domingo, 2 de janeiro de 2022

Um nome que marcou época na comunicação

Roberval Antunes nasceu em Governador Valadares, no leste Mineiro, em 02 de janeiro de 1956. 

Família
Filho da dona Terezinha Antunes, nascida em Governador Valadares, em 27/02/1929, casado com a professora Josiana Alves da Silva, pai de quatro filhos - Lourival Antunes (advogado em Governador Valadares), Marcela (do lar), Josué (técnico em informática) e Paulo Lucas (estudante) e avô de três netas e dois netos - Camile, Maria Luíza e Débora; Moisés e Miguel.  

Início
Roberval começou a a trabalhar na construtora Camargo Corrêa, na construção do metrô, na praça da Sé, em São Paulo. Posteriormente, foi transferido para Belo Horizonte e trabalhou na construção do anel rodoviário da capital mineira. Ser operário não era sua vocação, mas uma necessidade de momento. Em 1979, Kafunga (Olavo Leite Bastos-1914/1991), ex-goleiro do Atlético o levou para fazer um teste de goleiro no tradicional Villa Nova Atlético Clube, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.  

Carreira
José de Matos Coelho o convidou para trabalhar na Rádio Aurilândia, em Nova Lima. Fez um teste na emissora, foi aprovado, e passou a narrar futebol, principalmente, jogos do Villa Nova. De Nova Lima, foi para a rádio Cultura, de Linhares, rádio Vanguarda, de Ipatinga, rádio Itabira, rádio Muriaé, rádio Campista, de Campos dos Goytacazes, rádio 13 de Julho, de Mantena, rádio Ibituruna, de Governador Valadares, rádio Manhumirim, rádio Teófilo Otoni, Rádio Itaperuna e rádio Manhuaçu, em três períodos distintos. Foram 17 anos no programa "Alô Cidade" e no departamento de esportes, com Dairton Alves, transmitindo jogos do Ypiranga no campeonato mineiro. 

Coberturas
O destaque maior ficou por conta da transmissão da partida Colo Colo e Cruzeiro, em Santiago, no Chile. Pela rádio Manhumirim, cobriu a posse do presidente Fernando Collor de Mello, em Brasília, em 1989. 

Politica
Na política, Roberval foi candidato em 2012 a vereador em Manhuaçu, obtendo votos em todas as urnas, ficando com a primeira suplência, pelo PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). 

Roberval Antunes morreu, aos 65 anos , vítima da covid-19, no Hospital César Leite, em Manhuaçu, em 28 de junho de 2021, sendo seu corpo velado e sepultado, em 2906, no cemitério Campo das Flores.

Obs - No final de 2021, a câmara de vereadores propôs e a prefeita Imaculada Dutra (PSB) aprovou, um projeto-de-lei, denominando um logradouro público do bairro Bom Pastor, de Avenida Radialista Roberval Antunes.

Foto histórica

Foto histórica

Foto histórica

terça-feira, 21 de dezembro de 2021

Um desportista que fez sucesso no mundo da bola

Ricardo Estrade (Ricardo Salvador Estrade Delgado) nasceu em Montevidéu, no Uruguai, em 21 de dezembro de 1948.

Família
Filho de Cecílio Estrade e Gilma Delgado Pinto, casado com a brasileira Maria Helena Alves Estrade pai de Nathália Cristina Alves Estrade e Nicoli Cecília Alves Estrade (ambas nascidas em Juiz de Fora) e avô de Maria Eduarda, Álvaro e Arthur.

Clubes/atleta
1964/67 - Liverpool de Montevidéu, 
1968/69 - San Telmo de Avellaneda, Argentina, 
1970 - Salus de Montevidéu,  
1971/72 - Fênix de Montevidéu, 
1972/1975 - Galícia de Maracay, Venezuela, 
1976/77 - Anzoátegui de Puerto La Cruz, Venezuela,
1978/82 - Petroleros de Zulia, de Maracaibo, Venezuela, 
1983 - Sport (Juiz de Fora),
1984/1985 - Tupi (Juiz de Fora),                 
1986 - São José (São José dos Campos-SP).  

Clubes/treinador
Tupi (Juiz de Fora), Aymorés (Ubá), América (Três Rios), Goytacaz (Campos), Maracaibo (Venezuela), C.R.B (Maceió), União (Mogi das Cruzes), Paraisense (São Sebastião do Paraíso), Valeriodoce (Itabira), Villa Nova (Nova Lima), Anápolis-GO, São José (São José dos Campos-SP) , Social (Cel Fabriciano), Entrerriense (Três Rios), Estudiantes de Mérida (Venezuela), Unión de Hural (Peru), Rolim de Moura (Rondônia), Vitória-ES, Castanhal-PA e Uberlândia. 

Títulos/jogador 
Campeão Venezuelano pelo Galícia de Aragua em 1974. Título/jogador e treinador

Campeão Mineiro do Interior pelo Tupi em 1985. 
Título/treinador

Campeão Carioca da segunda divisão pelo América de Três Rios em 1989.

Tupi/atleta
Realizou 71 jogos e marcou 02 gols.
Tupi/treinador
Foi treinador em quatro períodos distintos: Em 1985 treinador e jogador (substituiu Luis Alberto nos
04 jogos finais e conquistou o título de campeão mineiro do interior), 1990/1991, 1994 e 1996, num total de 26 partidas.

Ricardo Estrade morreu em Juiz de Fora, aos 71 anos, em 14 de março de 2020, sendo seu corpo velado e sepultado no cemitério municipal.

Foto histórica

Foto histórica

Foto histórica

sábado, 18 de dezembro de 2021

Foto histórica

Bangu 3 x 0 Flamengo
18 de dezembro de 1966
Maracanã – Público: 143.978 torcedores
Gols: 01º tempo: Ocimar (Ban) aos 23’ e Aladim (Ban) aos 26’; 02º tempo: Paulo Borges
(Ban) aos 3’.
Flamengo: Valdomiro; Murilo, Jaime, Itamar e Paulo Henrique; Nelsinho e Carlinhos; Carlos Alberto, Almir, Silva e Osvaldo.
Bangu: Ubirajara; Fidélis, Mario Tito, Luiz Alberto e Ari Clemente; Jaime e Ocimar; Paulo Borges, Cabralzinho, Ladeira e Aladim.

Um nome que marcou época na comunicação

Lisandro Serrão (Lisandro Aguiar Serrão) nasceu em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, em 18 de dezembro de 1938. 

Família 
Filho de Walter Ney Serrão e Ozires Aguiar Serrão, ambos já falecidos. Foi casado com Maria da Penha Leal Serrão e é pai do locutor e diretor da Blof Promoções, Walter Leal Serrão (nascido em 03 de agosto de 1971) e da pedagoga Lisandra Leal Serrão Ferraz (nascida em 17 de julho de 1974). Da união com a radialista Dilma de Souza, não teve filhos. É primo da professora e escritora Rita Amélia Serrão Piccinini (1922/2014), autora dos livros  "A CASA DA ÁGUIA - Crônicas Paduanas"  e   "O CORONEL - O Poder Falível de um Semideus"     

Carreira   
Radialista (locutor), Lisandro Serrão levou sua vasta experiência no serviço de som, que animava festas e eventos (LS
Promoções), para o rádio. Junto com os empresários Frederico de Alvim Padilha (1926/1998) e Renato de Alvim Padilha(1930/1993) fundou a rádio Feliz AM, primeira emissora de rádio de Pádua, em 31 de março de 1982. Lisandro Serrão foi o primeiro locutor da rádio. Na rádio Feliz, apresentava, bem ao estilo Repórter Esso, o noticioso Repórter RF, às 10 horas da manhã. Inicialmente, às 10 horas, porque dependia dos jornais que chegavam do Rio por volta de 9:30. Quando o caminhão atrasava, por consequência, o noticioso também atrasava. Com o avanço tecnológico, o Repórter RF veio para o horário das 07 horas, logo após o programa "Noroeste Sertanejo" e o Serrão passou a gravar as entrevistas do Jornal Nacional da noite anterior e exibi-las no dia seguinte. Após as mortes dos irmãos Padilha, saiu da rádio Feliz em 2000 e trabalhou nas rádios Radical FM e Cultura FM.      

Serviço de som   
Torcedor do Fluminense e do Paduano, na decisão do campeonato Carioca de 1980, o Fluminense venceu o Vasco por 1 x 0, gol de Edinho, de falta, no gol à direita, no Maracanã. Lisandro Serrão, gravou o gol, na voz de Jorge Curi, e percorreu as ruas de Pádua, com seu carro de som, repetindo o gol tricolor. Esse mesmo carro de som que ele circulava na cidade divulgando a publicidade do comércio local (J.Simão Tecidos, Casa Nogueira, Casa Dragão) e tantas outras, além das notas de falecimento.  Antes da chegada do rádio, ele era contratado para animar festas na zona rural, e certa vez, em Itapiruçu (distrito de Palma-MG), jogavam Itapiruçu e Paraoquena, e ele, com sua Kombi na beira do campo, narrava o jogo. Toda vez que acontecia um gol ele soltava o grito de gol na voz do Cezar Rizzo (1935/2017), "i quiii goooollll".   

CONSIDERAÇÕES 
Um locutor de alto nível. Foi através de sua locução no carro de som que eu aprendi que o nome da rua da Chácara é rua "Dr Nilo Peçanha", que a "Lagoa do Sapo", fica, ou ficava no bairro São Luiz.       

Lisandro Serrão morreu aos 82 anos e de causas naturais, em 22 de outubro de 2020, no Asilo Nossa Senhora do Carmo, em Santo Antônio de Pádua.

Foto histórica

Foto histórica

Foto histórica

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Orlando Duarte (Orlando Duarte de Figueiredo) nasceu em Rancharia, região de Presidente Prudente, no Oeste Paulista, em 18 de fevereiro de 1932.

Família
Casado com Conceição Duarte, pai de quatro filhos e avô de seis netos.

Rádio
Bandeirantes (duas vezes), Jovem Pan, Trianon e Gazeta,

TV
Cultura (que dirigiu), Jovem Pan, SBT, Globo, Band e Gazeta.

Jornal
A Gazeta Esportiva, A Gazeta, Mundo Esportivo, A Gazeta Esportiva Ilustrada, O Tempo, Última Hora e Diário da Noite.

Coberturas
Cobriu 14 campeonatos mundiais de futebol, dez jogos olímpicos e todas as Copas do Mundo durante o período entre 1950 e 2006.

Escritor
Escreveu 32 livros sobre a história e as regras de diversos esportes, conheceu 50% do mundo e preencheu 17 passaportes.

Livros
The Encyclopedia of World Cup Soccer,
Todas as Copas do Mundo,
Fried XS Pelé,
História dos Esportes,
Futebol Regras e Comentários,
Futebol Histórias e regras,
Palmeiras, Alviverde Imponente,
Corinthians, o time da Fiel,
São Paulo Futebol Clube, o Supercampeão,
Na mesma Sintonia,
Lusa, Uma História de Amor.
Deus criou a bola- E o homem descobriu o que fazer com ela.

Orlando Duarte morreu em São Paulo, aos 88 anos e vítima da covid-19, em 15 de dezembro de 2020.

terça-feira, 14 de dezembro de 2021

A inacreditável venda do Tupynambás

por Matheus Brum*
Na edição de hoje da coluna do César Romero, na Tribuna de Minas, há a informação de que foi acertada a venda de parte do terreno do Tupynambás. O estádio, José Paiz Soares, está neste "lote" vendido. A princípio, segundo a coluna, no lugar haverá um estabelecimento comercial. Provavelmente, um supermercado.
O processo de venda foi todo feito nos bastidores. Zero participação da sociedade. Até mesmo a imprensa teve dificuldade de acesso aos termos da venda. E isso tudo é inacreditável. Assim como na polêmica venda do Salles de Oliveira, campo do Tupi, o Baeta é entregue à iniciativa privada sem que se saiba o que, de fato, vai ocorrer.
Há semanas busco contato com a diretoria do Baeta para entender essa venda. Nunca fui atendido. Soube da transação por outros meios. E é MUITO idêntico ao processo de venda do Salles: entrega-se um patrimônio histórico para a iniciativa privada sob justificativa de uma contrapartida que não se sabe a viabilidade de ser concretizada.
A diretoria, ainda na coluna do CR, disse que o clube vai ganhar um centro de treinamento de três campos próximo ao Expominas, na BR-040. A pergunta que fica é: o Baeta tem condição de cuidar deste CT? Há um projeto de médio/longo prazo para manter o futebol profissional?
Para além deste questionamento simples, há a questão histórica. Não dá para se desfazer de espaços como o José Paiz Soares sem uma discussão na sociedade. Até porque a dívida do Tupynambás não é pública. Não sabemos, de fato, quanto que custa para reformar o estádio ou o tamanho do débito do clube. Ou seja, os poucos diretores decidem sobre uma instituição que carrega o nome da cidade. É surreal!
E por que falo isso? Na hora do aperto, os clubes apelam para a prefeitura. E lá vai o poder público botar um aporte financeiro para salvar instituições que, nas últimas décadas, pouco entregaram de retorno social. Inclusive, a venda do Paiz Soares, é mais um exemplo disso: vende-se um patrimônio histórico sem nenhum debate, sem nenhuma forma de buscar um caminho diferente.
E mais, na hora do aperto a culpa é sempre da cidade. A cidade que não abraça, que não torce, entre outras besteiras que sempre dizem. Como querer que a cidade abrace algo que nunca foi feito um esforço para ser abraçado?
E assim a história do futebol e da cidade vai se apagando. É a miserável "marcha do progresso", que de progresso, no fundo, não tem nada.
Que alguém possa tentar embargar esse terrível ato, se é que há possibilidade de ocorrer!

*Matheus Brum é jornalista e escritor.

Foto histórica

Foto histórica

Foto histórica

Notável personalidade

Therezinha Ribeiro (Therezinha de Jesus Ribeiro Quirino) nasceu em Juiz de Fora em 19 de novembro de 1928.

Família
Filha de Cecilia Perez Ribeiro e Sebastião Victorino Ribeiro, foi casada com o jornalista Luiz Fernando Quirino* (filho de Walter Quirino e Maria Luísa Quirino, nascido em São Paulo-SP, em 07 de agosto de 1932, e falecido aos 72 anos, em 02 de janeiro de 2005, em Uberlândia-MG*), mãe de quatro filhos: Luiz Eduardo, Guacira, Nanci e Maurício Ricardo.

Carreira
Radialista, radio-atriz e cantora.

Emissoras 
Rádios PRB 3 e Industrial (Juiz de Fora), rádios PRA 7 e 79 (Ribeirão Preto), Rádio Clube (Jaboticabal), Rádio Nacional (São Paulo), Rádio Nacional (Rio de Janeiro), rádios Educadora e Cultura (Uberlândia).

Nomes relevantes com os quais trabalhou
Guta Mattos (1919/1967), Rogério Cardoso (1932/2003), Gilberto Garcia* (19361996), Iná Coelho (1927/2006), Sérgio Martinelli (in memoriam), Moacyr Franco (nascido em Ituiutaba-MG, em 05 de outubro de 1936), Mário César (Mário Manzolilo de Morais, nascido no bairro do Lins de Vasconcelos, no Rio de Janeiro, em 05 de dezembro de 1933 e residente em Juiz de Fora).

Atualmente, aposentada, Therezinha Ribeiro permanece residindo em Uberlândia.

*O casal Luiz Fernando/Therezinha mudou-se para Uberlândia em 08 de janeiro de 1972. 

*Luiz Fernando Quirino, cidadão honorário de Uberlândia, após o seu falecimento, teve seu nome eternizado na avenida Luiz Fernando Quirino e na Escola Municipal de Educação Infantil Luiz Fernando Quirino.

Antônio Gilberto Garcia Costa, nascido em Uberlândia, em 28 de maio de 1936 e falecido em Goiânia, em 1996, pai das atrizes Isabela e Rosana Garcia.

Foto histórica

Foto histórica

Foto histórica

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Ivanir Yazbeck (Ivanir José Yazbeck) nasceu em Juiz de Fora, em 22 de junho de 1941.


Carreira
Jornalista (Repórter, fotógrafo, diagramador, secretário de redação, subeditor e editor de arte).

Veículos
Binômio (JF – 1963), Correio de Minas (BH – 1964), Jornal do Brasil (Rio – 1964/83), O Globo (1985/90), O Dia (1991/95) e Extra (1998/2000).
No JB, entre 1979 e 82, foi crítico cinematográfico, membro do Conselho de Cinema do Caderno B.

Roteirista de TV
Por dois anos afastou-se do jornalismo diário para se tornar autor de seis mininovelas, em cinco capítulos, levadas ao ar pela Rede Globo, programa Caso Verdade (1983 a 1985). Sua formação nessa área se dá em curso com o dramaturgo Bráulio Pedroso.
São os seguintes os títulos e os protagonistas:
* Feliz Natal, Papai Noel – Paulo Goulart e Lílian Lemmertz
* O Sonho de Tom – Cissa Guimarães e Francisco Milani
* Max das Colinas – José Dumont e Ana Maria Magalhães
* Doze horas de angústia – Eliane Giardini e Fausto Rocha
* Ladrões de Automóveis – Tonico Pereira e Lu Mendonça
* Todo pecado será perdoado – Darlene Glória no próprio papel.

Autor literário
Com dez livros publicados – três deles (editados pela Editora Scipione/SP) dirigidos ao público juvenil, como nome reduzido para Ivan Yazbeck e adotados como leitura paradidática em centenas de colégios de 01º e 02º Graus, em todo o Brasil. Os outros são um romance e cinco livros memorialistas, que reúnem o estilo literário e jornalístico.

O ENIGMA DO PÁSSARO DE PEDRA (Scipione/1991)
– Aventura arqueológica transcorrida no Rio, vivida por dois estudantes, um professor de arqueologia e um alpinista, nos dias atuais, tendo a Pedra da Gávea e o Pão de Açúcar como cenários "vivos" da história e não apenas imagens de cartões postais.

A NOITE EM QUE JANE RUSSELL MORREU (Record/1992)
– As comédias em torno de um jovem, que vive mais um domingo rotineiro de festas estudantis, e acaba
a noite envolvido em uma tragédia. (Mereceu edição especial do Clube do Livro e resenhas elogiosas em vários jornais, entre eles, O Globo e Jornal do Brasil, e em Colóquio – revista semestral, editada pela Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, dedicada à literatura em língua portuguesa).

EM ALGUM LUGAR NO CÉU (Ed. Scipione/1993)
– Ficção científica sobre um adolescente às voltas com um E.T. necessitando socorro, em um ambiente
rural. Após várias peripécias para encobrir o segredo, o fenômeno será presenciado por várias pessoas, e interpretado como uma milagrosa aparição de Nossa Senhora ao pequeno herói. Assim, prevalecerá o forte sentimento de religiosidade encobrindo o fato científico.

A INCRÍVEL AVENTURA DE JUBA E DANIEL (Scipione/1996)
– Um ararajuba, pássaro raro da família dos psitacídeas (papagaios), que exibe em sua plumagem o mesmo verde-amarelo dos símbolos nacionais, é localizado, perdido na Zona Norte do Rio, por um adolescente, que viverá uma aventura inusitada até devolvê-lo ao seu hábitat, no norte do Pará. (Relançado em 2006 pela Franco Editora/Juiz de Fora).

O ESPÍRITO DO SÃO ROQUE (Templo Editora/1996)
– Título resumido da expressão "o espírito de humor da Turma do Largo São Roque". Uma coletânea de histórias reais, transpostas em linguagem literária/jornalística, vividas por um grupo numeroso de amigos, em Juiz de Fora, nos anos 50/60. Ilustrado.
 
UMA NOITE NO RAFFA’S (Templo Editora/2003)
– A história do célebre night-club, em Juiz de Fora, palco de memoráveis acontecimentos sociais e musicais
(lá se apresentaram os nomes de maior sucesso da MPB). Ilustrado com mais de cem fotografias, conta a trajetória de Rafael Jorge à frente de um empreendimento ousado, previsto, segundo os mais otimistas, para durar uns poucos meses, e se transformou numa das fortes marcas da cidade por cinco décadas.

EU ME LEMBRO - (Templo Editora/2005)
– 350 fatos, personagens e curiosidades da história de Juiz de Fora, desde meados do Século 20, extraídos da memória
de 28 autores, em textos curtos e bem humorados.

CIDADÃO DO MUNDO - BIOGRAFIA DE GERALDO HALFELD (Templo Editora/2005)
– Editor do livro escrito por Ailton Alves, sobre a vida do descendente vivo
mais próximo do fundador de Juiz de Fora, Henrique Guilherme Fernando Halfeld.

O COLUNISTA – (Alva Editora/2009)
– Biografia de Cesar Romero e reprodução das principais notícias publicadas em sua coluna diária ao longo de três décadas na imprensa em Juiz de Fora.

O REAL ITAMAR - Uma biografia (Editora Gutenberg/2011)
- Em junho de 2009, aceitou a incumbência de escrever a primeira biografia autorizada sobre a vida do ex-presidente Itamar Franco, finalizada apenas após a sua morte ocorrida em julho de 2011, a obra revela detalhes da vida e da intimidade do político mineiro, que assumiu os destinos da Nação, nos últimos dois anos e três meses do governo Collor, cassado pelo Congresso Nacional, durante os quais, o país passou a viver uma nova era de amadurecimento político e, sobretudo, de estabilidade econômica a partir da criação de uma nova moeda, o Real, determinando o fim definitivo de uma praga inflacionária, que o situava na relação de países subdesenvolvidos.

Foi citado na revista Imprensa (edição de novembro de 1995), em artigo assinado por Carlos Leonam, numa relação de personalidades "chegados a apoteoses mentais", em que se incluem Paulo Francis, Jô Soares, Luiz Fernando Veríssimo, Luiz Carlos Miéle, Sérgio Augusto, Arnaldo Jabor, Ivan Lessa, Lucas Mendes, Chico Buarque de Holanda, Cacá Diegues, Rubem Fonseca, Steven Spielberg e George Lukas.

Outras atividades
* Professor do curso de Jornalismo – Disciplinas: diagramação e edição gráfica de jornais diários – PUC e Faculdade da Cidade (1979 a 1986).
Assinou o capítulo "A Era das Cores", no livro "Deu no jornal" de ensaios assinados por jornalistas, adotado por várias escolas de Jornalismo (PUC/
Editora - 2001).
* Superintendente de Criação da TV Educativa - Responsável pelo padrão visual da emissora e a área da cenografia (maio de 1994 a janeiro de 1995).

Ivanir Yazbeck morreu na Santa Casa de Juiz de Fora, aos 79 anos, em 13 de dezembro de 2020, deixando uma filha, Ligia  e uma neta, Alice.