quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Um nome que fez história na comunicação

Gil Gomes (Cândido Gil Gomes Júnior), nasceu na Mooca, bairro de imigrantes italianos, em São Paulo, em 13 de junho (dia de Santo Antonio) de 1940. Torcedor da Portuguesa, o radialista era casado com Eliana Izzo, sua segunda mulher, com quem teve duas filhas, Flávia e Nathalie. Antes dela, Gil foi casado por 14 anos com a escritora Ana Vitória Vieira Monteiro, com quem teve três filhos: Daniel, Vilma e Guilherme, que morreu ainda jovem,vítima de uma hepatite C.

Carreira    
Inicialmente, militou no rádio esportivo, posteriormente, dedicou-se ao jornalismo policial e investigativo.    

Rádio/TV  
Trabalhou nas rádios Marconi, Tupi, Capital, Globo e Record e no SBT.    

Literatura  
Escreveu "Gil Gomes conta os crimes que abalaram o Brasil",  onde narrou crimes de repercussão nacional.
"Gil Gomes - Histórias do Mundo Real", escrito por Antonio Valter Kuntz, o livro é uma coletânea de narrativas apresentadas nos programas de rádio e selecionadas pelo próprio Gil Gomes para publicação.       
Gil Gomes morreu em São Paulo, aos 78 anos, em 16 de outubro de 2018. 

Velório e sepultamento 
O corpo foi velado no na capela do obelisco, no Ibirapuera, zona sul de São Paulo, e sepultado na manhã de quarta-feira, 17/10, no cemitério vertical de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.    

Obs: Algumas biografias registram que ele teria nascido na cidade de Sorocaba, n o interior paulista..

Nenhum comentário: