segunda-feira, 20 de junho de 2011

Literatura

"Era outra história - Política social do governo Itamar Franco - 1992-1994"
Lançado pela Editora da Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF, em co-edição com a Fundação Astrogildo Pereira, o livro “Era outra História – Política Social do Governo Itamar Franco – 1992-1994” é  de autoria de Denise Paiva.

Denise Paiva nasceu em Juiz de Fora, e se graduou em Serviço Social na PUC-MG em Belo Horizonte. Foi assessora de assuntos sociais da presidência da república durante o governo Itamar Franco, e nesta obra busca um resgate da história recente do Brasil sob a ótica das políticas sociais, com a visão de quem teve um papel fundamental em sua concepção e formulação.

O livro mostra como o governo Itamar Franco inaugurou um novo contexto da política social, dando vez e voz à sociedade civil e fortalecendo a governabilidade em um período delicado, no qual havia se retomado recentemente à democracia, e em seguida a um governo que terminou com o impeachment do presidente.

De acordo com a autora, o livro procura resgatar uma importante etapa da história brasileira que os meios acadêmicos e políticos relegaram ao limbo. “É um momento sobre o qual o país precisa se debruçar e estudar melhor”. Sem dúvida, depois da década de 80, que ficou conhecida como “década perdida”, para superar os traumas do regime de força e das desilusões dos primeiros governos civis, era preciso refazer o tecido social, reconstruindo uma convivência sem o uso da coerção do aparato estatal e consolidando a credibilidade das instituições democráticas.

A trama desse tecido teve seu início no governo Itamar sob a inspiração do presidente, que convidou todos os movimentos sociais organizados e partidos políticos que os representavam a apresentarem sua contribuição. A autora, que acompanha o presidente Itamar desde a prefeitura de Juiz de Fora em 1973, e que teve importante passagem pela prefeitura de São Paulo, onde na gestão Luíza Erundina coordenou a participação popular nas decisões e fiscalização da gestão, foi a regente que conduziu essa tessitura. Além da própria Erundina, levou para dentro do governo cabeças como Betinho, Dom Mauro Moreli, figuras respeitadas no meio acadêmico, além de facilitar a interlocução com os partidos que se diziam à esquerda do presidente Itamar.

A obra tem uma linguagem fluente e acessível, além de transpirar emoção. As entrevistas são registradas no livro em forma de diálogo, o que contribui para uma maior aproximação entre leitores e personagens. A escolha desta linguagem é uma forma de aproximar a obra dos jovens. O livro é de importância para todos que se interessam pela História do Brasil, bem como estudiosos de áreas específicas como comunicação, serviço social, administração, política, direito e ciências sociais, por descrever todo um sistema de governo que empreendeu esforços em todas essas áreas para alcançar um bem comum.

Nenhum comentário: