sábado, 31 de outubro de 2015

Literatura

“As Partes do Ipê Amarelo”

Utilizar a beleza do ipê-amarelo para promover consciência ambiental é um dos objetivos do livro lançado pela professora Renata Nalim Basilio Tissi. A obra tem 20 páginas, num trabalho voltado para estudantes de nível fundamental. O livro aborda a espécie do gênero tabebuia, que é uma árvore nativa da Mata Atlântica.

 O Ipê-Amarelo é uma árvore exuberante e através dela é possível aprender as partes das plantas, pois é uma árvore completa. Possui folhas, flores, frutos, sementes, caule e raiz. Na época de sua floração, suas belas flores podem ser amarelas, brancas, rosas ou roxas.

Segurança pública

Minas tem 33 cidades que conseguiram índice zero de homicídio nos últimos 10 anos

O levantamento foi feito com base nos registros da Polícia Militar (PM) e da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Municípios vão ganhar prêmio da Secretaria de Estado de Direitos Humanos

O sonho de toda família é viver em uma cidade sem violência, e com nenhum registro de assassinatos. O que parece distante aconteceu em 33 municípios mineiros nos últimos 10 anos. As comunidades conseguiram índice zero nos homicídios. O levantamento foi feito com base nos registros da Polícia Militar (PM) e da Secretaria de Estado da Saúde (SES). A paz vivida pelos moradores será reconhecida com o Prêmio Mineiro de Direitos Humanosm que será entregue na próxima quinta-feira, dia do aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e o Dia Internacional dos Direitos Humanos. 

Os municípios serão premiados com um acervo de livros que serão entregues pelo secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, Nilmário Miranda. A intenção, segundo o secretário, é que os municípios modernizem ou comecem a montar uma biblioteca pública. Computadores também serão doados pela Fundação Banco do Brasil. 

Contribuíram para a criação do acervo a Secretaria de Estado de Cultura, Ministério do Desenvolvimento Agrário e a editora Edições Câmara. O evento tem apoio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Associação Mineira de Municípios (AMM), Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Serviço Voluntário de Assistência Social (SERVAS) e Movimento Minas Pela Paz.

Vão receber o acervo as cidades de Alto Caparaó, Arantina, Belmiro Braga, Capela Nova, Caranaíba, Carrancas, Casa Grande, Conceição da Barra de Minas, Congonhal, Dom Viçoso, Douradoquara, Fama, Gonçalves, Grupiara, Ibituruna, Ingaí, Itambé do Mato Dentro, Madre de Deus de Minas, Maripá de Minas, Minduri, Olímpio Noronha, Paiva, Passabém, Pequeri, Rio Doce, Rochedo de Minas, Santana do Garambéu, Santo Antônio do Rio Abaixo, São João da Mata, Senhora dos Remédios, Serranos, Turvolândia e Itamarati de Minas.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Literatura

"As Cervejas, os Alemães e Juiz de Fora"
O livro, escrito por Alexandre Hill Maestrini, resgata a história da cerveja e as influências dos imigrantes germânicos em Juiz de Fora. As cervejas históricas de Juiz de Fora eram: São Pedro, Kremer, Imperial, Germânia, Americana, Weiss, Poço Rico, Alliança, Dois Leões, Morena, Estrela, Tapera, Palermo, Winter e Borboleta, dentre outras. Depois de 1999 ressurge em Juiz de Fora a cultura cervejeira. Inúmeros produtores de cervejas especiais entram no mercado: Barbante, Profana, Antuérpia, Brauhaus, Mr Tugas, Arthorius, Timboo, Artezannale, Arthorius, São Bartolomeu, Hofbauer, Alvânia, Eon, Mr Wuqüer, Kelmer, 4 Estações, Black Buddhas, Feudal, Eisbierg, Valkyries, Coimbra, Grizas, Studio B, Gerimum, Venna, Vonhansen, Fathach, Whitaker, Califórnia e Sando Massafera, Manchester JF, Albano, Artur Silvestre, Eurico Dos Santos Alves, Eduardo Teodoro De Faria, Jeremy John, Hill, Pedro Camacho Bordin, Fabricio Brock, Saulo Iruan, Paulo Sergio Martins Teixeira, Weiler Finamore, Octavio Siqueira, Leonardo José Pinto, Bruno Almeida, Carlos Henrique Lana, Jessica Anisseto, Fernando Granato, Willian Amaral e outros.

Fórmula 1



Renault anuncia retorno à Fórmula 1 com equipe própria em 2016

Marca francesa comprou a Lotus e retorna à F1 no próximo ano. 

A Renault acumula 168 vitórias, 12 títulos de construtores e 11 de pilotos desde 1977
A Renault anunciou oficialmente a o retorno à Fórmula 1 com uma equipe própria para a temporada de 2016. A decisão acontece depois da assinatura de carta de intenções para a compra da Lotus, assunto que vinha sendo discutido entre as empresas desde o segundo semestre de 2015.

"A Renault tinha duas opções: voltar 100% ou abandonar a F1. Depois de um estudo detalhado, decidi que a Renault estará na Fórmula 1 em 2016. Os detalhes checados com os principais fornecedores da F1 nos deu a confiança para aceitar este novo desafio. A nossa ambição é ganhar - mesmo que isso vai levar algum tempo", disse Carlos Ghosn, Presidente e CEO, Renault.

A marca francesa continua nos trâmites burocráticos para terminar o processo de aquisição o mais rápido possível. Os principais contratos foram assinados nessa quinta, 3 de dezembro. A Lotus e a Renault tiveram um parceria há 15 anos, sendo que foram campeões da F1 nas temporadas de 2005 e 2006.

O trabalho continua em finalizar os termos da aquisição da Lotus F1 Team no prazo mais curto possível. Os principais contratos foram assinados em 03 de dezembro de 2015. O Lotus F1 Team está efetivamente fora como o melhor parceiro. Renault e Lotus F1 nos conhecemos há 15 anos e foram campeões do mundo juntos em 2005 e 2006.

Agora como marca própria na F1, a Renault retoma uma carreira de 40 anos na competição. A Renault estreou na F1 em julho de 1977 com o carro RS01 no GP de Silverstone. A marca inovou com um motor turbo alimentado.

A Équipe Renault Elf durou até 1985. Entre 2002 e 2010, a marca retornou com a Renault F1 Team. Em 2011, surgiu a Lotus Renault GP. No ano seguinte, a equipe virou Lotus F1 Team seguindo asism até 2015. Além disso, a Renault já forneceu motores para Benneton e Williams.

Durante toda sua carreira na F1, a Renault participou de 600 GPs com 168 vitórias, 11 títulos de construtores e 12 de pilotos. A marca anunciou para janeiro mais detalhes a respeito da equipe. A temporada 2016 começa em março.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Literatura

Blota Jr. - A Elegância No Ar - A Biografia do Mestre Dos Apresentadores de TV do Brasil”

Este livro é a biografia do mestre dos apresentadores de TV do Brasil. Em suas seis décadas de carreira, Blota Jr. apresentou mais de 180 programas. Dirigiu emissoras de rádio e foi sócio de um canal de TV. Foi deputado estadual, deputado federal e secretário de Estado. Ao lado da esposa, Sonia Ribeiro, criou um estilo único diante das câmeras. A obra, escrita pelo jornalista Fernando Morgado, revela os segredos desse mestre da comunicação, que fez da sua vida uma grande aula de comunicação.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Os árbitros e seus erros

São Paulo e Palmeiras
Em 1971 o árbitro Armando Marques ( (Armando Nunes Castanheira da Rosa Marques nascido no Rio de Janeiro em 06 de fevereiro de 1930)  anulou um gol legítimo de Leivinha do Palmeiras, pois assinalou que foi com a mão quando as imagens mostraram claramente que foi com a cabeça. Esse erro ajudou o São Paulo a ser campeão paulista daquela temporada.

Atlético Mineiro e Botafogo
Em 1967, o Atlético e o Botafogo, disputaram a Taça Brasil, em duas partidas. A primeira no Rio o Botafogo ganhou de 3 a 1 e a história do futebol conta que Gerson havia esnobado a equipe do Alético, o que acirrou os ânimos. A segunda em Belo Horizonte, o Atlético ganhou de 1 a 0. Dizia o regulamento que a terceira para desempatar seria 48h depois no mesmo local da segunda. Permanecendo o empate teria prorrogação de 30 minutos e havendo empate o regulamento dizia que seria sorteio através de moedinha. Pois bem, o jogo, realizado em 15 de novembro de 1967 terminou 0 a 0 e na prorrogação também, outro empatada, desta feita por 1 x 1. Ronaldo marcou para o Atlético e Gerson empatou para o Botafogo. Aí foi para o sorteio com a moedinha. O capitão do Atlético Décio Teixeira, ainda vivo, combinou com todo o time do Atlético que quando o juiz jogasse a moeda para cima, antes da moeda cair na mão do árbitro, todo o time do Atlético sairia pulando, vibrando, comemorando a classificação. O campo estava cheio de repórteres, jornalistas, locutores. Não deu outra, saiu todo mundo pulando....e até hoje...não se sabe de que lado a moeda caiu, se deu cara ou coroa, embora o Botafogo não confirme essa versão. Mas também não desmente. Com a "vitória", o Atlético enfrentou o Náutico na fase seguinte, sendo eliminado pela equipe Pernambucana.

Santos e Portuguesa
O Campeonato Paulista de 1973 foi a 72.ª edição e teve a Portuguesa e Santos como campeões, devido a um erro de arbitragem do Armando Marques, durante a disputa de pênaltis da partida final. A decisão do campeonato, entre o campeão do primeiro turno (Santos) e o campeão do segundo turno (Portuguesa), terminou empatada por 0 a 0. Com o empate também na prorrogação, a decisão foi para os pênaltis. O árbitro Armando Marques errou na contagem e encerrou as cobranças, quando o placar marcava 2 a 0 para o Santos, embora a Portuguesa ainda tivesse duas cobranças para fazer podendo empatar a série forçar uma nova série, de forma alternada, até se chegar ao vencedor.

Após o apito do árbitro trapalhão e a comemoração santista, os jogadores da Portuguesa desceram para os vestiários e desolados com a derrota, deixaram o estádio. Ao preencher a súmula, 20 minutos após o término da partida, Armando Marques percebeu o erro (há quem afirme de que turrão como é, e ruim de matemática, Armando não percebeu nada, mas sim, foi alertado) e resolveu de que os times deveriam voltar a campo para continuar as cobranças. Mas aí era tarde. Só o time do Santos estava no estádio do Morumbi, comemorando a conquista. A Portuguesa, abatida pela !derrota", já havia ido embora. Posteriormente, com os protestos da Portuguesa, reivindicando o título,  federação, presidida por José Ermírio de Morais, resolveu dar uma saída salomônica para a causa e dividiu o título entre Santos e Portuguesa.

Literatura

domingo, 18 de outubro de 2015

Facebook é a nossa cara

Por Pedro Cardoso da Costa*
Hoje é difícil ter alguém que não utilize redes sociais. São citadas em abstrato, mas o Facebook tem um alcance bem maior do que todas as demais. Apesar de quase a unanimidade de a sociedade estar nela, muitos a criticam, sob o argumento da simplicidade e até certo provincianismo.
Não é correta a teoria de que alguém fique desautorizado de fazer observações e críticas por estar ou pertencer a algo. No caso do Facebook algumas críticas são válidas, outras são dissimulações de quem está na rede, mas que aquilo aquém do “seu nível”.  Não se apercebe de que não foi forçado a se cadastrar, criar um perfil.
Existem outros que reclamam permanentemente da invasão de privacidade. Estes não sabem nem qual foi a abrangência que estabeleceu para o seu perfil. Não se dá conta de que só pode interagir no seu perfil quem e quanto está autorizado a fazer isso pela própria pessoa.
Destaque maior têm aqueles que reclamam de ter muitos amigos que não interagem, não curtem o que postou e até excluem os amigos em excesso. Tudo gente muito displicente. Só existem amigos convidados ou aceitos pelos reclamões.
Muitos reclamam daqueles que postam “bobagens”, fotos de tudo quanto é coisa ou momento. São contra quem só posta fotos de pratos sofisticados, ou da única visita que fez a um restaurante. Mas se encontrar várias fotos de situações complicadas também o chamará de pessimista e querer colocar todo mundo para baixo.
Mas as críticas mais veementes são contra as demonstrações de intelectualidade. Ninguém fica isento totalmente de fazer ou de ser vítimas de alguma dessas manifestações. Talvez não seja uma das melhores demonstrações de erudição, principalmente quando o texto sai incompleto ou escrito com erros gramaticais, como se fosse de autoria própria, sem menção à fonte. Mas isso é positivo, ainda que seja apenas para expor no face, a pessoa se atentou a alguma frase, livro ou outro meio que não teria atentado antes. Fica até engraçado, quando no início do dia ou no fechamento da semana, a pessoa cita um trecho de domínio público e fecha com um “bom dia”, ou “boa semana”, como se desse um “tenho dito” como ultimato.
Alguns são contrários aos que querem ditar as normas, de se acharem importantes em razão do eles escrevem ou defendem.  As indiretas, os recados, e até ameaças são também frequentes. Mas isso não é diferente do mundo real, aqui no dia a dia.
Hoje, ricos, famosos, pobres e anônimos participam igualmente das redes sociais. E refletem exatamente como é a sociedade. Nada, nem ninguém agrada a todos.  Mas o bom é a participação, a interação, a contradição para a evolução de todos. Mas é preciso entender que só está lá quem quer, só escreve no seu perfil quem você permitiu, e que amigos do Facebook podem se transformar em amigos reais. Cada amigo ali participa na proporção de sua afinidade e todos têm a sua importância. Mesmo aquele que escreve “engrassado”, para “sima” ou para “baicho” e, corretamente, se regozija de ser pós-graduado nalguma área da educação.
*Pedro Cardoso da Costa é Bacharel em direito
Interlagos/SP


Literatura

"Do piso à parede: a arte de Pantaleone Arcuri"
Ícones da identidade juiz-forana, os ladrilhos hidráulicos são a mola propulsora da obra que o artista plástico Iriê Salomão de Campos escreveu. A publicação, financiada pela Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura, reúne 15 quadros produzidos por Iriê em nanquim sobre aquarela. Em cada trabalho, é possível notar as técnicas de pontilhismo, hachura e tracejado, que, em conjunto, formam mandalas com estética inspirada na combinação de imagens, formas e cores de ladrilhos produzidos pela Cia Pantaleone Arcuri. As imagens são acompanhadas por textos descritivos.

O autor buscou perpetuar a estética do ladrilho hidráulico, que faz parte do patrimônio afetivo da cidade, e destacar as novas leituras artísticas sobre as peças, demonstrando a capacidade da arte de se transmutar ao longo das gerações. Além de divulgar o trabalho de Pantaleone Arcuri, o projeto busca popularizar a arte de pontilhismo, hachura e tracejado. 

“Do piso à parede: a arte de Pantaleone Arcuri” é o terceiro livro de Iriê Salomão, autor de “Casos de Minha Casa”, coletânea de crônicas, e de “Elo de Amor”, romance biográfico.

sábado, 17 de outubro de 2015

Horário de Verão

Horário de verão nasceu na 1ª Guerra Mundial; mudança ocorre neste domingo (18/10)

Uns gostam, outros não suportam; seja qual for a preferência, os brasileiros das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste não têm escolha: a partir da meia-noite deste domingo (18), terão que adiantar o relógio em uma hora por causa do horário de verão.
Se hoje a mudança de horário remete a ir para o trabalho no escuro ou voltar para casa ainda com sol, ela foi implantada pela primeira vez por uma razão bem menos prosaica: a Primeira Guerra Mundial. Veja abaixo algumas curiosidades sobre o horário de verão no Brasil e no mundo.

11 Estados adiantam o relógio

Os moradores de dez Estados e do Distrito Federal deverão adiantar os relógios em uma hora a partir da meia-noite. A mudança segue até o dia 21 de fevereiro.
O horário de verão irá entrar em vigor nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.
Curiosidades sobre o horário de verão
Economizando para a guerra
Segundo o escritor David Prerau, autor do livro "Seize the Daylight" ("Aproveite a luz do dia", em tradução livre), o horário de verão foi adotado pela primeira vez na Alemanha, em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial. O objetivo era economizar o combustível usado na iluminação artificial. Os alemães foram seguidos por países do outro lado das trincheiras, como Reino Unido e Estados Unidos. Hoje, quase todos os países europeus adotam o horário de verão, assim como a maior parte dos EUA, Canadá e México. Irã, Turquia, Israel, Nova Zelândia, Austrália e Namíbia são outros países que adiantam o relógio no verão.
Fonte: www.uol.com.br

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Litertatura

"A História Secreta da Igreja - Guerras Religiosas, Inquisição, Caças às Bruxas, Escândalos, Corrupção"
Liderada pelo papa e administrada por mais de 400 mil padres, a Igreja Católica é a maior igreja cristã do mundo. Mas, apesar de seus inúmeros trabalhos para o bem, a Igreja vivenciou alguns episódios e escândalos sombrios que mancharam a sua reputação. Entre 1480 e 1800, por exemplo, centenas de milhares de pessoas foram torturadas e julgadas hereges, com confissões extraídas por meio de métodos extremamente cruéis. Se consideradas culpadas, as vítimas podiam, então, ser estranguladas ou queimadas vivas até a morte.
Ilustrado com 180 fotografias, pinturas e ilustrações, A História Secreta da Igreja revela o lado infame da fé cristã.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Luto

Floriano Quaresma
Morreu nesta terça-feira, 13/10, aos 64 anos, o médico cirurgião plástico Floriano Antonio Quaresma da Silva. Ele era sócio-fundador do Hospital Albert Sabin e chefe do Serviço de Cirurgia Plástica da unidade. Formado em medicina pela UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) em 1978. Ele se especializou em cirurgia plástica em 1984, sendo um dos principais mobilizadores para a fundação do Hospital Albert Sabin em 1992, assumindo o cargo de diretor-presidente em 2004, cadeira que ocupou até os dias atuais.

Dr Quaresma, que após se formar em Medicina, prestou serviço ao Exército, na condição de Aspirante a Oficial e Tenente, tendo realizado o período básico de adaptação no 10º Batalhão de Infantaria e os serviços médicos no Hospital Geral de Juiz de Fora (HGE). Além de médico, era advogado, formado pelo Instituto Vianna Júnior em 2001, e possuía especialização em gestão em saúde. Foi um dos pioneiros na implantação da cooperativa Unimed Juiz de Fora. O corpo está sendo velado na capela dois do Parque da Saudade e o sepultamento será nesta quarta-feira, às 16h. O médico deixa mulher e duas filhas, de 18 e 27 anos.

Literatura

"O Brasil tem cura"
No livro, a autora, jornalista paraibana Rachel Sheherazade Barbosa (nasceu em João Pessoa em 05/09/1973) faz uma radiografia, sem máscaras, da nossa pátria. Em busca de soluções, põe sob os holofotes sobre as principais mazelas que assolam o país. Partindo de uma análise histórica, a autora identifica alguns dos problemas que adoecem o Brasil e propõe caminhos para saná-los. A obra se guia pelo pressuposto de que o país só será passado a limpo se cada brasileiro fizer a sua parte e passar a agir com integridade inegociável, ensinando essa postura às futuras gerações

Ferrovias

Prefeitos e Governo de Minas se unem em Apoio ao Trem de Turismo Trem da Terra 

Trecho Cataguases - MG a Três Rios - RJ

Em reunião ocorrida em Juiz de Fora, no último dia 09/10/2015, os prefeitos do trecho ferroviário entre Cataguases, Recreio, Leopoldina, Volta Grande, Além Paraíba e Chiador, em Minas Gerais e de Sapucaia e Três Rios no Rio de Janeiro e Governo de Minas Gerais, se uniram para apoiar efetivamente o projeto do trem de turismo "Trem da Terra". O trecho estava em operação até meados do ano pela FCA, que transportava minério de bauxita entre Barão de Camargos (Cataguazes) e Barão de Angra (Paraíba do Sul).

O projeto “Expresso Trem da Terra” está em sintonia com o esforço do Governo Federal em revitalizar o sistema de transporte ferroviário no País (cargas e passageiros), através do Plano Nacional de Revitalização das Ferrovias e do Programa de Resgate do Transporte Ferroviário de Passageiros, parceria do Ministério do Transporte – MT, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte – DNIT e a Inventariança da Rede Ferroviária Federal – RFFSA. 

Segundo Paulo Henrique do Nascimento, Presidente da ONG Amigos do Trem, afirmou que este foi um passo muito importante para o avanço do projeto, porque todos os prefeitos e seu representantes presentes, destacaram por unanimidade a importância do trem de turismo Trem da Terra para o desenvolvimento econômico, social e turísticos para as cidades por onde o trem vai passar. 

Estiveram presentes o Dr. Cláudio Bellini da Inventariança da RFSSA, Sr. Fernando Lucio Ferreira Donzeles prefeito de Além Paraíba, Sra. Eliana Quintão Cardoso prefeita de Volta Grande o Sr. Alex da Silva Carvalho Prefeitura de Cataguases, Diogo Fernandes de Souza da Prefeitura de Sapucaia, Sr. Paulo Cesar R. Cabral da Prefeitura de Três Rios, Rogério Lobo Prefeitura de Além Paraíba e o Sr. Paulo Henrique do Nascimento Presidente da ONG Amigos do Trem e outros representes das prefeituras do trecho.

O projeto Trem da Terra é uma iniciativa da ONG Amigos do Trem, com o Ministérios dos Transportes, Governo de Minas, DNIT, Inventariança da RFFSA, apoio das prefeituras Cataguases, Recreio, Leopoldina, Volta Grande, Além Paraíba e Chiador, em Minas Gerais e de Sapucaia e Três Rios, da VLI, ABPF - Porto Novo, Museu de História e Ciências Naturais de Além Paraíba, Sociedade Além Paraíba de Educação, Além Paraíba Empregos e todos do Movimento Além nos Trilhos.

Colaboração: Antonio Pastori

domingo, 11 de outubro de 2015

Literatura

"Amor pela metade"
O amor não é traiçoeiro. Traiçoeiro é cada um que tenta materializar os sentimentos, mesmo em detrimento da própria felicidade. AMOR PELA METADE retrata bem a leviandade levada ao extremo em uma relação amorosa intensa, cheia de senões, de expectativas, de decepções e de reencontros apimentados, de tirar o fôlego.
O indubitável sentimento de Mateus por Marisa sofre profundamente numa sequência de acontecimentos que o fazem cada vez mais perdido de amor por uma mulher de coração aberto a todos, menos ao próprio amor, que nutre, que considera, mas que tem muita dificuldade para assumir diante de uma comunidade cristã, recheada de pessoas de convicções e crenças discutíveis, mas que, à luz da própria verdade, levam essa jovem mulher a transformar a vida sentimental de Mateus numa verdadeira tragédia do coração.
Segue o amor, dos dois lados, porém sem aquele compartilhamento necessário para a felicidade mútua. Esse sofrimento de Mateus, um homem maduro, misturado ao comportamento de Marisa, uma jovem maravilhosa, de sorriso enigmático e caráter indiscutível, porém de uma leviandade que quase desmorona a vida de um homem que já havia desistido do amor, mas que encontrou um lindo ser humano, uma bela mulher, mas que se apaixonou pela sua alma.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Cláudia Barroso (1932/2015)

Morre em Fortaleza a cantora Cláudia Barroso
A cantora e compositora Cláudia Barroso morreu às 06h desta sexta-feira, 09/10, aos 83 anos em Fortaleza (CE), onde morava. A artista estava internada há 15 dias com problemas circulatórios. O corpo está sendo velado no Cemitério Jardim Metropolitano, no município do Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza e o sepultamento será no sábado, às 10h, no mesmo local. A informação foi confirmada pela filha da cantora, Kátia Barroso, de 63 anos
Cláudia Barroso (Amélia Rocha Barroso), nasceu em 23 de abril de 1932, em Pirapetinga, na Zona da Mata Mineira e foi criada na cidade vizinha de Santo Antonio de Pádua, no Noroeste Fluminense. Cláudia fez muito sucesso nas décadas de 1970 e 1980 como a "Rainha da Música Brega". Ainda adolescente, aos 15 anos, ela se casou e teve um casal de filhos. Em 1957, aos 25 anos e divorciada, inicia sua carreira artística. Ao todo, em mais de 50 anos de carreira, ela lançou 35 LPs e 10 CDs.
Sua beleza e potência vocal despertaram em 1970 o interesse de Silvio Santos, que a convidou para ser jurada em seu programa. São delas as músicas  "Ah! Se Eu Fosse Você", "Quem Mandou Você Errar", "Quem Foi Você", "Você Mudou Demais" e "A Vida é Mesmo Assim". Ela também foi jurada no programa do Chacrinha.
Além da carreira artística, Cláudia também se destacou como feminista. Ela defendia o divórcio em uma época em que ele era proibido por lei no Brasil e discursava também sobre o tabu da virgindade. Em 1990 ela mudou-se para Fortaleza e foi morar no tradicional bairro de Messejena, local em que nasceram o escritor José de Alencar e o ex-presidente do Brasil, o Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco.
Cláudia deixa dois filhos, uma irmã, além de netos, bisnetos e tataranetos.


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Literatura

"Histórias de um narrador esportivo"

O radialista Antônio Oliveira transformou sua trajetória no rádio em um livro. Natural da cidade de Palmeira dos Índios, o narrador esportivo já atuou por diversas emissoras, incluindo a Rádio Novo Nordeste AM de Arapiraca). 
O livro  conta um pouco de sua trajetória no rádio esportivo de Alagoas, desde do ano de 1983, quando iniciou sua carreira, pela  Rádio Sampaio AM.
Foram 1.339 jogos narrados ao longo desses 32 anos, por vários prefixos de alagoas.
Atualmente Antonio Oliveira é narrador esportivo  da Rádio Difusora de Alagoas, onde está desde de 2004, chegando a Rádio  Oficial do Estado, através de concurso,  sendo um dos poucos  narradores do Brasil, concursado.
Continua fazendo parte da  Rádio Sampaio AM de Palmeira dos Índios, sendo o coordenador de Esportes da Emissora do interior.
Com a experiência de  duas copas do mundo, França 1998 e Alemanha em 2006,  o narrador conta no seu livro. muitas histórias  do nosso futebol, envolvendo bastidores e microfones.