terça-feira, 24 de junho de 2014

Copa do Mundo no Brasil

Copa 2014

França e Itália são os campeões com mais eliminações na 01ª fase
Alemanha é a seleção que menos caiu na fase de grupos

No "grupo da morte", a Itália foi eliminada com duas derrotas (Costa Rica e Uruguai), e uma vitória (Ingalterra). Mas a queda precoce não é nenhuma novidade para a Azzurra, que amaraga a eliminação na 1ª fase pela sétima vez (1950, 1954, 1962, 1966,1974,2010 e 2014) em 18 participações em Copas do Mundo. Itália e França são as "campeãs" de eliminações ainda na fase de grupos.

Mas por apoveitamento o pior desempenho é da França, que caiu 06 (1930, 1934, 1954, 1966, 1978, 2002 e 2010) vezes em 14 participações. Na sequência posição vem a Espanha com 05 (1962, 1966, 1978, 1998 e 2014) eliminações, seguida por Argentina, 04 (1934, 1958, 1962 e 2002) em 16 participações, Uruguai com 03 (1962, 1974 e 2002), em 11, Inglaterra com 03 (1950, 1958 e 2014) em 14 copas, Brasil com 03 (1930, 1934, 1966) em 20 e Alemanha com uma eliminação (1938) em 18 participações.

Literatura

"Copas do Mundo: comunicação e identidade cultural no país do futebol"

Organizada por Ronaldo Helal e Alvaro do Cabo, a obra discute a formação de epítetos como "pátria de chuteiras" e "país do futebol" e sua carga simbólica, buscando compreender como o futebol influenciou a construção da identidade nacional. O livro reúne 15 pesquisadores do meio acadêmico, com ensaios que abordam nove Copas do Mundo e uma Copa das Confederações.
Fonte: www.eduerj.uerj.br

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Copa do Mundo no Brasil

Brasil x Camarões

A Seleção Brasileira enfrentará Camarões nesta segunda-feira 23/06, em Brasília, na rodada decisiva do Grupo A da Copa do Mundo.
Até hoje, houve 04 confrontos entre as seleções principais das nações, com 03 vitórias brasileiras e 01 triunfo camaronês:
24/06/1994 - Brasil 3 x 0 Camarões - Stanford Stadium (Palo Alto, Estados Unidos)
13/11/1996 - Brasil 2 x 0 Camarões - Pinheirão (Curitiba, Brasil)
31/05/2001 - Brasil 2 x 0 Camarões - Kashima Stadium (Ibaraki, Japão)
19/06/2003 - Camarões 1 x 0 Brasil - Stade de France (Saint-Denis, França)
23/06/2014 - Brasil x Camarões - Mané Garrincha (Brasília, Brasil)

O jogo de 1994 foi válido pela Copa do Mundo dos Estados Unidos. A Seleção Brasileira venceu por 3 a 0, com gols de Romário, Márcio Santos e Bebeto.
As Seleções Olímpicas dos dois países se enfrentaram duas vezes, nos Jogos de Sydney e de Pequim:
23/09/2000 - Camarões 2 x 1 Brasil - Brisbane Cricket Ground (Brisbane, Austrália)
16/08/2008 - Brasil 2 x 0 Camarões - Shenyang Olympic (Shenyang, China).

Camarões

A Seleção de Camarões é a equipe africana com mais participações na história das Copas do Mundo. Em 2014, os Lions Indomptables jogarão o Mundial pela 7ª vez. Ao todo, Camarões tem 20 jogos nas Copas do Mundo, com 4 vitórias, 7 empates e 9 derrotas, 17 gols-pró e 34 gols-contra. O maior artilheiro da equipe em Mundiais é o lendário Roger Milla, com 5 gols marcados, 4 em 1990 e 1 em 1994.

I) Copa do Mundo 1982 (Espanha)
15/06/1982 - Riazor (La Coruña) - Camarões 0, Peru 0
19/06/1982 - Riazor (La Coruña) - Camarões 0, Polônia 0
23/06/1982 - Balaídos (Vigo) - Camarões 1 (M'Bida), Itália 1 (Graziani)
Eliminado na primeira fase.

II) Copa do Mundo 1990 (Itália)
08/06/1990 - San Siro (Milano) - Camarões 1 (Omam-Biyik), Argentina 0
14/06/1990 - San Nicola (Bari) - Camarões 2 (Roger Milla 2), Romênia 1 (Balint)
18/06/1990 - San Nicola (Bari) - Camarões 0, União Soviética 4 (Protasov, Zygmantovich, Zavarov e Dobrovolski)
23/06/1990 - San Paolo (Napoli) - Camarões 2 (Roger Milla 2), Colômbia 1 (Redín)
Observação: 0 x 0 no tempo normal, Camarões 2 x 1 na prorrogação.
01/07/1990 - San Paolo (Napoli) - Camarões 2 (Kundé (p) e Ekéké), Inglaterra 3 (Platt e Lineker 2(2p))
Observação: 2 x 2 no tempo normal, Inglaterra 1 x 0 na prorrogação.
Eliminado nas quartas-de-final.

III) Copa do Mundo 1994 (Estados Unidos)
19/06/1994 - Rose Bowl (Pasadena) - Camarões 2 (Embé e Omam-Biyik), Suécia 2 (Ljung e Dahlin)
24/06/1994 - Stanford Stadium (Palo Alto) - Camarões 0, Brasil 3 (Romário, Márcio Santos e Bebeto)
28/06/1994 - Stanford Stadium (Palo Alto) - Camarões 1 (Roger Milla), Rússia 6 (Salenko 5(1p) e Radchenko)
Eliminado na primeira fase.

IV) Copa do Mundo 1998 (França)
11/06/1998 - Stade de Toulouse (Toulouse) - Camarões 1 (Njanka), Áustria 1 (Polster)
17/06/1998 - Stade de la Mosson (Montpellier) - Camarões 0, Itália 3 (Di Biagio e Vieri 2)
23/06/1998 - Stade de la Beaujoire (Nantes) - Camarões 1 (M'Boma), Chile 1 (Sierra)
Eliminado na primeira fase.

V) Copa do Mundo 2002 (Coreia do Sul/Japão)
01/06/2002 - Big Swan Stadium (Niigata) - Camarões 1 (M'Boma), Irlanda 1 (Holland)
06/06/2002 - Saitama Stadium (Saitama) - Camarões 1 (Eto'o), Arábia Saudita 0
11/06/2002 - Stadium Ekopa (Shizuoka) - Camarões 0, Alemanha 2 (Bode e Klose)
Eliminado na primeira fase.

VI) Copa do Mundo 2010 (África do Sul)
14/06/2010 - Free State Stadium (Bloemfontein) - Camarões 0, Japão 1 (Honda)
19/06/2010 - Loftus Versfeld (Pretória) - Camarões 1 (Eto'o), Dinamarca 2 (Bendtner e Rommedahl)
24/06/2010 - Green Point (Cape Town) - Camarões 1 (Eto'o (p)), Holanda 2 (Van Persie e Huntelaar)
Eliminado na primeira fase.

VII) Copa do Mundo 2014 (Brasil)
13/06/2014 - Arena das Dunas (Natal) - Camarões x México
18/06/2014 - Arena Amazônia (Manaus) - Camarões x Croácia
23/06/2014 - Mané Garrincha (Brasília) - Camarões x Brasil.
FONTE: www.jornalheiros.blogspot.com.br
COLABORAÇÃO: Alexandre Magno Barreto Berwanger

Literatura

"Vargas, Agosto de 54 - A História Contada Pelas Ondas do Rádio"
As passagens de Getúlio Vargas pelo poder foram marcadas por um intenso uso político do rádio. Ao mesmo tempo em que dava grande estímulo (político e econômico) ao veículo, também comandava a censura e perseguia jornalistas e intelectuais. Sua identificação com o meio foi tão grande que, por muitas décadas, os oradores nos comícios trabalhistas continuavam a tremer a voz para imitar a forma como chegava a palavra do Pai dos Pobres através das precárias ondas médias e curtas de sua época: "Tra-ba-lha-do-res-do-Bra-sil..." Esse homem inexpugnável, capaz de planejar a própria morte para obter uma espetacular ressurreição política, certamente tinha consciência de que puxava o gatilho para que o tiro ecoasse em cada longínquo recanto do país ainda naquela madrugada... A carta-testamento, uma das mais belas peças de retórica política produzida em nossa língua, é absolutamente radiofônica. Foi escrita para ser lançada ao éter pelos locutores, impregnada de oralidade e emoção. A população soube da morte de Vargas no dia 24 de agosto de 1954, por meio do rádio. Os jornais matutinos ainda traziam informações do pedido de licença do presidente, e a televisão era um artigo caro. Por sua capacidade de informar com rapidez, o rádio teve papel decisivo na crise política que teve como desfecho o suicídio de Getúlio. Cinqüenta anos depois, o ouvido atento de uma pesquisadora sintonizou com enorme precisão os ecos daquele acontecimento. A jornalista Ana Baum foi por sua vez ao microfone, e auxiliada pelas facilidades que as telecomunicações têm agora, conseguiu chegar quase em tempo real, a partir do mesmo Rio de Janeiro do Palácio do Catete, a muitos dos lugares onde foi ouvido o disparo que matou o Presidente da República em 1954. Sua pergunta para a História - qual o protagonismo do rádio no dia do suicídio? - foi amplificada por uma competente e sempre animada rede de pesquisadores, apaixonados pelo meio como foi Getúlio, e os resultados estão no livro "Vargas, agosto de 54, a história contada pelas ondas do rádio". Este livro investiga como foi a cobertura radiofônica da crise político-militar que atingiu o Brasil na primeira metade da década de 1950. Seu objetivo é refletir sobre o papel social do rádio num período em que o veículo tinha a hegemonia entre os meios de comunicação, contribuindo assim para a história da cultura brasileira e, evidentemente, e para a própria história do país.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Copa do Mundo no Brasil

         Brasil x Croácia
Confrontos:
BRASIL 1 X 1 CROÁCIA
Amistoso - 22/05/1996
Vivaldão, Manaus
Gols: Milan Rapaic (CRO) e Sávio (BRA)
BRASIL: Dida,Flávio COnceiçãi (Marcelinho Paulista), Aldair, Alexandre Lopes, ROberto Carlos; Zé Elias, Amaral (Beto), Juninho Paulista, Rivaldo; Luizão e Sávio. Técnico: Zagallo
CROÁCIA: Vedran Runje, Grgica Kovac, Mario Cvitanovic, Srdian Mladinic - Danijel Štefulj (Stjepan Tomaš), Tomislav Rukavina (Jurica Vucko), Mario Cižmek (Ivo Milic), Milan Rapaic (Mario Ivankovic), Ivan Juric - Silvio Maric, Davor Vugrinec (Damagoj Kosic). Técnico: Martin Novoselac.

BRASIL 1 X 1 CROÁCIA
Amistoso - 17/08/2005
Poljud Stadium, Split (Croácia)
Gols: Niko Kranjcar e Ricardinho
BRASIL: Dida, Cafu, Lúcio (Luisão), Juan, Roberto Carlos; Emerson, Zé Roberto (Renato), Kaká (Juninho Pernambucano), Ricardinho (Robinho), Ronaldo (Ricardo Oliveira), Adriano (Julio Baptista). Técnico: Carlos Alberto Parreira
CROÁCIA: Tomislav Butina (Stipe Pletikosa), Stjepan Tomaš (Dario Šimic), Robert Kovac, Josip Simunic - Darijo Srna, Igor Tudor, Niko Kovac (Jurica Vranješ), Niko Kranjcar (Anthony Šeric), Marko Babic - Ivan Klasnic (Boško Balaban), Ivica Olic (Eduardo da Silva). Técnico: Zlatko Kranjcar.

BRASIL 1 X 0 CROÁCIA
Copa do Mundo de 2006
Estádio Olímpico, Berlim
Gol: Kaká
BRASIL: Dida, Cafu, Lúcio, Juan, Roberto Carlos; Emerson, Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho Gaúcho; Ronaldo (Robinho) e Adriano. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
CROÁCIA: Stipe Pletikosa, Dario Šimic, Robert Kovac, Josip Simunic, Marko Babic - Darijo Srna, Niko Kranjcar, Igor Tudor, Niko Kovac (Jerko Leko) - Ivan Klasnic (Ivica Olic), Dado Pršo. Técnico: Zlatko Kranjcar.
Fonte: www.ge.com.br

Brasil
A Seleção Brasileira é a única a ter participado de todas as Copas do Mundo já realizadas, e é também a maior vencedora do torneio, com 5 taças levantadas (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002) e 2 vice-campeonatos (1950 e 1998). Ao todo, o Brasil tem 99 jogos em Copas do Mundo, com 68 vitórias, 16 empates e 15 derrotas, 213 gols-pró e 89 gols-contra. O atleta mais bem-sucedido da Seleção em Copas é Pelé, com 3 títulos (1958, 1962 e 1970). O maior goleador da Seleção em Copas é Ronaldo, com 15 gols marcados.

Campanhas detalhadas de todas as participações da Seleção Brasileira em Copas do Mundo.
I) Copa do Mundo 1930 (Uruguai)
14/07/1930 - Parque Central (Montevideo) - Brasil 1 (Preguinho), Iugoslávia 2 (Tirnanic e Bek)
22/07/1930 - Centenário (Montevideo) - Brasil 4 (Moderato 2 e Preguinho 2), Bolívia 0
Eliminado na primeira fase.

II) Copa do Mundo 1934 (Itália)
27/05/1934 - Luigi Ferraris (Genoa) - Brasil 1 (Leônidas), Espanha 3 (José Iraragorri 2(1p) e Isidro Lángara)
Eliminado na primeira fase.

III) Copa do Mundo 1938 (França)
05/06/1938 - Stade de la Meinau (Strasbourg) - Brasil 6 (Leônidas 3, Romeu e Perácio 2), Polônia 5 (Scherfke II (p) e Wilimowski 4)
Observação: 4 x 4 no tempo normal, Brasil 2 x 1 na prorrogação.
12/06/1938 - Parc Lescure (Bordeaux) - Brasil 1 (Leônidas), Tchecoslováquia 1 (Nejedly (p))
Observação: 1 x 1 no tempo normal, 0 x 0 na prorrogação.
14/06/1938 - Parc Lescure (Bordeaux) - Brasil 2 (Leônidas e Roberto), Tchecoslováquia 1 (Kopecky)
16/06/1938 - Vélodrome (Marseille) - Brasil 1 (Romeu), Itália 2 (Colaussi e Meazza (p))
19/06/1938 - Parc Lescure (Bordeaux) - Brasil 4 (Romeu, Leônidas 2 e Perácio), Suécia 2 (Jonasson e Nyberg)
Terceiro lugar.

IV) Copa do Mundo 1950 (Brasil)
24/06/1950 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Brasil 4 (Ademir 2, Jair e Baltazar), México 0
28/06/1950 - Pacaembu (São Paulo) - Brasil 2 (Alfredo II e Baltazar), Suíça 2 (Fatton 2)
01/07/1950 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Brasil 2 (Ademir e Zizinho), Iugoslávia 0
09/07/1950 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Brasil 7 (Ademir 4, Chico 2 e Maneca), Suécia 1 (Andersson (p))
13/07/1950 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Brasil 6 (Ademir 2, Jair, Chico 2 e Zizinho), Espanha 1 (Silvestre Igoa)
16/07/1950 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Brasil 1 (Friaça), Uruguai 2 (Juan Schiaffino e Alcides Ghiggia)
VICE-CAMPEÃO.

V) Copa do Mundo 1954 (Suíça)
16/06/1954 - Charmilles (Genebra) - Brasil 5 (Baltazar, Didi, Pinga 2 e Julinho), México 0
19/06/1954 - Olímpico de la Pontaise (Lausanne) - Brasil 1 (Didi), Iugoslávia 1 (Zebec)
Observação: 1 x 1 no tempo normal. 0 x 0 na prorrogação.
27/06/1954 - Wankdorf (Berna) - Brasil 2 (Djalma Santos (p) e Julinho), Hungria 4 (Hidegkuti, Kocsis 2 e Lantos (p))
Eliminado nas quartas-de-final.

VI) Copa do Mundo 1958 (Suécia)
08/06/1958 - Rimnersvallen (Uddevalla) - Brasil 3 (Mazzola 2 e Nílton Santos), Áustria 0
11/06/1958 - Nya Ullevi (Göteborg) - Brasil 0, Inglaterra 0
15/06/1958 - Nya Ullevi (Göteborg) - Brasil 2 (Vavá 2), União Soviética 0
19/06/1958 - Nya Ullevi (Göteborg) - Brasil 1 (Pelé), País de Gales 0
24/06/1958 - Rasunda Solna (Estocolmo) - Brasil 5 (Vavá, Didi e Pelé 3), França 2 (Fontaine e Piantoni)
29/06/1958 - Rasunda Solna (Estocolmo) - Brasil 5 (Vavá 2, Pelé 2 e Zagallo), Suécia 2 (Liedholm e Simonsson)
CAMPEÃO.

VII) Copa do Mundo 1962 (Chile)
30/05/1962 - Sausalito (Viña del Mar) - Brasil 2 (Zagallo e Pelé), México 0
02/06/1962 - Sausalito (Viña del Mar) - Brasil 0, Tchecoslováquia 0
06/06/1962 - Sausalito (Viña del Mar) - Brasil 2 (Amarildo 2), Espanha 1 (Adelardo)
10/06/1962 - Sausalito (Viña del Mar) - Brasil 3 (Garrincha 2 e Vavá), Inglaterra 1 (Hitchens)
13/06/1962 - Nacional (Santiago) - Brasil 4 (Garrincha 2 e Vavá 2), Chile 2 (Toro e Leonel Sánchez (p))
17/06/1962 - Nacional (Santiago) - Brasil 3 (Amarildo, Zito e Vavá), Tchecoslováquia 1 (Masopust)
CAMPEÃO.

VIII) Copa do Mundo 1966 (Inglaterra)
12/07/1966 - Goodison Park (Liverpool) - Brasil 2 (Pelé e Garrincha), Bulgária 0
15/07/1966 - Goodison Park (Liverpool) - Brasil 1 (Tostão), Hungria 3 (Bene, Farkas e Meszóly (p))
19/07/1966 - Goodison Park (Liverpool) - Brasil 1 (Rildo), Portugal 3 (Simões e Eusébio 2)
Eliminado na primeira fase.

IX) Copa do Mundo 1970 (México)
03/06/1970 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 4 (Rivellino, Pelé e Jairzinho 2), Tchecoslováquia 1 (Petras)
07/06/1970 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 1 (Jairzinho), Inglaterra 0
10/06/1970 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 3 (Pelé 2 e Jairzinho), Romênia 2 (Dumitrache e Dembrovschi)
14/06/1970 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 4 (Rivellino, Tostão 2 e Jairzinho), Peru 2 (Gallardo e Teófilo Cubillas)
17/06/1970 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 3 (Clodoaldo, Jairzinho e Rivellino), Uruguai 1 (Luis Cubilla)
21/06/1970 - Azteca (Cidade do México) - Brasil 4 (Pelé, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto Torres), Itália 1 (Boninsegna)
CAMPEÃO.

X) Copa do Mundo 1974 (Alemanha Ocidental)
13/06/1974 - Waldstadion (Frankfurt) - Brasil 0, Iugoslávia 0
18/06/1974 - Waldstadion (Frankfurt) - Brasil 0, Escócia 0
22/06/1974 - Parkstadion (Gelsenkirchen) - Brasil 3 (Jairzinho, Rivellino e Valdomiro), Zaire 0
26/06/1974 - Niedersachsenstadion (Hannover) - Brasil 1 (Rivellino), Alemanha Oriental 0
30/06/1974 - Niedersachsenstadion (Hannover) - Brasil 2 (Rivellino e Jairzinho), Argentina 1 (Brindisi)
03/07/1974 - Westfalenstadion (Dortmund) - Brasil 0, Holanda 2 (Neeskens e Cruijff)
06/07/1974 - Olympiastadion (München) - Brasil 0, Polônia 1 (Lato)
Quarto lugar.

XI) Copa do Mundo 1978 (Argentina)
03/06/1978 - Municipal (Mar del Plata) - Brasil 1 (Reinaldo), Suécia 1 (Sjöberg)
07/06/1978 - Municipal (Mar del Plata) - Brasil 0, Espanha 0
11/06/1978 - Municipal (Mar del Plata) - Brasil 1 (Roberto Dinamite), Áustria 0
14/06/1978 - Parque General San Martín (Mendoza) - Brasil 3 (Dirceu 2 e Zico (p)), Peru 0
18/06/1978 - Gigante de Arroyito (Rosário) - Brasil 0, Argentina 0
21/06/1978 - Parque General San Martín (Mendoza) - Brasil 3 (Nelinho e Roberto Dinamite 2), Polônia 1 (Lato)
24/06/1978 - Monumental de Núñez (Buenos Aires) - Brasil 2 (Nelinho e Dirceu), Itália 1 (Causio)
Terceiro lugar.

XII) Copa do Mundo 1982 (Espanha)
14/06/1982 - Ramón Sánchez Pizjuán (Sevilla) - Brasil 2 (Sócrates e Éder), União Soviética 1 (Andriy Bal)
18/06/1982 - Benito Villamarín (Sevilla) - Brasil 4 (Zico, Oscar, Éder e Falcão), Escócia 1 (David Narey)
23/06/1982 - Benito Villamarín (Sevilla) - Brasil 4 (Zico 2, Falcão e Serginho), Nova Zelândia 0
02/07/1982 - Sarriá (Barcelona) - Brasil 3 (Zico, Serginho e Júnior), Argentina 1 (Ramón Díaz)
05/07/1982 - Sarriá (Barcelona) - Brasil 2 (Sócrates e Falcão), Itália 3 (Paolo Rossi 3)
Eliminado na segunda fase.

XIII) Copa do Mundo 1986 (México)
01/06/1986 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 1 (Sócrates), Espanha 0
06/06/1986 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 1 (Careca), Argélia 0
12/06/1986 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 3 (Careca 2 e Josimar), Irlanda do Norte 0
16/06/1986 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 4 (Sócrates (p), Josimar, Edinho e Careca (p)), Polônia 0
21/06/1986 - Jalisco (Guadalajara) - Brasil 1 (Careca), França 1 (Platini)
Observação: 1 x 1 no tempo normal, 0 x 0 na prorrogação. Na definição por pênaltis, para o Brasil, Alemão, Zico e Branco converteram, Sócrates e Júlio César perderam; para a França, Stopyra, Amoros, Bellone e Fernández converteram, Platini perdeu. Brasil 3, França 4.
Eliminado nas quartas-de-final.

XIV) Copa do Mundo 1990 (Itália)
10/06/1990 - Stadio delle Alpi (Torino) - Brasil 2 (Careca 2), Suécia 1 (Brolin)
16/06/1990 - Stadio delle Alpi (Torino) - Brasil 1 (Müller), Costa Rica 0
20/06/1990 - Stadio delle Alpi (Torino) - Brasil 1 (Müller), Escócia 0
24/06/1990 - Stadio delle Alpi (Torino) - Brasil 0, Argentina 1 (Caniggia)
Eliminado nas oitavas-de-final.

XV) Copa do Mundo 1994 (Estados Unidos)
20/06/1994 - Stanford Stadium (Palo Alto) - Brasil 2 (Romário e Raí (p)), Rússia 0
24/06/1994 - Stanford Stadium (Palo Alto) - Brasil 3 (Romário, Márcio Santos e Bebeto), Camarões 0
28/06/1994 - Pontiac Silverdome (Detroit) - Brasil 1 (Romário), Suécia 1 (Kennet Andersson)
04/07/1994 - Stanford Stadium (Palo Alto) - Brasil 1 (Bebeto), Estados Unidos 0
09/07/1994 - Cotton Bowl (Dallas) - Brasil 3 (Romário, Bebeto e Branco), Holanda 2 (Bergkamp e Winter)
13/07/1994 - Rose Bowl (Pasadena) - Brasil 1 (Romário), Suécia 0
17/07/1994 - Rose Bowl (Pasadena) - Brasil 0, Itália 0
Observação: 0 x 0 no tempo normal e na prorrogação. Na definição por pênaltis, para o Brasil, Romário, Branco e Dunga converteram, Márcio Santos perdeu; para a Itália Albertini e Evani converteram, Baresi, Massaro e Roberto Baggio perderam. Brasil 3, Itália 2.
CAMPEÃO.

XVI) Copa do Mundo 1998 (França)
10/06/1998 - Stade de France (Saint-Denis) - Brasil 2 (César Sampaio e Boyd contra), Escócia 1 (Collins (p))
16/06/1998 - Stade de la Beaujoire (Nantes) - Brasil 3 (Ronaldo, Rivaldo e Bebeto), Marrocos 0
23/06/1998 - Vélodrome (Marseille) - Brasil 1 (Bebeto), Noruega 2 (Tore André Flo e Rekdal (p))
27/06/1998 - Parc des Princes (Paris) - Brasil 4 (César Sampaio 2 e Ronaldo 2(1p)), Chile 1 (Marcelo Salas)
03/07/1998 - Stade de la Beaujoire (Nantes) - Brasil 3 (Bebeto e Rivaldo 2), Dinamarca 2 (Jorgensen e Brian Laudrup)
07/07/1998 - Vélodrome (Marseille) - Brasil 1 (Ronaldo), Holanda 1 (Kluivert)
Observação: 1 x 1 no tempo normal, 0 x 0 na prorrogação. Na definição por pênaltis, para o Brasil, Ronaldo, Rivaldo, Emerson e Dunga converteram; para a Holanda, Frank de Boer e Bergkamp converteram, Cocu e Ronald de Boer perderam. Brasil 4, Holanda 2.
12/07/1998 - Stade de France (Saint-Denis) - Brasil 0, França 3 (Zidane 2 e Petit)
VICE-CAMPEÃO.

XVII) Copa do Mundo 2002 (Coreia do Sul/Japão)
03/06/2002 - Munsu Cup Stadium (Ulsan) - Brasil 2 (Ronaldo e Rivaldo (p)), Turquia 1 (Hasan Sas)
08/06/2002 - Jeju World Cup Stadium (Seogwipo) - Brasil 4 (Roberto Carlos, Rivaldo, Ronaldinho (p) e Ronaldo), China 0
13/06/2002 - Suwon World Cup Stadium (Suwon) - Brasil 5 (Ronaldo 2, Edmílson, Rivaldo e Júnior), Costa Rica 2 (Wanchope e Rónald Gómez)
17/06/2002 - Kobe Wing Stadium (Kobe) - Brasil 2 (Rivaldo e Ronaldo), Bélgica 0
21/06/2002 - Stadium Ekopa (Shizuoka) - Brasil 2 (Rivaldo e Ronaldinho), Inglaterra 1 (Owen)
26/06/2002 - Saitama Stadium (Saitama) - Brasil 1 (Ronaldo), Turquia 0
30/06/2002 - Estádio Internacional (Yokohama) - Brasil 2 (Ronaldo 2), Alemanha 0
CAMPEÃO.

XVIII) Copa do Mundo 2006 (Alemanha)
13/06/2006 - Olympiastadion (Berlim) - Brasil 1 (Kaká), Croácia 0
18/06/2006 - Allianz Arena (München) - Brasil 2 (Adriano e Fred), Austrália 0
22/06/2006 - Westfalenstadion (Dortmund) - Brasil 4 (Ronaldo 2, Juninho Pernambucano e Gilberto), Japão 1 (Keiji Tamada)
27/06/2006 - Westfalenstadion (Dortmund) - Brasil 3 (Ronaldo, Adriano e Zé Roberto), Gana 0
01/07/2006 - Waldstadion (Frankfurt) - Brasil 0, França 1 (Henry)
Eliminado nas quartas-de-final.

XIX) Copa do Mundo 2010 (África do Sul)
15/06/2010 - Ellis Park (Johannesburg) - Brasil 2 (Maicon e Elano), Coreia do Norte 1 (Ji Yun-Nam)
20/06/2010 - Soccer City (Johannesburg) - Brasil 3 (Luís Fabiano 2 e Elano), Costa do Marfim 1 (Drogba)
25/06/2010 - Moses Mabhida (Durban) - Brasil 0, Portugal 0
28/06/2010 - Ellis Park (Johannesburg) - Brasil 3 (Juan, Luís Fabiano e Robinho), Chile 0
02/07/2010 - Nelson Mandela Bay (Port Elizabeth) - Brasil 1 (Robinho), Holanda 2 (Sneijder 2)
Eliminado nas quartas-de-final.

XX) Copa do Mundo 2014 (Brasil)
12/06/2014 - Itaquerão (São Paulo) - Brasil  x Croácia
17/06/2014 - Castelão (Fortaleza) - Brasil x México
23/06/2014 - Mané Garrincha (Brasília) - Brasil x Camarões.

Croácia
A Croácia jogará sua quarta Copa do Mundo em 2014. Nas três participações anteriores, a melhor campanha foi na estreia, em 1998, quando chegou em terceiro lugar. Ao todo, foram 13 jogos, com 6 vitórias, 2 empates e 5 derrotas, 15 gols-pró e 11 gols-contra. O maior artilheiro da Croácia em Mundiais é Davor Suker (foto acima), com 6 gols, todos marcados em 1998.

I) Copa do Mundo 1998 (França)
14/06/1998 - Stade Félix-Bollaert (Lens) - Croácia 3 (Stanic, Prosinecki e Suker), Jamaica 1 (Robbie Earle)
20/06/1998 - Stade de la Beaujoire (Nantes) - Croácia 1 (Suker), Japão 0
26/06/1998 - Parc Lescure (Bordeaux) - Croácia 0, Argentina 1 (Pineda)
30/06/1998 - Parc Lescure (Bordeaux) - Croácia 1 (Suker (p)), Romênia 0
04/07/1998 - Stade Gerland (Lyon) - Croácia 3 (Jarni, Vlaovic e Suker), Alemanha 0
08/07/1998 - Stade de France (Saint-Denis) - Croácia 1 (Suker), França 2 (Thuram 2)
11/07/1998 - Parc des Princes (Paris) - Croácia 2 (Prosinecki e Suker), Holanda 1 (Zenden)
Terceiro lugar.

II) Copa do Mundo 2002 (Coreia do Sul/Japão)
03/06/2002 - Big Swan Stadium (Niigata) - Croácia 0, México 1 (Cuauhtémoc Blanco (p))
08/06/2002 - Kashima Soccer Stadium (Ibaraki) - Croácia 2 (Ivica Olic e Milan Rapaic), Itália 1 (Vieri)
13/06/2002 - Estádio Internacional (Yokohama) - Croácia 0, Equador 1 (Édison Méndez)
Eliminada na primeira fase.

III) Copa do Mundo 2006 (Alemanha)
13/06/2006 - Olympiastadion (Berlim) - Croácia 0, Brasil 1 (Kaká)
18/06/2006 - Frankenstadion (Nürnberg) - Croácia 0, Japão 0
22/06/2006 - Gottlieb-Daimler-Stadion (Stuttgart) - Croácia 2 (Darijo Srna e Niko Kovac), Austrália 2 (Craig Moore (p) e Harry Kewell)
Eliminada na primeira fase.

IV) Copa do Mundo 2014 (Brasil)
12/06/2014 - Itaquerão (São Paulo) - Croácia x Brasil
18/06/2014 - Arena da Amazônia (Manaus) - Croácia x Camarões
23/06/2014 - Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata) - Croácia x México

Observação: Antes de 1998, a Croácia disputou 08 Copas do Mundo (1930, 1950, 1954, 1958, 1962, 1974, 1982 e 1990) como parte integrante da extinta Iugoslávia. Entretanto, a FIFA e a UEFA consideram a Sérvia como única sucessora da Iugoslávia.

FONTE: www.jornalheiros.blogspot.com.br
COLABORAÇÃO: Alexandre Magno Barreto Berwanger

Literatura

“Residência em Psicologia: novos contextos e desafios para a formação em saúde”
Coletânea organizada por Maria Stella Tavares Filgueiras, Gabriela Guerra Gonze e Rosimeire Aparecida Neto Dias Villela e publicada pela Editora Vozes, tem o propósito de mostrar as práticas interdisciplinares na formação de profissionais da psicologia em saúde através de atividades desenvolvidas no seu tempo de estágio chamado de "residência". A formação e a atuação do profissional de psicologia tem seu espaço ampliado e a saúde é um dos espaços privilegiados dessa formação. Aborda os momentos de criação da residência multiprofissional no hospital de referência, a expansão da residência em psicologia hospitalar e da saúde nos Caps (Centros de apoios psico-social), dentre outros.
Fonte: www.ufjf.br

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Emancipação

Dez distritos mineiros podem virar cidade
Se a nova lei for aprovada, Belo Horizonte vai perder 1 milhão de habitantes

A nova lei para criação de municípios no Brasil habilita 10 distritos de Minas Gerais a se transformarem em cidades. Do grupo, oito estão em Belo Horizonte e região metropolitana e dois no Vale do Aço. Os dados são da Associação Mineira de Municípios (AMM). A entidade estima que, caso se concretizem as emancipações, o número de habitantes de Belo Horizonte cairia de 2,4 milhões para 1,4 milhão, com impacto no Fundo de Participação do Municípios (FPM), repassado pelo governo federal. O FPM tem o contingente populacional como um dos critérios para cálculo do valor a ser recebido pelas cidades.

O projeto que regulamenta o surgimento de mais municípios no país foi aprovado na noite de quarta-feira pela Câmara dos Deputados. O texto é mais rigoroso que o vetado pela presidente Dilma Rousseff (PT). A nova lei partiu de um acordo depois da decisão. A proposição segue agora para o Senado. Conforme o projeto aprovado, é proibida a criação, incorporação, fusão ou desmembramento de distritos caso isso inviabilize municípios preexistentes. Ainda conforme o texto, as emancipações só poderão ocorrer entre a data de posse do prefeito e o último dia do ano anterior às próximas eleições municipais. Na hipótese de o tempo não ser suficiente, somente depois da posse do novo prefeito poderá ser dado prosseguimento ao processo.

Entre os critérios da lei aprovada pelos deputados está o que determina que as novas cidades deverão ter população igual ou superior a 6 mil habitantes nas regiões Norte e Centro-Oeste; 12 mil no Nordeste; e 20 mil no Sul e Sudeste. No projeto vetado pela presidente, as populações exigidas eram 5 mil, 7 mil e 10 mil, respectivamente.

O presidente da AMM, Antônio Carlos Andrada (prefeito de Barbacena), afirma que os habitantes dos municípios emancipados poderão ter contato maior com gestores municipais. “Ao se criarem novas prefeituras e novas câmaras de vereadores, os moradores da cidade ficam mais próximos dos locais onde as decisões são tomadas. Essa aproximação favorece a participação popular e coloca gestores que conhecem os problemas e os potenciais da região”, afirma, em estudo feito pela entidade sobre o projeto aprovado pela câmara.

Fusão
O novo texto estabelece ainda que, em caso de fusão de municípios, é obrigatório que 3% dos eleitores de cada uma das cidades envolvidas apoiem a realização de plebiscito. No texto vetado pela presidente, a exigência era maior, de 10% dos eleitores. Em caso de rejeição, nova consulta poderá ser solicitada à Assembleia Legislativa somente depois de 12 anos, contra 10 anos da proposta recusada por Dilma Rousseff.

Os cotados em Minas
Distrito/Cidade
Barra Alegre/Ipatinga
Barreiro/Belo Horizonte
Carvalho de Brito/Sabará
Justinópolis Ribeirão das Neves
Lagoa de Santo Antônio/Pedro Leopoldo
Parque Durval de Barros/Ibirité
Parque Industrial/Contagem
São Benedito/Santa Luzia
Senador Melo Viana/Cel. Fabriciano
Venda Nova/Belo Horizonte.
Fonte: www.uai.com.br

Literatura

"Os Santos Mais Populares do Brasil"
O culto aos santos é um dos traços mais característicos do catolicismo e também das nações onde essa religião é predominante. Mas, no caso do Brasil, essa questão ganha novos contornos. Estudar a devoção brasileira a seus santos mais populares coloca qualquer um diante de um universo incrivelmente vasto onde vários fatores se misturam e se completam e é nesse universo que o autor, Sandro Gomes, se viu “perdido” ao escrever Os Santos Mais Populares do Brasil, lançamento da Editora NovaTerra.

Cultura popular, folclore, formação cultural, sincretismo, psicologia e fé se misturam numa fórmula mágica difícil de compreender mas deliciosa de se descobrir à medida em que o autor apresenta sua pesquisa aos leitores de uma maneira leve e descontraída, privilegiando as histórias e os “causos”. Como o próprio autor define: esta obra “é uma grande viagem à alma de nosso povo”.

Sandro Gomes nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1970 e, desde que se graduou em Letras pela UERJ, em 1997, atua na criação, redação e revisão de textos para o mercado editorial, além da experiência em sala de aula. Em "Os Santos Mais Populares do Brasil", sua obra de estreia, o leitor é convidado a ingressar num novo olhar sobre a religiosidade no país, um tema que se enquadra naquilo que é a maior fonte de pesquisa e reflexão do autor: a cultura brasileira.
Fonte: www.editoranovaterra.com.br

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Carlos Alberto

Carlos Alberto de Souza Dias nasceu em Cataguases-MG, em 21 de maio de 1935, filho de Astolfo de Souza Dias e Maria de Lourdes Dias. Carlos Alberto é casado, pai de cinco filhos e avô de cinco netos. Trabalhou em Juiz de Fora nas rádios PRB 3, Difusora, Capital e JF, além das rádios Cataguases (onde iniciou carreira), Educadora de Ubá e Cultura de Santos Dumont. Cita com orgulho, nomes de expressão com os quais trabalhou: Maurício Menezes, Glauco Fassheber, Humberto Zaghetto, Souza Mendonça, Adair Mendes (1949-1992), Hélio Fazolato (1930-2010), Dirceu Costa Ferreira (1937-2000), Gilberto Freire (1945-1994) e Meira Filho. Carlos Alberto, que além de locutor noticiarista, foi apresentador de programas e discotecário, tem uma gratidão ao já falecido radialista Gilberto Freire, que em tempos passados, era proprietário da Rádio Cultura de Santos Dumont e o levou para trabalhar na terra do pai da aviação. Ela gratidão, segundo Carlos Alberto, foi pelo vontade de ajudar do Gilberto Freire, que mesmo sem precisar de mais um funcionário na emissora, o contratou para ajudá-lo, tendo em vista, que ele, Carlos Alberto, se encontrava desempregado.

Gilberto Freire
Gilberto Freire Filho nasceu em 26/05/1945 em João Monlevade-MG. Cresceu na cidade de Caratinga onde trabalhou na Sociedade Rádio Caratinga. Em Juiz de Fora atuou no comércio como barbeiro, depois atuou na rádio e na Tv Industrial, de Geraldo Mendes, atuou nas rádios Capital, Difusora, Nova Cidade, Pio XII e Juiz de Fora. Foi proprietário, por duas vezes, da Rádio Cultura de Santos Dumont em sociedade com Viterbo Philot e Eyda Philot, e pela segunda vez com Eurico Gade e Alberto Rian. Teve sociedade na Tv Rodoviária com Domingos de Almeida Frias. Atuou no mercado publicitários para vários veículos como a Tv Globo, Tv Tiradentes e Tv Pio XII.
Gilberto Freire morreu em 07/07/1994 em um acidente automobilístico na BR 040, próximo a Barbacena.
Colaboração: Gilberto Freire da Paz Neto.

Literatura

"Dali o Joca não perde"
O escritor Victor Kingma conseguiu capturar a essência e transformou os causos que vivenciou, presenciou ou ouviu falar numa obra divertida e transformada em realidade pela sua veia literária.

Foram escolhidos 100 dos melhores causos do autor para demonstrar, em 172 páginas, o misto de paixão e emoção de momentos marcantes do futebol que tomam conta de cada lance, cada passe, cada jogada do esporte mais popular do planeta Terra.

O causo cuja expressão dá nome ao livro é considerado o melhor deles. Já povoou as páginas da coluna do jornalista Renato Maurício Prado, no jornal "O Globo", em 1997.

Nosso país vive com milhares de “Jocas”, “Manés”, “Joãos”, “Zicos” e outros apelidos que damos aos nossos craques e pernas de pau e o leitor vai conhecer um pouco dessas “lendas” da bola na obra de Victor Kingma.
Fonte: www.editoranovaterra.com.br

domingo, 1 de junho de 2014


Morre Marinho Chagas, ex-lateral do Brasil

O ex-jogador Marinho Chagas (Francisco das Chagas Marinho) morreu na madrugada deste domingo, 01/06, , aos 62 anos, em João Pessoa, na Paraíba. O ex-lateral da Seleção Brasileira não resistiu a uma hemorragia digestiva que o fez ser internado às pressas na tarde de sábado, após passar mal durante um evento relacionado à Copa do Mundo na capital paraibana.

Marinho estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual de Emergência e Trauma e respirava com a ajuda de aparelhos. Natural de Natal, no Rio Grande do Norte, o ex-jogador estava em João Pessoa para participar de um evento de colecionadores de álbuns de figurinhas.

Um dos maiores nomes do futebol potiguar, Marinho Chagas foi eleito o melhor lateral esquerdo da Copa do Mundo de 1974, vencida pela Alemanha. De características ofensivas, o ex-jogador marcou época na Seleção Brasileira.

Iniciou a carreira no modesto Riachuelo, de Sergipe, em 1967, e logo despertou o interesse do ABC de Natal. Foi negociado ao Náutico em 1970, onde conseguiu maior projeção e acabou sendo negociado ao Botafogo, clube onde obteve maior sucesso, permanecendo em General Severiano entre 1972 e 1976.

Em 1977, acertou sua mudança para o Fluminense, onde ficou durante um ano, se mudando em seguida para os Estados Unidos, e lá, defendeu o New York Cosmos e o Fort Lauderdale Strikes. Retornou ao Brasil em 1981, atuando pelo São Paulo. Passou ainda por Bangu, Fortaleza, América-RN, LA Heat-EUA e Augsburg-ALE antes de encerrar a carreira em 1988.

Literatura