sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Clube Atlético Mineiro

Alexandre Kalil é o 48º presidente da história do Galo Alexandre Kalil, 49 anos, empresário, ex-presidente do ConselhoDeliberativo do clube, ex-diretor de futebol e filho do ex-presidenteElias Kalil (1980 a 1985), é o novo mandatário do Atlético. Ele foieleito nesta quinta-feira em eleição realizada na sede de Lourdes, emclima de tranqüilidade. Kalil recebeu 271 votos dos conselheiros,contra 130 para Sérgio Bias Fortes e apenas um para ItamarVasconcellos. Houve um voto nulo. Compareceram 403 dos 474conselheiros com direito a voto. Logo após o resultado da eleição, o vencedor tomou posse para ummandato até o dia 31 de dezembro de 2011. Alexandre Kalil vaisubstituir Ziza Valadares, que não suportou a pressão e renunciou nodia 18 de setembro passado, seguido por seus quatro vice-presidentes
Todos os presidentes: 1908/1910 - Margival Mendes Leal, 1911 - Aleixanor Alves Pereira, 1912/1913 - Jair Pinto dos Reis, 1914 - João Luiz Morethzon, 1915/1916 - Roberto Xavier Azevedo, 1917 - Nilo Rosemburg 1918 - Jorge Dias Pena, 1919 - Antônio Antunes Filho, 1920 - Álvaro Felicíssimo P. Xavier, 1921/1922 - Alfredo Furtado, 1923 - Roberto Xavier Azevedo, 1924/1925 - Alfredo Furtado, 1926/1930 - Leandro Castilho M. Costa, 1931 - Aníbal Matos, 1932 - Afonso Ferreira Paulino, 1933/1938 - Thomaz Naves, 1939 - Casildo Quintino dos Santos, 1940 - Salvio Noronha, 1941 - Hélio Soares de Moura, 1942 - Olímpio Mourão de Miranda, 1943/1944 - Alberto Pinheiro, 1945 - Edward Nogueira, 1946/1948 - Gregoriano Canedo, 1949 - Geraldo Vasconcelos, 1949 - Osvaldo Silva1950/1951José Cabral1952/1953José F. Paula Júnior1954/1955Mário de Andrade Gomes, 1956/1957 - José F. Paula Júnior, 1958/1959 - Nelson Campos, 1960 - Antônio Alvares da Silva, 1961 - Edgar Neves - 1962/1963 - Fábio Fonseca e Silva, 1964 - José Ramos Filho, 1964/1965 - Lauro Pires de Carvalho, 1966/1967 - Eduardo de Magalhães Pinto, 1967 - Fábio Fonseca e Silva, 1968/1969 - Carlos Alberto Naves, 1970/1973 - Nelson Campos, 1974/1979 - Walmir Pereira da Silva, 1980/1985 - Elias Kalil, 1986/1988 - Nelson Campos, 1989/1994 - Afonso de Araújo Paulino, 1995/1998 - Paulo Cury, 1999/2001 - Nélio Brant Magalhães, 2001/2006 - Ricardo Annes Guimarães, 2007/2008 - Ziza Valadares, 2008/2011 - Alexandre Kalil.
Série A
32ª rodada
Sport 1 x 1 Santos
Vasco 2 x 2 Atlético-PR
A partida entre Figueirense e Fluminense, nesta quinta-feira, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 32ª rodada do CampeonatoBrasileiro, foi adiada por falta de energia elétrica no estádio, aos16 minutos do primeiro tempo. Agora, o jogo terá prosseguimento napróxima quarta, dia 5 de novembro, às 20h30 (horário de Brasília), coma vitória parcial da equipe tricolor por 1 a 0, gol do volante Arouca,aos 12 minutos.Washington ainda perdeu um penalti quando o jogo estava 0 x 0.
Na próxima rodada, o Fluminense realiza o clássico contra o Vasco, nodomingo, às 19h10 (horário de Brasília), no Maracanã. No mesmo dia ehorário, o Figueirense encara o Grêmio, no Olímpico, em Porto Alegre.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Futebol Mineiro - Arbitragem

Taça Minas
Villa Nova X Tupi
Domingo - 02/11
Castor Cifuentes - 10h30
A: Átila Carneiro Magalhães
A1: Márcio Eustáquio Santiago
A2: Jair Albano Félix4°A: Cláudio da Silva Prado (Liga local)
Uberlândia X América
Domingo - 02/11
Parque do Sábia - 10h30
A: Ricardo Marques Ribeiro
A1: Helbert Costa Andrade
A2: Guilherme Dias Camilo
4°A: Edmar Lopes Pires (Liga local)
Módulo 3
Pirapora X América
Sábado - 01/11
Oswaldo Nascimento - 16h
A: Josué Otaciano dos Santos
A1: Rodrigo Otávio Baeta
A2: Marcus Vinícius Gomes
4°A: Raimundo Nonato Ferreira Filho (Liga local)
Tricordiano X Varginha
Domingo - 02/11
Elias Arbex - 10h30
A: Eunílson Cláudio Miranda Silveira
A1: Wenderson Mozzer
A2: Ademilson Alves Teixeira
4°A: Cássio Dias Gomes (Liga local)
Venda Nova X Funorte
Domingo - 02/11
Frimisa - 10h30
A: Carlos Inácio Vítor
A1: Ângela Paula Cruz Régis Ribeiro
A2: Celso Luiz da Silva
4°A: Igor Júnio Benevenuto
Guaxupé X Sul Mineiro
Domingo - 02/11
Mun. Carlos Monteiro - 10h30
A: Antônio Márcio Teixeira
A1: Flamarion Sócrates da Silva
A2: Frederico Soares Vilarinho
4°A: Carlos Reimar dos Santos (Liga local)
Sul Minas X Nacional
Domingo - 02/11
Gino Rossi - 10h
A: Antônio Alves Costa Júnior
A1: Marco Antônio da Silva
A2: Marconi Helbert Vieira
4°A: Carlos Alberto da Silva (Liga de Poços de Caldas)
Santarritense X Fabril
Domingo - 02/11
Cel. Erasmo Cabral - 10h30
A: Elmivan Alves Andrade
A1: Júnior Antônio da Silva
A2: Ricardo Júnio de Souza
4°A: Mauro Pereira da Costa (Liga de Três Corações)
Série B

Marília/SP x Vila Nova/GO

Terça - 04/11

Bento de Abreu - 20h30

A:Alício Pena Júnior/MG

A1:Alecio Aparecido Lezo/MS

A2:Paulo César Pereira de Freitas/MS

4ºA:Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral/SP

Ipatinga/MG x Coritiba/PR

Sábado - 01/11

Ipatingão - 18h30

A:Antônio Hora Filho/SE

A1:Ailton Farias da Silva/SE

A2:Cleriston Clay Barreto Rios/SE

4ºA:Luiz Carlos Silva/MG

Goiás/GO x Cruzeiro/MG

Domingo - 02/11

Serra Dourada - 17h

A:Paulo César Oliveira/SP

A1:Milton Otaviano dos Santos/RN

A2:Alessandro Álvaro Rocha de Matos/BA

4ºA:André Luiz de Freitas Castro/GO

Atlético/MG x Botafogo/RJ

Domingo - 02/11

Mineirão - 17h

A:Evandro Rogério Roman/PR

A1:Ednilson Corona/SP

A2:Gilson Bento Coutinho/PR

4ºA:Renato Cardoso Conceição/MG

Futebol - Resultados

Quarta-feira
Copa Paulista - Segunda fase
Rio Branco 1 x 1 Linense
Ferroviária 0 x 1 Flamengo
São Bento 1 x 2 Penapolense
Mirassol 2 x 3 Sorocaba
Santo André 1 x 0 Oeste de Itápolis
Juventus 4 x 0 Comercial (RP)
Noroeste 1 x 1 XV de Piracicaba
Catanduvense 0 x 1 Bragantino (B)
Série C - Fase final - Grupo 29
Rio Branco-AC 4 x 1 Confiança-SE
Atlético-GO 2 x 0 Guarani
Águia de Marabá 1 x 1 Campinense-PB
Duque de Caxias 4 x 1 Brasil de Pelotas
Série A - 32ª rodada
Botafogo 1 x 2 São Paulo
Internacional 1 x 1 Náutico
Vitória 0 x 0 Flamengo
Portuguesa 2 x 0 Ipatinga-MG
Coritiba 2 x 1 Atlético-MG
Cruzeiro 3 x 0 Grêmio
Palmeiras 1 x 0 Goiás
Terça-feira
Série B - 33ª rodada
Fortaleza 0 x 1 Marília
Juventude 2 x 1 Santo André
Vila Nova-GO 1 x 1 Gama

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Rádio "A Voz da Rússia"

Hoje, (29.10.2008), a emissora “Voz da Rússia” comemora seu aniversário. Há 79 anos, foram transmitidos os primeiros programas do Serviço Internacional.
Ao longo destes anos, ela relata ao mundo a vida vivida na Rússia e pintando um quadro multicolorido e objetivo do que se passa nesta país. Sua missão principal consiste em facilitar aos ouvintes a compreensão da Rússia e fazer com que se situe mais perto de cada um.
Atualmente, a “Voz da Rússia” fala 38 línguas e pode ser sintonizada em todos os continentes. Os mais de 400 programas escutados por mais de 100 milhões de pessoas em 160 países narram a vida da Rússia contemporânea, sua história, cultura, sua política interna e externa. Nos últimos anos, sua prioridade fundamental têm sido os membros da Comunidade de Estados Pós-Soviéticos. Não obstante uma idade impressionante, a “Voz da Rússia” não envelhece. Antes pelo contrário: soa de uma maneira cada vez mais atual e moderna, como provam as últimas tendências nos campos da tecnologia de apresentação das informações e possibilidades comunicativas.
A rádio ganhou, com pleno direito, a reputação de não somente um corifeu na área de radiodifusão internacional, como também a de pioneiro nas emissões digitais nacionais. A “Voz da Rússia” pode ser assistida não somente no ar, mas também via “Internet”.
Como diz Andrei Davidenko, vice-presidente desta companhia de radiodifusão, "nosso público-alvo registrou uma ampliação considerável com as novas tecnologias recentemente adotadas. As novas tecnologias, é claro, vêm ampliar nossas possibilidades para um diálogo mais vivo, mais aberto e mais rico com os ouvintes. Penso que o ano seguinte, que será o ano de grande aniversário para a “Voz da Rússia”, constituirá mais um marco na evolução artística e tecnológica desta rádio, mas também em termos de nossa interação com os ouvintes. Prezados ouvintes, o aniversário da “Voz da Rússia” é uma festa comum de todos nós".

Atestado Médico

Atestado de acompanhamento médico: há obrigação em aceitar?
O empregador é obrigado a abonar as faltas que por determinação legal, não podem ocasionar perda da remuneração, desde que formalmente comprovadas por atestado médico.
A legislação determina alguns requisitos para que os atestados médicos tenham validade perante a empresa. No entanto, não são raros os casos de empregados que se utilizam de atestados médicos para se ausentarem do trabalho, mesmo sem apresentar nenhuma patologia que justifique essa ausência.
A legislação não prevê a questão do abono de faltas no caso do empregado que se ausenta do trabalho para acompanhar seu dependente em uma consulta médica ou internamento, independente de idade ou condição de saúde.
LEGISLAÇÃO O atestado médico, para abono de faltas ao trabalho, tem limitações regulamentadas por lei. O Decreto 27.048/49 que aprova o regulamento da Lei 605/49, no artigo12, §1º e 2º, dispõe sobre as formas de abono de faltas mediante atestado médico:
Art. 12: § 1º: A doença será comprovada mediante atestado passado por médico da empresa ou por ela designado e pago.
§ 2º: Não dispondo a empresa de médico da instituição de previdência a que esteja filiado o empregado, por médico do Serviço Social da Indústria ou do Serviço Social do Comércio, por médico de repartição federal, estadual ou municipal, incumbido de assunto de higiene ou saúde, ou, inexistindo na localidade médicos nas condições acima especificados, por médico do sindicato a que pertença o empregado ou por profissional da escolha deste.
Os atestados médicos de particulares, conforme manifestação do Conselho Federal de Medicina, não devem ser recusados, exceto se for reconhecido favorecimento ou falsidade na emissão, assim estabelecendo:
"O atestado médico, portanto, não deve "a priori" ter sua validade recusada porquanto estarão sempre presentes no procedimento do médico que o forneceu a presunção de lisura e perícia técnica, exceto se for reconhecido favorecimento ou falsidade na sua elaboração quando então, além da recusa, é acertado requisitar a instauração do competente inquérito policial e, também, a representação ao Conselho Regional de Medicina para instauração do indispensável procedimento administrativo disciplinar".
Portanto, o atestado médico para abono de faltas ao trabalho deve obedecer aos dispositivos legais, mas, quando emitido por médico particular, a priori deve ser considerado, pelo médico da empresa ou junta médica de serviço público, como verdadeiro pela presunção de lisura e perícia técnica.
Entretanto, a legislação trabalhista não disciplina quanto ao abono de faltas em virtude de atestado de acompanhamento médico (aquele que é fornecido à mãe ou ao pai que acompanha o filho até o médico), tampouco se manifesta quanto a obrigatoriedade das empresas em recepcioná-lo.
Embora não temos a manifestação da Legislação a respeito, é preciso se atentar para os Acordos e Convenções Coletivas que tendem a garantir situações mais benéficas como complemento às dispostas em lei ou até pelos próprios procedimentos internos das empresas que podem estabelecer tal garantia.
Em um procedimento interno de uma empresa qualquer, encontramos uma dessas garantias a qual estabelecia que "Nos casos dos atestados de acompanhantes para filhos até 14 (quatorze) anos, a ausência é abonada, no limite de 01 dia/mês."
EMPRESAS - FACULDADE EM ABONAR Se por um lado o empregador não deve esta obrigação, por outro há uma busca em manter a qualidade de vida e condições saudáveis de trabalho para seu empregado, condições estas que podem ser ameaçadas pela enfermidade na família deste, já que poderá refletir diretamente no seu desempenho profissional.
Ora, se um empregado que trabalha em turnos, por exemplo, e que poderia agendar e levar seu filho ao médico após sua jornada normal de trabalho não o faz, fica evidente sua intenção em faltar ao serviço sem justificativa legal.
Por outro lado, se ocorrer a necessidade urgente em função de um fato grave e inesperado, ainda que a jornada de trabalho seja em turnos, há que se levar em consideração a imprevisibilidade e necessidade urgente de atendimento ao filho, o que poderia ser considerado justificável a ausência do empregado.
Cabe ao empregador aceitar ou não os atestados apresentados pelo empregado que não estejam previstos em lei. Se a lei, acordo ou convenção coletiva não disciplina sobre a obrigação de o empregador recepcionar o atestado de acompanhamento médico, é uma faculdade aceitar ou recusar.
No entanto, para que seja aceito, o gestor de Recursos Humanos deve estabelecer um procedimento interno regulamentando as condições em que serão aceitos, para que todos sejam atingidos por este regulamento. Não há como um departamento aceitar e outro não, conforme suas convicções.
A empresa poderá determinar ainda que os atestados de acompanhante (filho, pai, mãe, irmão e etc.) somente justificam a ausência do período, mas não abonam, caso em que as horas devem ser compensadas dentro de um determinado prazo para não incorrer em prejuízos salariais.
Não obstante, há que se atentar para o entendimento jurisprudencial que vem demonstrando que a mãe, o pai, tutor ou responsável que, não havendo outra possibilidade, precisar se ausentar do trabalho para acompanhar o filho menor até o médico, deve ter esta ausência justificada pela empresa, já que esta garantia de cuidado do filho, além de estar estabelecido na Constituição Federal, é um dever estabelecido no exercício do pátrio-poder, consubstanciado no dever dos pais de cumprir funções de sustento, educação e assistência aos filhos, conforme define o Estatuto da Criança e do Adolescente.
Podemos confirmar este entendimento jurisprudencial no julgado recente do TRT/MG que julgou improcedente a demissão por justa causa da empregada que se ausentou do trabalho para levar seu filho ao médico:
NÃO CABE JUSTA CAUSA A EMPREGADA QUE FALTOU PARA LEVAR FILHO AO MÉDICO Fonte: TRT/MG -21/10/2008 - Adaptado pelo Guia Trabalhista A 1ª Turma do TRT-MG manteve sentença que afastou a demissão por justa causa aplicada à reclamante em função das várias faltas injustificadas atribuídas a ela pela empresa, rejeitando o argumento da recorrente de que, mesmo sendo mulher e mãe, a ex-empregada deveria cumprir com as obrigações assumidas perante o empregador. É que a Turma constatou que a última ausência injustificada imputada à reclamante, e que acabou ensejando a sua dispensa por justa causa, está respaldada por atestado médico comprovando que, naquele dia, ela compareceu ao hospital, levando o seu filho para atendimento. Portanto, não se pode falar, nesse caso, de falta sem justificativa.
Antes da aplicação da penalidade máxima, a reclamante havia sido suspensa por duas vezes, sempre em razão de faltas injustificadas. Mas há no processo cópias de atestados médicos, comprovando a necessidade de afastamento do trabalho nesses dias.
De acordo com a relatora do recurso, juíza convocada Mônica Sette Lopes, deve haver correspondência entre a falta praticada pelo empregado e a penalidade imposta pelo empregador: “Tratando-se de desídia, a última penalidade há de corresponder a uma transgressão efetiva das normas da empresa, o que não ocorre quando a empregada ausenta-se em razão da necessidade imperiosa de levar seu filho ao hospital para atendimento médico” - reforça.
Assim, a conclusão da Turma foi de que a penalidade aplicada pela empresa não guarda proporção com a falta cometida pela empregada. “É o quanto basta para cancelar a justa causa imposta pela empresa, sanção mais grave que exige a inequívoca comprovação da falta praticada pelo empregado. Como a ausência ao trabalho decorreu de uma necessidade concreta e imperiosa, não pode prevalecer a justa causa aplicada” - concluiu a relatora, negando provimento ao recurso da ré. (RO 01284-2007-005-03-00-1 ). Fonte: Boletim Guia Trabalhista, por Sérgio Ferreira Pantaleão

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Nossos Heróis

Alexandre Garcia* Semana passada, o prefeito do Guarujá decretou luto por três dias pela morte de um herói: o surfista Tony Andreo Villela de 32 anos, que havia resgatado quatro pessoas que o mar estava levando e, em troca, ofereceu a vida dele. Cansado, não conseguiu voltar. Os jornais o chamaram justamente de herói.
Foi uma exceção. Amyr Klink atravessou sozinho, remando, o Atlântico Sul, da Namíbia à Bahia, e não caiu sobre ele um só pedacinho de papel picado na Avenida Rio Branco ou na Paulista. se ele fosse americano, teria recepção de herói, com parada na Quinta Avenida. Os americanos cultivam seus heróis; eles levantam o orgulho do país, ajudam a manter o patriotismo. Além disso, os heróis são exemplos...
Aqui no Brasil, sem querer ou por ignorância, fazemos de Fernandinho Beira-Mar um herói para os meninos da periferia. Quando a moçoila repórter se coloca na frente do prédio da Justiça do Rio e anuncia que há um juiz esperando há duas horas por Fernandinho Beira-Mar, que vai chegar de avião especial do presídio de Catanduva, está dizendo aos meninos do morro que esse é um homem importante, que faz um juiz esperar, que tem um avião à sua disposição. E os meninos passam a sonhar em ser, um dia, como o Beira-Mar. Aliás isso é apenas repetição do que já aconteceu com o Pareja, o Boca-Mole e outros tantos da mesma laia.
Quando acontece o contrário, é um deus-nos-acuda. Semana passada, em Brasília, o policial civil Rodrigo Botelho ia depositar R$ 2 mil numa agência bancária, quando foi atacado por três assaltantes armados. Teve que entregar a bolsa.
Quando eles iam sair, de moto, no outro lado da rua, ele se identificou e deu-lhes voz de prisão. Os bandidos sacaram as armas e o policial atirou. Matou dois e imobilizou o terceiro com tiros que quebraram os dois braços do bandido. Quando lembrei que se fosse nos Estados Unidos o governador chamaria o herói para pregar-lhe uma medalha no peito, meus colegas só faltaram me linchar. Aqui, ao contrário dos Estados Unidos, parece que torcemos pelo lado errado, pelo mesmo motivo pelo qual não cultivamos heróis.
Há menos de um mês, um condenado por assalto, foragido do presídio, assaltou uma farmácia no Distrito Federal e manteve a balconista com um revólver na cabeça por cinco horas. Finalmente, quando ele disse a ela 'agora eu vou te matar', ouviu-se um tiro e o bandido caiu no chão, morto. Na ocasião, eu disse que o episódio tivera um 'final feliz'. Afinal, a mocinha fora salva, o bandido morto e a lei triunfara. Mas a patrulha do politicamente correto rosnou furiosa, porque havia morrido um ser humano. Uma professora me abordou para perguntar por que eu chamava o rapaz de criminoso. Expliquei que havia dois motivos: ele já fora condenado por crime e era foragido; e estava em plena prática do crime.
Aí ela argumentou que sendo católica, não poderia admitir que matassem uma pessoa. Perguntei a ela para onde imaginava que o bandido fora depois da morte - se para o céu ou para o inferno. E ela não quis mais conversa.
Foi ensinar direitos humanos dos bandidos a seus alunos. E as vítimas que se danem, embora sendo maioria. *Alexandre Garcia é Jornalista e Escritor

São Judas Tadeu

Rejane Mussi* São Judas Tadeu, apóstolo escolhido por Cristo, eu vos saúdo e louvo pela fidelidade e amor com que cumpristes vossa missão. Chamado e enviado por Jesus, sois uma das doze colunas que sustentam a verdadeira Igreja fundada por Cristo. Inúmeras pessoas, imitando vosso exemplo e auxiliadas por vossa oração, encontram o caminho para o Pai, abrem o coração aos irmão se descobrem forças para vencer o pecado e superar todo o mal. Quero imitar- vos, comprometendo- me com Cristo e com sua Igreja, por uma decidida conversão a Deus e ao próximo, especialmente o mais pobre. E, assim convertido, assumirei a missão de viver e anunciar o Evangelho, como membro ativo de minha comunidade. Espero, então, alcançar de Deus a graça que imploro confiando na vossa poderosa intercessão. (Faça o pedido da graça a ser alcançada…) São Judas Tadeu, rogai por nós! Amém!
*Rejane Mussi é Poeta

Eleições em Juiz de Fora

Três nomes se revesam há quase 30 anos no Executivo de Juiz de Fora Megaminas
Parece uma regra eleitoral na maior cidade da Zona da Mata. Juiz de Fora, mais uma vez, escolhe como prefeito alguém que já esteve no cargo. Uma vitória de virada, motivada pela trajetória em ascenção de Custódio Mattos. As pesquisas de intenção de votos mostram que o candidato do PSDB depois de chegar ao segundo turno não parou mais de crescer. Para o cientista político, Eduardo Condé, isso foi resultado das estratégias adotadas e do foco nos detalhes, que desta vez fizeram a diferença.
Com o resultado da eleição, Juiz de Fora dá continuidade ao revezamento de três políticos no poder. Uma história que começou em 1982 quando Tarcísio Delgado foi eleito prefeito da cidade pela primeira vez. Em 1982, Tarcísio Delgado elegeu-se para um mandato de seis anos. Em 1988, vitória de Alberto Bejani. Em 1992, seria a vez de Custódio Mattos. Em 1996, Tarcisio volta e em 2000 se reelege. Em 2004, Bejani, prefeito que em meio a denuncias de corrupção renunciou ao mandato. Agora,em 2008, quem assume o poder mais uma vez é Custódio Mattos. Quando ele completar o mandato, em 2012, serão 30 anos com apenas três nomes eleitos para a chefia do executivo municipal.

Amanhecer na roça

Ataíde Lemos*
Como é belo o amanhecer na roça
Os raios do sol dão um colorido especial
Quando tocam sobre as águas
Deixando-as no tom cintilante e prateado.
Os pássaros festejam o novo dia
Fazendo alvorada em grandes algazarras,
O beija-flor percorre flor em flor
Despertando-as com seus beijos.
O riacho de águas límpidas
Caminha mata a fora,
Com seu som quebra o silencio
Que se faz entre a relva molhada.
O perfume da mata em seu amanhecer
Traz consigo o balsamo da natureza.
É assim, o amanhecer no campo
Um momento de paz, tranqüilidade.
É o contato com o encanto
Que se faz em cada pequeno detalhe.
É a harmonia da vida
Que proporciona uma especial alegria.
Ataíde Lemos* é Poeta e Escritor.

Estádio Radialista Mário Helênio

Um palco para os maiores talentos do Brasil Tribuna de Minas
Todo grande palco sempre atrai estrelas para promover bom espetáculos. Em 20 anos de história, o Estádio Municipal Radialista Mário Helênio já recebeu craques suficientes para escalar não uma, mas várias seleções de diferentes épocas. Na série de matérias que homenageia as duas décadas da inauguração do estádio, a Tribuna traz hoje a seleção dos maiores jogadores que passaram pelo gramado do Municipal.
Muitos podem discordar e criar escalações diferentes, mas é inegável a grandeza de cada um destes 11 atletas escolhidos - e do treinador -, todos com passagem marcante pela Seleção Brasileira. A maioria deles coleciona títulos mundiais, e todos encantaram ou encantam até hoje torcedores de todo o mundo.
Se um bom time começa por um bom goleiro, esta equipe estaria garantida com Taffarel, que atuou no Municipal pelo Atlético-MG. O sistema defensivo conta com dois zagueiros de diferentes gerações - Márcio Santos, ex-Botafogo, e Juan, revelado pelo Flamengo - e o entrosamento de dois laterais (Cafu, ex-São Paulo, e Leonardo, também cria da Gávea) que inclusive jogaram juntos no São Paulo e na Seleção.
A mistura de épocas também acontece no meio-de-campo, composto por Zé Roberto, que atuou aqui pela Portuguesa, Juninho Pernambucano (então no Vasco), Júnior e Zico (Flamengo), e alimenta um ataque que dispensa apresentações: Bebeto, que veio a Juiz de Fora com o Flamengo, e Romário, que defendeu Fla, Flu e Vasco e quase jogou pelo Tupi. No comando, o único tetracampeão mundial.
Estrelas de mesma grandezaAlém do titular do gol desta seleção, dificilmente encontraríamos alguém que não quisesse ter sob suas traves nomes como Zetti, Júlio César ou Marcos, todos parte da história do Mário Helênio. Completando a defesa, o leque de zagueiros vai da extrema categoria à eficiência absoluta, com nomes como Mauro Galvão, Alexandre Torres, Ronaldão, Júnior Baiano e Antônio Carlos. Pelas laterais, características como velocidade, habilidade e força física não faltaram aos candidatos Felipe, Arce, Nelsinho e Josimar, que também encantaram os torcedores juizforanos.
O que dizer então das opções para o meio-de-campo e o ataque? Mineiro, Alex, Palhinha, Raí, Petkovic e Pedrinho certamente teriam vaga em qualquer equipe do país em suas épocas. Assim como Careca, Renato Gaúcho, Edmundo, Müller, Edilson, Valdeir, Túlio e Roberto Dinamite na linha de frente. Como se vê, quantidade e qualidade de craques não faltaram nestes 20 anos de Municipal.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Futebol Mineiro - Notícias

Taça Minas Villa Nova x Tupi Domingo - 02/11 Castor Cifuentes - 10h30 Uberlândia x América Domingo - 02/11 Parque do Sabiá - 10h30 América x Uberlândia Sábado - 08/11 Independência - 17h Tupi x Villa Nova Sábado - 08/11 Mário Helênio - 17h
Módulo 3 Guarani X Santarritense Quarta - 29/10 Gino Rossi - 16h A: Antônio Alves Costa Júnior A1: Ricardo Júnior de Souza A2: Frederico Soares Vilarinho 4°A: Mauro Pereira da Costa (Liga Três Corações) Fabril X Sul Minas Quarta - 29/10 Dr. Getúlio Lima - 20h30 A1: Joel Tolentino Damata Júnior A1: Carlos Henrique Andrade A2: Marcelo Francisco Dos Reis.

Futebol Mineiro - Resultados

Domingo Tricordiano 1 X 1 Guaxupé Elias Arbex - 10h30 A: Josué Otaciano dos Santos A1: Adenílson Alves Teixeira A2: Vilsa Barbosa Soares Pimenta 4ºA: Cássio Dias Gomes (Liga local) Gols: Paulo Roberto, aos 29'1T (Tricordiano); Rodrigo, aos 40'1T (Guaxupé). Público: 690 Renda: R$ 4.145,00 Varginha 7 X 2 Sul Mineiro Campo do Flamengo - 10h30 A: Antônio Alves Costa Júnior A1: Marley Leite da Silva A2: Frederico Soares Vilarinho 4ºA: Mauro Pereira da Costa (Liga Três Corações) Gols: Mateus, aos 12'1T, Roney, aos 19'1T, Alexandre, aos 7', 16', 20' e 44'2T e Milton, aos 43'2T (Varginha); Rodrigo, aos 20'2T e Antônio Carlos, aos 40'2T (Guaxupé). Público: 737 Renda: R$ 1.862,00 Venda Nova 3 X 1 Pirapora Frimisa - 10h30 A: Marcelo Rufino dos Santos A1: Marco Antônio da Silva A2: Ricardo Júnio de Souza 4ºA: Marcos Vinícius Sá dos Santos Gols: Wilian, aos 13'1T, Pedro Celso, aos 39'1T e Wesley, aos 3'2T (Venda Nova); Robson Soró, aos 44'2T (Pirapora). Público: 57 Renda: R$ 265,00 Sul Minas 1 X 0 Guarani Gino Rossi - 10h A: Átila Carneiro Magalhães A1: Mauro Antônio Ferreira dos Santos A2: Marconi Helbert Vieira 4ºA: Luiz Paulo de Carvalho (Liga Três Corações) Público: 140 Renda: R$ 670,00 Nacional 2 X 3 Fabril Uberabão - 10h30 A: Elmivan Alves Andrade A1: Flamarion Sócrates da Silva A2: Pedro Alcântara Campos 4ºA: Carlos José do Carmo (Liga local) Gols: João Donizete, aos 42'1T e Eduardo, aos 4'2T (Nacional); Flávio Torres, aos 22'2T, Dione, aos 28'2T e Vinícius, aos 39'2T (Fabril). Público: 245 Renda: R$ 1.990,00 Sábado Funorte 1 X 1 América (T.Otoni) José Maria Melo - 16h A: Antônio Márcio Teixeira A1: Marcelo Francisco dos Reis A2: Carlos Henrique Andrade 4ºA: Agnaldo Gonçalves de Queiroz (Liga local) Público: 959 Renda: 3.997,50.

Eleições 2008

Com a eleição de Márcio Lacerda (PSB) e Roberto Carvalho (PT) em Belo Horizonte e de Luiz Tadeu Leite (PMDB) em Montes Claros, mais dois petistas assumem cadeiras na Assembléia Legislativa: Maria Tereza Lara (PT), irmã de Maria do Carmo Lara (PT), eleita prefeita de Betim é a terceira suplente e Adelmo Carneiro Leão (PT), que atualmente está na superintendência regional do Incra, é o quarto suplente. O primeiro suplente, Carlos Gomes (PT) assumirá com a vacância aberta pela eleição de Elisa Costa (PT) para a prefeitura de Governador Valadares. A eleição de Públio Chaves (PMDB, segundo suplente, para a prefeitura de Ituiutaba, puxou a fila.
Na Câmara dos Deputados, a eleição de Custódio Mattos (PSDB) para a prefeitura de Juiz de Fora abriu espaço para que o primeiro suplente, Jayro Athaíde (DEM) assuma o mandato. Já a eleição de Maria do Carmo Lara (PT) para a prefeitura de Betim deu assento para o primeiro suplente, Marcos Lima (PMDB).

domingo, 26 de outubro de 2008

Custódio Prefeito

Custódio Mattos (PSDB) foi eleito prefeito de Juiz de Fora (MG).
Com 100% das seções apuradas, ele obteve 51,82% (148.137) dos votos válidos, contra 48,18% (137.719 votos) de Margarida Salomão (PT). Custódio Mattos venceu com uma diferença de 10.418 votos.
Virada A eleição de Juiz de Fora foi definida com uma "virada" no segundo turno. No primeiro turno, a petista Margarida Salomão havia terminado com 40,82% dos votos válidos (114.980), enquanto o tucano teve 28,23% (79.520). Tarcísio Delgado, (PMDB), prefeito por três mandatos, foi o terceiro mais votado, com 58.453 (20,75%).
Quando foi eleito prefeito pela 01ª vez em 92, Custódio perdeu para Tarcísio no 01º turno. No 02º turno, com apoio do Presidente Itamar Franco, Custódio venceu a disputa. Em 2008 o apoio de Itamar se repetiu e Custódio venceu.
Custódio Mattos foi deputado estadual entre 1991 e 1992. Em 1998, elegeu-se deputado federal, sendo reeleito nas duas eleições seguintes, em 2002 e 2006. Em 2007, licenciou-se do cargo de deputado para ser secretário de Desenvolvimento Social do Estado de Minas Gerais. Esta foi a quarta vez que Custódio Mattos disputou a prefeitura, ganhou duas 1992 e 2008. Perdeu duas, 1988 e 2004.
Juiz de Fora-MG População: 513.348 (2007) Eleitores: 368.012 (2008) Orçamento: R$ 834,2 milhões (2008).

Eleições 2008

Juiz de Fora-MG Custódio Mattos - PSDB - 148.137 - 51.82% Margarida Salomão - PT - 137.719 - 48.18%. Brancos - 6.067 votos - 1,97 % Nulos - 15.404 votos - 5,01 % Campos dos Goytacazes-RJ Rosinha Garotinho - PMDB - 135.919 - 54.47% Arnaldo Vianna - PDT - 113.596 - 45.53%.

Estádio Radialista Mário Helênio

Os grandes confrontos do Estádio Tribuna de Minas No próximo dia 30, Juiz de Fora comemora os 20 anos da inauguração do seu mais importante equipamento esportivo: o Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Durante estas duas décadas, a arena já foi cenário de grandes emoções, recebeu grandes craques do futebol e foi palco para jogos importantes de campeonatos como o Mineiro, o Brasileirão e a Copa do Brasil. De hoje até a próxima quinta-feira, dia do aniversário, a Tribuna publica uma série de reportagens sobre a história e os grandes momentos do estádio. Nesta primeira página dedicada a homenagear a data, elegemos dez partidas que, por um motivo ou outro, se tornaram memoráveis. Em um esporte que é fundamentalmente movido pela paixão, cada torcedor guarda na lembrança, pelos motivos mais particulares, seus jogos preferidos. Na matéria a seguir, buscamos elencar as disputas mais marcantes, seja por sua importância histórica, placar elástico, presença de público ou fatos curiosos. Com certeza, todas elas marcaram, de alguma forma, a memória da maioria dos torcedores juizforanos. Nesta seleção, foram destacados os times que mais jogaram no estádio: Tupi e Flamengo - este último invicto no Mário Helênio -, a abertura do Campeonato Brasileiro realizada na cidade, partidas do Botafogo, que tem em Juiz de Fora um reduto de torcedores fiéis, além de Vasco e Fluminense. Nas fichas desta página, o leitor poderá encontrar nomes de alguns dos maiores jogadores que já pisaram no gramado do Mário Helênio. Além disso, resumidamente, registramos os momentos de alegria, tristeza e curiosidades sobre cada confronto. Confira os 10 maiores jogos do Municipal: Tupi 0 x 2 Sport, 30/10/1988 O clássico local foi escolhido para ser o primeiro confronto da nova arena, na época conhecida como Estádio Regional de Juiz de Fora. O Sport entrou em campo com o time que havia disputado, no primeiro semestre, a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro. Já o Tupi era representado por sua equipe reserva, pois os titulares estavam em Cabo Frio para enfrentar a Cabofriense pela Série C do Campeonato Brasileiro. O resultado esperado seria uma vitória carijó, único clube local na elite do futebol de Minas Gerais. Mas, coube ao atacante periquito Ronaldo estrear as redes do estádio e escrever seu nome na história. Assim como o Sport, primeiro time a vencer na arena. Tupi: Ronald; Magno, Oscar, Borges e Marcelo; Wanderley (Waldir), Arlecy (Teófilo) e Ronaldinho; Serginho (Miguel), Amauri e Cláudius (Wanderley). Técnico: Moacir Toledo Sport: Nelson; Edvaldo, Marquinho, André e Zé Maria; Deca, Guto e Mamão; Zebu, Ailton e Ronaldo Técnico: Geraldo Magela Tavares Gols: Ronaldo e Mamão (Sport) Público: portões abertos (estimativa: 60 mil presentes). Flamengo 2 x 1 Argentino Jrs, 30/10/1988 Após a partida entre os times locais, veio a grande atração da tarde de inauguração do estádio, com o amistoso entre Flamengo e Argentino Juniors. A maior expectativa do público que lotou as arquibancadas era ver o craque Zico, recém-contratado pelo Rubro-Negro após uma temporada na Itália. Mas, ainda não seria daquela vez que o Galinho pisaria no gramado juizforano, pois ainda não estava em condições de jogar. Mesmo assim, os torcedores puderam ver de perto a atuação de grandes jogadores, como Daryo Pereira e Zinho. Mas foi o jovem Bebeto, ainda em início de carreira, quem roubou a cena de uma partida sem grandes emoções e marcou os dois gols do Urubu. Flamengo: Zé Carlos; Xande, Aldair, Daryo Pereira (Zé Carlos II) e Leonardo; Delacir, Luvanor e Renato; Sérgio Araújo, Bebeto e Zinho. Técnico: Telê Santana Argentino Jr: Goyen, Gomez, Cáceres, Rodriguez e Mac Allister, Castillo, Redondo e Carrió; Ramiro Castillo, Dertycia e Ereros. Técnico: Osvaldo Veiga Gols: Bebeto (2 - Flamengo); Dertycia (Argentino Jrs) Público: portões abertos (estimativa: 60 mil presentes). Flamengo 5 x 0 Fluminense; 02/12/1989 O maior momento do Estádio Municipal, ainda hoje, foi a despedida oficial de Zico do futebol brasileiro. O Galinho escolheu o clássico contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, como sua última partida vestindo a camisa rubro-negra. Em seu último jogo, o craque não decepcionou: além de marcar o primeiro gol do jogo em uma cobrança perfeita de falta, sua marca registrada, ainda brindou companheiros e torcida com belos lançamentos e uma atuação de gala. No fim da goleada, o dono da festa foi substituído para sair ovacionado por um estádio cheio, apesar de as bilheterias terem registrado apenas cerca de 13 mil pagantes. Flamengo: Zé Carlos; Josimar, Luiz Carlos, Rogério e Leonardo (Marcelinho); Júnior, Ailton, Zinho e Zico (Uidemar); Bujica e Renato Gaúcho. Técnico: Valdir Espinoza Fluminense: Ricardo Pinto; Carlos André, Edson, Alexandre Torres e Marcelo Barreto; Donizetti, Vitor, Vander Luís e Marcelo Henrique; Sílvio e Rinaldo. Técnico: Telê Santana Gols: Zico, Renato Gaúcho, Zinho, Uidemar e Bujica (Flamengo) Público pagante: 13.783 torcedores. Cruzeiro 1 x 2 Botafogo, 04/07/1992 A partida entre mineiros e cariocas no Mário Helênio causou polêmica antes mesmo de a bola rolar. Com o Mineirão interditado, a diretoria do Botafogo sugeriu aos dirigentes do Cruzeiro que o confronto fosse realizado em Juiz de Fora, conhecido reduto alvinegro. A manobra foi contestada por outros clubes que disputavam uma vaga na final do Brasileirão, como o Bragantino, mas o chororô não teve resultado. Especialmente para garantir o final da partida, foi instalada no estádio uma iluminação provisória, que teve que ser acionada a partir dos 20 minutos do segundo tempo. Com o apoio da torcida, o Botafogo acabou levando a melhor sobre o já eliminado Cruzeiro. Botafogo: Ricardo Cruz; Marcão, Renê, Márcio Santos e Odemilson; Carlos Alberto Santos, Pingo, Dias e Valdeir; Renato e Pichetti (Vivinho). Técnico: Gil Cruzeiro: Paulo César Borges; Paulo Roberto, Paulão, Célio Lúcio e Zelão; Ademir, Boiadeiro, Luiz Fernando e Riva; Macalé e Ramon (Vanderci). Técnico: Jair Pereira Gols: Valdeir (2 - Botafogo); Luiz Fernando (Cruzeiro) Público pagante: 13.987 torcedores. Vasco 4 x 2 Criciúma, 17/11/1996 Já sem chances de conquistar uma vaga na final do Campeonato Brasileiro, o Vasco veio a Juiz de Fora enfrentar o Criciúma em uma das raras atuações do cruzmaltino na cidade. Além de buscar melhorar sua classificação no ranking da CBF e agradar sua torcida, o time carioca buscava a vitória para tentar ajudar o Fluminense a se livrar do rebaixamento. Na goleada, a equipe de São Januário contou com várias estrelas em ascensão, como o então lateral-esquerdo Felipe, e os meias Pedrinho e Juninho Pernambucano, que atuou deslocado na ala direita. Os jovens talentos eram comandados por um não menos brilhante Edmundo que, mantendo a tradição de bad boy, foi expulso. Vasco: Caetano; Cássio, João Luiz e Alê; Felipe, Cristiano (Macedo), Fabrício, Pedrinho (Ranielli) e Juninho Pernambucano; Edmundo e Toninho (Tinho). Técnico: Antônio Lopes Criciúma: Roni; Gilson (Jorge Luiz), Wilson, Nielsen e Paulo Henrique (Everaldo); Marcão, Ivair, Mabília e Marco Aurélio; Luiz Carlos Oliveira e Leandro. Técnico: Sérgio Costa Gols: Macedo, Pedrinho (2) e Juninho (Vasco); Mabília e Everaldo (Criciúma) Público pagante: 1.720 torcedores. Tupi 8 x 1 Avaí, 12/10/1997 A maior goleada em um jogo oficial do Mário Helênio, por capricho do destino, foi aplicada justamente por um time local. Em um dos jogos mais lembrados pela torcida carijó, no ano em que o time construiu sua melhor campanha na Série C do Brasileiro, o Tupi não tomou conhecimento do então campeão catarinense. Comandado pelo meia-atacante Pael, o time de Jair Bala não teve piedade do adversário e balançou a rede por oito vezes. O resultado deu ao Carijó uma vantagem folgada para a partida de volta em Santa Catarina e praticamente classificou o Tupi para a seqüência da Terceirona. Tupi: Zé Luís; Edson, Laerte, Léo Devanir e Rubens (Wandão); Welinton (Clayton), Dário, Sérgio Bigode e Adalto; Mauricinho (Wesley) e Pael. Técnico: Jair Bala Avaí: Dagoberto; Cedenir, Evandro (Júlio), Jorge e Itá; Dirlei, Diego, Zé Carlos (Arthur) e Dão; Índio e Paulo Roberto (Frantik). Técnico: Abel Ribeiro Gols: Mauricinho (2), Sérgio Bigode, Laerte, Pael (2), Rubens e Wandão (Tupi); Júlio (Avaí) Público pagante: 1.690 torcedores. Tupi 0 x 1 Sampaio Corrêa, 26/11/1997 Se o Tupi viveu seu momento mais memorável no Mário Helênio, a derrota para o Sampaio Corrêa na fase final da Série C do Brasileiro de 1997 é, sem dúvida, o revés mais sentido pela torcida até hoje. O jogo era para ser de festa, pois era a estréia da iluminação noturna definitiva do estádio, e o time vinha embalado na competição, precisando de apenas mais 2 pontos para subir para a Segundona. A torcida compareceu em bom número. Os cerca de 9 mil pagantes fizeram uma bela festa antes mesmo de a partida começar, mas ao som do apito inicial, uma chuva torrencial que desabou e o gol de falta de Adãozinho esfriaram o ânimo carijó. Tupi: Zé Luís; Edson, Sérgio Bigode, Léo Devanir e Rubens; Dário, Welinton, Clayton (Giva) e Adalto; Mauricinho (Wesley) e Pael (Wandão). Técnico: Jair Bala Sampaio Corrêa: Geraldo; Erley, Gelásio, Toninho e Lélis; Luiz Almeida, Renato Carioca (Edirzinho), Fabinho (Ricardo) e Adãozinho; Jó e Marcelo Baron. Técnico: Pinho Gol: Adãozinho (Sampaio Corrêa) Público pagante: 9.016 torcedores. Flamengo 0 x 0 Ponte Preta, 02/08/2001 Campeão carioca e da Copa dos Campeões, com o time recheado de grandes jogadores, o Flamengo elegeu o Mário Helênio como sua casa na abertura do Campeonato Brasileiro de 2001, em jogo transmitido para todo o país. Os mais de 26 mil torcedores foram ao estádio atraídos por nomes como Júlio César, Juan, Edilson e o craque sérvio Petkovic. Mas, apesar da grande expectativa gerada pelo favoritismo, o Rubro-Negro não estava em seus melhores dias e não conseguiu passar pelo sistema defensivo bem armado da Macaca. No final, o empate sem gols frustrou a todos, e o time deixou o Estádio Municipal vaiado. Flamengo: Júlio César; Alessandro, Juan, Gilmar e Cássio; Jorginho, Rocha, Beto e Petkovic; Edilson e Reinaldo. Técnico: Zagallo Ponte Preta: Alexandre; Dionísio, Rodrigo, Ronaldão e Elivelton; Fabinho, Mineiro, Marquinhos (Roberto) e Piá; Macedo (Beto) e Washington. Técnico: Marco Aurélio Moreira Público pagante: 26.332 torcedores. Botafogo 1 x 1 Vitória, 23/10/2004 Querendo contar com o apoio de sua grande torcida em Juiz de Fora e fugindo da pressão do Rio, o Botafogo transferiu a partida contra o Vitória pelo Brasileirão para o Mário Helênio. Os dois times lutavam para não cair para a Segunda Divisão. Com o meia Valdo inspirado, o Fogão conseguiu sair na frente, em um contra-ataque puxado e definido pelo meia Almir, ainda no primeiro tempo. Dono das ações no jogo, o Botafogo caiu de produção após a saída de seu veterano camisa 10. O Vitória empatou já nos acréscimos, quando a torcida botafoguense já cantava o hino do clube, com gol de Leandro Domingues. Botafogo: Jefferson; Ruy, João Carlos, Gustavo e Jorginho Paulista; Fernando, Túlio, Almir e Valdo (Élvis); Ricardinho e Caio (Cassiano). Técnico: Paulo Bonamigo Vitória: Juninho; Fabinho, Marcelo Heleno, Alex Silva e Alex Santos; Vinícius, Advaldo (Magnum), Leandro Domingues e Allan Dellon (Gilmar); Edilson e Obina. Técnico: Evaristo de Macedo. Gols: Almir (Botafogo); Leandro Domingues (Vitória) Público pagante: 8.755 torcedores. Tupi 3 x 1 Juventus-MG, 28/05/2006 O último jogo do Módulo II do Mineiro de 2006 foi um épico. Além de vencer o Juventus por dois gols de diferença, o Tupi precisava torcer por um empate entre Uberaba e Valério e uma vitória do Rio Branco sobre o Mamoré para voltar à elite. O Carijó saiu na frente, com Felipe Suriani, mas o autor do gol foi expulso ainda no primeiro tempo, logo após o empate adversário. No intervalo, muitos torcedores deixaram o estádio. Mas, aos 11 do segundo tempo, Leandro Guerreiro fez 2 a 1, e Allan, aos 27, marcou o terceiro. Após o apito final, o jogo entre Uberaba e Valério ainda estava em andamento. Durante 8 minutos, o sistema de som do Mário Helênio transmitiu o final da partida no Triângulo e, só depois de seu fim, a festa pela volta à Primeira Divisão pôde acontecer. Tupi: Eládio; Adriano (Zé Carlos), João Júnior, Felipe e Rubens; Pires, Rafael Feijão (Alírio Júnior), Gilson e Ronaldo; Allan (Júnior Negão) e Leco. Técnico: José Luís Juventus: Cristiano; Rafael Alecrim (Fabinho), Jeferson, Mateus e Anderson; Andrezinho, Rafael Souza, Deninson e Guiba; Betim (Alessandro) e Felipe. Técnico: Milagres Gols: Felipe Suriani, Leandro Guerreiro e Allan (Tupi); Felipe (Juventus) Público pagante: 1.507 torcedores.

Eleições 2008

Bom Jesus do Itabapoana-RJ e Santo Antonio de Pádua-RJ terão nova eleição
O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), desembargador Alberto Motta Moraes, informou neste sábado que Bom Jesus do Itabapoana e Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, terão novas eleições, mas isso não ocorrerá neste domingo.
Nesses dois municípios, a maior parte dos votos foi anulada devido a irregularidades nas principais candidaturas. Nos dois lugares, a soma dos votos nulos com os anuláveis - dados a candidatos com problemas no registro - ultrapassou 50%.
- Em Bom Jesus do Itabapoana, já está definido que haverá eleição suplementar.
- Em Santo Antônio de Pádua, dependemos de definição do TSE, mas tudo indica que vai haver nova eleição. Em Bom Jesus, os votos nulos e os anuláveis foram de 80%. Se os votos anuláveis somarem mais de 50%, tenho de fazer nova eleição.
Motta Moraes chegou neste sábado a Campos, no Norte Fluminense, para verificar os últimos preparativos para a eleição deste domingo na cidade. Campos, que teve um primeiro turno tumultuado e tem um histórico de votações tensas, é alvo da atenção do TRE, segundo o desembargador:
- Campos é a cidade mais importante, entre as que vão ter segundo turno, depois da capital. O pleito aqui é muito disputado. Nossos juízes do interior eram muito esquecidos. Vim para prestigiá-los. Tem-se aqui disputando uma ex-governadora, um deputado federal. Prefeito venceu eleição com apenas 1.492 votos.
Em Bom Jesus, foram considerados nulos os votos dos candidatos Paulo Sérgio Cyrillo e Branca. João José Pimentel (PTB), com votos de apenas 1.492 dos mais de 23 mil eleitores do município, ganhou o primeiro turno.
Já em Santo Antônio de Pádua, os candidatos José Renato Padilha e Zequinha do Sebrae não tiveram os votos computados. Com isso, Maria Dib Mansur ganhou a eleição com pouco mais de 10 mil dos 26,5 mil votos apurados.

sábado, 25 de outubro de 2008

Futebol - Resultados

Sábado
Série A 31ª rodada
Fluminense 3 x 0 Palmeiras Ipatinga 0 x 3 Botafogo
Santos 3 x 0 Figueirense
Náutico 1 x 1 Portuguesa
Atlético-MG 2 x 2 Inter-RS
Atlético-PR 1 x 0 Cruzeiro
Série B 32ª rodada Corinthians* 2 x 0 Ceará Grêmio Barueri 1 x 2 Paraná Clube São Caetano 3 x 1 Bahia
*Corinthians garantiu vaga na Série A de 2009.
Série C
Guarani-SP 0 x 3 Atlético-GO
Campinense-PB 2 x 2 Águia-PA
Confiança 2 x 2 Rio Branco-AC
Brasil-RS 1 x 1 Duque de Caxias-RJ
Taça Minas Tupi* 2 x 2 Uberlãndia* Villa Nova* 1 x 0 Araxá Uberaba 0 x 2 América-MG* *Equipes classificadas] Confrontos da 02ª fase Tupi e Vila Nova América e Uberlãndia
Sexta-feira Série B 32ª rodada
Fortaleza 2 x 2 CRB
Juventude 3 x 2 Gama
Vila Nova-GO 2 x 1 Ponte Preta
Copa Paulista 2ª Fase - 4ª Rodada
XV de Piracicaba 0 x 2 Flamengo
Campeonato Paulista 2ª Divisão 3ª Fase - 3ª Rodada
Barretos 1 x 0 Osasco
Campeonato Maranhense Semifinais2° Turno - Ida
Nacional 1 x 1 Sampaio Corrêa
Bacabal 2 x 2 São José Campeonato Argentino - Apertura 11ª rodada
San Martín 1 x 0 Arsenal Sarandí
Lanús 4 x 3 Godoy Cruz

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Taça Minas 2008

Wagner Augusto*
O centenário Leão do Bonfim mostrou um incrível poder de reação na Taça Minas Gerais e se vencer o Araxá no sábado, 25/10, às 16h, no Estádio Municipal Castor Cifuentes, estará classificado para disputar as Semifinais da competição. Após ocupar a lanterna do torneio da segunda até a oitava rodada, o jovem time do Villa Nova, cuja média de idade é de 21 anos, conseguiu reagir e depende, na prática, somente de suas forças para prosseguir na Taça Minas Gerais. A matemática se tornou uma aliada do Leão na última rodada da Primeira Fase da Taça MG.
Se vencer o Araxá por qualquer placar, o Villa chega aos 12 pontos, 3 vitórias e um saldo de gols melhor do que o Ganso — que ficaria com os mesmos 12 pontos, as mesmas 3 vitórias e um saldo de gols inferior. No confronto direto, portanto, o time nova-limense pode eliminar um concorrente direto.
Vencendo o Araxá, somente um cataclismo tiraria o Villa Nova das Semifinais, pois o Uberaba teria de vencer o América no Uberabão por dois gols a mais do que o placar que o Leão estabelecer no Alçapão. Por exemplo: se o Villa vencer por 1x0, o Zebu teria de ganhar do Coelho por 3x0, 4x1, 5x2 etc. Se o triunfo doLeão do Bonfim for por 2x0, caberá ao Uberaba a tarefa de golear o América por 4x0, 5x1, 6x2 etc. Há, ainda, outra possibilidade bem factível de classificação do Villa Nova, mesmo que o Uberaba consiga essa proeza de espancar o América. Basta o Uberlândia perder o jogo para o Tupi, por qualquer placar, em Juiz de Fora. Nessa hipótese, o Uberlândia terminaria com os mesmos 12 pontos e 3 vitórias do Leão — porém, com um saldo de gols inferior.
Evidentemente, todas as conjecturas positivas passam por uma vitória do Villa sobre o Araxá, um bom time, que jogará pelo empate para se classificar, independente de qualquer outro resultado. No elenco do Ganso há jogadores formados no Villa e que conhecem como poucos o Castor Cifuentes, caso do volante Jackson e do zagueiro Geovane. Além do bom goleiro Arlem, que até outro dia estava no Leão. Será uma partida muito difícil, mas que a garotada villa-novense tem condições de vencer com muita raça e inteligência.
Time para a decisão O técnico Pirulito comandou o coletivo final para o confronto com o Araxá na tarde desta sexta-feira no Alçapão do Bonfim. Um desfalque é certo: o volante Leandro Paraná está suspenso com o terceiro cartão amarelo e será substituído por Rafael Júnior, também volante de ofício. Outra baixa, essa de ordem médica, é a do zagueiro Thiago Rodrigues, que voltou a sentir o tornozelo esquerdo e foi vetado pelo Departamento Médico. Com isso, César volta formar a zaga com Reinaldo, a mesma dupla que foi titular na maior parte dos jogos.
Outra preocupação para a Comissão Técnica alvirrubra é o atacante Adriano, que continua sentindo uma pancada sofrida no joelho esquerdo. Essa lesão o impediu de atuar no clássico com o América. O atleta será reavaliado no sábado e somente então terá sua situação definida. Caso Adriano seja vetado, o jovem Rael, ex-Confiança-SE, será o titular. A provável escalação leonina, então, é esta: Macaé; Édson, Reinaldo, César e Luiz Cláudio;João Paulo, Luís Ricardo, Rafael Júnior e MarlonMárcio Diogo e Adriano.
Os ingressos, que custam R$10,00 e R$5,00, começaram a ser comercializados nesta sexta-feira em Nova Lima nos postos tradicionais. A diretoria do Villa Nova tentou uma redução no preço dos ingressos, mas esbarrou no regulamento da Taça Minas Gerais, que veta esse tipo de iniciativa. O árbitro será Renato Cardoso Conceição, auxiliado por Márcio Eustáquio Santiago e Cínthia Mara da Silva.
Recordar é viver Há 13 anos, o Villa Nova se digladiou com o Araxá numa partida decisiva. O Leão do Bonfim precisava vencer para voltar à Primeira Divisão do Campeonato Mineiro e goleou por 4x0, conquistando o título de Campeão Mineiro do Módulo II. Em 1995 foi assim: 10ª Rodada – 6/8/1995 – domingo – 15h
Villa Nova 4x0 Araxá
Gols - Róbson (pênalti) (38’ do 1º), Arthurzinho (42’ do 1º), Edmundo (pênalti) (45’ do 1º), Luizinho (pênalti) (46’ do 2º)
Público - 15.000
Renda - Partida disputa com portões abertos
Local - Estádio Municipal Castor Cifuentes (Nova Lima-MG)Árbitro - Lincoln Afonso Borjaile Bicalho (MG), Assistente 1 - Marco Antônio Gomes (MG), Assistente 2 - Helberth Costa Andrade (MG)
Cartão Amarelo - Wilson, Cléberson (A)
Cartão Vermelho - Elton John (45’ do 2º) (A)
Villa Nova - Mutuluvik; Romeu (Toninho), Geovane, Luizinho e Vítor; Tonho, Carlinhos, Guiba e Arthurzinho (Marquinhos); Róbson e Edmundo
Técnico – Vanderlei Eustáquio de Oliveira — Palhinha
Araxá - Elton John; Wilson, André, Cléberson e Éder Jacinto (Marcos); Dudu, Leandro (Edvaldo), Eurico e Wallace (Ednei); Giovane Bala e ChiquinhoTécnico - Rubens da Silva — Rubinho
Curiosidade:
O Alçapão do Bonfim estava completamente lotado, pois os portões foram abertos ao público. Seguramente, presença igual de torcedores somente ocorreu na inauguração do estádio na sua versão atual, em 1989. Talvez tenha sido o jogo em que o Leão do Bonfim teve o maior número de pênaltis marcados a seu favor na história: quatro! Destes, três foram convertidos, e um foi desperdiçado pelo atacante Edmundo. Foi também a última partida do craque Luizinho com a camisa do Villa Nova, brilhante primeiro campeão do Campeonato Mineiro do Módulo II, modelo de disputa que começou exatamente em 1995 e se mantém até hoje.
(FONTE: VILLA NOVA: 100 ANOS DE GLÓRIA EM VERMELHO E BRANCO, PÁGINAS 486 E 487)
Parabéns ao Resplendor O Villa Nova Atlético Clube se congratula com o Resplendor Futebol Clube pela brilhante conquista do Campeonato Amador do Módulo II de Nova Lima. A equipe empatou com o Manchester por 0x0 e ficou o título. O Resplendor é presidido por João Bosco Pio, roupeiro do Leão do Bonfim há 30 anos.
Fora da elite do futebol de Nova Lima desde 2000, o Resplendor retorna agora para brigar pelo seu 9º título na Primeira Divisão.
*Wagner Augusto é Jornalista

CBN

Sidney Rezende se despede da Rádio CBN
O último CBN Rio apresentado por Sidney Rezende foi ao ar nesta sexta-feira (24/10). Ele, que participou da fundação da Rádio CBN, anunciou a despedida da emissora em seu site, mostrando-se surpreso e triste. "Uma idéia fixa martela a cabeça: preciso dizer ao ouvinte que me acompanha há 23 anos que quando ele ligar o rádio segunda-feira eu não estarei lá", escreveu.
Colegas da redação da CBN no Rio se dizem também surpresos e chocados com a notícia. "Ele apresentou o programa normalmente. Depois conversou com o pessoal e estava bem abatido", disse um funcionário que não quis se identificar.
Em post intitulado "Fui demitido da CBN", ele começa dizendo que "taí uma informação que, do fundo do coração, eu não gostaria de dar. Mas tenho o dever de cultuar o profundo amor que me liga aos ouvintes. São 23 anos de carreira radiofônica. Quase um ‘bom dia’ diário". No blog, ele conta que a CBN vai passar por uma transformação editorial no horário do CBN Rio com o objetivo de enfrentar a concorrente Band News. Em e-mail enviado à equipe da rádio, o RH da emissora informa a saída de Rezende. "Nossos sinceros agradecimentos pela dedicação e contribuição prestada no tempo em que esteve no SGR".
Carolina Morand, gerente Regional de Jornalismo, ficará, interinamente, na apresentação do programa.
Em São Paulo, Roxane Ré deixa a rádioNa quinta-feira (23/10) foi a vez de Roxane Ré se despedir da CBN. Ela deixa o cargo de âncora do programa CBN Noite Total. Em seu lugar ficará Fabíola Cidral, repórter da CBN SP, que assume a ancoragem a partir de 28/10. O Comunique-se não conseguiu contato com direção de Jornalismo até o fechamento desta nota. Sidney Rezende: "Fui demitido da CBN" Taí uma informação que, do fundo do coração, eu não gostaria de dar. Mas tenho o dever de cultuar o profundo amor que me liga aos ouvintes. São 23 anos de carreira radiofônica. Quase um "bom dia" diário. Uma idéia fixa martela a cabeça: preciso dizer ao ouvinte que me acompanha que quando ele ligar o rádio segunda-feira eu não estarei lá.
Aos meus amigos queridos que me ajudaram a levar informação de qualidade ao público, muito obrigado. Um carinhoso abraço ao operador de áudio Laerte Afonso. Afetuoso, afável e construtivo, mesmo quando tinha críticas fortes a fazer e que me obrigaram a corrigir. Agradeço o empenho das produtoras Carolina Quintella e Maira Menezes.
Como também a todos os outros que construíram elos profissionais éticos e decentes. O meu beijo de gratidão para as produtoras Ludmila Fróes e Adriana França; A minha melhor lembrança para a companheira Ermelinda Rita, sempre alegre. Uma craque do rádio; agradecimento à Marco Antonio Monteiro, pelo trabalho nos primórdios; ao José Augusto, Luis Nascimento, Maurício Martins...Todos, enfim!
Meu Deus, quanta gente! Parece que foi ontem o dia que José Roberto Marinho me deu a oportunidade de participar da criação da CBN. A ele, o meu sincero agradecimento. Agora, peço desculpas. Neste momento eu preciso respirar. Eu sei que você vai entender. -------------------------------------------------------------------------- A razão oficial para a mudança: A CBN vai fazer uma transformação editorial no horário do CBN Rio. O objetivo desta reformulação é ajustar a programação para enfrentar a concorrente Band News.

América Latina

País tem grande concentração de analfabetos, mas é o que mais diploma universitários na América Latina Contraste poderia ser amenizado mediante uma cultura de doações da sociedade às instituções de ensino Custódio Pereira* São preocupantes os dados revelados pelo primeiro Mapa de Estudos Superiores na América Latina e no Caribe (Mesalc), produzido e divulgado recentemente pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). O estudo diagnostica a persistência de profundos contrastes e desigualdades. O Brasil é protagonista de alguns dos paradoxos constatados: registra a porcentagem mais elevada de analfabetos dentre todos os países da região, mas, em contrapartida, é o que mais diploma pessoas na universidade. Na pós-graduação, forma onze mil estudantes com grau de doutorado por ano. Na área abrangida pelo relatório, há cerca de nove mil centros de ensino superior, mas somente 13,8% das universidades têm sistema de avaliação capaz de garantir a qualidade do ensino ministrado. A tabulação dos resultados suscitou a preocupação de Ana Lúcia Gazzola, diretora do Instituto Internacional da Unesco para a Educação Superior na América Latina e no Caribe (Iesalc), responsável pela realização do estudo. Segundo ela, o sistema é muito desequilibrado no continente. O trabalho baseou-se em informações consistentes e numa área abrangente. Reuniu dados e estatísticas de 28 dos 33 países membros da Unesco na região. Dentre os seus diagnósticos, destacam-se os seguintes: a necessidade de aumento da capacidade de acesso à educação superior e da taxa de cobertura (relação entre as matrículas no ensino superior e a população entre 18 e 24 anos); melhoria da qualidade da educação superior; necessidade de ampliação dos sistemas de acreditação e avaliação do ensino universitário; aumento da produção científica e disseminação da produção em diversos países. Uma das conclusões que mais preocupam é que apenas 24% da população com idade para freqüentar o ensino superior está efetivamente matriculada. Na Ásia e Europa, o índice alcança, respectivamente, 68% e 87%. A diferença é muito grande e pode estabelecer desvantagens competitivas graves, considerando o significado do ensino superior para a soberania tecnológica e a capacidade de pesquisa e inovação das nações, em especial na América Latina e no Caribe, onde as universidades contribuem com 85% a 90% da produção do conhecimento. No Brasil, 89% das pesquisas são feitos nos cursos de pós-graduação. O restante fica a cargo do setor privado ou é absorvido pelo governo. Assim, é muito preocupante o dado revelado pelo relatório quanto a uma questão crucial para o desenvolvimento do ensino superior: o financiamento. Pois bem, a porcentagem do Produto Interno Bruto latino-americano aplicada na educação é insuficiente. O Brasil, por exemplo, desembolsa apenas 0,9% do PIB com pesquisa e inovação. Estatísticas da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que congrega os países mais ricos, mostram que, em relação à sua região, o Brasil está bem posicionado. No entanto, quando a comparação é feita com as nações signatárias desse organismo e até com outros emergentes, o desempenho nacional é fraco. Esse quadro torna premente o advento, no Brasil e em toda a América Latina e o Caribe, de uma cultura de doações de recursos às instituições de ensino, tanto por ex-alunos como pela sociedade em geral. Trata-se do engajamento mais amplo e efetivo da nação numa causa verdadeiramente condicionante de sua capacidade de resgatar a dívida social, manter o ritmo de crescimento econômico e ingressar no universo dos países do Primeiro Mundo. O inquestionável laboratório da história já demonstrou o quanto o apoio voluntário em escala às escolas, por parte de pessoas físicas e jurídicas, tem o poder de transformar uma nação. Dessa prática, não há dúvida, decorre o avançado patamar de qualidade e alta produção científica das universidades dos Estados Unidos. Tal modelo remonta ao século XVII. Essa predisposição cívica dos norte-americanos também foi reforçada e estimulada pelo profissionalismo na captação de recursos por parte das escolas. Ao longo dos 400 anos deste o advento desse processo, o país desenvolveu técnicas, publicou centenas de livros e artigos, constituiu a prestigiada, bem paga e reconhecida profissão de captador de recursos (fundraiser), promoveu treinamento e conferiu respeitabilidade a esse trabalho. Em 1963, foi constituída a AFP (Association of Fundrasing Professionals), que congrega esses profissionais e realiza congressos internacionais todos os anos. Outros países, em distintos estágios de avanço, desenvolvem programas do gênero, como o Canadá, Irlanda, Reino Unido e nações da Ásia. No Brasil, há apenas exemplos isolados, mas cujo sucesso evidencia a viabilidade de implantação de uma forte cultura de doação às universidades. É necessário disseminar o entendimento de que prover educação de qualidade em todos os níveis, fator cada vez mais condicionante ao desenvolvimento e ao crescimento sustentado da economia, é uma responsabilidade que a sociedade deve compartilhar com o Estado. A consolidação dessa avançada cultura de sustentabilidade da academia é a alternativa mais viável para, em curto prazo, se transformar efetivamente o ensino superior e ampliar seu acesso à população da América Latina e do Caribe, que carecem de novas políticas para o setor. Esse exercício de cidadania, voluntariado e responsabilidade social por parte de pessoas físicas e jurídicas é imprescindível para o enfrentamento com sucesso do desafio de transformar a educação superior em bem público e direito humano universal. * Custódio Pereira é diretor-geral das Faculdades Integradas Rio Branco.

Série D 2009

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) disponibilizou para a (Federação Mineira de Futebol) três vagas para a Série D do Campeonato Brasileiro de 2009. Que serão distribuídas da seguinte forma:
Uma vaga será preenchida pelo vice-campeão da Taça Minas Gerais de 2008. As outras duas para os clubes com melhor índice técnico do Campeonato Mineiro de 2009 – Módulo I. Caso haja coincidência em o vice-campeão da Taça Minas Gerais também possuir melhor classificação no Campeonato Mineiro, a vaga será preenchida pelo terceiro colocado da Taça Minas Gerais de 2008.

Futebol - Arbitragem

Campeonato Mineiro do Módulo 3
Funortee X América (T. Otoni)
Sábado - 25/10
José Maria Melo - 16h
A: Antônio Márcio Teixeira
A1: Marcelo Francisco dos Reis
A2: Carlos Henrique Andrade
4ºA: Agnaldo Gonçalves de Queiroz (Liga local)
Tricordiano X Guaxupé
Domingo - 26/10
Elias Arbex - 10h30
A: Josué Otaciano dos Santos
A1: Adenílson Alves Teixeira
A2: Vilsa Barbosa Soares Pimenta
4ºA: Cássio Dias Gomes (Liga local)
Varginha X Sul Mineiro
Domingo - 26/10
Campo do Flamengo - 10h30
A: Antônio Alves Costa Júnior
A1: Marley Leite da Silva
A2: Frederico Soares Vilarinho
4ºA: Mauro Pereira da Costa (Liga Três Corações)
Venda Nova X Pirapora
Domingo - 26/10
Frimisa - 10h30
A: Marcelo Rufino dos Santos
A1: Marco Antônio da SilvaA2: Ricardo Júnio de Souza
4ºA: Marcos Vinícius Sá dos Santos
Sul Minas X Guarani
Domingo - 26/10
Gino Rossi - 10h
A: Átila Carneiro Magalhães
A1: Mauro Antônio Ferreira dos Santos
A2: Marconi Helbert Vieira
4ºA: Luiz Paulo de Carvalho (Liga Três Corações)
Nacional X Fabril
Domingo - 26/10
Uberabão - 10h30
A: Elmivan Alves Andrade
A1: Flamarion Sócrates da Silva
A2: Pedro Alcântara Campos
4ºA: Carlos José do Carmo (Liga local)
Taça Minas
Uberaba X América
Sábado - 25/10
Uberabão - 16h
A: Ricardo Marques Ribeiro
A1: Helbert Costa Andrade
A2: Marcus Vinícius Gomes
4ºA: Douglas da Silva Petres (Liga local)
Villa Nova X Araxá
Sábado - 25/10Castor Cifuentes - 16h
A: Renato Cardoso Conceição
A1: Márcio Eustáquio Santiago
A2: Cinthia Mara da Silva
4ºA: Cláudio da Silva Prado
Tupi X Uberlândia
Sábado - 25/10
Mário Helênio - 16h
A: Emérson Almeida Ferreira
A1: Ângela Paula Cruz Régis Ribeiro
A2: Wenderson Mozzer
4ºA: Francisco Ubirajara Neves Oliveira
Série C
Guarani/SP x Atlético/GO
Sábado - 25/10
Brinco de Ouro - 17h
A:Luiz Carlos Silva/MG
A1:Celso Luiz da Silva/MG
A2:Janette Mara Arcanjo/MG
4ºA:Élcio Paschoal Borborema/SP
Série B
Barueri/SP x Paraná/PR
Sábado - 25/10
Arena Barueri - 16h
A:Antônio Hora Filho/SE
A1:Guilherme Dias Camilo/MG
A2:Jair Albano Felix/MG
4ºA:Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral/SP
Série A
Ipatinga(MG) x Botafogo(RJ)
Sábado - 25/10
Ipatingão - 16h
A:Wallace Nascimento Valente/ES
A1:Katiuscia Mayer Berger Mendonça/ES
A2:Fabiano da Silva Ramires/ES
4ºA:Cleisson Veloso Pereira/MG
Atlético(MG) x Internacional(RS)
Sábado - 25/10
Mineirão - 18h20
A:Sálvio Spinola Fagundes Filho/SP
A1:Ednilson Corona/SP
A2:Evandro Luis Silveira/SP
4ºA:André Luis Martins Dias Lopes/MG
Atlético(PR) x Cruzeiro(MG)
Sábado - 25/10
Kyocera Arena - 18h20
A:Wilson Luiz Seneme/SP
A1:Emerson Augusto de Carvalho/SP
A2:Nilson de Souza Monção/SP
4ºA:Marcos Daniel de Camargo/PR
Santos(SP) x Figueirense(SC)
Sábado - 25/10
Vila Belmiro - 18h20
A:Alício Pena Júnior/MG
A1:Roberto Braatz/PR
A2:Rodrigo Otávio Baeta/MG
4ºA:Otávio Corrêa da Silva/SP

Futebol - Resultados

Série A
31ª rodada
Grêmio 1 x 0 Sport Recife
Flamengo 5 x 0 Coritiba
São Paulo 2 x 1 Vitória
Campeonato Maranhense
Semifinais
2° Turno - Jogos de ida
Nacional 1 x 1 Sampaio Corrêa
Bacabal 2 x 2 São José
Campeonato Mineiro do Módulo 3 Guarani 1 x 2 Nacional Quinta - 23/10 Cel. Erasmo Cabral - 16hs Gols: 18-Ricardo,aos 25'do 2ºT(Guarani) 10-João Donizete,aos 09'do 1ºT e 03-Marcelo, aos 15'do 2ºT(Nacional) Público:22 pagantes Renda:R$105,00

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Eleições 2008

TV Panorama mostra novo resultado da pesquisa Ibope em Juiz de Fora Megaminas
Divulgada nesta quinta-feira (23/10) a segunda pesquisa Ibope contratada pela TV Panorama, sobre o segundo turno da eleição para a Prefeitura de Juiz de Fora. Veja abaixo os números. Margarida Salomão, do PT, tem 45%. Custódio Mattos, do PSDB, tem 44%. Brancos e nulos somam 6% e não sabem, 5%. A pesquisa Ibope mostra como fica o resultado da eleição considerando apenas os votos válidos. Ou seja, excluindo os votos brancos e nulos e os eleitores indecisos. Neste caso Margarida Salomão teria 50% e Custódio Mattos, 50%.
Veja a comparação da pesquisa de hoje com a divulgada no dia 15: Na primeira pesquisa, Margarida Salomão aparecia com 46% das intenções e agora tem 45%. Custódio Mattos, que tinha 41%, aparece com 44%, na nova pesquisa. Não sabem passou de 6% para 5%. Quanto aos votos válidos, Margarida Salomão tinha 53% e agora tem 50%. Custódio Mattos tinha 47%, agora tem 50%. Foram entrevistados 602 eleitores, entre terça (21) e quarta-feira (22), em Juiz de Fora. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral.
O Jornal SUPERNOTÍCIA, do grupo "O TEMPO", de propriedade do ex-deputado federal Vittório Mediolli, através do "Data Tempo/CP2" publicou uma pesquisa com os seguintes números:
- Custódio Mattos (PSDB) 46,38%
- Margarida Salomão (PT) 39,97%
- Indecisos 8,22%
- Nulo 4,44%
- Branco 0,99%

Futebol - Resultados

Quarta-feira
Série C
Fase final
Grupo 29
Rio Branco-AC 1 x 2 Atlético-GO
Confiança-SE 2 x 1 Guarani
Duque de Caxias 1 x 0 Águia de Marabá
Brasil de Pelotas 4 x 0 Campinense-PB
Série A
31ª rodada
Goiás 2 x 4 Vasco
Copa Sul-Americana
Quartas-de-final
Jogos de ida
River Plate 1 x 2 Chivas
Palmeiras 0 x 1 Argentinos Juniors
Terça-feira
Copa Sul-Americana
Quartas-de-final
Jogo de ida
Estudiantes 2 x 0 Botafogo

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

INTER TV

A Rede INTER TV, afiliada à Globo, que já conta com 5 emissoras em 3 estados do Brasil (Rio, Minas e Rio Grande do Norte), passou a partir desta segunda-feira, 29, a ter mais uma emissora integrando o seu grupo: a INTER TV dos Vales, de Coronel Fabriciano-MG. O lançamento aconteceu oficialmente durante a transmissão ao vivo do MG INTER TV 2ª Edição.
Logo após o telejornal foi lançada uma campanha de boas-vindas para a nova emissora e um VT especial para toda a Rede.Paralelamente foi lançada ainda uma série de VTs de Sintonia, divulgando não só os canais de sintonia, mas também exaltandoas belezas e particularidades das principais cidades da área de cobertura.
A nova emissora está presente em todo o Leste de Minas, cobrindo 123 municípios. Sua área de cobertura engloba asáreas dos Vales do Rio Doce e do Aço, região com 1.900.000 habitantes. No Vale do Aço, os municípios de Ipatinga e Timóteosão pólos importantes da economia nacional no setor siderúrgico e têm grande participação no mercado internacional.

Assassino invisível

Marli Nogueira* Tenho ouvido as mais disparatadas opiniões a respeito do seqüestro em Santo André, inclusive de pessoas que, em razão de sua autoridade, tinham a obrigação de não ser tão superficiais. Há quem diga, por exemplo, que ele resultou de uma "arraigada cultura machista". Mentira! Ele resultou, isso sim, de uma paixão, doença da alma que, na ausência de antídotos fortes que só podem ser produzidos mediante uma excelente formação moral que dê estrutura ao indivíduo, acaba extravasando de seus bordos e causando tragédias como essa. Paixão, como essas autoridades deveriam saber, deriva do termo grego pathos, que significa exatamente "doença". Dele vêm os demais termos ligados ao mesmo tema, como "patologia" e "patológico". E, como doença da alma, pode acometer homens ou mulheres. Aliás, não são tão raros assim os casos de mulheres que matam seus maridos por ciúmes, exatamente como fez o rapaz de Santo André. Pretender utilizar esse caso para estimular mais desavenças, colocando mulheres contra homens, é, no mínimo, uma irresponsabilidade. Outra opinião completamente distorcida é a de que o crime decorre da "permissão exagerada" do uso de armas. Mais uma mentira da grossa! Ou será que alguém imagina que o seqüestrador-assassino comprou a sua arma em um estabelecimento comercial autorizado, mediante a apresentação do porte de armas e, ainda por cima, a registrou regularmente? Ele mesmo afirmou que "comprar uma arma é facílimo". E é mesmo. Basta contatar um bandido qualquer, pagar-lhe o preço solicitado e pronto. Esse papo de desarmamento (que fatalmente voltaria à baila após o "sucesso" da Lei Seca) é conversa mole para boi dormir. O Brasil somente poderá aceitar uma política de desarmamento no dia em que o governo conseguir impedir por completo a entrada de armas contrabandeadas no país. E não só isso. Deverá, primeiro, retirar as armas de todos os bandidos. Onde já se viu deixar a população desarmada em meio a milhares (ou milhões, talvez) de bandidos que as utilizam para matar cada um de nós? Desproteger os justos enquanto não se toma medida alguma contra os injustos é o cúmulo da injustiça. Não sejamos hipócritas! Na verdade, o grande responsável pela morte da adolescente Eloá foi o "politicamente correto", esse assassino invisível de valores, que tantas conseqüências desastrosas já acarretou. Se a sociedade entendesse que o correto é punir o agressor e defender a vida da vítima, ela certamente não estaria morta agora. Seu seqüestrador sim, poderia estar em seu lugar. É exatamente para preservar a vida da vítima em mãos de bandidos como ele que a polícia possui atiradores de escol. Mas ai da polícia se resolvesse se valer de algum desses atiradores para, à custa da vida de seu seqüestrador, salvar a menina-refém! Toda a turma dos Direitos Humanos e dos defensores do Estatuto da Criança e do Adolescente estaria, agora, vociferando contra a instituição. Essa gente parece não compreender que a partir do momento em que alguém decide, deliberadamente, infringir todas as regras da boa convivência, deve arcar com os custos dessa decisão. Punir os maus e defender as suas vítimas não é favor algum, mas uma obrigação. Até os antigos gregos já sabiam disso. Ensina Platão que quando Hermes indagou a Zeus se deveria distribuir a arte da justiça e do respeito a todos os homens, indistintamente, este respondeu: "A todos. Que todos os compartilhem, porque as Cidades não poderiam surgir se apenas poucos homens os detivessem, assim como acontece com as outras artes. Aliás, em meu nome, estabeleça como lei que aquele que não sabe compartilhar o respeito e a justiça seja morto como um mal da Cidade". Mas como há séculos a humanidade vem se afastando cada vez mais dos valores que plasmaram a nossa civilização, a própria vida se encarrega da cobrar-lhe por esse desatino, e de maneira impiedosa. Casos como esse só podem mesmo resultar em tragédias, com imensa dor não apenas para a família das vítimas, como para todos os homens e mulheres de bem que ainda se pautam pelos poucos valores que ainda nos restam. Mas esses casos não constituem mais novidade alguma. Cada vez se tornam mais freqüentes e também mais violentos. E assim continuará sendo até que a sociedade, cansada de iniqüidades e dos discursos retóricos que lhes dão ensejo, resolva pôr um basta a esse estado de coisas, retomando os valores que permitiram sua agregação. E um deles é, justamente, o de fortalecer (em todos os sentidos) aqueles que, como a polícia, existem para protegê-la. *A autora é Juíza do Trabalho em Brasília.

Arthur Sendas

O velório de Arthur Sendas será às 14h30 desta segunda-feira (20) na Associação Comercial e Industrial do Rio de Janeiro. O enterro está marcado para as 11h de terça-feira (21) no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul da cidade. O empresário Arthur Sendas, 73, que morreu nesta segunda-feira (20/10), é filho de imigrantes portugueses que chegaram ao Brasil na década de 20.Sendas começou a trabalhar aos 17 anos em um pequeno armazém no início da década de 50, onde trabalhavam seus pais, o comendador Manoel Antônio Sendas e Maria Soares Sendas.
Na época, o jovem Sendas assumiu o controle do pequeno negócio depois que um acidente de automóvel impediu seu pai de trabalhar. Desde então, a rede cresceu e tornou-se uma das mais populares do Rio de Janeiro
Enterro Segundo o relações públicas da Sendas, o empresário estava acompanhado da filha e da esposa no momento do crime. Arthur tinha ainda dois filhos, diretores do Grupo Sendas. O velório de Arthur Sendas mudou para a Igreja São Judas Tadeu, no Cosme Velho, às 15h desta segunda-feira (20). Haverá uma missa de corpo presente às 8h na terça-feira no mesmo local. O enterro está marcado para as 11h de terça-feira (21) no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul da cidade. O crime ocorreu dentro do apartamento da vítima, na avenida Delfim Moreira, na orla do Leblon, na zona sul. Segundo a polícia, o assassinato foi cometido por um homem que trabalhava como segurança e motorista da família. O tiro teria sido disparado durante uma discussão entre o funcionário e Arthur Sendas. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) ficaram mais de duas horas no local do crime. Eles disseram que o incidente ocorreu próximo à área de serviço do apartamento. O ex-técnico do Vasco da Gama, Antônio Lopes, amigo do empresário, esteve no prédio em busca de informações.
Arthur Sendas morreu às 2h35 no hospital Samaritano para onde foi levado às pressas. Ele deu entrada no local à 1h10 e não chegou a ser submetido a cirurgia. O empresário era dono de mais de 80 supermercados no Estado do Rio de Janeiro. Portal Terra

Futebol Nacional

Copa Paulista - 3ª rodada Rio Branco 0 x 0 Santo André (B) Juventus 0 x 2 Mirassol Oeste 0 x 1 Linense Sorocaba 2 x 0 Comercial
Campeonato Paulista - 02ª Divisão - Terceira fase - 2ª rodada
Red Bull Brasil 1 x 0 Américo Esporte
Campinas 4 x 1 Pão de AçuçarGE
Osasco 2 x 0 BarretosBatatais 1 x 0 Guaçuano
Copa Paulista - 02ª fase - 3ª rodada
Penapolense 3 x 3 Bragantino (B)
Noroeste 1 x 1 Ferroviária
Catanduvense 2 x 0 São Bento
Flamengo 2 x 3 XV de Piracicaba
Série C Grupo 29
Guarani 3 x 1 Rio Branco-AC
Atlético-GO 6 x 0 Confiança-SE
Águia de Marabá 2 x 1 Brasil de Pelotas
Campinense-PB 3 x 1 Duque de Caxias
Série B - 31ª rodada
Ponte Preta 2 x 2 Fortaleza
CRB 0 x 2 Juventude
ABC 2 x 1 São Caetano
Bahia 0 x 3 Corinthians Gama 0 x 3 Avaí
Marília 2 x 1 América-RN
Criciúma 1 x 0 Bragantino
Série A - 30ª rodada Vitória 2 x 2 Fluminense
Portuguesa 2 x 0 Grêmio
Coritiba 1 x 1 Goiás
Sport 2 x 2 Náutico
Vasco 0 x 1 Flamengo
Atlético-MG 0 x 2 Cruzeiro
Palmeiras 2 x 2 São Paulo
Botafogo 0 x 1 Santos Internacional 2 x 1 Atlético-PR Figueirense 1 x 1 Ipatinga-MG

Empresário Arthur Sendas é baleado e morre no Rio

Morreu na madrugada desta segunda-feira o empresário Arthur Sendas, 72, fundador da rede varejista de supermercado Sendas. Ele foi baleado na cabeça dentro de seu apartamento, no Leblon, zona sul do Rio.
Ele chegou a ser encaminhado ao Hospital Samaritano, em Botafogo, mas não resistiu e morreu na emergência do hospital, por volta das 2h30. De acordo com a assessoria do hospital, ele foi levado ao pronto socorro já em estado crítico para passar por uma cirurgia.
O corpo seguirá para o IML, que determinará a causa da morte do empresário. A família está bastante abalada e não deu nenhuma declaração à imprensa.
O caso foi levado para o 14º DP (Leblon). O delegado José Alberto Pires Lage esteve no apartamento de Sendas, mas não comentou o assunto. Ele disse que a polícia investigará a morte.
Fonte: Uol

Futebol Mineiro

Taça Minas
Araxá 2 x 4 Tupi
Uberlãndia 2 x 0 Uberaba
América-MG 1 X 1 Villa Nova
Campeonato Mineiro do Módulo 3
América 2x2 Venda Nova Nassari Mattar - 10hs A:Marcus Vinícius Sá dos Santos A1:Adenílson Alves Teixeira A2:Carlos Henrique Andrade 4ºA:José Mauro da Paixão Primo(Liga Local) Gols: Wesley, aos 4'1T e Wilian, aos 11'2T (América); Wilison, aos 21' e Breno, aos 25'1T (Venda Nova). Público: 1.189 Renda: R$ 10.050,00
Fabril 3x0 Guarani Dr. Getúlio Lima - 10h30 A:Josué Otaciano dos Santos A1:Júnior Antônio da Silva A2:Vilsa Barbosa Soares Pimenta 4ºA:Liga Local Gols: Flávio Torres (3). Público: 116 Renda: R$ 537,50
Nacional 0x2 Santarritense Uberabão - 10h30 A:Edmar Lopes Pires A1:Raphael Luiz da Silva A2:Nelcin Delfino da Silva 4ºA:Anderson dos Reis Oliveira (Liga Local) Gols: Bruno, aos 15' e Giliarde, aos 20'2T (Santarritense). Público: 243 Renda: R$ 2.120,00
Guaxupé 1x0 Varginha Mun. Carlos Monteiro - 16hs A:Carlos Inácio Vítor A1:Marconi Helbert Vieira A2:Marcelo Francisco dos Reis 4ºA:Carlos Reimar dos Santos(Liga Local)
Sul Mineiro 0X3 Tricordiano Dr. Getúlio Lima - 15h30 A:Joel Tolentino Damata Júnior A1:Marcus Vinícius Gomes A2:Cinthia Mara da Silva 4ºA:Liga Local Gols: Fagner, aos 30’1T e Anderson, aos 15’ e 30’2T (Tricordiano). Público: 70 Renda: R$ 252,50
Pirapora 0X0 Funorte Oswaldo Nascimento - 16hs A:Átila Carneiro Magalhães A1:Mauro Antônio Ferreira dos Santos A2:Frederido Soares Vilarinho 4ºA:Raimundo Nonato Ferreira Filho(Liga Local) Público: 372 Renda: R$ 1.860,00

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Amor de uma Nação Invisível

Marcelo Toni* Amigos Vascaínos,
Estamos passando por uma das piores tormentas atravessadas pelo nosso amado Clube de Regatas Vasco da Gama. Porém, escrevo esta primeira coluna, mais em tom de nostalgia do que de cobrança ou medo da zona de rebaixamento. Moro em Juiz de Fora, interior de Minas Gerais, cidade bem próxima ao Rio de Janeiro. Nasci em Leopoldina, que também faz parte da Zona da Mata mineira. Meu pai nasceu e morou num sítio próximo a essa cidade. Filho de italiano, em sua infância e adolescência não possuía televisão, apenas um velho rádio, onde todos na casa tinham conhecimento do mundo através dele. E foi através do rádio que ele e meu tio passaram a acompanhar nosso Vasco.
Vocês devem estar se perguntando, e daí? E daí, que quero mostrar a grandeza do Vasco da Gama, pois sou cruz de malta graças a este homem que nunca havia visto o Vasco jogar – seja pela televisão ou ao vivo – mas que se tornou apaixonado escutando os jogos no velho rádio em uma roça, aqui no interior de Minas Gerais. Morar no Rio de Janeiro e poder estar todos os finais de semana em São Januário e no Maracanã deve ser maravilhoso. Mas tenho certeza que meu pai não trocaria sua "fé cega" por esse momento. Imaginem? Ele sabia que Vasco era o time da faixa diagonal e da cruz de malta no peito sem nunca ter visto, ou melhor, fico me perguntando será que ele sabia o que era a cruz de malta? Hoje, pergunto tudo isso ao velho e ele diz que não se recorda muito, acho que é de tanto ver os jogos pela televisão. Porém, ainda há torcedores neste Brasil que são ligados ao nosso clube por apenas um fio – o da paixão! Não são sócios do clube, não são partidários do Eurico ou do Dinamite. Não entendem que possíveis jogadores estejam fazendo corpo mole. Querem apenas escutar ou ver o Vasco brilhar!!!
Orgulho-me de torcer pelo Vasco, pois aprendi a torcer na infância sem ter noção do que era futebol assim como meu pai e meu tio que torciam sem nunca terem visto um jogo. E na minha loucura de torcedor quero acreditar - até o último minuto do segundo tempo do último jogo desse campeonato – que o Vasco não cairá para a Segunda Divisão, mas a razão jornalística que vive em mim não me dá muitas esperanças. Só me resta acreditar que o pesadelo vai acabar rápido e que dias melhores virão e as vitórias em clássicos e os títulos votarão. Quando esse dia chegar, posso estar em São Januário, posso estar vendo na televisão (na qual a maioria sempre viu) ou escutar no velho rádio, como meu pai e meu tio faziam na roça, mas o mais importante será poder bater no peito com orgulho e dizer que torcemos pelo Gigante da Colina Histórica: Nosso Vascão da Gama!
*Marcelo Toni é Jornalista Obs: Publicada no site www.supervasco.com

Futebol Mineiro

Clássicos marcam adesão de clubes mineiros à campanha“Acessibilidade – Siga esta idéia”
Rômulo Ávila*
Na semana que antecede os maiores clássicos do futebol mineiro, Atlético, Cruzeiro, América e Villa Nova vão fazer uma tabela e marcar um gol de placa. Rivais dentro das quatro linhas, Galo, Raposa, Coelho e Leão se uniram em prol de uma causa nobre: a Campanha Nacional de Acessibilidade: “Acessibilidade – Siga esta idéia”. Os quatro clubes assinam, com os governos Estadual e Federal, termo de adesão à iniciativa nesta sexta-feira (17), às 14h, na sala de entrevista coletiva do Mineirão.
Atlético e Cruzeiro darão visibilidade à Campanha no próximo domingo (19), quando os jogadores entrarão em campo acompanhados por crianças com deficiência, exibindo material de divulgação. O mesmo irá ocorrer na partida entre América e Villa Nova, às 10h30, no Independência. A Campanha Nacional de Acessibilidade é uma iniciativa do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), órgão da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, juntamente com o Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).
Além da Sedese e dos clubes, vão assinar o termo: a Associação de Garantia dos Atletas Profissionais (Agap), Associação Mineira dos Cronistas Esportivos (AMCE), a Federação Mineira de Futebol (FMF), o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conped), a Secretario Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República e o Conade, Conselho Municipal da Pessoa Portadora de Deficiência de Belo Horizonte. A iniciativa tem o apoio da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e da Secretaria Estadual de Esportes e da Juventude (Seej).
O objetivo da campanha é sensibilizar, conscientizar e mobilizar a sociedade para a eliminação das barreiras de atitude, de informação, arquitetônicas, dentre outras, que impedem as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida de participarem efetivamente da vida em sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.
O secretário adjunto de Estado de Desenvolvimento Social, Juliano Fisicaro, afirma que é fundamental o engajamento de todos na luta pela inclusão dos cidadãos. ”A Campanha da Acessibilidade é um forma simples e envolvente de mobilizar e sensibilizar a sociedade no sentido de eliminar as barreiras físicas e sociais que impedem a mobilidade e o acesso ao desfrute dos bens de nossa cultura”, afirma.
A adesão dos clubes de futebol objetiva a colaboração no desenvolvimento de programas de acesso das pessoas com deficiência física, sensorial (visual e auditiva), intelectual e múltipla aos seus ambientes, com plena utilização dos espaços físicos de uso coletivo e, também, dar visibilidade aos propósitos da Campanha da Acessibilidade, para auxiliar na formação de opinião do público em geral voltada para a dignidade da pessoa com deficiência.
Já aderiram à Campanha da Acessibilidade, por exemplo: Botafogo, Santos, Fluminense, Grêmio e ex-atletas como Zico, Jairzinho, Clodoaldo, Pepe, Zito. As medalhistas olímpicas do futebol feminino, a escola de samba Beija Flor de Nilópolis, o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público Federal, diversos governos estaduais, conselhos de direitos, associações e personalidades também aderiram à campanha.
*Rômulo Ávila é Jornalista da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social