virtudes, sobre limites e misérias humanas; enfim, em nenhum outro campo do conhecimento humano há tantas compreensões quanto as acumuladas pelas tradições religiosas. O propósito desta obra é proporcionar aos leitores e leitoras conhecimentos amplos sobre o rico universo das religiões. Sem preconceitos, sem a pretensão de defender esta ou aquela tradição, sem qualquer pretensão de destacar alguma religião em detrimento da outra, com a consciência de que nenhum tema será tratado exaustivamente.

Gente de Expressão

Jurandi de Oliveira nasceu em Juiz de Fora em 26 de abril de 1952. Filho de Antônio Cândido de Oliveira (1926/1971) e Maria José de Oliveira (1927/2009). Jurandi é pai do Clinger Pinto de Oliveira, do Cleines Pinto de Oliveira e do Cleiton Ferreira de Oliveira. Cleines Pinto de Oliveira é o cabo Cleines, da Polícia Militar de Minas Gerais, que em 06 de setembro de 2018, prendeu Adélio Bispo de Oliveira, após o mesmo esfaquear o então candidato a presidente, Jair Messias Bolsonaro, no centro de Juiz de Fora.

Policial militar reformado (sargento), Jurandi foi repórter e locutor esportivo nas rádios Capital AM, Modelo FM e Trans FM (Juiz de Fora) e Cascavel FM (Lima Duarte).  
Torcedor do Flamengo e do Tupi, Jurandi narrou, com extrema isenção e profissionalismo, pela rádio Capital, o gol do Maurício, contra o Flamengo, no campeonato carioca de 1989, vencido pelo Botafogo.

No bons tempos de rádio Capital, trabalhou com Beraldo Rigote (1944/2006), Randall de Oliveira (1931/1991), Humberto Zaghetto, Aurélio Barreto, Lúcio Andrade e Kilder Oliveira.

Literatura

"Dossiê As Galvão - As Soberanas - 70 Anos de Estrada"
Os anos 30, no Brasil, foram de grandes mudanças: a Revolução de 1930, com Getúlio Vargas, a Revolução Constitucionalista de 1932, a promulgação da nova Constituição Brasileira, em 1934. A política do café com leite - aliança de São Paulo com Minas Gerais no poder - chegava ao fim, abrindo caminho para tempos duros no Estado Novo, em 1937, ainda com Getúlio Vargas. Nesse cenário, em Ourinhos, interior de São Paulo, um jovem casal, Bertholdo Torres Galvão e Maria Gomes, ele, alfaiate e ela, costureira, ambos com sangue de artistas, se unia em 1938. Trabalhavam cantando os sucessos dos maiores cantores do Brasil. O casal teve um primeiro grande momento de encanto em 04 de maio de 1940, quando nasceu uma menina de cabelo loiro e olhos azuis: Mary Zuil Galvão. Risonho e feliz, o bebê trazia o sobrenome da família, Galvão, e o nome de duas rainhas, Mary (da Escócia) e Zuil (da Holanda), o que se mostrou profético: tempos depois, Mary viria a tornar-se, ao lado da irmã Marilene (nascida em Palmital, em 27 de abril de 1942) uma das rainhas da música caipira, numa carreira de sucesso que dura até hoje.  

domingo, 12 de maio de 2019

Gente de Expressão

Oliveira Jr (Edmilson Raymundo de Oliveira) nasceu em Santos Dumont, em 05 de abril de 1960. Filho de Evangelista Raymundo de Oliveira (in memoriam) e Joana Luzia de Oliveira. Pai de cinco filhos: Paloma, Elber, Bruna, Breno e Natália. Radialista e ex-atleta, no rádio, atuou nas rádios CulturaAM e Top FM, e atualmente, trabalha na rádio São Miguel FM, deSantos Dumont. No futebol, foi meio-campista, tendo atuado no Independente, Mineiro e Social (de Santos Dumont), no Prainha (de Rio Novo) e no Tupynambás (de Juiz de Fora), cujo técnico era o sargento Laguardia (Carlos Laguardia dos Santos), seu instrutor no 17º Batalhão Logístico, de Juiz de Fora. Torcedor do Flamengo, Oliveira é simpatizante das escolas de samba Córrego do Ouro e Império Colorido, ambas de Santos Dumont. 

Literatura

Gente de Expressão

Sérgio Noronha (Sérgio Barros de Noronha) nasceu no Rio de Janeiro em 28 de dezembro de 1932 .Filho de um gráfico Eduardo Ferreira de Noronha e de uma costureira Marciana Barros de Noronha. Jornalista (repórter e comentarista) e formado em Letras, trabalhou  revista O Cruzeiro, Correio da Manhã, Última Hora, Jornal do Brasil, TV Globo, TV Bandeirantes, TV Educativa, SportTV, no canal Premiere e nas rádios Globo e Tupi. Cobriu as copas de 1974, na Alemanha, 1978, na Argentina, 1982, na Espanha, 1986, no México, 1990, na Itália, 1994, nos Estados Unidos, 1998, na França, 2002, no Japão e na Coréia e 2006, na Alemanha. Ao longo da vida, sempre morou em Ipanema, na Zona Sul do Rio, e hoje, aos 86 anos, vive no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, que é presidido pelo ator Stepan Nercessian.

sábado, 11 de maio de 2019

Literatura

"Curvelo - Maria Amália, o voo do algodão"
De autoria do professor Osvaldo Pereira de Souza, a obra se dedica a contar como era o cotidiano dentro da companhia têxtil Othon Linch Bezerra de Melo, Fábrica Maria Amália, e sua importância para a história do bairro e de seus moradores.  A obra parte de um olhar autobiográfico e narra diversos episódios vividos por Osvaldo em Curvelo, com o objetivo de contribuir para o resgate da memória do bairro e manter viva a história da cidade.  Osvaldo Pereira de Souza se mudou para Curvelo, com sua família, ainda criança, aos 05 anos de idade, e lá passou sua infância e juventude. O autor, assim como seus irmãos, foi operário na Fábrica Maria Amália. Atualmente, ele é professor de história na rede municipal de Belo Horizonte.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Gente de Expressão

Sandro Leite (Sandro da Silva Leite) nasceu em Santos Dumont, a "Terrado Pai da Aviação', em 01º de março de 1967. Filho de Hélio da Silva Leite e Sônia Maria Correia Leite. Radialista, Sandro Leite inciou carreira na rádio Cultura AM, trabalhando inicialmente na função de operador de áudio, passando a apresentador de programas e locutor esportivo. Posteriormente, trabalhou na rádio Serra Azul FM. Ao longo da carreira, trabalhou com Edson Palma, Gilberto Freire (1944/1994), Jorge de Castro  (1944/2014), Jurandir Borges (in memoriam) e Eimar dos Santos Vilela (in memoriam). Torcedor do Flamengo, Sandro Leite no mundo do samba, foi intérprete nas Escolas Acadêmico do 04º Depósito e Luar, ambas, de Santos Dumont.  Atualmente, Sandro Leite é cantor nas noites Sandumonenses.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Literatura

 “Dentro da área não vale – o futebol de salão em Juiz de Fora nos anos 60 e 70”
 
Obra organizada pelos médicos Carlos Salomão Musse e Márcio Luiz Itaboray, traz depoimentos de pessoas sobre atletas e times que viveram a era de ouro no futebol de salão na cidade. O livro contém depoimentos de 18 entrevistados, traz também imagens e curiosidades da modalidade esportiva. 

Além de explicar as diferenças entre o futebol de salão e o futsal (oriundo do esporte), o livro traz fotos, documentos e relatos de personagens que ajudaram a construir a identidade do futebol juiz-forano nos anos 60 e 70. Dentre os assuntos, o IARA, fundado por Amin Nagle, pai da jornalista Juiz-Forana, Leda Nagle. 

Gente de Expressão

Angeline Coimbra (Angeline Coimbra Tostes de Martino Alves) nasceu em Miracema, no Noroeste Fluminense, em 07 de junho de 1972. Filha de Miguel Ângelo de Martino Alves(nascido em 1937) e Maria Inez Coimbra Tostes de Martino Alves (1941/2003). Irmã de  e Miguel Ângelo de Martino Alves Filho (nascido em 1967), Ana Paula Coimbra Tostes de Martino Alves, nascida em 19690 e Victor Coimbra Tostes de Martino Alves (nascido em 1979). 

Estudos
Fez o pré-escolar no Jardim da Infância Clarinda Damasceno e os ensinos fundamental e médio, no Colégio Estadual Deodato Linhares. 

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal Fluminense (UFF), de Niterói. Economista, militou na iniciativa privada com ênfase para a Companhia Suzano de Papel e Celulose e Ripasa S/A Celulose e Papel.

Atualmente, residindo em Niterói, na região Metropolitana do Rio, é editora do blog "O Vagalume" (www.blogovagalume.blogspot.com)