quarta-feira, 16 de março de 2016

Gente do Samba

José Almada Moreira (Zezé do Pandeiro), nasceu em Juiz de Fora em 08 de janeiro de 1944. 
Cantor e compositor, Zezé do Pandeiro iniciou carreira de sambista em 1970 na extinta Escola de Samba Castelo de Ouro, do bairro São Benedito, e já venceu disputas de samba-de-enredo em todas as grandes escolas de samba da cidade, como Unidos dos Passos, Partido Alto, Unidos do Ladeira, Feliz Lembrança e Turunas do Riachuelo.
Segundo o pesquisador Márcio Gomes, Zezé tem vários sambas-de-enredo gravados em vinil, entre eles "Festas Folclóricas do Brasil", de 1972, com Bené, pela Castelo de Ouro; "Zumbi, Rei Negro dos Palmares", de 1973, com Roberto Medeiros e Flavinho da Juventude; "Festa no Mar para Netuno", de 1978, com Waltinho de Paula e Tuka, pela Real Grandeza. O mais marcante deles é, sem dúvida, "Exaltação ao Rio São Francisco", em parceria com João Leonel e Walter de Paula, cantado em 1977 pela Unidos dos Passos e gravado por Elza Soares em 1979. Outro samba-enredo de sua autoria que obteve projeção nacional foi "Trabalhadores do Brasil à Época de Getúlio Vargas", em parceria com Edynel, Edinho Leal, Ailton e Amilton Damião, com o qual a Portela desfilou no ano 2000.
Durante vários anos, Zezé do Pandeiro atuou como cantor e ritmista dos grupos Black Samba Show e Bacharéis do Samba. Verbete no Dicionário Antonio Houaiss da Música Popular Brasileira, atualmente, além de integrante da Ala de Compositores da Portela, continua compondo sambas e desfilando como intérprete em diversas agremiações carnavalescas. Muitas de suas músicas foram gravadas nos CDs “Sambas de Enredo Carnaval de Juiz de Fora”, produzidos desde 2002 pela Liga Independente das Escolas de Samba de Juiz de Fora – Liesjuf. E Zezé do Pandeiro é autor do CD “Avenida em Três Tempos”, no qual interpreta diversos sambas de sua autoria, sozinho, como “Tua Presença”, ou com parceiros, como “Madrugada” e “Ser Infeliz Ninguém Merece”.

Nenhum comentário: