sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Rei Pelé e Rainha Marta?

A assembléia legislativa de Alagoas aprovou por 16 votos a 08, a troca do nome do estádio da capital Alagoana, de estádio Rei Pelé para estádio Rainha Marta, numa homenagem a badalada jogadora alagoana, Marta Vieira da Silva, nascida em Dois Riachos, cidade de 11 mil habitantes, localizada no sertão do estado.

Emenda
O deputado Silvio Camelo (PV), apresentou uma emenda para o estádio tenha os dois nomes: Rei Pelé e Rainha Marta. Agora vai ser preciso a apreciação da emenda, o que está marcado para a próxima semana.

CONSIDERAÇÕES
Um sábio adágio popular diz: "não se veste um santo, despindo outro".
Marta, certamente, merece todas as homenagens possíveis. Mas Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, é, foi e será sempre Pelé. Caso o governador Renan Filho não vete o projeto, estará abrindo um precedente, para que no futuro, surge alguém nas Alagoas, de relevância, para os que viverão a época, superior à da atual, ou futura homenageada, e mais uma vez, o nome do estádio será mudado.

Maracanã
Quando Garrincha morreu em 1981, comovidos pela perda irreparável, alguns propuseram trocar o nome do Maracanã, de Mário Filho, para Mané Garrincha. Alguém, do alto de um bom senso disse: "Ninguém duvida da importância de Garrincha para o futebol, e em especial, para o Maracanã, mas não podemos permitir essa mudança/homenagem". E Justificou: "No futuro, em outras gerações, poderá surgir alguém de tamanha relevância, e com o seu falecimento, poderá vir á tona a vontade de mudar o nome do estádio, e por haver precedência, a justa homenagem a Garrincha, certamente, se perderá".

Rei Pelé
Só resta ás pessoas de bom senso, o que faltou a alguns parlamentares alagoanos, que:
- O governador Renan Filho vete o projeto;
- E em sendo aprovado, a homenageada agradeça o reconhecimento, mas decline da homenagem, mantendo o "status quo".

Inauguração
O estádio foi inaugurado em 25 de outubro de 1980, no governo de Lamenha Filho, contou com a presença de Pelé.

EM TEMPO:
O estádio, é conhecido e reverenciado pelos alagoanos como Trapichão, por está localizado no bairro do Trapiche, fato constatado por mim, quando lá estive, junto com o saudoso companheiro Marcos Silva (1951/2012) , em novembro de 1997, para a transmissão de CSA e Tupi, pelo campeonato brasileiro da Série C.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Gente de Expressão

Waltinho França (Argemiro Walter França), o "Pontinha da Agulha", nasceu em Caeté, distrito de Juizde Fora, em 27 de maio de 1948. Filho de Argemiro França* e Maria Luíza Rodrigues (ambos falecidos), casado com Maria Aparecida, pai da Nelma e do Adad e avô de três netos.

Carreira
Radialista (locutor sertanejo), Waltinho trabalhou nas rádios Solar, Nova Cidade, Manchester e Juiz de Fora AM,

Músicos
De uma família de músicos (cantores e violeiros), numa prole de 14 irmão, Waltinho  fez dupla com seus irmãos Osmar* (Osmar e Waltinho), Odomar (Odomar e Waltinho) e Noel (Waltinho e Noel) e cantavam em circos, exposições agro-pecuárias, touradas, festas religiosas. Wantinho é primo do radialista Vanor França (1951/2018), tio da cantora Bruna França e tio do vereador Wagner França. 

Atualmente, fora do rádio, Waltinho continua cantando sucessos do passado em casamentos, batizados, festas familiares.

Obs:
- Argemiro França é nome de rua no bairro Jardim Esperança.
- Osmar (já falecido), fez dupla com Marinho (Osmar e Marinho), Mazinho (Osmar e Mazinho) e Arantes (Osmar e Arantes). Hoje, seu filho mantém ativa a dupla.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Gente de Expressão

Reginaldo Lima (Reginaldo Ferreira de Lima) nasceu em Volta Redonda, no Sul Fluminense, em  05 de abril de 1969. Filho de Argeu Lopes de Lima (1933/2015)  e Emília Aleixo Ferreira de Lima (1932/1990), casado com Brenda e pai de três filhos: Reinaldo, Tamires e Théo. 

Carreira
Radialista (repórter e apresentador), trabalha na rádio Cultura de Visconde do Rio Branco desde o ano 2000. Na Cultura de Rio Branco, trabalha ao lado de Adão Carolo, Tom Carlos, Osmar Santos e Cláudio João de Oliveira.

Formação
Formado em Comunicação Social (jornalismo) pela FAGOC (Faculdade Governador Ozanan Coelho), de Ubá, turma de 2008.

Idealizador do Projeto Esportivo C&R e Organizador das copas: Rio Branco de Futebol, Guiricema de Futebol, Guidoval de Futebol, Copa C&R de Futebol Society, Campeonato Micro Regional de Futebol sub 17 e outros.

Reginaldo Lima é Agente comunitário de saúde na prefeitura de Visconde do Rio Branco, desde 2000.

Gente de Expressão

Wellington Costa (Wellington Xavier Costa), nasceu no bairro de Bela Vista, região do Bixiga, zona sul de São Paulo, em 03 de maio (dia do sertanejo) de 1940. Filho de Vinícius Xavier e Nely Xavier Costa (ambos falecidos). Pai do Marcos Vinícius, Carlos Eduardo, Aline e Karina.

Formação
Formado em Gestão Ambiental pela UNIPAC (Universidade Presidente Antonio Carlos).

Carreira
Radialista (locutor apresentador e locutor noticiarista), trabalhou nas rádios Super B3, Nova Cidade, Nova Amizade e Juiz de Fora AM, todas em Juiz de Fora. Trabalhou na TV Jornal do Comércio, de Recife-PE.

Na comunicação, Wellington Costa destaca trabalhos realizados com Cláudio Temponi (1932/2005), Claudiney Coelho (1947/2010), Natálio Luz e Oscar Mugica.

Na iniciativa privada trabalhou em várias multinacionais, com destaque para Esso e Kodak.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Gente de Expressão

Paulo Paiva (Paulo Cézar de Paiva Rodrigues) nasceu em Mercês-MG, em 25 de maio de 1965. Filho de Antonio Rodrigues do Nascimento (1940/2017) e Mariadas Graças de Paiva Rodrigues. Casado com Neila Bomtempo Pereira Rodrigues, pai da Anna Paula e do Matheus e avô da Alice.

Carreira
Foi sócio proprietário da rádio Novidade FM, de Guarani, de 2013 a 2017.
Fundador e diretor da rádio Jovem Rio, de Rio Pomba, e desde 1997, apresenta o programa "Som da Terra", das 05 às 07 horas (segunda/sexta).

Transmissões externas
Missas aos domingos e as novenas de São Manuel e Nossa Senhora do Rosário, alem dos jogos dos Pombense e do América, nas competições em que participam.

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Um nome que marcou história na comunicação

Antonio Fernando (Antonio Fernando Eiterer) nasceu em Lima Duarte-MG, em 13 de junho (dia de Santo Antonio) de 1955. Filho de José Eiterer e Amélia Pereira Eiterer. Foi casado com Lúcia Helena de Souza Teixeira, pai de dois filhos (Fernanda Teixeira Eiterer e Bruno Teixeira Eiterer),

Carreira
Jornalista (repórter e redator), trabalhou nas rádios Sociedade, Industrial e Capital. Além de produtor e locutor de rádio, foi mestre de cerimônia na prefeitura de Juiz de Fora.    
Antonio Fernando morreu em Juiz de Fora, aos 63 anos, em 13 de agosto de 2018.

CONSIDERAÇÕES 
Antonio Fernando foi um dos mais talentosos companheiros que tive o prazer de trabalhar no jornalismo da rádio Capital. Pessoa de fino trato e muita capacidade intelectual, com textos impecáveis.

Perdas

João Carlos de Albuquerque Melo Barroso 
Morre no Rio de Janeiro, aos 69 anos, o ator João Carlos Barroso
O ator morreu na noite de segunda-feira, 12/08, vítima de câncer no pâncreas.

Carioca, nascido em 28 de fevereiro de 1950, o ator foi destaque nos papéis de Tavico, de Estúpido Cupido (1976), Luís César, de Marron Glacê (1979) e o Toninho Jiló, de Roque Santeiro (1985), 
Na década de 1980 João Carlos esteve em Juiz de Fora para uma partida festiva de futebol.

Moacyr Toledo
Morre em Juiz de Fora, aos 87 anos, Moacyr Toledo
Toledinho morreu, vítima de insuficiência respiratória, na Santa Casa de Juiz de Fora.

O corpo será velado no terceiro andar da Câmara de Vereadores, à partir das 18 horas desta terça-feira, 13/08. O sepultamento está previsto para às 09 horas, de quarta-feira, 14/08, no cemitério Parque da Saudade, no bairro de Santa Terezinha.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Gente de Expressão

Valdir Appel nasceu em Brusque, Santa Catarina, em 01º de maio de 1946. Filho de Herbert Appel e Rosa Appel (in memoriam). Casado com Rosélis Appel e pai de um casal de filhos (Isadora e Eduardo).
               
Atleta/goleiro
Começou a carreira no C.E. Paysandu, de Brusque-SC, e se profissionalizou em 1963, no Carlos Renaux, de Brusque. Emprestado ao América do Rio, em 1965, teve seu passe adquirido em 1966 pelo Vasco da Gama. Atuou no clube de São Januário até 1972 e foi bicampeão de aspirantes (1966-67) e campeão carioca (1970)

Outros Clubes
Palmeiras (Blumenau-SC), Sport Club (Recife-PE), Campo Grande (Rio de Janeiro-RJ), Volta Redonda e Bonsucesso (Rio de Janeiro-RJ), América e Alecrim (Natal-RN), Ceub (DF), Goiânia, Atlético e Rio Verde (GO), onde encerrou a carreira em 1982.  

Escritor
- Na Boca do Gol (2006),
- O Goleiro Acorrentado (2010),
- Onde Ele Pisa Nascem Histórias (2014),
- Pra Sempre o Mais Querido - 100 anos do Clube Esportivo Paysandu (2018), (coautor com o escritor Ricardo José Engel), 
- O início de uma paixão - A história da origem do Voltaço (2019).
  
Atualmente, aposentado, Valdir Appel vive em Brusque e se dedica à literatura.

Literatura

"O início de uma paixão - A história da origem do Voltaço"

De autoria do escritor Catarinense Valdir Appel, que foi primeiro goleiro do Voltaço, a obra tem capa do designer gráfico Luís Brusque. Escrito na forma de crônicas que emocionam sem deixar de lado pitadas de humor, o livro conta a história da formação do Volta Redonda Futebol Clube, em 1976. Valdir Appel relembra desde suas primeiras negociações com a direção do clube até a entrada em campo pela primeira vez, e dá detalhes sobre a campanha do primeiro ano no futebol profissional. O livro é ilustrado com fotografias históricas e emblemáticas que relembram dirigentes e jogadores que ajudaram a escrever os primeiros capítulos da trajetória do clube

domingo, 11 de agosto de 2019

Gente de Expressão

Edson Gomes (Edson Roberto Gomes) nasceu em Santos Dumont, em 21 de maio de 1956. Filho de João José Gomes e Yara do Amaral Gomes (ambos falecidos). Pai do médico veterinário Raphael Renault Ribeiro de Oliveira Gomes e da Letícia Renault Ribeiro de Oliveira Gomes.   

Carreira  
Radialista (locutor anunciador e locutor apresentador), trabalhou nas rádios Cultura AM e Serra Azul FM (Santos Dumont), Garbosa FM (São João Nepomuceno), Super B3 AM, Difusora AM, Manchester FM e Solar FM (Juiz de Fora) e TV Globo de Juiz de Fora. Ao longo da carreira no rádio e na TV, Edson Gomes destaca os trabalhos realizados com Gutemberg Gomes, Jorge Mazzi, Daniel Barboza, Carlos Augusto (Guto), Joelson Jaime (Joe) e Jurandir Borges (in memoriam).
Hoje, aposentado, Edson Gomes vive em Patrimônio dos Paivas, distrito de Santos Dumont. 

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Literatura

"Pra Sempre o Mais Querido - Histórias Memórias do Clube Esportivo Paysandu"


A obra é de autoria do professor universitário e Mestre em Direito, Ricardo José Engel, que assinou o livro junto com o atual presidente do Paysandu e um dos grandes nomes da história do clube, o ex-goleiro Valdir Appel que juntos, resgatam os100 anosdo clube Paysanduano..
Parceiro de Appel na obra, Ricardo José Engel foi o principal responsável por fazer todo o resgate histórico dos 100 anos do clube.
O livro tem 280 páginas, com fotos históricas e o selo de qualidade da Editora Unifebe. A impressão é da Gráfica Pallotti.   


Um nome que marcou história na comunicação


Hélio Tys (Hélio Tyschlen) nasceu no Rio de janeiro em 25 de dezembro de 1925. Pai do jornalista Bruno Tys, era formado em direito, jornalista, radialista, novelista, roteirista, cineasta, diretor, ator, redator, escritor, autor, produtor e professor de interpretação. Se notabilizou na produção dos programas do Haroldo de Andrade (1934/2008). Hélio Tys morreu no Rio de Janeiro, aos 76 anos, em 01 de março de 2002.

Literatura

"Onde Ele Pisa Nascem Histórias"


Em seu terceiro livro, o ex-goleiro Valdir Appel, que defendeu a meta de clubes como Vasco da Gama, Sport e América de Natal, narra momentos vivenciados ou testemunhados por ele nos bastidores do futebol. Histórias engraçadas ou surpreendentes, e encontros com personagens lendários como o técnico Gentil Cardoso.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Gente de Expressão

Luiz Colucci (Luiz Antonio Horta Colucci) nasceu em Juiz de Fora em 05 de julho de 1927. Filho de Benjamin Colucci* e Maria de Lourdes Horta Colucci. Casado com Maria dos Anjos de Carvalho Colucci, pai de quatro filhos: Luiz Antonio, Alexandre, Carlos Frederico e Ludmila e avô de duas netas. 

Carreira
Advogado formado pela antiga Faculdade de Direito de Juiz de Fora, turma de 1950 e jornalista. No jornalismo, atuou nos jornais dos Diários Associados em Juiz de Fora, no Diário Mercantil e Diário da Tarde e na rádio Sociedade. 
No jornalismo Luiz Colucci destaca as coberturas das visitas de Juscelino Kubitscheck (1902/1976) e João Goulart (1919/1976), além dos governadores do estado a Juiz de Fora e os trabalhos realizados ao lado de José Carlos de Lery Guimarães (1933/1999), seu colega nos Diários Associados e na procuradoria federal do INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social). 
*Benjamin Colucci, magistrado e professor, foi um dos fundadores da Faculdade de Direito de Juiz de Fora, que foi absorvida pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). É nome de rua no centro, ao lado da Santa Casa, de praça no bairro de Santa Terezinha e dá nome ao Fórum da justiça em Juiz de Fora.

Literatura

Gente de Expressão

Cardoso Neto (Expedito Antonio Cardoso) nasceu em Nepomuceno, no Sul de Minas, em 27 de abril de 1947. Filho de Martiniano Cardoso (1922/1973)  e Iolanda Amorelio Cardoso. Casado com Maristela Cardoso e pai de quatro filhos: Cristiano, Juliano, Camila e Marina. 

Carreira
Radialista (repórter e comentarista esportivo), Cardoso Neto trabalhou nas rádios Jornal de Minas (atual América), Capital e Inconfidência (Belo Horizonte), Educadora (Cel Fabriciano) e Vanguarda (Ipatinga). Atualmente, é comentarista da rádio Itabira. Ao longo da carreira, trabalhou com Silva Neto, Mário Savaget, Luiz Otávio de Melo Pena, Marcos Russo, Toni José, Afonso Alberto, Roberto Abras, Roberto Rocha, Alair Rodrigues (1937/2012), Waldir de Castro (1934/2016), Dirceu Pereira de Araújo (1941/2015) e Jairo Anatólio Lima (1928/2009).

Literatura

domingo, 28 de julho de 2019

Um nome que marcou época na comunicação

Luiz de França (Luiz Gonzaga França Carneiro) nasceu em  Barbacena-MG, em  03 de fevereiro de 1946. Filho de Gerônimo e Yvonne, era viúvo de Maria da Penha, com quem se casou em 24 de julho de 1965, ela com 15 anos, e ele com 19.  
Carreira
Começou sua carreira em sua cidade natal, aos 15 anos de idade, na rádio Correio da Serra AM (da rádio Andradas), passou por rádio Barbacena AM (da família Bias Fortes), transmitindo bailes de carnaval e comandando programas de entretenimento. Aos 18 anos, participou e venceu o concurso do programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti (1923/1986), na TV Tupi, e como prêmio tornou-se locutor da TV Tupi e da rádio Tupi do Rio de Janeiro. Apresentou programas como Portugal sem Passaporte e Repórter Esso, em substituição a Heron Domingues (1924/1974). Foi dono da rádio Difusora de Petrópolis com o falecimento de seu tio. Trabalhou por 28 anos no Sistema Globo de Rádio, começando como locutor noticiarista e, posteriormente, comandou férias de colegas até assumir seu primeiro programa, o Show da Noite, tradicional na programação global no ano de 1983. Em 1985 teve uma rápida passagem pela rádio Globo São Paulo, onde substituiu Ely Corrêa. No mesmo ano, França passou a comandar as tardes da Globo, substituindo Waldir Vieira (que era titular da faixa vespertina e faleceu naquele ano). No ano de 1999 França passou a integrar a rádio Tupi do Rio, onde permaneceu até meados de 2007, até à sua ida para rádio Manchete AM 760 e e de 2008 até 2015, ele comandou seu programa na emissora diretamente de sua cidade natal, Barbacena, através de uma linha digital, das 15h às 17h de segunda à sexta.  Avô de Raphael de França, nascido no Rio de Janeiro, em 01º de setembro de 1987 e que seguiu os passos do avô na comunicação. 
Luiz de França morreu no Rio de Janeiro, aos 71 anos, em 28 de julho de 2017, sendo sendo sepultado no cemitério de Barbacena, em 29/07.

Literatura

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Gente de Expressão

Edson Gomes (Edson Roberto Gomes) nasceu em Santos Dumont, em 21 de maio de 1956. Filho de João José Gomes e Yara do Amaral Gomes (ambos falecidos). Pai do médico veterinário Rafael Renault Ribeiro de Oliveira Gomes e da Letícia Renault Ribeiro de Oliveira Gomes.   

Carreira  
Radialista (locutor anunciador e locutor apresentador), trabalhou nas rádios Cultura AM e Serra Azul FM (Santos Dumont), Garbosa FM (São João Nepomuceno), Super B3 AM, Difusora AM, Manchester FM e Solar FM (Juiz de Fora) e TV Globo de Juiz de Fora. Ao longo da carreira no rádio e na TV, Edson Gomes destaca os trabalhos realizados com Gutemberg Gomes, Jorge Mazzi, Carlos Augusto (Guto), Daniel Barboza, Joelson Jaime (Joe). Hoje, aposentado, Edson Gomes vive em Patrimônio dos Paivas, distrito de Santos Dumont.  

Literatura

"Luzes da Consagração - Vida e obra do educador, escritor e acadêmico Arnaldo Niskier"
 
Na biografia do professor Arnaldo Niskier, imortal da ABI (Academia Brasileira de Letras), o autor, José Louzeiro (1932/2017) relata sua vida, suas emoções, seus êxitos e suas performances.

Arnaldo Niskier nasceu no Rio de Janeiro em 30 de abril de 1935. Filho dos imigrantes judeus Mordko Majer Niskier e Fany Niskier e casado com com Ruth Niskier.

Um nome que fez história na comunicação

Dirceu Costa Ferreira nasceu em Juiz de Fora, em 21 de agosto 1937. Foi casado com Rosa Zoraida Zanganeli Ferreira e pai de quatro filhos: David Fernando Ferreira, Stela Marcia Ferreira, Oscar Ferreira e Marilia Marcia Ferreira.

Carreira
Radialista (locutor e comentarista esportivo), Contador (perito da justiçado trabalho) e ex-árbitro de futebol da antiga Liga de Desportos de Juiz de Fora (LDJF). 
Quando narrava futebol, Dirceu Costa Ferreira usava a seguinte frase "o tempo perguntou pro tempo, que tempo que o tempo tem", ao informar o tempo e o placar do jogo a cada cinco minutos.
Dirceu Costa Ferreira morreu em Juiz de Fora, as 62 anos, em 15 de fevereiro de 2000, sendo sepultado no cemitério Parque da Saudade, em 16/02. 

Literatura

“Elas e o Futebol”  
Organizado por Cecília Almeida Rodrigues Lima, Larissa Brainer e Soraya Barreto Corrêa, o livro que na sua estruturação faz uma analogia com um time, reúne 11 artigos escritos por mulheres (pesquisadoras, jornalistas e torcedoras) e se divide em duas partes: “Defesa” que traz artigos científicos sobre o tema e “Ataque” que aborda através de entrevistas e depoimentos de diversas de mulheres que experienciam de alguma maneira, o esporte. “

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Gente de Expressão

Jorge Troiano (Jorge Mouzart Troiano) nasceu em Juiz de Fora, em 01º de agosto de 1950. Filho de Rodolpho Troiano (gaúcho de Garibaldi) e Geny de Carvalho Troiano (mineira de Visconde do Rio Branco). Irmão de Rodolfo de Carvalho Troiano (nascido em Juiz de Fora em 03 de abril de 1949 e assassinado pela ditadura militar, na guerrilhado Araguaia, aos 24 anos, em 12 de janeiro de 1974), irmão do Cléber de Carvalho Troiano (nascido em Juiz de Fora, em 22 de junho de 1953), e pai do médico veterinário Fabrício Turetta Troiano, nascido em Juiz de Fora em  25 de abril de 1979 e formado pela UNIPAC (Universidade Presidente Antonio Carlos) .  

Carreira 
Jorge Troiano é radialista  (repórter e comentarista esportivo), empresário e músico. No rádio, trabalhou nas rádios Industrial, Capital, B3 e Solar.  Militando no rádio desde 1969, Troiano teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes da comunicação local, regional e nacional, a saber: Natálio Luz, Efigênio Gomes, Cloves Araújo, Teixeira Neto (Antonio Evandro Teixeira Neto, nascido em Ubá e falecido em Belo Horizonte e primo de Adair Ramos Teixeira Mendes), César de Alencar (Ermelindo César de Alencar Mattos, nascido em Fortaleza-CE em de junho de 1917 e falecido no no Rio de Janeiro, aos 72 anos, em 14 de janeiro de 1990), José Carlos de Lery Guimarães (1933/1999), Wilson Amin de Paula (1947/1995), Geraldo Magela Tavares (1927/2015), Otto Alves Ribeiro (1930/2011), Tony Martins (1943/2001), Carlos Alberto (1935/2018), Jair de Taumaturgo (1920/1970).  

TV 
Foi jurado de programas apresentados por César de Alencar e Jair de Taumaturgo, na TV Industrial.  Circo Fez espetáculos circenses, ao lado de Teixeira Neto em São João Nepomuceno.  

Observações 
- Seu pai, Rodolpho Troiano nasceu em Garibaldi, na Serra Gaúcha, em 1909. Incorporou ao Exército na cidade do Rio de janeiro (capital da República) e foi ordenança no governo do também gaúcho Getúlio Vargas, no período 1930/1945. - Mouzart, foi uma homenagem ao músico austríaco Amadeus Mozart (1956/1791).   

Literatura

"Ataulpho Alves - Um Bamba do Samba"
A obra, escrita por Luizito Pereira, refaz em palavras a trajetória de um dos mestres da MPB e o cerca com fatos históricos do Brasil e de Minas Gerais, com relevada ênfase à cidade de Miraí. Foi lá, mais precisamente numa tarde de domingo do dia 02 de maio de 1909, num lugar denominado Córrego da Braúna, espaço físico da Fazenda Cachoeirinha, que nascia Ataulpho Alves de Souza. Com o tempo o ''ph'' do nome foi substituído, à sua revelia, pelo ''f''.  A trajetória de sucesso de Ataulpho começou a ser desenhada em meados de 1920 quando mudou-se para o Rio de Janeiro. Lá conheceu e casou-se com dona Judith com que teve cinco filhos: Adélia, Matilde, Adeílton, Adelino (que morreu ainda criança) e Ataulpho Júnior. Ao lado da esposa permaneceu até o fim. 

Um nome que fez história na comunicação

Iná Coelho (Iná Coelho do Nascimento) nasceu na cidade de Tocantins-MG, em 22 de outubro de 1927 e foi registrada na cidade de Piau-MG. Filha de Nelson Coelho do Nascimento e Olinda de Sá. Solteira, tinha três irmãs (Ione, Euza e Diva) e três irmãos (Rômulo, falecido em Rio Novo, Hugo, falecido em Juiz de Fora em 2007 e Haroldo). 

Carreira
Veio jovem para Juiz de Fora e trabalhou na rádio PRB 3. Era apresentadora, cantora e rádio-atriz. Em Juiz de Fora, no rádio-teatro, atuou com Natálio Luz, Apparício de Vitta (1924/2001), José Carlos de Lery Guimarães (1933/1999), e outros importantes radio-atores e radio-atrizes. É tia em segundo grau da cantora Renata Brandão, filha de seu sobrinho, Roberto Coelho Brandão.
Iná Coelho morreu, aos 78 anos, em Volta Redonda, no Sul Fluminense, em 04 de junho de 2006.  

Literatura

"Arraial do Brejo"

De autoria do professor e historiador, Luizito Pereira. O título do livro, faz menção de como Miraí era conhecido em seu início. A obra é um romance cuja história é narrada na antiga Miraí onde ele revela detalhes históricos desconhecidos do público em uma trama cativante.

Gente de Expressão

Maurílio Rodrigues (Sebastião Maurílio Rodrigues) nasceu em Cataguases em 20 de julho de 1963. Filho de Sebastião Rodrigues Prata e Rita Maria de Souza Rodrigues. Casado com Maria José, pai de três filhos, Daniele, Rafael e Carolina e avô do Inácio.

Radialista (locutor) Maurílio Rodrigues trabalha no Sistema Multisom (rádio Cataguases) desde a década de 1980. Nas emissoras do Sistema Multisom, Maurílio destaca os trabalhos realizados ao lado de Sousa Mendonça (Edvar de Sousa Mendonça), Gomes (José do Carmo), Ailton Rangel (Ailton Gama Rangel), Tarcísio Carvalho, Vicente Felício, Hélio Fazolato (1930/2010), Tito Rodrigues (in memoriam), Celso Mota (in memoriam), Canhotinho (in memoriam),.

Além do rádio, Maurílio Rodrigues é apresentador de eventos e atualmente, apresenta programa na rádio Cataguases, das 13 às 17 horas. 

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Literatura

"Diário de um boia-fria"
A narrativa contada em primeira pessoa, além de contar a história do autor, o médico veterinário Adriano Silvio Neto, nascido em Matipó-MG, em 15 de maio de 1990, é mais do que isso. O autor revela desde os momentos mais simples e alegres até os perigos que essa profissão os expõe. Durante toda a história o autor relata sua vontade de crescer como pessoa e como profissional e a determinação o faz alcançar (e ainda está alcançando) os seus tão sonhados, metas e objetivos.

Matipó
Localizada na parte norte da zonada mata, distante cerca de 250 km da capital e com uma população de 18 mil habitantes, Matipó faz limite com os municípios de Abre Campo, Caputira, Manhuaçu, Pedra Bonita, Sericita e Santa Margarida.

Esse nome fez história no futebol, no samba, na política e na comunicação

Geraldo Magela Tavares nasceu em Juiz de Fora, em 24 de maio de 1927, filho de José Tavares e Marciela Tavares, foi casado com Nely das Dores Carnot Tavares e pai de quatro filhos. 

Futebol/samba/política
Torcedor do Tupi, Botafogo e da Escola de Samba Juventude Imperial e com ligações com a Escola Acadêmicos do Manoel Honório (bairro em que residiu). Foi treinador do Tupi, Sport, Tupynambás, Olimpic, de Barbacena e Londrina (Paraná). Dirigente do Tupi e da Liga de Desporto de Juiz de Fora. Seu melhor time foi: Waldir, Manoel, Murilo, Dario e Valtencir; França e Mauro; João Pires, Moacyr Toledo, Vicente e Eurico. Trabalhou no futebol com Zezé Moreira e Telê Santana. Na política, ocupou vários cargos, com destaque para secretário de Desenvolvimento Econômico. Abdicou de um emprego estável nos Correios para se dedicar ao futebol, ao samba e à comunicação.

Rádio
Trabalhou nas principais emissoras de rádio de Juiz de Fora e na TV, com destaque para o programa "camisa 10" da antiga TV Industrial. No rádio, foi comentarista esportivo e apresentador de programas musicais.
Geraldo Magela Tavares morreu em Juiz de Fora, aos 87 anos, em 08 de maio de 2015.

CONSIDERAÇÕES
De inteligência rara, Magela foi o comentarista de maior expressão com o qual eu tive o privilégio de trabalhar. Não possuía diploma universitário mas nos ofícios que escolheu para militar (futebol/comunicação/samba) era catedrático. 

sábado, 20 de julho de 2019

Literatura

“O Retrato Que Rabisquei Um Dia - A vida de Francisco de Paula Victor”

Livro escrito pelo padre Vânis Vieira da Cunha, tem 60 páginas, está dividido em 13 capítulos curtos, tem o prefácio de dom Pedro Cunha Cruz (bispo da Diocese de Campanha) e apresentação de André Luiz Oliveira.

Francisco de Paula Victor  
Padre Victor, filho da escrava Lourença Maria de Jesus, nasceu em Campanha, em 12 de abril de 1827 e morreu em Três Pontas, aos 78 anos, em  23 de setembro de 1905

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Gente de Expressão

Francisco Rezende (José Francisco Nunes) nasceu em Rosal, distrito de Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste Fluminense, em 28 de agosto de 1967. Filho de Antônio Rezende da Fonseca e  Carlota Nunes Rezende. 

Carreira
Jornalista e radialista (locutor esportivo, locutor apresentador e produtor de áudio), trabalhou nas rádios Sul Capixaba FM, de Guaçuí, Fama FM, de Castelo, Itatiaia AM/FM, de Belo Horizonte, Itatiaia AM, de Timóteo, Jovem Pan FM, de Ipatinga, Globo AM, de Ipatinga e Muriaé AM. Atualmente, trabalha na rádio Tropical FM, de Timóteo.
Fez trabalhos eventuais para as rádios: Globo Rio, Gazeta, CBN e Espírito Santo, de Vitória.
Atuando no rádio do Vale do Aço, narrou jogos do Ipatinga nas séries C, B e A, do campeonato Brasileiro, Copado Brasil e campeonato Mineiro.

Literatura

"Fundamentos do Radiojornalismo" 

O livro é um guia prático sobre as ferramentas e técnicas necessárias para a prática de radiojornalismo. É útil a jornalistas iniciantes ou experientes que desejam desenvolver e expandir suas habilidades. Este livro abrange o substrato de todo o conteúdo noticioso no que se refere à elaboração de um texto escrito, bem como ao acompanhamento de entrevistas, reportagens e leitura, trazendo dicas e sugestões. Traça um perfil de toda a prática de trabalho tanto na BBC quanto em rádios comerciais do Reino Unido. Apresenta aspectos técnicos e legais, bem como um capítulo dedicado à produção de programas jornalísticos. Para os estudantes, há preciosas dicas a respeito de como obter um emprego, resvalando no marketing pessoal e no comportamento em entrevistas.

sábado, 13 de julho de 2019

Gente de Expressão

Granger Ferreira (Granger Soares Ferreira) nasceu em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, em 16 de fevereiro de 1981. Filho de Salvador Ferreira da Silva (1935/2018) e Cilme Paiva Soares Ferreira. Casado com Karina de Souza e pai do Kaíque Giovane.

Carreira
Trabalhou nas rádios Record, Continental, Litoral e Cidade e TV Litoral e no portal Ururau. Atualmente, trabalha na TV Record (Campos dos Goytacazes) e é editor do blog www.gfesporte.com.br

Literatura

"Varginha, toda a verdade revelada"

Marco Antônio Petit fez parte como convidado da equipe de ufólogos que investigou o suposto aparecimento do ET na cidade. Segundo ele, até o início do procedimento instaurado pelo Exército, "a verdade era exposta por cada um de nós independentemente de suas possíveis implicações. Após o procedimento, lentamente as coisas começaram a se modificar". Petit defende que uma nave alienígena caiu sobre a cidade naquele dia 20 de janeiro de 1996 e que parte de sua tripulação foi recolhida pelas autoridades.

Gente de Expressão

Estela Torres (Estela Cauri Torres) nasceu em Nova Resende-MG, em 06 de agosto de 1970. Filha de Francisco Torres (1929/2015) e Iolanda Tame Torres. Casadacom o jornalista Lenilson Frezzato.

Formação/Carreira
Formada em jornalismo pela Universidade de Alfenas (Unifenas), em 1995, trabalhou nas rádios Cultura, Universidade e Atenas (Alfenas)  Vanguarda e Melodia (Varginha) e na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Varginha. Atualmente a jornalista Estela Torres é correspondente no Sul de Minas da Rede Itatiaia de Rádio. Atuou em várias reportagens sobre o caso ET de Varginha, acompanhou a contratação do goleiro Bruno (caso Elisa Samúdio) pelo Boa Esporte e a volta dele para a prisão em Varginha, e as cerimônias de beatificação de Nhá Chica, em Baependi, e padre Vitor, em Três Pontas, eventos que mobilizaram milhares de pessoas.  

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Literatura

"ET de Varginha - O ET do Brasil"
Esta obra, escrita por Arlindo Cruz, não é um estudo ufológico do incidente. É uma versão dele, na categoria de ficção romântica, protagonizada por dois jovens, um terráqueo e uma extraterrestre, que se apresenta de forma ingênua e inconsequente. Recontar o Caso como uma estória de amor parece impossível, coisa de lunático. Mas, na visão do autor, tudo aconteceu por amor, e ele expõe porque os ETs estiveram em Varginha, o que os obrigou a se arriscarem tanto no meio de seus habitantes. Desse modo, a estória começa na zona rural de Varginha e depois se destina para sua área urbana. O enredo, no início, é ambientado em meio a uma floresta e um vilarejo de matutos mineiros e nordestinos. Fictício, se passa em 19/01/1996, um dia antes do dia D. Os acontecimentos advindos do envolvimento amoroso entre os dois jovens dessemelhantes permitem que vivam uma jornada de aventura e paixão, enquanto fogem daqueles que estão perseguindo-os- ETs, o exército, o fazendeiro e sua corja. A trama urbana, com o dia D e as peripécias dos jovens em Varginha, foi construída baseada em descrições de testemunhas, reportagens (de TV, revistas e jornais), documentários, relatórios (oficiais ou não), livros de ufólogos e, principalmente, no relato do contato das três garotas com um ET. Todos os fatos ocorrem em 48 horas e são recontados de forma atemporal e sequencial. Tudo está entrelaçado, sem tédio, no romance. Esta obra é recheada de cenas românticas, de muita ação, aventura, suspense e pinceladas de humor.

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Gente de Expressão

Pennaforte (José Luiz da Silva Pennaforte) nasceu no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, em 23 de fevereiro de 1956. Filho de José do Egito Mandarino Pennafort (nascido em Santos Dumont em 1932 e falecido no Rio de Janeiro em 2009) e Míriam da Silva Penaforte (nascida no bairro de Rocha Miranda em 1932 e falecida em 1957). Casado com a professora Regina Pennaforte, pai da pedagoga Juliana Pennaforte e avô da Laura.    

Formação  
Formado em direito pela faculdade Cândido Mendes, campus de Araruama, atua nas áreas trabalhistas e de família.   

Carreira  
Radialista (locutor e publicitário), Pennaforte iniciou carreira na rádio Capital, de Juiz de Fora e trabalhou nas rádios Juiz de Fora AM e FM, apresentando o programa "Clube do Amor", Costado Sol, de Araruama e Cabo Frio (sua atual emissora).    

Atuando no rádio de Juiz de Fora, Pennaforte destaca os companheiros Humberto Zaghetto, Dé França, Cláudio Silva de Carvalho (Cacau), Antonio Dângelo (1946/2014), Antonio Fernando (1954/2018) e Wanor França (1951/2018)). Torcedor do Fluminense e simpatizante da Escola de Samba Beija-Flor, de Nilópolis, Pennaforte, no início da carreira foi repórter esportivo e participou de várias transmissões dos desfiles das escolas de samba de Juiz de Fora.

domingo, 7 de julho de 2019

Copa Scheffer

Criada em 1995 e disputada no campo do campo do Guaporé, na cidade alta, em Juiz de Fora, a competição é uma homenagem  ao jogador ex-jogador  Marinho Scheffer, que morreu aos 27 anos, em 05 de fevereiro de 1993. A competição, com um mês de duração, acontece sempre no início do segundo semestre.

O homenageado
Marinho Scheffer (Osmar dos Santos Scheffer) nasceu em Juiz de Fora em 05 de maio de 1967. No futebol, Marinho Scheffer era volante e atuou nas seguintes equipes:
Tupi (campeão mineiro do interior em 1987), Atlético  Mineiro (taça BH Junior), Santos (taça São Paulo Junior), Fortaleza (campeão cearense pelo Fortaleza), Emelec e Barcelona de Guaiaquil (Equador), Club Atlético River Plate (Argentina),  Altona 93 (Alemanha) e Nacional da Ilha da Madeira (Portugal).

Um nome que fez história na comunicação

Fernando Sasso (Fernando Campos Sasso) nasceu em Oliveira Fortes em 07 de maio de 1936. Na infância, morou na rua Padre Café, esquina com Independência (atual Itamar Franco), no bairro de São Mateus, em Juiz de Fora (no local foi um quartel do Exército, e hoje é um prédio comercial). Narrador e comentarista esportivo, trabalhou na TV Globo Minas e na rádio Itatiaia (Belo Horizonte). O bordão "tá no filó”, marcava o momento do gol. Foi presidente da Ademg, entidade que administrava o Mineirão. Fernando Sasso morreu em Belo Horizonte, aos 68 anos, em 06 de maio de 2005.

sábado, 6 de julho de 2019

Literatura

"Produção de rádio - Um guia abrangente de produção radiofônica"
Este livro é um manual de trabalho que abrange praticamente todos os aspectos da produção de rádio na esfera profissional. Aborda os seguintes tópicos: Produção e edição de noticiários; Preparação e apresentação de entrevistas; Elaboração de roteiros; Produção e apresentação de programas de variedades; Gravação de música; Radioteatro; Locução de comerciais; Avaliação de programas; Métodos operacionais, incluindo as mais recentes técnicas digitais. O autor, apoiado numa prática de mais de trinta anos dirigindo diferentes setores da BBC, inclui diversos exercícios de treinamento, bem, como modelos de roteiros, estudos de casos e exemplos práticos. Trata-se de uma obra clara e acessível, inestimável para estudantes e profissionais da área.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Gente de Expressão

Tadeu Miracema (Ademir Tadeu Gonçalves Rangel) nasceu em Miracema, na região Noroeste do estado do Rio de Janeiro, em 02 de Janeiro de 1967. Filho de Admir Pessanha Rangel, natural de São Francisco de Itabapana-RJ (1930/1989) e Cleia Gonçalves Rangel (nascida em Palma em 1941. Casado com Renata Titoneli Assad e tem uma filha, Lívia Maria

Blogueiro e historiador
Blogueiro por diversão, historiador e apaixonado por leitura, música e colecionador de raridades do do futebol, Tadeu Miracema é editor do Blog www.blogdotadeumiracema.blogspot.com, e por lá conta histórias de conterrâneos e de personalidades que se destacaram em diversos segmentos da sociedade. Ademir destaca que o tema esportivo é muito abrangente e o jogador de futebol do passado tem a sua vida contada em fatos e dados. E ressalta que a história deve servir como instrumento de conscientização dos homens para a tarefa de construir um mundo melhor e uma sociedade mais justa. As informações recolhidas no passado não servirão ao presente se não forem recriadas, questionadas, compreendidas e interpretadas, conclui. 

Literatura

"Brasil: Uma biografia"
Aliando texto acessível e agradável, vasta documentação original e rica iconografia, Lilia Katri Moritz Schwarcz e Heloísa Maria Murgel Starling propõem uma nova (e pouco convencional) história do Brasil. Nessa travessia de mais de quinhentos anos, se debruçam não somente sobre a “grande história” mas também sobre o cotidiano, a expressão artística e a cultura, as minorias, os ciclos econômicos e os conflitos sociais (muitas vezes subvertendo as datas e eventos consagrados pela tradição). No fundo da cena, mantêm ainda diálogo constante com aqueles autores que, antes delas, se lançaram na difícil empreitada de tentar interpretar ou, pelo menos, entender o Brasil. A história que surge dessas páginas é a de um longo processo de embates e avanços sociais inconclusos, em que a construção falhada da cidadania, a herança contraditória da mestiçagem e a violência aparecem como traços persistentes.

Gente de Expressão

Valmir Rodrigues (Valmir Machado Rodrigues) nasceu em Juiz de Fora em janeiro de 1967. Filho de Waldir Rodrigues e Iracema Machado Rodrigues (1934/2016), pai da Vanessa e da Rafaela. 

Carreira
Repórter, apresentador e ator profissional, Walmir Rodrigues trabalhou nas rádios. Em Juiz de Fora: Manchester FM (atual Cidade), Nova Cidade AM (atual Manchester), Solar AM (atual CBN) e FM (Mix), Energia FM (atual Alô) e Catedral FM. Em Brasília: Rede Manchete, rádios Cidade, Transamérica e OK (atual Metrópolis). Em Juiz de Fora TV Alterosa/SBT e Rede Mais/Record.

Nomes relevantes com os quais trabalhou: 
Juiz de Fora: Gil Horta, Sérgio Rodrigues, Alberto Bejani, Francisco Canalli, Márcio Augusto (1945/2012), Carlos Alberto (Casobé), Joelson Jaime (Joe-1963/2012), Liliane Luchin. 
Brasília: Eugênio de Sá, Fred Passajou, Celso Gomes (Dj Celsão-1963/2015), Luiz Carlos Ximenes, Elyvio Blower, Alexandre Medeiros, Luiz Carlos (Lula).  

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Literatura

‘’A Arte de Falar’’
O radialista José Dalóia (1933/2018) conta neste livro sua trajetória como jornalista e radialista, passando pelas rádios Tupi, Difusora, Nove de Julho, Excelsior e Marconi. Na rádio Cacique de São Caetano do Sul, foi diretor artístico e depois passou para a rádio Globo, com um dos programas de maior audiência, naquela época, o "Sertanejão". Conviveu e trabalhou com os maiores nomes do rádio como o Francisco Paes de Barros e Osmar Santos, onde escreveu uma homenagem. Neste obra, o autor, descreve, através de sua longa experiência, as teorias e práticas da comunicação falada, dando dicas de leitura, postura e respiração bem como diversos exercícios para melhorar e cuidar da voz.

Gente de Expressão

Ailton Alves (Alton Alves Pereira) nasceu em Galiléia, no Leste de Minas, em 09 de março de 1963. Filho de Jair Alves Pereira (1933/2017) e Luzia Pereira da Silva (1940/2013), é casado com Marlene.

Carreira
Jornalista formado pela Universidade Federal de Juizde Fora (UFJF) trabalhou no Diário Regional, TVE, Tribuna de Minas e Jornal dos Sports.
Ao longo da carreira no jornalismo, Ailton Alves destaca Josino Aragão (1943/2007), Dirceu Costa Ferreira (1937/2000), Wilson Cid, Aníbal Pinto, Ivan Elias, entre outros 

Escritor
"Meus Sonhos São Bastante Razoáveis" (2003)
"A Saga dos Carijós" (2004)
"Cidadão do Mundo" (2005)
"O Professor" (2007).

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Literatura

"Antônio Bartolomeu – uma biografia"
Escrito pelo sociólogo Osias Ribeiro Neves e editado pelo Escritório de Histórias, o livro narra a história de Antônio Bartolomeu Barbosa, nascido na Zona Rural de Amparo da Serra, que ao longo da sua trajetória trabalhou firme no comércio, criou, com seu pai, o próprio negócio e faz dele um sucesso com a participação dos irmãos. Entrou para a política com o propósito de ajudar Ponte Nova, cidade de que escolheu para viver.  Elegeu-se prefeito por duas legislaturas e pautou sua vida, em além de cuidar da família e de seus negócios, em prol do outro, atuando em diversos projetos sociais e religiosos da cidade.     


Gente de Expressão

Wagner Augusto (Wagner Augusto Álvares de Freitas) nasceu em Pará de Minas, em 05 de julho de 1967. Filho de Pedro José de Freitas (nascido em 18/05/1942) e Mararia das Graças Álvares Ferreira de Freitas (nascida em 15/10/1945), casado com Janete Brandão da Silva e pai de dois filhos: Laura Brandão Álvares de Freitas (nascida em 08/08/2002) e Wagner Augusto Álvares de Freitas Filho (nascido em 04/04/2004). 
 
Formação:
Graduado em Jornalismo (Fafi-BH) e pós-graduado em História Moderna e do Brasil (Fafi-BH) e Administração Municipal (Fundação João Pinheiro).

TrajetóriaAtuou como comentarista esportivo nas Rádios Capital (AM 570) e Record (FM 90.7) e TV's Horizonte e Rede de Integração Popular, todas as emissoras de Belo Horizonte. Foi assessor de imprensa de vários atletas de futebol, tais como os atacantes Afonso Alves (campeão da Copa América de 2007 pela Seleção Brasileira), Müller e Jussiê, entre outros. Também trabalhou como assessor de imprensa do Villa Nova AC, de Nova Lima-MG, entre 2003 e 2013. Atualmente ocupa o cargo efetivo de Analista Legislativo/Jornalista na Câmara Municipal de Betim. Exerce a função desde 15 de dezembro de 1995 após aprovação em concurso público.
 Livros publicados-  A Obra de Wagner Augusto - Parte I (1995)
- Villa Nova: 100 Anos de Glória em Vermelho e Branco (2008)
- Almanaque do Leão do Bonfim (2011).

Apesar de nascido no interior mineiro (em Pará de Minas), reside em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, desde fevereiro de 1971. Nos momentos de folga costuma descansar em sua casa de campo localizada em Mário Campos. Trabalha no momento em dois projetos literários: a segunda edição do ALMANAQUE DO LEÃO DO BONFIM, que conterá a Ficha Técnica completa dos jogos do Villa Nova de 2011 a 2020, e a história do Campeonato Mineiro, desde 1915.

Literatura

"Ponte Nova Memória e Patrimônio - Um retrato histórico", 
Escrita pelo sociólogo Osias Ribeiro Neves e com 234 páginas, a obra aborda o município de Ponte Nova, por meio de fotos, declarações e história dos seus moradores . O livro é dividido em oito capítulos, iniciando com um passeio pela segunda metade do século XVIII e século XIX com foco na expansão cafeeira da Zona da Mata Mineira, as usinas de açúcar, a chegada do trem em Ponte Nova até os primeiros anos de República no Brasil. Aborda ainda o perfil da cidade nos anos cinquenta, os anos dourados, e também os anos de chumbo, com crise do petróleo, as enchentes e a mobilização para reestabelecer a democracia e a economia.