quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Esse nome fez parte do folclore de Juiz de Fora

Antônio Macário (Antonio Felício Macário) nasceu em Rio Espera em 23 de novembro de 1941 e morava de aluguel  na rua deputado Arlindo Janine, no bairro Parque
Independência, em Juiz de Fora. Antes de chegar a Juiz de Fora, ele trabalhou como pedreiro em Ouro Branco, região central de Minas e, em 1972, mudou-se para Juiz de Fora para trabalhar em fazendas da região. Desde então, começou a compor o cenário do calçadão da rua Halfeld, com suas apresentações.

Premiação
Agraciado com a "Medalha Nelson Silva", Antônio Felício Macário fazia parte do folclore e da cultura de Juiz de Fora com apresentações no tradicional calçadão da rua Halfeld, tocando viola,  sanfona, pandeiro, cavaquinho e bandolim.

Canções
Suas canções preferidas eram "Marca da ferradura" (Tonico e Tinoco), "Cabelo de trança (Jacó e Jacozinho), "O Milagre do ladrão" (Zilo e Zalo) e "Boi tufão" (Trio Parada Dura). 

Outras cidades
Em Conselheiro Lafaiete onde também se apresentava, era conhecido como o "Cantador da Rodoviária". Além de Juiz de Fora e Conselheiro Lafaiete, ele fazia apresentações em Santos Dumont, Barbacena e Viçosa.

Antonio Macário morreu na Policlínica de Conselheiro Lafaiete, aos 70 anos, vítima de infarto agudo do miocárdio, em 14 de novembro de 2012. O corpo foi velado e sepultado na cidade Rio Espera

Nenhum comentário: