sábado, 2 de março de 2024

Futebol amador

Time do bairro Floresta - região sudeste de Juiz de Fora

Em pé: Tionin, Miguel (Miguel Priamo Carbogim), Chico Garcia, Ildefonso, Zé Augusto e Borracha (José Rufino de Souza).

Agachados: Zequinha (José Moreira), Cacau, Alan (Allan Kardec Morais), Nezio e Dr. Sergio (Sérgio Pinheiro de Assis).

quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

“Benfica da Gente - Elos entre memórias do passado e memória do futuro”

De autoria da jornalista Aline Junqueira, a obra é inspirada, com adaptações, no documentário da autora, "Benfica da Gente - A história do bairro-cidade contada por seus moradores", de 2007, 

Benfica, que no passado foi Benfica de Minas e um sub-distrito de Juiz de Fora, pode ser dividida em em três etapas de intensa ocupação urbana:

01 - O primeiro, quando se instalou a FEEA (Fábrica de Explosivos e Espoletas de Artilharia), hoje, IMBEL (Indústria de Material Bélico), cuja produção começa na década de 1940. Nesta época, a região era tipicamente rural. A própria fábrica precisou criar uma estrutura urbana para funcionar (escolas, hospital-maternidade, casa para os operários, etc).  

02 - O segundo momento é na década de 1960. A Fazenda Bemfica já havia sido dividida entre os herdeiros. A parte que hoje é o “centro” da região foi comprada por uma família que promoveu um loteamento popular. O bairro passou a ser visto como uma boa região comercial por presença de público e ausência ou baixa concorrência. No período, obras de infraestrutura foram realizadas pela Prefeitura de Juiz de Fora. O atual Distrito Industrial I foi criado. Surge então um movimento de emancipação do subdistrito Benfica de Minas, o que foi abortado, com a transformação do sub-distrito em bairro.  

03 - O último movimento de ocupação veio na década de 1990, com novos loteamentos populares construídos em outras áreas da antiga Fazenda (Vila Esperança I e Nova Benfica). Também houve posse ilegal de terras que dão origem, posteriormente, ao Bairro Vila Esperança II. Implantou-se o Distrito Industrial II para a instalação de uma montadora de automóveis. Assim, houve uma migração de operários para a região. Desde então, o crescimento populacional é visível.

A autora
Aline da Rocha Junqueira é jornalista, graduada em Comunicação Social pela UFJF, com mestrado em Comunicação e Cultura pela UFRJ, ex-assessora parlamentar, ex-presidente da associação de moradores de Benfica e atual secretária de Sustentabilidade em Meio Ambiente e Atividades Urbanas da prefeitura de Juiz de Fora

Foto histórica

domingo, 25 de fevereiro de 2024

Literatura

Memórias de uma família mineira: os Assis de Juiz de Fora

De autoria da historiadora Graça Salgado, a obra descreve com precisão os três séculos de existência de um grupo familiar, em cujas raízes seculares se encontra boa parte da memória da cidade de Juiz de Fora/MG.  

Com grande destaque e influência em seu local de origem, a história contada neste livro também se constitui num precioso documento para a abordagem da vida privada de certo tipo de família brasileira, percorrendo cinco gerações e mostrando sua convivência com personagens de relevo da política nacional, como Getúlio Vargas, muitas vezes presentes nas relações sociais dos Assis. 

Gente de ascendência rural afeita à lida com a terra, embora imersa na cultura decorrente desse tipo de experiência, consegue o feito de migrar, com igual sucesso, para a indústria e para os serviços necessários ao bom andamento da vida na cidade. Nesse rumo, os Assis atuaram no que havia de mais moderno na primeira metade do século XX no transporte.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Campeonato Mineiro do módulo dois /2024

Primeira fase - de 04 de maio a 22 de junho.


Chave A: Aymorés (Ubá), Betim, Democrata (Sete Lagoas), Nacional (Muriaé), Tupi (Juiz de Fora) e Valeriodoce (Itabira).

Chave B: Boa Esporte (Varginha), Caldense (Poços de Caldas), Mamoré (Patos de Minas), North (Montes Claros), Varginha e URT (Patos de Minas).

Jogos do Tupi

04/05 - Tupi x Betim
11/05 - Democrata/SL x Tupi
15/05 - Aymorés x Tupi
18/05 - Tupi x Valério
25/05 - Nacional x Tupi
01/06 - Tupi x Nacional
05/06 - Valério x Tupi
08/06 - Tupi x Aymorés
15/06 - Tupi x Democrata/SL
22/06 - Betim x Tupi.

Foto histórica

O Sousa Esporte Clube foi fundado em 10 de julho de 1991, que tem como mascote o dinossauro, manda seus jogos no estádio Antônio Mariz, o Marizão, com capacidade para 14 mil espectadores.

O lateral juizforano, Edvaldo Alves Vidal, atuou pela equipe paraibana na temporada de 1995.



Copa do Brasil 2024

O Cruzeiro, maior vencedor da competição com seis conquistas (1993, 1996, 2000, 2003, 2017 e 2018), estreia nesta quarta-feira, 21/02, na cidade de Sousa, no interior da Paraíba, contra o time local

Sousa/PB
Localizado no interior do estado da Paraíba, distante, cerca de 430 km, a oeste de João Pessoa, a capital do estado.
População: 70 mil habitantes (06º mais populoso do estado).
A cidade foi fundada em 1766 e emancipada em 04 de junho de 1800.

Sousa EC
O Sousa Esporte Clube foi fundado em 10 de julho de 1991, que tem como mascote o dinossauro, manda seus jogos no estádio Antônio Mariz, o Marizão, com capacidade para 14 mil espectadores.

Juiz de Fora
O
lateral
juizforano, Edvaldo Alves Vidal, já atuou pela equipe paraibana, adversária do Cruzeiro.

Foto histórica

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024

Notável personalidade

Jorge Luiz (Jorge Luiz Nascimento) nasceu em Além Paraíba/MG, em 15 de fevereiro de 1952.


Carreira
Radialista, iniciou carreira na Rádio Cultura de Além Paraíba

Outras emissoras
Trabalhou no rádio de Cataguases, Muriaé e Macaé.

Rio de Janeiro
O auge da carreira foi no rádio do Rio de Janeiro, tendo trabalhado nas emissoras O Dia, Carioca, Nacional, Tamoio, Manchete, Tupi e Globo.

Carnaval
Com profundo conhecimento do mundo do samba, era o apresentador oficial dos desfiles das escolas de samba pela emissora que trabalhava.

Além Paraíba
De volta pra casa, atualmente apresenta na Rádio Juventude FM 95,5, o programa "Manhã Juventude"., de 06 às 09 horas, de segunda a sexta-feira.

Obs: Seu pai foi goleiro do Tupi.

domingo, 11 de fevereiro de 2024

Carnaval 2024

 ORVALHO folia

Letra: Eduardo de Freitas
Música: Juarez Salles

O bloco Orvalho folia,
Caiu no samba para cantar a alegria.
Sorria, sorria, sorria!!!!
Só quem é bamba vem pro Orvalho folia.

É Carnaval, nós juntos e misturados,
Cantamos o Orvalho, nosso antigo povoado.
Orvalho agora é distrito muito mais qualificado,
Vem com o Orvalho folia para ser representado!!

Neste Carnaval boy deixar marcado,
Que a estação de Orvalho, para mim, é lugar sagrado!!!

Tá no nosso coração
Tá em nossa mente
Que o Orvalho folia,
Desfila alegremente!!!
Vem com a gente!!!

Autores
- Eduardo de Freitas (Eduardo José Lima de Freitas) nasceu em Juiz de Fora e tem ligações familiares com Lima Duarte e Orvalho. Médico formado em Juiz de Fora, foi vereador por quatro mandatos consecutivos, de 1993 a 2008, líder do governo de 1993 a 1996, presidente do legislativo no biênio 1997/1998 e vice-prefeito de Juiz de Fora na gestão Custódio Mattos, de 2009 a 2012.
- Juarez Salles (Juarez Salles de Almeida Filho) nasceu em Lima Duarte, tem ligações familiares com Lima Duarte e Orvalho, professor formado em Juiz de Fora, atualmente reside em Caratinga.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2024

Literatura

"Longe do Ninho: Uma investigação do incêndio que deu fim ao sonho de dez jovens promessas do Flamengo de se tornarem ídolos no país do futebol"

De autoria da jornalista e escritora juizforana Daniela Arbex, traz revelações inéditas daquela madrugada fatídica. Com idades entre 14 e 16 anos, morreram no incêndio Arthur Vinicius, Athila Paixão, Bernardo Pisetta, Christian Esmério, Gedson Santos, Jorge Eduardo, Pablo Henrique, Rykelmo de Souza Viana, Samuel Thomas e Vitor Isaías. 

A ideia do livro surgiu após a escritora ser procurada por uma mãe que perdera o filho no incêndio. Após dois anos reunindo depoimentos e investigando o caso, a escritora narra de forma comovente o dia a dia dos meninos, a amizade entre eles, o luto infinito dos pais e, sobretudo, o rol de negligências que culminaram na morte de 10 inocentes. 

"Eu não escrevo sobre tragédias, mas sim sobre omissões que causam tragédias"
Daniela Arbex


A autora

Daniela Arbex nasceu em Juiz de Fora em 23 de abril de 1973.

Formação
Formada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 1995,

Obras
- Holocausto Brasileiro - Genocídio: 60 mil mortos no maior hospício do Brasil (2013);
- Cova 312 - A longa jornada de uma repórter para descobrir o destino de um guerrilheiro, derrubar uma farsa e mudar um capítulo da história do Brasil (2015);
- Todo Dia a Mesma Noite - A história não contada da boate Kiss (2017);
- Os Dois Mundos de Isabel  - A saga da menina que nasceu no interior de Minas em 1924, e com apenas 09 anos passou a ver e ouvir coisas que ninguém compreendia (2020);
- Arrastados - Os bastidores do rompimento da barragem de Brumadinho, o maior desastre humanitário do Brasil (2022);
-  Longe do Ninho: Uma investigação do incêndio que deu fim ao sonho de dez jovens promessas do Flamengo de se tornarem ídolos no país do futebol. (2024).

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2024

Carnaval 2024

Passarela do Samba para o Carnaval 2024. 

A Passarela permanece na av. Brasil, desta feita, no "novo velho" local, entre as pontes de Santa Terezinha e do Manoel Honório, ao lado do muro do Museu Mariano Procópio, com concentração na rua senador Feliciano Pena e dispersão na altura do clube Dom Pedro.

Ordem dos desfiles 


Sábado – 10/02/2024

Grupo de Acesso II

  • 20h – Encantos da Vila

Grupo de acesso I

  • 21h – Rosas de Ouro
  • 22h/22h20 – União das Cores
  • 23h/23h30 – Vale do Paraibuna
  • 00h/00h20 – Juventude Imperial
  • 01h/01h20 – Mocidade Independente do Progresso
  • 02h/o2h20 – Partido Alto
  • 03h/03h20 – Unidos do Ladeira

Domingo – 11/02/2024

Grupo Especial

  • 21h – União de Santa Luzia
  • 22h/22h20 – Feliz Lembrança
  • 23h/23h30 – Real Grandeza
  • 00h/00h20 – Rivais da Primavera
  • 01h/01h20 – Mocidade Alegre de São Mateus
  • 02h/02h20 – Unidos das Vilas do Retiro
  • 03h/03h20 – Turunas do Riachuelo

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2024

quarta-feira, 31 de janeiro de 2024

Notável personalidade

Kim Ribeiro (Joaquim Augusto de Assis Ribeiro de Oliveira) nasceu em Juiz de Fora em 31 de janeiro de 1949.

Família
Filho do flautista Joaquim Ribeiro de Oliveira, dos fundadores da Orquestra Filarmônica de Juiz de Fora.

Carreira
Compositor, professor e instrumentista (flautista)

Rio de Janeiro
Em 1968, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou nos Seminários de Música Pró-Arte com Ester Scliar, César Guerra Peixe, Homero Magalhães, Lenir Siqueira e Odette Ernest Dias.

Flautista
Foi flautista da Orquestra Juvenil do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, sob a regência de Nelson Nilo Hack, e da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob a regência de Florentino Dias.  Em 1969, tocando piccolo, integrou a Banda do Corpo de Bombeiros do Estado da Guanabara, na qual permaneceu até 1972. Nessa época, começou a atuar com vários artistas, como Alaíde Costa, Nelson Cavaquinho, Johnny Alf, Sérgio Ricardo e Baden Powell, entre outros. Participou de vários grupos: Quinteto de Sopros Juvenes, Ad Libitum (com Mauro Senise, Raimundo Nicioli, Neco, Milton Botelho e Cid Freitas) e Quarteto Pixinguinha (com Raul Mascarenhas, Ronaldo Albernaz e Mauro Senise).

Professor
Lecionou flauta na Escola Brasileira de MPB, que funcionava no MIS (Museu da Imagem e do Som), e no Conservatório Brasileiro de Música, no Rio de Janeiro.  

Juiz de Fora
Em 1975, voltou a Juiz de Fora, onde lecionou no Conservatório Estadual de Música.

Participou, em 1978, do Sétimo Encontro Latino-Americano de Música Contemporânea, no qual estudou com Jorge Peixinho, Oscar Bazán, Violeta de Gainza, Dieter Kaufman, Gilberto Mendes, H. J. Kollreuter, José Maria Neves, Graciiela Paraskevaides e Wily Corrêa.  

Rio Grande do Sul
Entre 1980 e 1985, morou em Porto Alegre, onde estudou violoncelo com Jorge Falcione e Inge Schmiedt. Também na capital gaúcha, integrou o Quarteto com Cordas (com Hella Franck, Marcelo Berwanger e Ricardo Pereyra), o Trio de Flautas (com Sandra Costa e Ayres Potthoff) e o Trio de Madeiras (com Augusto Maurer e Adolfo Almeida Jr).  

LP
Lançou, em 1981, o LP “Kim Ribeiro”, contendo suas composições “Plu”, “Soneto” (c/ Mário Quintana), “Kvinopo”, “Ol” “Traça Coco”, “Um adeus” e “Mais do que isso”, além de “Cabaninha” (Jessé Silva) e “Valsa de Eurídice” (Vinicius de Moraes).  No ano seguinte, gravou, com Raimundo Nicioli, o disco “Kim Ribeiro/ Raimundo Nicioli”, registrando composições próprias, como “Tempo de espera” (c/ Regina Celi), “De manhã”, “Nuvem passageira” e “Sábado à noite” (c/ Raimundo Nicioli).  Participou, com suas músicas “Radiko lapis” e “Rosa formosa”, do disco “Porto Alegre 83”, coletânea que reuniu diversos artistas gaúchos: Geraldo Flach, Giba Giba, Fernando de Ó, Toneco, Raiz de Pedra, Cao Trein, Hique Gomes, Sá Brito e Santana. 

Documentários
Compôs temas para os documentários em vídeo: “Nair Benedicto”, dirigido por José Santos para a Fundação Itaú, São Paulo; “O Rei do Samba”, com direção de José Sette, e “Causa Mortis”, dirigido por Marcos Pimentel.  

CD
Em 1993, como regente e preparador do coral, participou do CD “IV Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música antiga”, pelo selo C.C. Pró-Musica de Juiz de Fora.  Em 1996, com sua composição “Majestic”, participou do disco “Unimúsica 150” (projeto da UFRGS).  Dois anos depois, atuou como flautista no vídeo “Leonardo Boff – 60 anos”.  Lançou, em 1999, o CD “Kim.mid”, contendo suas composições “Preludeto”, “Clarice”, “Cecília vai ao cinema”, “Homenagem aos Mestres” e outras tocadas por computador. Nesse mesmo ano, comemorando seu aniversário de 50 anos, apresentou o concerto “Jubileu”, registrado em vídeo e CD, do qual participaram Mauro Senise, Raimundo Nicioli, Andréa Dias, Kalota, Márcio Hallack, Dudu Lima, Dom Camilo, Franklin da Flauta, Luiz Fernando Zamith, Odette Ernest Dias e Grupo Choro & Cia. O disco foi lançado no ano seguinte.  Com suas composições “Sílvia” e “Floresta”, participou, em 2001, do CD “Cartografia musical brasileira – Minas Gerais”.  Em 2003, lançou, com Toneco da Costa, Fernando do Ó e Adolfo Almeida Jr., o CD “Majestic”.  Constam ainda de sua discografia participações nos CDs “Brincadeiras de quintal” (2000), de Bilinho Teixeira, “Ritmo do tempo” (2001), de Joãozinho da Percussão, “Bodas de flauta” (2001), de Estêvão Teixeira, e “FreeBop Duo II” (2003), de Don Camilo.  

Quinteto
É integrante do Quinteto Pixinguinha, com o qual gravou CD homônimo (2000), e do regional Choro & Cia, com o qual lançou o CD “No boteco do Hélio” (2003), que incluiu seu choro “Saudades do Jazz Club”.

40 anos
Em 2006 lançou em Juiz de Fora o CD “40 anos de música”, uma coletânea de 14 faixas autorais com composições de todas as fases da carreira do artista, com apoio da Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa)

Atualmente, reside em Juiz de Fora.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2024

Foto histórica

Da esquerda para a direita:

Dení Menezes (nascido em Manaus em 1939), Ronaldo Castro (Ronaldo Luiz Dias de Castro nasceu no Rio de Janeiro, em 05 de dezembro de 1947, no bairro da Vila Isabel), Agostinho Gomes (in memoriam), Pedro Paradela (?) e Ayrton Rebello (nascido em Teresópolis, região serrana do Rio, em 05 de junho de 1935.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2024

Cariocão/2024-Curiosidades

 Ex-treinadores de seleções 

Tite (Flamengo) dirigiu a seleção Brasileira nas copas de 2018 (Rússia) e 2022 (Catar);
Fernando Diniz (Fluminense) dirigiu a seleção brasileira em parte da temporada de 2023;
Tuca Guimarães (Audax) dirigiu a seleção Cubana;
Ramón Diaz (Vasco) dirigiu a seleção Paraguaia.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2024

Foto histórica

 Repórter Ivan Elias entrevistando Paulinho Criciúma.



Notável personalidade

Ivan Elias (Ivan Elias Hallack) nasceu em 04 de janeiro.

Família
Filho de João Pedro Hallack (in memoriam).
Formação
Formado em Comunicação Social (jornalismo) pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 1988.

Carreira
Iniciou na Rádio Super B-3 em 1987, ainda no quinto período da Facom (Faculdade de Comunicação), na equipe de esportes comandada pelo jornalista Márcio Guerra, que na época era professor da UFJF, ficando na emissora, que em 1988 recebeu o nome fantasia de Rádio Solar, até dezembro de 1995.

Impresso
Pouco depois de formado, em 1988, aceitou o convite para ser Editor de Esportes da Tribuna da Tarde/Tribuna de Minas e passou a atuar simultaneamente em rádio e jornal. Ficou na Tribuna até o ano 2000.

Funções
Na rádio, foi repórter, apresentador, produtor de programas e coordenador da equipe de esportes.
Programas em que atuou das mais diversas formas: Bola de Primeira, Super Bate-Bola e Apito Final, entre outros.

Quadros
Um dos mais conhecidos foi o Toque de Bola, quadro às 10h30 - horário nobre do rádio - dentro do programa de extraordinária audiência, em determinada época chamado Rádio Vivo (ao lado de nomes como os saudosos tricolores Cláudio Temponi (1932/2005) e Márcio Augusto (1945/2012) e, posteriormente, Francisco Canalli e Marcelo Juliani. Por não ser originalmente um horário de programa esportivo, falava-se de tudo um pouco, desde novelas até brincadeiras com os times que perdiam na rodada, muita interação com os ouvintes. que, naquela época, participavam por telefone e até cartas (não havia, num primeiro momento, o whatsapp, por exemplo)
- No programa anterior ao Rádio Vivo, que ia ao ar de 7h30 às 9h, os quadros diversos eram apresentados junto com os locutores do horário, como Sérgio Rodrigues e Roberto Barreto (in memoriam).
- Participação nos jornais matinais e/ou de hora cheia (Primeiras do Dia, Repórter 1010, entre outros)  
- Houve um programa noturno, chamado Apito Final, com forte pegada de humor que ia ao ar às 20h30.
Até o alcaide da época era satirizado no programa.

Eventos
- Participação em centenas de transmissões esportivas (quase sempre de futebol mas também outras modalidades como voleibol masculino.
- Transmissões de jogos ao vivo de estádios em Juiz de Fora, Minas e no Brasil.
- Em JF, nos estádios Salles Oliveira, José Procópio Teixeira, José Paiz Soares e, desde 1988, Estádio Municipal Radialista Mário Helênio (cobertura da inauguração em 30 de outubro de 1998 – rodada dupla Sport 2 x 0 Tupi e Flamengo 3 x 1 Argentinos Jrs).
- No estado: Mineirão, Independência em BH. Estádios em cidades como Poços de Caldas, Uberaba, Uberlândia, Varginha, Itabira, Andradas, Leopoldina e Nova Lima.
- No Rio de Janeiro: Maracanã, Laranjeiras, São Januário, Ítalo Del Cima, Aniceto Moscoso, Raulino de Oliveira, Caio Martins, Godofredo Cruz e outros.
- Em São Paulo: Morumbi, Pacaembu e Parque Antártica.
*no Maracanã, na década de 1980, coberturas de jogos com públicos superiores a cem mil pessoas, como na decisão do Campeonato Carioca de 1987 – Vasco 1x0 Flamengo, gol de Tita, com público informado de 114.628 pagantes

Competições transmitidas
Campeonatos regionais e estaduais, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Taça Libertadores da América, eliminatórias de Copas do Mundo.

 Personagens
- “Vovô Machado, o Craque do Passado”.
- “Vovó Carolina” (que tinha um gatinho chamado Marco Aurélio).
- “Valberto Maranhão, o Fiscal da Federação” (sempre “ajudando” os clubes locais nos bastidores do futebol mineiro).
- “Tião Varal, o Rei do Carnaval”, uma espécie de “tudo acaba em samba”, tendo como referência os principais fatos esportivos do momento.

Misto Quente/Toque de Bola
Atualmente, em parceria com a jornalista Mônica Valentim, é gestor da empresa Misto Quente Comunicação, e editor do Portal Toque de Bola (www.toquedebola.esp.br), com perfis no You Tube, Facebook, Instagram e Twitter.

terça-feira, 2 de janeiro de 2024

54ª Copa São Paulo de futebol júnior

 128 equipes participantes, divididas em 32 grupos com 04 times em cada grupo.

Todos os campeões
Corinthians - 10 títulos (1969, 1970, 1995, 1999, 2004, 2005, 2009, 2012, 2015 e 2017)
Fluminense - 05 títulos (1971, 1973, 1977, 1986 e 1989)   
Internacional - 05 títulos (1974, 1978, 1980, 1998 e 2020)   
Flamengo - 04 títulos (1990, 2011, 2016 e 2018).  
São Paulo - 04 títulos (1993, 2000, 2010 e 2019)   
Atlético-MG - 03 títulos (1975, 1976 e 1983)   
Santos - 03 títulos (1984, 2013 e 2014)   
Nacional de São Paulo - 02 títulos (1972 e 1988)  
Palmeiras - 02 títulos (2022 e 2023)   
Ponte Preta - 02 títulos (1981 e 1982)   
Portuguesa - 02 títulos (1991 e 2002)   
América-MG - 01 título (1996)
América-RP - 01 título (2006)
Cruzeiro - 01 título (2007)   
Figueirense - 01 título (2008)   
Guarani - 01 título (1994)   
Juventus-SP - 01 título (1985)   
Marília - 01 título (1979)   
Paulista de Jundiaí - 01 título (1997)   
Roma de Brueri - 01 título (2001)   
Santo André - 01 título (2003)   
Vasco da Gama - 01 título (1992) .

Nota
Em 1987 e 2021 não houve disputa.

Revelações  
Cafu, Kaká, Lucas Moura, Casemiro, Robinho, Neymar, Gabriel Jesus, Vágner Love, Fred, Deco, Marquinhos, Malcom, Lucas Paquetá, Paulo Roberto Falcão, Raí, Dida.

Curiosidades  
Atacante Fred é o detentor do gol mais rápido na história da Copinha, O centroavante marcou um gol com 3,17 segundos, do meio-campo, em partida do América-MG contra o Vila Nova de Goiás na edição de 2003 .  

Goleadas
14 a 0 é a maior goleada da Copa São Paulo, e o placar já foi repetido duas vezes. 
A primeira foi na vitória do Cruzeiro sobre o Vasco, em 1974.
Em 2010, Santo André repetiu o placar sobre o Santana, do Amapá.  

Juiz de Fora na competição
O ex-lateral Edvaldo disputou em 1995, pelo Cruzeiro, o ex-meia Anderson foi campeão com o América-MG, em 1996, o ex-zagueiro Léo Devanir, o Leonardo, disputou em 1998, pelo América-MG e o também ex-zagueiro Fernando Cedrola disputou em duas oportunidades (2006 e 2007), pelo Juventude, de Caxias do Sul.

Tupi
O time de Juiz de Fora participou da competição em 2020, chegando até a terceira fase, quando foi eliminado pelo Atlhetico-PR.

98ª Corrida Internacional de São Silvestre (São Paulo/SP)

31/12/2013 - Resultados

- Masculino
01º - Timothy Kiplagat Ronoh (QUE) - 44min52s 
02º - Emmanuel Bor (QUE) - 45min28s 
03º - Reuben Longoshiwa (QUE) - 45min44s 
04º - Josephat Joshua (TAN) - 45min50s 
05º - Hector Flores (BOL) - 46min07s
06º - Johnatas de Oliveira (BRA) - 46min33s.




Feminino
01º - Catherine Reline (QUE) - 49min54s 
02º - Sheila Chelangat (QUE) - 51min35s 
03º - Wude Ayalew (ETH) - 51min46s 
04º - Jhoselyn Yessica (BOL) - 53min37s 
05º - Viola Kosguei (QUE) - 53min52s
06º - 
Felismina Cavela (BRA) - 55min05s.

Notas
- Na edição de 2023, de acordo com os organizadores, foram 21.553 homens inscritos e 12.811 mulheres;
- No masculino foi o 17º campeão queniano da São Silvestre.
-  No feminino, foi a 18ª vitória de uma atleta do Quênia desde que as mulheres foram incluídas na corrida, em 1975.
-  Timothy Kiplagat Ronoh, de 30 anos, foi medalha de prata na Maratona de Roterdã (Holanda) em 2023 e vencedor das maratonas de Melbourne (Austrália)e Abu Dhabi (Emirados Árabes), ambas em 2022.
- Catherine Reline, de 21 anos, já havia vencido em 2022.
- Felismina Cavela, nascida em Angola e naturalizada brasileira, disputou a prova pela primeira vez.
A última vez que o Brasil subiu no alto do pódio da prova foi em 2010, com Marílson dos Santos. 
- No feminino, Lucélia Peres foi a última a vencer, em 2006.
- A atleta de Mercês, região de Rio Pomba e residente em Juiz de Fora, Amanda Aparecida Oliveira, chegou em décimo lugar. Em 2022 ela foi a décima primeira.

terça-feira, 26 de dezembro de 2023

Gerson Camata - Da comunicação para a política

Gerson Camata nasceu na cidade de Castelo, no Sul do estado do Espírito Santo, em  29 de junho de 1941.

Família
Filho de Higino Camata e Júlia Bragato Camata, casado com a jornalista e ex-deputada federal Rita Camata  (Rita de Cássia Paste Camata nascida em Conceição do Castelo, em 01º de janeiro de 1961) e pai de dois filhos.

Formação
Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Carreira/rádio
Radialista, trabalhou nas principais emissoras de rádio de Vitória, e ganhou notoriedade a partir de 1964 quando apresentou o programa policial "Ronda da Cidade", inicialmente no rádio e posteriormente na TV Vitória onde chegou a diretor de jornalismo dos Diários Associados no Espírito Santo.

Carreira/política
- Vereador - 1967/1971,,
- Deputado Estadual - 1971/1975,
- Deputado federal - 1975/1983 (por dois mandatos),
- Governador - 1983/1986,
- Senador - 1987/2011 (por três mandatos). 

Estatuto do desarmamento
Foi o senador responsável pela criação do "estatuto do desarmamento" sob o projeto de lei do senado nº 292/1999 que mais tarde, em 2003, seria aprovado no Senado e encaminhado a Câmara dos Deputados para votação sob nome de projeto de lei nº 1.555/2003 que, após ser aprovado na Câmara, foi sancionado como lei no dia 22 de dezembro de 2003 pelo presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva, assim entrando em vigor a atual lei nº 10.826/2003 conhecida popularmente como o "Estatuto do Desarmamento".  

Referendo
O estatuto do desarmamento após sancionado foi responsável pela criação do referendo de 2005 que foi uma eleição para definir se o artigo 35 da lei 10.826/2003 entraria em vigor ou não.

Eleição
Na eleição do referendo foi perguntado aos eleitores, nas urnas eletrônicas se "O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?".

Resultado
O resultado do referendo foi a vitória do "não", que obteve 59.109.265 votos (63.94%) enquanto o "sim" obteve 33 333 045 votos (36,06%). O referendo estava previsto para acontecer, conforme o próprio texto da lei do estatuto do desarmamento, mais especificamente no artigo 35 parágrafo 01º, que definia o mês de outubro e ano 2005 como o período para acontecer o referendo no Brasil.

Morte
Gerson Camata foi assassinado, aos 77 anos, em 26 de dezembro de 2018 com um tiro no pescoço na Praia do Canto em Vitória. De acordo com o secretário estadual de Segurança Pública da época, Nylton Rodrigues, o acusado, Marcos Vinícios Moreira Andrade (na época, com 66 anos), ex-assessor de Camata, foi preso e declarou, em depoimento, que a motivação foi uma ação judicial movida contra ele por Camata, que resultou no bloqueio de 60 mil reais de sua conta bancária.

Ironia
O autor do estatuto do desarmamento morreu vítima de um disparo de arma de fogo.

Foto histórica

domingo, 10 de dezembro de 2023

Estátua

Zé Geraldo (José Geraldo Juste) nascido em 09 de dezembro de 1944 no povoado de Bagagem, pertencente a São Sebastião da Boa Esperança do Rodeiro, na época, distrito de Ubá, recebeu em 2001 como homenagem, uma estátua em bronze em tamanho real, instalada no trevo de entrada da cidade (Rodeiro foi emancipada em 30 de dezembro de 1962, quando Zé Geraldo tinha 18 anos).


Literatura

"Cidadão Zé Geraldo: 40 e poucos anos de história e estradas"

Com 250 páginas e 11 capítulos, o livro foi escrito pelo professor Valdir Cechinel Filho, reitor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), no litoral norte de Santa Catarina. Tem prefácio de Renato Teixeira e depoimentos de vários músicos, como Chico Lobo, Kleiton Ramil e Zeca Baleiro. Traz ainda 20 musicas de Zé Geraldo cifradas pelo cantor e compositor capixaba Max Gasperazzo. E várias histórias, como a do garçom de churrascaria que o confundiu com Zeca Pagodinho e sua “carreira” de futebolista – em uma seleção de masters.  O autor conta que era um beatlemaniaco cabeludo quando, aos 17 anos, em 1979, viu Zé Geraldo no programa do Chacrinha (1917/1988) cantando Cidadão (composição de Lúcio Barbosa), uma de suas músicas mais conhecidas, de seu primeiro álbum, lançado naquele ano. Dali em diante virou fã, e com o  tempo, virou amigo e parceiro musical em, por enquanto, três canções.

Notável personalidade

Zé Geraldo (José Geraldo Juste) nasceu em Bagagem, povoado pertencente a Rodeiro*, na época, distrito de Ubá, em 09 de dezembro de 1944.

Foto histórica

quinta-feira, 7 de dezembro de 2023

Um nome que marcou época na comunicação

Iná Coelho (Iná Coelho do Nascimento) nasceu na cidade de Tocantins-MG, em 22 de outubro de 1927 e foi registrada na cidade de Piau-MG. 

Família
Filha de Nelson Coelho do Nascimento e Olinda de Sá. Solteira, tinha três irmãs (Ione, Euza e Diva) e três irmãos (Rômulo, falecido em Rio Novo, Hugo, falecido em Juiz de Fora em 2007 e Haroldo). É tia em segundo grau da cantora Renata Brandão, filha de seu sobrinho, Roberto Coelho Brandão.

Carreira
Radialista (apresentadora, cantora e rádio-atriz e discotecária). 

Juiz de Fora
Em Juiz de Fora, trabalhou na rádio PRB 3. No rádio-teatro, atuou com Mário César, Terezinha Ribeiro, Natálio Luz (1931/2021), Apparício de Vitta (1924/2001), Helena Bittencourt (1929/1992), José Carlos de Lery Guimarães (1933/1999), Paulo Moreno (1928/1977) e outros importantes radio-atores e radio-atrizes. 

Iná Coelho morreu, aos 78 anos, em Volta Redonda, no Sul Fluminense, em 04 de junho de 2006.  

quarta-feira, 6 de dezembro de 2023

Foto histórica

Time campeão da escolinha de futebol do bairro Retiro. 

E o Floresta se fez presente, representado pelo Pedro (filho da Paloma e do Gugu), pelo Guilherme (filho da Tatiane e do Dri) e pelo Davi (filho da Daiene e do saudoso Xande).

Notável personalidade

Dy Eiterer (Edylaine Eiterer) nasceu em Juiz de Fora em 20 de novembro de 1984.

Família
Filha de Jamilson da Silva Costa e Edna Maria Silva e mãe do Heitor Eiterer.

Formação
Formada em História (Universidade Federal de Juiz de Fora), com especialização em Gestão do Patrimônio Cultural (Instituto Metodista Granbery) e mestrado em História (Universidade Federal Fluminense), especialista em Patrimônio Cultural e em Metodologia do ensino de história.

Carreira
Historiadora, escritora, poetisaa, pesquisadora, professora de culturas e danças ciganas e blogueira.

Escritora
"Os olhos do deserto" (2023),
"Os desertos que me atravessam" (2019)

Prêmio
Amigo do Patrimônio (FUNALFA/2016).

IHG/JF
Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora (IHG/JF).

Blog
Editora do Blog Dy Vagando (www.dyeiterer.blogspot.com).

terça-feira, 5 de dezembro de 2023

Foto histórica

 Mário César (Mário Manzolilo de Morais) e Maurício Menezes (Maurício Antônio Menezes)



Notável personalidade

Mário César (Mário Manzolilo de Morais) nasceu no bairro do Lins de Vasconcelos, do Rio de Janeiro em 05 de dezembro de 1933.  

Família
Filho do militar do Exército Mário de Melo Moraes e Filomena (Mena) Manzolillo Moraes. Casado, desde 1957, com Nereida de Landa Morais, pai de 04 filhos: Vanessa, Mário César, Kátia e Rosane, tem 08 netos e 01 bisneto.  

Formação
Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela antiga Faculdade de Direito de Juiz de Fora.   Carreira Radialista, advogado e professor universitário, trabalhou na PRB 3, de 1952 a 1987. Foi locutor, radio-ator e diretor de programação.  

Professor
Foi professor de rádio e TV na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e contribuiu para a formação de inúmeros jornalistas, com destaque para Luiz Storino, Renato Mattosinhos, Ivan Elias, Vera Cury, Margarida Oliveira, Regina Campos, Cristina Brandão, Priscila Brandão, Denise Barbosa, Ana Paula Araújo e César Menezes.  

Radio-ator 
No rádio-teatro atuou ao lado de Terezinha Ribeiro (Terezinha de Jesus Ribeiro Quirino, nascida em Juiz de Fora em 19 de novembro de 1928, e atualmente, residente em Uberlândia), Natálio Luz (1931/2021), Iná Coelho (1927/2006), Paulo Moreno (1928/1977) e Elvécio Santos (1935/1974). No rádio, foi contemporâneo de Maurício Menezes, WilsoN Cid, Apparício de Vitta (1924/2001), Rubens Furtado (1931/2011), José de Alencar (1943/2022) e tantos outros.  

Prêmio
Medalha Comendador Henrique Guilherme Fernando Halfeld.

Atualmente, aposentado, reside em Juiz de Fora e é sempre fonte de consultas para novos jornalistas. 

sábado, 2 de dezembro de 2023

Foto histórica

Luiz Carlos Masson, Jairzinho e Fernando Luiz Baldioti.

Estádio municipal de Juiz de Fora, no período em que Jairzinho, o Jair Ventura, foi técnico do São Cristóvão entre 1989 e 1991.

domingo, 26 de novembro de 2023

Notável personalidade do humor

Pedro Bis, Denilson, Pedro Bismarck, Nerso da Capitinga (Ademilson Pedro da Cruz) nasceu em Muriaé, em 25 de novembro de 1960.

Carreira
Humorista

Trajetória
Aos dezoito anos, deixou sua cidade-natal e mudou-se para Juiz de Fora, onde pretendia seguir a carreira militar no 04º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado, ficando no Exército durante cinco anos e em 1985 mudou-se para cidade de Santos Dumont, próximo a Juiz de Fora. 

Teatro
"Dr. Getúlio, Sua Vida e Sua Glória", com direção de José Luiz Ribeiro;
"Caravana Café Concerto, um Delírio!", com direção de Robson Terra (in memoriam).  

Escolinha
Em 1990, foi convidado por Chico Anysio (1931/2012) para participar do programa Escolinha do Professor Raimundo e por sugestão de Chico Anysio, Denílson virou Nerso e o nome artístico Pedro Bis foi alterado para Pedro Bismarck, que segundo Pedro, foi uma homenagem de Chico ao jogador Bismarck Barreto Faria. 

SBT
Em 1993, teve uma rápida passagem pelo SBT no programa "A Praça é Nossa", retornando à Rede Globo no ano seguinte. 

Globo
Além da Escolinha, Pedro atuou ao lado de Chico em Estados Anysios de Chico City, onde interpretava Fulô, a mulher do deputado Justo Verrísimo.  Em 1999, Pedro passou a integrar o elenco do humorístico Zorra Total, onde além do Nerso, interpretou a diarista Das Dores e o Seu Feliciano, conhecido pelo bordão Morréu!. Pedro foi um dos humoristas que permaneceu por mais tempo no elenco fixo do programa.  

Cinema
Teve papéis nos filmes Menino Maluquinho 2 - A Aventura e Amélia.  

Em 2006, participa da segunda temporada do Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão, surpreendendo o público e os jurados, e ficando em terceiro lugar na disputa. Em 2008 foi garoto-propaganda das Casas Bahia.  Entre 2013 e 2015, Pedro apareceu esporadicamente no Vídeo Show, como Seu Feliciano, no quadro Morréu Show, onde o personagem relembra personagens da teledramaturgia que já morreram.  Em 2015, o personagem Nerson da Capetinga participou do CD Ser Humano, do cantor Zeca Pagodinho gravando com ele a música "Mané Rala Peito", com direito ao famoso bordão "Morréu"!.  

Juiz de Fora/Piau
Continua atuante no teatro, é garoto propaganda de uma rede de Supermercados e divide o tempo entre sua residência em Juiz de Fora e o sítio em Piau.