domingo, 10 de julho de 2016

Literatura

 "O Fluminense somos todos nós"

O título da obra é uma expressão inspirada em um texto do Machado de Assis. No livro tem centenas de imagens, muitas inéditas e exclusivas do fotógrafo Carlos Ivan Miranda, coautor do livro “Torcida do Fluminense: a melhor e mais bonita do mundo”. O trabalho será escrito, editado e produzido por Heitor D´Alincourt, Dhaniel Cohen e Carlos Santoro, trio que compõe o Flu-Memória, departamento que responde por projetos artísticos, culturais, históricos ou literários do Fluminense e que já lançou oito livros oficiais do clube desde 2012. Inclusive, três nasceram via financiamento coletivo!

Literatura

 “Torcida do Fluminense: a melhor e mais bonita do mundo”




Idealizada pelo tricolor Heitor D'Alincourt e com fotos do também tricolor Carlos Ivan Miranda, a obra é o primeiro ensaio artístico a documentar a paixão da torcida tricolor pelo seu time.

Futebol

Literatura

 “Torcida do Fluminense: a melhor e mais bonita do mundo”




Idealizada pelo tricolor Heitor D'Alincourt e com fotos do também tricolor Carlos Ivan Miranda, a obra é o primeiro ensaio artístico a documentar a paixão da torcida tricolor pelo seu time.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Literatura

“Cancioneiro Divulgação” 
Obra escrita por José Luiz Ribeiro, toda em sextilhas, que culminou na formatação de um álbum de retratos dos 50 anos do Grupo Divulgação. São versos que legendam momentos históricos, montagens celebradas e realizações nos mais diversos feitos. Passando pelos espaços, repertórios e unindo nomes, o livro começa com Juiz de Fora no tempo da Faculdade de Filosofia e Letras, no Alto dos Passos, quando o bonde deixava os alunos na porta da Faculdade. São 430 fotografias feitas pelos mais renomados fotógrafos, que durante esses 50 anos, documentaram a história do Grupo Divulgação.
O projeto gráfico do livro foi feito por José Luiz Ribeiro, a diagramação e o tratamento de imagens por Franciane Lúcia, a capa foi assinada por Augusto França, a revisão e a pesquisa são de Márcia Falabella, com tratamento de imagens feitas por Messias Matheus e Saulo Machado e a colaboração de Douglas Zimmermann e Victor Dousseau.

Futebol

terça-feira, 5 de julho de 2016

Literatura

"Arredores de Juiz de Fora - imagens, poemas e canções" 

De autoria dos médicos Márcio Luiz Itaboray. José Rafael Leão e Carlos Sérgio Santos e projeto gráfico de Nathalia Duque, a obra retrata registros históricos, poemas, canções de compositores mineiros e fotografias sobre a viagem realizada pelos três autores nos arredores de Juiz de Fora, especialmente seus três distritos (Rosário de Minas, Sarandira e Torreões), um ex-distrito (Paula Lima) e os 14 municípios vizinhos (Belmiro Braga, Bias Fortes, Bicas, Chácara, Coronel Pacheco, Ewbank da Câmara, Lima Duarte, Matias Barbosa, Santa Bárbara do Monte Verde, Santana do Deserto, Santos Dumont, Pedro Teixeira, Pequeri e Piau). Os autores, nos últimos seis meses percorreram cerca de 1.600 km, sempre nas manhãs de sábado, visitando e colhendo informações nos distritos e cidades que fazem parte do livro.


segunda-feira, 4 de julho de 2016

Rondon Pacheco (1919-2016)

Luto
Morre em Uberlândia, aos 96 anos, em Uberlândia, o ex-governador de Minas, Rondon Pacheco
Rondon Pacheco,  nasceu em Uberlândia em 31 de julho de 1919, bacharel em direito, iniciou na política em 1947, ano que se elegeu deputado estadual por Minas Gerais. Em seguida, foi deputado federal de 1951 a 1971 e 1983 a 1987. Foi governador de Minas nomeado pelo então presidente Emílio Garrastazu Médici, de 1971 a 1975. Durante seu governo, foi viabilizada a implantação em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, da FIAT (Fábrica Italiana Automobilística de Turim), inaugurada em 09 de julho de 1976.

domingo, 3 de julho de 2016

Literatura

"Estado e Oposição no Brasil - 1964/1984"
Narrado pela autora Maria Helena Moreira Alves, a partir de uma visão crítica e objetiva do golpe de Estado por meio do qual o poder central do Brasil passou às mãos de uma coalizão civil-militar em 1964, este livro é fruto de extensa pesquisa realizada sobre os eventos históricos ocorridos no período de 1964 a 1984 ano em que o povo brasileiro conquistou do direito de eleger o Presidente da República pelo voto direto, universal e secreto.Nesta segunda edição, atualizada e ampliada, a autora faz a seguinte reflexão: a partir da perspectiva de 2003 'o que conseguimos, o quanto avançamos, quais são as seqüelas que permaneceram em nossa sociedade deste longo período de ditadura? 'Através da análise da relação dialética entre o Estado e a oposição, seguindo detalhadamente o processo de formação e institucionalização do Estado de Segurança Nacional no Brasil, a autora mostra como a Doutrina de Segurança Nacional e de Desenvolvimento, desenvolvida na Escola Superior de Guerra, cumpriu o papel ideológico determinante no desenrolar desse período.Estado e oposição no Brasil apresenta uma análise de como, apesar de o grupo que assumiu o poder em 1964 ter baseado seu plano de governo nos conceitos da Doutrina de Segurança Nacional e Desenvolvimento - a formação e institucionalização de um Estado de Segurança Nacional foi bloqueada, a cada momento, pela ação de grupos de oposição dentro da sociedade civil, analisando ainda o período da 'abertura' do Presidente Figueiredo no contexto de uma terceira fase da institucionalização do Estado, e não como uma real transição para a democracia