terça-feira, 29 de novembro de 2016

Tragédia

Acidentes aéreos com delegações de futebol

http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/noticia/2016/11/acidente-da-chapecoense-e-o-maior-desastre-aereo-na-historia-do-futebol-8540038.html

http://www.assisramalho.com.br/2016/11/acidente-da-chapecoense-e-o-maior.html

Literatura


"Com os pés na África"
Escrito pelo jornalista Sérgio Túlio Caldas, o livro tem linguagem moderna, mesclando textos literários, observação jornalística e quadrinhos. E traz uma importante inovação que extrapola o objeto do livro. O leitor, por meio de links e do aplicativo QR Code, tem acesso a vídeos e áudios que enriquecem ainda mais a leitura.
Na história, o garoto Tulio – após vencer um programa de quiz na TV, cujo prêmio é uma volta ao mundo – joga a mochila nas costas e parte para seu primeiro destino: Angola. Ali, descobre a história do país africano que guarda surpreendentes proximidades com o Brasil. Ele faz amigos, encara perrengues, e vai até a casa do renomado escritor Pepetela, em Luanda, para conversar sobre a África. Pepetela conta da sua infância e revela passagens curiosas da guerra civil angolana, da qual ele participou até a independência de Angola, em 1975. O protagonista também se aventura pela exótica Marrakesh, no Marrocos, e pelo Saara, o maior deserto do planeta, onde numa viagem de camelo com nômades conhece os costumes locais e a fé religiosa.
Com narrativa ágil e bem-humorada, o livro é rico em fotos – a maioria tirada pelo autor – e explicações do vocabulário da região. Chama a atenção que as histórias vividas pelo personagem não são frutos da ficção, mas da realidade.


Dolar: Oficial, paralelo e turismo

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Literatura

"A Vantagem Acadêmica de Cuba"

Partindo de um estudo minucioso sobre o sistema educacional cubano, o pesquisador e professor da Universidade de Stanford, Martin Carnoy, traça um perfil com as dificuldades e soluções para melhorar o ensino público. A partir de uma pesquisa minuciosa do que acontece em classes cubanas, chilenas e brasileiras, o autor chega a conclusões contundentes e instigantes sobre as razões da superioridade acadêmica de Cuba. 

Uma das razões da superioridade do ensino cubano, apontada pela pesquisa, é a condição política de Cuba. O governo comunista do país estabelece sistemas efetivos de controle e avaliação de resultados para os gestores de ensino e professores. Além disso, existem vários programas de educação permanentes. O livro fala dos métodos cubanos, de seus resultados e analisa outros sistemas educacionais, sugerindo mudanças para sua melhoria.



domingo, 27 de novembro de 2016

Samba - 100 anos

                      Centenário do Samba - O maior espetáculo da terra
Neste domingo, 27\11, o mais brasileiro de todos os ritmos completa 100 anos. Mas o que não falta na história do nascimento do samba são controvérsias.
A data remete ao primeiro samba oficialmente registrado no país na Biblioteca Nacional. A música “Pelo Telefone” foi registrada em 1916 por Donga (1890-1974), mas foi composta coletivamente na casa de Tia Ciata.  Com essa música, a palavra samba também apareceu pela primeira vez no selo de um disco de vinil.
O escritor e jornalista Ricardo Cravo Albin avalia que "27 de novembro marca apenas o registro da música na biblioteca nacional, mas não é o nascimento do samba".
Albin considera que o mais brasileiro de todos os ritmos nasceu no começo de 1917, quando "Pelo telefone" embalou o carnaval da época. "O nascimento de uma música ocorre quando ela se torna pública e quando ela é impressa na sua estrutura e enviada naturalmente para as estantes do músico".
No Rio de Janeiro do início do século, na casa da baiana Tia Ciata, muitas composições que saíam dali, passaram a marcar a cena cultural da época.
Mas o sambista paulistano Osvaldinho da Cuíca lembra: apesar do local, os primeiros sambas tinham um outro sotaque.
"O samba ainda estava com o sotaque nordestino, maxixe, oriundo do nordeste", explica Osvaldinho. "E o Rio de Janeiro foi praticamente o berço do samba porque aprimorou, desenvolveu e tratou com muito mais seriedade o samba que qualquer outro Estado do País".

O samba é um gênero musical, que deriva de um tipo de dança, de raízes africanas, surgido no Brasil e considerado uma das principais manifestações culturais populares brasileiras.
A palavra “samba” é de origem africana. Seu primeiro registro no Brasil remonta ao ano de 1838, na revista “O Carapuceiro”, de Pernambuco. No entanto, ainda não existe um consenso entre os historiadores sobre suas possíveis origens. Segundo o pesquisador Nei Lopes, seria a etnia quioco, na qual samba significa brincar, divertir-se como cabrito. Há quem diga que vem do quimbundo “semba”, com o significado de “umbigo” ou “oração”. O quimbundo é uma língua banto falada na Angola. Para muitos povos bantos, a música era um elemento religioso e a umbigada se referia a danças sagradas, em uma espécie de ritual de fertilidade e conexão com as forças do universo.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Literatura

"ABTV: Fazendo História"

Escrito pelo jornalista Luís Boaventura, o livro conta a história da TV Asa Branca, emissora de Caruaru, que abrange três regiões de Pernambuco (Agreste, Zona da Mata e Sertão) e 108 dos 185 municípios do estado, contando com apoio de duas sucursais: Garanhuns e Serra Talhada.
Foram destacadas as reportagens históricas dessa área desde 1991 e as falas dos respectivos repórteres, vozes da população, além de gerentes e diretores do departamento, além de como é produzido o telejornal local o ABTV.  
O prefácio é do repórter especial da TV Globo, Francisco José, que trabalha há mais de 40 anos na emissora e conhece muito bem a região onde a TV Asa Branca está inserida. Tendo mostrando ao Brasil as belezas do Vale do Catimbau, a alegria do São João de Caruaru e denunciado o "escândalo da mandioca", Francisco José destaca ainda o tempo em que trabalhou com Boaventura na TV Globo Nordeste, no Recife.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Cultura inut...

O que é Alqueire: 

Alqueire é uma medida agrária utilizada para sólidos, como capacidade de armazenamento de cereais, ou para superfícies, como para medir a extensão de um sitio, uma fazenda, ou uma area rural de uma forma geral.

E utilizada apenas no ambiente rural, e não nos meios urbanos, o alqueire enquanto medida de superfície varia conforme a região do Brasil.

As medidas de alqueire no Brasil sao variadas: 
Alqueire Paulista: 1 (um) alqueire equivale a 2,42 ha (hectare) ou 24.200 m2 
Alqueire do Norte: 1 alqueire equivale a 2,72 ha ou 27.225 m2 
Alqueire Mineiro: 1 alqueire equivale a 4,84 ha ou 48.400 m2
Alqueire Baiano: 1 alqueire equivale a 9,68 ha ou 96.800 m2
Obs O alqueire do Paraná segue a mesma medida do alqueire paulista.

A origem do termo alqueire é da época do Brasil Colonial, em que cestas chamadas de alqueire eram utilizadas para transportar grãos, como milho e feijão. As transações comerciais eram baseadas na quantidades destas cestas, de valor variável entre 12,5 e 13,8 litros.
Posteriormente, substituiu-se o termo alqueire para outras medidas como os quilogramas ou as sacas.
A palavra alqueire tem origem árabe, vem de alquei le que significa cesta ou saco para medir, originado do verbo cale que é precisamente medir.
O termo alqueire é citado na Bíblia no seu sentido original, de cesta para medir grãos. A passagem bíblica fala em acender a candeia sob o alqueire, que simbolicamente representa ocultar a luz.

domingo, 13 de novembro de 2016

Locução esportiva pelo rádio

Algumas dicas para os jovens que transmitem futebol pelo rádio: 
por Maurício Menezes*
01) Transmitam em cima do lance;
02) Quando a bola estiver com a defesa, economizem fôlego até que chegue ao ataque, pois ai é que o ritmo da transmissão deve ser aumentado, pois há possibilidade de gol. Se vocês transmitirem tudo no mesmo ritmo, a voz pode falhar na hora do gol, a emoção maior;
03) Criem alguns bordões para a transmissão, pois o locutor esportivo precisa ter criatividade. Além disso, os bordões marcam o locutor;
04) Não copiem outros locutores. No início, é até admissível, mas, com o passar do tempo, sejam vocês mesmos;
05) No dia da transmissão, falem pouco, preservem a voz;
06) Durante a transmissão, digam umas duas vezes em cada tempo, pelo menos, o nome do autor ou dos autores dos gols até aquele momento, pois o ouvinte pode ter ligado o rádio com a partida em andamento e tem a curiosidade de saber;
07) Evitem comentar a partida durante a transmissão, pois esvazia a participação do comentarista;
08) Se o plantão chamar, passem imediatamente, pois um gol deve ter acontecido em outro jogo. Exceção: se houver possibilidade de gol no lance que vocês estão transmitindo;
09) Divulguem renda, público pagante e público presente também ao final da transmissão, pois durante o jogo, normalmente, o repórter divulga muito rápido, pois a bola está rolando, e muitos não pegam;
10) Se houver preliminar, mesmo que não seja importante, divulguem pelo menos uma vez em cada tempo do jogo principal o resultado da preliminar e, se possível, os nomes dos autores dos gols. Motivo; os parentes e os amigos dos que jogaram podem ter essa curiosidade de saber. Se vocês fizerem isso sempre, esses parentes e amigos serão ouvintes fiéis em outros jogos, pois terão a certeza de que vocês divulgarão, darão atenção;
11) Se entrevistarem algum ouvinte antes, durante ou depois do jogo, perguntem o nome dele, a rua e o bairro em que mora. Fazendo assim, certamente algum vizinho ou amigo vai comentar com ele/ela que o/a ouviu no rádio. Se vocês perguntarem apenas o nome do ouvinte e ele responder José, por exemplo, ninguém vai saber que José é esse. É como se vocês entrevistassem um fantasma. Espero que essas dicas sejam úteis para vocês. Abração.
*Maurício Menezes - Locutor esportivo e advogado






sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Literatura

"Só de Bicho"
Escrito por Laura Medioli e Fernando Fabbrini o livro de crônicas, “Só de Bicho”, é editado pela Sempre Editora. São histórias de cães, gatos, além de macacos, gambás, cavalos e outros animais. A renda do livro será destinada a entidades voluntárias que trabalham no cuidado, castração e adoção de animais de rua. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Finados

Hoje, 02 de novembro, vou homenagear alguns integrantes da mídia, de Juiz de Fora, da região e da capital do estado, com os quais convivi, ou soube de suas existências:

em Juiz de Fora-MG 
MARCOS SILVA (1959/2012) 
Esse, o narrador esportivo com o qual eu mais trabalhei. Marcos teve seu corpo encontrado no dia 02\11, de 2012, um dia de finados. E hoje está completando 19 anos que transmiti com ele Tupi 1 x 1 CSA, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela Série C, do campeonato brasileiro.

MARCIO AUGUSTO (1945/2012) 
O maior comunicador que conheci no rádio de Juiz de Fora.

ANTONIO MARCOS (1973/2005), ANA LUÍSA DA SILVA DAMASCENO (1978/2011), DIRCEU BUZINARI (1937/2006), ADAIR MENDES (1949/1992), CLAUDINEY COELHO (1947/2010), VALÉRIA SFEIR (1953/2010), JOÃO LOREDO (1930/2012), GERALDO MAGELA TAVARES (1927/2015), Wilson de Almeida (1932\1998), Aparício De Vitta, Helena Bittencourt, Antonio D'Angelo (Antonio Mateus D'Angelo), Toni Martins (Antonio Martins Caetano), Roberto Soares (Antonio Roberto da Silva Soares), Carlos Neto (Carlos Fedoceo Neto -2016), Ronaldo Mineiro (Ronaldo Ozório\Ronaldo Mineiro ( -2016), Otto Alves Ribeiro (-29\07\2011), Randall de Oliveira (10/06/1931-14/07/1991), e Roberto Barreto.

Outros, que mesmo não sendo diretamente da comunicação, tinham boa relação com ela e deixaram saudades:

EUCLIDES MANOEL (1914\2011), BEATRIZ HOLANDA (1953/2011),GERALDO SANTANA (1930\2011), JOÃO PIRES (19__\2013).

Santos Dumont-MG
JORGE DE CASTRO (19 /2014), ADÃO CÉSAR (1951/2011), GILBERTO FREIRE (1944/1994), SEBASTIÃO CHAGAS (1955/2010).

Belo Horizonte-MG
Gleno Rocha dos Santos (11/01/1956-13\07\2016), ALAIR RODRIGUES (1937/2012), CARLOS VALADARES (1946/2012), WALDIR DE CASTRO (1934/2016) e FERNANDO SASSO (1936/2005).


Além Paraíba-MG.
HELIO FAZOLATO (1930\2010)

Cataguases-MG.
JOSÉ AMÉRICO (1932\2011)

Barbacena-MG 
Elcio do Carmo, Beraldo Rigote (José Maria Beraldo Rigote) e Silva Júnior (Miguel da Silva Filho).

Esses, embora não sendo de minhas relações, mas eu sabia da existência deles:
José de Barros (1932/2016), Joelson Jaime (??\2012), Dirceu Costa Ferreira (1937\2000), José Carlos de Lery Guimarães (1933\1999), Mário Helênio de Lery Santos (1925/1995), Claudio José Temponi (1932/2005), Wilson Amin de Paula e Jorge Roberto Leite (Jorjão Maravilha).

Literatura

"Álvares Cabral, 400 – A Casa da Liberdade"

O livro é um projeto da Livraria e Editora Graphar, executado com recursos da Lei Rouanet e patrocínio da CBMM, que busca retratar os 70 anos do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais e 50 anos da Casa do Jornalista, completados em 2015. A obra é uma biografia do Sindicato e da Casa do Jornalista,  resume o editor Paulo Lemos, responsável pela organização do projeto.