sábado, 17 de abril de 2021

Notável personalidade

Bené Guedes (Benedito Rubens Renó Guedes) nasceu em Itajubá, no Sul de Minas, em 17 de abril de 1942.

Família

Pai do advogado e vereador em Leopoldina Bernardo Guedes (Bernardo Junqueira e Renó Guedes), nascido em Leopoldina em 21 de fevereiro de 1988., 

Carreira
Radicado em Leopoldina, foi secretário Administrativo e chefe de Gabinete da Prefeitura (1976/1977 e 1988), vereador por seis anos no período 1982/1988), deputado estadual de Minas Gerais durante quatro legislaturas consecutivas, de 1989 a 2003 e prefeito de 2009 a 2012).

Atualmente, Bené Guedes é presidente do Esporte Clube Ribeiro Junqueira, clube fundado em Leopoldina em 27 de agosto de 1911.

As falácias do canivete

O médico Miracemense, Saulo Pinto Moreira foi eleito vice-prefeito de Juiz de Fora na chapa de Itamar Franco. Quando Itamar renunciou ao cargo em 1974, para concorrer a uma vaga no senado, seu vice assumiu e cumpriu o mandato até 1977. Na sua gestão, dentre outras realizações, a rua Halfeld, entre Rio Branco e Batista de Oliveira, foi transformada em calçadão, para uso exclusivo de pedestres, com inauguração em 1975. 

Durante a obra de construção do calçadão, alguns comerciantes, inconformados com os transtornos causados pela obra e instigados por alguns vereadores da oposição, espalharam um boato de que os funcionários da prefeitura estavam cavando a rua, a procura de um canivete do pai do prefeito, sr Dermeval Moreira, que havia desaparecido no local. Por ocasião da inauguração da obra, o prefeito, no mais perfeito espírito de um homem público, mandou fabricar réplicas/miniaturas de canivete e distribuiu aos participantes do evento.

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Notável personalidade

Ana Paula Araújo nasceu no Rio de Janeiro em 15 de abril de 1972.

Família
Irmã da Márcia Araújo e mãe da Melissa Araújo.

Juiz de Fora
Mudou-se ainda criança com a família para Juiz de Fora.

Estudos
Começou a estudar piano aos oito anos e aos quatorze passou a dar aulas de piano para ajudar nas despesas de casa e para pagar a escola da irmã caçula, Márcia.

Estudou no Instituto Granbery e aos dezesseis anos entrou na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Depois, conseguiu um estágio como assistente de produção e locutora de comerciais na rádio Nova Cidade. Mais tarde, na mesma emissora, passou a fazer um programa musical, transmitido a noite, nos fins de semana. Fez reportagens de rua, transmissões esportivas e cobriu eleições.

Rio de Janeiro
Aos dezoito anos, conseguiu um estágio na Rádio Globo, no Rio de Janeiro, e pediu transferência para a Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, onde se formou em Jornalismo.

Trabalhou na TV Record e na Rede Manchete. Desde 1999 trabalha na TV Globo.

Escritora
"Abuso: A cultura do estupro no Brasil" (2020)

Atualmente, apresenta o "Bom Dia Brasil", na Rede Globo.

terça-feira, 13 de abril de 2021

Foto histórica

Manchester (Juiz de Fora) - 1994

Da esquerda para a direita:

Em pé: Alexandre (Alexandre Pinto), William, Vítor (Vítor Pereira), Cléver, Dário (Dário Lopes Marinho) e Rodolfo (goleiro);

Agachados: Merica (Marcos Paulo Ferreira), Beloni, Roninho, Zanon e Edimilson.


segunda-feira, 12 de abril de 2021

Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho, o Chico Anysio nasceu em Maranguape, no Ceará em 12 de abril de 1931.

Família de artistas
Durante seus mais de 60 anos de carreira, Chico Anysio influenciou diversos humoristas brasileiros com seus famosos personagens caricatos. No entanto, o talento parece ter ficado mesmo no DNA do comediante, que era pai de 07 filhos biológicos sendo que 05 deles estão envolvidos com a arte.

Humoristas são três: Nizo Neto, Lug de Paula e Bruno Mazzeo. Nizo ficou conhecido na TV principalmente pelo seu personagem Ptolomeu, na Escolinha do Professor Raimundo.
Já Lug de Paula viveu o aclamado personagem Seu Boneco na Escolinha. Com o jargão “Eu vou pra galera!”, o comediante é um dos mais lembrados da atração. Outro personagem marcante do ator é o Calunga, servo fiel do Vampiro Bento Carneiro. O personagem também é dono de um bordão conhecido: "É meia-noite em ponto, patrão!".

Bruno Mazzeo é o filho de Chico Anysio mais conhecido atualmente. Responsável pelo programa Cilada, que virou também filme, o comediante ainda foi roterista de atrações como A Diarista e Sai de Baixo. Como ator, participou das novelas Malhação, Pé na Jaca e Beleza Pura. Nos cinemas, além do filme de Cilada, ele participou do filme Muita Calma Nessa Hora.

Além dos filhos biológicos, Chico ainda era pai adotivo do também comediante André Lucas (André Lucas de Oliveira Paula). O ator é conhecido por por interpretar Seu Aranha, o "Puliça", na Escolinha do Professor Raimundo.

Além dos filhos humoristas, Chico Anysio ainda era pai do diretor de imagem Rico Rondelli e do DJ Cícero Chaves. Seus outros dois filhos, Rodrigo e Vitória, não seguiram a carreira artística.

Era tio do ator Marcos Palmeira (Marcos Palmeira de Paula nascido no Rio de Janeiro-RJ, em 19 de agosto de 1963), da atriz e diretora Cininha de Paula (Maria Lupicínia Viana de Paula Gigliotti - nascida no Rio de Janeiro-RJ, em 23 de junho de 1959 e filha de Lupe Gigliottii (Maria Lupicínia Viana de Paula Gigliotti, nascida em Maranguape-CE, em 01 de julho de 1927 e morreu no Rio de Janeiro-RJ, em 19 de dezembro de 2011) tio-avô da atriz Maria Maya (Maria Antônia Gigliotti Campos Maya, nascida no Rio de Janeiro-RJ, em 29 de junho de 1981), filha de Cininha com o ator e diretor Wolf Maia (Walfredo Campos Maya Júnior, nascido em Goiãnia-GO, em 10 de setembro de 1953). Chico era irmão de Zelito Viana (José Viana de Oliveira Paula, nascido em Fortaleza-CE, em 05 de maio de 1938), pai de Marcos Palmeira e Luppi Gigliotti, falecida em 2011.

Casamentos:
Chico Anysio foi casado com Nancy Wanderley (nasceu no Rio de Janeiro-RJ, em 25 de fevereiro de 1927 e morreu em Florianópolis-SC, em 19 de dezembro de 2008), mãe de Lug de Paula (Lug Wanderley de Oliveira Paula, nascido no Rio de Janeiro-RJ, em 1957), Rose Rondelli (Rosemyr Rondelli, nasceu no Rio de Janeiro-RJ, em 1934 e morreu em 01 de janeiro de 2005), mãe de Nizo Neto (Francisco Anízio de Oliveira Paula Neto, nascido no Rio de Janeiro-RJ, em 27 de abril de 1964) e Rico Rondelli), Regina Chaves (Cícero Chaves), Alcione Mazzeo, nascida em Santos-SP, em 27 de maio de 1951 e mãe de Bruno Mazzeo (Bruno Mazzeo de Oliveira Paula, nascido no Rio de Janeiro-RJ, em 03 de maio de 1977), Zélia Cardoso de Melo (Zélia Maria Cardoso de Mello nascida em São Paulo-SP, em 20 de setembro de 1953), mãe de Rodrigo e Vitória e Malga di Paula.






domingo, 11 de abril de 2021

Literatura

 "Do Zero ao Infinito - A trajetória de um determinado"

Escrita pela jornalista Flávia Halfeld, a obra trata da trajetória de vida do professor José Passini (nascido em Nova Itapirema, distrito de Nova Aliança, no interior Paulista, em 11 de abril de 1926). Filho de imigrantes italianos, desde a infância/juventude difíceis no interior de São Paulo até chegar ao cargo de Reitor da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), trabalhando também nas áreas da Literatura, do Espiritismo e do Esperanto.

Notável personalidade

José Passini nasceu em  Nova Itapirema, distrito de Nova Aliança, no interior Paulista, em 11 de abril de 1926. 

Família
Filho de Edmundo Passini, falecido em Lins-SP, em 25 de outubro de 1948 e Victoria Momesso Passini (1904/1988). Casado com Norma de Mendonça Passini e pai de cinco filhos: Marcos, Edmundo, Célia, Alexandre e Elisa.

Formação acadêmica
Licenciado em Letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com Mestrado em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e Doutorado em Lingüística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Carreira
Professor universitário, doutor em linguística, escritor e esperantista, Ex-reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), de 1990 a 1994 e dirigiu a AME de Juiz de Fora e a revista O Médium. 

Livros publicados
- "Bilinguismo: Utopia ou Solução? 
- "Apontamentos espíritas" 
- "Livros que propositadamente ou não, denigrem o espiritismo" 
- "Espiritismo e Vida" (no prelo).

Aos 95 anos e em plena atividade, o professor José Passini vive em Juiz de Fora e prepara seu quarto livro.

Biografia
"Do Zero ao Infinito - A trajetória de um determinado"

A jornalista Flávia Halfeld, lançou, pela Editora Editar (www.editar.com.br), a obra "Do Zero ao Infinito - A trajetória de um determinado", que trata da trajetória de vida do professor José Passini.


sábado, 10 de abril de 2021

Notável personalidade

Geraldo Mendes (Geraldo Remo Falci Mendes) nasceu em Juiz de Fora em 09 de abril de 1932.

Família
Filho de Sérgio Vieira Mendes (1904/1978) e Dolores Falci Mendes (in memoriam), irmão de Gudesteu Geraldo Rosário Falci Mendes* (in memoriam) e pai da jornalista Christina Villela Mendes.

Formação
Bacharel em direito pela Faculdade Nacional de Direito do Rio de Janeiro, turma de 1957.

Radiodifusor
Fundador e gestor da TV Industrial e proprietário das rádios Industrial e Difusora.

*Gudesteu Mendes é nome de praça no bairro São Pedro.

Obs: Geraldo MendesGlauco Fassheber, possivelmente, foram os dois últimos radiodifusores de Juiz de Fora. Geraldo com suas três emissoras, TV Industrial, Rádio Industrial e Rádio Difusora e o Glauco com suas quatro emissoras, Rádio Difusora (adquirida junto a Geraldo Mendes), Manchester (Juiz de Fora), Everest (São João Nepomuceno) e Caparaó (Carangola). Não foram radiodifusores pela quantidade de emissoras,mas por serem do meio e com conhecimento e dedicação exclusivas às emissoras. Não eram apenas empresários detentores/donos de canais.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Cláudio Muniz Lima

Morre em Niterói, vítima da covid-19, o médico Paduano, Cláudio Lima.

Formado médico cardiologista em Valença e de tradicional família de Santo Antonio de Pádua, no Noroeste do estado do Rio, o médico não resistiu às complicações da covid e tornou-se mais uma vítima da pandemia em 08/04

Cláudio Muniz Lima era filho do bancário e fazendeiro Hélio Corrêa Lima e da professora Dinah Muniz Lima (ambos falecidos). De uma tradicional família de médicos e médicas, com duas irmãs médicas: Helinah e Ana Beatriz, dois cunhados médicos: Marco Antonio de Andrade e João José Neves Marins. Sobrinho de um médico que foi muito importante para a cidade: Eugênio Leite Lima, que foi prefeito e deputado estadual. O posto de saúde, inaugurado na década de 1970 e localizado em frente ao cemitério mais antigo de Pádua tem seu nome. Outros membros da família são médicos e médicas. 

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Luiz Penido - "O garotão da galera"

Luiz Penido (Luiz Alberto Penido) nasceu em Juiz de Fora em 05 de abril de 1955.

Família
Neto do médico juizforano, João Nogueira Penido Filho e pai do repórter carioca, Marcelo Penido, que trabalha com o Davi Rangel na Rádio Sucesso FM de Friburgo.

Carreira
Radialista (locutor esportivo), iniciou carreira aos 14 anos, em 1969, na equipe de Waldir Amaral ( ) na extinta Rádio Globo Rio AM 1220. Trabalhou nas rádios Eldorado, Nacional, Tupi e Tropical. Atualmente trabalha nas rádios Globo e CBN, ambas FM.

Competições
Ele narrou quatro mundiais de basquete, dezenas de GPs de Fórmula 1 e seis Copas do Mundo.

TV
Atualmente apresenta, aos domingos, o programa "Tempo Extra" na CNT.


Ascendentes
João Penido (João Nogueira Penido Filho) nasceu em Juiz de Fora em 28 de janeiro de 1862.

Família
Filho de João Nogueira Penido e de Maria Cândida Lima Duarte Penido.

Formação
Formado médico em 1883 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro

Político
De 1895 a 1897, foi presidente da câmara de vereadores de Juiz de Fora e agente executivo (prefeito) da cidade

João Penido morreu em 1945.

João Penido (João Nogueira Penido) nasceu em 30 de maio de 1822, na Vila de São José de Paraopeba, na Comarca de Bonfim, na Província de Minas Gerais, hoje um distrito no município de Brumadinho, em Minas Gerais.

Formação
Formado médico em 1851 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro

Juiz de Fora
Em 1853 fixou residência em Juiz de Fora, onde clinicou por 44 anos, atendendo à clientela das Província de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Elegeu-se vereador por dois mandatos, nos períodos de 1858 a 1864 e 1867 a 1884. Um dos fundadores e primeiro presidente da Sociedade de Medicina de Juiz de Fora.

João Penido morreu em  Juiz de Fora, aos 78 anos, em 01 de maio de 1901.

domingo, 4 de abril de 2021

Foto histórica

Nacional de Visconde do Rio Branco.


Em pé, da esquerda para a direita: 
Salomão, Neném Carolina, Egídio, Sargento Lucas, Carlinhos Marta Rocha, Zé Pretinho, João Leite e Juca Pato (José Lourenço Brandão).
Agachados: 
Antonio Baixinho, Zezé Barreto, José Augusto, Samuel, Rui Tutu, Sílvio José e Jésus.

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Ator Mauro Mendonça- 90 anos

Mauro Mendonça (Mauro Pereira de Mendonça) nasceu em Ubá,em 02 de abril de 1931.
Família
Filho do advogado e escritor Ubaense, Euclides Pereira Mendonça e Maria dos Santos Padilha, casado desde 1959 com a atriz Rosamaria Murtinho (nascida em Belém do Pará, em 24 de outubro de 1935) com quem tem três filhos: O diretor Mauro Mendonça Filho e os atores  Rodrigo Mendonça, João Paulo Mendonça e avô de cinco netos: Sofia Mendonça, Anna Luíza Anillo, Januária Mendonça, Victória Mendonça e Pedro Lucas.

Formação
Formado em artes cênicas pelo Conservatório Nacional de Teatro.

Carreira
Ator de teatro, cinema e TV.

Cinema
Em 1976 estrelou ao lado de Sônia Braga e José Wilker o filme Dona Flor e Seus Dois Maridos baseado na obra de Jorge Amado, no papel de Dr. Teodoro Madureira, o "marido vivo" de Dona Flor.

Um Juizforano vítima da ditadura

Rodolfo de Carvalho Troiano nasceu em Juiz de Fora em 02 de abril de 1949.


Família
Filho de Rodolfo Troiano (gaúcho de Garibaldi) e de Geny de Carvalho Troiano (mineira de Visconde do Rio Branco) e irmão do radialista Jorge Mouzart Troiano e de Cléber de Carvalho Troiano.

Militância política
Era estudante e atuou como militante no Partido Comunista do Brasil (PCdoB) na época do regime militar, foi aluno da União Juiz-forana de Estudantes Secundaristas (UJES). Combateu a ditadura por meio da luta armada. O estudante foi considerado desaparecido político porque os seus restos mortais não foram entregues aos seus familiares e o seu sepultamento não chegou a ser realizado. 

Rodolfo de Carvalho Troiano foi considerado "desaparecido", vítima da ditadura militar, aos 24 anos, em 12 de janeiro de 1974 , em Brejo Grande do Araguaia, no Pará.

Obs: É nome de rua no bairro Braúnas, na região da Pampulha, em Belo Horizonte e no Residencial Cosmos, em Campinas, interior de São Paulo.

CONSIDERAÇÕES
Um Juizforano que lutou bravamente com opressão, a ditadura, a qual os negacionistas insistem em chamar de "revolução democrática"

segunda-feira, 29 de março de 2021

José Alencar Gomes da Silva

José Alencar (José Alencar Gomes da Silva) nasceu em Itamuri, distrito de Muriaé em 17 de outubro de 1931.

Família
Filho do comerciante Antônio Gomes da Silva (descendente de portugueses) e Dolores Peres Gomes da Silva (descendente de espanhóis).

Casamento/Vermelho/Itamuri/Rosário da Limeira/Muriaé/MiraíCaratinga
Ambos se casaram em 22 de junho de 1912 no em Vermelho, distrito de Muriaé (Ele com 36 anos e ela com 18). O casal teve 15 filhos: Udezira (1913), Geraldo (1914), Mário (1915), Maria (Cotinha, 1917), Álvaro (Tatão, 1919), Lucílio (Lulu, 1921), Wilson (1923), Elza (1925), Célia (1927), Maria José (1929), José Alencar (Zezé, 1931), Wallace (1933), Antonio (Toninho, 1935), Maria Auxiliadora (Dorinha, 1937), e Dolores Maria (1942). Em 1929 a família mudapara Itamuri, depois para Rosário da Limeira (emancipado em 19-0, Muriaé em 1945 para Miraí e em 1948, José Alencar se muda para Caratinga. 

Casamento
Em 09 de novembro de 1957, casou-se em Caratinga com Mariza oLIVEIRAcAMPOS, FILHA DE Luiz Campos de Carvalho. O casal teve três filhos: Maria da Graça (Caratinga, 1959), Patrícia (1960) e Josué (1963). Patrícia e Josué nasceram no Rio de Janeiro, mas foram registrados em Ubá.

Empresário
Aos dezoito anos, iniciou seu próprio negócio. Para isto contou com a ajuda do irmão Geraldo Gomes da Silva, que lhe emprestou quinze mil cruzeiros. Em 31 de março de 1950, abriu a sua primeira empresa, denominada "A Queimadeira", localizada na cidade de Caratinga. Manteve sua loja até 1953, quando decidiu vendê-la e mudar de ramo. Iniciou seu segundo negócio na área de cereais por atacado, ainda em Caratinga. Logo em seguida participou — em sociedade com José Carlos de Oliveira, Wantuil Teixeira de Paula e seu irmão Antônio Gomes da Silva Filho — de uma fábrica de macarrão, a "Fábrica de Macarrão Santa Cruz".[8]  Em 1957, a mãe faleceu, assim como o pai no ano seguinte. No final de 1959, seu irmão Geraldo morreu de câncer. A esposa de Geraldo não tinha condições de assumir a empresa deixada pelo marido, uma casa comercial de tecidos chamada de "União dos Cometas". Coube a Alencar vender seus negócios em Caratinga e mudar-se para Ubá em 1960 a fim de prosseguir os negócios do irmão. Em 1963 constituiu a Companhia Industrial de Roupas União dos Cometas, que mais tarde passaria a se chamar Wembley Roupas S.A., cujo nome era para ser associado ao bairro londrino de Wimbledon, local onde ocorria um torneio no qual a brasileira Maria Esther Bueno se destacava, mas como já havia uma empresa com o nome, terminou-se por ser chamado por Wembley, que remete a um estádio.

Coteminias/Cotene
Em 1967, em parceria com o empresário e deputado Luiz de Paula Ferreira, fundou, em Montes Claros, a Companhia de Tecidos Norte de Minas, Coteminas, que foi inaugurada em 31 de março de 1975. O local onde foi construída a fábrica de tecidos estava na área abrangida pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e possuía vantagem estratégica por estar próximo às rodovias BR-135, BR-365 e BR-251 que unem várias regiões do país. A Sudene ajudou a financiar a Coteminas. Em 1984, através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social iniciou-se a recuperação da empresa Seridó que estava indo a falência. Sob o domínio do grupo da Coteminas, a Seridó teve seu nome mudado para Coteminas do Nordeste (Cotene).
 
Político
Foi senador por Minas Gerais de 1999 a 2002 e vice-presidente da República do Brasil na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003 a 2006 e de 2007 a 2010.

Paternidade
Em 2001, a professora Rosemary de Morais entrou com um processo na justiça para reconhecer José Alencar como seu legítimo pai. Rosemary nasceu em 08 de maio de 1955, ou seja, a gestação teria ocorrido em agosto de 1954. Alencar alegou que durante este período estava morando em Itaperuna, no Noroeste Fluminense. 
Contra vontade sua mãe, a enfermeira Francisca Nicolina de Morais (falecida em 2009 aos 82 anos) e mesmo com as negativas de Alencar, de inclusive fazer o DNA, a justiça de Minas reconheceu a paternidade e Rosemery passou a assinar Rosemary de Morais Gomes da Silva.

José Alencar morreu em São Paulo, aos 79 anos, em 29 de março de 2011.

Um nome que marcou época na comunicação

Beatriz Thielmann (Beatriz Helena Monteiro da Silva Thielmann) nasceu em Juiz de Fora em 13 de janeiro de 1952.

Formação
Formada em comunicação social (jornalismo) na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Família
Foi casada com Henrique Nehrer Thielmann e mãe de dois filhos, Diogo e Rafael. 

Carreira
Na TV Globo, cobriu a eleição em 1984 e a morte em 1985 de Tancredo Neves (1910/1985), o plano cruzado em 1986, entrevistou o Fidel Castro (1926/2016) em 1987, a promulgação da constituição em 1988, a Conferência da ONU no Rio em 1992, a morte de de Oscar Niemeyer (1907 / 2012) e a visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro em 2013.  

Beatriz Thielmann morreu em São Paulo, aos 63 anos, vítima de câncer, em 29 de março de 2015.  

Obs: A última entrevista do ex-presidente Itamar Franco (1930/2011), por ocasião do exercício do cargo, foi concedida a ela, por ocasião do fim do seu mandato, em 1994, quando elegeu seu sucessor, Fernando Henrique Cardoso, eleito no primeiro turno, com a 54,3% dos votos válidos e Itamar deixava o governo com bom índice de aprovação popular.

domingo, 28 de março de 2021

 

05 Rebaixamentos
América Mineiro - 1993, 1998, 2001, 2011 e 2016
Goiás - 1982, 1993, 1998, 2010 e 2015
Santa Cruz  -  1988, 1993, 2001, 2006 e 2016
Vitória - 1982, 1991, 2004, 2010 e 2014.


04 Rebaixamentos
Fortaleza -  1983, 1993, 2003 e 2006
Coritiba 4× | 1989, 1993, 2005 e 2009
Sport 4× | 1989, 2001, 2009 e 2012
Náutico 4× | 1992, 1994, 2009 e 2013
Criciúma 4× | 1988, 1997, 2004 e 2014.

03 Rebaixamentos
Atlético Paranaense 3× | 1989, 1993 e 2011
América de Natal 3× | 1982, 1998 e 2007
Bahia 3× | 1997, 2003 e 2014
Figueirense 3× | 2008, 2012 e 2016
Guarani 3× | 1989, 2004 e 2010
Joinville 3× | 1982, 1983 e 2015
Portuguesa 3× | 2002, 2008 e 2013
Vasco 3× | 2008, 2013 e 2015.

2 REBAIXAMENTOS
CSA 2× | 1982 e 1983
Ferroviário-CE 2× | 1982 e 1983
Mixto-MT 2× | 1982 e 1983
Desportiva Ferroviária 2× | 1982 e 1993
União São João 2× | 1995 e 1997
Fluminense 2× | 1996 e 1997
Bragantino 2× | 1996 e 1998
Botafogo-SP 2× | 1999 e 2001
Gama 2× | 1999 e 2002
Grêmio 2× | 1991 e 2004
Juventude 2× | 1999 e 2007
Paraná 2× | 1999 e 2007
Ceará 2× | 1993 e 2011
Palmeiras 2× | 2002 e 2012
Ponte Preta 2× | 2006 e 2013
Botafogo 2× | 2002 e 2014
Avaí 2× | 2011 e 201
 
 
01 REBAIXAMENTO
Internacional  1× | 2016
Itabaiana-SE 1× | 1982
Nacional-AM 1× | 1982
River-PI 1× | 1982
Taguatinga 1× | 1982
Brasília 1× | 1983
Galícia-BA 1× | 1983
Juventus-SP 1× | 1983
Moto Club 1× | 1983
Rio Branco-ES 1× | 1983
Treze 1× | 1983
America 1× | 1988
Bangu 1× | 1988
Inter de Limeira 1× | 1990
São José 1× | 1990
Remo 1× | 1994
Atlético Mineiro 1× | 2005
Brasiliense 1× | 2005
São Caetano 1× | 2006
Corinthians 1× | 2007
Ipatinga 1× | 2008
Santo André 1× | 2009
Grêmio Barueri 1× | 2010
Atlético Goiniense 



sábado, 27 de março de 2021

Paulo Stein

Morre no Rio de Janeiro, aos 73 anos e vítima da covid-19, o locutor esportivo, Paulo Stein

Paulo Stein, morreu na manhã deste sábado, 27/03, no hospital Anchieta, no Caju, zona portuária do Rio. Ele foi ao Hospital Municipal Rocha Maia, em Botafogo, zona Sul do Rio, na quarta-feira, 24/03, Seu corpo será cremado no cemitério do Caju na tarde deste domingo, 28/03, na presença apenas da família. Paulo Stein, que iria ser vacinado ontem, não resistiu.
Paulo Stein nasceu no Rio de Janeiro, em 06 de outubro de 1947.

Família
Casado com Natasha Stein e pai da jornalista Viviane Stein.

Carreira
Iniciou no Jornal dos Sports em 1968, onde ficou até 1969. Foi repórter e pauteiro do O Estado de S. Paulo de 1969 a 1978.  No rádio trabalhou na Tupi de 1971 a 1976 e na Nacional de 1976 a 1981. Foi colunista do jornal O Fluminense entre 1978 e 1981.  Na televisão, foi diretor de esportes, apresentador do programa Bola na Mesa e narrador da TV Bandeirantes Rio de Janeiro de 1977 a 1982. Em 1983, foi para a Rede Manchete onde foi diretor de esportes e, além da cobertura esportiva, se consagrou também nas transmissões de carnaval, que na emissora narrou de 1984 a 1998. Foi o primeiro locutor que transmitiu do Sambódromo Carioca e também do de Manaus. Narrou o carnaval de São Paulo por vários anos e o de Salvador, em 1993. Em 1996, Stein foi para a RecordTV, mas voltou em 1998 para a Manchete, onde também participou da cobertura da Copa do Mundo de 1998, na França. Esteve na Manchete até 1999, quando foi colocado à disposição em novembro daquele ano pela RedeTV!, que comprou a emissora do grupo Bloch em maio.  Além disso, escreveu para as revistas Manchete, Fatos & Fotos, Manchete Esportiva e Placar.   Foi diretor de redação entre 2000 e 2001 do site MeDeiBem. Em 2001, passou a integrar a equipe da TVE Brasil onde apresentou o EsporTVisão. Entre 2008 e 2010, passou a integrar a equipe da ESPN Brasil atuando como apresentador do programa Bate-Bola 2ª Edição, na sede carioca da Emissora. Em 2011, passa a integrar a equipe do SporTV e Premiere, do quais saiu em 2019.

 Em 2009, depois de 11 anos fora das transmissões do carnaval carioca, comandou a transmissão do desfile para a Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso, na CNT.

Educador
Foi professor de telejornalismo e radialismo. Deu aulas na Faculdade Pinheiro Guimarães de 1993 a 1996. 

sexta-feira, 26 de março de 2021

José Carlos Santos Cataldidi

Morre em Pindamonhagaba, aos 68 anos e vítima da covid-19, o jornalista e advogado José Carlos Cataldi

Vítima da covid, ele passou mal em casa, foi levado para o Pronto Socorro Municipal de Pindamonhangaba, em estado grave, foi intubado e não resistiu.

José Carlos Santos Cataldidi nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 18 de dezembro de 1952. Filho de Ary Cataldi (1916/2004) e Nicia Santos Cataldi (1914/2006), casado com Anna e pai de três filhos: Rachel Farah Cataldi, Joanna Farah Cataldi e Ary Cataldi Neto. Jornalista,  radialista e advogado, Cataldi trabalhou nas rádios Nacional Rio (por 35 anos), Tupi Rio, Clube de Corumbá-MS, Independente de Aquidauana-MS e nas emissoras do SGR (Sistema Globo de Rádio). Foi comentarista jurídico da Rádio Justiça do STF. Na TV, atuou na Record, Manchete e Brasil. Atualmente José Carlos Cataldi, vivia em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba Paulista, e mantinha-se ativo na advocacia e na comunicação e foi editor do blog www.pensandovoce.blogspot.com 


Édson Callegarers

Morre em Santos, aos 62 anos, e vítima da covid-19, o locutor esportivo ÉDSON CALLEGARES, autor do bordão "Sabe de quem?" 

Édson Callegares morreu na manhã desta sexta-feira, 26/03. Desde que foi diagnosticado com a doença, o locutor estava internado na UTI do Hospital Ana Costa, em Santos. Ele residia em São Vicente, era casado e deixa duas filhas e três netos. Seu corpo foi sepultado no Memorial de São Vicente, no bairro Parque Bitaru.

Edson Callegares nasceu em São Paulo em 11 de abril de 1958. Conhecido como um dos principais narradores da baixada santista, iniciou carreira em 1978, no rádio, ainda como estudante do primeiro ano de jornalismo, em Santos.  Foi rádio escuta na Rádio Cacique e em 1983 iniciou trajetória no Grupo "A Tribuna", como narrador da Rádio Cacique, fazendo narrações de jogos do Santos Futebol Clube.  Atualmente apresentava o programa "Baixada Esporte", pela TV Santa Cecília, de Santos.

Bordão - “SABE DE QUEM? - é do Peixe!" 
Segundo a imprensa da baixada santista, Edson Callegares é o autor do  bordão “SABE DE QUEM?”, utilizado antes de anunciar o autor dos gols durante os jogos. Esse bordão teria sido utilizado por um locutor de TV à partir da Copa de 2018.

Um português que fez sucesso no Brasil

Loureiro Neto (Manuel Fernandes Loureiro), nasceu em Palmeira, região de Braga, em  Portugal, em 30 de Junho de 1952.

Brasil
Chegou ao Brasil com 04 anos de idade. Morador do bairro de Copacabana, era torcedor do Vasco da Gama e da Mangueira. 

Carreira
Começou carreira na TV em 1971, na TV Rio. Foi repórter esportivo da Rádio Vera Cruz, passou pela Rádio Manchete e, em 1976, ingressou no Sistema Globo de Rádio, inicialmente como repóerter de campo, era setorista do Vasco e fazia dupla nas jornadas com Cléber Leite (setorista do Flamengo). Filson Ricardo (Botafogo) e Fernando Carlos (Fluminense) eram os outros setoristas na equipe comandada por Waldir Amaral (1926/1997) e Jorge Curi (1920/1985).

Programas
“Enquanto a Bola não Rola” foi o primeiro programa apresentado por Loureiro Neto na Globo. Em seguida, virou apresentador do “Papo de Botequim”. Em julho de 2002, Loureiro assumiu o "Manhã da Globo", em substituição ao programa do Haroldo de Andrade, onde ficou até março de 2011, quando na mesma emissora, passou a apresentar o "Botequim da Globo". Foi comentarista esportivo e apresentou o "Portugal Esportivo",programa que informava a resenha do futebol lusitano.

Loureiro Neto morreu no Rio de Janeiro, aos 61 anos, em 26 de fevereiro de 2014.

domingo, 21 de março de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Affonso Soares (Affonso Gonçalves Soares), nasceu no bairro do Catumbi, na região central da cidade do Rio de Janeiro, em 11 de setembro de 1923. 

Família
Filho de Abel Gonçalves Soares e Olívia Mazzuca Soares, casado com Elizabeth Conrado Soares e pai de três filhos, Lana Beth Gonçalves Soares (advogada), Celso Roberto Gonçalves Soares (falecido em 13 de março de 2007), e Márcia Cristina dos Conrado Soares, sendo essa, filha adotiva.

Carreira
Torcedor do Fluminense e da Portela, tradicional escola de samba de Madureira, Affonso Soares trabalhou nas ádios: Globo durante 23 anos, Tupi durante 19 anos e outras de menor expressão na cidade do Rio de Janeiro. 

Programas
Destacou-se em suas transmissões de copas do mundo a partir de 1950 no Brasil, criador de programas como "Patrulha da cidade" (criado em 03 de janeiro de 1960) e "Do outro lado da vida", ambos na Rádio Tupi, e, "Não perca a esportiva" e "Alerta Geral", na Rádio Globo, e também teve passagem pela Televisão gravando diversos comerciais e apresentando o programa policial "Rio Cidade Alerta" na antiga TV Rio, hoje, TV Record.     

Além dos programas policiais, transmissões esportivas e carnavalescas, fez sucesso no rádio matutino apresentando o seu "Não Perca a Esportiva", em dois tempos, às 07:30 e 08:30, primeiro na Rádio Globo, dentro do programa do Paulo Giovanni, e posteriormente, na Rádio Tupi, dentro do programa do Francisco Barbosa. 

Livro
"Não Perca a Esportiva" foi transformado em livro, com edição esgotada.   

Affonso Soares morreu, aos 83 anos, na madrugada de 27 de maio de 2007, em Sepetiba, zona oeste do Rio, vítima de um infarto fulminante.    

Colaboração: Carlos Eduardo Gonçalves Soares Neves (neto do Affonso, que reside em Conselheiro Lafaiete-MG).

segunda-feira, 15 de março de 2021

Professora/escritora/trovadora/poetisa/romancista/contista.

Cleonice Rainho (Cleonice Rainho Thomaz Ribeiro) nasceu em Angustura, distrito de Além Paraíba, em 15 de março de 1919.

Família 
Filha de Antonio Gonçalves Rainho e Percília de Souza Rainho, casada com Jacy Thomaz Ribeiro (in memoriam) e mãe de dois filhos: Fernando Antonio Rainho Thomaz Ribeiro (falecido em São Paulo, aos 73 anos, em 15 de março de 2012) e Luiz Flávio Rainho Thomaz Ribeiro e irmã do radialista e poeta Romeu de Souza Rainho (1929/2017) . 

Carreira 
Foi professora, escritora, trovadora, poetisa, romancista e contista. 

Escritora 
Publicou cerca de 30 obras, entre livros, antologias e ensaios, incluindo títulos como “Terra corpo sem nome” (1970); “Vôo branco” (1979); “Intuições da tarde”, de 1990; “Verde vida”, de 1993; “O palácio dos peixes”, de 1996; “O linho do tempo”, de 1997; “Poemas chineses”, de 1997, e “Liberdade para as estrelas”, de 1998. Associação de Cultura Luso-Brasileira,   Foi uma das fundadoras e presidente da Associação de Cultura Luso-Brasileira (ACLB), com sede em Juiz de Fora. 

Biografia
O escritor Wanderley Luiz de Oliveira Lançou em 2010, “Cleonice Rainho, a Busca e o encontro - Uma biografia”.

Cleonice Rainho morreu em Juiz de Fora, aos 93 anos, em 23 de maio de 2012, sendo seu corpo velado e sepultado no cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida, no bairro Poço Rico, em Juiz de Fora. 
 Obs: É nome de rua no bairro Aeroporto, em Juiz de Fora.

quinta-feira, 11 de março de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Édson Schettino nasceu em Santo Antonio do Aventureiro, na época distrito de Além Paraíba, em 1936.  

Família 
Casado com Ciléia de Souza Schettino e pai do Édson Eduardo de Souza Schettino.  

Carreira 
Levado para trabalhar na rádio Cultura, em 1954, por Júlio de Paula Brandão, Schettino viveu o ápice do rádio alemparaibano, na gestão de Hélio Fazolato (1930/2010). Na rádio Cultura (nome escolhido por ele), apresentou o noticiário "Comunicação" e o programa "Almoço à Moda Antiga" com músicas do passado.

Édson Schettino morreu aos 84 anos, no hospital São Salvador, em Além Paraíba, em 11 de março de 2020.

quarta-feira, 10 de março de 2021

Notável personalidade do samba

José Carlos Passos, o Zé Kodak, nasceu em Bicas em 10 de março de 1946. 

Família 
Filho de João Garcia Passos e Josefina Calixto Passos. Juiz de Fora Mudou-se para Juiz de Fora em 1960, cidade em que fundou a loja de revelação de filmes e revenda de máquinas fotográficas, sendo representante da marca Kodak. Mesmo com a revolução tecnológica o fim das tradicionais máquinas fotográficas, manteve-se no mercado com a criação de novos produtos e a abertura de novas lojas. 

Carnaval 
Envolvido com blocos e escolas de samba, tornou-se o principal nome da Banda Daki, criada em 1972, pela Turma do São Roque. 

Zé Kodak morreu na Santa Casa de Juiz de Fora, aos 74 anos, vítima da covid-19, em 27 de fevereiro de 2021, sendo seu corpo sepultado no cemitério Parque da Saudade.

terça-feira, 9 de março de 2021

Foto histórica

José de Alencar Ferreira Chaves, José Carlos Passos (1946/2020), Wilson Amin de Paula (1947/1995) e Jorge Mouzart Troiano.

sexta-feira, 5 de março de 2021

Nomes que marcaram época...

Edu Alexandrino (Edu Alexandrino Ferrarezi) nasceu em Guarani-MG em 05 de março de 1930.

Família
Filho de Paulino Alexandrino Ferrarezi e Alcina Belini Ferrarezi, casado em 22 de janeiro de 1955 com Dalva Nunes Ferrarezi (nascida em Juiz de Fora em 02 de março de 1933), pai de oito filhos: Júlio César Nunes Ferrarezi, Rita de Cássia Nunes Ferrarezi, Dalva Maria Nunes Ferrarezi, Édson Nunes Ferrarezi, Marcos Nunes Ferrarezi, Maria Aparecida (1965/2020), Israel Nunes de Moraes Neto e Paulino Alexandrino Ferrarezi Neto. 

Carreira
Radialista (operador de áudio e de transmissor) trabalhou por toda carreira numa mesma emissora, a rádio Industrial de Juiz de Fora, do "Grupo Sérgio Mendes".

Edu Alexandrino morreu em Juiz de Fora aos 68 anos, em 30 de maio de 1998.

Nomes que marcaram época

Humberto Zaghetto nasceu em Matias Barbosa-MG, em 05 de março de 1929.

Família

Filho de Fortunato Zaghetto (1896/1981) e Maria Dias Zaghetto, casado com Helena Apparecida Rocha Zaghetto (nascida em 17 de outubro de 1938) e pai de duas filhas, Cláudia e Flávia.


Carreira 1

Foi funcionário da TEXACO (Texa Companhia) durante 17 anos. Trabalhou na Companhia Paulista de Gás Acumulado por quatro anos e no Moinho Fluminense por três anos e meio. 


Carreira 2

Radialista (Comentarista esportivo e repórter policial),iniciou carreira na comunicação em 1975. Trabalhou no histórico programa "CAMISA DEZ" da antiga TV Industrial, de 1975 a 1979. De 1979 a 1981 na rádio Industrial, de 1982 a 1997 na rádio Capital, sucessora da rádio Industrial. Trabalhou também na rádio Juiz de Fora AM e Panorama FM.


Futebol

Era torcedor do Fluminense (Rio de Janeiro) e do Tupynambás (Juiz de Fora).


Filiação

Fortunato Zaghetto nasceu em Pádova, na Itália, em 21 de junho de 1896, chegou ao Brasil em 1897, filho de Mário Camilo Zaghetto e Adriana Cardino Zaghetto, casado com Maria Dias Zaghetto, pai de Augusto, Iracema, Odilon, Humberto e Fábio. Naturalizado brasileiro, era comerciante, foi proprietário de armazém, olaria e cerâmica em Matias Barbosa e armarinho, na praça da Estação, em Juiz de Fora. Fortunato Zaghetto morreu  em Juiz de Fora, aos 85 anos, em 07 de agosto de 1981.  


Humberto Zaghetto morreu na Santa Casa de Juiz de Fora, aos 91 anos, em 01 de dezembro de 2020, sendo seu corpo velado no cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida e sepultado no cemitério da Comunidade Luterana, na Glória.

Um nome que marcou época na comunicação

Fernando Vannucci (Fernando Antonio Vannucci Braz) nasceu em Uberaba, no triângulo mineiro, em 05 de março de 1951. 

Família
Filho de  Sherlock Holmes  Braz (falecido em 1986) e de Célia Vannucci Braz, pai de cinco filhos:  Maria Fernanda (veterinária), Fernando (médico), Frederico (jornalista), Antonio Henrique e Julia, foi casado com Fátima Braz, com a modelo Marinara Costa, com a jornalista Alessandra Terra e era primo do ator e diretor uberabense, Augusto César Vannucci (1934/1992).

Carreira
Iniciou carreira aos 14 anos na Rádio Sociedade  de Uberaba. Trabalhou nas rádios Sete Colinas (Uberaba) e Inconfidência (Belo Horizonte).

TV Globo
Trabalhou nas emissoras Globo de Belo Horizonte e do Rio

Coberturas internacionais
Cobriu 06 copas do mundo: 1978 (Argentina), 1982 (Espanha), 1986 (México), 1990 (Itália), 1994 (Estados Unidos) e 1998 (França) e 06 olimpíadas: Moscou em 1980, de Los Angeles em 1984, de Seul em 1988, de Barcelona em 1992 e de Atlanta em 1996.

Carnaval
Foi o âncora das transmissões do Carnaval na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, de 1985 a 1999.

Outras emissoras
Bandeirantes, Record, Rede TV e Rede Brasil.

Futebol
Era torcedor do Nacional (Uberaba) e do Botafogo (Rio de Janeiro), ambos preto e branco. 

Fernando Vannucci morreu em  Barueri, na grande São Paulo, em 24 de novembro de 2020, sendo seu corpo velado no no salão nobre da sede Botafogo de Futebol e Regatas e sepultado no cemitério Jardim da Saudade, no Jardim Sulacap, zona oeste do Rio de Janeiro.

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Um nome que marcou época na comunicação

Valéria Sffeir (Valéria Sffeir Mahfuz) nasceu em Juiz de Fora em 27 de fevereiro de 1953.

Família  
Filha de Manira Sffeir Mahfuz (nascida em 31 de dezembro de 1918), irmã de Berenice Sffeir Mahfuz (falecida em 04 de abril de 2015) e da jornalista Marília Sffeir Mahfuz.

Carreira
Jornalista formada na UFJF, iniciou carreira na antiga TV Globo de Juiz de Fora. Trabalhou na TV Aratu, antiga afiliada Globo na Bahia, TV Globo em Belo Horizonte e Brasília. Foi correspondente internacional em Londres e tornou-se uma das primeiras mulheres a exercer esse cargo. Um de seus trabalhos de maior destaque foi a cobertura da Guerra do Golfo (1990/1991). De volta ao Brasil, fez parte da equipe que criou a Globo News, em 1996.  

Valéria Sffeir morreu no Rio de Janeiro, aos 57 anos, em 28 de outubro de 2010, em decorrência de um câncer de pulmão, sendo seu corpo sepultado no cemitério municipal de Juiz de Fora, em 29/10.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Notável personalidade

Paulo Emerich nasceu em Celina, distrito de Alegre, no sul do estado do Espírito Santo, em 23 de fevereiro de 1931. 

Família
Pai do economista Paulo Marcos Emerich e da museóloga, Denyse Emerich (do casamento com a radialista Lonir Corrêa Cardoso (1932/2018)), do autônomo, Bianco Fernandes Emerich, do relacionamento com Aurora Fernandes, que lhe deu os netos Bruno da Silva Emerich e Vitória Carelli Emerich e do locutor de rádio e professor de inglês, Gilvan Bernardes Emerich, do casamento com Neuza Maria de Moura Bernardes. Com Maria Augusta, sua atual esposa, não teve filhos.  

Carreira 
Radialista (locutor) iniciou em 1950, como locutor de alto falante e animador de comícios em sua cidade natal. Em 1952, já morando em Carangola-MG, ajudou a inaugurar a rádio Carangola AM, começando ali sua atuação no rádio. Em 1953 voltou ao Espírito Santo, desta feita para atuar na rádio Cachoeiro AM, de Cachoeiro de Itapemirim. Posteriormente, foi para o Rio de Janeiro e trabalhou nas rádios Continental e Relógio. Em 1954 veio para Juiz de Fora para prestar vestibular, e atendendo a um convite de Alceu Nunes da Fonseca** (in memoriam), então proprietário da rádio Industrial, foi trabalhar na emissora, posteriormente, se transferiu para a PRB 3, sendo um dos organizadores do evento de comemoração dos 50 anos da emissora, em 1979. No rádio, usava a expressão que ficou perpetuada "quem não vive para servir, não serve para viver".  

Faculdade 
Formou em Farmácia pela faculdade de farmácia e odontologia da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), turma de 1956, tendo o médico Renato de Carvalho Loures (1913/1991) como paraninfo.   

Política
Paulo Emerich foi eleito para o primeiro mandato de vereador em 15 de novembro de 1970, com 3.803 votos*, um fenômeno para a época. Foi diplomado em 22 de dezembro de 1970, para o mandato 1971/1972, e foi reeleito por mais três mandatos, 1973/1976, 1977/1982 e 1983/1988. Paulo Emerich, foi em Belo Horizonte, chefe de gabinete do advogado juizforano, Sílvio Andrade de Abreu Júnior, na secretaria de Interior e Justiça, durante os governos de Tancredo Neves e Hélio Garcia.

Cidadão Honorário
Em 1964, recebeu o título de Cidadão Honorário de Juiz de Fora, diploma assinado pelo presidente do legislativo municipal, Wilson Coury Jabour, pelo vice, Ignácio Halfeld (1912/1984) e pelo secretário, Amilcar Campos Padovani.  Atualmente, aposentado, Paulo Emerich vive em Juiz de Fora, com a atual esposa, Maria Augusta Kneipp Emerich, com quem é casado desde 1975.     

*Os 3.803 votos, num período em que o colégio eleitoral era, cerca de 50% inferior ao atual, foi uma façanha. Na atual legislatura, com 19 vereadores, Adriano Miranda (PHS), eleito vereador em 2016, com 1.954 votos e Wagner França (PTB), assumiu em fevereiro de 2019, com 1.916 votos. Os demais, ultrapassaram a barreira dos 2 mil votos. 

**Nascido em Marica-RJ, em 31 de abril de 1903, Alceu Nunes da Fonseca era radiodifusor. Além da industrial, de Juiz de Fora, dirigiu as rádios Carioca (Rio de Janeiro), Carioca (Feira de Santana-BA), Sul Fluminense (Barra Mansa-RJ), Cachoeiro (Cachoeiro de Itapemirim-ES), Capixaba (Vitória-ES), Ubaense (Ubá-MG) e Barbacena (Barbacena-MG).

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Nome que marcou época na comunicação

Sérgio Moraes nasceu em Lajeado-RS, em 11 de julho de 1936. Foi criado em Rio Pardo-RS, cidade em que iniciou carreira de locutor.

Família
Pai do repórter esportivo Sérgio Américo (Sérgio Américo Conzi Moraes)

Formação
Formado em Comunicações pelo 08º Regimento de Infantaria Motorizada de Santa Cruz do Sul.
Carreira
Radialista (locutor esportivo e comercial, repórter, operador de áudio), iniciou carreira de operador de áudio e locutor comercial na na rádio Rio Pardo, trabalhou nas rádios Santa Cruz (Santa Cruz do Sul), Santamariense (Santa Maria), Clube (Canoas), Gaúcha, Farroupilha, Difusora e Capital (Porto Alegre), Difusora (Itajaí), Aliança (Concórdia), Guarani (Belo Horizonte), Guanabara, Mauá, Bandeirantes, Nacional, Tupi e Globo (Rio), Excelsior (Salvador), Clube (Recife), Brasil Central (Goiânia). 

Copas do Mundo
Cinco edições: 1978 na Argentina pela Nacional (Rio de Janeiro), 1982 na Espanha pela Excelsior (Salvador) e Clube (Recife), 1986 no México pela Tupi (Rio de Janeiro), 1990 na Itália pela Capital (RJ/SP) e 1994 nos Estados Unidos pela Nacional (Rio de Janeiro).

Outros esportes
Narrou Fórmula 1, vôlei e basquete.

Mundial
Mundial de basquete de 1978 nas Filipinas.

Grandes nomes com os quais trabalhou em Porto Alegre
Haroldo de Souza Celestino Valenzuela (1928/2020) e Ibsen Pinheiro (1935/2020).

Bordão
Dos pampas aos seringais.

Sérgio Moraes morreu em Porto Alegre, aos 68 anos, em em 17 de setembro de 2004.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Gabeira- 80 anos

 Fernando Gabeira (Fernando Paulo Nagle Gabeira) nasceu em Juiz de Fora em 17 de fevereiro de 1941.

Família
Filho de Paulo Gabeira e de Isabel Nagle, é primo da jornalista Leda Nagle, foi casado com a militante política Vera Sílvia de Araújo Magalhães (1948/2007), com a estilista Yamê Reis (com quem teve duas filhas: a psicóloga Tami Gabeira e a surfista Maya Gabeira) e atualmente é casado com a empresária Neila Tavares.

Carreira/jornalismo
Jornalista, militou na imprensa escrita de Juiz de Fora, Belo Horizonte e Rio de Janeiro (cidade para qual se mudou em 1963) e desde 2013, trabalha na TV Globo News e editor do blog www.gabeira.com.br.

Carreira/política
Com base eleitoral no Rio de Janeiro, foi deputado federal  por três mandatos (1998/2010) e disputou para prefeito e governador do Rio e presidente da república.

Carreira/escritor
"O que é isso, companheiro?" (1979),
"O crepúsculo do macho" (1980),
"Entradas e bandeiras" (1981),
"Hóspede da utopia" (1981),   
"Sinais de vida no Planeta Minas" (1982),
"Goiânia, rua 57 — o nuclear na terra do sol" (1987",
"A maconha" (2000),
"Navegação na neblina" (2006),
"Onde Está Tudo Aquilo Agora" (2012),
"Democracia Tropical: Caderno de um aprendiz" (2017).

Luta Armada
Fez parte do Movimento Revolucionário Oito de Outubro, da Guerrilha do Caparaó e foi exilado na Argélia, Chile e Suécia

Obs: é um ativista em prol da maconha.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

Notável personalidade

Januário de Oliveira nasceu em Alegrete-RS, em 12 de fevereiro de 1940.

Carreira
Locutor esportivo, iniciou carreira na Rádio Farroupilha (Porto Alegre), trabalhou nas rádios Cultura (Bagé), Mauá e Nacional  (Rio de Janeiro), TVE-RJ (1982/1992), TV Bandeirantes (1992/1997) e TV Manchete.
Aposentou-se em 1998, quando começou a sofrer de diabetes e ter problemas de visão. Aposentadoria, viveu em Goiânia, e atualmente, vive em Natal-RN.

Torcedor
Internacional (Porto Alegre) e Fluminense (Rio de Janeiro).

Apelidos
Ilustrava as narrações apelidando Ézio "Super Ézio", Sávio "Anjo Loiro da Gávea", Túlio Maravilha "Tá, Té, Tí, Tó, Túlio...", Valdir Bigode  "matador de São Januário", Valdeir  "The Flash", Charles (atacante) "Príncipe Charles", Charles (volante) "Charles Guerreiro".

Bordões
  • "Taí o que você queria, bola rolando…" - quando o juiz apitava o início da partida ou do segundo tempo.
  • "Tá lá um corpo estendido no chão" - para o jogador que caía machucado no gramado.
  • "Lá vem Geraldo e Enéas para mais um carreto da tarde", quando os maqueiros do Maracanã, Geraldo e Enéas, entravam em campo para retirar um jogador machucado.
  • "Vai sair o primeiro carreto da noite" - quando um jogador contundido era levado pela maca para fora do campo.
  • "Sinistro, muito sinistro…" - para falha grave de jogador ou árbitro.
  • "Cruel, muito cruel…" - para elogiar o jogador após o gol ou um lance bonito.
  • "É disso (Fulano), é disso que o povo gosta" - para o jogador (Fulano) que acabara de estufar as redes, marcando o gol.
  • "Olhos nos olhos, se passar fica na boa…" - quando o jogador com a posse da bola ficava frente a frente com um defensor.
  • "Pintou em cores vivas" - quando uma chance clara de gol era perdida.
  • "Tá na área, é agora, bateu..." - quando o jogador tinha uma chance de finalizar em gol.
  • "Tem cartão? Tem cartão? Não! Cartão de crédito para o jogador (Fulano)…" - quando um jogador cometia uma falta dura e o árbitro não lhe aplicava nenhuma punição.
  • "O(a) primeiro(a) só serviu como ensaio!" - quando ocorria a repetição de um lance (chute, cruzamento ou cobrança de falta) em sequência. Exemplo: escanteios cobrados consecutivamente; uma bola alçada na área duas ou mais vezes seguidas.
  • "Pega, não larga mais, não dá rebote pra ninguém!" - quando o goleiro fazia uma defesa firme, segura, sem rebote.
  • "Escancarou, escancarou legal (Fulano)..." - quando o jogador tinha um feito um gol.
  • "Eu vi, eu vi…" - para algum lance que ninguém viu, somente ele.
  • "Acabou o milho, acabou a pipoca, fim de papo." - quando o juiz apitava o fim do jogo.
  • "riririkakakaka, o Juiz despirocou…" - para um lance em que o juiz marcou algo de outro mundo.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Notável personalidade

Osmar Frazão (Osmar de Araújo Frazão) nasceu no Rio de Janeiro em 08 de fevereiro de 1936.

Carreira
Radialista e ator, iniciou carreira artística pela televisão em 1958, na TV Tupi do Rio de Janeiro. Participou como ator nos programas Ali Babá e os Quarenta Garçons, Rua do ri-ri-ri e A, E, I, O, Urca e outros.
Em 1963, foi convidado por Chico Anísio a ingressar na TV Rio. De 1968 a 1971, fez parte do elenco da TV Globo, tendo atuado nos humorísticos Balança Mas Não Cai e Escolinha do Professor Raimundo.
A partir de 1974 começou a apresentar-se como jurado no programa de Flávio Cavalcanti na TV Tupi, tendo recebido do apresentador a alcunha de A Enciclopédia da Música Popular Brasileira.
Em 1977, começa escrever uma coluna sobre MPB no jornal Tribuna da Imprensa.
Em 1980, assumiu a Coordenação de Eventos Especiais da Riotur e em 1995 tornou-se Diretor Geral da Rádio Nacional.
Em 2004 apresentou o programa de Estórias do Frazão na Rádio Nacional AM.
Atualmente Osmar Frazão apresenta o programa Histórias da MPB na Rádio Nacional, aos domingos.