terça-feira, 30 de setembro de 2008

Milton Queiroz da Paixão (Tita)

A caixa preta do Vasco Tita diz que falta ética a Renato, fala que o elenco é pobre de qualidade, acusa Eurico de escalar os árbitros na Ferj e condena Vasco por liberar Morais Marluci Martins Rio - O telefone toca e, do outro lado da linha, Tita faz um desabafo ao ‘Ataque’. A razão da matinal indignação é a polêmica levantada por seu sucessor, Renato Gaúcho, a respeito dos gordinhos do Vasco. Esse é o pontapé inicial de uma entrevista de 46 minutos com quem freqüentou São Januário durante 40 dias, sofrendo com os erros da atual diretoria e a herança maldita deixada pela anterior. O ex-técnico do Vasco abre parte da caixa-preta de um clube em crise, em que, segundo ele, moram jogadores contundidos que jogam pelada por aí, dirigentes inexperientes e um treinador sem ética. Tudo isso sob o olhar e as vaias de um dos filhos de Eurico Miranda. RENATO GAÚCHO “O caminho que o Renato escolheu é falar das pessoas que o antecederam. No período em que a Seleção enfrentou o Chile e a Bolívia, o Vasco foi o clube que mais trabalhou. Na estréia do Renato, ele enalteceu a luta. Ora, um time que luta não pode estar gordo. Se eu jogar bola e, em seguida, jantar no Porcão, vou acordar com 1,5 quilo acima do peso. O que se deve levar em conta é o percentual de gordura. E, no Vasco, todos estão dentro do padrão. Essas coisas que o Renato fala não irritam somente os que saíram. Aborrece também as pessoas de outros clubes. O Renato se comporta como uma pessoa que não tem ética. Ele tem essa forma de trabalhar. Chega no clube dizendo que estava tudo errado e, se tirar o Vasco do rebaixamento, vai dizer: ‘Fui eu que fiz isso’. É como uma mulher ir pela primeira vez numa manicure e ouvir a pergunta: ‘Onde você fez essa unha? Está mal-feita. Agora, sim, ficou boa’. A estratégia é criticar o trabalho anterior para depois dizer que o dele foi bom”. TIME FRACO “Foi por isso que saí. Está difícil... O elenco é muito pobre de qualidade. O Jorge Luiz falhou em três gols decisivos e continua sendo titular. Como é que um jogador que bota a mão na bola como ele fez (contra o Ipatinga) pode ser titular? Isso acontece por falta de jogadores. No jogo contra o Náutico, ele comprometeu meu trabalho. Foi expulso e 82 por cento das equipes que jogam com um homem a menos perdem a partida”. PEDIDO DE DEMISSÃO “A melhor qualidade do treinador é ter o feeling. É ele sentir qual é a situação do momento. Se a gente conseguisse passar pelo Palmeiras, no Parque Antártica, no segundo jogo pela Copa Sul-Americana, o jogador se encheria de confiança. A gente tinha três chances: vencendo, empatando ou perdendo de 1 a 0. Do jeito que foi a derrota, qualquer treinador ficaria de mãos atadas. Apenas deixei a situação livre para o Roberto fazer o que quisesse. Fico triste porque era uma oportunidade de ouro para mim. Mas aquele pacote que está ali não é meu. Aquele pacote é do Eurico. Eu não podia me queimar”. EURICO MIRANDA “O ex-presidente Eurico Miranda comandava a Federação do Rio. Onde já se viu um clube ter 15 pênaltis a seu favor numa competição (Campeonato Estadual)? Bastava o Wagner Diniz cair na área e o árbitro marcava pênalti. Quem formou esse time que está aí foi o Eurico, porque se garantia na Federação. Ele escolhia os árbitros”. EDMUNDO “O Renato chegou com o preparador físico Alexandre Mendes e já expôs o cara, ao dizer que está acima do peso. Não tive uma vírgula para falar do Edmundo. Eu até lhe dizia que o Vasco não poderia ser rebaixado porque ele, com uma carreira brilhante, não poderia ser o comandante que levaria o time para a Segunda Divisão”. TROCA DE DIRETORIA Isso atrapalhou. No jogo contra o Cruzeiro, por exemplo, o placar estava 0 a 0 e um cara começou a me xingar. Pedi que o preparador físico fosse olhar quem era o cara. Sabe quem era? Era o filho do Eurico, com um segurança”. ERROS DA DIRETORIA “A decisão da saída do Morais foi um tremendo erro. Fiquei uma semana pedindo que ele ficasse. O melhor jogador do time, um jogador que passou pela seleção brasileira, vai jogar no Corinthians, na Segunda Divisão, mas o Vasco, que libera ele, não tem nenhum jogador do mesmo nível no elenco!!! Acontece que isso fugiu da minha alçada. Não podiam ter deixado ele sair. Fui contra também a saída do Jean. Vieram me dizer que ele estava com problemas familiares e que a mulher queria tacar fogo no carro dele. Isso era problema dele!!! Ele estava sob contrato!!!!!” PREOCUPAÇÃO “Estou muito preocupado com a situação do Roberto Dinamite. Convivi com ele durante 40 dias, nessa minha passagem pelo Vasco. Está cercado de gente bem sucedida em suas vidas. O Olavo Monteiro, o Jorge Salgado, O Osório (José Carlos)... Mas, no futebol, o Roberto está sozinho. Tanto que assumiu agora o comando do futebol. Não sei se as alianças que o Roberto fez vão ajudá-lo. Da última vez em que estive com ele, falei: ‘Você é um ícone no Vasco e tem uma história. Mas vão queimar sua história. O Olavo, o Osório e o Salgado vão continuar com seus negócios. E você vai sair queimado’”. NECA “Nem precisa lembrar o nome dele... Acharam que ele, como vice de futebol, ia botar dinheiro no clube. Só que ele não colocou um tostão e só fez besteira”. DEMISSÕES “Quando a nova diretoria assumiu, não era necessário demitir tanta gente. Não deviam ter tirado o supervisor Paulo Angioni. Com ele, eu teria proteção. O treinador teria um escudo. Ele orienta o treinador, troca informações e poderia dar informações no processo de sucessão”. CUCA “A primeiro declaração do Renato Gaúcho quando chegou no Vasco foi a seguinte: ‘Me boicotaram quando fui técnico do Fluminense’. Ele já saiu de lá, mas está preocupado... Não tenho essa experiência toda, mas até para sair de um clube é preciso ter uma estratégia. O Cuca, depois de um bom trabalho no Botafogo, está jogando tudo por água abaixo. Botou o Santos na zona de rebaixamento, mas achou que ia tirar o Fluminense. Só que o Fluminense continua na zona de rebaixamento”. ERRO DE RENATO “Faltam 12 rodadas. Mas como é que num jogo em que o time precisa ganhar o treinador bota jogadores que não jogam há mais de três meses? Tinha que ir botando aos poucos. Será que o Renato achou que o Baiano, o Fernando e o Valmir iam jogar um partidão? O Valmir está no Vasco há três meses, participou de duas partidas, mas não mais do que 30 minutos. Se ele pudesse ajudar, eu teria colocado-o no time. O Vasco perdeu de três do Ipatinga. Era para ter tomado de seis”. CHINELINHO “O Wagner Diniz levou um pontapé no jogo contra o Cruzeiro. E já está há um mês no departamento médico. Agora, sai por aí nos noticiários que ele está negociando com o São Paulo. Cadê o profissionalismo? E o Leandro Bomfim? Está há seis meses no departamento médico. Um amigo meu foi jogar uma pelada do Romário e ficou impressionado. ‘Quem é esse cara que joga tanto?’ Era o Leandro Bomfim. Ele não pode jogar pelo Vasco, mas pode participar das peladas do Caça & Pesca, às quartas-feiras. Cadê o supervisor? Cadê o departamento médico?” PIOR TIME “Bem, o Vasco é o time que mais perdeu no Campeonato Brasileiro. O time é jovem e não agüenta pressão”. Fonte: www.odia.com.br CONSIDERAÇÕES:
Tita teve a sua oportunidade de dirigir um clube de expressão. Não logrou êxito. A contratação dele foi um gesto de cortesia do Roberto Dinamite. Pelo que se percebe de sua personalidade, vai continuar por aí, dirigindo, Macaé, Boavista, Tupi, etc. Ele não deixa vínculo. Exemplo maior, é cria do Flamengo e o torcedor rubro-negro não o identifica como produto da Gávea. Nunes, que nem revelado pelo Flamengo foi, rodou por vários clubes, tem identidade maior com o torcedor do Flamengo. Tita não conseguiu. Teve o episódio em que ele queria queria a camisa 10 do Zico. Aquilo foi crucial. Passou aqui pelo Tupi, como técnico, e não deixou saudades. O time dele, aqui, "morria" no segundo tempo. Ele não é adepto do treinamento coletivo, que tem horário para iniciar, mais não tem para terminar. Gosta do jogo-treino. Usa a equipe principal uns 50 minutos. Depois troca todo mundo. No jogo prá valer, o time não aguenta, tá acostumado com 50 minutos. Teve aqui ainda, a questão do "sumiço da santa". Uma imagem que ficava no Estádio do Tupi e que desapareceu. Há quem afirme que ele teve participação. Não se provou nada nesse sentido. Quando foi demitido aqui no Tupi, saiu atirando também. Aqui o alvo dele foi o então diretor de futebol do clube, o Alemão, ex-jogador do Botafogo e que jogou com ele na seleção. Não quero dizer com isso, que ele não tenha razão em seus argumentos. O momento delicado que o Vasco vive é que me parece impróprio.

O Jornalista e o diploma

Foram recolhidas 425 assinaturas pró diploma de jornalismo
Midiamax
Acadêmicos, professores e profissionais protestaram no dia 27 de setembro (último sábado), contra Recurso Extraordinário cujo julgamento está no mérito do Supremo Tribunal Federal (STF), e estipula que qualquer pessoa, até mesmo sem ensino fundamental, poderá se tornar jornalista, em nome de uma suposta liberdade de expressão.
Segundo informações do Sindicato dos Jornalistas, o abaixo-assinado em defesa do diploma de jornalismo como condição essencial para exercer a profissão acolheu 425 assinaturas de transeuntes no Bar do Zé na rua Barão do Rio Branco .
Durante a manifestação, as pessoas demonstraram interesse em debater a questão, exprimindo, em várias ocasiões, sua perplexidade com relação à possibilidade do jornalista profissional deixar de ser o legítimo representante social para o equilíbrio das verdades na sociedade.
O sindicato dos jornalistas.
Em outra ação em defesa do diploma de jornalismo, o presidente do SindJor-MS, Clayton Sales e o secretário-geral, Alexandre Maciel, circularam várias redações de jornalismo dos meios de comunicação das áreas de televisão, impresso e on-line, além de assessorias de imprensa, para coletar assinaturas dos colegas jornalistas. Ao todo, 100 profissionais registraram o seu apoio à causa, assinando o abaixo-assinado.

Literatura

Uma biografia em inglês do presidente Luiz Inácio Lula da Silva será lançada hoje em Londres. O professor Richard Bourne, da London University, retrata a vida do presidente em "Lula of Brazil - The Story So Far", publicada pela Zed Books.
O livro levanta a história de Lula desde sua infância no Nordeste brasileiro, passando pela atuação sindical no ABC paulista, a fundação do Partido dos Trabalhadores, as tentativas de eleição presidencial em 1989 e 1998, as campanhas vitoriosas em 2002 e 2006 e também pelos escândalos de corrupção que abateram as figuras mais importantes do seu governo.
Com 272 páginas, a biografia é apresentada como "a história de um homem contra a história contemporânea de um poder emergente". O britânico Richard Bourne visitou o Brasil pela primeira vez em 1965, como jornalista do jornal "The Guardian". Ele também é autor de outros livros sobre a América Latina, como "Assault on the Amazon", "Getúlio Vargas of Brazil: Sphinx of the Pampas" e "Political Leaders of Latin América".

Rádio digital

Aos 86 anos, rádio troca mundo analógico por era digital
Vermelho on line - Mídia
O rádio comemorou aniversário na quinta-feira (25/09), data do aniversário de Roquette Pinto, fundador da primeira rádio oficial do Brasil, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. E, aos 86 anos, aqui cabe um parêntesis — conta-se que a primeira transmissão oficial de rádio no Brasil aconteceu em 22, pelo centenário da Independência —, este velhinho companheiro apresenta novidades: a entrada para a era digital.
Por Carla Soares Martin, no Comunique-se
Quando realmente o veículo vai entrar na nova era, não se sabe. Mas o Ministério das Comunicações está estudando diversos relatórios para decidir o padrão de transmissão. Para o professor da Faap, coordenador do curso de pós-graduação em gestão e produção executiva em rádio, Álvaro Bufarah Júnior, a passagem do analógico para o digital vai muito além da escolha do transmissor. Para uma rádio se tornar digital, explica, é preciso mudar o parque técnico, um investimento que chega a US$ 100 mil. Há ainda a compra do equipamento receptor que, no princípio, será caro. "O problema é como a população vai receber isso", disse Bufarah.
As vantagens do sistema digital, contudo, estão na qualidade de transmissão. Para a Abert, Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, é uma questão de sobrevivência para o setor. A associação prepara um relatório técnico a ser entregue em outubro ao Ministério das Comunicações, com a indicação do transmissor que escolheu. Dentre os transmissores, há quatro opções:
- uma americana (Iboc), duas européias (DRM e DAB), e uma japonesa (ISDB).
A Abert indica o padrão americano, por uma pesquisa que realizou em São Paulo e Minas, junto ao Instituto Mackenzie. O Iboc é o único no qual se poderia fazer uma transição gradual do aparato técnico das rádios.
Bufarah acredita que seria melhor dividir o Brasil em dois formatos: o europeu para a Região Norte e Nordeste, já que muitas rádios ainda emitem em ondas curtas e o padrão europeu é o único que se adapta ao sistema; e o americano ou o japonês para o resto do país.
Explica também que o americano necessita de royalties e que o japonês é o que já está em vigor na TV digital, possibilitando interatividade com outras plataformas.
Do digital à manivela
À parte da discussão entre o digital e o analógico, sabe-se que, no Brasil, muitas rádios são movidas à manivela. Isso mesmo, manivela. Na Região Norte e Nordeste, onde não há energia elétrica, ONGs estão provendo a população com rádios em que basta você dar corda para funcionarem durante duas horas. São programas educativos, de saúde para a população. O Movimento Todos pela Educação é um exemplo de ONG que utiliza o veículo rádio em suas campanhas. No ar Todos pela Educação, por exemplo, busca sensibilizar a população para cobrar propostas concretas de educação por parte dos candidatos a Prefeitura, por meio do rádio.
A ONG fornece a cada mês kits gratuitos para as emissoras, com jingles e depoimentos de jornalistas como Heródoto Barbeiro e Gilberto Dimenstein, e personalidades como Eva Wilma e Seu Jorge, falando sobre a importância da educação.
Para a ONG, a escolha do rádio não foi por acaso. "Além de interagir com as mais diversas camadas da população, o rádio está presente em cada cantinho do nosso país e sabe como ninguém a melhor maneira de falar e ser ouvido pelas pessoas", disse a assessoria. Fonte: http://www.aesp.com.br/

Taça Minas

Wagner Augusto*
De olho na primeira vitória na Taça Minas Gerais, o técnico Pirulito comanda um treinamento coletivo às 15h30 desta terça-feira no Estádio Municipal Castor Cifuentes. Na quarta-feira, às 19h30, o Leão do Bonfim recebe o América em Nova Lima, em partida adiada da segunda rodada.
Será a reedição de um clássico que acontece em Minas desde 22 de novembro de 1916, quando o Villa Nova aplicou uma goleada no Coelho em amistoso realizado no Alçapão (os jornais da época não registraram o placar da vitória alvirrubra).
Pirulito tem dúvidas em todos os setores para definir a escalação da equipe nova-limense. O atacante Márcio Diogo cumpriu suspensão e pode retornar. Já o atacante Rômulo continua vetado pelo DM. A provável escalação do Villa Nova, então, é esta: Macaé; Édson, César, Diego (Reinaldo) e Luiz Cláudio (Magal);João Paulo, Luís Ricardo, Leandro Paraná e Márcio Diogo (Marlon);Rael e Adriano (Bruno Cardoso).
Os ingressos, que custam R$10,00 e R$5,00, e começam a ser comercializados nesta terça-feira nos postos tradicionais. O árbitro será Cleisson Veloso Pereira, auxiliado por Guilherme Dias Camilo e Celso Luís da Silva.
*Wagner Augusto é Jornalista

O Jornalista e o diploma

O diploma e os ministros
O GOVERNO Lula anda aflito com a liberdade de imprensa e o direito à informação. O impulso de criminalizar a publicação do segredo mal guardado convive com a preocupação acerca dos requisitos para o exercício da profissão de jornalista. A este respeito, dois ministros entraram em campo. Carlos Lupi, do Trabalho, nomeou grupo de estudo para propor mudanças na regulamentação da profissão. Seis audiências públicas desembocarão, em novembro, numa sugestão. Dada a composição sindicalista, é diminuta a chance de que proponha o fim da obrigatoriedade do diploma de jornalista, instituída em 1969 pelo regime militar.
Fernando Haddad, da Educação, deve criar outra comissão. Seu propósito é debater os requisitos mínimos que as escolas de jornalismo devem oferecer. Seria essa a base para deslanchar uma supervisão sobre as faculdades e exigir-lhes qualidade. Haddad prevê, ainda, que a empreitada serviria para definir a formação complementar necessária para profissionais graduados em outras áreas obterem o diploma de jornalismo. Quem almejasse trabalhar no ramo não teria de cursar todos os usuais quatro anos de bacharelado. Seria um abrandamento, não uma solução. Na tradição mais democrática, o jornalismo é uma profissão aberta, sem barreira de acesso. É diante do público, e não de um comitê cartorial do Estado ou da academia, que o jornalista tem de legitimar-se.
Além do que, há risco de ambas as comissões sucumbirem, no que toca à regulamentação, com a desaparição de seu objeto. O Supremo Tribunal Federal prevê decidir, neste semestre, se o decreto-lei que instituiu a obrigatoriedade do diploma é compatível com a Carta de 1988. O Supremo haverá de pôr fim à exigência inconstitucional, por violação dos artigos 5º (liberdade de expressão) e 220 (liberdade de informação jornalística) da lei fundamental.

Eleições 2008

Jornalismo partidário Antonio Tozzi* Quem venceu o primeiro debate entre os dois candidatos à Presidência dos Estados Unidos? Qual é o candidato mais bem preparado para governar o país? Quem está liderando as pesquisas? Essas perguntas permeiam as mentes dos eleitores e moradores dos Estados Unidos que acompanham uma das eleições mais equilibradas dos últimos tempos. O país está bastante dividido e é impossível apontar quem será o vencedor da próxima eleição presidencial, mas algumas emissoras de televisão já escolheram seus favoritos.
Se o telespectador sintonizar a MSNBC, canal a cabo da rede NBC, tem a plena certeza de que Barack Obama é o substituto de George W. Bush, mas se assistir a Fox News ninguém duvida de que John McCain é o novo morador da Casa Branca.
Chega a ser espantoso o tratamento de uma mesma notícia dado pelas duas emissoras. Enquanto na MSNBC, a chapa Barack Obama/Joe Biden merece todo tipo de elogio, na Fox são os "mavericks" John McCain e Sarah Palin que recebem todos os créditos.
A rivalidade alcançou um nível tão elevado que jornalistas e apresentadores das duas grandes redes trocam farpas no ar, ironizando comentários e reportagens abordados pela concorrente. Algumas vezes um chama o concorrente de "biased", algo que pode ser traduzido livremente como parcial.
Ironicamente, o lema da Fox News é "fair and balanced", mas a rede não é justa e muito menos equilibrada. Os shows são claramente voltados para o público mais conservador, e uma das estrelas é Bill O’Reilly, que não esconde seu pensamento mais ao gosto do eleitor republicano. Neil Cavuto, Laura Ingraham e Sean Hannity também são outros expoentes da chamada "direita", e não poupam críticas aos convidados que ousam discordar deles.
É bem verdade que a Fox News tem em seus quadros Alan Colmes, o qual divide a apresentação de um show com Sean Hannity, partidário de uma ideologia mais liberal, e Greta Van Susteren, que procura adotar uma postura mais neutra e objetiva.
Do lado da MSNBC, há dois comentaristas mais conservadores: o inefável Pat Buchanan e Mike Murphy, ex-estrategista do Partido Republicano. Em compensação, a maioria dos analistas e apresentadores pertencem à corrente "liberal", onde prevalece o pensamento "esquerdista". Rachel Maddow, Chris Matthews, Joe Scarborough, David Gregory e principalmente Keith Olberman.
Quando terminar a eleição presidencial, uma coisa é certa: o próximo presidente contará com uma importante rede de TV para apoiá-lo e outra poderosa para combatê-lo.
No meio da guerra de audiência e ideologia entre Fox News e MSNBC, fica a CNN, que procura manter uma postura de mais neutralidade, mas, convenhamos, uma rede de TV que mantém o programa de Lou Dobbs – cujo principal mote é atacar imigrantes - no horário nobre fica difícil conquistar o respeito do telespectador mais esclarecido.
Pode até ser que Lou Dobbs seja lucrativo para a CNN, mas ele compromete a isenção jornalística. A seu favor, apenas o fato de ser um crítico contumaz dos democratas e dos republicanos igualitariamente. Para ele, os dois partidos são farinha do mesmo saco. Tanto que foi o único a cobrir a convenção do Partido Independente. Quer saber se alguém assistiu? Provavelmente, apenas seus fiéis telespectadores.
* Antonio Tozzi foi repórter do Jornal da Tarde e do Estado de S. Paulo. Vive nos EUA desde 1996, onde foi editor da CBS Telenoticias Brasil e no canal de esportes PSN. Atualmente é editor da revista Latin Trade e do jornal AcheiUSA.

Candidato é acusado de patrocinar baderna

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Coletivo de Juiz de Fora (Sinttro), Paulo Avezani, (foto) deu entrevista coletiva nesta segunda-feira (29/09) para falar sobre a paralisação dos ônibus da última sexta-feira (26/09). Ele acusou o candidato omar peres, da coligação "Renova JF", de patrocinar o movimento e ameaçou entrar com um processo no Ministério Público Eleitoral.
Paulo Avezani anunciou que vai enviar, ao Ministério Público Eleitoral, uma denúncia contra o candidato. A diretoria pede que sua participação no movimento, seja investigada. "O movimento foi uma tentativa de golpe, patrocinado e arquitetado por omar peres", diz o vice-presidente da entidade, Paulo Avezani. O dirigente garante que viu os líderes do movimento no birô do candidato momentos antes da paralisação dos ônibus.
Se a denúncia for comprovada, o Sinttro pretende entrar com uma ação por danos morais e materiais contra o candidato.
Assessoria defende o candidato A assessoria do candidato informou que a acusação é fantasiosa e que ele não tem nada a ver com o fato.

Rio Novo-MG

Quarto nome O calor, típico da política do interior mineiro, dá o clima em Rio Novo. O quarto personagem desta disputa acirrada, Manoel Ernandes Alves Abrantes (PMN), aguarda julgamento de recurso contra o indeferimento de seu pedido de registro de candidatura. O caso está no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ainda não tem previsão de julgamento. Manoel Abrantes teve o registro negado pela Justiça Eleitoral local, e por seis votos a zero no TRE.
Dívida inexistente O caso dele é enquadrado na categoria dos “ficha suja”. O candidato foi condenado a dois anos e quatro meses de reclusão por não comprovar o recolhimento de INSS das suas empresas. A pena foi substituída por multa pecuniária de dez salários mínimos, mais o mesmo período em prestação de serviços à comunidade. Segundo o representante jurídico da coligação "Para Frente Rio Novo", Márcio Andrey, na época do registro de candidatura em 2008, a multa não havia sido paga porque o empresário teria juntado documentos que comprovam a inexistência da dívida. Por isso, foi considerado inelegível.

Piraúba-MG


Piraúba vai eleger uma mulher para a Prefeitura da cidade
A partir do dia 01º de janeiro de 2009 a cidade vai ter uma prefeita.
Duas candidatas disputam o cargo, fato inédito em mais de 50 anos de emancipação do município. A cidade localizada na Zona da Mata Mineira, a 65 km de Juiz de Fora e 245 de Belo Horizonte, foi emancipada de Rio Pomba em 1953. O comércio, sustentado por aposentados, é o que movimenta a economia local. Os jovens, sem esperança de futuro, principalmente com a falta de emprego, estão migrando para os Estados Unidos e Canadá.
Entre os habitantes, há uma pequena diferença no número de homens e de mulheres. De 9.355 moradores, 50,73% são homens. Desde a sua emancipação, a cidade de Piraúba, que não possui distritos, só teve homens à frente da prefeitura. Uma tradição que vai terminar. Apartir de primeiro de janeiro de 2009, uma mulher vai ocupar a principal sala de um prédio mal-comservado, que abriga a sede da prefeitura .
Na cidade, a disputa está restrita a duas candidatas: Gracinha, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), partido do governador Aécio Neves e dra. Cida, do Partidodos Trabalhadores (PT), partido presidente Lula. Esta já é a segunda vez que a cardiologista Cida se candidata à prefeitura. Em 2004, ela ficou em segundo lugar entre quatro candidatos. O eleito foi André Xavier, marido de Gracinha. Ele morreu em 2007 e a viúva, que nunca havia disputado cargo público, resolveu se candidatar. As duas candidatas estão disputando os votos de 8.851 eleitores
Dados do Tribunal Superior Eleitoral(TSE) mostram que em 41 cidades brasileiras, a prefeitura é disputada apenas por mulheres. No estado de Minas, além de Piraúba, Gurinhatã, no triãngulo mineiro e Ribeirão Vermelho, na região de Lavras, também vão ter uma mulher prefeita em 2009.

Eleições 2008

Grupo armado tenta impedir venda de jornal Jornaleiros da Baixada Fluminense (RJ) sofrem ameaça; por medo de represálias, polícia não foi avisada Um grupo de homens armados comprou ontem de madrugada cerca de 30 mil exemplares do diário carioca "Extra" antes da chegada às bancas de jornais e revistas na Baixada Fluminense, no Estado do Rio. A compra aconteceu na cidade de Belford Roxo, em um galpão que funciona como centro de distribuição de jornais para toda a Baixada. O grupo ainda percorreu as bancas de cidades próximas, como São João de Meriti, a fim de verificar se o jornal estava sendo vendido. Os exemplares comprados pelos homens traziam a seguinte manchete:
"Deputados em campanha mentem para garantir salário de R$ 13 mil". De acordo com o relato publicado no site do "Extra", alguns jornaleiros que inicialmente se negaram a vender os exemplares cederam porque foram ameaçados. Por temer represálias, eles não procuraram a polícia. Os jornaleiros disseram que os homens lhes apontaram pistolas e revólveres, obrigando-os a vender. O jornal informou ainda que, por volta das 2h de ontem, três homens estiveram na sede da publicação, na tentativa de comprar toda a edição. Eles chegaram ao endereço em um carro Vectra e um caminhão.O chefe do grupo teria se identificado como coronel do Corpo de Bombeiros e dito que queria comprar os jornais por causa da reportagem que originou a manchete. A empresa se recusou a vendê-los. Em Niterói (cidade a 15 km da capital fluminense) e na zona norte do Rio, em bairros que fazem divisa com São João de Meriti, também houve relatos de homens percorrendo as bancas para comprar todos os exemplares do "Extra". Reportagem A reportagem da qual trata a manchete acusa deputados estaduais que são candidatos a prefeito de forjarem explicações para terem abonadas as faltas em sessões da Alerj (Assembléia Legislativa do Estado do Rio). Assim, eles mantêm o salários integral, de cerca de R$ 13 mil, sem os descontos por falta determinados pela legislação. Na Alerj, 23 deputados são candidatos a prefeito. Em nota, o presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), Alberto Motta Moraes, criticou a ação."O TRE repudia com veemência essa ação, que nos parece claramente um golpe de natureza eleitoral. A compra de grande quantidade de exemplares numa mesma região tem todos os indícios de uma tentativa de impedir que informações chegassem a uma parcela do eleitorado. Igualmente graves são as denúncias de que jornaleiros foram coagidos a vender todo o estoque, o que só fortalece a hipótese de se negar à população informações que lhe ajudasse a decidir o voto de forma consciente", diz a nota. Fonte: CNN

Guarará-MG

Campanha segue em cidades onde MP indiciou candidatos MGTV/ Megaminas.com O Ministério Público denunciou 23 prefeitos de Minas Gerais, por fraudes em licitações de medicamentos. Em Guarará, na região de Juiz de Fora, cidade de quatro mil habitantes, a campanha segue normalmente. Mas nesta segunda, 29/09, o candidato à reeleição, Lair Silvas, do PRB, não apareceu. Segundo uma funcionária da Prefeitura, ele teria viajado. Lair é um dos 23 prefeitos mineiros denunciados pelo Ministério Público por irregularidades na compra de remédios e material hospitalar. Eles são acusados de fraude em licitação, falsidade ideológica e formação de quadrilha. João Reginaldo Souza, do PSDB, prefeito de Cipotânea, também estaria envolvido. O esquema funcionava da seguinte forma: a Prefeitura abria licitação para comprar medicamentos, mas adquiria menos do que o previsto. Remédios com validade vencida também eram negociados. O lucro era dividido entre os integrantes do esquema. As falsificações atingiam certidões negativas da Receita Federal, Previdência e Caixa Econômica. O Ministério Público conseguiu chegar aos responsáveis através de escutas telefônicas. As licitações investigadas somam quase R$ 7 milhões. Desse total, 14%, cerca de R$ 987 mil reais, foram desviados para o pagamento das comissões. Empresários e servidores públicos também são acusados de participar do esquema. Outras 83 cidades serão investigadas.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Radiodifusão

No Brasil, 184 emissoras funcionam com concessão vencida
A falta de estrutura do Ministério das Comunicações e a demora na renovação dos pedidos de outorga fazem com que 184 emissoras de rádio e TV do Brasil funcionem com prazo de concessão vencido. Em alguns casos, esse prazo já expirou há mais de 20 anos.
Algumas dessas emissoras pertencem a políticos como José Sarney e Fernando Collor de Mello, que alegam ter entregado a documentação para renovação das concessões em tempo hábil.
Dos 225 processos, apenas 37 foram regularizados e outros 150 foram engavetados definitivamente pelo ministério por ter passado mais tempo do que o período solicitado para renovação. Mais 34 processos serão engavetados por esse motivo.
Segundo o consultor jurídico da Abepec (Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais), Fernandes Fortes, o problema é a falta de estrutura do ministério que ainda arquiva os processos em papel.
Já o Ministério das Comunicações se defende e diz que a lei assegura às empresas o direito de continuarem funcionando mesmo depois do vencimento das concessões, desde que tenham feito o pedido de renovação no período certo. Essas concessões estão sendo mantidas em "caráter precário" até a aprovação dos projetos.
Fonte: AdNews

Eleições 2008

Justiça Eleitoral autoriza candidatura em Argirita e Fervedouro MGTV/ Megaminas.com
Os candidatos a prefeitos de Argirita e Fervedouro, Carlos Aurélio Caminati de Almeida, e Juarez Gonçalves Gomes, vão poder concorrer às eleições municipais. Eles recorreram contra a decisão da Justiça Eleitoral que decretou a inelegibilidade e cassação dos registros de candidaturas. Os recursos possuem efeito suspensivo e, até que sejam julgados no Tribunal Regional Eleitoral, os candidatos permanecem com seus direitos políticos.

Futebol Mineiro

Módulo 1
Realizado hoje, 29/09, o Conselho Técnico do Campeonato Mineiro de 2009 – Módulo I.
Presidentes e representantes dos 12 clubes participantes decidiram a forma de disputa para o ano que vêm.
O Campeonato que terá início no dia 25 de Janeiro será em turno único, classificando os oito melhores times que jogarão no modelo mata-mata, seguido de quartas de final, semi-final e final, ida e volta.
Nas quartas-de-final, o primeiro colocado enfrentando o oitavo, o segundo pegará o sétimo, o terceiro jogará com o sexto, e o quarto confrontará com o quinto. Os vencedores farão semifinais e, depois, final, em jogos de ida e volta.
O Campeonato se mantêm igual ao ano de 2008 em relação à zona de descenso onde os dois times com pior campanha são rebaixados para o Módulo II.
Taça Minas
Arbitragem
Villa Nova X América
Quarta - 01/10
Castor Cifuentes - 19h30
A: Cleisson Veloso Pereira
A1: Guilherme Dias Camilo
A2: Celso Luis da Silva
04°A: Carlos Inácio Vitor

Viscondo do Rio Branco-MG

Conheça as propostas dos candidatos à Prefeitura de Visconde do Rio Branco MGTV/ Megaminas.com
Três candidatos disputam a Prefeitura de Visconde do Rio Branco. Para a população, quem ganhar deve priorizar a criação de empregos.
O orçamento da cidade é de 28 milhões de reais. De imposto sobre circulação de mercadorias e serviços - o ICMS, o município arrecada mensalmente 500 mil reais. A cidade tem 35.266 habitantes e 27.540 eleitores.
Já a economia é movimentada pela indústria moveleira e de alimentos, que geram um produto interno bruto (PIB) superior a 340 milhões de reais. Uma realidade conhecida pelos três candidatos que disputam a Prefeitura, todos com passagem pela administração municipal. Dois deles se alternam no poder há de 20 anos.
Um é o atual prefeito, João Antônio de Souza, do PSDB. Ele exerce o 3° mandato e tenta o 4° ao lado de Luiz Fábio Antonucci, também do PSDB. Os dois se aliaram ao PP, PMN E PV. Se reeleito, João Antônio garante que implantará um novo distrito industrial em Visconde do Rio Branco e tem projetos também para as áreas de turismo e educação.
Iran Couri, do PT, é quem participa da alternância de poder. Ele já foi prefeito por dois mandatos. Seu companheiro de chapa é Eduardo Henrique Lopes Gomes, do PDT. A coligação ainda reúne o PRB, PR, PPS, DEM E PTC. Iran propõe reativar antigos projetos das áreas de saúde e educação e pretende ainda incentivar a geração de emprego.
Cleber Lima da Silva, do PMDB, já foi eleito prefeito na década de 70, aos 22 anos. Tenta voltar à Prefeitura ao lado de Arlindo Rosa da Cunha, o Arlindo Benzedor, também do PMDB. O partido faz coligação com o PTB. Cleber promete aos eleitores de Rio Branco instalar 15 creches, um restaurante popular e uma vila olímpica.
Entre os candidatos a vereador, 11 têm curso superior, 16 têm ensino médio, 14 têm ensino fundamental e 29 têm escolaridade incompleta. Cinquenta e seis são homens e 21 mulheres.

União Ortográfica

Presidente Lula assina acordo ortográfico no centenário de Machado de Assis
O decreto, que entrará em vigor a partir de Janeiro de 2009, e sua implantação será feita de forma gradual, de modo que as novas normas chegarão aos textos escolares em 2010 e serão obrigatórias a partir de 2012, prevê reformas como o fim do trema, a supressão de consoantes mudas, novas regras para o emprego do hífen, inclusão das letras w, k e y no idioma e novas regras de acentuação.
O objetivo deste acordo é unificar e simplificar o registro escrito nos 8 países que falam português: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.
Assim, segundo o Ministério da Educação (MEC), a medida deve facilitar o processo de intercâmbio cultural e científico entre os países e ampliar a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa. No entanto, não há consenso sobre a reforma entre escritores e gramáticos.
A promulgação do acordo, em uma sessão solene na sede da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro, é o ponto alto das comemorações.
A reforma ortográfica estabelece 21 bases de mudanças na língua portuguesa, como a supressão do trema, a inclusão das letras "k", "w" e "y" no alfabeto, e novas regras de acentuação. O acordo foi aprovado em dezembro de 1990 por representantes de Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomei e Príncipe, enquanto o Timor-Leste aderiu em 2004, dois anos após sua independência da Indonésia.
Para entrar em vigor, o acordo precisava da ratificação de no mínimo três países, o que foi conseguido em 2006 com Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, enquanto o Parlamento de Portugal aprovou em maio deste ano.
O decreto é assinado na data do centenário da morte de Machado de Assis, romancista, contista, poeta e teatrólogo brasileiro, considerado um dos mais importantes nomes da literatura desse país e identificado, pelo crítico Harold Bloom, como o maior escritor afro-descendente de todos os tempos.
Machado de Assis foi o primeiro presidente da ABL.
Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1839 — Rio de Janeiro, 29 de setembro de 1908) foi um romancista, contista, poeta e teatrólogo brasileiro, considerado o pai do realismo no Brasil e um dos mais importantes nomes da sua literatura e considerado como o maior escritor afro-descendente de todos os tempos.
A sua vasta obra inclui também crítica literária. É considerado um dos criadores da crónica no país, além de ser importante tradutor, tendo vertido para português obras como Os Trabalhadores do Mar, de Victor Hugo e o poema O Corvo, de Edgar Allan Poe. Foi também um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e seu primeiro presidente, também chamada Casa Machado de Assis.

domingo, 28 de setembro de 2008

Futebol - Resultados

Campeonato Argentino – Apertura - 8ª rodada River Plate 3 x 3 Racing Club
Campeonato Maranhense
Maranhão 1 x 1 Moto Club
Copa Paulista de Futebol - 1ª Fase - 13ª Rodada
Penapolense 2 x 1 Mirassol
Portuguesa Santista 0 x 2 São Bernardo
Campeonato Paulista da 2ª Divisão - 10ª Rodada
Atlético Araçatuba 2 x 3 Atibaia
Américo Esporte 4 x 0 Paulínia
GE Osasco 1 x 0 Capivariano
Campinas 8 x 0 Ilha Solteira
Lemense 1 x 1 Guarulhos
Barretos 3 x 1 Guarujá
Brasilis 0 x 4 Batatais
Mauaense 1 x 4 Taboão da Serra
Red Bull Brasil 8 x 0 Ranchariense
Ecus 2 x 3 Guaçuano
Fernandópolis 1 x 0 Saltense
Pão de Açucar 3 x 0 Guariba
Série A Ipatinga 3 x 1 Vasco São Paulo 2 x 0 Cruzeiro
Coritiba 1 x 1 Atlético-PR
Náutico 0 x 0 Palmeiras
Botafogo 1 x 1 Fluminense
Internacional 4 x 1 Grêmio
Santos 1 x 1 Portuguesa
Série C Grupo 25
Rio Branco-AC* 2 x 1 Paysandu-PA
Águia-PA* 1 x 1 Luverdense-MT Grupo 26
ASA-AL 0 x 1 Campinense-PB*
Salgueiro-PE 0 x 1 Confiança-SE* Grupo 27 Atlético-GO* 3 x 0 Duque de Caxias-RJ* Guaratinguetá 5 x 0 Mixto Grupo 28 Ituiutaba-MG 3 x 2 Brasil-RS* Marcílio Dias-SC 1 X 1 Guarani-SP* *Obs: Equipes classificadas para a última fase da competição.

GP de Cingapura 2008

Ferrari atrapalha Massa, Alonso vence e Hamilton abre frente UOL "Tudo pode acontecer e a gente tem de manter a concentração". A frase de Felipe Massa logo após o treino oficial do GP de Cingapura era uma precaução, após ele obter a pole position, mas acabou se tornando uma amarga profecia. Com mais um problema em seu pit stop, o brasileiro viu uma prova impecável ser jogada fora, terminou em 13º lugar e viu a vitória do espanhol Fernando Alonso neste domingo.
Se não bastasse isso, Massa ainda viu o inglês Lewis Hamilton ser o terceiro colocado, ampliar sua diferença para sete pontos na liderança do Mundial e, agora, o brasileiro depende de erros do inglês nas próximas provas ou da ajuda de Kimi Raikkönen para ser campeão, pois se Massa vencer os três GPs restantes e Hamilton for segundo, o piloto da McLaren leva o título.
Massa liderava tranqüilamente o GP, mas na 17ª volta viu a chance da vitória e de assumir a liderança do Mundial escapar. Na parada, o piloto teve a permissão da equipe para sair, mas o mecânico responsável pelo abastecimento não conseguiu liberar a mangueira de combustível e deixou o box com o equipamento. Ele teve de parar na saída do pit, aguardar a chegada de um mecânico e viu o "tudo pode acontecer" tornar-se real.
Esta foi a sexta vez que o brasileiro foi prejudicado por uma falha da Ferrari nesta temporada. Na Hungria, ele teve de abandonar a prova com problemas no motor na antepenúltima volta, quando liderava com tranqüilidade. Ele também foi "atrapalhado" nos GPs da Inglaterra, do Canadá, de Mônaco e da Austrália.
Classificação da prova:
1 - Fernando Alonso, 2 - Nico Rosberg, 3 - Lewis Hamilton, 4 - Timo Glock, 5 - Sebastian Vettel, 6 - Nick Heidfeld, 7 - David Coulthard e 8 - Kazuki Nakajima.

Tupi e Uberaba

Com gols de Reginaldo e Ademilson, de penalti, todos na primeira etapa, o Tupi venceu o Uberaba por 2 x 0 e assumiu a liderança isolada da Taça Minas, com 14 pontos ganhos. O Galo terminou a partida com dez jogadoes em campo, já que o lateral Mendes foi expulso, ainda na primeira etapa. Com o gol, Ademilson assumiu a artilharia da competição, com quatro gols. Público Pagante: 715 torcedores, Renda: 5.540,00. Próximo jogo do Tupi, sábado, 04/10, contra o Villa Nova, que tem apenas um ponto, em Nova Lima. CONSIDERAÇÕES: O atacante Ademilson (que foi parceiro de Romário no ataque do Fluminense, atuando ainda no Botafogo, Americano de Campos, Ituiutaba e outras) já realizou 32 jogos com a camisa do Tupi na temporada, tendo marcado apenas 12 gols. Número reduzido para um atacante. Quanto a Alan, paga um preço elevado por não ter sido formado na base (apareceu para o futebol aos 27 anos). Com essa deficiência, não consegue se adaptar ao sistema tático montado pelo treinador. Apesar do esforço de ambos (atleta e treinador). A direção do Tupi, que acertou na composição da comissão técnica, precisa investir no quesito PATROCINADOR. A rigor, hoje o clube só tem a PJF, MRS e CJF, já que Unimed e Bahamas são empresas parceiras no sistema de permuta, uma oferecendo plano de saúde e a outra, gêneros alimentícios. O Tupi continua sendo desconhecido da imprensa, seja jogando como visitante, seja recebendo seus adversários. Não há informações do clube, do time, do estádio e da cidade aos representantes da imprensa dos locais dos clubes adversários do Tupi. Falta ao Tupi uma Assessoria de qualidade, com profissionais que conheçam a história do clube. Embora, com apenas três patrocinadores, o que o Tupi precisa mesmo é de captador de recursos, de pessoas capacitadas para que busquem no mercado patrocinadores para o clube. Mesmo reconhecendo que a assessoria é importante, a falta de recursos é crucial. Se não for possível ter os dois, que se faça a opção pelos recursos, pelos patrocinadores. O que o Tupi não pode é ficar esperando pelo patrocinador. Tem que ir buscá-lo. Ir com propostas sérias, concretas, objetivas. O Tupi merece e precisa.

O PREFEITO BOA PRAÇA – E DAÍ?

Laerte Braga*
 
O prefeito José Eduardo queimou no golpe com as críticas do vereador José Sotter Figueirôa, PMDB, ao diretor do DEMLURB (DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA) Osman não sei das quantas. Figueirôa, um dos três vereadores que na Câmara não cederam a pressões e ameaças de Bejani (Bruno Siqueira e Flávio Cheker foram os outros dois), acusou o dito diretor de ser testa de ferro do ex-prefeito.
 
José Eduardo do alto de dimensão política anã vai mandar à Câmara uma carta de protesto pelas acusações do vereador Figueirôa e Osman disse que vai processar o vereador.
 
Bobagem. O que o vereador fez foi cumprir o seu papel de denunciar corrupção na administração pública. É dever dele e a Constituição além de determinar que esse é direito e dever, garante ao vereador imunidade por palavras e opiniões expendidas no exercício do mandato. Não é aquela imunidade de meter a mão e ficar impune não. É a de botar a boca no trombone e mostrar à cidade o que de fato se passa na administração.
 
O que Osman defende e está desesperado, pois perde uma grana do por fora é a assinatura do contrato de construção do novo aterro sanitário em Dias Tavares, num prazo de 25 anos e 235 milhões de reais com a Vital Engenharia Ambiental, braço da quadrilha Queiroz Galvão.
 
Pior que isso é que o prefeito embarcou nessa e tem insistido em desconhecer a lei, o que é irregularidade, crime administrativo, quando se recusa a convocar o CONDEMA (CONSELHO DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE), como determina a resolução 102 do COPAM (CONSELHO DE PROTEÇÃO AO AMBIENTE) e tenta de todas as formas assinar o malsinado contrato, o que, como dizem os advogados, data vênia, sugere cumplicidade na marmelada da grossa.
 
Nem devem ler jornais, ou tomar conhecimento de outros fatos, certas coisas tornam as pessoas cegas. A justiça mineira acaba de anular contrato semelhante do governo petista/tucano de Belo Horizonte com a mesma empresa e nas mesmas condições por considerar que é lesivo ao ambiente, ao erário público e por existirem vícios (quer dizer mutreta) na montagem do mesmo. Negócio da associação Pimentel/Aécio, PT/PSDB que se estende pelo estado inteiro mesmo quando parece o contrário.
 
Se levarmos em conta a média do que é paga por empresas/quadrilhas a administradores públicos em forma de comissão pelas tais terceirizações, privatizações, 235 milhões representam um ganho de no mínimo uns 25 milhões, levando em conta também o tempo de duração do contrato.
 
Pega mal para o prefeito, qualquer paralelepípedo sabe que Osman é homem de Bejani, escuta-se isso o tempo todo no DEMLURB e é evidente o desespero da turma de faturar um no finalzinho do governo antes de deixar os cargos.
 
Se bem que o governo apóia o candidato tucano e um dos sócios de Custódio tem negócios no DEMLURB, o famigerado Josemar. Mutreta também que rende propina para a turma chegada a esse tipo de ganho, digamos assim.
 
O que o prefeito José Eduardo não percebeu também, deslumbrado com esse negócio de descer a rua Halfeld e ser chamado de excelência, mesmo que por poucos meses, é que está sendo envolvido numa grossa bandalheira, num assunto que tem que ser alvo de debate público, amplo, sério e não pode ser decidido assim de afogadilho para que meia dúzia pegue propinas e fique a conta para o cidadão.
 
E há um detalhe que poucas pessoas sabem. Quando se fala no tal contrato com a quadrilha Vital não se explica que o lixo continuará a ser depositado em Salvaterra e a quadrilha apenas fará o transbordo para Dias Tavares. Ou seja, vamos pagar pelo que não existe, por uma negociata sem tamanho.
 
O poder é um trem complicado. Mexe com a cabeça das pessoas. Pode ser um Pastinha da vida mau caráter do dia a dia, pode ser um prefeito por seis meses, mas mexe. O sujeito começa a achar que é Deus e que o poder é eterno.
 
No caso específico de Juiz de Fora o último “deus” saiu algemado de casa e foi descansar numa penitenciária tamanha as barbaridades que fez.
 
Osman é testa de ferro dele sim. De Bejani. Custódio é candidato do esquema Bejani e das empresas que tinham negócios com Bejani. José Eduardo é um anão transitório que está deixando manchar seu nome exatamente por conta disso, ou então é cúmplice.
 
Já o vereador Figueirôa exerceu o papel que deve ser exercido por qualquer vereador. 
 
Fora isso, essa história de processo acaba sendo a chance de provar que por trás dessa conversa há uma grande bandalheira. Pior, esses caras falam que processam para poder mostrar reação, no curso do processo fazem o diabo para que o processo não ande, pois sabem que são corruptos sim.
 
José Eduardo é um sujeito boa praça, tem gente séria do lado dele, mas só isso não basta. É preciso ter estatura política para ser prefeito. Não tem.    
 
Quem nomeou Osman? Bejani. Quem manteve Osman? José Eduardo. Osman e mais da metade do esquema Bejani, todo ele trabalhando para Custódio. 
 
A bem da verdade o prefeito José Eduardo precisa tomar posse, Bejani continua governando por seu esquema.
*Laerte Braga é Jornalista

Tupi e Uberaba

Equipe de melhor aproveitamento na Taça Minas Gerais, único invicto, o Tupi enfrenta o Uberaba, às 10h30, diante de sua torcida, no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, encerrando a sexta rodada. Os donos da casa venceram três partidas e empataram duas. A equipe do Triângulo soma cinco pontos (uma vitória, dois empates e duas derrotas), ocupando a quinta colocação.
O técnico Wellington Fajardo, do Tupi, definirá a equipe somente no vestiário. Ele ainda não definiu o substituto de Léo Salino, que cumpre suspensão por expulsão. “Tenho três opções, com Índio, Caetano ou Toledo. O Índio torna a equipe mais ofensiva, enquanto os outros dois me permitem uma melhor consistência na defesa.”
De acordo com as projeções da comissão técnica do clube, uma vitória pode garantir ao Carijó uma vaga nas semifinais já na sexta rodada da competição.
No Uberaba, o técnico Erick Moura deverá repetir a equipe que perdeu para o Tupi, na última segunda-feira, por 2 a 1, no Triângulo Mineiro. O zagueiro Salatiel e o lateral-esquerdo Argemiro foram julgados pelo Tribunal de Justiça Desportiva e pegaram dois jogos de suspensão cada pela expulsão diante do Araxá e continuam de fora do time.

Futebol - Resultados

Taça Minas
Uberlãndia 2 x 1 Vila Nova
O Uberlândia Esporte Clube (UEC) venceu, por 2 (gols de Indinho e Rena, de cabeça) a 1 (gol de Luiz Ricardo), o Villa Nova na partida válida pela abertura do returno da Taça Minas, disputada ontem no Estádio João Havelange, o Parque do Sabiá. Com o resultado time chega a oito pontos. 
O Villa Nova segue sem vencer na Taça Minas Gerais e permanece na lanterna, com apenas um ponto – perdeu quatro dos cinco jogos disputados. Já o Uberlândia subiu duas posições. 
Uma cabeçada entre um jogador do Villa Nova e o árbitro Joel Tolentino da Mata Junior, no primeiro tempo, deixou o jogo interrompido por quase dois minutos. O árbitro ficou tonto e cai em campo;
Araxá 2  x 0 América
O Araxá precisou de apenas um tempo para vencer o América, 2 a 0 (gols de André Nascimento e Jackson), ontem à noite, no Estádio Fausto Alvim, no Triângulo Mineiro, mantendo-se na vice-liderança da Taça Minas Gerais, com 11 pontos, mesmo total do Tupi, que fica com o primeiro lugar por ter um melhor saldo de gols, seis, enquanto o rival está com zero. O Coelho, por sua vez, caiu para o quarto lugar, com sete pontos, sendo ultrapassado pelo Uberlândia, agora com oito, que derrotou o Villa Nova, também ontem, no Parque do Sabiá, por 2 a 1.
Série A - 27ª rodada
Goiás 3 x 0 Vitória Flamengo 2 x 1 Sport Atlético-MG 0 x 0 Figueirense
Série B - 28ª rodada
Gama 2 x 1 Marília Bragantino 0 x 2 Grêmio Barueri São Caetano 2 x 2 Corinthians Ceará 3 x 1 ABC América-RN 2 x 0 Juventude Avaí 4 x 1 Bahia
Copa Paulista - Primeira fase - 13ª rodada América 1 x 1 Rio Preto Nacional 4 x 1 São José Juventus 1 x 0 Flamengo Sorocaba 4 x 1 Ituano Comercial 3 x 0 Rio Claro União São João 4 x 2 Rio Branco Santo André 1 x 1 Bragantino (B)
Campeonato Argentino – Apertura -  rodada
Colón 1 x 1 Huracán San Lorenzo 2 x 0 Arsenal Sarandí Independiente 0 x 2 Lanús

sábado, 27 de setembro de 2008

Eleições 2008

Um terço dos deputados mineiros tem ficha suja
Cinqüenta e três deputados estaduais que disputam as eleições para prefeito ou vice em todo o país respondem a algum processo judicial ou foram punidos pelo Tribunal de Contas de seus estados. O número equivale a 28% dos 187 parlamentares candidatos de 23 estados brasileiros. Em Minas Gerais, o índice é semelhante: dos 17 candidatos, cinco têm pendência com a Justiça. São eles Getúlio Neiva (PMDB), Maria Lúcia Mendonça (DEM), Paulo César (PDT), Rosângela Reis (PV) e Ruy Muniz (DEM).
Os dados fazem parte do estudo Excelências, realizado pela Transparência Brasil – que reúne diversos dados sobre parlamentares. As ações judiciais envolvendo os deputados estaduais de todo o país dizem respeito a improbidade administrativa, crimes eleitorais – como a compra de votos e rejeição de contas de campanha – ou rejeição da execução orçamentária pelo Tribunal de Contas.
Contra o deputado estadual Ruy Muniz (DEM), candidato à Prefeitura de Montes Claros, consta um processo em fase de recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico e compra de voto no pleito de 2006. O parlamentar disse ter obtido decisão favorável no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) e afirmou que ainda nem tinha tomado conhecimento do recurso em tramitação. Segundo ele, a ação é fruto de denúncia inverídica de um adversário político, que o acusou de fornecer combustível para eleitores durante uma carreata. “Não teve nada disso. Eu sou o único candidato que verdadeiramente tem a ficha limpa na minha cidade”, argumentou.
A deputada Rosângela Reis (PV) responde a uma ação de impugnação de mandato eletivo que tramita em segredo de Justiça no TRE. De acordo com ela, o processo é um “exagero” e foi ajuizado por adversários porque ela teria usado um bottom da campanha de 2006 durante um evento realizado em 7 de setembro. “Nossa defesa será feita no momento certo.”
A colega de Assembléia Maria Lúcia Mendonça (DEM), candidata em Cataguases, responde a três ações na Justiça Eleitoral, que tratam de abuso de poder econômico, compra de votos e gastos irregulares na campanha de 2006. Indagada sobre o assunto, ela afirmou que os processos são antigos e não foram julgados, além de corresponderem a “calúnias de suplentes”.
O candidato a prefeito em Nova Serrana, Paulo César (PDT), responde a um recurso especial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) relacionado a uma ação civil pública em que é acusado de improbidade administrativa. Getúlio Neiva (PMDB), candidato em Teófilo Otoni, apelou ao Tribunal de Justiça contra uma condenação pelo mesmo motivo, durante sua gestão na prefeitura da cidade (entre 2001 e 2004). O primeiro disse que teria de consultar seu advogado antes de comentar o assunto. Já Getúlio Neiva não foi encontrado pela reportagem.
O estudo Excelências não incluiu litígios de natureza privada – como ações que envolvam pensão alimentícia – e queixas de crimes contra a honra (calúnia, injúria ou difamação). Processos em tramitação na Justiça de primeira instância só foram incluídos nos casos em que há recursos na segunda instância e desde que a autoria seja do Ministério Público.

Zona da Mata e Vertentes

Campanha movida a sola de sapato e cafezinho Tribuna de Minas
Juiz de Fora-MG
"Quem for eleito prefeito de Juiz de Fora será uma espécie de governador da Zona da Mata e região". A frase, proferida de maneira firme, poderia parecer um tanto pretensiosa se dita por um dos seis candidatos à PJF. No entanto, vinda do atual chefe do Executivo e concorrente à reeleição em Matias Barbosa, Joaquim Nascimento (PP), dá a dimensão exata do quanto as eleições juizforanas determinam o clima que envolve a disputa na região. Respeitadas as peculiaridades locais, o discurso dicotômico entre segurança e renovação - e mesmo aquele que tenta agregar as duas linhas -, tão explorado em Juiz de Fora, ganha ressonância num raio de cem quilômetros. Na última quarta-feira, a Tribuna percorreu seis cidades da Zona da Mata e Vertentes - Barbacena, Santos Dumont, Lima Duarte, Matias Barbosa, Rio Novo e Goianá - para conferir o clima das campanhas, e constatou que a leitura dos candidatos sobre os problemas de suas cidades e a forma como se apresentam ao eleitor diferem pouco.
Em todas, a estratégia passa por muita sola de sapato, corpo-a-corpo e cafezinhos. Sem um gerador de TV para ampliar o alcance da imagem dos concorrentes pelo horário eleitoral gratuito, a campanha é levada à base de alguma criatividade, muito conservadorismo e nenhuma "invencionice". Em comum, a falta de recursos próprios e a dependência das transferências dos governos federal e estadual. "A cidade pequena guarda essa particularidade da proximidade com o político e as pessoas cobram muito a presença efetiva do candidato. E o eleitor fica satisfeito", afirma Joaquin Nascimento, que disputa com Luiz Carlos Marques (PT).
Temas como saúde, educação, infra-estrutura, emprego e desenvolvimento econômico dominam os programas de Governo, com peso maior ou menor para cada um, dependendo do município. A exceção é Lima Duarte, onde a proposta primordial de um dos concorrentes é implantar política de desenvolvimento sustentável do ponto de vista ambiental, explorando o turismo como fonte principal de emprego e renda. Em Rio Novo, a fórmula tradicional chega a ser alvo de contabilidade. "Já passei por 2.800 residências, todo o comércio da cidade, além de indústrias e igrejas", enumera o candidato do PHS, Luiz Carlos Cabral. Seu adversário, Liviston Xavier (PSDC), faz a mesma peregrinação e acredita que terá visitado todos os eleitores antes de 5 de outubro. O terceiro nome na disputa, Antônio Moura Varotto (PPS), trilha caminho diferente. O ex-prefeito, com a marca da oposição, prega o fim do continuísmo na cidade.
O mesmo discurso é adotado na vizinha Goianá. Lá, o concorrente do PMDB, Geraldo Coutinho, se propõe como alternativa ao grupo que tem se revezado no poder, que tem a ex-prefeita Maria Elena Zaidem (DEM) como candidata. "No primeiro mandato, ela até fez um bom Governo, mas foi em função da falta de tudo. Há 16 anos, a gente vive a mesma administração, por que antes da emancipação ela já era vice-prefeita de Rio Novo". Maria Elena se defende. "Quando peguei a prefeitura pela primeira vez, tudo estava por fazer. Agora, que a base está pronta, dá para errar menos", pondera.
Rádio vira ‘arma’
Nessas pequenas cidades, os ataques são reservados para o rádio, já que a maioria desses municípios possui emissora própria que possa atuar como geradora dos programas eleitorais. Em Barbacena, o veículo esquenta o clima entre as tradicionais famílias Andrada e Bias Fortes, que têm o prefeito Martim Andrada, candidato à reeleição, e a ex-vereadora Danuza Bias Fortes como respectivos representantes na disputa. Danuza diz que investe em campanha propositiva, mas que vem sendo atacada pelo adversário. Fiel da balança, Alessandro Bertolin (PMN) confessa que não deixa por menos quando o assunto é entrar na briga com as duas famílias mais tradicionais da política na Cidade das Rosas. "Procuro falar para o eleitor que o ataque entre eles é apenas teatro. Passada a eleição, eles sempre acabam ocupando bons cargos no Governo, independente de quem vença. E isso tem causado sofrimento aos barbacenenses", diz Bertolin.
Apesar do esforço, a tática nem sempre cola da maneira esperada. "No final, são todos meio parecidos", critica o auxiliar de serviços gerais, de 22 anos, Júlio César da Silva. Ele é eleitor em Santos Dumont, onde o binômio renovação versus continuísmo é levado a cabo pela disputa entre o atual prefeito Evandro Nery (PT) e Carlos Alberto Azevedo (PPS). Já em Lima Duarte, o embate ocorre entre Geraldo Gomes (atual prefeito pelo PV) e Paulo Alencar (Paulo Gigante - PRB). Na cidade não há comícios ou muros pintados. Um acordo garante a limpeza do município. "A cidade cresceu muito, e o candidato tem é que andar", conta o eleitor Rinaldo de Paula, 43.
Barbacena E ntre os Andrada e os Bias Fortes, um novato. Tentando quebrar a hegemonia dos grupos que se revezam há anos no comando da cidade, Alessandro Bertolin (PMN) concorre contra Martim Andrada (PSDB) e Danuza Bias Fortes (PMDB) pelo posto máximo do município. Mas não sem alguma dificuldade. "Minha campanha está orçada em cerca de R$ 4.500. A dos concorrentes chega a custar mil vezes mais". Entre os representantes do tradicionalismo, farpas não faltam, principalmente pelo rádio. Danuza alega que vem fazendo uma campanha mais propositiva, calcada em uma proposta de desenvolvimento participativo e comenta que vem sofrendo ataques do atual prefeito. Martim não concedeu entrevista, alegando indisponibilidade de agenda.
Santos Dumont Na cidade do Pai da Aviação, a divulgação das candidaturas é feita em cima de bicicletas. Essa é a alternativa, mais barata que os carros de som, adotada por muitos dos candidatos a vereador e pelos cabos eleitorais de prefeitáveis. "Chego a percorrer 20 quilômetros por dia, pedalando. A gente pega carrapato e tudo", conta o cabo eleitoral Walmir Rosa. Com 46 mil habitantes e 37 mil eleitores é mais difícil percorrer todos os domicílios. Por isso, Carlos Aberto de Azevedo (PPS) investiu em quase um comício por dia. "Essa é a nossa TV". O candidato à reeleição, Evandro Nery (PT), conseguiu aparecer na TV ao participar do programa eleitoral do PT. Só que em Juiz de Fora. No rádio local, os dois têm os mesmos 15 minutos.
Lima Duarte Contando só com uma rádio comunitária, horário eleitoral gratuito é uma realidade distante na cidade de 16 mil habitantes. Mesmo assim, nada de comícios nem de muros pintados. Um acordo entre os concorrentes Paulo Alencar (Paulinho Gigante, PRB) e Geraldo Gomes (atual prefeito pelo PV) garante a limpeza da cidade. "Eles vão atrás, conhecem todo mundo, e a campanha tem sido bem programática", conta o eleitor Rinaldo de Paula, ressaltando que, nas visitas que fazem, ambos procuram destacar as propostas. Enquanto Gomes propõe que a cidade se transforme em um pólo de sustentabilidade ambiental e produção de biodiesel, Paulinho Gigante acredita na possibilidade de atrair empresas através da influência do companheiro ilustre de partido, o vice-presidente da República, José Alencar.
Matias Barbosa A 16 dias da eleição, Matias Barbosa sofreu uma reviravolta. O candidato Carlos Antônio Castro (PP) teve o registro indeferido por rejeição de contas públicas e desistiu de concorrer. Em seu lugar, o PP indicou o atual prefeito, Joaquim Assis Nascimento, para a disputa contra Luiz Carlos Marques (PT). "A eleição estava toda virada para o PT, mas com a entrada do prefeito, voltou a ficar confusa", relata a comerciante Clara Helena Reis, 49 anos, eleitora matiense. Na prática, o prefeito considera que teve apenas 15 dias de trabalho. "Numa campanha normal, eu tenho como visitar todos os domicílios da minha cidade, como fiz da vez anterior. Essa situação excepcional vai me privar disso", diz o postulante à reeleição. Já a candidatura petista é calcada na economia. "É uma campanha muito simples. Há quatro anos acabou sendo mais cara, porque foi disputada por um maior número de candidatos", diz Marques.
Rio Novo Embora a dicotomia entre novo e antigo seja explorada em Rio Novo, cidade com 6.295 eleitores, em alguns casos, a cópia do discurso juizforano é mais evidente. Os assessores de Antônio Varotto (PPS) apresentam seu "produto" como alternativa de "mudança com segurança", uma vez que se dizem aliados com as forças estaduais do PSDB, se apropriando do discurso da sigla em Juiz de Fora. O atual vice-prefeito, Liviston Xavier (PSDC), por sua vez, é o mais jovem na disputa e trabalha esse dado junto a essa camada da população, tendo como principal plataforma o emprego. Luiz Carlos Cabral (PHS) propõe como alternativa sua experiência em gestão. O lema é preparar a mão-de-obra para receber empresas atraídas pelo Aeroporto Regional. De fato, a geração de emprego e renda promete ser o desafio. Para se ter idéia, dos 8.900 moradores de Rio Novo, 2.340 são atendidos pelo Bolsa Família e 17% vivem com menos de R$ 60 per capita ao mês.
Goianá Goianá vislumbra o desenvolvimento econômico a partir da entrada em atividade do Aeroporto Regional da Zona da Mata. O lema, nas campanhas dos dois concorrentes, é acabar com a estagnação da economia, com atração de indústrias. Uníssono entre as metas dos prefeitáveis da região, está a disponibilidade de oferta de ensino profissionalizante. É isso que vem sendo levado aos eleitores, de porta em porta, mas com um cuidado: o horário. "Campanha aqui é só até 20h. Muita gente acorda às 4h para trabalhar nas fazendas", pondera o candidato Geraldo Coutinho (PMDB). Já Maria Elena Zaidem (DEM) espera concluir as visitas a todas as casas antes de 5 de outubro. Ela defende um Governo mais participativo.

Paiva-MG

Saiba como será a eleição no menor colégio eleitoral da Zona da Mata MGTV/Megaminas.com
Em Paiva, o menor colégio eleitoral da Zona da Mata e Vertentes, os 1.520 eleitores vão ter que escolher, entre dois candidatos, o novo prefeito da cidade. Paiva é uma das muitas cidades do interior de Minas que sobrevivem do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O orçamento anual é de R$4 milhões. A arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e prestação de Serviços (ICMS) é de R$30 mil ao mês. A economia do município, com menos de 1.800 moradores, é movimentada pela agropecuária.
José Dias, do PDT, é o atual prefeito e busca a reeleição em aliança com o PRB, PP, PSC, PR, DEM e PSDB. O companheiro de chapa é o ex-prefeito Jair Toledo de Paiva, do PMDB. Tem como proposta de governo, construção de moradias populares, implantação de um distrito industrial e estímulo à produção e beneficiamento do leite.
Reimundo Luiz de Campos, candidato do PTdoB, também promete uma área para a implantação de pequenas e médias indústrias. Ele ainda propõe mudanças na educação e na saúde e diz que vai valorizar a agricultura familiar. Na disputa pela Prefeitura, Reimundo tem como vice Tadeu Vicente de Souza, do PTdoB, que está coligado com o PMN.

Eleições 2008

Chega a 20 o número de candidatos assassinados no país G1 Com a morte do candidato a vereador por Nova Iguaçu (RJ) Antônio Carlos Souza Silva, que foi executado na tarde desta quinta-feira (25), levantamento do G1 mostra que, pelo menos, 20 candidatos já foram assassinados em cidades brasileiras durante a campanha eleitoral.

No estado do Rio de Janeiro, foram registrados pelo menos mais dois casos. Orney dos Santos Pereira (PP) , que era candidato a vereador em Magé, foi assassinado em julho. No dia 3 de setembro, foi morto o candidato a vereador em Mesquita Gilson Gonçalves de Carvalho (PSDB).

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem uma lista oficial de quantos candidatos foram assassinados no país. O TSE contabiliza apenas o número de candidatos que já morreram (até o dia 1º de setembro, eram 89), mas sem especificar o motivo da morte.

Outros assassinatos Evânio Paulino Feitosa(PR) foi morto na última segunda-feira (22) quando tentava apartar uma briga na cidade de Barra do Garças. Segundo a Polícia Militar, um homem armado teria ameaçado o sobrinho de Evânio. O candidato tentou interceder e foi baleado no peito e na cabeça. O crime, ainda de acordo com a PM, não teria motivações políticas.

No último sábado (20), o candidato a vereador pelo PR no município de Saloá, a 225 quilômetros do Recife, Fernando Luiz Soares de Melo, o Fernando Galdino , foi morto com um tiro na nuca.

Fernando de Galdino estava acompanhado do filho Fernando, de 17 anos, e seguia de moto para o comitê do partido em Saloá, depois de ter participado de comício no distrito de Iatecá. No caminho, eles foram abordados por dois motoqueiros, que os fizeram parar e deitar no chão. Os assassinos nada fizeram ao adolescente e levaram a moto.

Até agora, pelo menos cinco candidatos foram assassinados em Pernambuco. Antes, haviam sido mortos o candidato a prefeito de Itaquitinga, o médico Sérgio Ricardo de Souza (PSB), e os candidatos a vereador Lourinaldo Felix Vieira (PTB), de Terezinha, Mozenir Araújo de Sá (PT),de Cabrobó, e Leonardo Alves Marinho (PSDB), de Camutanga.

No Pará, já foram registrados dois crimes nesta campanha: o assassinato de um candidato a vereador em Uruará, no oeste do estado. E o do candidato do PMDB a prefeito de Rio Maria, Agemiro Gomes da Silva , executado com um tiro na nuca.

Na Paraíba, também são dois casos. Em Curral Velho (PB), o candidato a vice-prefeito Silvino Pereira Gato (PMDB) foi morto a tiros no dia 30 de agosto. O candidato a vereador do PSL Antônio Santana da Silva, o Tota da Macumba, foi assassinado na cidade de Mari no último dia 10.

Na cidade de Águas Lindas (GO), o candidato a vereador José Venceslau da Costa (PP) foi assassinado durante um comício. Em Goiás, também no mês de agosto, o candidato a vereador de Niquelândia Nereir Magalhães (PP) foi morto em um suposto assalto.

Em Bela Vista (MS), o vereador e candidato à reeleição Flávio Roberto Godoy (PDT) foi assassinado quando chegava para um comício. Em Caraguatatuba (SP), o candidato a vereador Cosme Tavares Leite (PDT) foi assassinado quando saía do trabalho.

No dia 9 de setembro, o candidato a vereador da cidade de São Paulo, Oscar Abreu Alencar (PT do B) foi encontrado morto no Paraguai . Alencar, que foi fazer compras no país vizinho, teria sido assassinado durante um provável assalto.

Em Porto Velho (RO), o policial civil Pedro Marcelo de Oliveira Lima (PRB), que era candidato a vereador, foi assassinado por assaltantes em julho. No mesmo mês, foi assassinado Gilvan Roberto Fontoura (PP), que era candidato a vereador em Novo Hamburgo (RS).

Matias Barbosa-MG

Matias Barbosa tem novo candidato MGTV/Megaminas.com
Há nove dias das eleições municipais, Matias Barbosa conta com um novo candidato ao Executivo. O atual prefeito do município, Joaquim de Assis Nascimento, vai substituir Antônio de Castro Lopes que renunciou àá candidatura. Ambos são do mesmo partido, o PP.
O candidato a vice também foi trocado. A nova chapa em Matias Barbosa foi homologada pelo juiz eleitoral, Alcino Valdir Leite. Na busca da reeleição, Joaquim de Assis Nascimento vai ter como oponente, Luiz Carlos Marques, do PT.

Fórmula 1 - GP de Cingapura 2008

Felipe Massa conquista a pole position em Cingapura
Com uma volta perfeita, Felipe Massa cravou neste sábado a pole position para o GP noturno de Cingapura -- a 15ª etapa do Mundial 2008 de Fórmula 1, que acontece neste domingo. O piloto da Ferrari cravou a marca de 1min44s801 na tomada de tempos oficial.
Massa conseguiu uma marca mais de seis décimos mais veloz que a do segundo colocado no grid, que será seu rival na briga pelo título 2008: Lewis Hamilton, da McLaren. Kimi Räikkönen, da Ferrari, atual campeão do mundo, alinha na 3ª colocação.
O circuito urbano da Cidade de Cingapura oferece poucas chances de ultrapassagem. Assim, largar da ponta é fundamental na busca pelo melhor resultado. Na última corrida de rua do ano, em Valência, Massa também largou da pole e venceu com folga.
O Mundial de pilotos tem Hamilton na liderança com 78 pontos ganhos, um ponto a mais somente que o vice-líder Felipe Massa. Kimi Räikkönen está 21 pontos atrás do piloto inglês na tabela e com vinte de desvantagem para seu companheiro na Ferrari.
Demais brasileiros
- Nelsinho Piquet e Rubens Barrichello não passaram da 1ª fase na classificação. O piloto da Renault alinha na 16ª posição do grid e o piloto da Honda será o 18º e antepenúltimo colocado na formação de largada em Cingapura. A largada da prova, no horário local, acontece às 20h00 (09:00, no horário de Brasília).

Juiz de Fora e o seu inferno astral

Sem ônibus Protesto contra sindicato pára trânsito no Centro A disputa entre um grupo de motoristas e trocadores e o sindicato da categoria levou ao caos o trânsito de Juiz de Fora ontem à tarde. Por cerca de uma hora e meia, o tráfego dos ônibus foi totalmente interrompido, deixando milhares de usuários sem condução. O engarrafamento, segundo cálculos do Pelotão de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar (PM), chegou a dois quilômetros na pista dos coletivos. Nas vias laterais houve retenção. O movimento começou por volta das 16h30 e só terminou às 18h, mediante a promessa da Gettran de ser realizada reunião com os manifestantes, na segunda-feira, para tratar do impasse com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Coletivo (Sinttro).
A paralisação começou com cerca de 25 trabalhadores percorrendo a Avenida Rio Branco com apitaço. Na esquina com a Getúlio Vargas, eles interromperam o tráfego de ônibus. Por conta da baixa adesão, tiveram dificuldade de conter, de início, o fluxo na Rua São Sebastião. Os passageiros, inconformados, desceram dos coletivos e tentavam chegar em casa ou ao trabalho à pé. A cozinheira Cléria Pinto carregava caixas de salgados nas mãos. Ela ia abastecer a barraca onde trabalha na Rua Espírito Santo e teve que descer na Avenida Rio Branco. “Vou ter que andar com esse peso todo nas mãos. É uma falta de respeito com o trabalhador.” A técnica de enfermagem Nilma Duarte considerou o movimento absurdo. “Saio de casa às 5h para trabalhar e não consigo voltar para casa.” Ela mora no Granjas Betânia e não tinha como pagar um táxi.
Na Avenida Getúlio Vargas, durante o protesto, os pontos de ônibus ficaram lotados de usuários esperando condução. A diarista Aparecida Ferreira, que mora no Filgueiras, ficou quase duas horas à espera das linhas que atendem seu bairro. Ela reclamou do fato de o movimento não ser por uma causa coletiva, mas de interesse de poucos. “E nós é que pagamos a conta.”
O movimento também afetou o trânsito de todas as pistas transversais da região central, prejudicando até o atendimento de casos de emergência. Segundo um atendente do Samu, uma ambulância que levava um paciente com parada cardiorrespiratória ao Albert Sabin ficou presa na Rio Branco por vários minutos. O motorista, no entanto, conseguiu chegar a tempo ao hospital. Os demais condutores foram orientados a passar por caminhos alternativos.
A disputa por táxis aumentou. Uma dona de casa de 70 anos esperou uma hora e 40 minutos por um carro no ponto da Rua Batista de Oliveira, sem que qualquer veículo passasse pelo local. No intervalo das 17h30 às 18h30, a Tribuna tentou, por telefone, acionar empresas e pontos em diferentes regiões, mas as linhas estavam todas ocupadas.
Sinttro afirma que o movimento é político
Uma das lideranças do movimento, Francisco de Paula da Silva, disse que o ato é de protesto contra o Sinttro. Segundo ele, o sindicato estaria praticando irregularidades, como intimidação e demissão de funcionários que contestam as atitudes do órgão, eleição em chapa única, falsificação de documentos e vínculo de sindicalistas com a entidade patronal e o Poder Público.
Entre as reclamações está, ainda, o fato de o salário recebido pela categoria (R$ 902 para motorista e R$ 454 para trocador) ser diferente do que estaria previsto na planilha. Segundo Francisco, os vencimentos deveriam ser R$ 1.438 e R$ 902, respectivamente. No entanto, a assessoria da Prefeitura informou que o vencimento dos motoristas que consta na planilha da Gettran é de R$ 858 que, com o reajuste da categoria, subiu para R$ 902.
Motivações
Em relação às denúncias dos manifestantes, o presidente do Sinttro, José Pedro Franco Ribeiro, foi categórico ao afirmar que trata-se de um “grupo de pessoas motivadas por um candidato à Prefeitura de Juiz de Fora”. Ele não citou nomes. Francisco, no entanto, negou a motivação eleitoreira.
Em relação às demais denúncias, o presidente do Sinttro disse que “cabe a eles (manifestantes) entrarem na Justiça.” Sobre a queixa de diferença de salário entre o contracheque e a planilha da Gettran, disse “não existir” essa distinção. Já em referência às reclamações de intimidação de funcionários, afirmou: “Não entendo o motivo da reclamação. Temos oito ações no Ministério Público do Trabalho contra a empresa que realizou demissões”. Quanto às denúncias de eleição em chapa única e falsificação de documentos, defendeu-se: “Havia três chapas, e duas não entraram por não atingirem o número exato de membros. Em relação à falsificação, eles teriam que mostrar quais documentos são falsos, o que eles não fizeram”.
Já a Astransp informou ter recebido do Sinttro apenas um ofício descartando a responsabilidade do sindicato sobre a manifestação. Alegou ainda que a associação sequer foi informada sobre os motivos da paralisação.
O comandante do Pelotão de Policiamento de Trânsito, tenente Rubens Valério de Souza, disse que mais de 30 homens, entre policiais e agentes de trânsito, fizeram intervenções em pontos estratégicos, para minimizar o tumulto, considerado inevitável.
O movimento só teve fim com a chegada do diretor dos agentes de trânsito da Gettran, Sérgio Gonçalves dos Santos, que, por mais de meia hora, negociou com os manifestantes a realização de uma reunião, na segunda-feira, às 14h, para tratar do impasse, mediante a promessa de que o tráfego seria liberado.
CONSIDERAÇÕES: O atual prefeito, pessoa de conduta ilibada, o que não é nenhum favor, é obrigação do homem público, ao tomar posse, anunciou, talvez movido pela importãcia do cargo, que faria licitação para a exploração do serviço de transporte urbano (fato nunca registrado na história da cidade). O prefeito acomodou os amigos, preservou remanescentes da "gestão" anterior e nada de novo aconteceu. Qual, ou quais os motivos? Mesmo reconhecendo a boa conduta do prefeito enquanto cidadão, nunca é demais recordar de que ele foi vice do anterior. E é difícil acreditar que foi apenas por afinidade partidária

Futebol - Resultados

Série B - 28ª rodada Ponte Preta 2 x 2 Brasiliense CRB 0 x 0 Santo André Paraná Clube 3 x 1 Criciúma Vila Nova-GO 1 x 0 Fortaleza Copa Paulista Primeira fase -13ª rodada Itapirense 2 x 3 São Bento de Sorocaba Taquaritinga 3 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto XV de Piracicaba 1 x 0 Mogi Mirim Oeste de Itápolis 2 x 3 Catanduvense Campeonato Argentino 8ª rodada Tigre 1 x 0 Gimnasia de Jujuy Rosario Central 1 x 1 San Martín

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Descoberto-MG

Ronaldo da Costa promove competição em Descoberto-MG MGTV/Megaminas.com
Há exatos dez anos, em Berlim, na Alemanha, o mineiro Ronaldo da Costa não só venceu a prova como bateu o recorde mundial com o tempo de 2h06min05s. A marca anterior havia sido estabelecida dez anos antes, pelo etíope Belayneh Dinsamo, em Roterdã, na Holanda. No dia 24 de outubro de 99, o marroquino Khalid Khanouchi estabeleceu o novo recorde da maratona de Chicago, com 2h05min42s.
Para comemorar a data, neste sábado (27/09), em Descoberto, crianças com idade entre 4 e 14 anos vão participar de uma maratoninha. Tudo para manter viva a imagem vitoriosa do ídolo.
O sorriso estampado no rosto ainda é o mesmo, mas o tempo, o mesmo tempo que já foi aliado, também é implacável. Principalmente para quem depende da força física. O tempo, porém, só não é capaz de apagar a história, que no caso de Ronaldo da Costa foi escrita com passadas longas e rápidas, capazes de levá-lo a vitórias como a São Silvestre em 94 e a quebra do recorde mundial em maratona, em Berlim.
Para a mãe, este foi o melhor momento da carreira do filho, que depois disso, passou a chegar de helicóptero à cidade natal de Descoberto. Este tratamento de estrela ou de um pop star do esporte não apagou da memória as raízes. Antes da trajetória vitoriosa do menino pobre em competições importantes, ele deu a partida numa prova de rua, numa praça da cidade pequena de origem.
Atualmente Ronaldo quer ajudar outras crianças a trilhar o mesmo caminho. Dessa forma, ele comprova que o tempo pode passar, mas os ídolos permanecem.
A maratoninha Ronaldo da Costa, em Descoberto, começa às 16h, na Praça da Matriz.

Professor Oldemar Kramer

Difusora AM de Curitiba continua reforçando sua equipe Estréia neste domingo (28), na equipe de esportes da Rádio Difusora AM (590 kHz - Curitiba/PR), o Professor Oldemar Kramer, o "Plantão dos Plantões".
A estréia acontece no clássico ATLETIBA.
Vale informar que o Professor Oldemar Kramer, estará completando 50 anos de Rádio no próximo dia 01 de novembro de 2008.
É mais um grande profissional do Rádio paranaense que integra a equipe da Rádio Difusora, para continuar "alavancando" a audiência.

O HERÓI E O VILÃO

Tiago Domingos* Ainda estou na fase do video-game. Entre os jogos que mais gosto, tem um de corrida, que considero bem desafiante. Nele, posso ser o melhor piloto de duas formas, sendo "O herói" ou "O vilão", dependendo do meu desempenho nas provas.
É simples: fazendo uma corrida limpa, ultrapassando em situações favoráveis e não dificultando passagem de carros mais rápidos, você ganha pontos de herói. Do contrário, você vai virando vilão. Como eu tenho dificuldades neste jogo, geralmente eu faço as curvas me escorando nos outros carros, jogo eles para fora da pista e até causo alguns acidentes sem querer.
No começo, a tática até funciona, mas no decorrer da temporada, os outros pilotos vão se tornando rivais, dificultando minhas ultrapassagens, fechando meus caminhos e até batendo em mim "involuntariamente". Essa minha fama já chegou a me custar alguns títulos.
Lewis Hamilton parece estar seguindo um caminho parecido. No ano passado, a briga com Alonso motivou a perda da conquista quase certa. Nesta temporada, ele voltou a falar mal do ex-companheiro, chamou Raikkonen de covarde, fêz ultrapassagens forçadas em cima Glock e Webber, esnobou a Ferrari e tem Massa como rival.
Já Felipe Massa faz o fejão-com-arroz, sem irritar ninguém e ganha a torcida dos outros pilotos. Esse fatores, hoje, são detalhes, mas podem definir o campeonato a favor do herói brasileiro.
• • • O GP de Cingapura, primeira corrida noturna da F1, é incógnita. Com um circuito travado e com a possibilidade de chuva, dois fatores favoráveis para McLaren, aposto em Hamilton, seguido por Massa e Kovalainen.
*Tiago Domingos é jornalista da opcom

Taça Minas 2008

Wagner Augusto* O elenco do centenário Leão do Bonfim realizou um treinamento recreativo na manhã desta sexta-feira no Estádio Municipal Castor Cifuentes e logo após o almoço começa a viagem com destino ao Triângulo Mineiro. No sábado, às 16h, no Parque do Sabiá, o Villa Nova busca sua primeira vitória na Taça Minas Gerais contra o Uberlândia, na abertura do Segundo Turno da competição.
Durante os treinamentos da semana o técnico Pirulito fez várias alterações no time titular e é provável que aconteçam mudanças em todos os setores da equipe alvirrubra. Dois desfalques são certos: os atacantes Rômulo (continua vetado pelo Departamento Médico) e Márcio Diogo (suspenso por dois jogos pelo TJD em função da expulsão ocorrida na partida diante do Uberaba). Em contrapartida, duas estréias podem acontecer: a do lateral-esquerdo Luiz Cláudio e a do atacante Adriano.
Tendo em vista as várias formações que foram testadas no decorrer da semana, a provável escalação do Leão é esta: Macaé; Édson, César, Reinaldo (Diego) e Luiz Cláudio; João Paulo, Luís Ricardo, Leandro Paraná e Rafael Jr. (Wander); Adriano e Marlon (Rael).
A delegação villa-novense ficará concentrada no Carlton Hotel e conta, ainda, com os seguintes atletas: Thiago Vampirinho, Magal, Nílson e Bruno Cardoso. O retorno a Nova Lima será depois da partida, no próprio sábado.
Na próxima semana, o Villa Nova fará dois jogos consecutivos no Alçapão do Bonfim. Na quarta-feira (1º/10), às 19h, haverá o clássico adiado da segunda rodada com o América e no sábado (4/10), às 16h, o adversário será o Tupi.
Mistão do Leão No domingo, o time misto do Villa Nova fará um amistoso em Teófilo Otoni contra o América local. A partida será realizada às 10h, no Estádio Nassri Mattar. Esse time do Leão é formado por atletas profissionais com idade de júnior que estavam envolvidos na disputa do Campeonato Mineiro da categoria e, em alguns casos, na disputa da Taça Minas Gerais. A escalação é esta: Willian; Flávio, Heitor, Jádson e Pedro; Júnior, Renan, Ronaldo e Baiano; Bismark e Rafael Prates.
Sérgio Araújo não é mais técnico do time júnior do Villa Nova. Em seu lugar assume, em caráter interino, João Brito Alves, que é o coordenador geral das categorias de base do Leão do Bonfim. Brito será o técnico leonino nesse amistoso com o América-TO.
O mistão do Leão viaja para Teófilo Otoni no sábado, às 12h, e ficará concentrado no Nobre Hotel. *Wagner Augusto é jornalista